ANA PAULA DEFAVARI DOUGLAS GUEDES FABIO ANTONIO BALDIM MAURÍCIO NIELSEN LEONARDO FREITAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANA PAULA DEFAVARI DOUGLAS GUEDES FABIO ANTONIO BALDIM MAURÍCIO NIELSEN LEONARDO FREITAS"

Transcrição

1 1 ANA PAULA DEFAVARI DOUGLAS GUEDES FABIO ANTONIO BALDIM MAURÍCIO NIELSEN LEONARDO FREITAS Criação de Empresa de Consultoria em Tecnologia da Informação focada em soluções para o setor varejista brasileiro I9TI Análise Estratégica Coordenador: Prof. Agliberto Alves Cierco Orientador: Prof. Marcelo Almeida Magalhães Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao curso MBA em Tecnologia da Informação Aplicada à Gestão Estratégica de Negócios de Pós-Graduação lato sensu, Nível de Especialização, do Programa FGV Management como pré-requisito para a obtenção do título de Especialista TIGEN 17 Campinas SP 2011

2 2 Resumo A idéia deste projeto de criação de uma consultoria em TI, com atuação no setor varejista brasileiro, voltada ao desenvolvimento e implementação de soluções baseadas em novas tecnologias, surgiu da observação do mercado de tecnologia, a velocidade com que as inovações surgem e a sociedade demanda, e das necessidades e oportunidades de investimentos em TI do setor varejista, alinhados com as expectativas percebidas dos consumidores em geral, e a escassez de consultorias voltadas ao desafio de explorar e tirar proveito das novas tecnologias, para trazer, de fato, um diferencial competitivo para o setor varejista. Neste contexto, é apresentado a seguir com mais detalhes, as idéias deste projeto, com bastante entusiasmo, descrevendo o plano estratégico elaborado para dar vida e suportar este audacioso trabalho.

3 3 Sumário Capítulo 1. Análise Estratégica Definição do Negócio Atual Análise do Ambiente Externo Análise do Ambiente Interno Definição de Postura Estratégica ou Estratégia Genérica Definição do Negócio Ideal, Visão, Missão e Valores...10 Negócio Ideal 10 Missão 10 Valores 10 Visão Definição dos Objetivos Estratégicos Estabelecimento das Estratégias Empresariais Específicas...11 Capítulo 2. Project Charter Criação de Consultoria de Tecnologia da Informação focada na aplicação de novas tecnologias para o setor varejista Matriz de responsabilidades e hierarquia de autoridade no projeto Objetivos Motivação Descrição do produto e resultados esperados...15 Capítulo 3. Plano de Informação Definição da Arquitetura da Informação Definição das TI relevantes para o negócio...18 Capítulo 4. Plano de Marketing Pesquisa de Mercado Clientes Marca Especificação de produtos e serviços...21 Descrição Geral 21 Estágio de Desenvolvimento 23

4 Previsão de Vendas...24 Vendas por Período 24 Vendas por Produto / Serviço 25 Vendas por Cliente Canais de propaganda e venda de produtos Web Site Institucional Google AdWords Indicação Mídias Especializadas 30 Capítulo 5. Plano de Recursos Humanos Estrutura Organizacional Organograma Estrutura Políticas e Investimentos em Gestão de Pessoas Recrutamento e Seleção Desenvolvimento e Treinamento Benefícios e Remuneração Segurança e Meio Ambiente Comunicação Alocação Financeira Mapa de competências Avaliação de resultados Ação Social...39 Capítulo 6. Plano Financeiro Estrutura de Capital Investimentos Distribuição de Receitas Rentabilidade e Projeções Financeiras (Fluxo de Caixa) PayBack Valor Presente Líquido VPL...42

5 Taxa Interna de Retorno TIR Balanço Patrimonial...43 Capítulo 7. Cronograma atualizado do projeto Capítulo 8. Estrutura WBS do Projeto Capítulo 9. Relatório de Encerramento Capítulo 10. Índices Pós-Textuais Capítulo 11. Anexos Anexo 1 - Análise do Ambiente Externo - Modelo de Cenários Anexo 2 - Análise do Ambiente Externo Modelo Porter Anexo 3 - Análise do Ambiente Externo (SWOT) - Ameaças e Oportunidades Anexo 4 - Análise do Ambiente Interno (SWOT) - Pontos Fortes e Fracos Anexo 5 - Análise do Ambiente Interno Modelo BCG Anexo 7 - Análise do Ambiente Interno Análise do Caos Anexo 8 - Definição de Ações Estratégicas Anexo 9 Tabela de estratégias empresariais especificas Anexo 10 Tabela de Crescimento Vendas Varejo Brasileiro...60

