Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1

2

3

4

5

6

7

8 Oficinas C Diálogo e atualização: metas do encontro de atualização apacitar, dialogar e atualizar. Essas foram as três metas principais do projeto Encontro de Atualização Administrativa, realizado pelo Tribunal de Contas do Estado e que teve sua quinta edição em agosto, realizada em quatro cidades-pólo, cada uma delas sediando outros treze municípios, e que reuniu mais de 600 técnicos estaduais e municipais nas várias Oficinas em que se dividiu o programa. Destinado ao treinamento de técnicos municipais que atuam nas áreas de ação do TCE-RO, o V Encontro de Atualização Administrativa, projeto desenvolvido pelo Tribunal de Contas do Estado desde a década de 1990, é direcionado a fortalecer o trabalho dos jurisdicionados, reduzindo possibilidades de erros ao oferecer orientação e treinamento. Para o presidente do TCE, conselheiro Euler Potyguara, a realização deste V Encontro "representa, mais uma vez, o seguimento da proposta do Tribunal de manter um diálogo com seus jurisdicionados e fazer com que isso se transforme em benefícios diretos para as várias comunidades do Estado". "Em síntese busca-se nessa atividade reduzir distâncias, aumentar o fluxo de informações, tirar dúvidas e aperfeiçoar a ação do próprio serviço público. Seria como se, ao invés de dar o peixe, estejamos trabalhando para ensinar a pescar" citou o gerente-geral Adão Franco, do Instituto de Estudos e Pesquisa Conselheiro José Renato da Frota Uchoa/TCE-RO, setor responsável pelo planejamento e estruturação do Encontro. Em todos os pólos Vilhena, dias 20 e 21, Rolim de Moura, dias 22 e 23, Ji-Paraná, dias 24 e 25 e Porto Velho, dias 28 e 29 de agosto, foram realizadas palestras sobre o sistema de Ouvidoria do TCE-RO e aplicadas Oficinas abordando os seguintes temas: Atos de Pessoal, Licitação, Fundeb, Sigap, Plano de Contas Único, Orçamento e LRF.NET, Título Executivo e Tomada de Contas Especial e Controle Interno.

9 Revista de Contas - setembro e outubro 2007 Oficinas: IEP Coordenou a preparação Toda a coordenação para a realização do V Encontro de Atualização Administrativa, logo após a aprovação do projeto pelo Conselho Superior do Tribunal de Contas, ficou à cargo do IEP Instituto de Estudos e Pesquisa Conselheiro José Renato da frota Uchoa, com o envolvimento de todos os demais setores do TCE-RO, especialmente da Secretaria Geral de Controle Externo. Para que tudo desse certo, uma série de providências teve de ser tomada pela equipe coordenada pelo gerente do IEP Adão Franco, com apoio direto da servidora Rosane Serra, um trabalho que durou mais de seis meses, passando por etapas como o planejamento, sua aplicação e fechamento do relatório. Uma das primeiras providências foi a definição dos participantes, tendo ficado estabelecido que o Estado seria dividido em quatro grandes pólos, com 13 municípios em cada um deles, levando-se em conta a proximidade geográfica da cidade escolhida para ser o pólo regional. Assim foram definidas como sedes as cidades de Vilhena, Rolim de Moura, Ji-Paraná e Porto Velho, sendo que no caso de Rolim de Moura foi a primeira vez nas cinco edições do Encontro que um pólo estaria localizado fora do eixo da BR364. Para essa definição foi feito um contato inicial com os prefeitos Marlon Donadon, Mileni Mota, José Bianco e Roberto Sobrinho, respectivamente. Enquanto isso, internamente, o IEP realizava várias atividades paralelas, com o apoio dos outros setores do TCE-RO, tomando providências que foram desde o estabelecimento da programação de painéis o que foi determinado a partir de um levantamento feito junto aos jurisdicionados pela Secretaria Geral de Controle Externo detectando, durante aplicação de vários cursos, o que eles mais necessitavam. A equipe de palestrantes, todos servidores do TCE-RO, da SGCE, Procuradoria-Geral, Ouvidoria e Recursos Humanos, realizou várias reuniões estabelecendo a metodologia a ser aplicada durante a programação. Em todo o período foi realizado um trabalho preparatório através dos meios de comunicação visando dar ciência aos técnicos municipais aos quais foi direcionado o evento, sobre sua realização e modo de inscrição tendo, nesse O Instituto de Estudos e Pesquisas Conselheiro José Renato da Frota Uchôa - IEP, realizou várias atividades com o apoio de outros setores do TCE-RO Último caso, sido construído um link especial pela Secretaria Geral de Informática no site do TCERO onde, além de informações a respeito do Encontro foi disponibilizado um local próprio para inscrições e até colocadas as apostilas que seriam aplicadas pelos instrutores. Em julho uma equipe formada pelo Gabinete da Presidência, IEP e Assessoria de Comunicação Social visitou as prefeituras que seriam sedes, definindo locais para a aplicação dos treinamentos e manteve contatos também com possíveis locais para hospedagem e alimentação dos participantes em torno de 50 servidores, incluindo conselheiros e auditores. Ainda pouco antes da implantação do primeiro pólo, em Vilhena, outra equipe, formada por servidores do IEP, Cerimonial, Serviços Gerais e ASCOM, deslocaram-se antes para acertar os detalhes finais junto às prefeituras e outros locais, visando a que daí em diante tudo fluísse sem maiores problemas, como aconteceu, efetivamente, no dia 20 de agosto, quando se instalou a primeira fase do V Encontro em Vilhena. 9

