Professora Danielle Valente Duarte

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Professora Danielle Valente Duarte"

Transcrição

1 Professora Danielle Valente Duarte

2 TRANSPORTE significa o movimento do produto de um local a outro, partindo do início da cadeia de suprimentos chegando até o cliente Chopra e Meindl, 2006

3 O Transporte é de grande importância para o gerenciamento da cadeia de suprimentos devido ao seu impacto no nível de serviços e nos custos da empresas Chopra e Meindl, 2006

4 Segundo Bowersox e Closs (2010) existem dois princípios norteadores das operações e do gerenciamento dos transportes. São eles: Economia de escala Economia de distância

5 A economia de escala é obtida através da redução dos custos de transporte por unidade de peso com cargas maiores e/ou consolidadas. A economia de distância caracteriza-se pela redução dos custos de transporte por unidade de distância, à medida que ela aumenta, o custo fixo se distribui por mais quilômetros.

6 Características Operacionais Ferroviário Rodoviário Aquaviário Dutoviário Aéreo Velocidade Disponibilidad e Confiabilidade Capacidade Frequência

7 Transportador Embarcador

8 1. Custo relacionado ao veículo: compra ou aluguel; 2. Custo operacional fixo: terminais, portões de embarque e mão de obra; 3. Custo relacionado à viagem: preço de mão de obra e combustível;

9 4. Custo relacionado à quantidade: custo de carregamento\descarregamento e parte do combustível. 5. Custo Indireto: custo de planejamento e elaboração de cronograma e investimentos em TI.

10 1. Custo de transporte 2. Custo de estoque 3. Custo de instalação 4. Custo de processamento 5. Custo do nível de serviço

11 5 Modais Básicos

12 Longo curso, baixa velocidade. 86% do tempo em trânsito é ocupado em carga e descarga.

13 Serviço é, geralmente, de carga completa, (CL carload). Devido as altas taxas, raramente se opta por carga fracionada (LCL less then carload).

14 Tipos de vagões: Vagões tipo fechado: granéis sólidos, ensacados, caixarias, e transporte de produtos em geral que não podem ser expostos ao tempo.

15 Vagões tipo gôndola - para granéis sólidos e produtos diversos que podem ser expostos ao tempo

16 Vagão Hopper - fechados para granéis corrosivos e granéis sólidos que não podem ser expostos ao tempo e abertos para os granéis que podem ser expostos ao tempo

17

18 Vagões tipo isotérmico - produtos congelados em geral:

19 Vagões tipo plataforma - contêineres, produtos siderúrgicos, grandes volumes, madeira, peças de grandes dimensões:

20 Vagões tipo tanque - cimento a granel, derivados de petróleo claros e líquidos não corrosivos em geral.

21 Vagões especiais - produtos com características de transporte bem distintas das anteriores

22 Tipos de cargas transportadas no Brasil: Minério (73,9%), soja (5,18%) e milho (3,79%). Cimento, cal, adubos e fertilizantes, derivados do petróleo, calcário, produtos siderúrgicos, papel e celulose e containers (17,13%).

23 Transporte de produtos semiprontos ou acabados. Atende tanto cargas fracionadas (LTL less then truckload) quanto cargas competas (LT truckload).

24 Serviço porta-a-porta. Entrega razoavelmente rápida e confiável para fretes tipo LTL.

25 Facilidade de substituição de veículo em caso de acidentes. Atende tanto cargas fracionadas (LTL less then truckload) quanto cargas competas (LT truckload).

26 Desvantagens: Alto custo operacional e menor capacidade de carga. Possibilidade de congestionamentos. Desgaste da malha por excesso de peso ou rodagem.

27 Alguns problemas do modal rodoviário: Alocação de frota e/ou motorista Roteirização. Problemas de carregamento.

28 Capacidade física do veículo. Dependendo das características físicas da carga (peso/volume) e da capacidade do veículo, é possível ocorrer, em certas ocasiões, a superlotação do caminhão.

29 A relações básicas a serem consideradas no transporte rodoviário são: peso, volume e valor. A relação peso/volume possibilita o dimensionamento das necessidades de equipamentos de movimentação e armazenagem, bem como os veículos para transporte e cálculo de pagamento de frete.

30 Quanto menor for quociente peso/volume, maiores serão os custos logísticos. O quociente valor/peso também pode ser utilizado para tomadas de decisão.

31 O produtos com alto quociente valor/peso apresentam baixo custo de transporte, porque o peso tem maior relevância no custo de transporte.

32 Tipos de veículos e suas capacidades de transporte Caminhões Carretas Chassis de transporte de containers Bitrens Treminhões Cegonheiros

33 Caminhões São veículos fixos, monoblocos, constituídos em uma única parte que traz a cabine junto com o motor e a unidade de carga (carroceria). Pode variar o tamanho e a capacidade de tração, chegando a transportar até 23 toneladas.

