Texto integral XIX Encontro Regional ANPUH São Paulo Prof. Dr. Sebastião Vargas Laboratório de Estudos da Intolerância (LEI/FFLCH/USP)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Texto integral XIX Encontro Regional ANPUH São Paulo Prof. Dr. Sebastião Vargas Laboratório de Estudos da Intolerância (LEI/FFLCH/USP)"

Transcrição

1 Texto integral XIX Encontro Regional ANPUH São Paulo Prof. Dr. Sebastião Vargas Laboratório de Estudos da Intolerância (LEI/FFLCH/USP) Seminário temático n. 36 Movimentos de protestos, justiça e direitos humanos Religiosidade e mística no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e no Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) Esta energia que nos anima para seguir em frente é que chamamos de mistério ou de mística. Sempre que algo se move em direção a um ser humano para torná-lo mais humano aí está se manifestando a mística. Ademar Bogo O mistério é uma força ou uma virtude oculta, que não nos obedece e que não sabemos a que hora e como vai manifestar-se. Octavio Paz Plínio de Arruda Sampaio é um dos que reconhecem a importância da mística para os movimentos camponeses. Ele se questiona: o que move o MST para realizar esse ciclópico trabalho? Tudo se resume em uma palavra: mística. 1 Para ele, a mística do MST tem raízes no tradicional milenarismo camponês, uma espécie de utopia recorrente que tem contribuído para o levante de massas camponesas, através dos tempos, para lutar por um mundo mais justo e em harmonia com a natureza. Em todas estas lutas nota-se o inconformismo do homem do campo com o advento de um mundo que ele não compreende e que destrói o seu modo de vida (por vezes, idealizando o passado como uma Idade de Ouro). Em muitas destas manifestações resplandece a fé nas grandes transformações, no homem novo, no mundo regido pela consciência social. É esta mística que questiona uma 1 SAMPAIO, Plínio de Arruda. A mística. Disponível em: Acesso em 08/11/2006.

2 humanidade domesticada e aviltada pela submissão a uma ordem capitalista desumanizadora, contudo aceita como inelutável. 2 Plínio considera que a base da mística do MST provêm da cultura tradicional da população rural do Brasil. Desta cultura móvel e dinâmica, o movimento alicerça sua fé na possibilidade de mudança e extrai os valores, os sentimentos e as intuições que alimentam sua mística. Deste modo, a mescla de três elementos o milenarismo camponês (identificado como um elemento da cultura tradicional do homem do campo); a fé cristã na vida eterna; e a esperança socialista de construir aqui na terra uma sociedade igualitária e democrática deu como resultado a mística do MST. 3 Pode-se afirmar que o EZLN também possui uma mística muito forte, embora menos oficializada enquanto atividade do grupo, que se alicerça também na cultura tradicional das populações indígenas de Chiapas, somando-se a esse alicerce duas vertentes: a cristã e a revolucionária-guerrilheira. O sociólogo Héctor Luis Saint-Pierre evoca o sociólogo Florestan Fernandes para analisar o espírito da guerrilha, cujo símbolo e amplificador mais notável se condensa na figura do Che Guevara. Segundo Saint-Pierre: Florestan Fernandes coloca o espírito da guerrilha para a revolução em uma relação análoga à que tem a greve geral para o socialismo em Sorel, isto é, a função do mito. [...] O mito propagou-se pela América Latina como o fogo em palha seca, despertando a vocação combativa e paixão revolucionária da juventude por meio do voluntarismo. O mito teve um efeito mobilizador tão forte, e o comprometimento da militância conseguido por ele foi tão eficaz, que muitas considerações estratégicas sobre a revolução foram postergadas pelo mito da invencibilidade guerrilheira, as análises conjunturais foram atropeladas pelas palavras de ordem, e a práxis revolucionária foi substituída pelo tarefismo combativo. 4 De fato, o EZLN veio revitalizar um certo espírito ou mística guerrilheira que foi muito intenso em momentos das décadas de sessenta e setenta, mas que muitos consideravam encerrado. 2 Idem. ibidem. 3 Mais uma vez Plínio se pergunta: O que são as FARCs, o EZLN e o MST senão demonstrações patentes de que o milenarismo agrário é altamente significativo em sociedades basicamente agrárias? Idem. Ibidem. 4 SAINT-PIERRE, Héctor Luis. A política armada. Fundamentos da guerra revolucionária. São Paulo, Editora UNESP, 2000, 178.

3 O signo da mística Leonardo Boff que, juntamente com Frei Betto, é um dos raros a tentar teorizar sobre a mística escreve que: Mística significa, então, o conjunto de convicções profundas, as visões grandiosas e as paixões fortes que mobilizam pessoas e movimentos na vontade de mudanças, inspiram práticas capazes de afrontar quaisquer dificuldades ou sustentam a esperança face aos fracassos históricos. [...] Nisto tudo vai uma mística que se recusa a aceitar a situação dada, uma mística geradora de energia orientada para a construção de um futuro melhor. [...] Não há militância sem paixão e mística, não importando a natureza da causa, seja religiosa, humanística ou política. 5 Classicamente misticismo pode ser definido como toda doutrina que admita a comunicação direta entre o homem e Deus. A prática mística consiste, essencialmente, em definir os graus progressivos da ascensão do homem até Deus, em ilustrar com metáforas o estado de êxtase e em procurar promover essa ascensão. O termo mística originalmente dizia respeito a uma forma superior de experiência, de natureza religiosa, ou religiosafilosófica, que se desenrola normalmente num plano transracional (não aquém, mas além da razão) e que mobiliza as mais poderosas energias psíquicas do indivíduo ou do coletivo. Certa vez eu ouvi a seguinte frase, numa entusiasmada discussão entre camponeses sem-terra: Você diz que só quando chegar sua hora você vai ver Deus Nosso Senhor e sua Luz. Menino, você é tolinho. Nunca você vai ver Ele, se já não O vê agora. De fato, essa é a definição que encontrei no Dicionário de Mística: Os místicos são os que atestam que Deus é visível já agora pela fé ou em visão. 6 A origem do termo remonta à antiguidade clássica. Os documentos mais antigos que registram o termo mysteria ( mistérios ) ao que parece pertenciam em larga medida ao culto em honra de Deméter e Perséfone, respectivamente mãe e filha, celebrado na cidade Ática de Elêusis, perto de Atenas. Esta última, a partir de certa época (século VI a.c.), 5 BETTO, Frei; BOFF, Leonardo. Mística e espiritualidade. 6.ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2005, pp BORRIELLO, L.; CARUANA, E.; Dicionário de mística. São Paulo: Edições Loyola, 2003, p. 706.