10 Oficinas: Ação preventivo-pedagógica do TCE para não ter de punir mais tarde Foram mais de dois meses de preparação, reuniões, viagem de equipe precursora, o envolvimento direto de grande parte das equipes técnicas e administrativa. Mas o saldo do V Encontro de Atualização Administrativa foi considerado altamente positivo pelo Presidente do Tribunal Conselheiro Euler Potyguara, pelos demais conselheiros, prefeitos e participantes que tomaram parte. "Nesses encontros buscamos estabelecer uma forma de diálogo e aplicar uma dinâmica com ações preventivo-pedagógicas que permitem correção de rumos e evitam que haja aplicação de punições", disse o presidente do TCE-RO. "Só o fato de podermos conversar direto com os técnicos municipais, massificando a informação e aproximando mais dos jurisdicionados por si já representa um enorme ganho, ainda mais em razão de mudanças em legislações como foi o caso do Fundeb, isso apenas para citar um exemplo", conclui o Conselheiro Euler. Mesmo reconhecendo que a realização de um Encontro como o de agosto seja um investimento alto, o Presidente reconhece que "ao nos aproximar mais dos jurisdicionados e multiplicar a oportunidade de oferecer esse tipo de treinamento, estamos ao mesmo tempo fazendo com que, a partir da absorção do conhecimento pelos participantes possamos reduzir horas de trabalho e aumentar a produtividade, o que é um benefício para nosso principal cliente, a população". Presidente José Euler, destaca a importância das oficinas TCE foi Tema de Palestras a Universitários As palestras ministradas no campus da Unir, em Vilhena, e em Rolim de Moura, na Faculdade Farol, reuniu mais de 150 universitários 10 Mesmo não fazendo parte da programação oficial do V Encontro de Atualização Administrativa, mas atendendo solicitação feita por professores do campus da Unir (em Vilhena) e da Faculdade Farol de Rolim de Moura, o Tribunal de Contas realizou duas palestras para os universitários da área de Ciências Contábeis naquelas duas cidades. A proposta foi aprovada pelo presidente do Tribunal, Conselheiro Euler Potyguara, que designou para realizar as duas palestras o Auditor Substituto de Conselheiro Davi Dantas, versando sobre Aspectos Institucionais e a Responsabilidade Social do Tribunal de Contas. Em Vilhena a palestra aconteceu no auditório do campus da Unir, enquanto que em Rolim de Moura foi no auditório da Associação Comercial, com a presença da prefeita Mileni Mota que abriu os trabalhos falando sobre a importância do TCE como suporte para as ações dos gestores, enfatizando o controle interno municipal. Nos dois locais mais de 150 universitários, professores e técnicos municipais participaram ativamente das atividades referentes ao tema das palestras.