34 Podem ter 2 ou 3 eixos com capacidade de carga (payload) de até cerca de 23 toneladas

35 Carretas Veículos articulados, com unidades de tração e de cargas separadas. A parte encarregada da tração denomina-se cavalo mecânico e a de carga semirreboque.

36 Os semirreboques podem ser fechados (baú ou siders), abertos (carga seca), cegonheiros (carga de veículos), tanques (carga líquida) e plataformas (maquinário). Os modelos de cinco eixos podem carregar até 30 toneladas.

37

38 Chassis Carretas plataformas muito utilizadas para o carregamento de containers de 20 ou 40 pés. Pode possuir um guincho próprio que possibilita a movimentação do container.

39

40 Bitrens É uma combinação de dois semirreboques acoplados entre si através de uma quinta-roda situada na traseira do primeiro semirreboque. No Brasil, o limite é de 57 toneladas.

41

42 Rodotrem Composto por um cavalo mecânico e dois ou mais semirreboques. No Brasil, o limite é de 74 toneladas e comprimento entre 25 e 30 metros.

43

44 Rapidez origem-destino. Confiabilidade sob condições normais. Embalagem menos proteora.

45 Tipos de serviço aéreo: 1. Transportadores de carga geral de linha 2. Transportadores de carga geral 3. Linhas aéreas regionais 4. Linhas aéreas comutadoras 5. Empresas internacionais

46 Questões-chave a serem ponderadas pelas transportadoras: 1. Número e localização de hubs (centros de distribuição) 2. Determinação das rotas 3. Cronograma de manutenção dos aviões 4. Agendamento da tripulação 5. Gerenciamento dos preços

47 Escopo limitado. Embarcadores devem estar perto das vias ou realizar combinação de outro modal. Mais lento que ferrovias (fluvial, litorâneo e lacustre).

48 Escopo limitado. Extremamente sensível às intempéries.

49 Transporta qualquer tipo de carga. Vantagens. Menos poluente. Cobre grandes distâncias com cargas maiores

50 Engloba todo tipo de carga desde: Produtos químicos e combustíveis

51 Alimentos, areia, minério...

52 Cereal e carga geral

53 A carga geral, geralmente, é transportada da seguinte forma: Caixas

54 Paletes

55 Barris

56 Containers

57

58

59

60

61

62

63

64

65 Leque de serviços extremamente limitado. Produto mais viável é o petróleo cru e seus derivados. Existem experiências visando à movimentação de produtos sólidos. Em relação ao tempo em trânsito, é o transporte mais confiável.

66 Danos reduzidos

67 Danos reduzidos

68

69 Eliminação de intermediários e simplificação da gestão e operação.

70 Geralmente utilizada em casos onde o varejista está longe do fornecedor Pode utilizar crossdoking no seu processo.

71

Unidade II GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade II GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade II GERENCIAMENTO DE TRANSPORTES Prof. Altair da Silva Formas e modais de transportes As formas como nossos produtos são distribuídos em nosso país, depende de vários fatores. Em um país como o

Leia mais

Fundamentos do Transporte

Fundamentos do Transporte Prof.: Deibson Agnel Livro: Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos/Logística Empresarial Autor: Ronald Ballou Cap. 06 1 A importância de um sistema de transporte eficaz A movimentação de cargas absorve

Leia mais

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados?

Gestão de Transporte. Gestão do Transporte: Próprio ou Terceiros? Gestão de Transporte Avaliação das modalidades. Que fatores a serem considerados? Gestão de Transporte Que fatores a serem considerados? A Atividade de Transporte: Sua Gestão Barco Trem Caminhão Peso Morto por T transportada 350 kg 800kg 700 kg Força de Tração 4.000 kg 500 kg 150 kg

Leia mais

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22

MBA em Logística. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 MBA em Logística Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 Prof. MBA em Logística Prof. Distribuição e Transportes DTA04 sala 22 NOMENCLATURA DE CARGAS Classificação de Cargas Classes de Cargas Sub-Classes

Leia mais

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte

LOGÍSTICA. O Sistema de Transporte LOGÍSTICA O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; MODALIDADE (UM MEIO DE TRANSPORTE) MULTIMODALIDADE (UTILIZAÇÃO INTEGRADA DE MODAIS) Tipos de

Leia mais

Gestão de Fretes 15/09/2011. O transporte no processo logístico. O Sistema de Transporte. Matriz de Transportes O TRANSPORTE

Gestão de Fretes 15/09/2011. O transporte no processo logístico. O Sistema de Transporte. Matriz de Transportes O TRANSPORTE Gestão de Fretes O Sistema de Transporte O TRANSPORTE 1. Representa o elemento mais importante do custo logístico; 2. Tem papel fundamental na prestação do Serviço ao Cliente O transporte no processo logístico

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTES

SISTEMAS DE TRANSPORTES ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS, PRODUÇÃO E LOGÍSTICA SISTEMAS DE TRANSPORTES TRANSPORTES Transportes, para a maioria das firmas, é a atividade logística mais importante, simplesmente porque ela absorve, em

Leia mais

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013 Navegação de Cabotagem no Brasil João Guilherme Araujo Novembro/2013 Agenda Porque falar de Cabotagem? Cabotagem no Brasil Pontos Favoráveis e Desfavoráveis Números da Cabotagem no Brasil Cabotagem de

Leia mais

Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS.

Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS. Programa de Ação Profissional: Transporte de um Vaso de Pressão São Paulo SP a Marau RS. UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA GESTÃO LOGÍSTICA

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

d) Fatores institucionais, tais como: relação de influência entre organizações de representação e usuários, associações de usuários e governo, etc.

d) Fatores institucionais, tais como: relação de influência entre organizações de representação e usuários, associações de usuários e governo, etc. 1 AV Cálculo de Fretes As tarifas são condicionadas a: a) Fatores de preço de mercadoria, tais como: tipo de embalagem, peso, volume, densidade, perecibilidade, periculosidade, facilidade de acomodação,

Leia mais

Evolução da Utilização Multimodal

Evolução da Utilização Multimodal "Sem caminhão, o Brasil pára". Transporte Intermodal de Cargas A intermodalidade, fisicamente, é a mesma coisa, ou seja, o transporte da carga por mais de um modal para alcançar o seu destino. O que diferencia

Leia mais

DECISÕES SOBRE TRANSPORTES (PARTE I) Mayara Condé R. Murça TRA-53 Logística e Transportes

DECISÕES SOBRE TRANSPORTES (PARTE I) Mayara Condé R. Murça TRA-53 Logística e Transportes DECISÕES SOBRE TRANSPORTES (PARTE I) Mayara Condé R. Murça TRA-53 Logística e Transportes Agosto/2013 Introdução Estratégia de estoque Previsão Fundamentos de estocagem Decisões de estocagem Decisões na

Leia mais

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos

Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Como a ferrovia pode contribuir com as operações no Porto de Santos Câmara de Comércio Brasil-Argentina Julho de 2015 Guilherme Alvisi Gerente Geral de Negócios Carga Geral GUILHERME ALVISI Gerente Geral

Leia mais

ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário

ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário ENCONTRO 4 Transporte Rodoviário e Ferroviário TÓPICO 1: Contextualizando o encontro Olá! No encontro passado você conheceu as particularidades e características

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E TRANSPORTES GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS Disciplina: Logística

Leia mais

(VWXGRGH&DVR. ,QWURGXomR

(VWXGRGH&DVR. ,QWURGXomR (VWXGRGH&DVR,QWURGXomR O objetivo do estudo é determinar os custos para operação de movimentação interna de diversos tipos de contêineres utilizados para armazenamento e transporte de produtos químicos.

Leia mais

Distribuição e transporte

Distribuição e transporte Distribuição e transporte Gestão da distribuição Prof. Marco Arbex Introdução Toda produção visa a um ponto final, que é entregar os seus produtos ao consumidor; Se o produto não está disponível na prateleira,

Leia mais

Mercedes-Benz BRASIL (caminhões) Depois de tanto falar em cmiões do Brasil,,,,,,,,

Mercedes-Benz BRASIL (caminhões) Depois de tanto falar em cmiões do Brasil,,,,,,,, Depois de tanto falar em cmiões do Brasil,,,,,,,, http://www.mercedistas.com/forum/index.php?topic=2123.0 (1 sur 9) [18/02/2009 22:47:31] Accelo O Mercedinho que toda a cidade quer Os caminhões leves Accelo,

Leia mais

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos

A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA. vem apresentar à sua empresa um programa completo de suporte às operações de logística, que atende aos 2012 Apresentação Luiz José de Souza Neto Union Modal Logística Integrada Rua Teixeira de Freitas, 72, cj. 23 Santos / SP - Tel.: 13 30613387 luiz@unionmodal.com.br A UNION MODAL LOGÍSTICA INTEGRADA LTDA.

Leia mais

2. LOGÍSTICA EMPRESARIAL

2. LOGÍSTICA EMPRESARIAL 4 1. INTRODUÇÃO A logística empresarial é um conceito relativamente novo, apesar de que todas as empresas sempre desenvolveram atividades de suprimento, transporte, estocagem e distribuição de produtos.

Leia mais

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com

TMS e Roteirizadores. Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com TMS e Roteirizadores Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Definição TMS (Transportation Management System) é um produto para melhoria da qualidade e produtividade de todo o processo de distribuição. Este

Leia mais

Modais de Transporte. Aula 1. Contextualização. Objetivos da Logística. Introdução. Custos Logísticos. Prof. Luciano José Pires.

