LUMEWare 1.0 MANAUS 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LUMEWare 1.0 MANAUS 2009"

Transcrição

1 LUMEWare 1.0 MANAUS 2009

2 Sumário Manual do Sistema Apresentação Breve Descrição Características Propósito do Documento Introdução Implantação Banco de Dados MySQL 5.x Servidor de Aplicação APACHE 2.x PHP 5.2.x Sistema LUMEWARE WebServices AutenticaUsuário UsuariosDadosAlterados CursosDisponiveis UsuarioCursoInscrever Modelo Entidade Relacionamento Dicionário de Dados... 13

3 1 Apresentação 1.1 Breve Descrição O LUMEWare: * Alinha as inscrições dos colaboradores aos interesses da Organização * Permite gerenciar o espaço físico (salas) em função das reservas (inscrições) * Permite agendar as reservas de tal forma que não existam overlaps entre trabalhar e treinar * Permite à área de treinamento uma gestão complementar na capacitação dos colaboradores. 1.2 Características O LUMEWare foi desenvolvido utilizando as seguintes tecnologias: Linguagem de programação: PHP 5.2.X (www.php.net/downloads.php) JavaScript Ajax biblioteca prototype (www.prototypejs.org) CSS. Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados: MySQL 5.X (www.mysql.com) MySQL Query Browser (www.mysql.com) MySQL Administrator. (www.mysql.com) Ferramenta para execução das Stored Procedures de Integração: SQL Query Analyzer Servidor de Aplicação: Apache 2.X (www.apache.org/dist/httpd/binaries) IDE: NetBeans (www.netbeans.org) LUMEWARE 2

4 2 Propósito do Documento 2.1 Introdução Este documento compreende as informações referentes à implantação do LUMEWARE. Este documento será utilizado como base para as atividades de implantação, documentando as atividades realizadas, a fim de garantir o mínimo em configuração para implantação do sistema. As configurações aqui apresentadas foram realizadas em ambiente Windows XP Professional, localmente. LUMEWARE 3

5 3 Implantação Esta seção compreende os passos necessários para instalação e configuração do sistema. 3.1 Banco de Dados MySQL 5.x O SGBD utilizado neste tutorial será o MySQL, após instalação será necessário executar os seguintes scripts: 01_CREATE_DATABASE.sql CREATE DATABASE lumeware USE lumeware 02_DEFINIR_PERMISSOES.sql GRANT ALL ON lumeware.* TO IDENTIFIED BY 'lumeware' 03_CREATE_TABELAS.sql CREATE DATABASE IF NOT EXISTS lumeware USE lumeware DROP TABLE IF EXISTS curso DROP TABLE IF EXISTS grade DROP TABLE IF EXISTS item_grade DROP TABLE IF EXISTS empresa DROP TABLE IF EXISTS cargo DROP TABLE IF EXISTS departamento DROP TABLE IF EXISTS usuario DROP TABLE IF EXISTS sala DROP TABLE IF EXISTS reserva_sala DROP TABLE IF EXISTS tipo_perfil DROP TABLE IF EXISTS perfil DROP TABLE IF EXISTS matricula CREATE TABLE curso ( codcurso VARCHAR(15) NOT NULL, nomecur VARCHAR(200) NULL, PRIMARY KEY (codcurso) LUMEWARE 4

6 CREATE TABLE grade ( codgrade VARCHAR(15) NOT NULL, mesgra VARCHAR(2) NOT NULL, anogra VARCHAR(4) NOT NULL, disponivelgra CHAR(1) NOT NULL, PRIMARY KEY (codgrade), UNIQUE INDEX mesano(mesgra,anogra) CREATE TABLE item_grade ( codi_gragra VARCHAR(15) NOT NULL, codi_gracur VARCHAR(15) NOT NULL, PRIMARY KEY (codi_gragra, codi_gracur), FOREIGN KEY (codi_gracur) REFERENCES curso (codcurso), FOREIGN KEY (codi_gragra) REFERENCES grade (codgrade) CREATE TABLE empresa ( codempresa VARCHAR(30) NOT NULL, nomeemp VARCHAR(100) NOT NULL, cnpjemp VARCHAR(18) NULL, emp VARCHAR(100) NULL, telefoneemp VARCHAR(20) NULL, cepemp VARCHAR(9) NULL, ufemp CHAR(2) NULL, cidadeemp VARCHAR(255) NULL, bairroemp VARCHAR(50) NULL, enderecoemp VARCHAR(255) NULL, numeroemp INT NULL, complementoemp VARCHAR(50) NULL, PRIMARY KEY (codempresa) CREATE TABLE cargo ( codcargo VARCHAR(30) NOT NULL, nomecar VARCHAR(100) NOT NULL, PRIMARY KEY (codcargo) LUMEWARE 5