6 6 Capítulo 1. Análise Estratégica 1.1. Definição do Negócio Atual Com o desenvolvimento contínuo da área de tecnologia da informação, novas tecnologias vêm surgindo com grande rapidez. Por sua vez, estas novas tecnologias passam a ser comercializadas na mesma velocidade, entretanto as empresas geralmente não se encontram preparadas para absorver as novidades tecnológicas e aplicá-las corretamente com o objetivo de modo a agregar valor aos seus negócios e aproveitar possíveis vantagens competitivas e ganhos financeiros. Desta maneira, observou-se a oportunidade de criação de uma empresa de consultoria em tecnologia especializada no desenvolvimento de estudos e execução de projetos utilizando novas tecnologias, auxiliando as empresas do setor varejista a obter vantagens competitivas através da utilização adequada destas tecnologias. Definiu-se que a empresa I9TI deverá focar o mercado varejista principalmente devido ao fato de ser um mercado amplo e amadurecido no Brasil, que tem registrado crescimento constante e possui atualmente ótimas previsões para os próximos anos pois é apoiado pelo melhor distribuição de renda no Brasil, garantido por macro-políticas sociais e de austeridade econômica Análise do Ambiente Externo A situação do ambiente externo sugere cautela, mas em geral, principalmente na economia brasileira, atualmente estão em evidência diversos indicadores que garantem uma conjuntura futura muito provável e até otimista, o que leva os administradores da empresa a estarem mais dispostos a correr maiores riscos em detrimento de maior crescimento da empresa (vide Anexo 1 Modelo de Cenários). Fornecedores apresentam um poder de barganha alta, em especial pela consultoria depender de acesso a novas tecnologias e treinamento, com prováveis custos acima do esperado e a concorrência e novos entrantes na avaliação feita tem baixa representatividade (vide Anexo 2 Porter).

7 7 Há possibilidade de redução de crédito e preços altos praticados pelos fornecedores como ameaças ao negócio da consultoria. Por outro lado, como oportunidade encontra-se a dos clientes demandando por diferenciais dos concorrentes, fornecedores precisando ampliar seus canais de distribuição e as novas gerações grandes consumidores de novas tecnologias (vide Anexo 3 SWOT Ameaças e Oportunidades). Em resumo, o setor varejista ainda tem amplo espaço para agregação de valor em seus negócios com o uso de soluções de TI baseadas em novas tecnologias. O ambiente externo é favorável, devido ao crescimento econômico do Brasil, o investimento em pesquisa e o surgimento frequente de soluções inovadoras, o forte aumento no investimento em TI por parte das empresas, o incentivo ao acesso ao conhecimento e capacitação, aliados a nova geração de profissionais que têm um estreito relacionamento com as novas tecnologias. Entretanto alguns fatores podem afetar o bom desempenho, como a necessidade de redução de gastos pelo governo, afetando o crédito, motivados por problemas internacionais de recessão e conflitos. Fornecedores de TI praticam altos preços, dificultando o investimento por boa parte da empresas. A lentidão da formação de recursos humanos capacitados para atender as demandas de mercado, causa maior disputa por talentos e conseqüente aumento de custos para as empresas Análise do Ambiente Interno A empresa a ser constituída demonstra que tem um bom plano estratégico estruturado e possui boas condições para obter recursos financeiros e estabelecer a empresa e começar a operar. Entretanto, como se trata de uma nova empresa e ainda não tem clientes em sua carteira e não iniciou nenhum contato com possíveis fornecedores, seus idealizadores seriam os recursos humanos capacitados para trabalhar nesta nova empresa (vide Anexo 4 SWOT Pontos Fortes e Fracos). A análise do portifólio de produtos aponta que levará algum tempo para se ter um serviço com potencial de ser vaca leiteira. As soluções de CRM e Business Intelligence já são utilizadas há algum tempo no mercado varejista, mas ainda há espaço para desenvolvimento, podendo vir a ser uma vaca leiteira. As tecnologias de RFID e Cloud Computing são muito novas, e necessitam ser trabalhadas para o desenvolvimento de soluções que potencialmente

