Dinâmica da Litosfera Susana Prada. Teoria da deriva dos continentes. A Terra antes da Pangea

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dinâmica da Litosfera Susana Prada. Teoria da deriva dos continentes. A Terra antes da Pangea 18-03-2015"

Transcrição

1 Dinâmica da Litosfera Susana Prada A Terra antes da Pangea Fim do Precâmbrico: Supercontinente RODINIA Início do Paleozóico: início da 2ª deriva continental Teoria da deriva dos continentes Proposta pela primeira vez por Alfred Wegener em 1912 Fim do Paleozóico: Supercontinente PANGEA 3ª deriva continental tem início no Mesozóico e ainda decorre

2 Teoria da Tectónica de Placas A litosferaé constituída por diversos blocos individuais, que encaixam e se movem entre si, chamados placas litosféricas; A litosfera oceânica é gerada nas dorsais, desliza sobre um substrato viscoso e é destruída nas zonas de subducção. Não existem, atualmente, fundos oceânicos com mais de 200 Ma. Porque se movem as placas? 1. Por convecçãodo manto superior: o calor proveniente do interior aquece as rochas que se expandem, a densidade diminui e estas elevam-se. À medida que fluem horizontalmente sob a litosfera, arrefecem, a sua densidade aumenta e afundam, à velocidade de alguns cm/ano; 2. Devido à impulsão provocada pela ascensão de lava que irrompe sob pressão nos rifts. 3. À medida que aumenta a distância à dorsal, a litosfera aumenta de espessura e afunda sob a influência da gravidade provocando tracção. O limite entre as placas pode coincidir ou não com o bordo dos continentes. A maioria das fronteiras entre as placas nãocoincide com os limites dos continentes: Principais Placas Litosféricas: Placa norte Americana Placa sul Americana Placa Africana Placa das Caraíbas Placa de Cocos Placa de Nazca Placa do Pacífico Placa das Filipinas Placa Indo-Australiana Placa Euro-Asiática Placa da Arábia Placa da Anatólia Placa do Antárctico Placa de Juan de Fuca

3 Principais Placas Litosféricas: Limites ou fronteiras entre placas 1. Limite Divergente:bordo construtivo, onde ocorre o fenómeno da acrecção oceânica -a crosta oceânica forma-se sem cessar. Dorsal ou crista média oceânica e Rifte 2. Limite Convergente:bordo destrutivo, onde ocorre a destruição da litosfera. Zona de Subducção e Cadeia de Montanhas 3. Limite Transformante:onde as placas deslizam lateralmente, em sentidos opostos, sem criar nem destruir litosfera. Retalham perpendicularmente as dorsais 1. Limite Divergente Fronteiras Divergentes: Fronteiras Convergentes: Fronteiras Transformantes:

4 Cristas médio-oceânicas são visíveis, à superfície, na Islândia Dorsal ou Crista do oceano Atlântico Oceano Atlântico: tem cerca de 200 Ma de expansão Dorsal de acreção lenta: < 4 cm/ano, no Atlântico e no Índico Dorsal de acreção rápida: > 4 cm/ano, no Pacífico 1mm/ano = 1km/1Ma O grande vale do Rift em África: formação do Mar Vermelho e dos Grandes Lagos Formação da placa da Somália

5 Margem continental passiva: não ocorre convergência, a litosfera oceânica encontra-se solidária com a litosfera continental. 2. Limites Convergentes A. Oceano/Oceano (há subducção) B. Oceano/Continente (há subducção) C. Continente/Continente (há enrrugamento) A. Convergência oceano/oceano: Arcos insulares Arcos insulares Arquipélago Tonga Kermadec (Pacífico sul) Ilhas Marianas (Pacífico) Arquipélago de Vanuatu (Pacífico sul) Ilhas Fiji (Pacífico sul) Arquipélago das Aleutas (Pacífico norte) Pequenas Antilhas (Mar das Caraíbas) Ilhas Sandwich do Sul (Atlântico sul)

6 Prisma de Acreção ou Arco Sedimentar Bacia frontal: espaço submarino entre as ilhas vulcânicas e o prisma de acreção Os prismas de acreção são produzidos na região que marca o início da zona de subducção, através da acumulação dos sedimentos que a litosfera oceânica mergulhante, transporta sem cessar A. Bacia profunda, prisma de acreção pequeno B. Prisma de acreção saliente (Barbados) C. Bacia cheia de sedimentos D. Plataforma continental sem bacia frontal E. Prisma de acreção bem emerso (baía de Cook) Prisma de acreção emerso: Pequenas Antilhas no mar das Caraíbas (ilha de Barbados) B. Convergência oceano/continente: Arcos vulcânicos

7 Margens continentais activas: Estão situadas na vertical de uma zona de subducção e possuem atividade sísmica e vulcânica São efetivamente o bordo de um continente, arco vulcânico, caso dos Andes, ou São arcos insulares, separados do continente por um mar marginal, caso do arco do Japão. Origem de um mar marginal 1. Margem continental activa com subducção oceano/continente 2. Ruptura e formação de crosta oceânica recente 3. Formação de arco insular sobre substrato de crosta continental granítica, separado do continente por um mar marginal C. Convergência continente/continente: Cadeias montanhosas resultantes de colisão continental(desde os Alpes aos Himalaias) A mais desenvolvida é entre as placas Indo-Australiana e a Euro-Asiática: Movimento desde há 80 Ma até a atualidade.