11 Técnicos elogiaram Metodologia Além da presença dos conselheiros e auditores, um fato que chamou a atenção dos participantes do V Encontro de Atualização Administrativa foi a metodologia usada pelos instrutores, todos técnicos do quadro do Tribunal de Contas do Estado. "Talvez pelo fato de terem contato constante conosco e conhecerem bem a realidade que vivenciamos, isso tenha facilitado o entendimento, o que representa um ganho a mais para o objetivo do Tribunal", disse o assessor da Câmara Municipal de Ji-Paraná Jéferson Barbosa que, mesmo sem estar inscrito, assistiu a várias palestras. Antonio Lopes, da Semsau/Cacoal, lembrou que "além daqueles com os quais estivemos mais próximos por orientarem a oficina que cada um participou, a oportunidade de conversarmos com os conselheiros e com os técnicos de outras áreas permitiu esclarecer dúvidas ao mesmo tempo que eles podem saber melhor das condições que trabalhamos e dos problemas que enfrentamos no dia-a-dia". Para o contador Edgar Aparecido Fernandes, da Câmara Municipal de Pimenta Bueno, "essas Oficinas são muito importantes e da maneira como vêm sendo aplicadas mostram que há interesse do Tribunal em uma nova maneira de dialogar com os seus jurisdicionados, o que faz isso ser um ganho para todos". "O programa dessas Oficinas mostra a preocupação do Tribunal em dialogar com os jurisdicionados e, ao mesmo tempo, gera, através da exposição e do debate, uma nova visão positiva do órgão, de nossa parte", conforme Erivan Batista de Souza, da prefeitura de Ariquemes. Participante da Oficina que tratou de Atos de Pessoal, a técnica da Sead Nazaré Pedroza, ficou satisfeita porque conseguiu "tirar muitas dúvidas, especialmente em questões como dos pensionistas ou em atos de admissão". "Todos os palestrantes passam muita segurança e conhecimento, o que é bom para nós porque as dúvidas estão sendo tiradas, já que essa é uma oportunidade única que estamos tendo", frisou o chefe do Controle Interno da Câmara de Guajará-Mirim Osvaldino Marques. O TCE-RO superou as espectativas nas oficinas, mostrando o dinâmismo e conhecimento dos membros da Corte de Contas Nesses encontros buscamos estabelecer uma forma de diálogo e aplicar uma dinâmica com ações preventivo-pedagógicas que permitem correção de rumos e evitam que haja aplicação de punições 11

12

13

14

15

16

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Ações Necessárias para o seu Efetivo Funcionamento

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Ações Necessárias para o seu Efetivo Funcionamento SISTEMA DE CONTROLE INTERNO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Ações Necessárias para o seu Efetivo Funcionamento Período e Carga Horária: 14 e 15.02.13, das 8:30h às 17:30h, totalizando 16 horas/aulas. Local do

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA ESCOLA SUPERIOR DE CONTAS. O ensino a serviço da gestão pública eficiente

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA ESCOLA SUPERIOR DE CONTAS. O ensino a serviço da gestão pública eficiente Janeiro Dia: 28 Curso: Subsídios de Vereadores e Limites Constitucionais do Legislativo Municipal Local: Auditório do Ministério Publico Estadual 01 a 06 - Recesso previsto no art. 64 da LC nº 154/1996

Leia mais

Portaria nº 3156, de 5 de dezembro de 2013.

Portaria nº 3156, de 5 de dezembro de 2013. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, CONSIDERANDO o Planejamento Estratégico Participativo em execução (2009/2014), aprovado pela Resolução Administrativa

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA SECRETARIA GERAL DE CONTROLE EXTERNO SECRETARIA DE INFORMÁTICA SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO E AUDITORIA PÚBLICA MANUAL DE INSTALAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL VERSÃO 1.0 Colaboração Secretaria Geral de Controle

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA GERAL DE CONTROLE EXTERNO SECRETARIA DE INFORMÁTICA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA GERAL DE CONTROLE EXTERNO SECRETARIA DE INFORMÁTICA SECRETARIA GERAL DE CONTROLE EXTERNO SECRETARIA DE INFORMÁTICA MANUAL DO SIGAP MÓDULO GESTÃO FISCAL WEB VERSÃO 1.0 Colaboração Secretaria Geral de Controle Externo Secretaria de Informática Porto Velho

Leia mais

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO

Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos. Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Indicadores Quantitativos Programa de Fortalecimento Institucional, Participação e Controle Social Barro Alto - GO Relatório Consolidado Programa de Fortalecimento e Barro Alto -

Leia mais

Kit de Apoio à Gestão Pública 1

Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Kit de Apoio à Gestão Pública 1 Índice CADERNO 3: Kit de Apoio à Gestão Pública 3.1. Orientações para a reunião de Apoio à Gestão Pública... 03 3.1.1. O tema do Ciclo 4... 03 3.1.2. Objetivo, ações básicas

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

Rede de Inovação em Gestão do Turismo

Rede de Inovação em Gestão do Turismo Rede de Inovação em Gestão do Turismo Guia de Preenchimento do Termo de Cooperação e da Ficha de Inscrição 1. Comunicado da SETUR aos Municípios 2. Roteiro para Preenchimento: a. Termo de Cooperação b.