4 exerceu uma enorme influência sobre os mistérios locais, tornando-os assim, talvez os mais importantes cultos oficiais atenienses. A área semântica relativa a esse culto compreende também o adjetivo mystikos, o substantivo mystes e o verbo myeo, todos procedentes da raiz my, que já antigamente foi posta em relação com o verbo myo, fechar, usado também em sentido absoluto como equivalente de fechar a boca ou fechar os olhos. Assim, um antigo lexicógrafo diz que os mistérios foram assim chamados porque os que ouviam deviam fechar a boca e não explicar aquelas coisas a ninguém. 7 Henrique C. de Lima Vaz atenta para as dificuldades de natureza histórico-crítica, fenomenológica e filosófica de caracterização da estrutura iniciática dos cultos de mistério da tradição grega 8. O certo é que os cultos de mistério são uma das formas de vivência e expressão dos mitos transmitidos através da história religiosa e cultural da Grécia antiga. O célebre mistério Elêusis é particularmente interessante já que é uma espécie de paradigma de culto dos ciclos agrários, misto de parábola e relato histórico da semeadura e da seara que encontra analogias nos costumes relacionados com as colheitas em todo o mundo. Conta a lenda que a jovem Perséfone estava colhendo flores quando a terra se abriu e Plutão, senhor dos mortos e dos subterrâneos, seduzido e encantado com a beleza da deusa, a leva para ser sua noiva e rainha do sombrio mundo inferior. Inconformada com a perda da sua filha querida, Deméter, a deusa da fertilidade, proibiu todas as sementes de germinar na terra, mantendo-as ocultas no solo e jurou, num acesso de ira, não permitir que nenhum cereal brotasse até que sua filha lhe fosse devolvida. Desde então de nada adiantaram os trabalhos dos lavradores; a terra jazia nua e estéril e nada brotava do solo ressecado e poeirento. A humanidade teria perecido de fome e os próprios deuses teriam sido privados dos seus sacrifícios se Zeus, alarmado, não tivesse ordenado a seu irmão Plutão que libertasse sua presa e devolvesse Perséfone à sua mãe Deméter. O sombrio senhor dos mortos obedeceu, mas antes encantou sua adorada com uma romã mágica que 7 Idem. Ibidem, p Leonardo Boff considera que o mysterion em grego, que provem de múein, quer dizer perceber o caráter escondido, não comunicado de uma realidade ou de uma intenção. BETTO, Frei; BOFF, Leonardo. (2005). Op. cit. p. 33.

5 fazia com que, mesmo contra sua vontade, Perséfone retornasse a ele. Zeus teve que interferir novamente e determinou que a partir de então Perséfone passaria dois terços de cada ano com a mãe e os deuses, no mundo superior e um terço do ano junto ao seu marido no mundo subterrâneo, debaixo da terra. Com a satisfação de recuperar a filha perdida no reino dos mortos, Deméter fez com que os cereais brotassem novamente das terras aradas e toda a terra se encheu de folhas e flores novamente. Os antigos gregos, tal como diversos povos na história da humanidade, consideravam as mudanças das estações e particularmente o crescimento e a decadência anual da vegetação como episódios na vida dessas deusas, cuja morte e ressurreição celebravam com ritos dramáticos em que se alteravam lamentação e júbilo. James George Frazer explica que as deusas não somente representavam o cereal, como eram o cereal. Deméter, a mãe, é o cereal velho do ano que passou, e sua filha Perséfone, que retorna do mundo inferior a cada primavera, é o cereal novo, do presente ano. O camponês grego orava a Deméter, cheio de inquietação e pressentimentos, enquanto semeava e quando já havia feito a colheita pagava à deusa generosa com oferendas e rituais. Uma vez que a divindade é o cereal, Frazer conclui que, quando este é comido, isso é um sacramento, porque a divindade é comida assegurando a regeneração primaveril das plantas e o mistério da multiplicação da vida 9. Nesses mistérios, a idéia da semente enterrada no solo para renascer para uma vida superior sugere imediatamente uma comparação com o destino humano e fortalece a esperança de que, para o homem, também a sepultura possa ser o começo de uma existência melhor e mais feliz em um luminoso mundo desconhecido. Os antigos gregos consideravam a iniciação nesses mistérios como uma chave para a felicidade que espera os iniciados na outra vida. Uma das mais belas encenações místicas do MST foi realizada por ocasião das comemorações do aniversário de vinte anos do movimento em 2004, no assentamento Pirituba, em Itapeva, no estado de São Paulo. Na encenação, realizada por jovens do próprio assentamento, reconstituía-se vários episódios das lutas sociais brasileiras e a 8 VAZ, Henrique C. de Lima. Experiência mística e filosofia na tradição ocidental. São Paulo, Edições Loyola, 2000.