7 CREATE TABLE departamento ( coddepartamento VARCHAR(30) NOT NULL, coddepemp VARCHAR(30) NOT NULL, nomedep VARCHAR(100) NOT NULL, PRIMARY KEY (coddepartamento), FOREIGN KEY (coddepemp) REFERENCES empresa (codempresa) CREATE TABLE usuario ( matriculausuario VARCHAR(20) NOT NULL, nomeusu VARCHAR(100) NOT NULL, sexousu CHAR(1) NULL, loginusu VARCHAR(50) NULL, senhausu VARCHAR(32) NULL, usu VARCHAR(100) NULL, datanascimentousu DATE NULL, codusudep VARCHAR(30) NOT NULL, codusucar VARCHAR(30) NOT NULL, codusuemp VARCHAR(30) NOT NULL, PRIMARY KEY (matriculausuario), FOREIGN KEY (codusuemp) REFERENCES empresa (codempresa), FOREIGN KEY (codusucar) REFERENCES cargo (codcargo), FOREIGN KEY (codusudep) REFERENCES departamento (coddepartamento) CREATE TABLE sala ( numerosala INT NOT NULL, localsal VARCHAR(200) NOT NULL, capacidadesal INT NOT NULL, PRIMARY KEY (numerosala) CREATE TABLE reserva_sala ( codreservasala VARCHAR(15) NOT NULL, numeror_salsal INT NOT NULL, datar_sal DATE NOT NULL, horarior_sal TIME NOT NULL, LUMEWARE 6

8 codr_sali_gragra codr_sali_gracur PRIMARY KEY (codreservasala), VARCHAR(15) NOT NULL, VARCHAR(15) NOT NULL, FOREIGN KEY (codr_sali_gragra, codr_sali_gracur) REFERENCES item_grade (codi_gragra, codi_gracur), FOREIGN KEY (numeror_salsal) REFERENCES sala (numerosala), UNIQUE INDEX reserva(numeror_salsal,datar_sal,horarior_sal) CREATE TABLE tipo_perfil ( codtipo_perfil INT NOT NULL, descper VARCHAR(100) NOT NULL, PRIMARY KEY (codtipo_perfil) CREATE TABLE perfil ( matriculaperusu VARCHAR(20) NOT NULL, codpert_per INT NOT NULL, PRIMARY KEY (matriculaperusu, codpert_per), FOREIGN KEY (codpert_per) REFERENCES tipo_perfil (codtipo_perfil), FOREIGN KEY (matriculaperusu) REFERENCES usuario (matriculausuario) CREATE TABLE matricula ( codreservasala VARCHAR(15) NOT NULL, matriculausuario VARCHAR(20) NOT NULL, matriculado CHAR(1) NOT NULL, autorizado CHAR(1) NOT NULL, PRIMARY KEY (codreservasala, matriculausuario), FOREIGN KEY (matriculausuario) REFERENCES usuario (matriculausuario), FOREIGN KEY (codreservasala) REFERENCES reserva_sala (codreservasala) 04_INSERT_TIPO_PERFIL.sql. USE lumeware INSERT INTO tipo_perfil VALUES(1,"ADMINISTRADOR") INSERT INTO tipo_perfil VALUES(2,"TREINAMENTO") LUMEWARE 7

9 INSERT INTO tipo_perfil VALUES(3,"GESTOR") INSERT INTO tipo_perfil VALUES(4,"ALUNO") 3.2 Servidor de Aplicação APACHE 2.x Após instalação, é apresentada a seguinte estrutura de pastas: *Abra o arquivo httpd.conf, na pasta conf. No final do arquivo, depois de tudo o que tiver nele, adicione as duas linhas a seguir: PHPIniDir C:\\php5 LoadModule php5_module C:\\php5\\php5apache2_2.dll Salve e feche o arquivo httpd.conf. *Abra o arquivo mime.types e adicione no final de tudo as duas linhas a seguir: application/x-httpd-php php application/x-httpd-php-source phps Salve e feche o arquivo mime.types. 3.3 PHP 5.2.x Após a instalação do php, alterar as seguintes linhas do php.ini: allow_url_include alterar o valor de Off para On. default_charset= iso Caso esteja comentado, favor descomentar. LUMEWARE 8

