LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT"

Transcrição

1 LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT - RESTINGA SECA - DEZEMBRO / 2004 SANTA MARIA - RS Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

2 1. DADOS DA EMPRESA Empresa: COOPERATIVA TRITÍCOLA SEPEENSE LTDA COTRISEL Unidade: Vicente Cardoso Unidade 12 Endereço: Avenida Vicente Cardoso, n.º 110 Cidade/Estado: Restinga Seca /RS CGC: / IE: 099/ Atividade: Beneficiamento, Recebimento e Empacotamento de Arroz Código de Atividade: , conforme Quadro I da NR 4 Grau de Risco: 03 N.º Total de Colaboradores: DADOS SOBRE A AVALIAÇÃO AMBIENTAL Responsável pelas informações fornecidas pela empresa: Sr. Rivieri Cardoso Argenta Auditor da cooperativa, RG Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

3 3. DESCRIÇÃO DA EMPRESA 3.1 DESCRIÇÃO FÍSICA DOS SETORES SETOR: ARROZ RECEBIMENTO EQUIPAMENTOS: 04 moegas p/500 sacos cada, 02 secadoras p/500 sacos cada, 03 silos pulmão p/500 sacos cada, fornalha, 02 máquinas pré-limpeza p/250 sacos/hora, 04 silos p/ sacos, fazem também parte do conjunto, elevadores, roscas, fitas e correias transportadoras. DESCRIÇÃO PRÉDIO: Prédio de alvenaria, Ventilação natural e artificial, iluminação natural e artificial, janelas basculantes, portão central de entrada e saída, portas laterais entre o pavilhão, piso frio de concreto, cobertura de alumínio zincado SETOR: ARROZ BENEFICIAMENTO EQUIPAMENTOS: 14 tulhas de concreto p/armazenar sacos arroz, 04 tulhas de concreto p/armazenar 150 sacos cada, 02 moegas p/500 sacos cada, 04 descascadores p/45 sacos/hora, 01 descascador p/70 sacos/hora, 03 separadores p/45 sacos/hora, 01 separador p/70 sacos/hora, 03 linhas de brunidores p/45 sacos/hora, 03 máquinas pré-limpeza p/45 sacos/hora, 02 conjuntos de trieur p/45 sacos/hora, 01 trieur p/60 sacos/hora, 08 seletrons (selecionadora de grãos), 01 brilhador p/60 sacos/hora, fazem também parte do conjunto, elevadores, roscas, fitas e correias transportadoras. DESCRIÇÃO PRÉDIO: Prédio de alvenaria, Ventilação natural e artificial, iluminação natural e artificial, janelas basculantes, portão central de entrada e saída, portas laterais entre o pavilhão, piso frio de concreto, cobertura de alumínio zincado. SETOR: ARROZ EMPACOTAMENTO EQUIPAMENTOS: 02 máquinas pré-limpeza, 03 máquinas de empacotamento (05 kgs) capacidade p/280 fardos/hora, 01 máquina de empacotamento (05 kgs) capacidade p/115 fardos/hora, 01 máquina de empacotamento (01 kg) capacidade p/110 fardos/hora, caixa de armazenagem p/350 fardos, no-break, balança eletrônica capacidade p/10 kgs, conjunto de trieur p/grão quebrado, fazem parte do conjunto, elevadores, roscas, fitas e correias transportadoras. DESCRIÇÃO PRÉDIO: Prédio de alvenaria, Ventilação natural e artificial, iluminação natural e artificial, janelas basculantes, porta lateral de entrada e saída, piso Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

4 frio de lajota pretificada, sacada c/portão de ferro, protegida por uma grade de ferro, cobertura de alumínio zincado. Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

5 4. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES REALIZADAS SETOR: ARROZ RECEBIMENTO ATIVIDADE: Recebimento e armazenamento de cereais. FUNÇÕES DO SETOR: CARREGADOR: Prepara a carga e descarga de cereais em caminhões, movimentam cereais em caminhões e no setor, mantém a limpeza e conservação do setor e transportam cereais e insumos quando necessários. OPERADOR DE PRODUÇÃO: Responsável pela operação de secadores, máquinas de pré-limpeza, transporte de cereais para silos e caixa de armazenagem e regulagem dos equipamentos, responsáveis pela execução dos equipamentos. ALIMENTADOR LINHA DE PRODUÇÃO: Preparam materiais (cereais) p/alimentação das linhas de produção, organizam a área de serviço, abastecem linhas de produção, separam materiais p/ reaproveitamento. Responsável pelo armazenamento e transporte de cereais p/ engenho. SUPERVISOR DE PRODUÇÃO: Responsável geral, que supervisiona todos os serviços executados, orientando, coordenando, fiscalizando e liderando a equipe de trabalho, planeja os processos de produção, trabalha diretamente com a produção. EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL: Calçado Segurança (Botina) C.A 12232; Capacete C.A 498; Protetor Auricular de inserção C.A 5745; Óculos de segurança para proteção dos olhos contra impactos de partículas volantes; C.A 9752; Óculos de segurança para os olhos contra respingos de produtos químicos CA 11303; Respirador purificador de ar proteção das vias respiratórias contra poeiras, e nevoas - C.A 445; Luva de Segurança para proteção das mãos contra agentes abrasivos e escoriantes C.A 11220; Calça Segurança para proteção das pernas contra agentes, químicos, abrasivos e escoriantes; Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

6 Cinto de Segurança para proteção contra riscos de queda em trabalhos em altura superior à 2 metros C.A 10768: SETOR: ARROZ BENEFICIAMENTO ATIVIDADE: Setor destina-se ao processo de beneficiamento dos cereais, ou seja, transformação do produto em casca para esbramado. O cereal passa por um processo de pré-limpeza, descasque e armazenagem, deixando o cereal pronto para o seu acabamento. FUNÇÕES DO SETOR: CARREGADOR: Prepara a carga e descarga de cereais, movimentam cereais no setor, mantém a limpeza e conservação do setor e transportam cereais e insumos quando necessários. OPERADOR DE PRODUÇÃO: Responsável pela operação de descascadores,, máquinas de pré-limpeza, brunidores, trieur, seletrons, brilhador, transporte de cereais para silos e caixa de armazenagem e regulagem dos equipamentos, responsáveis pela execução dos equipamentos. ALIMENTADOR LINHA DE PRODUÇÃO: Preparam materiais (cereais) p/alimentação das linhas de produção, organizam a área de serviço, abastecem linhas de produção, separam materiais p/ reaproveitamento. Responsável pelo armazenamento e transporte de cereais no engenho. SUPERVISOR DE PRODUÇÃO: Responsável geral, que supervisiona todos os serviços executados, orientando, coordenando, fiscalizando e liderando a equipe de trabalho, planeja os processos de produção, trabalhando diretamente com a produção. EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL: Protetor Auricular de inserção C.A 5745; Capacete C.A 498; Respirador purificador de ar proteção das vias respiratórias contra poeiras, e nevoas - C.A 445; Luva de vaqueta couro CA proteção das mãos contra agentes abrasivos e escoriantes; Calçado Segurança (Botina) C.A 12232; Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