Leia mais

NOVAS PRESTAÇÕES DE CONTAS ANUAIS A ENVIAR AO TCE/ES EM 2016

NOVAS PRESTAÇÕES DE CONTAS ANUAIS A ENVIAR AO TCE/ES EM 2016 NOVAS PRESTAÇÕES DE CONTAS ANUAIS A ENVIAR AO TCE/ES EM 2016 Período, Carga Horária: 23.11.15 (8:30 h às 17:30 h) e 24.11.15 (8 h às 17 h), totalizando 16 horas/aulas. Local de Realização: Auditório (Espaço

Leia mais

GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP

GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP PROGRAMA GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP 2014 PROGRAMA GRADUAÇÃO INOVADORA NA UNESP INTRODUÇÃO A Pró-reitoria de graduação (PROGRAD), a Câmara Central de Graduação (CCG), o Núcleo de Educação à Distância

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 293/GP, DE 23 DE ABRIL DE 2013. (*) Regulamenta a gestão do conteúdo do Portal do Tribunal Superior do Trabalho, institui o seu Comitê Gestor e dá outras

Leia mais

MINAS GERAIS 12/04/2008. Diário do Judiciário. Portaria 2.176/2008

MINAS GERAIS 12/04/2008. Diário do Judiciário. Portaria 2.176/2008 MINAS GERAIS 12/04/2008 Diário do Judiciário Chefe de Gabinete: Dalmar Morais Duarte 11/04/2008 PRESIDÊNCIA Portaria 2.176/2008 Institucionaliza o Programa Conhecendo o Judiciário do Tribunal de Justiça.

Leia mais

SGCE SGI. Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. Sistema de Informação Integrado de Gestão e Auditoria Púbica. Secretaria Geral de Controle Externo

SGCE SGI. Tribunal de Contas do Estado de Rondônia. Sistema de Informação Integrado de Gestão e Auditoria Púbica. Secretaria Geral de Controle Externo Tribunal de Contas do Estado de Rondônia Sistema de Informação Integrado de Gestão e Auditoria Púbica SGCE Secretaria Geral de Controle Externo Allan Cardoso de Albuquerque Francisco Barbosa Rodrigues

Leia mais

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES Marcia Regiane Miranda Secretaria Municipal de Educação de Mogi das Cruzes marcia.sme@pmmc.com.br

Leia mais

Viva Rio lança trabalho socioambiental que contempla Nova Friburgo

Viva Rio lança trabalho socioambiental que contempla Nova Friburgo Início Notícias Viva Rio lança trabalho socioambiental que contempla Nova Friburgo Iniciativa é parte do projeto Rios da Serra. Sede provisória da organização é montada no Prado TERÇA FEIRA, 19 DE MAIO

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados E77p Espírito Santo. Tribunal de Contas do Estado. Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados / Tribunal de Contas do Estado. Vitória/ES: TCEES, 2015. 13p. 1.Tribunal

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Portal da Transparência do Governo Municipal de Conceição do Coité - Bahia

Portal da Transparência do Governo Municipal de Conceição do Coité - Bahia MANUAL DE NAVEGAÇÃO Portal da Transparência do Governo Municipal de Conceição do Coité - Bahia Versão 1.0 Este é o Manual de Navegação do Portal de Transparência do Município de Conceição do Coité, Bahia.