10 error_reporting comentar (error_reporting=e_all) e descomentar (error_reporting=e_all & ~E_NOTICE) extension_dir=./ descomentar e apontar para o diretório onde se encontra as bibliotecas, na figura acima as bibliotecas se encontram no diretório (C:\php5\ext). extension=php_mysqli.dll descomentar. extension=php_mssql.dll descomentar. extension=php_soap.dll comentar. max_execution_time alterar o valor de 30 para 60. register_globals alterar o valor de Off para On. short_open_tag alterar o valor de Off para On. 3.4 Sistema LUMEWARE Nesta seção será demonstrado o arquivo de configuração do sistema, chamado constantes.php. Abaixo, é apresentado o arquivo de configuração do sistema LUMEWARE: constantes.php LUMEWARE 9

11 Vale salientar, que o valor da constante chamada $cod_empresa, constante referente ao código de cada distribuidora é a seguinte: CEAL: 1 CEPISA: 2 Amazonas Energia: 192 CERON: 4 Eletroacre: 5 Boa Vista Energia: 132. LUMEWARE 10

12 4 WebServices 4.1 AutenticaUsuário (Verifica Auteticação) Este método é invocado no momento em que o usuário envia matrícula e senha, o método retorna 1(um) caso o usuário seja válido e 0(zero) caso seja um usuário inválido. Se houver alguma falha referente ao acesso ao WebService, o usuário é autenticado localmente. É passado como parâmetros chave do cliente, login e senha, retorna um arquivo XML podendo extrair um inteiro e caso o usuário tenha efetuado alteração de seus dados no lms. 4.2 UsuariosDadosAlterados (Retorna os usuários que alteram seus dados nas últimas 24 horas) Este método é invocado sempre que o usuário de perfil Administrador é autenticado no sistema. É passado como parâmetros chave do cliente e código da empresa, retornando um arquivo XML podendo extrair matrícula, senha e dos usuário que efetuaram alteração de seus dados no lms. 4.3 CursosDisponiveis (Retorna os cursos diponíveis) Este método é invocado sempre que o usuário de perfil Administrador seleciona o link no sistema Lumeware chamado [Obter grade de cursos da DTCOM]. É passado como parâmetros chave do cliente, mês e ano, retorna um arquivo XML podendo extrair o código do curso e a descrição. 4.4 UsuarioCursoInscrever (Inscreve um usuário em um curso) Este método é invocado sempre que o usuário Administrador ou Treinamento efetuam a matrícula dos alunos. É passado como parâmetros chave do cliente, matrícula, código do curso, ação e mensagem do que será retornado ao aluno, este método retorna um arquivo xml. LUMEWARE 11

13 5 Modelo Entidade Relacionamento, LUMEWARE 12

14 6 Dicionário de Dados DESCRIÇÃO DAS TABELAS E CAMPOS TABELA: EMPRESA codempresa VARCHAR(30) NOT NULL Código da empresa nomeemp VARCHAR(100) NOT NULL Nome da empresa cnpjemp VARCHAR(18) NULL C.N.P.J. da empresa emp VARCHAR(100) NULL da empresa telefoneemp VARCHAR(20) NULL Telefone de contato na empresa cepemp VARCHAR(9) NULL C.E.P. da empresa ufemp CHAR(2) NULL UF da empresa cidadeemp VARCHAR(255) NULL Cidade da empresa bairroemp VARCHAR(50) NULL Bairro da empresa enderecoemp VARCHAR(255) NULL Endereço da empresa numeroemp INT NULL Numero da empresa complementoemp VARCHAR(50) NULL Complemento da empresa TABELA: DEPARTAMENTO coddepartamento VARCHAR(30) NOT NULL Código do departamento coddepemp VARCHAR(30) NOT NULL Código da empresa ao qual o departamento pertence nomedep VARCHAR(100) NOT NULL Nome do departamento TABELA: CARGO codcargo VARCHAR(30) NOT NULL Código do cargo nomecar VARCHAR(100) NOT NULL Nome do cargo TABELA: USUARIO matriculausuario VARCHAR(20) NOT NULL Matrícula do usuário na empresa precedido da sigla do estado nomeusu VARCHAR(100) NOT NULL Nome do usuário sexousu CHAR(1) NULL Sexo do usuário F/M loginusu VARCHAR(50) NULL Identificação para acesso ao lms ou ao lumeware, é o mesmo valor do campo matriculausuario senhausu VARCHAR(32) NULL Senha criptografada em MD5. usu VARCHAR(100) NULL do usuário datanascimentousu DATE NULL Data de nascimento do usuário codusudep VARCHAR(30) NOT NULL Código do departamento ao qual o usuário pertence codusucar VARCHAR(30) NOT NULL Código do cargo ao qual o usuário pertence codusuemp VARCHAR(30) NOT NULL Código da empresa ao qual o usuário pertence TABELA: PERFIL LUMEWARE 13