8 trataram excelente resultado na aplicação no varejo, podem vir se tornar estrela em curto e médio prazos (vide Anexo 5 BCG). 8 A organização tem um estrutura proposta bem definida e simplificada com vista a uma boa interação e integração entre as diversas áreas facilitando a comunicação e objetivando maior agregação de valor para o desenvolvimento e entrega de soluções para os clientes (vide Anexo 6 Cadeia de Valor). Há a necessidade de estabelecer parceria com os fornecedores de TI já estabelecidos, para apoiar o trabalho de pesquisa e desenvolvimento e facilitar a penetração no mercado para oferta e venda de soluções a clientes potenciais (vide Anexo 7 Teoria do Caos). No geral, a empresa proposta apresenta uma estrutura enxuta e capaz de operar com ótimas perspectivas de bons resultados financeiros a médio prazo, estando atenta as parceirias que precisa fazer com fornecedores de TI para apoio ao desenvolvimento e entrega de soluções, e com uma área de vendas e marketing forte atuando em ações de divulgação e entendimento das necessidades dos clientes e propondo soluções adequadas Definição de Postura Estratégica ou Estratégia Genérica A análise das forças de mercado sugerida por PORTER direciona a postura estratégica da empresa dentro de seu segmento. Para o segmento da I9TI, foram analisadas as forças dos clientes, concorrência, fornecedores, novos entrantes, produtos substitutos e governo. Clientes Os setor varejista está atento as mudanças de mercado e a concorrência por isso selecionam muito criteriosamente seus parceiros e onde fará seus investimentos. Percebe-se que a confiança nos fornecedores e nos serviços prestados como agregadores de valor aos negócios, são aspectos importantes que vêm antes dos custos de investimentos. Assim, seu poder de barganha é médio.

9 9 Concorrência A concorrência no mercado de TI é consideravelmente alta, mas neste contexto sempre haverá espaço para empresas que saibam posicionar-se próximo ao cliente, atendendo suas necessidades especificas, agregando qualidade e entregando pacote de valor agregado. Neste mercado de varejo cada cliente deve ser observado sob uma perspectiva diferente, o que exigirá que os fornecedores (nossos concorrentes) também tenham elevado índice de preparação, know-how e treinamento. Fornecedores Existem alguns grandes fornecedores que lideram o mercado de TI e que de certa forma produzem as tendências. Entretanto há uma grande quantidade de outros fornecedores menores que criam novas soluções a partir da novidades tecnológicas. Neste cenário pode-se tirar proveito de ambos, devido a diversificação da oferta, e pela concorrência, conseguir preços justos para soluções tecnológicas e treinamentos. O poder de barganha dos fornecedores é alto. Novos entrantes O mercado de consultoria em novas tecnologias é amplo, portanto há espaço para novos rival não representando um risco a curto e médio prazo aos negócios. Esta força é baixa. Produtos substitutos Consultorias de TI que apresentam soluções baseadas em tecnologias com mais de dois anos disponíveis no mercado. Esta força tem uma representatividade média. Governo O governo brasileiro pode influenciar, de acordo com volume de crédito para investimento liberado ao mercado e na definição das taxas de juros, que se altas, podem inibir o investimento das empresas. Isto representa uma força média.

10 10 Com a utilização desta ferramenta das forças do mercado em combinação com a análise do setor varejista e de consultoria em TI, a postura estratégica adotada pela I9TI será a de diferenciação com enfoque regional de serviços, com atuação principalmente em áreas de maior oportunidade de ganhos para o setor varejista. Esta escolha deve-se a oportunidade de mercado no setor varejista neste segmento, o que permite maior agregação de valor aos serviços oferecidos, possibilitando diferenciais competitivos para os potenciais clientes. O enfoque regional pensado seria para atuação inicialmente no setor varejista no Estado de São Paulo Definição do Negócio Ideal, Visão, Missão e Valores Negócio Ideal O negócio da I9TI é execução de projetos empregando soluções tecnológicas para utilização no setor varejista. Missão Realizar serviços de consultoria na área de tecnologia da informação, com a oferta de soluções de TI baseadas em novas tecnologias, personalizadas, adequadas as necessidades de cada cliente no setor varejista, sempre contribuindo com agregação de valor aos negócios do cliente e promovendo diferencial competitivo. Valores Confiabilidade, Ética, Competência Técnica, Responsabilidade e Agilidade. Visão Ser referência em consultoria para aplicação de novas tecnologias para o setor varejista.