Modais de Transporte. Aula 1. Contextualização. Objetivos da Logística. Introdução. Custos Logísticos. Prof. Luciano José Pires. Modais de Transporte Aula 1 Contextualização Prof. Luciano José Pires Introdução Objetivos da Logística A tarefa transporte é vital em uma cadeia logística, pois nenhuma empresa pode funcionar sem movimentar

Leia mais

Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas

Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas Custeio do Transporte Rodoviário de Cargas SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Gestão de Custos X Gastos; 3. Custo Direto, Indireto, Fixo e Variável; 4. Custo Marginal, Histórico, Orçado. 5. Etapas do Custeio;

Leia mais

TRANSPORTE FERROVIÁRIO

TRANSPORTE FERROVIÁRIO DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE FERROVIÁRIO OUTUBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS O transporte ferroviário responde por 20,7% do transporte de cargas no Brasil e por 0,5% do transporte

Leia mais

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos )

Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) Planilha Referencial de Custo de Transporte Rodoviário com Equipamento Silo ( Granéis Sólidos ) DECOPE/NTC A planilha referencial de granéis sólidos foi elaborada pelo DECOPE/NTC&LOGÍSTICA sob supervisão

Leia mais

GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E TRANSPORTES GESTÃO DE FROTAS E OPERAÇÃO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS Disciplina: Logística

Leia mais

Logística Empresarial. Atividades Chave, Planejamento e Estratégia Logística Prof. José Correia

Logística Empresarial. Atividades Chave, Planejamento e Estratégia Logística Prof. José Correia Logística Empresarial Atividades Chave, Planejamento e Estratégia Logística Prof. José Correia Atividades chave da Logística Padrões de serviço ao cliente (c/ marketing): Determinar as necessidades/desejos

Leia mais

Identificação dos Custos Logísticos

Identificação dos Custos Logísticos Universidade Cruzeiro do Sul www.cruzeirodosul.edu.br Unidade - Identificação dos Custos Logísticos MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Prof. Esp. Washington Luís Reis Revisão Textual: Profa. Esp.

Leia mais

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO

PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO AGENDA PROGRAMA PRÓ CABOTAGEM POTENCIAL DA CABOTAGEM PARA O AGRONEGÓCIO O PROGRAMA PROGRAMA PARA DESENVOLVIMENTO DA CABOTAGEMNO BRASIL, COM A PARTICIPAÇÃO DOS ORGÃOS INTERVENIENTES, ATRAVÉS DE UM GRUPO

Leia mais

CAPÍTULO III MEIOS DE TRANSPORTE TRANSPORTE HIDROVIÁRIO

CAPÍTULO III MEIOS DE TRANSPORTE TRANSPORTE HIDROVIÁRIO CAPÍTULO III MEIOS DE TRANSPORTE TRANSPORTE HIDROVIÁRIO O Transporte Hidroviário é o mais antigo do mundo. Subdivide-se em: - Transporte Marítimo: executado pelos mares, normalmente transportes internacionais

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

Preços de Frete Rodoviário no Brasil

Preços de Frete Rodoviário no Brasil Preços de Frete Rodoviário no Brasil Maria Fernanda Hijjar O Brasil é um país fortemente voltado para o uso do modal rodoviário, conseqüência das baixas restrições para operação e dos longos anos de priorização

Leia mais

A navegação de cabotagem no Brasil

A navegação de cabotagem no Brasil A navegação de cabotagem no Brasil Um imenso potencial com grandes desafios e barreiras João Guilherme Araujo Diretor de Desenvolvimento de Negócios ILOS - Instituto de Logística e Supply Chain Ultimamente

Leia mais

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira CARLOS JR. GERENTE DE PLANEJAMENTO INTEGRADO Jun/2013 Jorge Carlos Dória Jr. Votorantim Siderurgia Votorantim Siderurgia O Grupo Votorantim

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect)

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Conceitos avançados da Logística com foco na TI 20/08/2011. O Efeito Chicote - (Bullwhip effect) Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Logística empresarial e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Conceitos avançados da Logística com foco na TI Disciplina: Tecnologia da Informação (TI) Aplicada à

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL Agosto de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte.

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. GERENCIAMENTO DO TRANSPORTE Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. Trade-off CUSTO x NÍVEL DE SERVIÇO FORMAÇÃO DO PREÇO FINAL Para elaboração de uma estratégia

Leia mais

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 6. Contextualização. Modais de Transporte. Instrumentalização. Modais de Transporte

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 6. Contextualização. Modais de Transporte. Instrumentalização. Modais de Transporte Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 6 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Modais de Transporte Característica Comparações Utilização Instrumentalização Multimodalidade e intermodalidade

Leia mais

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL

POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL POR QUE EMBARCAR COM A LOG-IN? Soluções logísticas que integram Brasil e MERCOSUL SOBRE LOG-IN BENEFÍCIOS MONITORAMENTO 24HS DAS CARGAS Monitoramento de risco e informação de todas as viagens; INTERMODALIDADE

Leia mais

Contribuição do custo logístico na formação de preço de venda dos produtos. Prof. Paulo Medeiros

Contribuição do custo logístico na formação de preço de venda dos produtos. Prof. Paulo Medeiros Contribuição do custo logístico na formação de preço de venda dos produtos Prof. Paulo Medeiros Medindo os custos e desempenho da logística Uma vez que o gerenciamento logístico é um conceito orientado

Leia mais

de desenvolvimento de uma região ou país sem um sistema

de desenvolvimento de uma região ou país sem um sistema de desenvolvimento de uma região ou país sem um sistema O sistema de transporte é um elemento importante para o crescimento de cidades e de indústrias, para a geração de renda, de emprego e de estabilidade

Leia mais

Relembrando...O Que é Logística? 4 Logistica e Distribuição. Conceito Formal de Logística. Mas quais são as atividades da Logística?