6 própria formação do atual povo brasileiro, com sua característica mistura de povos, culturas e tradições. A apresentação, muito bem formulada e ensaiada, ainda trazia músicas, cenário e figurantes que emocionaram o público que se apinhava na arquibancada improvisada. Só não esperávamos por um pequeno contra-tempo: num dado momento da apresentação, do lado de fora da imensa tenda onde se realizava o espetáculo, um caminhão acidentalmente arrancou a fiação, acabando com a eletricidade ambiente. O acidente foi minimizado pelo apresentador que propôs que se adiantassem as outras atividades, enquanto eram realizados os reparos necessários, que não durariam mais do que meia hora. Mais de uma hora e vários discursos depois, a mística pode recomeçar. O clima de espera e impaciência do público foi substituído quando se iniciou uma música que se misturava à leitura de textos que diziam: Em uma organização social, os que partem não morrem, porque nunca alcançam a curva da estrada do esquecimento; permanecem vivos na memória, nas idéias e no pedaço de existência política que construíram. Todos temos a sensação de fazer parte daquela constelação de estrelas abatidas, mas simbolicamente vivas. Precisamos lembrar delas para que mantenham seu brilho. Significando, então, que foram assassinadas, mas não morreram. Como disse Dom Pedro Casaldáliga: toda morte matada, toda a morte morrida, se for vida doada, não é morte, é vida. A partir de teste momento, para enorme espanto do público presente, começaram a surgir debaixo da terra, onde estava desenhado um enorme mapa do Brasil, pessoas que simbolizavam mártires da luta pela terra e personagens da história do país. A emoção tomou conta pela beleza do momento, mas também porque entendemos que aqueles jovens estavam ali, enterrados vivos, a pelo menos duas horas! Finda a apresentação fui conversar com alguns deles e perguntei como foi possível agüentar todo aquele tempo embaixo da terra fria (eles não podiam saber do atrasado causado pelo corte do fio de luz). Um jovem garoto me disse que: Nós já sabíamos que ia ser difícil. Mas era a representação de gente que morreu... Muito respeito. Quando começou a demorar demais, eu pensei comigo: vou ser ator de verdade! Vou realmente imaginar que estou morto. Lembrei também de Jesus Cristo e de umas musiquinhas que cantávamos: Bendito o Ressuscitado, 9 FRAZER, James George. O ramo de ouro. Rio de janeiro, Editora Guanabara, 1982, pp

7 Jesus vencedor ô, ô o pão partilhado, a presença que ele nos deixou deixou Bendita é a vida nascida de quem se arriscou ô, ô na luta pra ver triunfar neste mundo o amor! Ou outra que acho que se chama Terra-Mãe será o altar : Uma só será a mesa, terra-mãe será o altar. o sustento a natureza, em milagre vai nos dar! Depois ficou tudo tranqüilo para mim. 10 Este evento narrado acima é um dos inúmeros exemplos que indicam como a mística pode animar o vivido, fornecer legitimidade à luta e recolocar o passado no presente. O discurso sobre a experiência mística é altamente problemático e insuficiente, já que ela aponta para uma realidade transcendente e engendra energias que elevam o ser humano a formas de conhecimento e amor, consideradas pelos participantes, como superioras. 11 Em algum lugar entre as duas conotações - a clássica e a moderna - acho que repousa aquilo que podemos chamar de mística rebelde. A problemática definição de uma mística rebelde supõe a busca da energia da qual ela é constituída. A mística procede de pensamentos e sentimentos - movimentos do espírito ou da alma - sobre os quais não podemos evitar de refletir e que guiam toda uma existência, ética e princípios, pensamentos e ações. A vontade de descrever uma mística de esquerda supõe um desejo de captar 10 ANÔNIMO. Entrevista. Assentamento Pirituba, Itapeva, Hoje em dia, para infelicidade dos religiosos, o termo mística tem servido para determinar realidades mais prosaicas. Assim, cotidianamente vemos expressões como mística do futebol, mística do partido, mística do progresso, mística do carnaval, etc. A utilização moderna do termo para designar convicções e comportamentos ou atitudes, desprovidos de transcendência e circunscritos na realidade cotidiana (inclusive na política) é denunciada, por religiosos, como uma das maiores perversões espirituais que nossa civilização engendrou.

8 energias, ler e ver as forças em ação e acompanhar sua dinâmica, postura e atitude. Em sua obra, o filósofo francês Michel Onfray escreve sobre o gênio colérico da revolução. 12 Talvez seja essa uma das energias animadoras da mística rebelde, pois existe, subjacente dentro dessa tradição que, com algumas ressalvas poderíamos chamar de esquerda histórica, uma irrefragável cólera, uma revolta indivisível, inteira e impossível de se partir. O que a anima, faz seu movimento e justifica suas manifestações é esta cólera destinada a todos que se consolam com a fatalidade das misérias, das explorações e das servidões que são suscetíveis de serem, senão suprimidas, pelo menos atacadas. Quando se fala em mística logo imaginamos a participação do sobrenatural - deus, carma, entidades e espíritos no cotidiano humano. Sem dúvida a crença nesses elementos e na sua misteriosa atuação enseja a maior parte das práticas místicas, mesmo as de esquerda. Porém a crença no sobrenatural não é absolutamente indispensável para a mística. Diversos movimentos ateus, artísticos como o surrealismo, ou políticos como alguns comunismos, evidentemente possuíam sua mística própria. A História - ou no caso do surrealismo o Inconsciente - e não mais o sobrenatural, constituiria fonte de inspiração e fé místicas. A ideologia substituiria a especulação e a profecia, e a práxis revolucionária se tornaria verdadeira ascese. Emana do passado e, principalmente, da história inconclusa, da história das injustiças, das rebeliões, das tentativas, uma energia que faz a ligação com o tempo presente e que é o veículo de uma mística rebelde. Se examinássemos o rol de demandas históricas que constituiriam a identidade desta energia, encontraríamos uma recorrência imensa de vontades e ações que delimitariam essa mística ou tradição rebelde. Ou não era por liberdade, paz e justiça que lutaram e morreram os milhares de Espártacos e Zumbis? Não seria por terra que brigaram Tomás Münzer, Emiliano Zapata e Francisco Julião? Será que os ideais da Revolução Francesa já se realizaram plenamente? E as demandas da Comuna de Paris? Teto, saúde, alimentação, cultura, igualdade entre os gêneros e raças já 12 ONFRAY, Michel. A política do rebelde: tratado de resistência e insubmissão. Rio de Janeiro: Rocco, O historiador George Rudé fala em mística das barricadas como elemento essencial dos levantes populares de Paris em 1830 e RUDÉ, George. A multidão na história: estudo dos movimentos populares na França e na Inglaterra, Rio de Janeiro: Campus, 1991, p. 259.

