AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL RELATÓRIO 2014 M A R Ç O D E 2015

2

3 Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos Comissão de Avaliação Institucional: CPA Unisinos Composição Representantes do corpo Docente Carmem Lisiane Escouto de Souza Erica Hiwatachi Luisa Mariele Strauss Representantes do corpo Técnico-administrativo Aline Graziela de Lima Pinto Priscila Finkler Silvana Cristina da Silva Model Valência Cristina Meier Representantes do corpo Discente Luan de Oliveira Marina Miorim Representante da Sociedade Civil Marly Klafke Representante da Gerência de Ação Social Maria Aparecida de Marques Rocha Representante da Gerência de Atenção ao Aluno Carmen Lúcia Pinto Copetti Representante da Gerência de Marketing Luciana Braun Reis Representante da Coordenadoria do Sistema de Gestão Ambiental Susana Margarida Brand Representante da Controladoria Acadêmica e Avaliação Institucional Ricardo Ferreira Vitelli (Coordenador da CPA) Silvia Costa Dutra

4

5 UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS MANTENEDORA: ASSOCIAÇÃO ANTÔNIO VIEIRA ASAV Pe. Marcelo Fernandes de Aquino, SJ R E I T O R Pe. José Ivo Follmann, SJ V I C E - R E I T O R Pe. Pedro Gilberto Gomes, SJ P R Ó - R E I T O R A C A D Ê M I C O João Zani P R Ó - R E I T O R D E A D M I N I S T R A Ç Ã O Gustavo Severo Borba D I R E T O R D A U N I D A D E A C A D Ê M I C A D E G R A D U A Ç Ã O Alsones Balestrin D I R E T O R D A U N I D A D E A C A D Ê M I C A D E P E S Q U I S A E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O Francisco Zanini D I R E T O R D A U N I D A D E A C A D Ê M I C A D E E D U C A Ç Ã O C O N T I N U A D A Luiz Felipe Jostmeier Vallandro D I R E T O R D A U N I D A D E D E A P O I O D E F I N A N Ç A S E G E S T Ã O D E P E S S O A S Artur Eugênio Jacobus D I R E T O R D A U N I D A D E D E A P O I O D E S E R V I Ç O S A C A D Ê M I C O S Marcos Sebastião Baum D I R E T O R D A U N I D A D E D E A P O I O D E A D M I N I S T R A Ç Ã O D E I N F R A E S T R U T U R A E S E R V I Ç O S

6

7 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 8 1 DIMENSÃO MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 10 2 DIMENSÃO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 17 3 DIMENSÃO RESPONSABILIDADE SOCIAL 41 4 DIMENSÃO COMUNICAÇÃO COM A SOCIEDADE 61 5 DIMENSÃO POLÍTICAS DE PESSOAL E CARREIRAS 72 6 DIMENSÃO ORGANI ZAÇÃO E GESTÃO INSTITUCIONAL 84 7 DIMENSÃO INFRAESTRUTURA FÍSICA 93 8 DIMENSÃO PLANEJAMENTO E AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DIMENSÃO POLÍTICAS DE ATENDIMENTO AOS ESTUDANTES DIMENSÃO SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA 127

8 INTRODUÇÃO A CPA Unisinos, atendendo a composição e as atribuições regulamentadas na Resolução do Conselho Universitário Nº 010/2009, esteve constituída pelos membros citados na abertura desse relatório. O processo de autoavaliação desenvolvido em 2014 esteve orientado pelos resultados apresentados pela Universidade até o final do ano de 2014, considerando os seguintes elementos: as oportunidades de melhoria e sugestões apresentadas pela CPA no Relatório de Autoavaliação do ano anterior; os planos de ação estabelecidos em função do PDI; os dados e as informações acadêmicas acompanhadas pela Controladoria Acadêmica; os pareceres gerados por avaliadores externos, nos processos de avaliação de Cursos, em função de processos de reconhecimento ou de recredenciamento; os resultados de pesquisas de percepção, aplicadas junto à comunidade acadêmica. Com base nesses elementos, a CPA Unisinos analisou as dez dimensões propostas nos instrumentos de avaliação institucional do SINAES a seguir: Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional, Ensino, Pesquisa e Extensão, Responsabilidade Social, Comunicação com a Sociedade, Políticas de Pessoal e Carreiras, Organização e Gestão Institucional, Infraestrutura Física, Planejamento e Autoavaliação Institucional, Atendimento aos Estudantes e Sustentabilidade Financeira. Também examinou e verificou o cumprimento dos dispositivos legais, tais como condições de acesso para portadores de necessidades especiais, titulação do corpo docente, regime de trabalho do corpo docente e Plano de Carreira Docente e Plano de Cargos e Salários. Com a adesão da Unisinos ao Sistema RSU-AUSJAL 1, em 2010, a Universidade reafirmou os objetivos que fundamentaram a formulação daquele Sistema e assumiu o compromisso de acompanhar os impactos produzidos no desenvolvimento do ensino e da pesquisa, por meio de seus programas e projetos de intervenção social e de preservação ambiental. A adesão ao Sistema RSU-AUSJAL compreendeu a integração com o processo de autoavaliação, trazendo novas perspectivas e indicadores e oferecendo à CPA um instrumento para facilitar a avaliação interna. Em 2014, o Sistema fez sua segunda coleta de percepção e de informações de toda a rede, e os principais resultados, a partir das ênfases prioritárias de responsabilidade social da Unisinos, são apresentadas na dimensão Responsabilidade Social. O presente relatório é composto de dez capítulos, correspondentes às dimensões avaliadas. O exame de cada dimensão considerou as características e resultados dos processos, projetos e iniciativas implementados na Universidade em 2014, conforme previsto no PDI Unisinos, a análise da CPA Unisinos, bem como as evidências de fatos, dados e resultados relacionados às dimensões. Esse exame resultou no destaque de referenciais de qualidade ou pontos reveladores de boas práticas, bem como no registro de oportunidades de melhoria, apresentadas na forma de sugestões à Universidade. 1 AUSJAL: Associação das Universidades confiadas à Companhia de Jesus na América Latina 8

