Parte subterrânea da planta, funções:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parte subterrânea da planta, funções:"

Transcrição

1

2 Parte subterrânea da planta, funções: Absorção (água e substâncias dissolvidas nela); Condução (até a parte aérea); Fixação da planta no solo; Reserva (cenoura, rabanete...) Primeira das partes embrionárias que brotam da semente (radícula); Não tem gemas e apêndices foliares; Forma alargada e geotropismo positivo;

3 Formação Forma cilíndrica; Pode variar segundo a função (reserva, suculenta, trepadeira, aérea, etc...); Se distingue as raízes primárias e secundárias: as secundárias se dispõem perpendicularmente ao eixo da raiz principal; A extensão das raízes dependem de fatores ambientais.

4 Axonomorfa Morfologia Raiz principal consideravelmente maior que as secundárias; Próprias de gimnospermas e angiospermas dicotiledôneas; Raiz principal se converte em órgão de reserva e as secundárias se encarregam do transporte; Podem estender a grande profundidade; Fasciculada As raízes secundárias crescem mais que a primária; Própria de monocotiledôneas (gramíneas); Não alcança grandes profundidades, cresce lateralmente. Previne erosão do solo;

5 Morfologia Tipos de raízes: Adventícias quando as raízes secundárias não surgem da raiz e sim do caule, ramos ou folhas; Proporcionam sustentação e aumentam a absorção de água; Exemplos: Fícus, rizomas, arroz, milho;

6 Especialização das raízes: Órgãos de reserva radiculares; Raízes que acumulam água; Raízes de propagação(estacas radiculares); Pneumatóforos; Raízes aéreas; (velamen trepadeiras, adventícias heras) Raízes tabulares; Raízes parasitas (haustório); Micorrizas orquidácea, Morfologia

7 Durante as últimas etapas do desenvolvimento do embrião, as células do ápice radicular se dispõe formando um grupo que constitui o meristema apical da raiz; Esse meristema se organiza em duas zonas: Células iniciais: zona mais periférica com células de divisão ativa e tipicamente meristemáticas; Ao diferenciarem produzem tecidos diferentes das raízes; Centro de células quiescentes: Formada de células mais distintas que as iniciais (poucas organelas e núcleo pequeno); Apenas se dividem; Reserva de células meristemáticas? Síntese da cinetina? Histogênese

8 Histogênese

9 Histogênese

10 Durante as últimas etapas do desenvolvimento do embrião, as células do ápice radicular se dispõe formando um grupo que constitui o meristema apical da raiz primária; A região subapical dividido em três regiões: Histogênese Zona de divisão celular (0,5 1,5 mm) zona meristemática imediatamente após ao meristema apical; Células se dispõe em fileiras e estão em contínua divisão (a cada horas). São produzidos umas células por dia; Dependendo da posição, as células irão formar a protoderme, meristema fundamental e o procâmbio.

11 Histogênese Zona de alongamento (4-10mm) - responsável pelo crescimento longitudinal da raiz; As células crescem no sentido longitudinal (umas 150 vezes). As raízes crescem na média de 4 cm por dia nesta zona; Zona de maturação (1-5cm) tecidos primários; formam os Não há alongamento celular. Pelos radiculares abundantes.

12 Histogênese

13 Histogênese

14 Histogênese

15 Três sistemas de tecidos: Dérmico, fundamental e vascular (condução); Coifa: Várias camadas de células do tipo parenquimáticas que recobrem o ápice radicular; Produzem uma secreção muscilaginosa (muscigel) que impregna as paredes celulares primárias: Efeito lubrificante; Funções: Proteção do meristema apical; Responsável pelo geotropismo positivo (estatólitos - amiloplastos carregados); Estrutura primária

16 Coifa A epiderme e Rizoderme: Revestimento mais externo da raiz primária (com exceção a zona apical); Forma uma capa com características típicas e alguma diferenças com respeito à parte aérea;» Ausência da cutícula;» Formação de pêlos radiculares;» Não possui estômatos. Em algumas orquidáceas e plantas tropicais é do tipo pluriestratificada e se chama VELAME; Formada por células mortas, vazias e de parede celular reforçado por LIGNINA; Pêlos radiculares; Estrutura primária

17 Estrutura primária Velame

18 Estrutura primária Pêlos radiculares Se desenvolvem na zona de maturação a partir de células especiais chamadas de TRICOBLASTOS; Unicelulares. Apresentam núcleo e vacúolo em seu extremo distal; Vivem curtos períodos de tempo (poucos dias); Ao desaparecer, a epiderme da zona suberifica e lignifica, deixando de absorver água.

19 Estrutura primária Raízes laterais A ramificação da raiz das plantas superiores faz-se lateralmente e tem origem no periciclo;

20 Córtex Mais extensa que no caule e muito importante como tecido de reserva (amido); Características celulares: Estrutura primária Gimnospermas e dicotiledôneas são formadas por células parenquimáticas muito vacuolizadas; Monocotiledôneas possui muito esclerênquima; Podemos distinguir três zonas: EXODERME, PARÊNQUIMA E ENDODERME.

21 Estrutura primária EXODERME Tecido primário definitivo originado abaixo da epiderme quando esta deixa de funcionar, ocorre a queda dos pêlos radiculares; Formada por uma ou várias camadas de células alargadas, muito unidas (sem espaços intercelulares), com paredes suberificadas e lignificadas; Podem aparecer as faixas de Caspary, como na endoderme, e também células de passagem.

22 Estrutura primária PARÊNQUIMA As células não possuem cloroplastos; Somente em raízes aéreas; Pouco diferenciado, com muito amido; Raízes de plantas aquáticas forma aerênquima; Podem apresentar cristais e drusas; Em monocotiledôneas pode apresentar esclerênquima (tricoesclereídes);

23 Estrutura primária ENDODERME Capa mais interna do córtex; Suas células possuem a faixa de Caspary: Engrossamento da parede celular, rico em celulose e suberina; Não existem plasmodesmos; O plasmalema se une a parede nessa faixa; Sua presença obriga as substâncias que entram no cilindro vascular a penetrar nos protoplastos; Via de entrada de água.