15 matriculaperusu VARCHAR(20) NOT NULL Matrícula do usuário Código do tipo de perfil do codpert_per INT NOT NULL usuário TABELA: TIPO_PERFIL codtipo_perfil INT NOT NULL Código do tipo de perfil do usuário descper VARCHAR(100) NOT NULL Descrição do tipo de perfil TABELA: MATRICULA Código referente a reserva da sala codreservasala VARCHAR(15) NOT NULL matriculausuario VARCHAR(20) NOT NULL Matrícula do usuário matriculado CHAR(1) NOT NULL autorizado CHAR(1) NOT NULL Indentificação referente a matrícula do usuário em determinado curso, se 0 o usuário não foi matriculado, se 1 o usuário foi matriculado Identificação referente à autorização do usuário pelo gestor, se 0 usuário não autorizado pelo gestor, se 1 usuário autorizado pelo gestor, caso seja recusado, é excluído fisicamente desta tabela TABELA: RESERVA_SALA codreservasala VARCHAR(15) NOT NULL Código referente a reserva da sala numeror_salsal INT NOT NULL Número de identificação da sala datar_sal DATE NOT NULL Data de reserva da sala horarior_sal TIME NOT NULL Horario de reserva da sala codr_sali_gragra VARCHAR(15) NOT NULL Código da grade codr_sali_gracur VARCHAR(15) NOT NULL Código do curso ao qual a sala está reservada TABELA: SALA numerosala INT NOT NULL Número de identificação da sala localsal VARCHAR(200) NOT NULL Local físico da sala capacidadesal INT NOT NULL Capacidade da sala TABELA: ITEM_GRADE codi_gragra VARCHAR(15) NOT NULL Código da grade codi_gracur VARCHAR(15) NOT NULL Código do curso TABELA: CURSO codcurso VARCHAR(15) NOT NULL Código do curso nomecur VARCHAR(200) NULL Nome do curso LUMEWARE 14

16 TABELA: GRADE codgrade VARCHAR(15) NOT NULL Código da grade mesgra VARCHAR(2) NOT NULL Mês o qual a grade pertence anogra VARCHAR(4) NOT NULL Ano o qual a grade pertence Tornar disponível a grade para que, os usuário possam efetuar a inscrição, se 0 grade indisponível, se 1 grade disponivelgra CHAR(1) NOT NULL disponível LUMEWARE 15

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de

Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de BD Esta aula tem o objetivo de nos orientar durante este período em nossas aulas de Banco de Dados, não tem a pretensão de ser a única fonte de informação para nosso êxito no curso. A intenção de elaborar

Leia mais

Guia de Instalação e Configuração do Apache, PHP, MySQL e phpmyadmin emwindows

Guia de Instalação e Configuração do Apache, PHP, MySQL e phpmyadmin emwindows Universidade Federal de Santa Catarina -UFSC Centro Acadêmico de Engenharia de Controle e Automação CAECA Setor de Informática Guia de Instalação e Configuração do Apache, PHP, MySQL e phpmyadmin emwindows

Leia mais

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo / Mauricio G. F. Nascimento. Editora Novatec

PHP Profissional. Alexandre Altair de Melo / Mauricio G. F. Nascimento. Editora Novatec Introdução Como a idéia deste livro é ir direto ao ponto, vou fazer isso já na introdução. A idéia desse livro não é explicar a teoria e filosofia do PHP, da orientação a objetos, as maravilhas dos design

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents Banco de dados Linguagens de Banco de Dados II 1 Linguagem de Definição de Dados - DDL Comandos utilizados para criação do esquema de dados; Um DDL permite ao utilizador definir tabelas novas e elementos

Leia mais

SQL Server 2008. Ferramenta de administração. SQL Server Management Studio. 1º passo conectar ao banco de dados 2ª Query (consulta) usando SQL

SQL Server 2008. Ferramenta de administração. SQL Server Management Studio. 1º passo conectar ao banco de dados 2ª Query (consulta) usando SQL SQL Server 2008 Ferramenta de administração SQL Server Management Studio Ferramenta de acesso e administração de dados em modo gráfico 1º passo conectar ao banco de dados 2ª Query (consulta) usando SQL

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES

Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor. Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES Fortaleza - CE CONCEITOS Cliente x Servidor. Cliente É um programa (software) executado

Leia mais

Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você

Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você Auditoria de sistemas Deixe que seu banco de dados faça o trabalho por você por Cristóferson Guimarães Magalhães Bueno e Odilon Corrêa da Silva 1 O objetivo deste artigo é demonstrar como criar um sistema