11 Definição dos Objetivos Estratégicos Os objetivos estratégicos devem ser quantitativos e servirão para medir a performance da empresa durante sua existência, verificando se as metas estabelecidas estão sendo cumpridas. O monitoramento constante do cumprimento destas metas permitirá fazer adequações no plano estratégico para que os objetivos sejam sempre cumpridos. que serão: A empresa deve começar com quatro principais objetivos estratégicos bem definidos, 1) Posicionar a empresa como consultoria especializada em segmento varejista, tornando-se um referencial de conhecimento, know-how e qualidade em serviços prestados. 2) Parcerias de confiança com fornecedores de tecnologias e equipamentos, fornecendo sempre o que existir de melhor para cada projeto 3) Obtenção de uma margem liquida de 10% a.a. para garantir remuneração adequada aos seus acionistas 4) Investimentos constantes em treinamento dos consultores (5% a.a. do faturamento liquido) para manter o nível de excelência em projetos Estabelecimento das Estratégias Empresariais Específicas As estratégias empresariais específicas conforme descrito no Anexo 9 despontam como possibilidades viáveis para aplicação com sucesso na consultoria. Tendo o novo core business e a Visão definidos, pode-se imaginar a empresa no futuro e definir o seguinte conjunto de competências e capacidades que se farão necessários quando se houver atingido a Visão. Verificando o Anexo 8, que se refere à competências e capacidades

12 12 Futuras versus o que se tem de Atuais, observa-se a necessidade das seguintes táticas estratégicas: Investimento em infra-estrutura de TI e sistemas para apoio ao desenvolvimento de projetos e controle de custos; Investimento em treinamentos e obtenção de certificações técnicas e qualidade; Desenvolvimento de cultura interna de trabalho em equipe para integrar os esforços técnicos de desenvolvimento de projetos de soluções de TI, conhecimento do setor de varejo e gestão dos negócios; Desenvolvimento de parcerias com fornecedores de TI que atendam as expectativas.

13 13 Capítulo 2. Project Charter 2.1. Criação de Consultoria de Tecnologia da Informação focada na aplicação de novas tecnologias para o setor varejista Para obter diferenciais competitivos em suas operações, as empresas de varejo devem estar atentas às oportunidades de negócios geradas por inovações na área de TI. Entretanto, somente a utilização destas tecnologias com um foco em processos de negócio pode trazer ganhos reais às empresas. A proposta deste projeto é a constituição de uma empresa de uma nova consultoria, reunindo associados com competências técnicas e gerenciais focadas na aplicação de novas tecnologias em prol do desenvolvimento competitivo do setor varejista brasileiro Matriz de responsabilidades e hierarquia de autoridade no projeto O projeto de consultoria prevê a implantação de um modelo organizacional orgânico, no qual a senioridade dos seus associados permanentes definirá o nível de autoridade dentro da companhia para orientar as decisões da empresa e um executivo terá a principal responsabilidade de decidir conforme estas orientações. O executivo também será responsável pelo acompanhamento e gestão do planejamento estratégico da companhia. Diretoria e Planejamento Mauricio Nielsen Tecnologia Fabio Baldim Financeiro Ana Paula Defavari Marketing Leonardo Freitas Recursos Humanos Douglas Guedes Consultores Associados