24 Estrutura primária ENDODERME cont Em plantas com crescimento secundário a endoderme se desprende junto com o córtex, ao formar a periderme; Em plantas sem crescimento secundário: Se deposita na parte interna da parede primária uma lâmina de suberina (inclusiva na faixa de Caspary); Posteriormente, se deposita na parte interna à camada de suberina, uma camada de celulose que pode acabar lignificando; Nas células que se encontram perto aos feixes vasculares, essa camada não se deposita, sendo denominadas células de passagem (permitem a passagem de substancias para dentro do cilindro vascular);

25

26 Dicotiledôneas: Mono X Dico Epiderme; Cortex (parênquima) as vezes muito grosso; Endoderme. Camada mais interna do córtex. Controla o fluxo de água até os tecidos condutores; Periciclo. Uma ou várias camadas com capacidade para se transformar em células meristemáticas; Floema alternado com o Xilema, que ocupa o centro. O número de feixes e raios são variáveis, desde 2n (diarcas, triarcas...enearcas) Monocotiledôneas: A distribuição é similar, no entanto no centro encontrase uma medula parenquimática, e geralmente são enearcas ; a endoderme é mais ostensiva.

27 Mono X Dico

28 RAIZ DE DICOTILEDÔNEA Mono X Dico

29 This document was created with Win2PDF available at The unregistered version of Win2PDF is for evaluation or non-commercial use only.

MORFOLOGIA VEGETAL. Morfologia externa e interna da raiz e do caule PROFª SANDRA BIANCHI

MORFOLOGIA VEGETAL. Morfologia externa e interna da raiz e do caule PROFª SANDRA BIANCHI MORFOLOGIA VEGETAL Morfologia externa e interna da raiz e do caule PROFª SANDRA BIANCHI INTRODUÇÃO Dois dos processos mais interessantes e complexos que ocorrem durante o ciclo de vida das plantas produtoras

Leia mais

FACULDADES UNICEN - Primavera do Leste Curso de Agronomia 2 o Semestre Disciplina de Anatomia Vegetal

FACULDADES UNICEN - Primavera do Leste Curso de Agronomia 2 o Semestre Disciplina de Anatomia Vegetal FACULDADES UNICEN - Primavera do Leste Curso de Agronomia 2 o Semestre Disciplina de Anatomia Vegetal Originados do meristema fundamental; Diversas funções: Preenchimento; Fotossíntese; Reserva; Acúmulo

Leia mais

TECIDOS FUNDAMENTAIS PARÊNQUIMA

TECIDOS FUNDAMENTAIS PARÊNQUIMA TECIDOS FUNDAMENTAIS PARÊNQUIMA 1 Parênquima - Características Parênquima: (grego parencheo) significa encher de lado Ontogênese : meristema fundamental Características Parede primária delgada celulose,

Leia mais

Estrutura Anatômica de Órgãos Vegetativos (Raiz e Caule) Profª. M.Sc. Josiane Araújo

Estrutura Anatômica de Órgãos Vegetativos (Raiz e Caule) Profª. M.Sc. Josiane Araújo Estrutura Anatômica de Órgãos Vegetativos (Raiz e Caule) Profª. M.Sc. Josiane Araújo Vegetal Órgãos Vegetativos Raiz Caule Órgãos Reprodutivos Folha Flor Fruto Semente Meristemas Apicais Caulinar e Radicular

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL. Santo Inácio. Educação para toda a vida. Colégio. Jesuítas

HISTOLOGIA VEGETAL. Santo Inácio. Educação para toda a vida. Colégio. Jesuítas HISTOLOGIA VEGETAL I. Tecido Meristemático - Tecido embrionário - Divisão por mitose - Célula pequena - Núcleo grande Tipos de Tecidos Meristemáticos I- Meristema Primário - Derivadas do embrião - Localização:

Leia mais

XILEMA PRIMÁRIO. Duas partes: Protoxilema e Metaxilema. Protoxilema: diferenciação ocorre cedo lacunas do protoxilema

XILEMA PRIMÁRIO. Duas partes: Protoxilema e Metaxilema. Protoxilema: diferenciação ocorre cedo lacunas do protoxilema TECIDO DE CONDUÇÃO E TECIDO DE SECREÇÃO Prof Marcelo Francisco Pompelli CCB - Botânica Xilema TECIDO DE CONDUÇÃO Xilema e Traqueídes Elementos de vaso Células Parenquimáticas Fibras Elementos crivados

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL. Profº. Amaral

HISTOLOGIA VEGETAL. Profº. Amaral HISTOLOGIA VEGETAL Profº. Amaral HISTOLOGIA VEGETAL A organização do corpo dos vegetais é bem diferente da organização do corpo dos animais. A maior parte dessas diferenças é uma adaptação ao modo autotrófico

Leia mais

AULA 10 CAPÍTULO 10 RAIZ

AULA 10 CAPÍTULO 10 RAIZ AULA 10 CAPÍTULO 10 RAIZ RAIZ RAIZ Estrutura simples, quando comparada ao caule MAR = raiz primária Dicotiledôneas = raiz axial ou pivotante Monocotiledôneas = raiz fasciculada Morfologia externa Coifa

Leia mais

RAIZ ANATOMIA INTERNA

RAIZ ANATOMIA INTERNA ANATOMIA INTERNA A raiz apresenta uma organização interna relativamente mais simples que o do caule, devido a ausência de nós, entrenós e de órgãos semelhantes a folhas. Raiz lateral Raiz lateral Raiz

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Bio Tecidos de sustentação e condução

Exercícios de Aprofundamento Bio Tecidos de sustentação e condução 1. (Unesp 2015) Dona Patrícia comprou um frasco com 100 gramas de alho triturado desidratado, sem sal ou qualquer conservante. A embalagem informava que o produto correspondia a 1 quilograma de alho fresco.