8 Tipo de limites convergentes: 1. Subducção oceanooceano; Oceano-continente; Oceano-continente, com mar marginal; 2. Colisão continentecontinente Diferentes fronteiras entre placas 3. Limites Transformantes São zonas de intensa actividade sísmica Tipos de falhas transformantes: 1. Falhas entre dorsal 2. Falhas entre dorsal e zona de subducção 3. Falhas entre zonas de subducção

9 Falha de Santo André (Califórnia) Actividade sísmica: 95% ocorre na fronteira entre placas Origem dos Tsunamis O arco insular da Indonésia: O fundo do mar (normalmente o prisma de acreção) é deformado e provoca movimento na água, que desencadeia, à superfície, a onda (velocidade superior a 500km/h e altura entre 30 a 60cm); Com a diminuição da profundidade, a onda gerada diminui de velocidade (45km/h) e aumenta em altura (até 30m). A placa Indo-Australiana mergulha sob a placa Euro- Asiática Taxa de 5 a 6 cm/ano

10 Magnitude e intensidade de um sismo Sismo em Sumatra, no arco da Indonésia, no dia 26 de Dezembro de 2004, com magnitude 9,1 A MAGNITUDEde um sismo é um valor calculado com base na quantidade de energia libertada no local da ruptura, também chamado HIPOCENTRO ou FOCO ou sismo. O valor da MAGNITUDE corresponde a uma função logarítmica. O valor da INTENSIDADEdescreve o grau de destruição de um sismo com base nos estragos observados à superfície da Terra, nas construções como é sentido Um SISMOpossui uma só MAGNITUDE, mas é sentido com INTENSIDADE diferente conforme a distância do local ao EPICENTRO. Actividade vulcânica: 90% dos vulcões activos ocorrem nas fronteiras entre placas Os vulcões são muito explosivos nos limites convergentes

11 Monte de Santa Helena antes e depois da erupção de 1980 (arco vulcânico) Unzen e Fujiyama no Japão (arco insular) A ilha de Krakatoa, localizada junto da ilha de Sumatra (arco insular) desapareceu quando o vulcão do monteperbuatan, entrou em erupção, em Em 1927, nova erupção formou a filha de Krakatoa Monte Pinatubo, Filipinas (arco insular) 150m de altura e 2km 2 de área A cratera do vulcão

12 10% da actividade vulcânica ocorre misteriosamente no interior das placas: Hot spots Plumas Mantélicas Em 1971 Morgan propôs que os hot spots resultavam de plumas de magma com origem na interface entre o manto e o núcleo. Mais recentemente, foi referido que estas têm origem no topo do manto inferior Passados alguns anos, mantém-se a controvérsia quanto à sua existência. PLUMA MANTÉLICA: Corrente colunar ascendente de material sólido, menos denso e mais quente do que o material envolvente. Características dos hot spots: vulcões alinhados mas apenas uma das extremidades do alinhamento possui vulcões activos.

13 Hot Spots Relevos vulcânicos, sismicamente inactivos Hot spot em crosta continental: Parque Nacional de Yellowstone, nos EUA Hot spot em crosta oceânica: Hawai Islândia: ilha vulcânica resultante de um hot spot coincidente com um rift O Hot Spot Madeira: com o movimento da placa para NE foram-se formando sucessivos relevos vulcânicos. A Madeira é a expressão mais recente, com 7Ma

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA

GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA Segunda 7 às 9h Quarta 9 às 12h museu IC II Aula 2 Deriva continental e Tectônica de placas Turma: 2015/2 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Dinâmica da Terra Deriva

Leia mais

Figura 1 Fragmentação e evolução dos continentes desde a Pangeia até à atualidade: A Pangeia à 225 milhões de anos, B Continentes na atualidade.

Figura 1 Fragmentação e evolução dos continentes desde a Pangeia até à atualidade: A Pangeia à 225 milhões de anos, B Continentes na atualidade. 1. Dinâmica interna da Terra 1.1. Deriva dos Continentes e Tectónica de Placas 1.1.1. Teoria da Deriva Continental Esta teoria foi apresentada por Wegener em 1912, e defendia que os continentes, agora

Leia mais

Qual a força que move os continentes? SabinaValente

Qual a força que move os continentes? SabinaValente Qual a força que move os continentes? SabinaValente Teoria da Tectónica de Placas (1968): A litosfera (ou a parte rígida da Terra) é constituída por segmentos, chamados PLACAS, que se movem sobre um substrato

Leia mais

Vulcanismo e Tectónica de Placas

Vulcanismo e Tectónica de Placas Vulcanismo e Tectónica de Placas Fig. 1 Sistema de reciclagem da crosta e vulcanismo nas fronteiras tectónicas. Margens convergentes e divergentes A superfície da Terra é constituída por placas diferenciadas

Leia mais

Aula 10 TECTÔNICA DE PLACAS: A TEORIA

Aula 10 TECTÔNICA DE PLACAS: A TEORIA TECTÔNICA DE PLACAS: A TEORIA Aula 10 META Apresentar a teoria, os mecanismos de movimentação das placas litosféricas e os principais limites de placas, assim como as atividades geológicas e grandes feições

Leia mais

Parte 1 Formação geológica

Parte 1 Formação geológica AULA 1 CONTINENTES Parte 1 Formação geológica O Planeta Terra é formado por seis continentes: África, América, Antártica, Ásia, Europa e Oceania. A Terra apresenta 149.440.850 quilômetros quadrados de

Leia mais

Objetivo da aula: conhecer a estrutura interna da Terra, e os fenômenos associados a essa estrutura como os terremotos e vulcões.