9 A CPA Unisinos crê que esse Relatório de Autoavaliação Institucional mais uma vez traduz o esforço coletivo para identificar aspectos relevantes para a revisão do Plano de Desenvolvimento Institucional da Universidade. 9

10 DIMENSÃO 1: MISSÃO E PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL A análise dessa dimensão foi orientada pelos indicadores: Implementação do PDI e Articulação entre PDI e Avaliação Institucional, conforme a proposta do SINAES. Os indicadores relacionados a essa dimensão foram examinados, tendo em vista as metas estabelecidas para os projetos estratégicos institucionais, as ações implementadas, a estrutura disponibilizada para sua execução e os procedimentos administrativos empregados para garantir um processo articulado de gestão do PDI. 1.1 IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A Implementação do PDI foi avaliada considerando-se as metas, as ações e iniciativas planejadas e executadas, a estrutura e os procedimentos administrativos, a efetividade dos resultados e do desdobramento de planos e projetos nos diversos órgãos e funções, bem como os sistemas de administração e de gestão de produtos e serviços da Universidade no ano de O documento Missão e Perspectiva Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Unisinos , que incorpora a revisão do Planejamento Estratégico da Universidade, iniciado no ano de 2010: Expressa o posicionamento da Universidade perante os desafios que lhe são postos pela nova ordem social, instituída pelas transformações ocorridas nos campos do conhecimento e da informação, e inicia o ciclo de três quadriênios ( , , ), que encadeará o PDI da UNISINOS em sua processualidade e temporalidade rumo à trajetória da UNISINOS ao ano de O posicionamento da Universidade, diante dos desafios por ela identificados, impelem-na a reafirmar seus fundamentos, valores e compromissos e a mover-se, de modo inteligente e produtivo, no sentido de dar continuidade ao esforço de participar da construção de uma sociedade social, ambiental e economicamente sustentável (PDI , p5). A Perspectiva de Desenvolvimento e Expansão compreende o conjunto das políticas acadêmicas e de gestão institucional, concebidas e formuladas em articulação com o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES e com o Sistema de Autoavaliação da Responsabilidade Social Universitária RSU AUSJAL, que expressam as orientações para guiar as ações e as decisões dos processos de planejamento. A revisão do Mapa Estratégico da Universidade busca traduzir e comunicar os grandes objetivos da Unisinos, estabelecidos a partir de sua Missão, que expressa o compromisso da Universidade de promover a formação integral da pessoa humana e sua capacitação ao exercício profissional, mediante a produção do conhecimento, o aprendizado contínuo e a atuação solidária, para o desenvolvimento da sociedade. Os direcionadores estratégicos, que pautam as ações e os projetos da Universidade, são reafirmados. Definem-se as cinco grandes trilhas, que devem ser vistas como o caminho para obter o reconhecimento internacional como centro de excelência em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias inovadoras. Os projetos propostos e priorizados para o quadriênio consideram 10

11 essas trilhas como caminhos a serem seguidos de forma articulada para o atingimento da Visão, a ser alcançada no ano de 2025: ser uma Universidade Global de Pesquisa. São elas: a excelência acadêmica; a responsabilidade social universitária; o crescimento e a sustentabilidade econômico-financeira; a pesquisa, inovação e tecnologia e a Internacionalização. Nessa perspectiva, foi realizado o planejamento de novos cursos e programas para cada um dos anos de vigência do PDI e a perspectiva econômicofinanceira para o período. Os projetos priorizados e para 2014, bem como status de desenvolvimento estão relacionados no Quadro Quadro 1.1.1: Projetos Estratégicos Institucionais Trilha Projeto Responsável Status Excelência Acadêmica Busca contínua de excelência nos PPGs (Capes +1). UAPPG e Escolas permanente Consolidação dos Mestrados Profissionais dentro das diretrizes de excelência e sustentabilidade econômica. UAPPG e Escolas permanente Excelência acadêmica: seguir qualificando os cursos de graduação na Universidade, com vistas à percepção de sua excelência, respaldada pelas avaliações internas e externas, por parte de alunos, professores, funcionários e comunidade. UAGRAD e Escolas permanente Professor e tutor, parceiro estratégico: Garantir a gestão estratégica do corpo docente, com foco na sua retenção e qualificação constante. UAGRAD iniciado 2014 Implantação do Plano Diretor multi campi. UAAIS previsto 2015 Projeto Biblioteca São Leopoldo. UAAIS realizado Revitalização da Infraestrutura Civil/Elétrica/Hidrossanitária do Campus São Leopoldo. UAAIS em andamento Programa de captação, desenvolvimento e retenção de pessoas. UAFGP permanente 11