Leia mais

1 R$ 50,00 R$ 50,00 reusable object-oriented software 2 Utilizando UML e padrões: uma

1 R$ 50,00 R$ 50,00 reusable object-oriented software 2 Utilizando UML e padrões: uma AUTOR: CESAR AUGUSTO TACLA CRIAÇÃO: 20/5/200 8:24 ÚLTIMA ALTERAÇÃO: 2/5/20 5: TRABALHO DE PADRÕES DE PROJETO ESPECIALIZAÇÃO JAVA 20 INSTRUÇÕES. O trabalho será feito aula a aula de acordo com a matéria

Leia mais

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento

Manual STCP Web Admin 27/07/2009, Riversoft Integração e Desenvolvimento STCP OFTP Web Admin Versão 4.0.0 Riversoft Integração e Desenvolvimento de Software Ltda Av.Dr.Delfim Moreira, 537 Centro Santa Rita do Sapucaí, Minas Gerais CEP 37540 000 Tel/Fax: 35 3471 0282 E-mail:

Leia mais

TUTORIAL DE INSTALAÇÃO APACHE 2.2.4 + PHP 5.2.1 + POSTGRESQL 8.2

TUTORIAL DE INSTALAÇÃO APACHE 2.2.4 + PHP 5.2.1 + POSTGRESQL 8.2 TUTORIAL DE INSTALAÇÃO APACHE 2.2.4 + PHP 5.2.1 + POSTGRESQL 8.2 Para instalação baixemos todos os arquivos do site www.simonsen.br/aulas/servidor/ e vamos criar uma pasta em nossa maquina chamada C:\servidor\

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários

MySQL. Prof. César Melo. com a ajuda de vários MySQL Prof. César Melo com a ajuda de vários Banco de dados e Sistema de gerenciamento; Um banco de dados é uma coleção de dados. Em um banco de dados relacional, os dados são organizados em tabelas. matricula

Leia mais

Estação Digital. Instalação do Gerenciador da Estação Digital

Estação Digital. Instalação do Gerenciador da Estação Digital Instalação do Gerenciador da Estação Digital A instalação do Gerenciador da consiste na configuração do Apache, PHP e MySQL. Esses são os programas necessários para execução do Gerenciador da : file:///c:/documents%20and%20settings/usuario/desktop/apache_logo_medium.png

Leia mais

Projeto de Banco de Dados: Empresa X

Projeto de Banco de Dados: Empresa X Projeto de Banco de Dados: Empresa X Modelo de negócio: Empresa X Competências: Analisar e aplicar o resultado da modelagem de dados; Habilidades: Implementar as estruturas modeladas usando banco de dados;

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL.

Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Listando itens em ComboBox e gravando os dados no Banco de Dados MySQL. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2012 Edição 7 Listando e Gravando Listando itens em ComboBox e gravando os dados no

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais 1 LINGUAGEM SQL SQL Server 2008 Comandos iniciais SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com PALAVRAS CHAVES: inner join, left outer join, cross join, right outer join, full outer join, junções,

Leia mais

AULA 6 INTEGRIDADOS DOS DADOS - CRIANDO RESTRIÇÕES

AULA 6 INTEGRIDADOS DOS DADOS - CRIANDO RESTRIÇÕES BANCO DE DADOS GERENCIAL 1 AULA 6 INTEGRIDADOS DOS DADOS - CRIANDO RESTRIÇÕES Integridade de domínio A integridade de domínio é a validade de entradas para uma coluna específica. É possível aplicar a integridade

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Controle de acesso. http://www.larback.com.br. .com.br

Controle de acesso. http://www.larback.com.br. .com.br http://www.larback Controle de acesso Construiremos um sistema simples para cadastro de links. O sistema terá uma página pública (onde serão exibidos os links) e uma área administrativa, onde os usuários

Leia mais

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID

Prof. Carlos Majer Aplicações Corporativas UNICID Este material pertence a Carlos A. Majer, Professor da Unidade Curricular: Aplicações Corporativas da Universidade Cidade de São Paulo UNICID Licença de Uso Este trabalho está licenciado sob uma Licença

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Aula Prática

Structured Query Language (SQL) Aula Prática Structured Query Language (SQL) Aula Prática Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas

Leia mais

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Definição do Esquema da Base de Dados Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL - Esquema da base de dados Definição das tabelas Definição das chaves primárias Definição

Leia mais

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Universidade Federal da Paraíba UFPB Centro de Energias Alternativas e Renováveis - CEAR Departamento de Eng. Elétrica DEE BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Isaac Maia Pessoa Introdução O que é um BD? Operações

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET PROJETO DE BANCO DE DADOS