14 Objetivos Os dos trabalhos da consultoria devem iniciar-se em até dezoito meses contados a data de início da execução do projeto. O orçamento total para o projeto estima-se que não seja superior a R$ ,00 incluindo o capital necessário para definição social da empresa, estabelecimento do escritório sede, execução dos planos (Estratégico, Marketing, TI, Recursos Humanos e Financeiro), remuneração dos consultores associados e do capital de giro necessário para cobrir o passivo circulante cíclico durante os primeiros dezoito meses. O plano estratégico da companhia prevê o pay-back total dos investimentos realizados em até 48 meses datado do inicio do projeto. Somente após o pagamento dos investimentos realizados a remuneração dos associados permanentes deverá ser iniciada, em forma de distribuição de lucros Motivação O setor varejista brasileiro cresce a taxa anual média superior a 5% a.a. Este crescimento consistente tem levado a crescente confiança do empresário varejista, que em 2010 aumentou os investimentos para consolidar o recente crescimento da demanda. Este comportamento confiante deve continuar, visto que o Brasil é centro de investimento confiável pelo capital financeiro mundial, devido a sua estabilidade econômica, o aumento da distribuição de renda e segurança de funcionamento das principais das instituições democráticas. No que se refere especificamente ao setor varejista, com o crescimento gradual e continuo do PIB aliado à uma melhor distribuição de renda, continuará o processo de migração de classes sociais, onde cada vez mais brasileiros sairão de D e E para classes C. Quando eleva-se a classe social, muitos brasileiros vêem-se com mais renda disponível para o consumo, o que automaticamente, até por certo consumismo repreendido, faz com que nossa população gaste mais, o que diretamente impulsionará fortemente o setor varejista, que deverá estar preparado para atender eficiente esta demanda ao mesmo tempo que deverá manter ou ampliar sua margem de ganho.

15 15 Portanto, a motivação para este projeto parte da idéia desta consultoria em orientar estrategicamente o setor varejista, utilizando-se do know-how tecnológico e de processos de seus consultores associados, aplicando as novas tecnologias (RFID, Cloud Computing, CRM, Business Intelligence) de maneira consciente e racional, agregando valor aos seus clientes, tornando-os mais competitivos, melhorando seus os negócios atuais ou então criando novas opções de negócio Descrição do produto e resultados esperados O resultado previsto para este projeto é o estabelecimento de planos estratégicos e operacionais para o a implantação de uma nova consultoria em TI que deverá ter como foco principal agregar valor às empresas de varejo através da utilização consciente e racional de novas tecnologias, tornando os processos de seus clientes mais eficientes, tornando-os empresas mais competitivas no mercado, o que diretamente deverá impulsionar as melhorias de margem de lucro liquida aos seus acionistas.

16 16 Capítulo 3. Plano de Informação A I9TI é uma consultoria com foco em novas tecnologias para o setor de varejo, sendo que a informação para o nosso negócio é a parte essencial. A nossa consultoria está fundamentada na utilização da informação como vantagem competitiva. A informação para a I9TI é o nosso recurso, o nosso ativo e o nosso produto. A gestão do conhecimento é um tema muito importante dentro da I9TI com o objetivo de disseminar, registrar, organizar e documentar todas as informações, transformando o conhecimento tácito em conhecimento explícito. Algumas práticas de gestão do conhecimento serão utilizadas: coach, mentoring, brainstorm, brainwriting, e-learning, lições aprendidas, job rotation, tutoria. As informações de índices do mercado, novidades do varejo, demonstrativo de resultados das empresas, atualizações tecnológicas, etc. devem estar armazenadas e disponíveis para consultas de uma maneira fácil. Todos os projetos realizados pela consultoria também devem estar disponíveis para consulta sendo informações de entrada para a construção de novos projetos. Histórico de Projetos, Lições Aprendidas Informações de mercado, clientes. Base de Conhecimento Informações para Novos Projetos Templates, Check Lists

17 3.1. Definição da Arquitetura da Informação 17 Os sistemas de informação que serão desenvolvidos para a I9TI devem estar de acordo com o modelo de maturidade definido pelo COBIT em ser ágil em responder aos requisitos, fornecer informação confiável e consistente e integrar completamente as aplicações aos processos de negócio. Isso quer dizer que todos os sistemas e aplicações desenvolvidas devem visar a melhoria da produtividade e a busca para a realização do planejamento estratégico, sendo que todas as demandas para TI devem ter um business case, tem que ser medidas e alinhadas com BSC (Balance Scorecard). Todos os aplicativos devem ser desenvolvidos para WEB, utilizando banco de dados, metodologia de desenvolvimento ágil (SCRUM) e toda a gestão de projetos deve utilizar a metodologia RUP, conforme abaixo: Fonte: IBM