12 Trilha Projeto Responsável Status 2014 Inovação, tecnologia e práticas pedagógicas significativas: ampliar a discussão e o estímulo a práticas pedagógicas que gerem experiências significativas para alunos e professores, com especial atenção aos desafios lançados pelas tecnologias da informação, visando, entre outros aspectos, à atualização progressiva dos ambientes de ensino e aprendizagem. UAGRAD em andamento 2. Responsabilidade Social Universitária Fortalecimento institucional da Responsabilidade Social Universitária: institucionalização do sistema de autoavaliação em rede com outras universidades da Ausjal e consolidação da incidência dessa proposta nos processos de formação e de gestão interna. Homólogo da Rsu, Unidades e Controladoria Acadêmica em andamento Consolidação de mecanismos e processos para uma sinergia institucional focada nas políticas de busca da superação da pobreza, da educação das relações étnicoraciais e do cuidado com o meio ambiente. Homólogo da Rsu, Unidades, Comitê das ênfases sociais e Ccias em andamento 3. Crescimento e Sustentabilidade Econômicofinanceira Expansão e excelência da EaD: posicionar a Unisinos como referência em graduação a distância do Brasil. Medicina: Implantar o curso de Medicina na Unisinos, em parceria com o Grupo Hospitalar Mãe de Deus. UAGRAD UAGRAD e Escola de Saúde permanente em avaliação no MEC Unisinos Porto Alegre: consolidar a expansão da Unisinos em Porto Alegre. UAGRAD em andamento Redução da evasão: Reduzir a evasão nos cursos de graduação da instituição, tanto presenciais quanto a distância. UAGRAD em andamento Reestruturação do modelo de gestão de projetos Unisinos. UAPPG em andamento Implantação do Instituto UAPPG e Escola de Saúde em andamento 12

13 Trilha Projeto Responsável Status 2014 Tecnológico de Doenças Crônicas. Implantação do Instituto Tecnológico de Doenças Crônicas. UAPPG e Escola de Saúde em andamento Consolidação do Sistema Unisinos de PD&I. UAPPG e Escolas permanente Acreditação internacional da Escola de Gestão e Negócios. UNRI e Escola de Gestão e Negócios em andamento 5. Internacionalização World Class University rankings: conceito, metodologia e monitoramento de indicadores e rankings. UNRI e Controladoria Acadêmica em andamento Estruturar os programas de mobilidade acadêmica da Unisinos. UNRI e Escolas em andamento Fonte: PDI Unisinos No o âmbito da graduação, as metas estabelecidas para o projeto da Unidade Acadêmica de Graduação (UAGRAD) de seguir qualificando os cursos de graduação na Universidade, com vistas à percepção de sua excelência, respaldada pelas avaliações internas e externas, por parte de alunos, professores, funcionários e comunidade, incluem os resultados de outros projetos setoriais. Nessa perspectiva, as percepções dos públicos internos e os indicadores do SINAES (ENADE, CC, CPC), bem como outros indicadores estabelecidos pelos rankings nacionais e internacionais, incluem os projetos da UAGRAD, referentes às demais Trilhas. Destaca-se que os resultados das avaliações externas, publicados pelo INEP em 2014, mostram um crescimento nos conceitos da graduação em relação aos anos anteriores. Se considerada a parcela do IGC, correspondente à graduação (G), a Unisinos permanece na primeira posição entre as universidades privadas do Brasil, reafirmando o resultado já alcançado em Pela análise dos indicadores, apresentados na Dimensão 2 e na Dimensão 8, as metas estabelecidas pela Unidade para o ano de 2014 foram atingidas. Em relação à expansão da oferta dos cursos EaD, com previsão de ampliação de quatro Polos de apoio presencial, nas cidades de Bento Gonçalves, Rio Grande, Taquara e Campo Bom, em 2014, os projetos e a infraestrutura foram aprovados internamente, e a solicitação de credenciamento foi encaminhada ao MEC e aguarda as visitas de avaliação in loco. A análise dos indicadores de qualidade dos cursos nessa modalidade, tanto na avaliação externa quanto na autoavaliação, apresentam resultados muito positivos, que demonstram que o cuidado da Universidade em ampliar a oferta de forma moderada foi acertado. No que se refere à expansão da oferta dos cursos presenciais em Porto Alegre, embora com atraso em relação ao planejado no PDI anterior, o curso de Psicologia em Porto Alegre iniciou seu funcionamento no segundo semestre de O bacharelado em Direito, previsto para ser oferecido 13

14 em 2012, foi avaliado in loco, em 2011, obtendo nota cinco nas três dimensões, e a Universidade continua aguardando a homologação e emissão da Portaria de autorização pela SERES para iniciar a oferta do curso. No âmbito da pós-graduação stricto sensu e pesquisa, o principal projeto da Unidade de Pesquisa e Pós-Graduação (UAPPG), na Trilha da Excelência Acadêmica, é a busca contínua de excelência nos PPGs (Capes+1). O acompanhamento desse projeto é feito pelo monitoramento de alguns indicadores utilizados pela CAPES, que estão apresentados na Dimensão 2. Em 2013, ano de divulgação do fechamento do último triênio, pode-se observar um incremento significativo nas notas de doze Programas da Unisinos, com destaque para o PPG em Educação, que atingiu nota máxima (sete) na avaliação realizada. Em relação ao Projeto Consolidação dos Mestrados Profissionais, conforme previsto no PDI, em 2014 foi efetivada a oferta do mestrado profissional em Arquitetura e aprovado, no segundo semestre do ano, o Mestrado Profissional em Direito, com previsão de início das atividades em Na implementação de novos doutorados, conforme previsto no PDI , foi elaborado o projeto para implantação do doutorado em Computação Aplicada, que se encontra em processo de avaliação pela CAPES. Além desses, dando continuidade ao processo de implementação de projetos para atendimento de novas demandas para formação de mestres e doutores em regiões menos favorecidas, em 2014, foram oferecidos os Doutorados Insterinstitucionais em Administração, com a UNEMAT, em Cáceres/MT, e em Direito, com a FURB, em Blumenau/SC. Na perspectiva de fortalecer o desenvolvimento de projetos de P&D com Empresas, em 2014 houve um incremento significativo no número de projetos submetidos e aprovados. Além dos projetos em andamento nos anos anteriores, em 2014 foram aprovados 64 projetos e mais 23 foram submetidos e estão aguardando resposta. Os dados e informações e as evidências das iniciativas relacionadas aos projetos listados no Quadro 1.1.1, bem como dos projetos setoriais relacionados a esses, estão descritos na Dimensão 2: Ensino, Pesquisa e Extensão, e os de Extensão com foco na intervenção social estão descritos na Dimensão 3: Responsabilidade Social. Pela análise dos cronogramas de implantação desses projetos, dos indicadores utilizados pelas Unidades e respectivas comparações com as metas associadas, constata-se que os projetos previstos para o ano de 2014 estão sendo implementados, contribuindo, assim, para a consecução dos objetivos priorizados pela UNISINOS. Há de se considerar que 2014 foi o primeiro ano de vigência do atual PDI e que a CPA, a partir de um processo de discussão sobre a pertinência de revisão do instrumento de pesquisa sobre a avaliação institucional, decidiu postergar para 2015 a pesquisa de percepção da comunidade sobre a articulação das ações do PDI com a Missão da Universidade. 14