Objetivo da aula: conhecer a estrutura interna da Terra, e os fenômenos associados a essa estrutura como os terremotos e vulcões. Professor: Josiane Vill Disciplina: Geografia Série: 1ª Ano Tema da aula: Estrutura Interna da Terra (pag. 59 a 69 Objetivo da aula: conhecer a estrutura interna da Terra, e os fenômenos associados a essa

Leia mais

ESCOLA FERREIRA CASTRO 13/14 PROFª SANDRA NASCIMENTO III TECTÓNICA DE PLACAS

ESCOLA FERREIRA CASTRO 13/14 PROFª SANDRA NASCIMENTO III TECTÓNICA DE PLACAS ESCOLA FERREIRA CASTRO 13/14 PROFª SANDRA NASCIMENTO III TECTÓNICA DE PLACAS Regresso à deriva continental O interesse pela Teoria da Deriva Continental reacendeu-se, por volta de 1950, quando se começou

Leia mais

ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO

ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE ASTRONOMIA, GEOFÍSICA E CIÊNCIAS ATMOSFÉRICAS Departamento de Geofísica EXPOSIÇÃO ITINERANTE DO MUSEU DE CIÊNCIAS DA USP ÁGUA: UMA VIAGEM NO MUNDO DO CONHECIMENTO

Leia mais

Deriva Continental LITOSFERA

Deriva Continental LITOSFERA LITOSFERA Deriva Continental De acordo com determinadas teorias científicas, a crosta terrestre não é uma camada rochosa inteiriça, e sim, fragmentada. A primeira teoria a defender essa tese ficou conhecida

Leia mais

O vulcanismo, de acordo com os fenómenos observados, pode ser classificado como primário ou secundário:

O vulcanismo, de acordo com os fenómenos observados, pode ser classificado como primário ou secundário: 1. Vulcanismo O vulcanismo ou a atividade vulcânica consiste na libertação de produtos gasosos, líquidos e/ou sólidos para o exterior da crosta terrestre. Esta saída pode ser através de aberturas na superfície

Leia mais

NDAMENTOS DE GEOLOGIA E GEOQUÍMICA PROF. DR. DONIZETI ANTONIO GIUSTI

NDAMENTOS DE GEOLOGIA E GEOQUÍMICA PROF. DR. DONIZETI ANTONIO GIUSTI NDAMENTOS DE GEOLOGIA E GEOQUÍMICA PROF. DR. DONIZETI ANTONIO GIUSTI ESTRUTURA DA TERRA SISMOLOGIA GEOTERMIA VULCANISMO Kircher 1678 (Terra heterogênia em Mundus Sbterraneus. Kelvin 1873 (Termodinâmica

Leia mais

AULA 9: BORDAS DE PLACAS TRANSFORMANTES

AULA 9: BORDAS DE PLACAS TRANSFORMANTES GEOTECTÔNICA TECTÔNICA GLOBAL Prof. Eduardo Salamuni AULA 9: BORDAS DE PLACAS DIVERGENTES E TRANSFORMANTES EVOLUÇÃO DAS BORDAS DIVERGENTES A evolução se faz em 3 estágios Rifting: abertura de vale em rift

Leia mais

- Principal agente das mudanças de estado: Tectônica Global.

- Principal agente das mudanças de estado: Tectônica Global. Classificação de bacias sedimentares: mecanismos de subsidência e contexto tectônico - Bacias sedimentares: áreas da superfície terrestre que sofrem ou sofreram subsidência continuada. - Subsidência resposta

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7º Ano. Ano Lectivo: 2010/2011

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7º Ano. Ano Lectivo: 2010/2011 PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 7º Ano Ano Lectivo: 2010/2011 Competências Temas/Unidades Conteúdos _ Conhecer a constituição do Universo e do Sistema Solar _ Conhecer as características

Leia mais

ESTRUTURA GEOLÓGICA E RELEVO AULA 4

ESTRUTURA GEOLÓGICA E RELEVO AULA 4 ESTRUTURA GEOLÓGICA E RELEVO AULA 4 ESCALA DO TEMPO GEOLÓGICO Organiza os principais eventos ocorridos na história do planeta ERA PRÉ -CAMBRIANA DESAFIO (UEPG) ex. 1 p. 181 - A história e a evolução da

Leia mais

2- CONTINENTE EUROPEU.

2- CONTINENTE EUROPEU. COLÉGIO SANTA ROSA PROFESSOR: CARLOS FERREIRA. SÉRIE: 7ª ASSUNTO: O MUNDO ATUAL DIVISÃO DO MUNDO CONTINENTES são grandes porções de terra que abrigam diferentes formas de vida, vegetação, clima, geografia,

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 2ª PROVA PARCIAL DE GEOGRAFIA Aluno(a): Nº Ano: 6º Turma: Data: 02/06/2012 Nota: Professor(a): Élida Valor da Prova: 40 pontos Orientações gerais: 1) Número de questões desta prova: 12 2) Valor das questões:

Leia mais

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano)

Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) Teste diagnóstico de Geologia (10.º ano) 10.º Ano Objetivos Averiguar os conhecimentos prévios dos alunos acerca de alguns dos temas de Geociências que irão ser tratados ao longo do ensino secundário,

Leia mais

O que vemos aí? Continentes, vegetação: regiões mais claras (secas).

O que vemos aí? Continentes, vegetação: regiões mais claras (secas). 1 2 O que vemos aí? Continentes, vegetação: regiões mais claras (secas). África saariana: barreira à dispersão de espécies. Destaque em azul: estreito de Bering. Destaque em vermelho: Fendas Marianas.

Leia mais

Como ocorre um Tsunami

Como ocorre um Tsunami Como ocorre um Tsunami O QUE É O tsunami é uma onda gigante gerada por distúrbios sísmicos, que possui alto poder destrutivo quando chega à região costeira. A palavra vem do japonês "tsu" (porto, ancoradouro)

Leia mais

Relevo GEOGRAFIA DAVI PAULINO

Relevo GEOGRAFIA DAVI PAULINO Relevo GEOGRAFIA DAVI PAULINO Relevo É a forma da superfície terrestre, que apresenta variação de nível de um local para outro. Tem uma influência pesada em outros fenômenos, como a urbanização e as atividade

Leia mais

Deriva Continental e Tectônica de Placas

Deriva Continental e Tectônica de Placas Deriva Continental e Tectônica de Placas 1 A teoria da tectônica de placas é muito recente, e tem trazido grande ajuda na compreensão dos fenômenos observados na Terra. Abraham Ortelius, um elaborador