Leia mais

Tecidos e Órgão Vegetais

Tecidos e Órgão Vegetais Tecidos e Órgão Vegetais Aula - 2º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Monocotiledôneas Alho, cebola, aspargo, abacaxi, bambu, grama, arroz, trigo, aveia, cana-deaçúcar, milho,

Leia mais

Botânica Morfologia Tipos de células e tecidos vegetais

Botânica Morfologia Tipos de células e tecidos vegetais Botânica Morfologia Tipos de células e tecidos vegetais Célula Vegetal vesículas vacúolo mitocôndria Retículo endoplasmático rugoso ribossomos Retículo endoplasmático liso Complexo de Golgi Vesículas de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA DE SÃO CARLOS Licenciatura em Ciências Exatas. Introdução à Biologia Vegetal

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA DE SÃO CARLOS Licenciatura em Ciências Exatas. Introdução à Biologia Vegetal UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA DE SÃO CARLOS Licenciatura em Ciências Exatas Introdução à Biologia Vegetal São Carlos - 2002 SUMÁRIO 1. Células e tecidos vegetais 1 1.1 Sistema de Tecido

Leia mais

Biologia Fascículo 06 Lara Regina Parra de Lazzari

Biologia Fascículo 06 Lara Regina Parra de Lazzari Biologia Fascículo 06 Lara Regina Parra de Lazzari Índice Fisiologia Vegetal II Anatomia vegetal... 1 Relações hídricas na planta... 2 Exercícios... 5 Gabarito... 8 Anatomia vegetal Identificação de estruturas

Leia mais

É a parte da Botânica que estuda os tecidos

É a parte da Botânica que estuda os tecidos É a parte da Botânica que estuda os tecidos vegetais - Crescimento Tecidos vegetais -Adultos permanentes -Meristema primário -Meristema secundário -De revestimento -De sustentação -De condução -Parênquimas

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke

HISTOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke Prof. Leonardo F. Stahnke HISTOLOGIA VEGETAL HISTOLOGIA VEGETAL Os tecidos são conjuntos de células especializadas em determinada função. Há quatro tipos básicos de tecido vegetal: Tecido de Revestimento:

Leia mais

Aula Multimídia. Prof. David Silveira

Aula Multimídia. Prof. David Silveira Aula Multimídia Prof. David Silveira BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL 1) GERMINAÇÃO: Partes da semente: - TEGUMENTO (casca) proteção. - ENDOSPERMA (álbume/3n) reserva nutritiva. - EMBRIÃO Cotilédone (folhas

Leia mais

A Raiz, O Caule e A Folha. *Um cordel de Botânica*

A Raiz, O Caule e A Folha. *Um cordel de Botânica* A Raiz, O Caule e A Folha *Um cordel de Botânica* Autor: Rodrigo de Oliveira 2012 As folhas sabem procurar pelo sol Os caules conduzir e sustentar E as raízes procurar, procurar... (Modificado de Gilberto

Leia mais

Exercícios de aprofundamento 2015 Bio Morfologia(Plantas)

Exercícios de aprofundamento 2015 Bio Morfologia(Plantas) 1. (Unesp 2015) Dona Patrícia comprou um frasco com 100 gramas de alho triturado desidratado, sem sal ou qualquer conservante. A embalagem informava que o produto correspondia a 1 quilograma de alho fresco.

Leia mais

Escola da Apel Técnicas Laboratoriais de Biologia. Trabalho elaborado por:

Escola da Apel Técnicas Laboratoriais de Biologia. Trabalho elaborado por: Escola da Apel Técnicas Laboratoriais de Biologia Trabalho elaborado por: Cátia Lucélia Sousa e Silva 11º A 5 nº5 Turno: B Março de 2004 Objectivos No âmbito da disciplina da Técnicas Laboratoriais de

Leia mais

MERISTEMA APICAL Meristema fundamental Tecidos fundamentais (parênquima, colênquima e esclerênquima) Xilema e floema primários (sistema vascular)

MERISTEMA APICAL Meristema fundamental Tecidos fundamentais (parênquima, colênquima e esclerênquima) Xilema e floema primários (sistema vascular) TECIDOS VEGETAIS Meristemas Apicais ápice de raízes e caules. Crescimento em comprimento/ primário. Meristemas primários Protoderme Tecidos primários Epiderme (sistema dérmico ou de revestimento) MERISTEMA

Leia mais

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Histologia e Morfologia Vegetal Histologia Vegetal Ramo da Botânica que se preocupa em estudar os tecidos vegetais quanto as suas características, organização,

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL EMBRIÃO

HISTOLOGIA VEGETAL EMBRIÃO HISTOLOGIA VEGETAL EMBRIÃO Em locais específicos Não fazem mitose Tecidos PERMANENTES Revestimento Sustentação Preenchimento Condução ESPECIALIZAÇÃO Tecidos MERISTEMÁTICOS (Indiferenciados) Taxa de Mitose

Leia mais

CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS. Profa. Ana Paula Biologia III

CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS. Profa. Ana Paula Biologia III CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS 2016 Profa. Ana Paula Biologia III CÉLULAS E TECIDOS VEGETAIS Quais as diferenças entre a célula vegetal e animal?? Basicamente: parede celular; vacúolo; cloroplastos. Parede

Leia mais

2) Tecidos vegetais. Epiderme das folhas I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas

2) Tecidos vegetais. Epiderme das folhas I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas Histologia Vegetal 2) Tecidos vegetais e) Epiderme(tecido vivo) Epiderme das folhas I) Cutícula: Camada de cera (lipídio) presente na superfície das células epidérmicas de algumas folhas II) Estômatos:

Leia mais

1. (UFPEL) As figuras mostram, respectivamente, a germinação de semente de feijão (A) e de milho (B).