7 Calça Segurança para proteção das pernas contra agentes, químicos, abrasivos e escoriantes; Cinto de Segurança para proteção contra riscos de queda em trabalhos em altura superior à 2 metros C.A SETOR: ARROZ EMPACOTAMENTO ATIVIDADE: Setor destina-se ao processo de empacotamento dos cereais, ou seja, produto acabado para comercialização, pronto para a expedição. FUNÇÕES DO SETOR: CARREGADOR: Fazem o carregamento de arroz empacotado nos caminhões, carregam bobinas de plástico para posterior empacotamento do produto, mantém a limpeza e conservação do setor. OPERADOR DE PRODUÇÃO: Responsável pela operação das máquinas de empacotamento, coordena o carregamento, responsável pela execução dos equipamentos. Responsável pela manutenção, conservação e limpeza das empacotadoras. ALIMENTADOR LINHA DE PRODUÇÃO: Preparam materiais (cereais) p/alimentação das linhas de produção,no caso, as máquinas de empacotamento, organizam a área de serviço, alimentam máquinas para o empacotamento dos cereais (arroz). EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL: Protetor Auricular de inserção C.A 5745; Calçado Segurança (botina) C.A 12232; Capacete Segurança C.A 498; Uniforme (calça, camisa, jaleco e bermuda). Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

8 SETOR: ARROZ RECEBIMENTO 5. AGENTES NOCIVOS CARREGADOR, OPERADOR DE PRODUÇÃO, ALIMENTADOR LINHA DE PRODUÇÃO, SUPERVISOR DE PRODUÇÃO: RISCOS FÍSICOS NR-15 Anexo 1 Agente Ruído Concentração / Intensidade 89,7 db (ver dosimetria em anexo) Exposição Habitual e permanente Metodologia utilizada Avaliação quantitativa (dosimetria de ruído) Proteção Eficaz EPI/ EPC SIM / Protetor auricular CA 5745 Nível ruído ambiente = 89,7 db C.A NRRsf do protetor auditivo = 17 db ANSI S12.6/ MÉTODO B - método do ouvido real - colocação pelo ouvinte. NÍVEL DE RUÍDO FINAL QUE CHEGARIA AO OUVIDO DO TRABALHADOR = 72,7 db Limites de tolerância para 8 NR-15 Anexo 1 INSS * horas de exposição habitual/permanente 85 db(a) 85 db(a) * Regulamento da Previdência Social Anexo IV Classificação dos agentes nocivos. RISCOS QUÍMICOS NR-15 Anexo 12 Agente Sílica Livre Cristalizada Vias de penetração no organismo Via respiratória Limites de tolerância Concentração / Intensidade mg/m 3 (ver anexo) Exposição Habitual e permanente Metodologia utilizada Avaliação quantitativa (dosagem de Poeira Respirável) NR-15 Anexo 12 mg/m 3 Proteção Eficaz EPI/EPC SIM / Respirador purificador de ar CA 445 SETOR: ARROZ BENEFICIAMENTO CARREGADOR, OPERADOR DE PRODUÇÃO, ALIMENTADOR LINHA DE PRODUÇÃO, SUPERVISOR DE PRODUÇÃO. RISCOS FÍSICOS NR-15 Anexo 1 Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

9 Agente Concentração / Intensidade Exposição Metodologia utilizada Proteção Eficaz EPI/ EPC Ruído 92,5 db (ver dosimetria em anexo) Habitual e permanente Avaliação quantitativa (dosimetria de ruído) SIM / Protetor auricular CA 5745 Nível ruído ambiente = 92,5 db C.A NRRsf do protetor auditivo = 17 db ANSI S12.6/ MÉTODO B - método do ouvido real - colocação pelo ouvinte. NÍVEL DE RUÍDO FINAL QUE CHEGARIA AO OUVIDO DO TRABALHADOR = 75,5 db Limites de tolerância para 8 NR-15 Anexo 1 INSS * horas de exposição habitual/permanente 85 db(a) 85 db(a) * Regulamento da Previdência Social Anexo IV Classificação dos agentes nocivos RISCOS QUÍMICOS NR-15 Anexo 12 Agente Sílica Livre Cristalizada Vias de penetração no organismo Via respiratória Concentração / Intensidade mg/m 3 (ver anexo) Exposição Habitual e permanente Metodologia utilizada Avaliação quantitativa (dosagem de Poeira Respirável) Proteção Eficaz EPI/EPC SIM / Respirador purificador de ar CA 445 Limites de tolerância NR-15 Anexo 12 mg/m 3 SETOR: ARROZ EMPACOTAMENTO CARREGADOR, OPERADOR DE PRODUÇÃO, ALIMENTADOR LINHA DE PRODUÇÃO. Agente Concentração / Intensidade Exposição Metodologia utilizada Proteção Eficaz EPI/ EPC Ruído 95,5 db Habitual e permanente Avaliação quantitativa (dosimetria de ruído) SIM / Protetor auricular CA 5745 Nível ruído ambiente = 94,7 db C.A NRRsf do protetor auditivo = 17 db ANSI S12.6/ MÉTODO B - método do ouvido real - colocação pelo ouvinte. NÍVEL DE RUÍDO FINAL QUE CHEGARIA AO OUVIDO DO TRABALHADOR = 77,7 db Limites de tolerância para 8 NR-15 Anexo 1 INSS * horas de exposição habitual/permanente 85 db(a) 85 db(a) * Regulamento da Previdência Social Anexo IV Classificação dos agentes nocivos Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

10 6. METODOLOGIA E TÉCNICA Nos termos da legislação trabalhista constante da Portaria n.º 3.214/78 do Ministério do trabalho e Emprego MTE. Este laudo técnico foi elaborado conforme as recomendações do INSS, através da Instrução Normativa INSS/DC n.º 099, de 5 de DEZEMBRO de APARELHOS E EQUIPAMENTOS UTILIZADOS Equipamentos utilizados nas avaliações quantitativas: - LUXÍMETRO Lutron LX DOSÍMETRO QUEST 400., DOSÍMETRO QUEST BOMBA DE AMOSTRAGEM GILIAN EMBASAMENTO LEGAL - Lei 8.213/91 - Lei 9.032/95 - Medida Provisória 1.523, de 13/10/ Lei 9.528/97 - Decreto 2.172/97 - Medida Provisória , de 23/10/ Medida Provisória , de 10/11/ Lei 9.732/98 - Decreto 3.048/99 - Decreto 4.032/ Ordem de Serviço INSS nº Instrução Normativa INSS 78/2002; - Instrução Normativa INSS 70/2002; - Instrução Normativa INSS 84/2002; - Instrução Normativa INSS 95/2003; - Instrução Normativa INSS 96/2003; - Instrução Normativa INSS 99/2003. Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

11 9. CONCLUSÃO Conforme avaliações realizadas nos locais de trabalho e nas atividades desenvolvidas na empresa Unidade 12 Vicente Cardoso, os colaboradores NÃO estão expostos a agentes nocivos, conforme Decreto 3048/99 do Regulamento da Previdência Social. Santa Maria, RS, Dezembro de Dr. Fébus Camargo d Ornellas Médica do Trabalho CRM-3007 Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