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET PROJETO DE BANCO DE DADOS Exemplos de Scripts SQL (PostgreSQL) Pizzaria 1 2 Criação de BANCO DE DADOS CREATE DATABASE nome_do_banco; CREATE DATABASE pizzaria; Criação de TABELAS SOMENTE COM CHAVE PRIMÁRIA CREATE TABLE nome_da_tabela

Leia mais

INSTALAÇÃO OASIS + WAMP SERVER NO AMBIENTE WINDOWS

INSTALAÇÃO OASIS + WAMP SERVER NO AMBIENTE WINDOWS INSTALAÇÃO OASIS + WAMP SERVER NO AMBIENTE WINDOWS Este tutorial foi desenvolvido pelos analistas Hézio Silva e José Mendes pertencentes ao quadro de TI do Banco da Amazônia S/A, sediado em Belém-Pa e

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo Comandos DDL Estudo de Caso Controle Acadêmico Simplificado Uma escola contém vários cursos, onde cada aluno possui uma matricula num determinado curso. Estes cursos, por sua vez, possuem módulos, aos

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Conteúdo: Aula 3 UNIDADE 2: LINGUAGEM SQL 1. Linguagens de Definição de Dados (DDL) 1.1. Criação de tabela: CREATE 1.2. Alteração de Tabela:

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

BANCO DE DADOS I. Exercícios

BANCO DE DADOS I. Exercícios BANCO DE DADOS I Exercícios Nos próximos slide estão apresentados um modelo ER parcial de uma fábrica e o seu respectivo modelo Relacional. O esquema da base de dados relacional contém os nomes das tabelas,

Leia mais

Instalação simples do APACHE em ambientes Windows

Instalação simples do APACHE em ambientes Windows Instalação simples do APACHE em ambientes Windows Este capítulo trata da instalação do APACHE para que possa ser utilizado ABCD em ambientes Windows. Pressupõe a instalação no computador do Windows NT,

Leia mais

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas;

Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de informações relacionadas entre si; Armazenamento organizado facilitando SCRUD; Agiliza processo de desenvolvimento de sistemas; Conjunto de Tabelas onde cada linha é um vetor de dados específico;

Leia mais

Banco de Dados. StructuredQuery Language- SQL. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.

Banco de Dados. StructuredQuery Language- SQL. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo. Banco de Dados StructuredQuery Language- SQL Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 A Origem Em 1970, Ted Codd (pesquisador da IBM) publicou o primeiro

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

SISTEMA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS PHP E MySQL 1. APRESENTAÇÃO

SISTEMA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS PHP E MySQL 1. APRESENTAÇÃO SISTEMA GERENCIAMENTO DE PRODUTOS PHP E MySQL 1. APRESENTAÇÃO Este é um sistema de controle de produtos, onde o usuário irá entrar com o login e a senha, e se ele for um usuário cadastrado na tabela usuários

Leia mais

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DDL Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Introdução Modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br

Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Abordagem geral Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br Em primeiro plano, deve-se escolher com qual banco de dados iremos trabalhar. Cada banco possui suas vantagens,

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL SQL Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada; Originou-se da linguagem SEQUEL (1974); Revisada e chamada de SQL em 1976/77; Em 1986, padronizada pelo ANSI/ISO - chamada SQL-86; Em 1987

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ. Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0. www.spider.ufpa.br

Manual do Usuário. Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ. Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0. www.spider.ufpa.br Manual do Usuário Sistema/Ferramenta: Spider-ACQ Versão do Sistema/Ferramenta: 1.0 www.spider.ufpa.br Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 27/05/2011 1.0 Criação da seção de instalação/configuração

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) e SQL:2003 não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere...

Leia mais

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL Linguagem SQL Sub-linguagem DDL A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language para suas

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

6. Introdução à Linguagem PHP

6. Introdução à Linguagem PHP 6. Introdução à Linguagem PHP A comunicação na Web exige dois agentes: o cliente web e o servidor web. O cliente requer informação (a partir de uma página HTML acessada pelo navegador) e o servidor fornece

Leia mais

Programação de Servidores CST Redes de Computadores. Marx Gomes Van der Linden

Programação de Servidores CST Redes de Computadores. Marx Gomes Van der Linden Programação de Servidores CST Redes de Computadores Marx Gomes Van der Linden Programação de Servidores Aplicações cliente/servidor para web. Fundamentos de HTML+CSS. Linguagem de programação de servidor:

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

INTRODUÇÃO. No entanto, o que pode ser considerado um produto (resultado) da criação de BDs?