Leia mais

Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 1º. Pré Universitário Uni-Anhanguera

Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 1º. Pré Universitário Uni-Anhanguera Lista de Exercícios-02-Bimestre I Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Anderson José Soares Série: 1º Disciplina: Geografia Data da prova: 01 - (UNESP SP/2006/Conh Gerais - Verão)

Leia mais

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 21 GEOLOGIA GERAL

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 21 GEOLOGIA GERAL GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 21 GEOLOGIA GERAL Como pode cair no enem O Japão é um país de geologia recente. Essa afirmativa confere ao país em questão uma série de características que estão apresentadas

Leia mais

Tsunamis INTERNATIONAL CENTRE FOR COASTAL ECOHYDROLOGY. Oficina da Prevenção das Catástrofes Naturais Departamento Educacional do ICCE

Tsunamis INTERNATIONAL CENTRE FOR COASTAL ECOHYDROLOGY. Oficina da Prevenção das Catástrofes Naturais Departamento Educacional do ICCE Tsunamis Um tsunami caracteriza-se por uma série de ondas destruidoras e poderosas. Ocorrem após perturbações abruptas que deslocam verticalmente a coluna de água, tais como um sismo, atividade vulcânica,

Leia mais

10ºC Fevereiro 2008 Teste A Página 1

10ºC Fevereiro 2008 Teste A Página 1 ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. JOÃO DA TALHA FICHA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA Biologia/Geologia ano1 NOME Nº TURMA CLASSIFICAÇÃO PROFESSORA I Yellowstone foi classificado como Parque Nacional, pelo governo americano,

Leia mais

Capítulo 2. Mecanismos de geração dos sismos

Capítulo 2. Mecanismos de geração dos sismos Capítulo 2. Mecanismos de geração dos sismos A estrutura da Terra. Origem dos sismos. Teorias dos mecanismos sísmicos. As falhas como geradoras de sismos. Geometria, tipo e classificação da sua actividade.

Leia mais

Estrutura da Terra e Tectônica de Placas

Estrutura da Terra e Tectônica de Placas Estrutura da Terra e Tectônica de Placas Terremoto Japão março 2011 Tsunami Japão março 2011 Decifrando a Terra Teixeira, Toledo, Fairchild & Taioli Ed.Oficina de Textos Para Entender a Terra Press, Siever,

Leia mais

EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DO TERRITÓRIO NACIONAL

EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DO TERRITÓRIO NACIONAL EVOLUÇÃO GEOLÓGICA DO TERRITÓRIO NACIONAL O Brasil apresenta, em seu território, um dos mais completos registros da evolução geológica do planeta Terra, com expressivos testemunhos geológicos das primeiras

Leia mais

Os 10 vulcões mais destruidores da história

Os 10 vulcões mais destruidores da história Os 10 vulcões mais destruidores da história Publicado em 25.10.2011 A ciência melhorou com os anos, sim, e muito, mas ainda assim, não dá para arriscar morar em áreas de atividade vulcânica. Tanto criaturas

Leia mais

GEOLOGIA! Professor: Adilson Soares E- mail: adilson.soares@unifesp.br Site: www.geologia.tk

GEOLOGIA! Professor: Adilson Soares E- mail: adilson.soares@unifesp.br Site: www.geologia.tk GEOLOGIA! Professor: Adilson Soares E- mail: adilson.soares@unifesp.br Site: www.geologia.tk TERREMOTOS (Cap. 19) Earthquake Effects - Ground Shaking Northridge, CA 1994 Earthquake Effects Ground Shaking

Leia mais

AULA 10a: BORDAS DE ASPECTOS GERAIS

AULA 10a: BORDAS DE ASPECTOS GERAIS GEOTECTÔNICA TECTÔNICA GLOBAL Prof. Eduardo Salamuni AULA 10a: BORDAS DE PLACAS CONVERGENTES ASPECTOS GERAIS EVOLUÇÃO DAS BORDAS CONVERGENTES Introdução As bordas convergentes envolvem a subducção, isto

Leia mais

AULA 02 2.1 - DINÂMICA INTERNA DA TERRA COM CONSEQUÊNCIAS NA SUPERFÍCIE 2.2 - GEOLOGIA HISTÓRICA E DO ESTADO DE SANTA CATARINA

AULA 02 2.1 - DINÂMICA INTERNA DA TERRA COM CONSEQUÊNCIAS NA SUPERFÍCIE 2.2 - GEOLOGIA HISTÓRICA E DO ESTADO DE SANTA CATARINA AULA 02 2.1 - DINÂMICA INTERNA DA TERRA COM CONSEQUÊNCIAS NA SUPERFÍCIE 2.2 - GEOLOGIA HISTÓRICA E DO ESTADO DE SANTA CATARINA Profᵃ. Drᵃ. Carolina Riviera Duarte Maluche Barettta carolmaluche@bol.com.br

Leia mais

Frank Press Raymond Siever John Grotzinger Thomas H. Jordan. Entendendo a Terra. 4a Edição. Cap 2: Placas Tectônicas: A Teoria Unificada

Frank Press Raymond Siever John Grotzinger Thomas H. Jordan. Entendendo a Terra. 4a Edição. Cap 2: Placas Tectônicas: A Teoria Unificada Frank Press Raymond Siever John Grotzinger Thomas H. Jordan Entendendo a Terra 4a Edição Cap 2: Placas Tectônicas: A Teoria Unificada Lecture Slides prepared by Peter Copeland Bill Dupré Copyright 2004

Leia mais

GEOLOGIA PARA ENGENHARIA CIVIL TEORIA DA TECTÔNICA DE PLACAS

GEOLOGIA PARA ENGENHARIA CIVIL TEORIA DA TECTÔNICA DE PLACAS GEOLOGIA PARA ENGENHARIA CIVIL TEORIA DA TECTÔNICA DE PLACAS Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Compreender o mecanismo da tectônica de placas Conhecer as placas atuais, e conhecer os tipos de limites