12 10. 1 ANEXOS 10.1 MEDIÇÕES DE ILUMINAÇÃO LUXÍMETRO SETOR SALA/ FUNÇÃO NÍVEL MEDIDO RECOMENDADO Balcão de Atendimento 550 lux * 500 lux Máquina de pré-limpeza 958 lux * 300 lux Aparelho de Umidade 986 lux 300 lux Laboratório Mesa de Trabalho 982 lux 500 lux Mini descascador 342 lux 300 lux Mini Secador 460 lux 300 lux Balança 292 lux 250 lux Banheiro 089 lux 150 lux Pavilhão Insumos Depósito Fertilizantes Geral 284 lux 150 lux Depósito 124 lux 150 lux Moega Arroz Verde Geral 344 lux * 200 lux Setor de Benef. Superior Descascadores Arroz 168 lux 150 lux Setor de Benef. Inferior Geral 227 lux 150 lux Moega Arroz Seco 158 lux 200 lux Carga e descarga Geral 086 lux 150 lux Moega Arroz Pronto Geral 035 lux 200 lux Sala de Ferramentas 289 lux 150 lux Máquina 5 Kg 200 lux 300 lux Setor de Empacotamento Máquina 2 Kg 189 lux 300 lux Depósito de Fardos 648 lux * 150 lux Balança 845 lux * 250 lux Mesa de Trabalho 478 lux 500 lux Almoxarifado Geral 168 lux 150 lux Bancada de Trabalho - Laerte 345 lux 300 lux Geral 175 lux 150 lux Oficina Furadeira Bancada 068 lux 300 lux Policorte 065 lux 300 lux Calandra 128 lux 300 lux Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

13 10.2 AVALIAÇÃO DE RUÍDO (DOSIMETRIA) - ARROZ RECEBIMENTO - ARROZ BENEFICIAMENTO ENGENHO - ARROZ EMPACOTAMENTO Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

14 10.3 AVALIAÇÃO DE POEIRA (AMOSTRAGEM) - ARROZ BENEFICIAMENTO ( engenho) - ARROZ RECEBIMENTO (moega, pré-limpeza e peneiras) Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

15 10.4 CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO DO DOSÍMETRO Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

16 10.5 CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO DA BOMBA DE AMOSTRAGEM Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

17 10.6 NOME E IDENTIFICAÇÃO DO MÉDICO DO TRABALHO RESPONSÁVEL PELA REALIZAÇÃO DO LAUDO TÉCNICO DE CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO Rua Barão do Triunfo, 862, Centro, CEP Santa Maria/RS - Fone/Fax (55)

18 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 COTRISEL Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. VICENTE CARDOSO UNIDADE 12 RESTINGA SECA - RS Janeiro / 99 SANTA MARIA - RS PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 1

19 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO Da Obrigatoriedade Legal Das Fases Antecipação Reconhecimento Avaliação Controle Das Responsabilidades Do Empregador Dos Trabalhadores Da Articulação Dos Resultados CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA DESENVOLVIMENTO DO PPRA Esquema Geral Reconhecimento dos Riscos Avaliação dos Riscos Controle dos Riscos Levantamento de dados Descrição dos Riscos ARROZ RECEBIMENTO Encarregado de Seção e Sub-Gerente de Operações Servente de Armazém I e II, Operador de Máquina I e II, Auxiliar de Armazém e Servente de Obras ARROZ BENEFICIAMENTO Encarregado de Setor, Servente de Armazém I e II e Operador de Máquina I ARROZ EMPACOTAMENTO Operador de Máquina I e II, Servente de Armazém I e Safrista Recomendações Finais CONCLUSÃO ANEXOS...19 ANEXO I - NÍVEIS DE ILUMINAÇÃO...19 ANEXO II - NÍVEIS DE RUÍDO...20 ANEXO III - RESUMO DOS RISCOS AMBIENTAIS...21 PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 2

20 1 INTRODUÇÃO O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPRA visa a preservação da saúde e a integridade física dos trabalhadores, através de uma avaliação sistêmica dos riscos ambientais. O PPRA, tem como finalidade avaliar, classificar, quantificar os agentes ambientais, além de indicar as alternativas possíveis para o tratamento dos mesmos. Possibilitando ainda o conhecimento da dimensão dos riscos envolvidos nas atividades laborais, para que a empresa possa prever e programar as ações para controlar, minimizar e/ou eliminar os riscos existentes no ambiente de trabalho, pois no PPRA inclui-se metas e prazos para implementação das medidas recomendadas e necessita que a empresa forneça recursos para implantação das medidas. As análises, interpretações e recomendações constantes neste PPRA estão baseadas em dados analisados durante as visitas nas instalações da empresa. Por este motivo, qualquer modificação de produção, área física e/ou equipamentos poderá alterar as conclusões do trabalho, sendo necessárias novas avaliações com o objetivo de atualização do programa. Para a viabilização das medidas propostas é necessário, além da análise do programa, a cooperação de todos aqueles que, direta ou indiretamente, estejam comprometidos com as questões ligadas à Saúde, Higiene e Segurança do Trabalho. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 3

21 2 CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Entende-se por Riscos Ambientais os riscos existentes no ambiente de trabalho capazes de causar danos à saúde do trabalhador, em função de sua natureza, concentração, intensidade e tempo de exposição. Os riscos ambientais podem ser classificados como: Riscos Físicos (NR-15, anexos I a X): todas as formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes e não-ionizantes, bem como o infra-som e o ultra-som; Riscos Químicos (NR-15 anexos XI a XIII): todas as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição possam ter contato ou serem absorvidas pelo organismo através da pele ou por ingestão; Riscos Biológicos (NR-15 anexo XIV): são as bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros, que possam vir a causar doenças ao trabalhador; Riscos Ergonômicos (NR-17): são considerados aqueles cuja relação do trabalho com o homem causam desconforto ao mesmo, podendo causar danos à sua saúde tais como esforço físico intenso, postura inadequada, ritmos excessivos, monotonia e repetitividade e outros fatores que possam levar ao Stress físico e/ou psíquico; Riscos de Acidentes: considerados os equipamentos, dispositivos, ferramentas, produtos, instalações, proteções e outras situações de risco que possam contribuir para a ocorrência de acidentes durante a execução do trabalho devido ao uso, disposição ou construção incorreta. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 4

22 3 OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO 3.1 Da Obrigatoriedade Legal O PPRA está baseado na Portaria n o 25 de 29 de dezembro de 1994, a qual dá nova redação à Norma Regulamentadora NR-9, instituída pela Portaria n o 3214 de 08 de julho de 1978, Título II da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). 3.2 Das Fases fases: Conforme determinação legal, o desenvolvimento deste programa abrangerá as seguintes Antecipação Envolvendo a análise de projetos de novas instalações, métodos ou processos de trabalho, ou de modificação dos já existentes, visando identificar os riscos potenciais e introduzir medidas de proteção para a sua redução ou eliminação Reconhecimento Envolvendo a identificação dos riscos, determinação e localização das fontes geradoras, possíveis trajetórias e meios de propagação dos agentes no ambiente de trabalho, das funções e determinação do tipo de exposição, o número de trabalhadores expostos aos riscos e a caracterização de suas atividades, danos à saúde decorrentes do tipo de atividade, bem como das medidas de controle já existentes e também a obtenção de dados existentes na empresa, indicativos de possíveis comprometimento com a saúde decorrente do tipo de atividade. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 5