15 1.2 ARTICULAÇÃO ENTRE PDI E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A análise do indicador Articulação entre PDI e Avaliação Institucional examinou o quanto, e de que forma, o uso dos resultados de processos de autoavaliação e os pareceres de avaliações externas subsidiaram a construção do PDI , destacando evidências de ações acadêmicas e administrativas consequentes aos processos avaliativos. Os resultados dos processos internos de avaliação implementados na Universidade geram impactos na gestão dos processos estratégicos e operacionais. A autoavaliação institucional e as avaliações externas (pareceres dos avaliadores in loco em processos de autorização e reconhecimento de Cursos), envolvendo resultados do Exame Nacional de Desempenho do Estudante (ENADE), o Índice Geral dos Cursos (IGC) e o Conceito Preliminar de cada um dos Cursos (CPC), geraram subsídios para as revisões de planos e projetos, aportando informações necessárias à melhoria das atividades acadêmicas e administrativas e produzindo novas bases para os processos decisórios e de desenvolvimento da Universidade. Podem ser citadas, como exemplos, as análises e recomendações de melhorias feitas pela Controladoria Acadêmica e Avaliação Institucional e CPA Unisinos a partir da análise dos Relatórios de avaliação, que são apresentadas aos gestores das áreas e órgãos responsáveis. Em 2014, foi desenvolvido um trabalho com objetivo de apresentar os resultados de avaliações externas e internas, destacando os pontos fortes e pontos que podem ser melhorados para o atingimento dos critérios de excelência. Ocorreram reuniões com o Comitê Gestor da unidade de Graduação, com os NDEs, coordenações e colegiados de cursos de graduação; com o colegiado do Programa de Pós-Graduação em Educação, com objetivo de discutir as ações e articulação do Programa com as licenciaturas da Universidade. Destaca-se, ainda, a apresentação feita ao Conselho Universitário, que abordou a articulação entre o PDI e a Avaliação Institucional, com destaque para o trabalho realizado pela CPA Unisinos. Além dos processos internos de avaliação para análise do atingimento dos objetivos e metas, também são considerados os relatórios de avaliações externas de Cursos de Graduação, emitidos após as visitas in loco. O detalhamento das informações relacionadas às pesquisas realizadas em 2014, que servem como evidências de subsídios aos processos decisórios e de desenvolvimento, estarão descritas em cada uma das dimensões. 1.3 ANÁLISE CRÍTICA DA DIMENSÃO MISSÃO E PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL No ano de 2014, com a aprovação do novo Estatuto da Universidade, a Controladoria Acadêmica e a Coordenadoria de Avaliação Institucional, órgãos de assessoramento da Reitoria, foram fundidos em um único órgão, que passou a ser chamado Controladoria Acadêmica e Avaliação Institucional (CAAI). A fusão dos dois órgãos permitiu maior integração no que se refere aos indicadores de avaliação internos e externos, bem como um acesso mais direto aos dados e informações acadêmicas da Universidade. Em decorrência dessa nova configuração e do PDI , a CPA-Unisinos, em conjunto com a CAAI, realizou uma análise sobre a avaliação necessária para o acompanhamento desse 15

16 novo PDI da Universidade, à luz da missão da Unisinos, e sobre a necessidade de atualização dos atuais instrumentos de autoavaliação. Esse trabalho exigiu um estudo mais aprofundado do PDI e de seu desdobramento em projetos, bem como melhor acompanhamento dos indicadores associados. A Análise crítica, a partir dessas análises, estão em cada uma das dimensões que compõem este documento. Destaca-se que, no entendimento da CPA, os projetos e ações proposta no PDI estão em sintonia com a Missão da Unisinos. A CPA destacou como pontos positivos em 2014: A maior visibilidade do PDI e sua integração com a Avaliação Institucional; A ampliação dos espaços para apresentação e discussão dos resultados das avaliações, por convite dos diferentes colegiados e órgãos da Universidade; Nos Encontros de Abertura de Semestre, a alta administração apresenta os indicadores relacionados ao PDI para a comunidade da Universidade; Maior alinhamento entre indicadores desenvolvidos pelas Unidades com o processo de autoavaliação. Oportunidades de melhoria: Necessidade de motivar os estudantes para compreenderem a importância dos processos de avaliação; Ampliar os canais de divulgação dos resultados de avaliação, buscando atingir os diferentes públicos da Universidade. 16