9 são conquistas da humanidade? Também não; são aspirações que continuam a ecoar no decorrer dos tempos e sua voz é que alimenta a tal mística que tentamos definir. Walter Benjamin, sem dúvida um dos maiores pensadores dessa mística de esquerda, nos legou a imagem forte e aterradora do anjo da história, ou segundo alguns intérpretes, do anjo da revolução. É exatamente para este anjo (jamais esquecido dos excluídos, dos reprovados, dos sempre esquecidos - los de abajo - gente sem nome, história, terra ou importância para os poderosos) que se voltam as preces oriundas dessa mística, para que impulsione os fôlegos, solicite energias, engrosse os ventos para deles fazer tempestades, a única linguagem que os dominantes entendem... e temem BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. São Paulo, Editora Brasileira, 1987.

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Músicos, Ministros de Cura e Libertação

Músicos, Ministros de Cura e Libertação Músicos, Ministros de Cura e Libertação João Paulo Rodrigues Ferreira Introdução Caros irmãos e irmãs; escrevo para vocês não somente para passar instruções, mas também partilhar um pouco da minha experiência

Leia mais

A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO. Romanos 15:13

A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO. Romanos 15:13 A ESPERANÇA QUE VEM DO ALTO Romanos 15:13 - Ora o Deus de esperança vos encha de toda a alegria e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo. Só Deus pode nos dar uma

Leia mais

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus

A palavra APOCALIPSE vem do grego e significa REVELAÇÃO. O livro não revela o fim do mundo, mas trata-se de um livro sobre as revelações de Jesus - Oi, dona Jurema, como vai? - Tudo bem, e o senhor? - Dona Jurema, a senhora que lê a Bíblia, do que mais gosta? - Ah! Gosto do Apocalipse. O meu entendimento é fraco, mas, esse livro me traz conforto

Leia mais

10 Milhões de Estrelas

10 Milhões de Estrelas 10 Milhões de Estrelas Eles, revendo a estrela, alegraram-se imensamente. (Mt. 2, 9b-10) Mística e Espiritualidade As estrelas sempre estiveram presentes na espiritualidade dos povos e igrejas inspirados

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL SUGESTÃO DE CELEBRAÇÃO DE NATAL 2013 ADORAÇÃO Prelúdio HE 21 Dirigente: Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias e saudou

Leia mais

Naquela ocasião Jesus disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos

Naquela ocasião Jesus disse: Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos As coisas encobertas pertencem ao Senhor, ao nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre, para que sigamos todas as palavras desta lei. Deuteronômio 29.29 Naquela ocasião

Leia mais

Apocalipse. Contexto:

Apocalipse. Contexto: Apocalipse Contexto: Última década do Século I Imperador Domiciano Culto ao Imperador Perseguição imperial Igreja de mártires João é o último apóstolo vivo João, o último apóstolo vivo, exilado na ilha

Leia mais

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s...

U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... U m h o m e m q u e v i v e u c o m o e x e m p l o r e a l d e t u d o a q u i l o q u e t r a n s m i t i u e m s u a s m e n s a g e n s... Aqui não estão as mensagens mediúnicas, mas algumas palavras

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

CANTOS PARA O NATAL CANTO DE ENTRADA:

CANTOS PARA O NATAL CANTO DE ENTRADA: CANTO DE ENTRADA: CANTOS PARA O NATAL 01. PEQUENINO SE FEZ (SL 95): J.Thomaz Filho e Fr.Fabretti Pequenino se fez nosso irmão, Deus-conosco! Brilhou nova luz! Quem chorou venha ver que o Menino tem razão

Leia mais

Amor o fruto da maturidade

Amor o fruto da maturidade Amor o fruto da maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO I Coríntios 13.1-10 1 - Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. 2

Leia mais

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo

LEITURA ORANTE DA BÍBLIA. Um encontro com Deus vivo LEITURA ORANTE DA BÍBLIA Um encontro com Deus vivo A quem nós iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. (Jo 6,68) Recordando a história... A leitura orante da Palavra é uma tentativa de responder

Leia mais

Avaliação de: A Ressurreição de Lázaro Vol.- Sete- Valor: 10.0 Pontos-Data: / / Professor /a: Nota Aluno /a: Idade

Avaliação de: A Ressurreição de Lázaro Vol.- Sete- Valor: 10.0 Pontos-Data: / / Professor /a: Nota Aluno /a: Idade Avaliação de: A Ressurreição de Lázaro Vol.- Sete- Valor: 10.0 Pontos-Data: / / Professor /a: Nota Aluno /a: Idade Filhotinho leia atentamente as questões para que se saia bem! Deus te abençoe ricamente.

Leia mais

Rudolf Steiner. Londres, 2 de Maio de 1913

Rudolf Steiner. Londres, 2 de Maio de 1913 Rudolf Steiner Londres, 2 de Maio de 1913 O Mistério do Gólgota é o mais difícil de se compreender de todos os Mistérios, mesmo para aqueles que alcançaram um estágio avançado no conhecimento oculto. Entre

Leia mais

MITO. De MÝEIN se fez a palavra MÝSTES, iniciado nos mistérios, de onde derivou MYSTÉRION, doutrina secreta, arcano, culto secreto.

MITO. De MÝEIN se fez a palavra MÝSTES, iniciado nos mistérios, de onde derivou MYSTÉRION, doutrina secreta, arcano, culto secreto. MITO Mito vem do Grego MYTHÓS, que tinha um grande número de significados dentro de uma idéia básica: discurso, mensagem palavra, assunto, invenção, lenda, relato imaginário. Modernamente está fixada nestes

Leia mais

TRÊS VALORES ESPÍRITAS

TRÊS VALORES ESPÍRITAS TRÊS VALORES ESPÍRITAS 1 2 ENCONTROS E DESENCONTROS DE DOIS MUNDOS Dados internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Azevedo, Israel Belo de O espiritismo

Leia mais

Lição Oito. O Culto a Deus. Que É Culto? adoração da parte da pessoa que pensa acerca de Deus. O culto é a reação humana à glória,

Lição Oito. O Culto a Deus. Que É Culto? adoração da parte da pessoa que pensa acerca de Deus. O culto é a reação humana à glória, Livro 1 página 57 Lição Oito O Culto a Deus Que É Culto? O culto é o ato de reconhecer a Deus por quem Ele é. Inclui uma atitude de reverência, devoção e adoração da parte da pessoa que pensa acerca de

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

Páscoa do Senhor de 2015 Missa do Dia.