1. (UFPEL) As figuras mostram, respectivamente, a germinação de semente de feijão (A) e de milho (B). 1. (UFPEL) As figuras mostram, respectivamente, a germinação de semente de feijão (A) e de milho (B). Com base em seus conhecimentos e nos textos, é correto afirmar que as figuras A e B mostram, respectivamente,

Leia mais

CAULE ANATOMIA INTERNA

CAULE ANATOMIA INTERNA ANATOMIA INTERNA Nó: parte do caule onde estão inseridas uma ou mais folhas. Entrenó: região de um caule entre dois nós sucessivos Ápice do sistema caulinar: folhas e gemas axilares Primórdio foliar: produz

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL. Tecidos vegetais

HISTOLOGIA VEGETAL. Tecidos vegetais HISTOLOGIA VEGETAL Tecidos vegetais TECIDOS VEGETAIS grupamentos de células com determinadas formas e funções TIPOS DE TECIDOS VEGETAIS TECIDOS EMBRIONÁRIOS ou MERISTEMAS responsáveis pelo crescimento

Leia mais

Estrutura e Desenvolvimento da Raiz e Caule

Estrutura e Desenvolvimento da Raiz e Caule Estrutura e Desenvolvimento da Raiz e Caule RAIZ funções: 1 o ) fixação e absorção; 2 o ) armazenamento e condução. XILEMA H 2 O e sais minerais partes aéreas raiz substâncias orgânicas FLOEMA Raiz Primária

Leia mais

RAIZ E CAULE MORFOLOGIA EXTERNA

RAIZ E CAULE MORFOLOGIA EXTERNA RAIZ E CAULE MORFOLOGIA EXTERNA RAIZ Origem: a primeira raiz (raiz primária) de uma planta com sementes é originada pela radícula do eixo embrionário. Funções: fixação da plântula no solo absorção de água

Leia mais

FOLHA FOLHA. Base foliar Limbo. Pecíolo. Principais funções: fotossíntese e transpiração

FOLHA FOLHA. Base foliar Limbo. Pecíolo. Principais funções: fotossíntese e transpiração Folhas: são apêndices caulinares que se formam no meristema apical; muito variável tanto em estrutura quanto em função; a folha é o órgão para fotossíntese. Base foliar Limbo Pecíolo Principais funções:

Leia mais

Sementes. Cotilédone. Endosperma. Coleóptilo. Folhas embrionárias Radícula Caulículo. Caulículo. Tegumento. Folhas embrionárias.

Sementes. Cotilédone. Endosperma. Coleóptilo. Folhas embrionárias Radícula Caulículo. Caulículo. Tegumento. Folhas embrionárias. Histologia vegetal Sementes Cotilédone Coleóptilo Folhas embrionárias Caulículo Endosperma Radícula Tegumento Folhas embrionárias Radícula Caulículo Cotilédones ricos em endosperma Disponível em: .

Leia mais

RAIZ MORFOLOGIA & ANATOMIA

RAIZ MORFOLOGIA & ANATOMIA RAIZ MORFOLOGIA & ANATOMIA RAIZ: ESTRUTURA E DESENVOLVIMENTO FUNÇÕES: - primárias: fixação e absorção, - associadas: armazenamento e condução. a) Sistemas radiculares: pivotante e fasciculado FONTE: RAVEN,

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com As Angiospermas ou angiospérmicas (do grego: angeos (ἄγγος) - "bolsa" e sperma (σπέρμα) - "semente") são plantas espermatófitas

Leia mais

TECIDO: é o conjunto de células morfologicamente idênticas que desempenham a mesma função.

TECIDO: é o conjunto de células morfologicamente idênticas que desempenham a mesma função. TECIDO: é o conjunto de células morfologicamente idênticas que desempenham a mesma função. MECANISMO DE FORMAÇÃO DOS TECIDOS VEGETAIS: Diferenciação Celular: é a transformação de uma célula embrionária

Leia mais

Figura - Meristemas apicais. FOSKET, D.E. (1994). Plant Growth and Development.

Figura - Meristemas apicais. FOSKET, D.E. (1994). Plant Growth and Development. MERISTEMAS Os meristemas são encontrados nos ápices de todas as raízes e caules e estão envolvidos, principalmente, com o crescimento em comprimento do corpo da planta. Figura - Meristemas apicais. FOSKET,

Leia mais

Profa. Dra. Wânia Vianna

Profa. Dra. Wânia Vianna Profa. Dra. Wânia Vianna MERISTEMAS Os meristemas são encontrados nos ápices de todas as raízes e caules e estão envolvidos, principalmente, com o crescimento em comprimento do corpo da planta. Figura

Leia mais

TECIDOS VEGETAIS BOTÂNICA

TECIDOS VEGETAIS BOTÂNICA TECIDOS VEGETAIS BOTÂNICA Histologia Vegetal Quais são os principais tecidos encontrados no corpo de uma planta? 1 Tecidos meristemáticos ou embrionários tecidos meristemáticos primários tecidos meristemáticos

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL. Tecidos Meristemáticos (embrionários)

HISTOLOGIA VEGETAL. Tecidos Meristemáticos (embrionários) HISTOLOGIA VEGETAL Dividido em 2 grandes grupos: Tecidos Meristemáticos (embrionários) Meristema Primário (crescimento em altura); Meristema Secundário (crescimento em espessura); Tecidos Pemanentes (adultos)

Leia mais

MERISTEMAS TECIDOS PERPETUAMENTE JOVENS E EMBRIONÁRIOS

MERISTEMAS TECIDOS PERPETUAMENTE JOVENS E EMBRIONÁRIOS FACULDADE ANHAGUERA CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Meristemas Disc.: Anatomia Vegetal Profa. Zanderluce Gomes Luis MERISTEMAS Tecido não diferenciado, originado das células embriogênicas e responsável pela formação

Leia mais

Sistema Vascular. Gregório Ceccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo

Sistema Vascular. Gregório Ceccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo Sistema Vascular BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares Gregório Ceccantini USP Universidade de São Paulo Transporte no sistema vascular: integração do metabolismo Sistema Vascular 1. Corpo Vegetal