Leia mais

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre

A dinâmica do relevo terrestre e A hidrografia terrestre 1 O relevo terrestre é formado e modelado pela ação de diversos agentes internos (movimentos tectônicos, vulcanismo, terremoto) e externos (ação das águas, do vento e do próprio homem). Explique de que

Leia mais

A alternativa que contêm a afirmação que pode ser comprovada pelo texto é:

A alternativa que contêm a afirmação que pode ser comprovada pelo texto é: Disciplina: Geografia Atividade: Exercícios de revisão 1ª Série do Ensino Médio Professor: Roberto B. Reusing Data: / / 2011 Aluno (a): Nº: Turma: 1) Observe. Sobre as dobras pode-se afirmar que: A) São

Leia mais

GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ano DERIVA CONTINENTAL Profº Luiz Gustavo Silveira

GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ano DERIVA CONTINENTAL Profº Luiz Gustavo Silveira GEOGRAFIA SÉRIE: 1º ano DERIVA CONTINENTAL Profº Luiz Gustavo Silveira GEOGRAFIA FÍSICA Prof. Luiz Gustavo Silveira DERIVA CONTINENTAL PANGÉIA GRANDE MASSA CONTINENTAL PANTALASSA OCEANO CONTÍNUO PROCESSO

Leia mais

De onde vem o Nome Tsunami?

De onde vem o Nome Tsunami? O Que é Um Tsunami? Um tsunami é um conjunto de ondas que ocorrem após perturbações muito elevadas que deslocam verticalmente uma coluna de água, como, por exemplo, um sismo, actividade vulcânica, abrupto

Leia mais

10ºC Fevereiro 2008 Teste A Página 1

10ºC Fevereiro 2008 Teste A Página 1 ESCOLA SECUNDÁRIA DE S. JOÃO DA TALHA FICHA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA Biologia/Geologia ano1 NOME Nº TURMA CLASSIFICAÇÃO PROFESSORA I Yellowstone foi classificado como Parque Nacional, pelo governo americano,

Leia mais

A DINÂMICA DA CROSTA TERRESTRE

A DINÂMICA DA CROSTA TERRESTRE A DINÂMICA DA CROSTA TERRESTRE Ao longo dos tempos as pessoas formularam diferentes teorias para explicar a origem do Universo, da Terra, da vida, dos seres humanos. A forma do Universo e sua dinâmica

Leia mais

Deriva Continental & Tectônica de Placas

Deriva Continental & Tectônica de Placas ...S E Ç Ã O D E T E X T O S G E O T E M Á T I C O S E M P D F Deriva Continental & Tectônica de Placas Geólogo Paulo César Manzig O Brasil e a África Ao olhar para um mapa-mundi nos chama a atenção a

Leia mais

Prova Específica de Geologia

Prova Específica de Geologia UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO PROVAS DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PARA MAIORES DE 23 ANOS Prova Específica de Geologia 6 Junho 2014 1 hora e 30 minutos + 30 minutos de tolerância Escreva

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Ciências

PROVA BIMESTRAL Ciências 7 o ano 1 o bimestre PROVA BIMESTRAL Ciências Escola: Nome: Turma: n o : 1. Preencha as lacunas do esquema com as seguintes legendas: Planalto ocidental, Depressão periférica, Serra do Mar e Planície litorânea.

Leia mais

A grande incidência da actividade sísmica em determinados locais.

A grande incidência da actividade sísmica em determinados locais. A grande incidência da actividade sísmica em determinados locais. A grande incidência da actividade vulcânica em determinados locais. Como resultado destas novas evidências, Robert Palmer e Donald Mackenzie,

Leia mais

Estrutura e Composição da Terra. Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas. [Friedrich Nietzsche]

Estrutura e Composição da Terra. Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas. [Friedrich Nietzsche] Estrutura e Composição da Terra Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas. [Friedrich Nietzsche] Contornos do Mundo O interior terrestre é formado por várias camadas e as investigações sobre

Leia mais

AGENTES INTERNOS DO RELEVO. Tectonismo Sismos Vulcanismo

AGENTES INTERNOS DO RELEVO. Tectonismo Sismos Vulcanismo ESTRUTURA GEOLÓGICA ESTRUTURA GEOLÓGICA AGENTES INTERNOS DO RELEVO Tectonismo Sismos Vulcanismo Tectonismo Teoria da Tectônica de Placas As placas que compõem a litosfera deslocam-se horizontal e verticalmente

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: Geografia Série: 2ª Professor : Carlos Alexandre Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7.º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 7.º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 7.º Ano UNIDADES DIDÁTICAS CONTEÚDOS METAS DE APRENDIZAGEM 1º Período TERRA NO ESPAÇO Terra Um planeta com vida Condições da Terra que permitem a existência

Leia mais

Deriva de placas. América. Eurasia 30 mm/ano. S.Pinker

Deriva de placas. América. Eurasia 30 mm/ano. S.Pinker Deriva de placas Eurasia 30 mm/ano América S.Pinker Alfred Wegener A base de evidências reunidas ao longo de sec. XIX postula em 1905 que: -!Os actuais continentes resultam da fragmentação de Pangea. -!Os

Leia mais

REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1

REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1 REVISÃO PARA AV1 Unidade 1 Cap. 1 Continente Americano Prof. Ivanei Rodrigues Teoria sobre a formação dos continentes Transformação da crosta terrestre desde a Pangeia até os dias atuais. A Teoria da

Leia mais

Equipe de Geografia. Geografia

Equipe de Geografia. Geografia Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 3B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: Geografia Geologia Quando se formou, a terra era constituída por um material pastoso devido às altas temperaturas. Atualmente