23 3.2.3 Avaliação Envolvendo medidas de avaliação quantitativa para comprovar a exposição e/ou inexistência dos riscos, para dimensionar a exposição e fornecer subsídios técnicos para a proposição de medidas de controle Controle Envolvendo a implementação das medidas necessárias para a eliminação ou minimização dos riscos ambientais. O presente relatório especifica as fases a serem exercidas sobre as fontes dos riscos ambientais detectados, especialmente aqueles que excedem os limites de tolerância estabelecidos pela NR-15 da Portaria 3214/ Das Responsabilidades modo: A Portaria n o 25 de 29 de dezembro de 1994 especifica as responsabilidades do seguinte Do Empregador Estabelecer, implementar e assegurar o cumprimento do PPRA, como atividade permanente da empresa ou instituição Dos Trabalhadores Colaborar e participar na implementação do PPRA, seguindo suas orientações e informar quaisquer alterações que possam implicar em riscos à saúde dos trabalhadores. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 6

24 3.4 Da Articulação O PPRA é parte integrante de um conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo da preservação da saúde e integridade física dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas demais Normas Regulamentadoras, em especial com o Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO) cuja obrigatoriedade de elaboração e implementação por parte de todos os empregadores é dada pela Portaria n o 24 de 29 de dezembro de 1994 (NR-7). O PCMSO tem por objetivo realizar avaliações clínicas que permitam diagnosticar os agravos à saúde relacionados ao trabalho. O PPRA articula-se com o PCMSO de maneira a identificar os riscos que possam originar os agravos à saúde diagnosticados e sugerir medidas para o seu controle ou eliminação. Os parâmetros e diretrizes a serem observados na execução deste PPRA podem ser ampliados mediante negociação coletiva de trabalho. 3.5 Dos Resultados As ações propostas neste PPRA, a serem desenvolvidas na empresa, devem ser amplamente divulgadas de maneira a informar os trabalhadores sobre os riscos nos locais de trabalho e sobre os meios disponíveis para permitir a prevenção e/ou atenuação dos mesmos. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 7

25 4 CARACTERÍSTICAS DA EMPRESA A empresa COOPERATIVA TRITÍCOLA SEPEENSE LTDA COTRISEL Vicente Cardoso - Unidade 12, CGC n o / e IE 099/ , localizada na Rua Vicente Cardoso, n.º 110, Restinga Seca RS. Esta unidade da cooperativa atua na área de Recebimento, Beneficiamento e Secagem de Arroz, possuindo Grau de Risco 03 e Código de Atividade , conforme o Quadro I da NR-4. Trabalham atualmente na unidade 42 colaboradores distribuídos conforme o disposto na Tabela I. TABELA I - DISTRIBUIÇÃO DOS COLABORADORES DA EMPRESA SETOR FUNÇÕES N o FUNCIONÁRIOS ARROZ RECEBIMENTO Encarregado de Seção 01 Sub Gerente de Operações 01 Servente de Armazém I 06 Servente de Armazém II 03 Auxiliar de Armazém 02 Operador de Máquina I 01 Operador de Máquina II 01 Servente de Obras 01 PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 8

26 SETOR FUNÇÕES N o FUNCIONÁRIOS ARROZ BENEFICIAMENTO Encarregado de setor 01 Servente de Armazém I 03 Servente de Armazém II 01 Operador de Máquina II 05 ARROZ EMPACOTAMENTO Operador de Máquina I 01 Operador de Máquina II 01 Servente de Armazém I 13 Safrista 01 PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 9

27 5 DESENVOLVIMENTO DO PPRA 5.1 Esquema Geral A elaboração do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), baseou-se na aplicação da seguinte metodologia: Reconhecimento dos Riscos Envolve a descrição dos processos e identificação das proteções existentes, identificação dos riscos, determinação e localização dos pontos geradores, determinação do número de trabalhadores expostos Avaliação dos Riscos Fase onde se dá o estabelecimento de prioridades e o dimensionamento da exposição dos trabalhadores aos agentes nocivos, se necessário Controle dos Riscos Etapa de análise dos riscos, a fim de realizar proposições para o tratamento destes. As medidas propostas podem variar conforme os riscos encontrados, a saber: treinamento/cursos, medidas de proteção coletiva/individual, análise dos riscos a nível de projeto, implantação de programas de monitoramento. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 10

28 5.2 Do Levantamento de Dados Para o desenvolvimento do PPRA, foram realizadas medições técnicas e inspeções de segurança nas instalações da empresa, permitindo o levantamento dos riscos ambientais a que estão expostos os trabalhadores, tendo em vista seu reconhecimento e adequado controle e proteção. Os dados obtidos nas medições técnicas foram dispostos em planilhas, referidas durante a descrição dos riscos em seus respectivos anexos. O estudo das condições de trabalho na empresa foi realizado individualmente para cada seção da empresa. As medições dos níveis de iluminamento na empresa foi realizada com um luxímetro marca LUTRON LX Light Meter. Para as medições de ruído foi utilizado um decibelímetro marca Radio Shack - Sound Level Meter, em curva de compensação A, circuito de resposta lenta (slow). Os dados obtidos nas medições técnicas foram dispostos em planilhas, referidas posteriormente em seus respectivos anexos. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 11

29 5.3 Descrição dos Riscos ARROZ RECEBIMENTO Encarregado de Seção, Sub-Gerente de Operações Atualmente trabalham como supervisores da unidade, 02 (dois) colaboradores que exercem as seguintes funções Encarregado de Seção e Sub-Gerente de Operações. Este colaboradores estão expostos eventualmente a Riscos Físicos devido ao ruído das máquinas e equipamentos utilizados na unidade e a Riscos Químicos devido a poeira do arroz. Os mesmos estão expostos permanentemente a Riscos Ergonômicos devido a posturas inadequadas realizadas no exercício de suas atividades e Riscos de Acidentes devido a outras situações de risco Servente de Armazém I e II, Operador de Máquina I e II, Auxiliar de Armazém e Servente de Obras Atualmente, trabalham no setor de recebimento de arroz da unidade 12, 14 (quatorze) colaboradores divididos em: - 06 (seis) Servente de Armazém I; - 03 (três) Servente de Armazém II; - 01 (um) Operador de Máquina I; - 01 (um) Operador de Máquina II; - 02 (dois) Auxiliares de Armazém; e - 01 (um) Servente de Obras. Estes colaboradores estão expostos a Riscos Físicos devido ao ruído provenientes de máquinas (peneiras e elevadores) utilizadas no seu trabalho. Este níveis de ruído não ultrapassam os limites estabelecidos pelo Anexo I da NR-15, portanto não trazem necessariamente problemas auditivos aos colaboradores. Os mesmos também estão expostos a Riscos Químicos devido a poeira do arroz, a Risco Ergonômicos devido a posturas inadequada no ambiente de trabalho no seu trabalho e esforço físico, devido ao levantamento e transporte de sacas e a Riscos de Acidentes PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 12