Leia mais

11. Adaptações das plantas ao factor água HIDRÓFITAS XERÓFITAS MESÓFITAS HIDRÓFITAS HELÓFITAS XERÓFITAS MESÓFITAS Observações:

11. Adaptações das plantas ao factor água HIDRÓFITAS XERÓFITAS MESÓFITAS HIDRÓFITAS HELÓFITAS XERÓFITAS MESÓFITAS Observações: 11. Adaptações das plantas ao factor água No decurso da evolução, as plantas vasculares colonizaram grande parte da superfície terrestre, tendo-se adaptado a uma grande diversidade de habitats, nomeadamente

Leia mais

Conhecendo a planta de trigo

Conhecendo a planta de trigo Conhecendo a planta de trigo Erlei Melo Reis OR Melhoramento de sementes Ltda Passo Fundo - RS Roteiro: Classificação sistemática A morfologia do grão Germinação de sementes Morfologia da raiz Morfologia

Leia mais

Quais são as partes constituintes dos embriões? folha (s) embrionária (s) 2 em eudicotiledôneas

Quais são as partes constituintes dos embriões? folha (s) embrionária (s) 2 em eudicotiledôneas Quais são as partes constituintes dos embriões? Eixo embrionário: _ plúmula - meristema apical caulinar provido ou não de primórdios foliares _ hipocótilo _ radícula raiz embrionária Cotilédone (s) folha

Leia mais

28/10/2013. HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS

28/10/2013. HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS Vegetais são capazes de controlar seu desenvolvimento e crescimento de acordo com as condições ambientais, e de reagir a estímulos ambientais; Essas atividades são controladas

Leia mais

Cap. 8 (1º Parte) Angiospermas: raiz, caule e folhas. Profa. Lucinha

Cap. 8 (1º Parte) Angiospermas: raiz, caule e folhas. Profa. Lucinha Cap. 8 (1º Parte) Angiospermas: raiz, caule e folhas Profa. Lucinha Características Angiospermas (Angios = urna; sperma = semente) Apresentam sementes protegidas por frutos, que são as urnas. Apresentam

Leia mais

Sistema Vascular. Gregório C eccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo

Sistema Vascular. Gregório C eccantini. BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares. USP Universidade de São Paulo Sistema Vascular BIB 140 Forma e Função em plantas vasculares Gregório C eccantini USP Universidade de São Paulo Transporte no sistema vascular: integração do metabolismo Corpo Vegetal Sistemas Sistema

Leia mais

Classificação das Angiospermas. Professor: Vitor Leite

Classificação das Angiospermas. Professor: Vitor Leite Classificação das Angiospermas Professor: Vitor Leite Tecidos Vegetais Professor: Vitor Leite TECIDOS MERISTEMÁTICOS (MERISTEMAS) Localização: ápices de todas as raízes e caules e gemas laterais. Função:

Leia mais

27/11/2015. Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras;

27/11/2015. Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras; Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras; Vacúolo Armazena substâncias: água, sais, ar e alcaloides (efeitos tóxicos e farmacológicos); Plastos Leucoplasto,

Leia mais

Tecidos Vegetais. Professor: Vitor Leite

Tecidos Vegetais. Professor: Vitor Leite Tecidos Vegetais Professor: Vitor Leite TECIDOS MERISTEMÁTICOS (MERISTEMAS) Localização: ápices de todas as raízes e caules e gemas laterais. Função: Crescimento longitudinal(comprimento). Originam tecidos

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D CADERNO DE EXERCÍCIOS 2D Ensino Fundamental Ciências da Natureza II Habilidade da Questão Conteúdo Matriz da EJA/FB 01 Fisiologia Vegetal (Transporte e absorção de H34, H40, H41, H63 substâncias); Fotossíntese

Leia mais

Ilustração dos Jardins suspensos da Babilônia, Atual Iraque JARDINAGEM

Ilustração dos Jardins suspensos da Babilônia, Atual Iraque JARDINAGEM Ilustração dos Jardins suspensos da Babilônia, Atual Iraque JARDINAGEM ESTILOS DE JARDINS Quais são os estilos de jardins? I. Clássico; II. Contemporâneo; III. Étnicos IV. Climáticos ESTILOS DE JARDINS

Leia mais

MERISTEMAS. Após o desenvolvimento do embrião. formação de novas células, tecidos e órgãos restritas. aos MERISTEMAS

MERISTEMAS. Após o desenvolvimento do embrião. formação de novas células, tecidos e órgãos restritas. aos MERISTEMAS TECIDOS VEGETAIS MERISTEMAS Após o desenvolvimento do embrião formação de novas células, tecidos e órgãos restritas aos MERISTEMAS tecidos embrionários, sempre jovens. MERISTEMAS MERISTEMAS Apicais (crescimento

Leia mais

Bio. Bio. Rubens Oda. Monitor: Rebeca Khouri

Bio. Bio. Rubens Oda. Monitor: Rebeca Khouri Bio. Professor: Alexandre Bandeira Rubens Oda Monitor: Rebeca Khouri Histologia vegetal: meristemas e revestimento 18 set RESUMO Os tecidos vegetais são agrupamentos de células vegetais similares, e formam

Leia mais

MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO. Forma e função nas plantas vasculares : BIB 140

MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO. Forma e função nas plantas vasculares : BIB 140 MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO Forma e função nas plantas vasculares : BIB 140 Tópicos a serem abordados: Desenvolvimento Meristemas Célula vegetal Crescimento Alongamento Divisão celular Diferenciação celular

Leia mais

Sistema Vascular. Xilema. Atividade do Procâmbio ou Câmbio Vascular

Sistema Vascular. Xilema. Atividade do Procâmbio ou Câmbio Vascular Sistema Vascular Formado pelo e Floema: Ambos são tecidos complexos; Características de plantas superiores; Encarregados de transporte de água e outras substâncias: água e sais minerais; Floema água junto