18 Definição das TI relevantes para o negócio Para a criação da I9TI segue um quadro abaixo com a TI necessária para o início das operações. Sendo que apenas no SharePoint haverá o desenvolvimento dos sites em um tempo previsto de 6 semanas. Itens Notebook HP Especificações e Objetivos Utilizado para elaboração de documentos, planilhas, apresentações Utilizado para construção de cronogramas e acompanhamento de projetos Construção de sites para Gestão do Conhecimento, Gestão de Projetos e Website Utilizado pelos consultores para o trabalho no dia a dia Preço Quantidade Usuários R$ 800,00 (por licença) 6 Todos os departamentos R$ 1.100,00 5 Todos os (por licença) departamentos R$ 8.000,00 6 Todos os (licença Server) departamentos R$ ,00 (Desenvolvimen to dos sites) R$ 2.000,00 6 Todos os departamentos Link de Internet Hospedagem do Website SERVIDOR HP PROLIANT ML3 50 G6 - XEON QUAD CORE E5620 Utilizado para conexão com Internet Hospedar o site da I9TI para disponibilizar informações para os clientes Utilizado para a instalação de todos os aplicativos R$ 150,00 (mensal) N/A Todos os departamentos R$ 100,00 N/A Todos os (mensal) departamentos e clientes R$ 5.000,00 N/A Todos os departamentos

19 19 Capítulo 4. Plano de Marketing A empresa I9TI d precisa estar muito bem orientada ao seu mercado de atuação e deve constamente verificar se as táticas estratégicas definidas estão atingindo os objetivos definidos na Análise Estratégica. Através da Análise SWOT e entendo as necessidades de seus potenciais clientes e atuação da concorrência, a I9TI conseguirá posicionar os serviços diferenciadamente da concorrência. Desta maneira, além da Análise Estratégica apresentada é necessária a estruturação de um Plano de Marketing, que tem como objetivos: apresentar os detalhes do mercado de atuação da I9TI através da pesquisa de mercado, demonstrar a estratégia de divulgação da empresa e apresentar a previsão de venda para cada serviço oferecido num horizonte de até cinco anos Pesquisa de Mercado A declaração de Missão da I9TI é muito clara: estabelecer uma empresa de consultoria de TI especializada na aplicação de novas tecnologias para o setor varejista. Desta maneira, a pesquisa de mercado focou-se em determinar quais seriam as empresas de consultoria em TI que atuariam com este mesmo foco de negócio e as empresas encontradas através de pesquisas na Internet estão listadas abaixo: Empresa Principais serviços Região de Atuação Gouvea de Souza Consultoria de processos de negócio em América Latina empresas de varejo (todos os processos) Cosin Consultoria em TI, Negócios e Outsourcing São Paulo VIP-System Desenvolvimento de softwares para São Paulo automação comercial e serviços de consultoria. Linx Sistema Fast Fasion para varejistas Brasil Millenium Sistema Store Manager para varejista Brasil Desta maneira, a janela de oportunidade detectada é o estabelecimento de empresa na região metropolitana de Campinas-SP e região metropolitana de São Paulo, atendendo a clientes de médio e grande porte, pois estes clientes estão em expansão e a demanda por

20 20 empresas que saibam como implementar tecnologias especificas ao varejo conhecendo as particularidades destas regiões. Contudo, para uma melhor percepção do mercado atual onde a empresa atuará, conhecendo os clientes, fornecedores e concorrentes, será necessário a contratação de uma empresa especializada em pesquisa de mercado que realize a elaboração de uma ampla pesquisa de mercado nas regiões de atuação pretendidas. Os investimentos desta pesquisa de mercado estão detalhados no Plano Financeiro. Para conseguir penetração de mercado, espera-se que no primeiro ano as vendas sejam mais pulverizadas e os projetos fechados com enfoque mais em preço (apesar da estratégia de diferenciação). Desta maneira, a empresa deve ganhar popularidade e seja conhecida em seu mercado de atuação, para então criar condições de trabalhar com projetos de maior valor agregado Clientes Os potenciais clientes da empresa foram classificados conforme a estimativa que é feita para cada valor de projeto da consultoria. O alvo são empresas do setor varejista dos mais diversos segmentos, que possam investir em projetos de R$ ,00 até R$ ,00. Abaixo, os clientes foram classificados conforme o investimento necessário para contratação do projeto junto a I9TI: Cliente Valor Projeto (R$/mil) Tipo de projeto A Acima 72,00 Cliente orientado pela escolha de projetos mais completos e de duração mais longa, acima de seis meses. B Entre 18,00 e 72,00 Clientes focados em projetos com escopo menor e prazos mais curtos (até quatro meses) C Entre 13,00 e 18,00 Clientes focados no menor escopo possível e prazos de execução de até dois meses.