Páscoa do Senhor de 2015 Missa do Dia. Páscoa do Senhor de 2015 Missa do Dia. Caríssimos Irmãos e Irmãs: Assim que Maria Madalena vira o túmulo vazio, correu à Jerusalém atrás de Pedro e João. Tiraram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde

Leia mais

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações?

O Canto Litúrgico. Como escolher os cantos para nossas celebrações? O Canto Litúrgico Como escolher os cantos para nossas celebrações? O que é Liturgia? Liturgia é antes de tudo "serviço do povo", essa experiência é fruto de uma vivencia fraterna, ou seja, é o culto, é

Leia mais

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano.

As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império romano. Trabalho realizado por: Luís Bernardo nº 100 8ºC Gonçalo Baptista nº 275 8ºC Luís Guilherme nº 358 8ºC Miguel Joaquim nº 436 8ºC Índice; Introdução; As famílias no Antigo Egipto; As famílias no Império

Leia mais

www.encartedigitalmk.com.br Conheça mais esta inovação da MK Music Uma empresa que pensa no futuro

www.encartedigitalmk.com.br Conheça mais esta inovação da MK Music Uma empresa que pensa no futuro Encarte e letras disponíveis em www.encartedigitalmk.com.br Conheça mais esta inovação da MK Music Uma empresa que pensa no futuro Produção executiva: MK Music / Masterização: Max Motta no MK Studio /

Leia mais

CAPÍTULO III A MÍSTICA NO TEMPO: RESSIGNIFICAÇÃO PELO MST, UM NOVO FAZER

CAPÍTULO III A MÍSTICA NO TEMPO: RESSIGNIFICAÇÃO PELO MST, UM NOVO FAZER CAPÍTULO III A MÍSTICA NO TEMPO: RESSIGNIFICAÇÃO PELO MST, UM NOVO FAZER 3.1. Ideias sobre a Mística no Tempo: olhares através das publicações do MST Imagem 9 - Apresentação de mística em comemoração aos

Leia mais

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Deus nos alerta pela profecia de Oséias de que o Povo dele se perde por falta de conhecimento. Cf. Os 4,6 1ª Tm 4,14 Porque meu povo se perde

Leia mais

EVANGELIZAÇÃO É AMOR E LUZ É JESUS NO CORAÇÃO

EVANGELIZAÇÃO É AMOR E LUZ É JESUS NO CORAÇÃO EVANGELIZAÇÃO É AMOR E LUZ É JESUS NO CORAÇÃO Lenildo Solano EVANGELIZAÇÃO EM MÚSICA - Sequência Musical: 01- Aula de Evangelização 02- Deus 03- Jesus 04- Anjos da Guarda 05- Oração 06- Espiritismo 07-

Leia mais

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido

1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido 1. O feminino e a publicidade: em busca de sentido No estudo da Comunicação, a publicidade deve figurar como um dos campos de maior interesse para pesquisadores e críticos das Ciências Sociais e Humanas.

Leia mais

"Maria!"! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist!

Maria!! !!!!!!!! Carta!de!Pentecostes!2015! Abade!Geral!OCist! CartadePentecostes2015 AbadeGeralOCist "Maria" Carissimos, vos escrevo repensando na Semana Santa que passei em Jerusalém, na Basílica do Santo Sepulcro, hóspede dos Franciscanos. Colhi esta ocasião para

Leia mais

A ESPIRITUALIDADE: UM ALICERCE PARA O ENVELHECIMENTO ATIVO. Profª Dra Leoni Zenevicz Universidade Federal da Fronteira Sul -UFFS

A ESPIRITUALIDADE: UM ALICERCE PARA O ENVELHECIMENTO ATIVO. Profª Dra Leoni Zenevicz Universidade Federal da Fronteira Sul -UFFS I SEMINÁRIO ESTADUAL SOBRE ENVELHECIMENTO ATIVO A ESPIRITUALIDADE: UM ALICERCE PARA O ENVELHECIMENTO ATIVO Profª Dra Leoni Zenevicz Universidade Federal da Fronteira Sul -UFFS ESTAÇÕES DA VIDA... PRIMAVERA..

Leia mais

Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure. (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de

Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure. (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de 1 06.06.05 Por ocasião da Marcha para Jesus, o deputado Wasny de Roure (PT-DF) pronuncia o seguinte discurso: No próximo dia 11 de junho teremos mais uma Marcha para Jesus em Brasília, evento que acontece

Leia mais

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida.

A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa fé, uma luz na caminhada de nossa vida. LITURGIA DA PALAVRA A Palavra de Deus proclamada e celebrada - na Missa - nas Celebrações dos Sacramentos (Batismo, Crisma, Matrimônio...) A Bíblia é para nós, cristãos, o ponto de referência de nossa

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia.

A grande refeição é aquela que fazemos em torno da Mesa da Eucaristia. EUCARISTIA GESTO DO AMOR DE DEUS Fazer memória é recordar fatos passados que animam o tempo presente em rumo a um futuro melhor. O povo de Deus sempre procurou recordar os grandes fatos do passado para

Leia mais

Geração compaixão A Revolução do Amor!