Leia mais

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015

PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 PLANO DE DIRETRIZES E METAS DA AMOSC 2015 DIRETORIA EXECUTIVA/SECRETARIA EXECUTIVA Anexo 6 EIXOS DE ATUAÇÃO Representação Política Desenvolvimento Regional Assessoria Técnica Capacitação Processos Internos

Leia mais

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO

ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES RELATÓRIO TÉCNICO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO E GOVERNANÇA PÚBLICA ROSANA DALLA COSTA FÉLIX MEDIA TRAINING DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - TREINAMENTO PARA GESTORES

Leia mais

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico

Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher. Termo de Referência. Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Termo de Referência Assessoria à Supervisão Geral Assessor Técnico No âmbito do Programa Pernambuco Trabalho e Empreendedorismo da Mulher conveniado

Leia mais

REGIMENTO COPESE IFSULDEMINAS CAPÍTULO 1 DOS FINS CAPÍTULO 2 DA CONSTITUIÇÃO

REGIMENTO COPESE IFSULDEMINAS CAPÍTULO 1 DOS FINS CAPÍTULO 2 DA CONSTITUIÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina Pouso

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTOS DOS CONSELHOS ESCOLARES PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais

Núcleo de Monitoramento de Ações Estratégicas do INEA NUMAE Contrato de Gestão e Avaliação de Desempenho Individual

Núcleo de Monitoramento de Ações Estratégicas do INEA NUMAE Contrato de Gestão e Avaliação de Desempenho Individual Núcleo de Monitoramento de Ações Estratégicas do INEA NUMAE Contrato de Gestão e Avaliação de Desempenho Individual 1 Relatório de Apuração e Análise dos Resultados Institucionais e Estratégicos e de Resultados

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores OFICINA DE ESTUDOS: O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA FAAC

Leia mais

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte!

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte! Câmara Municipal de Barueri Conheça a Norma SA8000 Você faz parte! O que é a Norma SA 8000? A SA 8000 é uma norma internacional que visa aprimorar as condições do ambiente de trabalho e das relações da

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante do Projeto Fortalecendo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria.

Palavras-chave: Projeto de ensino; reprovação em Matemática; monitoria. REPROVAÇÃO EM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UMA TENTATIVA DE REDUZIR OS ALTOS ÍNDICES Profa. Dra. Camila Pinto da Costa Universidade Federal de Pelotas camila.ufpel@gmail.com Profa. Dra. Rejane Pergher

Leia mais

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 Súmula: Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno Municipal, nos termos do artigo 31 da Constituição Federal e do artigo 59 da Lei Complementar n 101/2000 e cria a

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa A Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes EJEF, atenta aos objetivos do Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJMG e às novas diretrizes para formação de servidores

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO APERFEIÇOAMENTO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO CURSO APERFEIÇOAMENTO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO Escola de Contas Conselheiro Otacílio Silveira REGULAMENTO DO CURSO APERFEIÇOAMENTO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

Leia mais

2. As dimensões do plano de reestruturação

2. As dimensões do plano de reestruturação 21 2. As dimensões do plano de reestruturação B. Reestruturação Acadêmico-Curricular B.1 Revisão da estrutura acadêmica buscando a constante elevação da qualidade A Universidade Federal de Rondônia foi

Leia mais

Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado

Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado No Ceará, as queixas de quem procura o sistema de saúde são atendidas, encaminhadas e respondidas, ajudando a melhorar os serviços SAÚDE Sistema de Ouvidoria em Saúde Pública do Estado (ESTADO DO CEARÁ)

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar Publicada no Diário Oficial do dia 07 de julho de 2011 Estabelece a Estrutura Administrativa do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e do Ministério Público Especial; cria, modifica e extingue órgãos

Leia mais

SIAPNet e Portal do Cidadão Instrumentos de controle das contas públicas

SIAPNet e Portal do Cidadão Instrumentos de controle das contas públicas SIAPNet e Portal do Cidadão Instrumentos de controle das contas públicas Já conhecidos do público em geral, os sítios do SIAPNet e mais recentemente do Portal do Cidadão têm se demonstrado ótimos instrumentos

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Reunião de Abertura do Monitoramento 2015 Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Roteiro da Apresentação 1. Contextualização; 2. Monitoramento; 3. Processo de monitoramento;

Leia mais

CURSOS DE EXTENSÃO - 2007

CURSOS DE EXTENSÃO - 2007 CURSOS DE EXTENSÃO - 2007 MARÇO/2007 AULA MAGNA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Ministrante: Professor Clóvis Massaúd da Silveira Público-alvo: Acadêmicos do Curso de Administração Data: 8 de março Horário:

Leia mais

Programa É DA NOSSA CONTA Estado e Cidadania

Programa É DA NOSSA CONTA Estado e Cidadania PROJETO Programa É DA NOSSA CONTA Estado e Cidadania Tudo o que acontece no mundo, seja no meu país, na minha cidade ou no meu bairro, a- contece comigo. Então eu preciso participar das decisões que interferem

Leia mais

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ?

Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO. 1- Como aderir à proposta AMQ? Dúvidas Freqüentes IMPLANTAÇÃO 1- Como aderir à proposta AMQ? A adesão é realizada através do preenchimento e envio do Formulário de Cadastramento Municipal no site do projeto. O gestor municipal da saúde

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

EDITAL Nº 01/FCCE/2015 (6ª Oferta UFRRJ)

EDITAL Nº 01/FCCE/2015 (6ª Oferta UFRRJ) Curso de Extensão a Distância Formação Continuada em Conselhos Escolares EDITAL Nº 01/FCCE/2015 (6ª Oferta UFRRJ) Seleção para 240 vagas do Curso de Extensão a Distância Formação Continuada em Conselhos

Leia mais

RELATÓRIO DAS TRÊS GERAÇÕES PROJETO GPC EXERCÍCIO 2007

RELATÓRIO DAS TRÊS GERAÇÕES PROJETO GPC EXERCÍCIO 2007 I Projeto GPC GESTÃO POR PROJETOS NO CONFEA Período do R3G junho/2007 Mettass 1 2 3 4 5 6 1100%% % 9900% 9900% 5566,,88% 7733,,88% 1155% JJ FF M A M JJ JJ A SS O N D - 2007 RESUMO A) Progresso geral 64,8%

Leia mais

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DOS CURSOS DE DESENVOLVIMENTO DE SERVIDORES PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS 1. DA MODALIDADE DO PROGRAMA E DOS SEUS OBJETIVOS

Leia mais

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO

GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO GSAN SOFTWARE COMERCIAL LIVRE MODELO DE DESENVOLVIMENTO COLABORATIVO José Maria Villac Pinheiro (1) Engenheiro pela Universidade de São Paulo USP Escola de Engenharia de São Carlos EESC. Especialização

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social

GUIA DE ORIENTAÇÕES Serviços da Assessoria de Comunicação Social A Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG é uma unidade de apoio e assessoramento da Instituição, diretamente ligada ao Gabinete da Reitoria, que dentre suas

Leia mais

PLANO INSTRUCIONAL DE AÇÃO EDUCACIONAL E PROPOSTA FINANCEIRA

PLANO INSTRUCIONAL DE AÇÃO EDUCACIONAL E PROPOSTA FINANCEIRA PLANO INSTRUCIONAL DE AÇÃO EDUCACIONAL E PROPOSTA FINANCEIRA AÇÃO EDUCACIONAL: Gestão Orçamentária e Financeira Carga horária total: 20 horas aula Carga horária diária sugerida: 04 horas aula 1 Carga horária

Leia mais

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI PLANO DE TRABALHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PCS Plano de Trabalho ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 2.1. Objetivos Específicos... 1 3. PÚBLICO ALVO... 2 4. METAS... 2 5.

Leia mais

Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste

Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região Submissão de Trabalho para o II Encontro TRT's Norte/Nordeste 1. Estrutura: a) Identificação do Órgão/Unidade: Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região /

Leia mais

Transparência SECRETARIA GERAL (SEGER)

Transparência SECRETARIA GERAL (SEGER) Transparência Indicadores utilizados pela entidade para monitorar e avaliar a gestão, acompanhar o alcance das metas, identificar os avanços prestados e as melhorias na quantidade dos serviços prestados,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABUNA DE C R E T O Nº 11.347, de 25 de setembro de 2015 EMENTA:Cria o PROGRAMA MUNICIPAL DOS AGENTES AMBIENTAIS, no âmbito Administração Pública Municipal de Itabuna, e dá outras providencias. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

Decreto nº 16.920, de 20 de janeiro de 2011.