Leia mais

A EVOLUÇÃO DOS CONTINENTES: TEORIAS DE MOVIMENTAÇÃO DE CROSTA E TECTÔNICA DE PLACAS

A EVOLUÇÃO DOS CONTINENTES: TEORIAS DE MOVIMENTAÇÃO DE CROSTA E TECTÔNICA DE PLACAS CURSO PRÉ-VESTIBULAR TRIU A EVOLUÇÃO DOS CONTINENTES: TEORIAS DE MOVIMENTAÇÃO DE CROSTA E TECTÔNICA DE PLACAS Geografia IU Professor: Thiago Manhães Tiago Pires DERIVA CONTINENTAL O conceito de deriva

Leia mais

sismos tremores de terra terramotos Sismos Ondas Sísmicas Foco ou Hipocentro hipocentro Epicentro

sismos tremores de terra terramotos Sismos Ondas Sísmicas Foco ou Hipocentro hipocentro Epicentro Os sismos, tremores de terra ou terramotos (sismos catastróficos) constituem um fenómeno geológico que sempre aterrorizou as populações que vivem em determinadas zonas da Terra. Vamos fazer apelo, uma

Leia mais

A estrutura da Terra. Prof. Eder C. Molina IAGUSP.

A estrutura da Terra. Prof. Eder C. Molina IAGUSP. 1 Prof. Eder C. Molina IAGUSP http://www.iag.usp.br/~eder/deriv.ppt 2 Raio médio: 6.371 km Densidade média: 5,5 g cm -3 Massa: 5,976 x10 24 kg Temperatura superficial média: 15 o C Pressão atmosférica

Leia mais

Tectónica de Placas e Grandes Estruturas Geológicas. Fábio Cruz Nº10 12ºA

Tectónica de Placas e Grandes Estruturas Geológicas. Fábio Cruz Nº10 12ºA Tectónica de Placas e Grandes Estruturas Geológicas Fábio Cruz Nº10 12ºA Teoria da Deriva Continental Criada por Alfred Wegener, é a teoria mobilista pioneira; Baseada na semelhança verificada entre as

Leia mais

ORIGEM, ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA TERRA E A TECTÔNICA DE PLACAS

ORIGEM, ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA TERRA E A TECTÔNICA DE PLACAS ORIGEM, ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA TERRA E A TECTÔNICA DE PLACAS BIG BANG PLANETESIMAIS FORMAÇÃO DOS PLANETAS A teoria da Grande Explosão (Big( Bang), considera que nosso Universo começou ou entre 13 a

Leia mais

WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a

WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a WEGENER (1912) Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um único supercontinente a Pangeia rodeado por um único oceano a Pantalassa. Posteriormente, a Pangeia fracturou-se e os continentes

Leia mais

FORMAS E ESTRUTURAS GEOLÓGICAS 40 QUESTÕES

FORMAS E ESTRUTURAS GEOLÓGICAS 40 QUESTÕES 01 - (Acafe SC) O movimento e o contato entre as placas seriam responsáveis por: a) intemperismo e ação eólica. b) terremotos e vulcanismo. c) terremotos e ação glacial. d) orogênese e ação pluvial. e)

Leia mais

Atividade Sísmica Fevereiro 2012 Relatório-Síntese

Atividade Sísmica Fevereiro 2012 Relatório-Síntese Atividade Sísmica Fevereiro 212 Relatório-Síntese CONTEÚDOS Sede do IM, I.P. 1 Resumo Mensal 2 Resumo da Sismicidade Continente 5 Resumo da Sismicidade Madeira 6 Resumo da Sismicidade - Açores 9 Sismicidade

Leia mais

Biologia e Geologia. Teste Intermédio de Biologia e Geologia. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 18.03.2010

Biologia e Geologia. Teste Intermédio de Biologia e Geologia. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 18.03.2010 Teste Intermédio de Biologia e Geologia Teste Intermédio Biologia e Geologia Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 18.03.2010 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Na sua folha

Leia mais

TECTÔNICA DE PLACAS HISTÓRICO

TECTÔNICA DE PLACAS HISTÓRICO TECTÔNICA DE PLACAS Francis Bacon 1620 paralelismo da costa sulamericana e africana Sec. XIX Biogeografia e Paleontologia Fins do sec.xix teorias da contração e expansão da Terra HISTÓRICO Form Pleople

Leia mais

Reflexos nobrasil deterremotos distantes

Reflexos nobrasil deterremotos distantes Reflexos nobrasil deterremotos distantes 2 0 C I Ê N C I A H O J E vol. 42 nº 2 49 Moradores de prédios em diversas cidades brasileiras, em especial São Paulo, Brasília e Manaus, têm se assustado, nas

Leia mais

Professor: Anderson Carlos Fone: 81 8786 6899

Professor: Anderson Carlos Fone: 81 8786 6899 Professor: Anderson Carlos Fone: 81 8786 6899 Estrutura geológica é a base do território. Corresponde à sua composição rochosa. Já o relevo é a forma apresentada pelo território ao nossos olhos: montanhas

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7º ANO-

PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7º ANO- PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 7º ANO- Tema / Capítulos Competências/Objectivos Estratégias / Actividades Recursos/Materiais Avaliação Aulas previstas (45 min) Articulação Tema I TERRA NO ESPAÇO Capítulo

Leia mais

"O que não está sendo divulgado na mídia"

O que não está sendo divulgado na mídia "O que não está sendo divulgado na mídia". Essa nova versão possui mais fotos e foi disponibilizada na internet por: Clélia Dahlem da Silva. Realmente não sabemos nada, ou muito pouco, sobre a transição

Leia mais

GEOLOGIA. Vinicius da Silva Seabra. Rio de Janeiro / 2010 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

GEOLOGIA. Vinicius da Silva Seabra. Rio de Janeiro / 2010 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO VICE-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO E CORPO DISCENTE CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA GEOLOGIA Conteudista Vinicius da Silva Seabra Rio de Janeiro / 2010 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À UNIVERSIDADE CASTELO