INTRODUÇÃO. No entanto, o que pode ser considerado um produto (resultado) da criação de BDs? BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br INTRODUÇÃO Um Banco

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL- (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

1. Domínio dos Atributos

1. Domínio dos Atributos Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Domínio dos Atributos Por domínio, ou tipo, pode-se entender como a maneira como determinado atributo (ou campo, se tratando

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

Sensor de temperatura Parte 5 Cleiton Bueno www.cleitonbueno.wordpress.com. Preparando o ambiente do Banco de dados Mysql

Sensor de temperatura Parte 5 Cleiton Bueno www.cleitonbueno.wordpress.com. Preparando o ambiente do Banco de dados Mysql Criar database: Sensor de temperatura Parte 5 Cleiton Bueno www.cleitonbueno.wordpress.com Preparando o ambiente do Banco de dados Mysql CREATE DATABASE `tempuino` DEFAULT CHARACTER SET utf8 COLLATE utf8_bin

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes SQL Hélder Antero Amaral Nunes 2 Introdução Desenvolvida pelo departamento de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R); Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010

BANCO DE DADOS: SQL. Edson Anibal de Macedo Reis Batista. 27 de janeiro de 2010 BANCO DE DADOS: SQL UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Departamento de Ciências da Computação. 27 de janeiro de 2010 índice 1 Introdução 2 3 Introdução SQL - Structured Query Language

Leia mais

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

AULA 8 CRIANDO UMA CLASSE EM PHP INTERAGINDO COM BANCO DE DADOS - COM RELACIONAMENTO ENTRE TABELAS

AULA 8 CRIANDO UMA CLASSE EM PHP INTERAGINDO COM BANCO DE DADOS - COM RELACIONAMENTO ENTRE TABELAS AULA 8 CRIANDO UMA CLASSE EM PHP INTERAGINDO COM BANCO DE DADOS - COM RELACIONAMENTO ENTRE TABELAS Na grande maioria dos sistemas, faz-se necessário utilizar informações que estão armazenadas em uma determinada

Leia mais

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) )

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) ) TADS Exercício Laboratório I Analise o modelo de banco de dados abaixo: MUSICA FAIXA Codigo_Musica: INTEGER Nome_Musica: VARCHAR(60) Duracao: NUMERIC(6,2) Codigo_Musica: INTEGER (FK) Codigo_CD: INTEGER

Leia mais

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições Instituto Militar de Engenharia IME Material extraido parcialmente de notas de aula de Maria Luiza Campos e Arnaldo Vieira Comandos de Definição de Dados Aplicação

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CP Manager

MANUAL DO USUÁRIO CP Manager MANUAL DO USUÁRIO CP Manager ÍNDICE CP Manager 1 - Introdução... 3 2 - Instalação do CP Manager... 4 2.1 - Instalação Automática... 4 2.2 - Instalação Manual... 13 2.3 - Configuração das Ferramentas...

Leia mais

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE)

SQL (STRUCTUREDQUERY LANGUAGE) BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br SQL (STRUCTUREDQUERY

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

OFICINA DA PESQUISA PROGRAMAÇÃO APLICADA À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

OFICINA DA PESQUISA PROGRAMAÇÃO APLICADA À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO OFICINA DA PESQUISA PROGRAMAÇÃO APLICADA À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Prof. Msc. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Linguagens de Programação Material

Leia mais

Sistema de Controle de Estoque

Sistema de Controle de Estoque FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIAS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMÇÃO TÓPICOS AVANÇADOS EM BANCO DE DADOS Professor: Olegário Correia Neto Alunos: Marcelo Gonçalves, Juliano Pirozelli, João Lucas Pecin,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores LAMP Gustavo Reis gustavo.reis@ifsudestemg.edu.br Acrônico para a combinação de Linux, Apache, MySQL e PHP ou Perl ou Python; Recentemente a letra P começou a fazer referência a Perl

Leia mais

8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito)

8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito) 8. Outros tipos de Transação (Modo de Transação de Autoconfirmação e Modo Implícito) Nos itens anteriores vimos transações do tipo explícitas, ou seja, aquelas que iniciam com BEGIN TRANSACTION. As outras

Leia mais

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos

Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Roteiro 9 - SQL Básico: chave estrangeira, operadores de comparação e operadores booleanos Objetivos: Criar restrições para atributos, chaves primárias e estrangeiras; Explorar consultas SQL com uso de

Leia mais

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com

Curso PHP Aula 08. Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Curso PHP Aula 08 Bruno Falcão brunogfalcao@gmail.com + Roteiro Conectividade com BD SQL + SQL Structured Query Language. Padrão para interagir com banco de dados relacionais. + Banco de dados Um banco