Relembrando...O Que é Logística? 4 Logistica e Distribuição. Conceito Formal de Logística. Mas quais são as atividades da Logística? Relembrando...O Que é Logística? Logística e Distribuição A atividade de Transporte 1 2 Conceito Formal de Logística Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística é o processo de planejar,

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM 1 UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FACULDADE INTEGRADA AVM LOGÍSTICA E DISTRIBUIÇÃO Por: Daniela Pinheiro dos Santos Orientador Prof. Jorge Tadeu Vieira Lourenço Rio de Janeiro 2011

Leia mais

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário - Armazenagem Estratégica - Automação na Armazenagem 2 Armazenagem -

Leia mais

Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação

Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação Gestão de Operações Portuárias com Pós Graduação Objetivo: Capacitar o participante para gerir as rotinas e operações logísticas em um porto ou terminal portuário voltado para a movimentação interna, importação

Leia mais

TMS como ferramenta no Gerenciamento de Transporte: um estudo de caso no segmento de comércio eletrônico

TMS como ferramenta no Gerenciamento de Transporte: um estudo de caso no segmento de comércio eletrônico Faculdade de Tecnologia Zona Leste RENATA AMORIM DA SILVA TMS como ferramenta no Gerenciamento de Transporte: um estudo de caso no segmento de comércio eletrônico São Paulo 2009 RENATA AMORIM DA SILVA

Leia mais

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia 6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia Complementando o que foi exposto sobre a gerência da cadeia de suprimentos analisada no Capítulo 3, através de

Leia mais

Transferência e distribuição

Transferência e distribuição Transferência e Distribuição Transferência e distribuição O sistema logístico inclui, na maioria dos casos, dois tipos de transporte de produtos: A transferência: envolve deslocamento maciços entre dois

Leia mais

Curso Superior de tecnologia em Logística

Curso Superior de tecnologia em Logística Curso Superior de tecnologia em Logística Prof. Rodolpho W. Ruiz Tema: Arranjos Operacionais Logísticos e Tipos de Modais Agenda da tele-aula Instalações Locais ou Centralizadas. Cross-Docking. Sistemas

Leia mais

4 O Enfoque da Logística Urbana ou City Logistics no PDTU- RMRJ parte Cargas

4 O Enfoque da Logística Urbana ou City Logistics no PDTU- RMRJ parte Cargas 50 4 O Enfoque da Logística Urbana ou City Logistics no PDTU- RMRJ parte Cargas Neste capítulo é apresentada a definição de transporte urbano de cargas, a Logística Urbana ou City Logistics, seu enfoque,

Leia mais

TÍTULO: SIMULAÇÃO DE SISTEMA LOGÍSTICO DE APOIO PARA EXPORTAÇÃO DE PARA-CHOQUES PARA OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

TÍTULO: SIMULAÇÃO DE SISTEMA LOGÍSTICO DE APOIO PARA EXPORTAÇÃO DE PARA-CHOQUES PARA OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SIMULAÇÃO DE SISTEMA LOGÍSTICO DE APOIO PARA EXPORTAÇÃO DE PARA-CHOQUES PARA OS ESTADOS UNIDOS

Leia mais

Excelência. locações e transporte Ltda. www.excelenciaguindastes.com.br

Excelência. locações e transporte Ltda. www.excelenciaguindastes.com.br www.excelenciaguindastes.com.br A Guindastes e uma empresa de Goiânia Goiás QUEM SOMOS que presta serviço em todo território nacional no segmento de Locação de Guindastes, Locação de Munck, Grupo Geradores,

Leia mais

TÍTULO: BENEFÍCIOS DE UM PORTO INTERMODAL NA REGIÃO DE RUBINEIA (SP) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

TÍTULO: BENEFÍCIOS DE UM PORTO INTERMODAL NA REGIÃO DE RUBINEIA (SP) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO TÍTULO: BENEFÍCIOS DE UM PORTO INTERMODAL NA REGIÃO DE RUBINEIA (SP) CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS DE SANTA FÉ DO SUL AUTOR(ES):

Leia mais

LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II. Prof. Alessandro Camargo

LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II. Prof. Alessandro Camargo LOGÍSTICA DE OPERAÇÕES INTERNACIONAIS II Prof. Alessandro Camargo Logística Internacional As principais características das operações logísticas são: - Complexidade: que podem ser desde o produto até a

Leia mais

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Movimentação e Armazenagem de Materiais. Administração de Fluxos de Materiais

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Movimentação e Armazenagem de Materiais. Administração de Fluxos de Materiais Movimentação e Armazenagem de Materiais APSP Análise do Projeto do Sistema Produtivo Aula 8 Por: Lucia Balsemão Furtado 1 Administração de Fluxos de Materiais Organização Modal A organização modal é um

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE TRANSPORTE: O GRANDE DIFERENCIAL LOGÍSTICO

ADMINISTRAÇÃO DE TRANSPORTE: O GRANDE DIFERENCIAL LOGÍSTICO 1 ADMINISTRAÇÃO DE TRANSPORTE: O GRANDE DIFERENCIAL LOGÍSTICO ADMINISTRATION OF TRANSPORT: THE LARGE DIFFERENTIAL LOGISTIC Luiz Augusto Ferreira Prado * Adalberto Brandalize ** RESUMO: Este artigo tem

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA I AULA 05: LOGÍSTICA INTEGRADA E OUTRAS QUESTÕES TÓPICO 05: MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAS O manuseio de materiais representa atividade de maior custo logístico, além de consumir

Leia mais

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas

Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas Custeio do Transporte Aquaviário - Ferroviário - Aéreo - Dutoviário de Cargas SUMÁRIO 1. Link Aula Anterior; 2. Conceitos Gerais de Custos de Transporte; 3. Decisões que afetam os custos; 4. Fatores que

Leia mais

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES 1.1. O desenvolvimento econômico e o transporte. 1.2. A geografia brasileira, a infraestrutura dos estados, municípios

Leia mais

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA.

DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. DEFINIÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS E DOS DESAFIOS DO TRANSPORTE URBANO DE CARGA. Caro participante, Agradecemos a sua presença no III Megacity Logistics Workshop. Você é parte importante para o aprimoramento

Leia mais

Unidade: Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional e do Comércio Exterior. Revisor Textual: Profa. Esp.

Unidade: Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional e do Comércio Exterior. Revisor Textual: Profa. Esp. Unidade: Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional e do Comércio Exterior Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Papel dos Transportes Modais de Transporte sob o foco da Logística Internacional

Leia mais

Vantagens da consolidação de embarque nos processos de importação de cargas fracionadas.

Vantagens da consolidação de embarque nos processos de importação de cargas fracionadas. Logística para aprender Vantagens da consolidação de embarque nos processos de importação de cargas fracionadas. Divulgação Maria Gabriela Frata Rodrigues Liboni Analista de Importação. Especialista em

Leia mais

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) Instituto de Engenharia de Produção e Gestão www.rslima.unifei.edu.br rslima@unifei.edu.br Conceituacão Sistema de Distribuição um para um

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS LOGÍSTICOS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UM ESTUDO SOBRE O CUSTO DE TRANSPORTE DE CARGAS.

GESTÃO DE CUSTOS LOGÍSTICOS NA CADEIA DE SUPRIMENTOS: UM ESTUDO SOBRE O CUSTO DE TRANSPORTE DE CARGAS. XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza Prova 1 09 de Maio de 2013 Nome: 1ª QUESTÃO (1,0) Segundo os dados divulgados pela ood and Agriculture Organization (AO, 2011) sobre as exportações brasileiras, em

Leia mais

Navegação de Cabotagem

Navegação de Cabotagem Reunião Conjunta Câmaras Setoriais da Cadeia Produtiva de Milho e Sorgo e da Cadeia Produtiva de Aves e Suínos Identificação das formas de movimentação dos excedentes de milho no Brasil Navegação de Cabotagem

Leia mais

DECISÕES EM TRANSPORTES

DECISÕES EM TRANSPORTES TOMANDO DECISÕES SOBRE TRANSPORTE NA PRÁTICA DECISÕES EM TRANSPORTES Professor ALINHAR AS ESTRATÉGIAS COMPETITIVA E DE TRANSPORTE CONSIDERAR O TRANSPORTE FEITO PELA PRÓPRIA EMPRESA E O TERCEIRIZADO (OPERADOR)

Leia mais

MBA em Administração e Logística

MBA em Administração e Logística MBA em Administração e Logística Logística e Canais de Distribuição Aula 2 Prof. Albino Mileski Jr. Olá! Você quer saber mais sobre a distribuição física na logística? Assista ao vídeo a seguir. Distribuição

Leia mais

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral

AGENDA. A Vale. O Maior Projeto de Logística da America Latina. - Exportação de Minério. - Logística da Vale de Carga Geral Vale no Maranhão AGENDA A Vale O Maior Projeto de Logística da America Latina - Exportação de Minério - Logística da Vale de Carga Geral A Vale no Mundo A Vale tem operações mineradoras, laboratórios de