Leia mais

O QUE SÃO BACIAS SEDIMENTARES

O QUE SÃO BACIAS SEDIMENTARES BACIAS SEDIMENTARES O QUE SÃO BACIAS SEDIMENTARES Áreas com dimensões de 10 3-10 4 km 2 que representam um núcleo de acumulação de sedimentos durantes intervalos significativamente grandes de tempo (>10

Leia mais

Planeta Terra Contributos para o seu conhecimento

Planeta Terra Contributos para o seu conhecimento Planificação da unidade didáctica Biologia e Geologia: Planeta Terra Contributos para o seu conhecimento Manual escolar utilizado: Título: Terra, Universo de Vida Autores: Amparo Dias da Silva; Fernanda

Leia mais

Resulta da convergência entre placas tectónicas. A colisão de 2 placas obriga ao mergulho da placa mais densa, formando-se uma zona de subducção.

Resulta da convergência entre placas tectónicas. A colisão de 2 placas obriga ao mergulho da placa mais densa, formando-se uma zona de subducção. Resulta da convergência entre placas tectónicas. A colisão de 2 placas obriga ao mergulho da placa mais densa, formando-se uma zona de subducção. Tungurahua (A) Etna (B) Colisão (O C). Andes (A) e Mediterrâneo

Leia mais

Guião de Exploração de Actividades. Parte A Alta Tecnologia para Estudar a Dinâmica Interna da Geosfera

Guião de Exploração de Actividades. Parte A Alta Tecnologia para Estudar a Dinâmica Interna da Geosfera Guião de Exploração de Actividades Que contribuições poderão fornecer os métodos directos e indirectos para o conhecimento da estrutura e dinâmica da Geosfera? Quais são os métodos para investigar o interior

Leia mais

O grau interior da Terra é medido através do grau geotérmico com média de 1ºc a cada 30-35m.

O grau interior da Terra é medido através do grau geotérmico com média de 1ºc a cada 30-35m. A FORMAÇÃO DA TERRA E SUA ESTRUTURA O planeta Terra se formou a cerca de 4,5 bilhões de anos, formado por vários materiais incandescentes que foram se resfriando ao longo do tempo, o material mais pesado

Leia mais

DERIVA CONTINENTAL E TECTÔNICA DE PLACAS

DERIVA CONTINENTAL E TECTÔNICA DE PLACAS DERIVA CONTINENTAL E TECTÔNICA DE PLACAS Entende-se como deriva continental os deslocamentos que as placas apresentam. A tectônica de placas consiste na teoria que explica a causa desses deslocamentos.

Leia mais

Correcção do Teste de Verificação da Aprendizagem

Correcção do Teste de Verificação da Aprendizagem Correcção do Teste de Verificação da Aprendizagem Preparação para a Ficha de Avaliação nº5 Em cada uma das questões seguintes assinala a opção correcta. Só deves assinalar uma opção em cada questão. 1

Leia mais

Teoria da Deriva Continental - Alfred Wegener (1915)

Teoria da Deriva Continental - Alfred Wegener (1915) ESTRUTURA GEOLÓGICA Teoria da Deriva Continental - Alfred Wegener (1915) - Harry Hess (1960) Teoria da Tectônica de Placas Sismos A conseqüência do choque entre placas tectônicas são chamadas de abalos

Leia mais

Evolução da Terra. Geografia Prof. Cristiano Amorim

Evolução da Terra. Geografia Prof. Cristiano Amorim Evolução da Terra Geografia Prof. Cristiano Amorim Estrutura interna da Terra A estrutura interna da Terra é composta de: Litosfera (50 a 60 km de espessura). Manto (4.600 km de espessura). Núcleo (1.700

Leia mais

Geografia. Cartografia DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA. Professora: Diego Moreira Professor: Diego Moreira

Geografia. Cartografia DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA. Professora: Diego Moreira Professor: Diego Moreira Geografia Cartografia DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA Professora: Diego Moreira Professor: Diego Moreira DINÂMICA GEOLÓGICA E AS FORMAS DA LITOSFERA ESCALA GEOLÓGICA ESCALA GEOLÓGICA ESCALA

Leia mais

Escola Secundária Anselmo de Andrade. Biologia e Geologia de 10ºAno. Nome Nº Turma

Escola Secundária Anselmo de Andrade. Biologia e Geologia de 10ºAno. Nome Nº Turma Escola Secundária Anselmo de Andrade Biologia e Geologia de 10ºAno Nome Nº Turma Data / / Avaliação 1. climáticas solar cinzas redução geográficas A projecção de vulcânicas teria como consequência a de

Leia mais

CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS

CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS CAPÍTULO 4 DESASTRES NATURAIS Quando vimos na TV o acontecimento do Tsunami, em 2004, pensamos: O mundo está acabando! Mas por que esses desastres naturais estão, cada vez mais, assolando nosso planeta?

Leia mais

O G U I A DA T E R RA

O G U I A DA T E R RA O GUIA DA TERRA A Terra está sempre em mudança mesmo debaixo dos nossos pés! Podemos não conseguir vê-lo a acontecer, mas acidentes geográficos como montanhas e praias estão em movimento. Não estiveram

Leia mais

A GEOTERMIA E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

A GEOTERMIA E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO A GEOTERMIA E SUA IMPORTÂNCIA NO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO O que é a geotermia? A terra não só é capaz de produzir energia de maneira passiva a partir de materiais fósseis acumulados ao longo de milhões

Leia mais

GEOLOGIA PROF. LIONEL BRIZOLA

GEOLOGIA PROF. LIONEL BRIZOLA GEOLOGIA PROF. LIONEL BRIZOLA A Estrutura Richat é um local no deserto do Saara (Mauritânia), semelhante a um gigantesco alvo, com um diâmetro de aproximadamente 50 km. É também conhecido como O Olho