17 DIMENSÃO 2: POLÍTICAS DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO O desenvolvimento do Ensino, da A avaliação da dimensão Políticas de Ensino, Pesquisa e Extensão considerou o conjunto dos seguintes indicadores: coerência das políticas de ensino, pesquisa e extensão em relação aos documentos oficiais; políticas para o Ensino nos cursos de Graduação, nas modalidades presencial e a distância - EaD; políticas de Ensino para cursos e programas de Pósgraduação, lato sensu e stricto sensu e suas formas de operacionalização; políticas para a pesquisa e políticas de Extensão e suas formas de operacionalização, com ênfase na formação inicial e continuada ou na relevância social. 2.1 COERÊNCIA DAS POLÍTICAS DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO COM OS DOCUMENTOS OFICIAIS Pesquisa e da Extensão é orientado por políticas e diretrizes definidas que integram o Plano de Desenvolvimento Institucional [PDI] da Unisinos e Projeto Pedagógico Institucional (PPI). A gestão dessas finalidades é responsabilidade das Unidades Acadêmicas de Graduação, de Pesquisa e Pós-graduação e de Educação Continuada, contando com o apoio de Órgãos Suplementares e de Assessoramento, vinculados à Reitoria, de modo especial da Gerência de Ação Social, da Controladoria Acadêmica e Avaliação Institucional e da Procuradoria da Universidade. As regras de ação e de decisão relacionadas ao Ensino, à Pesquisa e à Extensão são coerentes e consistentes com as políticas definidas no PDI e no Projeto Pedagógico Institucional (PPI), e estão em consonância com o conjunto de normas estatutárias e regimentais da Universidade.. Em 2014 ocorreu a consolidação das Escolas, uma inovação em termos de estrutura acadêmica para responder às novas exigências de transversalidade, na superação das limitações da segmentação da estrutura acadêmica e como instrumentos complementares das Unidades Acadêmicas. As Escolas têm como finalidades facilitar a integração entre ensino, pesquisa e extensão, o desenvolvimento da inovação e a qualificação científica e acadêmica de cursos, programas e atividades de pesquisa e extensão, conferindo-lhes visibilidade e efetividade nos respectivos campos de conhecimento. Nesse contexto, a avaliação da coerência das políticas de ensino, pesquisa e extensão estarão expressas nos subitens que seguem, com a apresentação de evidências que destaquem a consolidação dessas políticas e, ao final, os aspectos com destaque positivo, assim como as oportunidades de melhoria. 2.2 POLÍTICAS INSTITUCIONAIS PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO, NAS MODALIDADES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA, E SUAS FORMAS DE OPERACIONALIZAÇÃO As políticas institucionais para os cursos de graduação (presencial e EaD) estão apoiadas na proposta pedagógica da Universidade, que destaca o compromisso Institucional com o desenvolvimento regional, a opção pela perspectiva transdisciplinar do conhecimento e o desenvolvimento de iniciativas identificadas com a educação continuada. 17

18 A Unisinos busca a excelência acadêmica e estimula o desenvolvimento da pesquisa aplicada de base tecnológica para contribuir com soluções para os problemas da sociedade. Para alinhar-se às propostas estratégicas do País para a área de Ciência e Tecnologia, participa do Programa Ciência Sem Fronteiras e estimula a formação para o empreendedorismo e a inovação nas ofertas das atividades acadêmicas de ensino, pesquisa e de extensão. Também em consonância com as políticas nacionais de inclusão social, aderiu ao Programa Universidade para Todos (ProUni), estabelecendo uma política própria de apoio aos bolsistas por meio da Gerência de Atenção ao Aluno e da Ação Social, apresentadas na Dimensão 3: Responsabilidade Social e Dimensão 9: Atendimentos aos Estudantes. Da mesma forma, na Dimensão 9, são apresentados os números dos intercâmbios e acolhimento dos alunos estrangeiros na Graduação. Houve, em 2014, a estruturação da Unidade de Negócios e Relações Internacionais (UNRI), ampliou o conjunto de iniciativas de internacionalização da Unisinos nos níveis de graduação, pósgraduação e extensão. Os resultados dessas iniciativas já podem ser percebidos em 2014 e deverão ser avaliados em 2015, quando a Unidade já estiver consolidada. Conforme previsto no PDI , a Universidade deu continuidade ao seu plano de ampliação da oferta de cursos de Graduação, diversificando-a. Nos cursos presenciais, houve ampliação da oferta em Porto Alegre com os cursos de Engenharia de Produção e Psicologia, e, no EaD, com os cursos tecnológicos de Processos Gerenciais e de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. No total, são 91 ofertas, sendo 64 em São Leopoldo, 14 em Porto Alegre e 13 na modalidade EaD. Em 2014, estavam matriculados nos cursos de graduação cerca de 26,5 mil alunos, sendo que em torno de alunos cursaram na modalidade EaD. A evolução do número de alunos matriculados na Graduação aparece no Gráfico Já o Gráfico apresenta a distribuição dos alunos nos diferentes graus acadêmicos em 2014/1. Gráfico 2.2.1: Evolução do número de alunos matriculados em cursos de Graduação oferecidos nas modalidades presencial e EaD , do primeiro semestre de cada ano /1 2011/1 2012/1 2013/1 2014/1 Presencial EaD Fonte: Controladoria Acadêmica e Avaliação Institucional 18