30 devido a iluminação inadequada no ambiente de trabalho e a outras situações que podem causar acidentes na sua jornada de trabalho ARROZ BENEFICIAMENTO Encarregado de Setor, Servente de Armazém I e II e Operador de Máquina I Atualmente, trabalham no setor de beneficiamento de arroz da unidade 12, 10 (dez) colaboradores divididos em: - 01 (um) Encarregado de Setor; - 03 (três) Servente de Armazém I; - 01 (um) Servente de Armazém II; - 05 (cinco) Operador de Máquina II. Estes colaboradores estão expostos a Riscos Físicos devido ao ruído provenientes de máquinas utilizadas no seu trabalho. Alguns destes níveis de ruído ultrapassam os limites estabelecidos pelo Anexo I da NR-15, portanto podem causar problemas auditivos (perda auditiva) aos colaboradores. Os mesmos também estão expostos a Riscos Químicos devido a poeira do arroz, a Risco Ergonômicos devido a posturas inadequada no ambiente de trabalho no seu trabalho e esforço físico, devido ao levantamento e transporte de sacas e a Riscos de Acidentes devido a iluminação inadequada no ambiente de trabalho e a outras situações que podem causar acidentes na sua jornada de trabalho ARROZ EMPACOTAMENTO Operador de Máquina I e II, Servente de Armazém I e Safrista São 16 (dezesseis) os colaboradores setor de empacotamento de sacos de arroz de 5 kg e 2 kg, e estando assim distribuídos: - 01 (um) Operador de Máquina I; - 01 (um) Operador de Máquina II; - 13 (treze) Servente de Armazém I; - 01 (um) Safrista. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 13

31 Estes colaboradores estão expostos a Riscos Físicos devido ao ruído das máquinas de empacotamento, que ultrapassa os limites de tolerância estabelecidos no Anexo I da NR-15 podendo causar perda auditiva induzida pelo ruído. Os mesmos também estão expostos a Riscos Ergonômicos devido a posturas inadequadas realizadas no exercício de suas atividades, `devido a movimentos repetitivos, esforço físico e a Riscos de Acidentes devido a iluminação inadequada e a outra situações de riscos. PPRA Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. Cotrisel Unidade 12 -Vicente Cardoso 14

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS SETEMBRO / 2005 SANTA MARIA - RS Avenida. Medianeira 1900, Centro Santa Maria/ RS, CEP 97060-002- Fone (55) 3027 8911 Sumário 1 INTRODUÇÃO... 3 2

Leia mais

COTRISEL Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9

COTRISEL Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 COTRISEL Cooperativa Tritícola Sepeense Ltda. PRIM SILVEIRA NEVES UNIDADE 20 VILA NOVA DO SUL - RS Janeiro / 99 SANTA MARIA - RS PPRA Cooperativa

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 MARÇO/ 2004 SANTA MARIA - RS Rua Barão do Triunfo, 862, Santa Maria/RS - CEP: 97015-070 - Fone/Fax: (55) 222-8151 1 SUMÁRIO 1 Aspectos Gerais...3

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 25, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (*) (DOU de 30/12/94 Seção 1 págs 21.280 a 21.282) (Republicada em 15/12/95 Seção

Leia mais

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS JULHO / 2006. SANTA MARIA - RS Avenida. Medianeira 1900, Centro Santa Maria/ RS, CEP 97060-002- Fone (55) 3027 8911 SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO...3 2 CARACTERÍSTICAS

Leia mais

PORTARIA Nº 25, DE 29.12.94, DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO DOU DE 30.12.94, REPUBLICADA NO DE 15.02.95

PORTARIA Nº 25, DE 29.12.94, DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO DOU DE 30.12.94, REPUBLICADA NO DE 15.02.95 PORTARIA Nº 25, DE 29.12.94, DO SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO DOU DE 30.12.94, REPUBLICADA NO DE 15.02.95 Norma Regulamentadora NR 9 Riscos ambientais Nova redação Programa de Prevenção de

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - ANÁLISE GLOBAL - DESTAQUE AVIAÇÃO AGRÍCOLA LTDA. - SÃO PEDRO DO

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT - RESTINGA SECA - DEZEMBRO / 2004 SANTA MARIA - RS 1. DADOS DA EMPRESA Empresa: COOPERATIVA TRITÍCOLA SEPEENSE LTDA COTRISEL Unidade: Vicente Cardoso

Leia mais

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Sinópse Generalidades. Antecedentes Históricos. Conceitos Básicos: - Acidente do Trabalho; - Atividades e Operações Insalúbres; - Riscos Ocupacionais; - Equipamentos

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT - SÃO SEPÉ - DEZEMBRO / 2003 SANTA MARIA - RS 1. DADOS DA EMPRESA 1.1 PERFIL DA EMPRESA Razão Social: A. BOLZAN & CIA LTDA. Endereço: Rua Humaitá,

Leia mais

- PPRA NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria 3.214/78 do M.T.E. MOVELLARE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MÓVEIS LTDA - MATRIZ -

- PPRA NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria 3.214/78 do M.T.E. MOVELLARE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MÓVEIS LTDA - MATRIZ - - PPRA NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria 3.214/78 do M.T.E. MOVELLARE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MÓVEIS LTDA - MATRIZ - MAIO/2013 RESTINGA SECA - RS )* 2 1 Aspectos Gerais 1.1 Aspecto

Leia mais

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho A Consolidação das Leis do Trabalho foi aprovada pelo decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de l.943. Em seu art. 1º a Consolidação estatui as normas

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.4561 PCMSO Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PPRA Programa

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (PPRA) PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (PCMSO)

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (PPRA) PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL (PCMSO) Portaria 3.214/78 do M.T.E. PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA) E PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL PCMSO) MOVELLARE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE MÓVEIS LTDA - MATRIZ - MAIO/2013

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09 - ANALISE GLOBAL - UGLIONE COMÉRCIO DE VEÍCULOS LTDA - AGÊNCIA

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE S AMBIENTAIS Importância PPRA O PPRA é parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no campo da preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores;

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 SETEMBRO / 24 SANTA MARIA - RS 1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...3 2 CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES...4 3 OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO...5 3.1 Da Obrigatoriedade

Leia mais

Prefeitura Municipal de Passo Fundo

Prefeitura Municipal de Passo Fundo ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS 1. OBJETO 2. OBJETIVO 1.1 Prestação de serviços técnicos especializados em Engenharia de segurança do Trabalho, de modo a elaborar e emitir os Laudos

Leia mais

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais ECOMAX SERVICOS AMBIENTAIS LTDA.