Leia mais

Morfologia Vegetal de Angiospermas

Morfologia Vegetal de Angiospermas http://static.panoramio.com/photos/large/2860747.jpg Morfologia Vegetal de Angiospermas Professor: Guilherme Ribeiro Gonçalves Histologia Meristema primário Formado por células derivadas diretamente

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA. Histologia. Córtex Vestibulares - 7. Classificação dos tecidos vegetais:

HISTOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA. Histologia. Córtex Vestibulares - 7. Classificação dos tecidos vegetais: Histologia HISOLOGIA VEGEAL É o estudo dos tecidos vegetais. Comparação entre células vegetais jovens e adultas. Classificação dos tecidos vegetais: I. ecidos jovens ou embrionários ou meristemáticos ou

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 22 HISTOLOGIA VEGETAL

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 22 HISTOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 22 HISTOLOGIA VEGETAL Fixação 1) (UERJ) Experimentos envolvendo a clonagem de animais foram recentemente divulgados. No entanto, ainda há uma grande dificuldade de obtenção

Leia mais

MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO. Prof. Dra. Eny Floh Prof. Dra. Veronica Angyalossy

MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO. Prof. Dra. Eny Floh Prof. Dra. Veronica Angyalossy MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO Prof. Dra. Eny Floh Prof. Dra. Veronica Angyalossy Tópicos a serem abordados: Desenvolvimento Meristemas - Célula vegetal Crescimento Alongamento Divisão celular Diferenciação

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º. ALUNO(a):

GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º. ALUNO(a): GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: DISCIPLINA: SÉRIE: 2º ALUNO(a): Lista No Anhanguera você é + Enem Justificar as questões de múltipla escolha. Questão 01) Considerando a histologia vegetal - ciência que estuda

Leia mais

TECIDOS FUNDAMENTAIS

TECIDOS FUNDAMENTAIS TECIDOS FUNDAMENTAIS Totipotência Capacidade da célula madura reter potencialidades para o crescimento e diferenciação, normalmente só encontradas no zigoto. Ex. célula do parênquima. TECIDOS podem ser

Leia mais

ORIENTAÇÕES EXERCÍCIOS RESOLVIDOS RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 6.a HISTOLOGIA VEGETAL

ORIENTAÇÕES EXERCÍCIOS RESOLVIDOS RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 6.a HISTOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 6.a HISTOLOGIA VEGETAL ORIENTAÇÕES A lista 6.a traz questões sobre os tecidos vegetais, assunto recorrente nos vestibulares. Resolva-as mantendo sempre o foco

Leia mais

Floema Tipos celulares 1

Floema Tipos celulares 1 Características gerais Origem LÍBER OU TECIDO CRIVADO: Transporta os produtos da fotossíntese, açúcares e materiais elaborados através da planta, desde o seu sítio de produção até onde serão consumidos;

Leia mais

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Módulo 09 GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Quando ocorre o fechamento dos estômatos a condução de seiva bruta fica prejudicado bem como a entrada de gás carbônico para o processo fotossintético. 02. C O deslocamento

Leia mais

ORGANOLOGIA VEGETAL RAIZ. É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções: Diferenciação do caule:

ORGANOLOGIA VEGETAL RAIZ. É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções: Diferenciação do caule: ORGANOLOGIA VEGETAL RAIZ É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções: Absorção; Condução (água e minerais dissolvidos); Acumular nutrientes; Fixação; Diferenciação

Leia mais

Os Tecidos das Plantas

Os Tecidos das Plantas Os Tecidos das Plantas Tecido definição: Grupo de células de mesma origem embrionária, organizadas para uma mesma função. Nos vegetais os tecidos pode ser de dois tipos: Os meristemas e os adultos. 1-

Leia mais

Morfologia Vegetal. Aula I

Morfologia Vegetal. Aula I Morfologia Vegetal Aula I Morfologia da raiz Origem das raízes secundárias Transição entre a raiz e o caule ( colo ) Absorção de sais minerais e água Crescimento das raízes (alongamento) Crescimento das

Leia mais

RAIZ É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções:

RAIZ É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções: É um órgão das plantas superiores; Quase sempre subterrâneo; Desempenha várias funções: Absorção; Condução (água e minerais dissolvidos); Reserva (Acumula nutrientes); Fixação; Diferenciação do caule:

Leia mais

A Diversidade de Plantas. Como as plantas evoluíram?

A Diversidade de Plantas. Como as plantas evoluíram? A Diversidade de Plantas Como as plantas evoluíram? Como classificar as plantas? Briófitas Características: Apresentam rizóides, caulóides e filóides. Vivem em locais úmidos e sombreados. Não possuem vasos

Leia mais

HISTOLOGIA VEGETAL EPIDERME

HISTOLOGIA VEGETAL EPIDERME HISTOLOGIA VEGETAL SISTEMA DE REVESTIMENTO O sistema de revestimento compreende a epiderme e a periderme. A primeira reveste a superfície do vegetal em crescimento primário, podendo ser substituída pela

Leia mais

Aula Programada Biologia

Aula Programada Biologia Aula Prgramada Bilgia Tema: Histlgia Vegetal 1) Intrduçã A histlgia vegetal estuda a frmaçã e a cnstituiçã ds tecids das plantas. Tecid: cnjunt de células especializadas, geralmente semelhantes, e adaptadas

Leia mais

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 7 MORFOLOGIA VEGETAL

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO EXERCÍCIOS RESOLVIDOS. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 7 MORFOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 7 MORFOLOGIA VEGETAL ORIENTAÇÕES A lista 9 aborda a morfologia das plantas (raiz, caule e folha). Mantenha sempre o foco e a atenção ao resolver as questões

Leia mais

BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL PROFESSOR CÉSAR

BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL PROFESSOR CÉSAR BOTÂNICA HISTOLOGIA VEGETAL PROFESSOR CÉSAR HISTOLOGIA VEGETAL Estudo das características, organização, estrutura e funções dos tecidos vegetais. Os tecidos vegetais são divididos em: - Tecidos de formação