19 Gráfico 2.2.2: Quantidade de matrículas na graduação, por tipo de curso 2010 e Bacharelado Licenciatura Tecnológico Fonte: Controladoria Acadêmica e Avaliação Institucional Os gráficos demonstram o crescimento da graduação, com o aumento significativo do número de alunos nos cursos tecnólogicos e na modalidade EaD. Explica, ainda, a pequena diminuição nas licenciaturas, cuja parte da demanda migrou para cursos oferecidos na modalidade EaD. Alinhada ao crescimento dos cursosl, a formação alinhada às necessidades do mundo do trabalho é uma das orientações do PDI , que é evidenciada por inúmeras iniciativas da Universidade para apoiar o desenvolvimento dos currículo, tais como: acompanhamento de cenários e estudo de tendências que impactam no futuro do mundo do trabalho; estabelecimento de parcerias com o mundo corporativo; acompanhamento dos currículos dos cursos de Graduação a partir das análises dos resultados de avaliações, realizadas pelo NDE e Colegiados de Curso, ou por orientações gerais da própria Universidade. As atualizações curriculares dos Cursos são propostas considerando os resultados de processos de avaliação externas e internas, bem como a necessidade de acompanhar os avanços científicos e tecnológicos de onde emergem novas necessidades no mundo do trabalho. Como evidência desse processo de atualização curricular, em 2014 a Unisinos propôs: alterações em caracterizações do eixo Humanismo Social Cristão (HSC) para todos os cursos; ajustes curriculares do curso de Engenharia Civil; ajustes curriculares do curso de Relações Internacionais; ajustes em compartilhamentos dos cursos que possuem Atividade Acadêmica (AA) nas seguintes áreas: Inovação e Empreendedorismo, Matemática, Informática, Língua Portuguesa, Econômicas, relacionadas aos cursos tecnológicos e Estatística; criação de AA compartilhada com todos os cursos da Escola da Indústria Criativa; alteração no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos cursos de Enfermagem, Nutrição, Fisioterapia, Psicologia, Ciências Contábeis, Educação Física, Engenharia de Alimentos, Engenharia Mecânica, Ciências Biológicas. 19

20 Assim, cada Projeto Pedagógico contempla o processo de avaliação sistemática, que exige um contínuo acompanhamento dos resultados alcançados em cada curso de graduação, de forma a identificar oportunidades para aperfeiçoamento e garantir sustentabilidade e inovação permanentes. As evidências dessas políticas estão demonstradas na Dimensão 8: Planejamento e Avaliação Institucional. As diferentes pesquisas de avaliação são orientadas por várias coletas realizadas com alunos, observando indicadores de qualidade do ensino de Graduação e de Pós-graduação, com professores e corpo técnico-administrativo e também com egressos. As coletas que ocorrem semestralmente são a pesquisa para avaliação das Atividades Acadêmicas pelos alunos e a de Avaliação do curso, pelos alunos concluintes (formandos). Também há um panorama da evolução do número de alunos diplomados na Graduação na Dimensão 9: Atendimento aos Estudantes, que demonstra a solidez na efetiva formação na Graduação. Entre os processos de avaliação institucional, a avaliação de curso, feita pelos formandos, possui um indicador de satisfação geral. A evolução dos resultados correspondentes a esse indicador vem se mantendo estável [Gráfico 2.2.3], considerando a escala de 1 a 5. Gráfico 2.2.3: Evolução da satisfação geral com o curso manifestada pelos alunos formandos 5,00 4,80 4,60 4,40 4,20 4,14 4,06 4,08 4,06 4,09 4,07 4,19 4,16 4,09 4,20 4,00 3,80 3,60 3,40 3,20 3, /1 2010/2 2011/1 2011/2 2012/1 2012/2 2013/1 2013/2 2014/1 2014/2 Fonte: Controladoria Acadêmica e Avaliação Institucional 20

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DO RELATÓRIO 2012 RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO REALIZADA COM PROFESSORES, ALUNOS, FUNCIONÁRIOS E GESTORES MARÇO

Leia mais

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015

SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 SEMINÁRIO DE GRADUAÇÃO ENADE 2015 ROTEIRO SINAES Princípios e concepções Os Ciclos Avaliativos do Enade e os Indicadores de Qualidade Enade 2015 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO SINAES Responsabilidade : responsabilidade

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Faculdades Nordeste S/A UF: CE ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nordeste, com sede no Município de Fortaleza,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Escola Superior de Propaganda e Marketing UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Escola Superior de Propaganda

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS

FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS FACULDADE DE ENGENHARIA DE MINAS GERAIS FEAMIG PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS Fevereiro 2011 PLANO DE MELHORIAS ACADÊMICAS DA FEAMIG Introdução Desde o final do ano de 2007 e o início de 2008, a FEAMIG

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Grupo Nobre de Ensino Ltda. UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Nobre de Feira de Santana, a ser instalada

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Serviço Nacional de Aprendizagem UF: BA Departamento Regional da Bahia SENAI-DR/BA ASSUNTO: Recredenciamento da

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Osvaldo Casares Pinto Pró-Reitor Des. Institucional José Eli S. Santos Diretor Dep. Planej. Estratégico junho de 2015 Plano de Desenvolvimento Institucional

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos:

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: Referência atual: Decreto 5.773, 9 de maio de 2006. Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: I-missão, objetivos e metas da instituição, em sua

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Ensino Superior de Ibaiti UF: PR ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação, Administração

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE UNIÃO A avaliação institucional tem sido objeto de discussões na Faculdade Educacional de Ponta Grossa - Faculdade União e sempre foi reconhecida como um instrumento

Leia mais

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - UniEVANGÉLICA 2013, 2014 E 2015

PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - UniEVANGÉLICA 2013, 2014 E 2015 PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - UniEVANGÉLICA 2013, 2014 E 2015 1 VII SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL PROJETO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2013, 2014 E 2015 14 de maio de 2013 INTRODUÇÃO O projeto

Leia mais

Relatório de Autoavaliação

Relatório de Autoavaliação Relatório de Autoavaliação O CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO ESTÁCIO UNIRADIAL é uma Instituição Privada de Ensino Superior com fins lucrativos, situada no Município de São Paulo, Estado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 33. Portaria n 708, publicada no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 32. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 0/5/2012, Seção 1, Pág.. Portaria n 712, publicada no D.O.U. de 0/5/2012, Seção 1, Pág. 2. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 668, publicada no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 18. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior CONAES Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI

ANEXO III. Cronograma detalhado do PROAVI ANEXO III Cronograma detalhado do PROAVI 65 PROGRAMA DE AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA PUC-CAMPINAS CRONOGRAMA COMPLEMENTAR DETALHANDO AS ATIVIDADES E AS AÇÕES DE DIVULGAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA I n s t r u m e n to

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA I n s t r u m e n to MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação da Educação Superior SISTEMA NACIONAL

Leia mais

As políticas de avaliação da educação superior

As políticas de avaliação da educação superior VI FÓRUM DA EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DE GOIÁS: A AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR COMO INDUTORA DE QUALIDADE As políticas de avaliação da educação superior Abril 2015 Panorama da educação superior no

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 14/5/2011, Seção 1, Pág.147. Portaria n 545, publicada no D.O.U. de 14/5/2012, Seção 1, Pág.147. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Março de 2015 SISTEMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A avaliação é entendida pela Faculdade Única de Ipatinga como um processo

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Antônio Vieira UF: RS ASSUNTO: Recredenciamento da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, com sede no

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Santa Marcelina UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Santa Marcelina (FASM), com sede no Município

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: CENECT Centro Integrado de Educação, Ciência e UF: PR Tecnologia S/C Ltda. ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração

Cursos de Administração: qualidade necessária. XIV Fórum Internacional de Administração Cursos de Administração: qualidade necessária XIV Fórum Internacional de Administração Rio de Janeiro, 18 de maio de 2015 ENSINAR, APRENDER, AVALIAR... TRAJETÓRIA DA AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO SUPERIOR CAPES avaliação

Leia mais

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração

Universidade de Brasília Sistema de Planejamento Institucional Secretaria de Planejamento Decanato de Administração Anexo T Projetos Estratégicos Institucionais 1 Projetos Estratégicos da UnB 1 O processo de modernização da gestão universitária contempla projetos estratégicos relacionados à reestruturação organizacional

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixa Contínuo 2007 3 256 2008 3 252 2009 3 200

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES. IGC Faixa Contínuo 2007 3 256 2008 3 252 2009 3 200 PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 11/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 529, publicada no D.O.U. de 11/5/2012, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Cristã de Moços de Sorocaba UF: SP ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Educação Física da Associação

Leia mais

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013

FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 FACULDADE SETE LAGOAS - FACSETE COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO / CPA RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DA CPA NO ANO DE 2013 Sete Lagoas Março de 2014 Sumário 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO... 4 1.1. Composição da Comissão

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/5/2012, Seção 1, Pág. 2. Portaria n 62, publicada no D.O.U. de 18/5/2012, Seção 1, Pág. 23. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011

PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL De acordo com o Decreto 5.773/2006 PERÍODO - 2012-2015 Resolução COP Nº 113/2011, de 08/12/2011 PLANO DE AÇÃO 2012 Resolução COP Nº. 114/2011 de 08/12/2011 Lucas

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Escola de Enfermagem Nova Esperança Ltda. UF: PB ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade de Enfermagem Nova Esperança,

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância 1

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância 1 Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior SCS Quadra 07 Bloco "A" Sala 526 - Ed. Torre do Pátio Brasil Shopping 70.307-901 - Brasília/DF Tel.: (61) 3322-3252 Fax: (61) 3224-4933 E-Mail:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE

PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE PROGRAMA DE APOIO E APERFEIÇOAMENTO PEDAGÓGICO AO DOCENTE DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE - MT 2011 Apresentação Articulado com o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (2011-2015)

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO

PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO Os objetivos desse Plano de Gestão estão pautados na missão da Faculdade de Ciências Farmacêuticas como escola pública de excelência, que tem suas atividades

Leia mais

LIVRO DE REGISTRO CONSUN. Procedência Assunto Comissão Parecer Data Sessão

LIVRO DE REGISTRO CONSUN. Procedência Assunto Comissão Parecer Data Sessão LIVRO DE REGISTRO CONSUN 001-2010 10/05/2010 VRA Regulamento Interno do Conselho Universitário CONSUN 002-2010 10/05/2010 VRA Edital Seletivo UnC/2009-20, aprovado ad 096/2009 003-2010 10/05/2010 VRA Edital

Leia mais

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso.