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais ECOMAX SERVICOS AMBIENTAIS LTDA. PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais ECOMAX SERVICOS AMBIENTAIS LTDA. 15/10/2012 Vigência do PPRA Identificação Empresa ECOMAX SERVICOS AMBIENTAIS LTDA. Endereço Rua dos Ciclames, 802 Cep Cidade

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS MODELO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS NOME DA EMPRESA PERÍODO Dia / Mês / Ano a Dia / Mês / Ano 1 SUMÁRIO 3 IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 4 4 OBJETIVO GERAL CONDIÇÕES PRELIMINARES 5 DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978. Revogadas NR rurais em 15/04/2008

Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978. Revogadas NR rurais em 15/04/2008 Ministério Trabalho e Emprego -CLT Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978 36 NR (última( (19/04/2013 Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados) Revogadas

Leia mais

PPRA E PCMSO EXIGÊNCIAS E COMPATIBILIDADES. Elizabeth Sadeck Burlamaqui 09.01.2015

PPRA E PCMSO EXIGÊNCIAS E COMPATIBILIDADES. Elizabeth Sadeck Burlamaqui 09.01.2015 EXIGÊNCIAS E COMPATIBILIDADES PCMSO (NR-7) estabelece que o programa deverá ser desenvolvido sob a responsabilidade de um médico coordenador (OBRIGATORIAMENTE MT, podendo este repassar responsabilidades

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 Prof. Me. Vítor Hugo Magalhães Vono Engenheiro de Segurança do Trabalho Lei 6514 de 12/77 Capítulo V da CLT da Segurança e Medicina do Trabalho (art.

Leia mais

Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA

Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA Laudo Técnico de condições Ambientais do Trabalho LTCAT MOBRA SERVIÇOS DE VIGILNCIA LTDA JANEIRO / 2014 DADOS DA EMPRESA Razão Social: MOBRA SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA LTDA. CGC: 87.134.086/0001-23, Endereço:

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO

PROGRAMA DE PREVENÇÃO - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - DOCUMENTO BASE - VIDUTY Indústria de Artigos Decorativos FEVEREIRO

Leia mais

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Transcrito pela Nutri Safety * O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO no uso de suas atribuições legais, e CONSIDERANDO o disposto nos artigos 155

Leia mais

Módulo 2. Elaboração do PPRA; Documento Base; Ferramentas para Elaboração; 1º, 2º e 3º Fases de elaboração.

Módulo 2. Elaboração do PPRA; Documento Base; Ferramentas para Elaboração; 1º, 2º e 3º Fases de elaboração. Módulo 2 Elaboração do PPRA; Documento Base; Ferramentas para Elaboração; 1º, 2º e 3º Fases de elaboração. Elaboração do PPRA Para iniciarmos a elaboração do PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

Leia mais

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO E ATIVIDADES AFINS DE MINAS GERAIS

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO E ATIVIDADES AFINS DE MINAS GERAIS PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO E ATIVIDADES AFINS DE MINAS GERAIS SEDE ANO BASE: MAIO 2016 / MAIO 2017 1- PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes

TIPOS DE RISCOS. Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonómicos Riscos de Acidentes RISCO Consideram-se Risco de Trabalho todas as situações, reais ou potenciais, suscetíveis de a curto, médio ou longo prazo, causarem lesões aos trabalhadores ou à comunidade, em resultado do trabalho.

Leia mais

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): 2 Áreas vazadas: Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) 18.13.1. É obrigatória a instalação de proteção coletiva

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP

INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS. Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP. Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP INSTRUÇÕES BÁSICAS P ARA A ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOS Dilaine RS Schneider SESMT/UNICAMP Maurício Gervanutti SESMT/UNICAMP 2014 1. INTRODUÇÃO Com o decorrer do tempo e os avanços tecnológicos tornando

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL

APOSENTADORIA ESPECIAL FUNDAMENTO LEGAL Artigo 201, 1º, CF/88 Artigo 57 e 58 da Lei 8213/91 Artigo 64 a 70, do Decreto 3048/99 Artigo 246 a 299 da IN 77/2015 CONCEITO É o benefício previdenciário devido ao segurado que tenha

Leia mais

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DO TRABALHO MÉDICO DE CONTAGEM

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DO TRABALHO MÉDICO DE CONTAGEM PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS COOPERCON COOPERATIVA DO TRABALHO MÉDICO DE CONTAGEM PAC SÃO JOSÉ ANO BASE: MAIO 2016 / MAIO 2017 1- PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES C.I.P.A. COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CURSO DE FORMAÇÃO DE CIPEIROS ÍNDICE PÁGINA INTRODUÇÃO 002 RISCOS AMBIENTAIS 003 MAPA DE RISCOS 004 ACIDENTE DO TRABALHO 006 CAUSAS DOS ACIDENTES 007

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS 1. OBJETO 1.1 Prestação de serviços técnicos especializados em Engenharia de segurança do Trabalho, de modo a elaborar o Programa de Prevenção de Riscos

Leia mais

PPRA EMPRESA MODELO LTDA. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Atualização 2008

PPRA EMPRESA MODELO LTDA. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Atualização 2008 EMPRESA MODELO LTDA. PPRA Atualização 2008 De acordo com NR-9 Redação dada pelas Portarias SSST nº 25, de 29/12/94 - DOU de 30/12/94. Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Avaliação de Riscos Avaliação

Leia mais

HOSPITAL DE CARIDADE DR. ASTROGILDO DE AZEVEDO

HOSPITAL DE CARIDADE DR. ASTROGILDO DE AZEVEDO HOSPITAL DE CARIDADE DR. ASTROGILDO DE AZEVEDO CGC 95.610.887/0001-46 Inscrição Municipal 0315.411.661-0 Entidade Filantrópica reconhecida como Utilidade Pública Municipal. Estadual e Federal PPRA PROGRAMA

Leia mais

Segurança a e Saúde no Trabalho

Segurança a e Saúde no Trabalho Metodologia de inspeção nos locais de trabalho: Portaria No. 5 do DSST de 17/08/92 Portaria No. 25 da SSST de 29/12/1992 Etapas de planejamento 1o. Conhecer os trabalhos anteriores 2o. Levantar a Planta

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS - NORMA REGULAMENTADORA Nº 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS 9.1 - Do Objeto e Campo de Aplicação Item 9.1 da NR 9 alterado pelo art. 1º da Portaria SSST nº 25 - DOU 30/12/1994 - Republicada

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

PROTEGE MEDICINA EMPRESARIAL ASSISTENCIAL LTDA. Rodovia RS 509 Km 01, 1024 - Santa Maria/RS Telefone: 55 3223 7560 PPRA

PROTEGE MEDICINA EMPRESARIAL ASSISTENCIAL LTDA. Rodovia RS 509 Km 01, 1024 - Santa Maria/RS Telefone: 55 3223 7560 PPRA PROTEGE MEDICINA EMPRESARIAL ASSISTENCIAL LTDA. Rodovia RS 509 Km 01, 24 - Santa Maria/RS Telefone: 55 3223 7560 PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (PREVISTO NA NORMA REGULAMENTADORA NR 9)

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 9 - DOCUMENTO BASE - STANGHERLIN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA - ARENAL

Leia mais

GERÊNCIA DE SAÚDE E PREVENÇÃO PPRA GOIÂNIA-GO,... /2012

GERÊNCIA DE SAÚDE E PREVENÇÃO PPRA GOIÂNIA-GO,... /2012 PPRA GOIÂNIA-GO,... /2012 ÍNDICE I- Identificação e Caracterização do Órgão II- Introdução II.1 Objetivos II.2 Aspectos Gerais II.3 Responsabilidades II.4 Análise dos Riscos II.5 Siglas III- Orientações