Leia mais

Célula Robert Hooke (século XVII) Mathias Schleiden (1838) Theodor Swann Rudolf Virchow (1858)

Célula Robert Hooke (século XVII) Mathias Schleiden (1838) Theodor Swann Rudolf Virchow (1858) Célula Introdução Robert Hooke (século XVII) deu o nome de célula (pequenos compartimentos) às pequenas cavidades separadas por paredes, que ele observou em cortiça e outros tecidos, usando microscópio

Leia mais

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO

CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO Morfogénese Acontecimentos estruturais e fisiológicos que participam no desenvolvimento de uma planta, desde a célula reprodutora ou vegetativa até ao indivíduo adulto. Diferenciação

Leia mais

UNIDADE VIII DESENVOLVIMENTO (CRESCIMENTO, DIFERENCIAÇÃO E MORFOGÊNESE)

UNIDADE VIII DESENVOLVIMENTO (CRESCIMENTO, DIFERENCIAÇÃO E MORFOGÊNESE) UNIDADE VIII DESENVOLVIMENTO (CRESCIMENTO, DIFERENCIAÇÃO E MORFOGÊNESE) CRESCIMENTO, DIFERENCIAÇÃO E MORFOGÊNESE. 1. INTRODUÇÃO O desenvolvimento de uma planta requer uma seqüência de eventos que deve

Leia mais

Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA

Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA Fisiologia Vegetal CLASSIFICAÇÃO DOS VEGETAIS COM DE ACORDO COM A DISPONIBILIDADE ÁGUA Hidrófitas: vivem locais com muita disponibilidade de água Mesófitas: vivem em locais com disponibilidade média de

Leia mais

29/05/2016. Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras;

29/05/2016. Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras; Parede celular Celulose (polissacarídeo) = rigidez e sustentação; Reforço de lignina ou ceras; Vacúolo Armazena substâncias: água, sais, ar e alcaloides (efeitos tóxicos e farmacológicos); Plastos Leucoplasto,

Leia mais

Como as plantas evoluíram?

Como as plantas evoluíram? Como as plantas evoluíram? 1 Como classificar as plantas? 2 Funções da raiz: Raiz Fixar o vegetal ao solo. Retirar do solo água e sais minerais indispensáveis à nutrição da planta. SEIVA BRUTA Água +

Leia mais

AUXINAS CITOCININAS. Ciclo de vida das plantas Classes Hormonais. Primeiros Experimentos

AUXINAS CITOCININAS. Ciclo de vida das plantas Classes Hormonais. Primeiros Experimentos UIVERSIDADE FEDERAL DE PERAMBUO ETRO DE IÊIAS BIOLÓGIAS DEPARTAMETO DE BOTÂIA DISIPLIA DE EOFISIOLOGIA AUXIAS e ITOIIAS iclo de vida das plantas lasses ormonais inco classes são atualmente reconhecidas

Leia mais

Segundo a classificação de Whittaker (1969), as plantas são organismos eucariontes, multicelulares, autótrofos, que realizam fotossíntese.

Segundo a classificação de Whittaker (1969), as plantas são organismos eucariontes, multicelulares, autótrofos, que realizam fotossíntese. 1 2 Segundo a classificação de Whittaker (1969), as plantas são organismos eucariontes, multicelulares, autótrofos, que realizam fotossíntese. Neste caso, incluem-se as algas multicelulares (Chlorophyta,

Leia mais

PROFESSORA SANDRA BIANCHI REPRODUÇÃO SEXUADA DE VEGETAIS

PROFESSORA SANDRA BIANCHI REPRODUÇÃO SEXUADA DE VEGETAIS PROFESSORA SANDRA BIANCHI REPRODUÇÃO SEXUADA DE VEGETAIS CICLO DIPLOBIONTE OU METAGÊNESE MEIOSE ESPÓRICA OU INTERMEDIÁRIA FIGURA REPRESENTATIVA DE UM MUSGO (Politricum sp) CICLO DE VIDA DE BRIÓFITAS MUSGO

Leia mais

Biologia Fascículo 05 Lara Regina Parra de Lazzari

Biologia Fascículo 05 Lara Regina Parra de Lazzari Biologia Fascículo 05 Lara Regina Parra de Lazzari Índice Fisiologia Vegetal... 1 Hormônios Vegetais... 1 Floração... 6 Exercícios... 7 Gabarito... 9 Fisiologia Vegetal Hormônios Vegetais Auxina Giberelina

Leia mais

a) 8% em solução no plasma, 40% em ligação com a hemoglobina e 52% em ião carbonato.

a) 8% em solução no plasma, 40% em ligação com a hemoglobina e 52% em ião carbonato. Tempo previsto: 1h30m Itens de resposta múltipla 1. Relativamente às características sãs superfícies respiratórias assinale a opção correcta: a) são superfícies secas, finas, não vascularizadas e possuem

Leia mais

Quais foram as evidências anatômicas presentes que permitiram reconhecer a estrutura como:

Quais foram as evidências anatômicas presentes que permitiram reconhecer a estrutura como: 1)Analisando-se ao microscópio óptico uma lâmina contendo um corte transversal de uma estrutura vegetal, chegou-se a conclusão de que se tratava de um caule de Monocotiledônea típico. Quais foram as evidências

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL 24/10/2012. Crescimento e desenvolvimento. Crescimento e desenvolvimento. Onde tudo começa? Crescimento e desenvolvimento

FISIOLOGIA VEGETAL 24/10/2012. Crescimento e desenvolvimento. Crescimento e desenvolvimento. Onde tudo começa? Crescimento e desenvolvimento FISIOLOGIA VEGETAL Crescimento e desenvolvimento Pombal PB Crescimento e desenvolvimento Onde tudo começa? Crescimento e desenvolvimento Polinização: transferência do grão de pólen da antera ao estigma