N de cursos ofertados; % de vagas ocupadas/ formas de ingresso. Anexo II Dimensões Elementos Indicadores quantitativos Indicadores qualitativos % de cursos com projeto pedagógico/ adequados ao Projeto Condições de implementação dos Projetos Projeto Pedagógico dos Institucional

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 33. Portaria n 707, publicada no D.O.U. de 30/5/2012, Seção 1, Pág. 32. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Universitária e Cultural da Bahia UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Universidade Católica do Salvador,

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior Daes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1

Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 Regulação, supervisão e avaliação do Ensino Superior: Perguntas Frequentes. 1 1. Quais são os tipos de instituições de ensino superior? De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de ensino

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES (Lei 10.681/2004) tem o propósito de promover a melhoria da educação superior no Brasil....assegurar

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Fundação de Ensino e Tecnologia de Alfenas (FETA) UF: MG ASSUNTO: Recredenciamento da Universidade José do Rosário

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 6/8/2014, Seção 1, Pág. 11. Portaria n 672, publicada no D.O.U. de 6/8/2014, Seção 1, Pág.11. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE

Leia mais

Luiz Roberto Liza Curi. Sociólogo / Doutor em Economia. Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com

Luiz Roberto Liza Curi. Sociólogo / Doutor em Economia. Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com Luiz Roberto Liza Curi Sociólogo / Doutor em Economia Conselheiro Conselho Nacional de Educação - CNE incolarum@hotmail.com 1 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/96 Art. 8 A União, os Estados

Leia mais

Estrutura para elaboração do PDI

Estrutura para elaboração do PDI Estrutura para elaboração do PDI NOTA 1 - Orientações para elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional PDI O Plano de Desenvolvimento Institucional PDI consiste num documento em que se definem

Leia mais

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção XX Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Engenharia da Produção (ABEPRO) Rio de Janeiro,

Leia mais

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI

Anexo 1 - Resolução 016/2011 - CONSUN. Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 13 I ENSINO DE GRADUAÇÃO Objetivo 1 - Buscar continuamente a excelência nos cursos de graduação 1. Avaliar continuamente o processo educativo, em consonância

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Cruzada Maranata de Evangelização UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Batista Brasileira, com sede no

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Administração UF: SP Regional de São Paulo ASSUNTO: Recredenciamento

Leia mais

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS DE CASCAVEL QUADRIÊNIO 2012-2015 Cascavel set/2011. APRESENTAÇÃO Nasci em Umuarama/PR em 31/07/1973. Sou técnico em Contabilidade pelo

Leia mais

SINAES. Diretoria de Avaliação da Educação Superior. Coordenação Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

SINAES. Diretoria de Avaliação da Educação Superior. Coordenação Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES O Sistema Nacional da Avaliação da Educação Superior SINAES Diretoria de Avaliação da Educação Superior Coordenação Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Histórico A Avaliação da Educação Superior

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt**

AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC. Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** AUTOAVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UNISC Ana Karin Nunes* Rosângela Gabriel** Christian Ricardo Rohr* Maria Elisa Baumhardt** * Assessoria de Avaliação Institucional da Universidade de Santa

Leia mais

lato sensu na modalidade de educação a

lato sensu na modalidade de educação a DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 122/2011 Regulamenta os Cursos de Pós-graduação lato sensu na modalidade de educação a distância (EAD) na Universidade de Taubaté. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

O ordenamento da Pós- Graduação no Brasil: possibilidades para os IFET

O ordenamento da Pós- Graduação no Brasil: possibilidades para os IFET CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Câmara de Educação Superior O ordenamento da Pós- Graduação no Brasil: possibilidades para os IFET IFET-RS Bento Gonçalves (RS), 15 de junho de 2009 Maria Beatriz Luce Conselheira

Leia mais

POR DENTRO DO ENADE CURSO DE CAPACITAÇÃO 2014. Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG

POR DENTRO DO ENADE CURSO DE CAPACITAÇÃO 2014. Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG POR DENTRO DO ENADE CURSO DE CAPACITAÇÃO 2014 Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG Avaliação Institucional Processos de avaliação institucional Interna Relatórios da CPA Externa

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO COLEGIADO: CES AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: MEC/Universidade Federal de Santa Catarina UF: SC ASSUNTO: Recredenciamento da Universidade Federal de Santa Catarina,

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III

MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III SIC 38/10* Belo Horizonte, 3 de dezembro de 2010. MEC. INEP. INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO. REVISÃO - III O MEC publicou a Portaria nº 1326, de 18/11/2010 (ver íntegra do texto abaixo). É preciso ser mágico

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/2

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/2 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/2 1. Abertura O Coordenador do PROUNI, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 3/10/2011, Seção 1, Pág. 9. Portaria n 1380, publicada no D.O.U. de 3/10/2011, Seção 1, Pág. 8. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/5/2012, Seção 1, Pág. 24. Portaria n 625, publicada no D.O.U. de 18/5/2012, Seção 1, Pág. 2. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/1

PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/1 PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS PROUNI EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA TRANSFERÊNCIAS DE CURSO COM BOLSA PROUNI 2015/1 1. Abertura O Coordenador do PROUNI, da Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS,

Leia mais

Documento de Referência

Documento de Referência P r ó - R e i t o r i a d e D e s e n v o l v i m e n t o I n s t i t u c i o n a l - I F A M 1 Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO FIAM-FAAM CENTRO UNIVERSITÁRIO

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO FIAM-FAAM CENTRO UNIVERSITÁRIO PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO FIAM-FAAM CENTRO UNIVERSITÁRIO Relatório Final de Autoavaliação Institucional 2014 Comissão Permanente de Avaliação CPA. A publicação desta síntese do Relatório

Leia mais

Definir a estrutura e o conteúdo pertinente ao Relato Institucional (RI); Apresentar as especificidades do Relato Institucional;

Definir a estrutura e o conteúdo pertinente ao Relato Institucional (RI); Apresentar as especificidades do Relato Institucional; MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA INEP COMISSÃO NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CONAES DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior CAPA 1 República Federativa do Brasil Ministério da Educação Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B

U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B U N I V E R S I D A D E C A T Ó L I C A D E B R AS Í L I A P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E P E S Q U I S A P R PG P/ U C B REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO

Leia mais