Decreto nº 16.920, de 20 de janeiro de 2011. Decreto nº 16.920, de 20 de janeiro de 2011. Altera a estrutura organizacional do Gabinete de Planejamento Estratégico (GPE), do Gabinete do Prefeito (GP), a redação do inciso I do art. 2º do Decreto nº

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL 4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL 4.1. Planejamento Estratégico No período foram efetuadas atividades objetivando revisar a orientação estratégica do TCE-SC e o alinhamento de suas atividades

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 097/2014, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 097/2014, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13

LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13 LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13 CRIA ORGÃOS E AMPLIA CARGOS DE PROVIMENTO EM COMISSÃO NA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL DE CAMPOS NOVOS, ACRESCENTA DISPOSITIVOS NA LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO

9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO 9 SISTEMA DE CONTROLE INTERNO Ao sistema de controle interno, consoante o previsto nos arts. 70 e 74 da Constituição Federal, incumbe a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial,

Leia mais

Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018

Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018 Belo Horizonte, 07 de agosto de 2013. Cronograma detalhado para elaboração do PDI do IFMG para o período de 2014-2018 Documento elaborado pela designada pela Portaria 398/2013 Descrição 1. Realização de

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

Judiciário e Políticas Públicas ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013

Judiciário e Políticas Públicas ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013 Judiciário e Políticas Públicas ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS 2º SEMESTRE DE 2013 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação Getulio Vargas (FGV) deu início a suas atividades em 1944

Leia mais

MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER

MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER MANUAL DO CURSO SUPERIOR TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL QP EM CONTACT CENTER 1) Introdução Belo Horizonte 2009/1º A proposta da elaboração do Manual para o Curso de Tecnologia em Gestão Comercial QP EM

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUÍMICA Universidade Federal de Goiás Instituto de Química ORIENTAÇÕES E NORMAS SOBRE O ESTÁGIO CURRICULAR PARA ESTUDANTES DO CURSO DE

Leia mais

RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS

RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS RELATÓRIO MELHORIA DA ESTRUTURA POLICIAL CORPO DE BOMBEIROS Na data de 03 de maio de 2011 1 o então Coordenador do Projeto Entorno, Luís Guilherme Martinhão Gimenes, reuniu-se com o Comandante Geral do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD EDITAL Nº 01/2013

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD EDITAL Nº 01/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD EDITAL Nº 01/2013 A Universidade Federal Fluminense (UFF), por meio da Pró-Reitoria de Extensão

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

Conselho Estadual de Saúde de Goiás

Conselho Estadual de Saúde de Goiás Apresentação de experiências sobre educação permanente nos CMS Conselho Estadual de Saúde de Goiás A Comissão de Monitoramento dos Conselhos Municipais de Saúde, do CES-GO realiza há 5 anos, capacitações

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 158/2014/TCE-RO Cria e regulamenta a Brigada de Incêndio e Emergência do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE

Leia mais

Curso de planilhas eletrônicas na modalidade EAD: Um relato de experiência

Curso de planilhas eletrônicas na modalidade EAD: Um relato de experiência ÁREA TEMÁTICA: EDUCAÇÃO Curso de planilhas eletrônicas na modalidade EAD: Um relato de experiência Luis Henrique Chiczta (luischiczta@gmail.com) Diolete Marcante Latti Cerutti (diolete@uepg.br) Adilson

Leia mais

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA

PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA PROJETO OUVIDORIA VAI À ESCOLA SALVADOR 2012 GOVERNADOR Jaques Wagner VICE-GOVERNADOR Otto Alencar SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Osvaldo Barreto Filho SUB-SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO Aderbal de Castro Meira Filho

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. EDITAL ESMPU n. 177/2008

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. EDITAL ESMPU n. 177/2008 ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO EDITAL ESMPU n. 177/2008 A Escola Superior do Ministério Público da União ESMPU comunica que estarão abertas, no período de 13 a 15 de outubro de 2008, as

Leia mais

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária

PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária PROJETO interação FAMÍLIA x ESCOLA: UMA relação necessária Apoio: Secretária municipal de educação de santo Afonso PROJETO INTERAÇÃO FAMÍLIA X ESCOLA: UMA RELAÇÃO NECESSÁRIA. É imperioso que dois dos principais

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

MINUTA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PROVEDORES

MINUTA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PROVEDORES Sumário TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA...2 1.1 DO OBJETO...2 1.2 DA EXECUÇÃO...2 1.3 DOS DIREITOS E DAS OBRIGAÇÕES DAS PARTES...2 1.3.1 SÃO DIREITOS DOS PARTÍCIPES:...2 1.3.2 SÃO OBRIGAÇÕES DOS PARTÍCIPES:...2

Leia mais

SEMANA DA SAÚDE INTRODUÇÃO

SEMANA DA SAÚDE INTRODUÇÃO SEMANA DA SAÚDE Sandra Rosabel Pereira 1 ; Maria Angelica de Moraes Assumpção Pimenta 2 ; Maria Goreti Aléssio Crispim 3 ; Nelza de Moura 4 ; Neusa Denise Marques de Oliveira 5 ; Eliana Maria Fabiano de

Leia mais

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014 Câmpus Restinga Maio, 2013 Desenvolvimento Institucional APRESENTAÇÃO Ao iniciar uma conversa sobre planejamento, planos de ação e instrumentos afins,

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado.