Leia mais

16/ 02 /2008 15/ 02 /2009

16/ 02 /2008 15/ 02 /2009 VIGÊNCIA: 1 ANO EMPRESA: Virtual Machine Data da Elaboração Data de Vencimento 16/ 02 /2008 15/ 02 /2009 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: Virtual Machine ME CNPJ: 08.693.563/0001.14 CNAE: 4751200

Leia mais

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO UNESP-2014 DANIELLE VARGAS E-mail:danielle@franca.unesp.br COSTSA Grupo de Segurança e Sustentabilidade Ambiental -7 (sete) TST -1 engenheiro de Segurança -1 engenheiro eletricista

Leia mais

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS Alunos: Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR 7 PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Esta Norma Regulamentadora - NR

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Normas Regulamentadoras (NR) As Normas Regulamentadoras (NR s), criadas pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE), tem como objetivo estabelecer

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT - SANTA MARIA/RS - MARÇO/2006 SANTA MARIA RS 1 1. DADOS DA EMPRESA Empresa: AUTO MECÂNICA UNIVERSITÁRIA LTDA. Endereço: Rua Tuiuti 835, Centro.

Leia mais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais

Riscos Ambientais. Riscos Ambientais Riscos Ambientais Riscos Ambientais São os agentes, elementos ou substâncias presentes nos locais de trabalho. A exposição dos trabalhadores a estes agentes pode causar acidentes com lesões ou danos à

Leia mais

PPRA. PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS -Portaria 3.214 de 1978 NR 09 - (Documento Base)

PPRA. PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS -Portaria 3.214 de 1978 NR 09 - (Documento Base) PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS -Portaria 3.214 de 1978 NR 09 - (Documento Base) Santa Maria RS Outubro de 2013 á Outubro 2014 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES...

Leia mais

PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA ARMANDO CAMPOS

PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA ARMANDO CAMPOS PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA LEGISLAÇÃO E NORMAS: RUÍDO CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO - CAPÍTULO V NORMA REGULAMENTADORA 15 - NR 15, ANEXOS 1 E 2 (LIMITES DE TOLERÂNCIA) DECRETO 3048/1999 - INSS

Leia mais

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express Apresentação 2 PPRA perguntas & respostas 3 PCMSO perguntas & respostas 5 Links Úteis 6 apresentação

Leia mais

Documentos Obrigatórios em UANs

Documentos Obrigatórios em UANs Documentos Obrigatórios em UANs Profa. Ms Kelly Ribeiro Amichi DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Para o funcionamento de uma UAN, existe a documentação obrigatória exigida pela legislação. Essa documentação deve

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

TLONAN LOGÍSTICA. PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Março de 2016

TLONAN LOGÍSTICA. PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Março de 2016 TLONAN LOGÍSTICA PPRA - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Março de 2016 T. Lonan Logística LTDA Est. do Lameirão Pequeno, 136 Campo Grande, Rio de Janeiro, RJ Tel.: +55 21 2411-1317 Fax : + 55

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR - 9 MARÇO/ 2004 SANTA MARIA - RS Rua Barão do Triunfo, 862, Santa Maria/RS - CEP: 97015-070 - Fone/Fax: (55) 222-8151 1 SUMÁRIO 1 Aspectos Gerais...3

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 9 - DOCUMENTO BASE - FILIAL 2 ADMINISTRAÇÃO E ARMAZÉNS DONA FRANCISCA

Leia mais

Riscos à Saúde dos Trabalhadores na Operação Portuária. Antônio Carlos Garcia Júnior Pesquisador da Fundacentro antonio.garcia@fundacentro.gov.

Riscos à Saúde dos Trabalhadores na Operação Portuária. Antônio Carlos Garcia Júnior Pesquisador da Fundacentro antonio.garcia@fundacentro.gov. Riscos à Saúde dos Trabalhadores na Operação Portuária Antônio Carlos Garcia Júnior Pesquisador da Fundacentro antonio.garcia@fundacentro.gov.br Marco Teórico O campo de estudo da Saúde do Trabalhador

Leia mais

"L.T.C.A.T" LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO. Demonstração LTDA CST INFORMÁTICA LTDA.

L.T.C.A.T LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO. Demonstração LTDA CST INFORMÁTICA LTDA. LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO "L.T.C.A.T" Demonstração LTDA Fevereiro / 2008 SUMÁRIO Demonstração LTDA 4 Administração 7 Assistente Administrativo 8 Auxiliar de Escritório 9 Manutenção

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral)

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Curso Técnico Segurança do Trabalho Higiene, Análise de Riscos e Condições de Trabalho MÄdulo 5 Programa PrevenÇÉo Riscos Ambientais (VisÉo Geral) Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade

Leia mais

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS

ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 124 ANÁLISE DOS RISCOS AMBIENTAIS EM POSTO DE REVENDA DE COMBUSTÍVEIS Fernando Henrique Camargo Jardim¹ 1 Engenheiro

Leia mais

INSPEÇÃO DE SEGURANÇA

INSPEÇÃO DE SEGURANÇA INSPEÇÃO DE SEGURANÇA Grupo 01 Riscos Físicos 01. Existe ruído constante no setor? 02. Existe ruído intermitente no setor? 03. Indique os equipamentos mais ruidosos: 04. Os funcionários utilizam Proteção

Leia mais

SEGURANÇA DO TRABALHO

SEGURANÇA DO TRABALHO GESTÃO DE PESSOAS EM UAN / UPR SEGURANÇA DO TRABALHO Profª Celeste Viana TREINAMENTO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Portaria 3.214/78, NR nº9, subítem 9.5.2: Os empregadores deverão informar aos trabalhadores, de

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO RAZÃO SOCIAL: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia. CNPJ: 10.817.343/0003-69 ENDEREÇO: BR 174, KM 03, S/N, Caixa Postal 247 Zona Urbana CEP: 76.980-000

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE UNIVERSITARIA DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS SETORES DE ADMINISTRAÇÃO DE PREDIOS E VIGILANCIA.

PREFEITURA DA CIDADE UNIVERSITARIA DIVISÃO DE SERVIÇOS GERAIS SETORES DE ADMINISTRAÇÃO DE PREDIOS E VIGILANCIA. Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Pró-Reitoria de Recursos Humanos Coordenadoria de Qualidade de Vida do Servidor PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL PREFEITURA

Leia mais

12 - GERENCIAMENTO DE RISCOS

12 - GERENCIAMENTO DE RISCOS Módulo II STH - SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 12 - GERENCIAMENTO DE RISCOS BASES TÉCNICAS PARA O CONTROLE DOS FATORES DE RISCO E A MELHORIA DOS AMBIENTES E CONDIÇÕES DE TRABALHO A eliminação ou a redução

Leia mais

Engenheiro de Segurança do Trabalho

Engenheiro de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação 02

Leia mais

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA 1.1. Motivação para a Contratação: A contratação constante do objeto em questão é justificada em virtude do término do atual contrato; da impreterível necessidade

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR EMPRESA: XXXX CNPJ: XXXXXXXXXXXXX LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR ELABORAÇÃO: DR. XXXXX ENG. DE SEGURANÇA DO TRABALHO CREA: XXXX JULHO/2000 ÍNDICE

Leia mais

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base

PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Documento Base [informe a unidade/complexo] Anexo 1 do PGS-3209-46-63 Data - 07/10/2013 Análise Global: - [informe o número e data da análise] p. 1/27 Sumário

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Segundo a OMS, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste num estado de bem-estar estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidades.