Geração compaixão A Revolução do Amor! 1 Geração compaixão A Revolução do Amor! A velocidade com que o tempo passa, nos mostra claramente a fugacidade da vida. Já estamos em 2016! E este será um ano diferente para a juventude adventista no

Leia mais

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso

De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso Água do Espírito De Luiz Carlos Cardoso e Narda Inêz Cardoso EXISTE O DEUS PODEROSO QUE DESFAZ TODO LAÇO DO MAL QUEBRA A LANÇA E LIBERTA O CATIVO ELE MESMO ASSIM FARÁ JESUS RIO DE ÁGUAS LIMPAS QUE NASCE

Leia mais

Músicas Para Casamento

Músicas Para Casamento Músicas Para Casamento 01. Você e Eu - Eliana Ribeiro 7M 7M C#m7 F#7/5+ F#7 Bm7 Quero estar com você, / Lembrar de cada momento bom; C#m7 m7 C#m7 #m7 Em7 7/9 Reviver a nossa história, nosso amor. 7M #m7/5-

Leia mais

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER

LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER LEITURA BÍBLICA A BÍBLIA LER INTRODUÇÃO: Qualquer que seja meu objetivo, ler é a atividade básica do aprendizado. Alguém já disse: Quem sabe ler, pode aprender qualquer coisa. Se quisermos estudar a Bíblia,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

Violeiro afina a viola Começando a cantoria Faz ferver sua cachola Ferver do povo a alegria

Violeiro afina a viola Começando a cantoria Faz ferver sua cachola Ferver do povo a alegria Violeiro afina a viola Começando a cantoria Faz ferver sua cachola Ferver do povo a alegria A história que eu vou contar É verdadeira, acontecida Não é preciso pensar Por nada nada da vida O tema cantado

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

Demonstração de Maturidade

Demonstração de Maturidade Demonstração de Maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO 2 Reis 4.12-17 12 - Então disse ao seu servo Geazi: Chama esta sunamita. E chamando-a ele, ela se pôs diante dele. 13 - Porque ele tinha falado a Geazi:

Leia mais

Músicas para Páscoa. AO REDOR DA MESA F Gm C C7 F Refr.: Ao redor da mesa, repartindo o pão/ A maior riqueza dos que são irmãos.

Músicas para Páscoa. AO REDOR DA MESA F Gm C C7 F Refr.: Ao redor da mesa, repartindo o pão/ A maior riqueza dos que são irmãos. Músicas para Páscoa AO PARTIRMOS O PÃO E C#m #m B7 E7 A C#M Refr.: Ao partirmos o pão reconhecemos/ Jesus Cristo por nós ressuscitado./ Sua paz B7 E A B7 E recebemos e levamos,/ Ao nosso irmão que está

Leia mais

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO

Consagração do Aposento. Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Oração Pai Nosso Ave Maria Chave Harmonia Hinos da ORAÇÃO Consagração do Aposento Hinos de DESPACHO Hinos de CONCENTRAÇÃO Hinário CRUZEIRINHO Mestre Irineu Hinos de ENCERRAMENTO Pai Nosso - Ave Maria Prece

Leia mais

Vinho Novo Viver de Verdade

Vinho Novo Viver de Verdade Vinho Novo Viver de Verdade 1 - FILHOS DE DEUS - BR-LR5-11-00023 LUIZ CARLOS CARDOSO QUERO SUBIR AO MONTE DO SENHOR QUERO PERMANECER NO SANTO LUGAR QUERO LEVAR A ARCA DA ADORAÇÃO QUERO HABITAR NA CASA

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS ENSINO RELIGIOSO

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS ENSINO RELIGIOSO PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS DO ENSINO RELIGIOSO Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso Resumo: Os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Religioso constituem-se num marco histórico

Leia mais

Manual prático sobre Relacionamentos Afetivos com base no Tantra

Manual prático sobre Relacionamentos Afetivos com base no Tantra Manual prático sobre Relacionamentos Afetivos com base no Tantra O intuito de escrever esse manual prático é trazer uma fórmula simples e rápida para que as pessoas possam se encontrar e relacionarem-se

Leia mais

13. O DEUS QUE NOS COMPLETA Páginas 272-278

13. O DEUS QUE NOS COMPLETA Páginas 272-278 13. O DEUS QUE NOS COMPLETA Páginas 272-278 ENCONTRO: Se você pudesse levar um amigo para morar com você, quem seria? EXALTAÇÃO: Leia Efésios 4.1-15. Peça que compartilhem em que o Gf tem ajudado a cada

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos OS EPÍTETOS NOS CÂNTICOS MARIANOS Eliane da Silva (USP) eliane1silva@gmail.com 1. Os epítetos A pesquisa visa mostrar a completude histórica refletida nas cantigas marianas, além das cantigas que tiveram,

Leia mais

Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização

Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização Curso: Teologia Prof. Nicanor Lopes Fundamentos, conceitos e paradigmas da evangelização OBJETIVOS DA AULA Oferecer aos estudantes a construção de um conhecimento consistente e crítico sobre Evangelização,

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

pensamentos para o seu dia a dia

pensamentos para o seu dia a dia pensamentos para o seu dia a dia Israel Belo de Azevedo 1Vida e espiritualidade 1 Adrenalina no tédio O interesse por filmes sobre o fim do mundo pode ser uma forma de dar conteúdo ao tédio. Se a vida

Leia mais

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 1 Sumário Prefácio...3 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera Ministério de Grupos Pequenos Março

Leia mais

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9

Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 Diálogo, bem comum, dignidade para todos - Papa no Congresso dos EUA 9 57 Imprimir 2015-09-24 Rádio Vaticana Francisco no Congresso Americano acolhido com grandes aplausos. É a primeira vez que um Papa

Leia mais

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação)

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação) O batismo do Espírito Santo (continuação) #62 Estamos falando sobre alguns dons do Espírito Santo; falamos de suas obras, dos seus atributos, como opera o novo nascimento e, por último, estamos falando

Leia mais

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado LIÇÃO 1 - EXISTE UM SÓ DEUS 18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado A Bíblia diz que existe um único Deus. Tiago 2:19, Ef. 4 1- O Deus que Criou Todas as coisas, e que conduz a sua criação e