Documento de Visão. O sistema atual se baseia no método padrão de ensino, onde a presença física dos alunos é essencial para um bom aprendizado. UFF Universidade Federal Fluminense Instituto de Computação Engenharia de Software II Professora: Bianca Zadrozny 1º Trabalho Prático: Documento de Visão Alunos: Diego Soares, Felipe Maia e Leandro Feijó.

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Boletim Informativo Edição 01 19 de Março de 2012 ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Controladoria-Geral da União Implementação da Lei de Acesso a Informação A Lei de Acesso à Informação (LAI) representa mais

Leia mais

UNICEF BRASIL Edital de Licitação de Consultoria RH/2012/061

UNICEF BRASIL Edital de Licitação de Consultoria RH/2012/061 UNICEF BRASIL Edital de Licitação de Consultoria RH/2012/061 O UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, a Organização mundial pioneira na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, convida

Leia mais

Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde - CONASEMS EDITAL DE PATROCÍNIO

Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde - CONASEMS EDITAL DE PATROCÍNIO Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde - CONASEMS EDITAL DE PATROCÍNIO AO O XXIX Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde Data do evento: 07 a 10 de Julho de 2013 Brasília/DF

Leia mais

Estimados Professores, Estudantes e Funcionários

Estimados Professores, Estudantes e Funcionários UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA Autorizada pelo Decreto Federal Nº 77.496 DE 27.4.1976 Reconhecida pela Portaria Ministerial nº 874/86 de 19.12.86 Recredenciada pelo Decreto Estadual 9.271, de

Leia mais

AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA

AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA Katia Barros de Sousa Graduanda do curso de Licenciatura Plena em Geografia da Universidade Estadual da Paraíba katiabarros-geo@hotmail.com

Leia mais

DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs

DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO Projeto Qualidade e Agilidade dos TCs Resolução Atricon 01/2014 Domínio E Estrutura e Gestão de Apoio-QATC 13 - Corregedoria Conselheiro Edilson de Sousa Silva Corregedor-Geral

Leia mais

Pesquisa de Percepção do Viver Direito

Pesquisa de Percepção do Viver Direito Metas lcançadas - Pesquisa de Percepção do Programa de Divulgação Viver Direito A pesquisa é um INDICADOR de efetividade do cumprimento da meta 1 do PRODVD: Atingir 60% do público interno com a campanha

Leia mais

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética Comissão de Ética Introdução As ações desenvolvidas pela Comissão de Ética em 2014 foram pautadas nos parâmetros do Questionário de Avaliação da Ética elaborado pela Comissão de Ética Pública (CEP) que

Leia mais

OUVIDORIAS DE SAÚDE COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARTICIPATIVA. A rede estadual de ouvidorias de saúde: Experiência do Estado do Rio de Janeiro

OUVIDORIAS DE SAÚDE COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARTICIPATIVA. A rede estadual de ouvidorias de saúde: Experiência do Estado do Rio de Janeiro OUVIDORIAS DE SAÚDE COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARTICIPATIVA A rede estadual de ouvidorias de saúde: Experiência do Estado do Rio de Janeiro Minas Gerais, 30/10/12 OUVIDORIA SES RJ Início das atividades:

Leia mais

MAPA DE ESTUDO FORMAÇÃO BÁSICA

MAPA DE ESTUDO FORMAÇÃO BÁSICA MAPA DE ESTUDO FORMAÇÃO BÁSICA Neste tópico, o monitor do PJ receberá informações básicas sobre a organização do Estado, o Poder e o Processo Legislativos, política e participação, necessárias ao desenvolvimento

Leia mais

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO

PPA 2012-2015 PLANO DE DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 1043 - PROGRAMA ESCOLA DO LEGISLATIVO 100 - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE GOIÁS O Programa Escola do Legislativo tem como objetivo principal oferecer suporte conceitual de natureza técnico-científica

Leia mais

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Perfil A Empresa Municipal de Informática Emprel é uma empresa pública, dotada de personalidade

Leia mais