Leia mais

Raiz Morfologia Tipos de raízes MORFOLOGIA E ANATOMIA DA RAIZ

Raiz Morfologia Tipos de raízes MORFOLOGIA E ANATOMIA DA RAIZ MORFOLOGIA E ANATOMIA DA RAIZ Exemplares Características gerais e funções Exemplares Características gerais e funções Absorção e condução de água e sais minerais; Acúmulo de nutrientes; Fixação da planta

Leia mais

Uma simples folha. Queila de Souza Garcia

Uma simples folha. Queila de Souza Garcia Uma simples folha Queila de Souza Garcia Plantas grande diversidade formas tamanhos habitats Lemna minor sequoia Folha Órgão laminar e verde das plantas, que constitui a estrutura assimiladora por excelência,

Leia mais

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano O termo célula foi usado pela primeira vez pelo cientista inglês Robert Hooke, em 1665. Por meio de um microscópio

Leia mais

Tecidos Vasculares. TECIDOS CONDUTORES - Introdução. Xilema primário. Procambio. Floema primário. Tecidos vasculares. Xilema.

Tecidos Vasculares. TECIDOS CONDUTORES - Introdução. Xilema primário. Procambio. Floema primário. Tecidos vasculares. Xilema. Tecidos Vasculares TECIDOS CONDUTORES - Introdução Tecidos vasculares Procambio Cambio vascular Xilema primário Floema primário Xilema secundário Floema secundário 1 XILEMA Características Gerais Tecido

Leia mais

ANEXO II PARTILHA DO SIMPLES NACIONAL - INDÚSTRIA

ANEXO II PARTILHA DO SIMPLES NACIONAL - INDÚSTRIA ANEXO II PARTILHA DO SIMPLES NACIONAL - INDÚSTRIA Seção I: Receitas decorrentes da venda de mercadorias por elas industrializadas não sujeitas a substituição tributária, exceto as receitas decorrentes

Leia mais

25/08/2011. Tipos de Meristemas: b) Parênquima (tecido vivo) c) Colênquima(tecido vivo) 2) Tecidos vegetais

25/08/2011. Tipos de Meristemas: b) Parênquima (tecido vivo) c) Colênquima(tecido vivo) 2) Tecidos vegetais Aula Biologia Tema: Histologia Vegetal Marcos Vinícius Marcosviniciuspa@hotmail.com 1) Introdução A histologia vegetal estuda a formação e a constituição dos tecidos das plantas. Tecido: conjunto de células

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL. Organização da célula vegetal e da planta

FISIOLOGIA VEGETAL. Organização da célula vegetal e da planta FISIOLOGIA VEGETAL Organização da célula vegetal e da planta cianobactéria Complexidade ipê Eucariotos: - aumento da complexidade genética - aumento da complexidade celular Woese (1987): baseado na filogenia

Leia mais

Exercícios de Fisiologia Vegetal sobre Transporte de Seiva com Gabarito

Exercícios de Fisiologia Vegetal sobre Transporte de Seiva com Gabarito Exercícios de Fisiologia Vegetal sobre Transporte de Seiva com Gabarito 1) (Fuvest-2000) Entre as plantas vasculares, uma característica que pode ser usada para diferenciar grupos é: a) presença de xilema

Leia mais

O MICROSCÓPIO ÓPTICO

O MICROSCÓPIO ÓPTICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Departamento de Farmácia Laboratório de Farmacognosia MICROSCOPIA ÓPTICA E IDENTIFICAÇÃO DE DROGAS VEGETAIS Uma das atribuições do Farmacognosta é

Leia mais

ÍNDICE. Apostila: Anatomia Vegetal Arruda 2011 A CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE: ORIGEM E DIVERSIFICAÇÃO DAS EMBRYOPHYTA 3

ÍNDICE. Apostila: Anatomia Vegetal Arruda 2011 A CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE: ORIGEM E DIVERSIFICAÇÃO DAS EMBRYOPHYTA 3 ÍNDICE A CONQUISTA DO AMBIENTE TERRESTRE: ORIGEM E DIVERSIFICAÇÃO DAS EMBRYOPHYTA 3 A CÉLULA VEGETAL: ORIGEM E ESTRUTURA 4 PAG. MERISTEMAS E TECIDOS VEGETAIS: DESENVOLVIMENTO E ORGANIZAÇÃO PRIMÁRIA DO

Leia mais

CURSO DE TECN OLOGI A DO VÁCUO

CURSO DE TECN OLOGI A DO VÁCUO FATEC-SP CURSO DE TECN OLOGI A DO VÁCUO Prof. Me. Francisco Tadeu Degasperi Janeiro de 2005 Agradeço a colaboração do Tecnólogo Alexandre Cândido de Paulo Foi Auxiliar de Docente do LTV da Fatec-SP Atualmente

Leia mais

Anatomia Vegetal UNIDADE 1 INTRODUÇÃO À ANATOMIA VEGETAL

Anatomia Vegetal UNIDADE 1 INTRODUÇÃO À ANATOMIA VEGETAL Anatomia Vegetal UNIDADE 1 INTRODUÇÃO À ANATOMIA VEGETAL Você sabia que a anatomia vegetal é o ramo da botânica que se ocupa em estudar a estrutura interna das plantas e que sua história confunde-se com

Leia mais

setor 1401 Aula 20 MORFOFISIOLOGIA VEGETAL. MORFOLOGIA EXTERNA DE RAIZ, CAULE E FOLHA

setor 1401 Aula 20 MORFOFISIOLOGIA VEGETAL. MORFOLOGIA EXTERNA DE RAIZ, CAULE E FOLHA setor 1401 14010509 14010509-SP Aula 20 MORFOFISIOLOGIA VEGETAL. MORFOLOGIA EXTERNA DE RAIZ, CAULE E FOLHA 1. A sobrevivência de uma planta depende da resolução de uma série de problemas. Entre eles estão:

Leia mais