Leia mais

Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus

Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus Tema 4: Espiritualidade Na densidade do humano emerge a vida de Deus NA DENSIDADE DO HUMANO EMERGE A VIDA DE DEUS, Nossa espiritualidade marista, aberta ao diálogo interreligioso, a quem está em busca

Leia mais

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE

VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE VIVER ALÉM DA RELIGIOSIDADE É Preciso saber Viver Interpretando A vida na perspectiva da Espiritualidade Cristã Quem espera que a vida seja feita de ilusão Pode até ficar maluco ou morrer na solidão É

Leia mais

A Igreja nas Casas. Revolução ou Reforma? Jamê Nobre

A Igreja nas Casas. Revolução ou Reforma? Jamê Nobre A Igreja nas Casas Revolução ou Reforma? Jamê Nobre I g r e j a s n a s C a s a s P á g i n a 2 A IGREJA NAS CASAS REVOLUÇÃO OU REFORMA? (Jamê Nobre) As revoluções têm como característica mudar algumas

Leia mais

ORAÇÃO. Hinário. Pad.Sebastião. www.hinosdosantodaime.com.br 11/2013 1.0 Pág. 1

ORAÇÃO. Hinário. Pad.Sebastião. www.hinosdosantodaime.com.br 11/2013 1.0 Pág. 1 ORAÇÃO Hinário Pad.Sebastião www.hinosdosantodaime.com.br 11/2013 1.0 Pág. 1 Abertura dos Trabalhos - Pai Nosso - Ave Maria - Chave de Harmonia - Despacho do SANTO DAIME - ORAÇÃO - Padrinho Sebastião -

Leia mais

Nesta nova série Os Discursos de Jesus vamos aprofundar as Palavras de Jesus :- seus discursos, suas pregações e sermões. Ele falou aos seus

Nesta nova série Os Discursos de Jesus vamos aprofundar as Palavras de Jesus :- seus discursos, suas pregações e sermões. Ele falou aos seus Nesta nova série Os Discursos de Jesus vamos aprofundar as Palavras de Jesus :- seus discursos, suas pregações e sermões. Ele falou aos seus apóstolos na intimidade, falou a um grupo maior que se aproximava

Leia mais

Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2

Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2014 Disciplina: História Professor (a): Rodrigo Ano: 6 Turma:6.1 e 6.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme

Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Hinário SOIS BALIZA De Germano Guilherme Edição oficial do CICLUMIG Flor do Céu De acordo com revisão feita pelo Sr. Luiz Mendes do Nascimento, zelador do hinário. www.mestreirineu.org 1 01 - DIVINO PAI

Leia mais

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro

Acólitos. São João da Madeira. Cancioneiro Acólitos São João da Madeira Cancioneiro Índice Guiado pela mão...5 Vede Senhor...5 Se crês em Deus...5 Maria a boa mãe...5 Quanto esperei por este momento...6 Pois eu queria saber porquê?!...6 Dá-nos

Leia mais

"MITOS HERÓICOS" MOVIDOS PELA CARÊNCIA EXISTÊNCIAL

MITOS HERÓICOS MOVIDOS PELA CARÊNCIA EXISTÊNCIAL "MITOS HERÓICOS" MOVIDOS PELA CARÊNCIA EXISTÊNCIAL "MITOS HERÓICOS" MOVIDOS PELA CARÊNCIA EXISTÊNCIAL Assim como os amores interrompidos no início de forma trágica, ou abrupta, ficam parecendo os amores

Leia mais

20ª Hora Santa Missionária

20ª Hora Santa Missionária 20ª Hora Santa Missionária Tema: Missão é Servir Lema: Quem quiser ser o primeiro seja servo de todos Preparação do ambiente: cartaz do Mês missionário, Bíblia e fitas nas cores dos continentes, cruz e

Leia mais

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares

Walter Benjamin - Questões de Vestibulares Walter Benjamin - Questões de Vestibulares 1. (Uem 2011) A Escola de Frankfurt tem sua origem no Instituto de Pesquisa Social, fundado em 1923. Entre os pensadores expoentes da Escola de Frankfurt, destaca-se

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

Título: Conflitos teológicos e políticos da Igreja Católica Brasileira presente nos artigos das revistas: Hora Presente e Permanência.

Título: Conflitos teológicos e políticos da Igreja Católica Brasileira presente nos artigos das revistas: Hora Presente e Permanência. Título: Conflitos teológicos e políticos da Igreja Católica Brasileira presente nos artigos das revistas: Hora Presente e Permanência. Nome: Glauco Costa de Souza (Graduando Unesp/Assis). e-mail: glaucojerusalem@hotmail.com

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento).

Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). O Caminho de Emaús Faz um exercício de relaxamento coloca-te na presença de Deus. Reza um salmo (aquele que o teu coração pedir no momento). Leitura: Lc 24, 13-35 Todos nós percorremos frequentemente o

Leia mais

LIÇÃO 3 Outros Exemplos de Crescimento

LIÇÃO 3 Outros Exemplos de Crescimento LIÇÃO 3 Outros Exemplos de Crescimento O principal exemplo de maturidade cristã na Bíblia é Jesus Cristo, o nosso irmão mais velho. Ele assumiu a forma de servo e obedeceu ao Pai totalmente. Ele humilhou-se

Leia mais

Você se lembra das três palavras abordadas na lição anterior: Revelação, inspiração e iluminação?