Leia mais

FORMAÇÃO Gestão de Operações Portuárias - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

FORMAÇÃO Gestão de Operações Portuárias - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Gestão de Operações Portuárias - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Capacitar o participante para gerir as rotinas e operações logísticas em um porto

Leia mais

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 131 RESUMOS EXPANDIDOS...132

Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 131 RESUMOS EXPANDIDOS...132 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 131 RESUMOS EXPANDIDOS...132 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 132

Leia mais

Logística Empresarial Integrada

Logística Empresarial Integrada Logística Empresarial Integrada Profº José Carlos de Sousa Lima Amazenagem, Localização Física, Distribuição e Transporte Objetivo Discutir a armazenagem, localização física, gestão da distribuição e transporte

Leia mais

Veículo rodoviário de carga - Terminologia

Veículo rodoviário de carga - Terminologia ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas FEV 2006 Projeto ABNT NBR 9762 Veículo rodoviário de carga - Terminologia Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 28º andar CEP 20003-900 Caixa Postal 1680

Leia mais

PROPOSTAS PARA MELHORIAS NOS PROCESSOS LOGÍSTICOS DE UMA EMPRESA DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS: UM ESTUDO DE CASO

PROPOSTAS PARA MELHORIAS NOS PROCESSOS LOGÍSTICOS DE UMA EMPRESA DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS: UM ESTUDO DE CASO PROPOSTAS PARA MELHORIAS NOS PROCESSOS LOGÍSTICOS DE UMA EMPRESA DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS: UM ESTUDO DE CASO FABIANA SOUZA COSTA CUNHA (UFG ) fabisoucos@yahoo.com.br Marco Paulo Guimaraes (UFG ) mp-gui@uol.com.br

Leia mais

Análise e Avaliação de Desempenho dos Serviços de Transporte de Carga Rodoviário

Análise e Avaliação de Desempenho dos Serviços de Transporte de Carga Rodoviário FACULDADE DE TECNOLOGIA DE INDAIATUBA Curso de Superior de Tecnologia em Logística Aeroportuária Tiago Henrique Vieira Souza, RA 20101162 Análise e Avaliação de Desempenho dos Serviços de Transporte de

Leia mais

REDES DE DISTRIBUIÇÃO

REDES DE DISTRIBUIÇÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO De uma maneira geral, as redes de distribuição são constituídas por: 1. Um conjunto de instalações que fazem a recepção, armazenagem e expedição de materiais; 2. Um conjunto de rotas

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTONIO SEABRA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTONIO SEABRA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTONIO SEABRA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM LOGÍSTICA ROSEMEIRE ROSSIGALLI MERCADO UM ESTUDO SOBRE OS CUSTOS

Leia mais

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS ATRASOS DOS TRENS DA ESTRADA DE FERRO VITÓRIA-MINAS

ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DOS ATRASOS DOS TRENS DA ESTRADA DE FERRO VITÓRIA-MINAS XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Logistica e Distribuição

Logistica e Distribuição Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Armazenagem e Movimentação Primárias Apoio 1 2 A armazenagem corresponde a atividades de estocagem ordenada e a distribuição

Leia mais

Função: Planejamento e Operação de Transportes

Função: Planejamento e Operação de Transportes MÓDULO III Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de TÉCNICO EM LOGÍSTICA III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES Função: Planejamento e Operação de Transportes 1. Avaliar a infraestrutura dos sistemas de

Leia mais

TURBLOG - Workshop Final 20 e 21/09/2011

TURBLOG - Workshop Final 20 e 21/09/2011 TURBLOG - Workshop Final 20 e 21/09/2011 Monday, September 19, 2011 Integramos a maior plataforma de produção e comercialização de cervejas do mundo: a Anheuser-Busch InBev (AB InBev). Individualmente:

Leia mais

Distribuição Física. Introdução

Distribuição Física. Introdução Distribuição Física Introdução Canais de Distribuição Tipos de Mercados Operadores Logísticos Componentes do Sistema de Distribuição Física Configurações do Sistema de Distribuição Física Planejamento

Leia mais

Este artigo tem o objetivo de

Este artigo tem o objetivo de ARTIGO Muito além do roteirizador: distribuição de produtos de baixa densidade Divulgação Danilo Campos O roteamento de veículos tradicional contempla somente uma dimensão de capacidade, normalmente peso

Leia mais

O TÁXI PARA A SUA MERCADORIA

O TÁXI PARA A SUA MERCADORIA O TÁXI PARA A SUA MERCADORIA Miles de experiência DESDE 1992, A ADER TAXI COMERCIAL DESENVOLVE A SUA ATIVIDADE NO SEGMENTO DO TRANSPORTE EXCLUSIVO DE MERCADORIAS, OFERECENDO UM SERVIÇO DE ALTO VALOR ACRESCENTADO

Leia mais

Unidade: Transporte Multimodal. Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota

Unidade: Transporte Multimodal. Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Unidade: Transporte Multimodal Revisor Textual: Profa. Esp. Márcia Ota Transporte Multimodal O transporte multimodal se caracteriza pela utilização de mais de um modal de transporte entre a origem e o

Leia mais

O CUSTO DO TRANSPORTE DO ARROZ DA REGIÃO CENTRO DO RS COM DESTINO A SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP NO PERÍODO DE ENTRESSAFRA

O CUSTO DO TRANSPORTE DO ARROZ DA REGIÃO CENTRO DO RS COM DESTINO A SANTA CRUZ DO RIO PARDO - SP NO PERÍODO DE ENTRESSAFRA XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Unidade II. Administração. Prof. Ms. Livaldo dos Santos

Unidade II. Administração. Prof. Ms. Livaldo dos Santos Unidade II Administração de Suprimentos Prof. Ms. Livaldo dos Santos Administração de Suprimentos Objetivos da Unidade Analisar os principais conceitos sobre: A medição do desempenho na cadeia de suprimentos

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo

Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Prof.: Romoaldo J S do Carmo Prof. Esp. Romoaldo J S do Carmo E-mail: romoaldo.carmo@hotmail.com Comércio Exterior UNIPAC Logística Internacional: Conceitos Estratégias Modais Transportes Tendências Logística Internacional CONCEITOS

Leia mais

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE...

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... HISTÓRICO... 05 MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... 10 EVOLUIR SEMPRE... 12 ALTA TECNOLOGIA PARA GRANDES RESULTADOS... 15 EQUIPAMENTOS...

Leia mais

Gestão de Frotas no Transporte Rodoviário de Carga

Gestão de Frotas no Transporte Rodoviário de Carga Gestão de Frotas no Transporte Rodoviário de Carga Calazans, Flávio Mendonça flavio.calazans07@gmail.com FaSF DUTRA, Thiago Matos thiagodutravr@gmail.com FaSF BARBOSA, Marcus Vinícius marcus.barbosa@ig.com.br

Leia mais

PLATAFORMAS MARÍTIMAS. Aula 13. Logística de transferência de petróleo

PLATAFORMAS MARÍTIMAS. Aula 13. Logística de transferência de petróleo PLATAFORMAS MARÍTIMAS Aula 13 Logística de transferência de petróleo INTRODUÇÃO Logística Colocar-se o produto certo, no local correto, no momento adequado e ao menor preço possível, desde as fontes de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - UNB FACULDADE UNB PLANALTINA - FUP LEONARDO PEIXOTO BARBOSA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - UNB FACULDADE UNB PLANALTINA - FUP LEONARDO PEIXOTO BARBOSA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA - UNB FACULDADE UNB PLANALTINA - FUP LEONARDO PEIXOTO BARBOSA ANÀLISE DA ROTEIRIZAÇÃO EM UMA EMPRESA DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA DO DISTRITO FEDERAL PLANALTINA - DF 2013 LEONARDO

Leia mais

DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM.

DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM. DEFINIÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE PREÇO DE FRETE DE CARGA FRACIONADA PARA UMA TRANSPORTADORA DA REGIÃO METROPOLITANA DO MUNICÍPIO DE BELÉM. Leonardo Silva Figueredo (UNAMA) leonardosfigueredo@hotmail.com

Leia mais

TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DOCENTE: EDUARDO MANGABEIRA

TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DOCENTE: EDUARDO MANGABEIRA TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DOCENTE: EDUARDO MANGABEIRA TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO TRANSPORTE TRANSPORTE EM LOGÍSTICA É a movimentação de produtos entre regiões geográficas ou área de comércio, elevando o

Leia mais

Estrada de Rodagem Lei de Balança

Estrada de Rodagem Lei de Balança Estrada de Rodagem Lei de Balança Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Rosa rodrigoalvarengarosa@gmail.com (27) 9941-3300 1 Modo Rodoviário - Pesos e Dimensões A legislação vigente para pesos e dimensões dos

Leia mais

Unidade IV GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade IV GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade IV GESTÃO DE SUPRIMENTO E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Logística na cadeia de suprimentos Logística Parte do processo da cadeia de suprimentos, que, para atingir o nível de serviço desejado pelo

Leia mais

PLANEJAMENTO LOGÍSTICO DOS TRANSFORMADORES DE CORRENTE CONTÍNUA EM ALTA TENSÃO (HVDC)

PLANEJAMENTO LOGÍSTICO DOS TRANSFORMADORES DE CORRENTE CONTÍNUA EM ALTA TENSÃO (HVDC) PLANEJAMENTO LOGÍSTICO DOS TRANSFORMADORES DE CORRENTE CONTÍNUA EM ALTA TENSÃO (HVDC) Lucas Lopes De Oliveira José lucas_lopes05@hotmail.com Fatec Santos Marcelo Peres De Souza Grilo peresmarcelo@hotmail.com

Leia mais