Leia mais

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho;

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho; Curso: Técnico de Segurança do Trabalho Curso Reconhecido pelo MEC: PORTARIA N 959/2007 Apresentação: O curso de Técnico de Segurança do Trabalho da Conhecer Escola Técnica é reconhecido pela excelência

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA FUNDEPES / SEDE ADMINISTRATIVA

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA FUNDEPES / SEDE ADMINISTRATIVA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA FUNDEPES / SEDE ADMINISTRATIVA 1 Maceió-AL Junho/2015 SUMÁRIO 1.0 Introdução 03 2.0 Programa de Prevenção PPRA 04 3.0 Objetivo do Programa de Prevenção PPRA

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO RAZÃO SOCIAL: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia. CNPJ: 10.817.343/0002-88 ENDEREÇO: Rua Rio Amazonas, 151, Jardim dos Migrantes CEP: 76.900-730 MUNICIPIO:

Leia mais

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS MARÇO DE 2013 A MARÇO DE 2014 PPRA NWN Logística LTDA - Aparecida de Goiânia PRRA-2013/2014 Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Atendendo a Lei N

Leia mais

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS MAPA DE RISCOS Previsto na NR 5. 5.16 A CIPA terá por atribuição: a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT

LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT LAUDO TÉCNICO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO TRABALHO LTCAT - SÃO SEPÉ - SETEMBRO / 2004 SANTA MARIA - RS 1. DADOS DA EMPRESA Empresa: COOPERATIVA TRITÍCOLA SEPEENSE LTDA COTRISEL Unidade: Coronel Veríssimo

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Perigos e Riscos de SST

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Perigos e Riscos de SST PÁG. 1/8 1. OBJETIVO Definir a sistemática para identificação contínua de perigos, avaliação de riscos de e determinação de medidas de controle para redução dos riscos de, seguindo a hierarquia: eliminação,

Leia mais

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA SSST Nº 11, de 13/10/1994 "Publica a minuta do Projeto de Reformulação da Norma Regulamentadora nº 9 - Riscos Ambientais com o seguinte título: Programa de Proteção a Riscos Ambientais". A SECRETARIA

Leia mais

Governador do Estado do Rio de Janeiro. Secretário de Estado de Trabalho e Renda

Governador do Estado do Rio de Janeiro. Secretário de Estado de Trabalho e Renda Governador do Estado do Rio de Janeiro Sérgio Cabral Secretário de Estado de Trabalho e Renda Sergio Zveiter Superintendência de Saúde, Segurança e Ambiente do Trabalho Engenheiro de Segurança do Trabalho

Leia mais

INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO SOLUÇÕES PARA RUÍDO OCUPACIONAL

INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO SOLUÇÕES PARA RUÍDO OCUPACIONAL INSTITUTO DE ENGENHARIA DE SÃO PAULO SOLUÇÕES PARA RUÍDO OCUPACIONAL HISTÓRIA DE CASOS DIVISÃO TÉCNICA SEGURANÇA NO TRABALHO e DIVISÃO TÉCNICA DE ACÚSTICA 22/05/2012 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO ALGUNS

Leia mais

LAUDO DE CONCESSÃO DE ADICIONAL - Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (NIMA) -

LAUDO DE CONCESSÃO DE ADICIONAL - Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (NIMA) - U4 lllji!íi'i- ) UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA LAUDO DE CONCESSÃO DE ADICIONAL - Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (NIMA) - Laudo 082-010/2012 2012 INSALUBRIDADE PERICULOSIDADE RADIAÇÃO IONIZANTE,

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora - NR 09 - DOCUMENTO BASE - COOPERATIVA MISTA DOS AGRICULTORES DE TOROPI

Leia mais

Levantamento dos riscos ocupacionais presentes em uma indústria de sorvetes

Levantamento dos riscos ocupacionais presentes em uma indústria de sorvetes Levantamento dos riscos ocupacionais presentes em uma indústria de sorvetes Nívio Batista Santana (UESB) - niviobs@hotmail.com Cristina Xavier dos Santos (UESB) - cris.salinas@bol.com.br Luciano Brito

Leia mais

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES (AS) DA EMPRESA. 03 EPI s EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Rua Doutor Faivre, 888 - Fone: (41) 3264-4211 Fax: (41) 3264-4292 01 - DADOS GERAIS DA EMPRESA NOME: CNPJ: ENDEREÇO: MUNICÍPIO: CEP: FONE / FAX: PROPRIETÁRIO: ENCARREGADO: 02 - NÚMERO DE TRABALHADORES

Leia mais

10','~ LAUDO DA AVALIAÇÃO AMBIENTAL - CENTRO DE RECURSOS HUMANOS - CRH - UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA GRATIFICAÇÃO DE TRABALHOS COM RAIOS-X

10','~ LAUDO DA AVALIAÇÃO AMBIENTAL - CENTRO DE RECURSOS HUMANOS - CRH - UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA GRATIFICAÇÃO DE TRABALHOS COM RAIOS-X 10',' UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA LAUDO DA AVALIAÇÃO AMBIENTAL - - Laudo 12-004/2011 2011 ADICIONAL ADICIONAL DE INSALUBRIDADE DE PERICULOSIDADE GRATIFICAÇÃO DE TRABALHOS COM RAIOS-X de Documento ltipo

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE n.º 3214/78, Portaria SSST n.º 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - DOCUMENTO BASE - JANEIRO / 2011 SANTA MARIA - RS 1 SUMÁRIO

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO

IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO IDENTIFICAÇÃO DO ÓRGÃO RAZÃO SOCIAL: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia. CNPJ: 10.817.343/0001-05. ENDEREÇO: Av. 7 de Setembro, 2090 Nossa Senhora das Graças. CEP: 76.804-124.

Leia mais

PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar. Prof. Ricardo Henrique de L Silva

PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar. Prof. Ricardo Henrique de L Silva Classificação Conceito de Higiene dos riscos Industrial ambientais PPRA Mitos e Verdades Como Elaborar Prof. Ricardo Henrique de L Silva ricardo.henrique@caruaru.ifpe.edu.br O QUE O PPRA? PARA QUE SERVE

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI

NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI ANEXO II NORMAS TÉCNICAS APLICÁVEIS AOS EPI Equipamento de Proteção Individual EPI Enquadramento NR 06 Anexo I A PROTEÇÃO DA CABEÇA Proteção da cabeça contra: A.1.1. Impactos de objetos sobre o crânio;

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA (NR/9) (PERÍODO: 01/04/2012 À 01/04/ 2013)

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA (NR/9) (PERÍODO: 01/04/2012 À 01/04/ 2013) PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA (NR/9) (PERÍODO: 01/04/2012 À 01/04/ 2013) DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAIS - PPRA Empresa : Departamento

Leia mais