Você se lembra das três palavras abordadas na lição anterior: Revelação, inspiração e iluminação? A BÍBLIA Parte 2 Objetivo para mudança de vida: Dar ao estudante um senso profundo e duradouro de confiança em sua capacidade de entender a Bíblia. Capacidade esta que lhe foi dada por Deus. Você se lembra

Leia mais

POEMAS DE JOVITA NÓBREGA

POEMAS DE JOVITA NÓBREGA POEMAS DE JOVITA NÓBREGA Aos meus queridos amigos de Maconge Eu vim de longe arrancada ao chão Das minhas horas de menina feliz Fizeram-me estraçalhar a raiz Da prima gota de sangue Em minha mão. Nos dedos

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

Oração. u m a c o n v e r s a d a a l m a

Oração. u m a c o n v e r s a d a a l m a Oração u m a c o n v e r s a d a a l m a 11 12 O Evangelho relata que por diversas vezes, quando ninguém mais estava precisando de alguma ajuda ou conselho, Jesus se ausentava para ficar sozinho. Natural

Leia mais

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte A Bandeira Brasileira e Augusto Comte Resumo Este documentário tem como ponto de partida um problema curioso: por que a frase Ordem e Progresso, de autoria de um filósofo francês, foi escolhida para constar

Leia mais

"porque sem mim nada podereis fazer". (João 15:5b)

porque sem mim nada podereis fazer. (João 15:5b) Disciples of Christ Church Ministerio vida com vida Pr Joaquim Costa Junior 1 "porque sem mim nada podereis fazer". (João 15:5b) Introdução: Deus deseja que seu povo viva juntamente com Cristo nos lugares

Leia mais

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Antes da Solene celebração, entregar a lembrança do centenário No Final terá um momento de envio onde cada pessoa reassumirá a missão. O sinal deste momento será a colocação

Leia mais

O valor do silêncio na vida do cristão

O valor do silêncio na vida do cristão O valor do silêncio na vida do cristão Salve Maria! Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Em nosso blog, temos muitas palavras de profecia sobre o silêncio. E, por Providência Divina, encontramos um

Leia mais

A BENDITA ESPERANÇA DA IGREJA

A BENDITA ESPERANÇA DA IGREJA A BENDITA ESPERANÇA DA IGREJA Ap 21.9-11 - E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das sete últimas pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a noiva, a esposa do Cordeiro.10

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 DE ABRIL PALÁCIO DO PLANALTO BRASÍLIA-DF

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica A unidade na fé a caminho da missão Nossa Visão Manifestar a unidade da igreja por meio do testemunho visível

Leia mais

Introdução a mitologia Africana para sala de aula

Introdução a mitologia Africana para sala de aula Introdução a mitologia Africana para sala de aula Curso de extensão Universidade Castelo Branco Prof. Dr. Arthur Vianna (PUCSP) Escola de formação de Professores Curso de História Objetivo Proporcionar

Leia mais

3ª FASE Prof.a Carolina Oliveira

3ª FASE Prof.a Carolina Oliveira 3ª FASE Prof.a Carolina Oliveira CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 4º Bimestre Atividade Avaliativa de Ens. Religioso Aula 172 Conteúdo Contar histórias

Leia mais

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real Alencastro e Patrícia CD: Ao Sentir 1- Ao Sentir Jairinho Ao sentir o mundo ao meu redor Nada vi que pudesse ser real Percebi que todos buscam paz porém em vão Pois naquilo que procuram, não há solução,

Leia mais

Francisco Cândido Xavier PALAVRAS DE EMMANUEL. pelo Espírito Emmanuel

Francisco Cândido Xavier PALAVRAS DE EMMANUEL. pelo Espírito Emmanuel Francisco Cândido Xavier PALAVRAS DE EMMANUEL pelo Espírito Emmanuel SUMÁRIO Caro leitor... 9 Indicador... 11 1. Às almas enfraquecidas... 13 2. A Ciência do tempo... 15 3. Advertências proveitosas...

Leia mais

Projeto PENSAR - DEZ ANOS - Pensando a vida

Projeto PENSAR - DEZ ANOS - Pensando a vida Projeto PENSAR - DEZ ANOS - Pensando a vida Prof.: José Luiz Leão Parece que foi ontem... E, pensando bem, foi mesmo. Só que um ontem já bem distante. Um ontem que começou nos idos de 1993, ano do nascimento

Leia mais

SAUDAÇÃO À BANDEIRA NOVEMBRO/2008 A BANDEIRA DO BRASIL

SAUDAÇÃO À BANDEIRA NOVEMBRO/2008 A BANDEIRA DO BRASIL SAUDAÇÃO À BANDEIRA 2008 NOVEMBRO/2008 A BANDEIRA DO BRASIL Quando Dom Pedro I ergueu a espada E independência pediu O povo gritou com força E liberdade conseguiu. Foram feitas outras bandeiras Para o

Leia mais

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11)

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Mensagem 1 A metáfora do Caminho Introdução: A impressão que tenho é que Jesus escreveu isto para os nossos dias. Embora

Leia mais

República de Moçambique

República de Moçambique República de Moçambique Presidência da República Contributo da Missāo de Imbuho na forja da consciência patriótica Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique,

Leia mais

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 E, virando- se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou- se da palavra do Senhor, como lhe havia

Leia mais

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13

JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 JESUS É A LUZ DO MUNDO João 8.12 Pr. Vlademir Silveira IBME 24/03/13 INTRODUÇÃO O Evangelho de João registra 7 afirmações notáveis de Jesus Cristo. Todas começam com Eu sou. Jesus disse: Eu sou o pão vivo

Leia mais

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati

Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati ESCOLA VICENTINA SÃO VICENTE DE PAULO Disciplina: Ensino Religioso Professor(a): Rosemary de Souza Gelati Paranavaí / / 6º ANO TRADIÇÕES RELIGIOSAS TEXTOS SAGRADOS Se as religiões estão para humanizar

Leia mais

Ação dos Espíritos na Natureza

Ação dos Espíritos na Natureza Ação dos Espíritos na Natureza Roteiro 27 FEDERAÇÃO EPÍRITA BRAILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Programa Filosofia e Ciência Espíritas Objetivos Relacionar as principais tradições culturais

Leia mais

00.035.096/0001-23 242 - - - SP

00.035.096/0001-23 242 - - - SP PAGINA 1 O CARÁTER CRISTÃO 7. O CRISTÃO DEVE TER UMA FÉ OPERANTE (Hebreus 11.1-3) Um leitor menos avisado, ao ler o texto pode chegar à conclusão de que a fé cria coisas pelas quais esperamos. A fé não

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 12 e 18, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 O pote vazio 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Leia mais