Leia mais

(1,n) venda. (1,1) realizacao. cliente. (0,n) (1,1) contem. produto. Laboratório de Banco de Dados Exercicios

(1,n) venda. (1,1) realizacao. cliente. (0,n) (1,1) contem. produto. Laboratório de Banco de Dados Exercicios Laboratório de Banco de Dados Exercicios Modelo conceitual segundo notação de Peter Chen cliente (1,1) realizacao (1,n) venda (0,n) produto (1,1) contem Modelo conceitual gerado pela CASE Dezign for Database

Leia mais

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE

MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE MANUAL INSTALAÇÃO WEB SERVICE Recebimento de dados pelo Hospital Versão 1.1 2/9/2014 Contato suporte@gtplan.com.br Índice Introdução... 2 Requerimentos para instalação do Web Service... 2 Instalação...

Leia mais

APOSTILA BÁSICA DE MYSQL

APOSTILA BÁSICA DE MYSQL APOSTILA BÁSICA DE MYSQL História O MySQL foi criado na Suécia por dois suecos e um finlandês: David Axmark, Allan Larsson e Michael "Monty" Widenius, que têm trabalhado juntos desde a década de 1980.

Leia mais

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL)

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva SQL (MySql) ROTEIRO I PARTE - INTRODUÇÃO AO SQL COMANDOS E SUAS PARTES DA LINGUAGEM SQL II PARTE ADMINSTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO MYSQL PRINCIPAIS INSTRUÇÕES

Leia mais

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV

APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV APOSTILA DE LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO IV CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROF. ERWIN ALEXANDER UHLMANN Universidade Guarulhos Página 1 Agradecimentos Agradeço a todos os alunos que com suas dúvidas me ajudaram a

Leia mais

Tutorial Instalação e configuração do Wordpress

Tutorial Instalação e configuração do Wordpress Universidade Federal do Ceará Campus Quixadá Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Administração de Sistemas Operacionais Linux Professor: João Marcelo Tutorial Instalação e configuração

Leia mais

SQL: Definição de tabelas, Modificações à Base de Dados

SQL: Definição de tabelas, Modificações à Base de Dados SQL: Definição de tabelas, Modificações à Base de Dados Fernando Lobo Base de Dados, Universidade do Algarve 1 / 24 Definição do esquema da base de dados O esquema da BD é composto pelas definições de

Leia mais

Passos Preliminares: Acessando a máquina virtual via ssh.

Passos Preliminares: Acessando a máquina virtual via ssh. CIn/UFPE Sistemas de Informação Redes de Computadores Professor: Kelvin Lopes Dias Monitor: Edson Adriano Maravalho Avelar {kld,eama@cin.ufpe.br Instalando o APACHE, PHP (PHPADMIN), MySQL. Este tutorial

Leia mais

Banco de Dados. Structured Query Language SQL. Prof. Walteno Martins Parreira Jr 1. www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.

Banco de Dados. Structured Query Language SQL. Prof. Walteno Martins Parreira Jr 1. www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo. Banco de Dados Structured Query Language SQL Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 Comandos SQL Os comandos do SQL são classificados em três grupos,

Leia mais

UFES Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Disciplina de Banco de Dados.

UFES Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Disciplina de Banco de Dados. Ativando o MySQL Tutorial MySQL Passo1: Verificar onde (path, caminho) o MySQL está instalado. Figura 1. Diretório de instalação do MySQL Nome do Arquivo MySqld Mysqld-debug Mysqld-nt Mysqld-max Mysqld-max-nt

Leia mais

Bool setcookie (string nome [, string valor [, int validade [, string caminho [, string dominio [, int seguro]]]]] )

Bool setcookie (string nome [, string valor [, int validade [, string caminho [, string dominio [, int seguro]]]]] ) Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

Gerência de Banco de Dados

Gerência de Banco de Dados exatasfepi.com.br Gerência de Banco de Dados Prof. Msc. André Luís Duarte Banco de Dados Os bancos de dados são coleções de informações que se relacionam para criar um significado dentro de um contexto

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

Linguagem SQL. Comandos Básicos

Linguagem SQL. Comandos Básicos Linguagem SQL Comandos Básicos Caetano Traina Júnior Grupo de Bases de Dados e Imagens Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo - São Carlos caetano@icmc.sc.usp.br Comando

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

Protweb PHP. Instalação/Configuração

Protweb PHP. Instalação/Configuração Protweb PHP Instalação/Configuração Protweb PHP Instalação Requisitos: Servidor Web com suporte a PHP Banco de Dados MySQL Arquivos do Protweb Exemplo: Servidor Linux com: Apache 2.0.47, PHP 4.3.0 e MySQL

Leia mais