Leia mais

A propagação das ondas marítimas e dos tsunami

A propagação das ondas marítimas e dos tsunami A propagação das ondas marítimas e dos tsunami Prof. Fernando Lang da Silveira Instituto de Física da UFRGS http://textos/ondas_tsunami.pdf Tsunami onda(s) de porto em japonês - é uma palavra que designa

Leia mais

A) Ação global. B) Ação Antrópica. C) Ação ambiental. D) Ação tectônic

A) Ação global. B) Ação Antrópica. C) Ação ambiental. D) Ação tectônic Disciplina: Geografia Roteiro de Recuperação Ano / Série: 6º Professor (a): Gabriel Data: / / 2013 Matéria da recuperação. Superficie da Terra. Litosfera, solo e relevo 1- Analise a imagem. www.trabanca.com-acesso:

Leia mais

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA

DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA DECIFRANDO A FORMAÇÃO DA TERRA QUESTÕES INICIAIS O que vocês já sabem sobre o tema? O que justifica a presença de diversos tipos de relevo na crosta terrestre? Por que estudar esse tema? O que se entende

Leia mais

Curso Prático & Objetivo Direitos Autorais Reservados. A Estrutura da Terra

Curso Prático & Objetivo Direitos Autorais Reservados. A Estrutura da Terra A Estrutura da Terra 01. Estrutura Interna O interior da Terra, assim como o interior de outros planetas terrestriais, é dividido por critérios químicos em uma camada externa denominada de crosta ou litosfera

Leia mais

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS GEOLOGIA GERAL CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Quarta 14 às 18h museu IC II Aula 18 Praias e Ambiente Marinho Turma: 2015/1 Profª. Larissa Bertoldi larabertoldi@gmail.com Praias Definição de praia zona de material

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 24. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 24. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 24 Profº André Tomasini Brasil: estrutura Geológica e Relevo BRASIL - ESTRUTURA GEOLÓGICA Teoria da Deriva Continental (Alfred Wegener) Pangea. Teoria da Tectônica

Leia mais

ERUPÇÃO VULCÂNICA CAPELINHOS DOS CAPELINHOS VOLCANIC ERUPTION (1957) CINQUENTENÁRIO A RETROSPECTIVE

ERUPÇÃO VULCÂNICA CAPELINHOS DOS CAPELINHOS VOLCANIC ERUPTION (1957) CINQUENTENÁRIO A RETROSPECTIVE ERUPÇÃO VULCÂNICA DOS CAPELINHOS CINQUENTENÁRIO CAPELINHOS VOLCANIC ERUPTION (1957) A RETROSPECTIVE Fotografias da Erupção dos Capelinhos 1957-58 Capelinhos volcanic eruption 1957-58. Photo essay Propriedade:

Leia mais

Estrutura da Terra Contributos para o seu conhecimento

Estrutura da Terra Contributos para o seu conhecimento Estrutura da Terra Contributos para o seu conhecimento O Sistema Terra Lua e o passado da Terra O Sistema Terra Lua A conquista da Lua pelo Homem (em 21 de Julho de 1969), tornou possível conhecer com

Leia mais

E AGORA, ALGO COMPLETAMENTE DIFERENTE

E AGORA, ALGO COMPLETAMENTE DIFERENTE 1 oceanexplorer.noaa.gov E AGORA, ALGO COMPLETAMENTE DIFERENTE TEMA Comunidades biológicas em respiradouros hidrotermais. NÍVEL DE ESCOLARIDADE 2º Ciclo do Ensino Básico QUESTÃO Que organismos são típicos

Leia mais

AULA 7: TIPOS DE BORDAS ESTRUTURAS MAIORES

AULA 7: TIPOS DE BORDAS ESTRUTURAS MAIORES GEOTECTÔNICA TECTÔNICA GLOBAL Prof. Eduardo Salamuni AULA 7: TIPOS DE BORDAS DE PLACAS E SUAS ESTRUTURAS MAIORES TIPOS DE BORDAS DE PLACAS Divergentes (ou de criação): cadeias mesooceânicas Convergentes

Leia mais

Noções de Geologia. Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares

Noções de Geologia. Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares Noções de Geologia Prof. Msc. João Paulo Nardin Tavares Objetivos da aula Conhecer a estrutura da Terra Definir os conceitos e teorias da deriva continental e das placas tectônicas Compreender fenômenos

Leia mais

COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO ANO LETIVO 2013/2014

COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO ANO LETIVO 2013/2014 COLÉGIO DA IMACULADA CONCEIÇÃO ANO LETIVO 2013/2014 FICHA DE TRABALHO DE GEOLOGIA - SISMOLOGIA NOME: TURMA: N.º: DATA: 1. Durante o sismo de Loma Prieta (São Francisco, EUA, 1989), ocorreu o colapso do

Leia mais

Principais texturas e rochas metamórficas Os fenómenos metamórficos provocam modificações na textura das rochas iniciais. A textura depende da dimensão dos cristais, forma e arranjo dos diferentes minerais,

Leia mais

Formação do Sistema Solar

Formação do Sistema Solar Formação do Sistema Solar Teorias sobre a origem os Sistema Solar: o Hipótese de colisão entre 2 estrelas o Hipótese da aproximação entre 2 estrelas o Teoria rebular reformulada (actualmente aceite): Ponto

Leia mais

Vulcanologia. - É o Ramo das Ciências da Terra que estuda a formação, a distribuição e a classificação dos fenómenos vulcânicos.

Vulcanologia. - É o Ramo das Ciências da Terra que estuda a formação, a distribuição e a classificação dos fenómenos vulcânicos. Vulcanologia - É o Ramo das Ciências da Terra que estuda a formação, a distribuição e a classificação dos fenómenos vulcânicos. Vulcanismo Primário (activo) Vulcanismo Central Vulcanismo Fissural Secundário

Leia mais