21 21 Os clientes a serem atendidos estarão posicionados na região metropolitana de Campinas e região metropolitana de São Paulo Marca Para estabelecer sua marca visual, a empresa optou adotar por um logotipo simples e que deverá ser divulgado junto ao nome de cada linha de serviço. Desta maneira, a empresa começará sua atuação no mercado com uma identidade visual, facilitando a referência junto aos clientes. Cada um dos serviços no portfólio da empresa deverá carregar o nome do produto, garantindo desta maneira uma ampla expansão da marca sobre estes serviços Especificação de produtos e serviços Descrição Geral A I9TI inicia suas atividades através de um portifólio onde são segmentados os serviços a serem oferecidos de acordo com a finalidade de cada tecnologia a ser empresa no processo. Tecnologia Serviço oferecido Participação no portifólio 1 RFID Utilização de tecnologias RFID 50 % 2 Business Intelligence Montagem data warehouse, 25% implantação de softwares de BI e KPI voltados ao setor varejista. 3 Marketing e Relacionamento Redes Sociais, soluções de 12,5%

22 22 CRM, relatórios de ROI de canais de vendas. 4 Cloud Computing Solution Implementação de soluções de cloud computing para aumentar disponibilidade de recursos de TI sem grandes investimentos. 12,5% Seguindo a recomendação de utilização da marca em cada um item do portifólio, abaixo são apresentadas as definições visuais: Serviço RFID Business Intelligence Marketing e Relacionamento

23 23 Cloud Computing Solution Estágio de Desenvolvimento Por tratar-se de uma nova empresa, a I9TI ainda não possui nenhum de seus serviços implementados. No entanto, a empresa em seu primeiro ano buscará desenvolver uma loja modelo na qual poderá apresentar um mix de aplicações tecnológicas, demonstrando na prática aos potenciais clientes varejistas as vantagens da adoção maciça de tecnologia em suas operações para impulsionar seus négocios. Este projeto piloto também será a primeira demonstração de como a empresa e seus sócios pensam e estão alinhados com as expectativas do mercado varejista, trabalhando com sinergia, pensando em soluções que possam ser imediatamente convertidas em projetos para as empresas interessadas. Com isto, espera-se acelerar o processo de desenvolvimento de produtos, para que o segundo ano seja possível aumentar a gama de tecnologias a serem adotadas e consequentemente oferecer mais opções aos clientes. Como estratégia de divulgação, além das propagandas de internet, de anuncios veículos especializados em varejo e da loja modelo, a I9TI procurará desenvolver o canal de indição, ou seja, projetos que deram certo, teriam seus artigos de cases detalhados, que com a devida autorização de seus clientes seriam publicados no web site da empresa e servirão como portifólio dos serviços. Também com a devida autorização dos clientes as informações para contato seriam divulgadas em processos de negociação, para que os futuros clientes pudessem entrar em contato e escutar referências sobre a I9TI.

24 Previsão de Vendas A I9TI terá o primeiro ano como teste de fogo, para mostrar sua capacidade de gerar caixa operacionais a partir de suas propostas de tecnologia para o setor varejista. Portanto, para o primeiro ano, as projeções de vendas serão bem realistas, pois como em qualquer projeto, o primeiro ano deve servir como investimento e preparação das bases empresariais, para que a consolidação e inicio de fluxo de caixa positivo comece entre dezoito e 24 meses. Portanto, o objetivo é que o faturamento neste período tenha um crescimento forte para sustentar uma alta menor durante os anos que seguintes. Após o periodo de 24 meses, espera-se um crescimento anual médio na faixa de 30% a 40% ao ano, para que em cinco anos a empresa possa chegar a um faturamento anual de R$ 1.3 milhões. Vendas por Período empresa. Abaixo a tabela apresenta a projeção prevista de vendas para os primeiros cinco anos da Ano Vendas (R$ / mil) Variação 1º 375,00-2º 600,00 60% 3º 780,00 30% 4º 1.014,00 30% 5º 1.318,20 30% O aumento siginificativo de vendas no segundo ano, na casa 60% deve confirmar a expectativa de todo o investimento realizado na loja modelo, nos cases e indicações e também na divulgação em anúncios on-line e mídias especializadas. Logo, espera-se um ritmo de estabilização, mantendo equilibrio entre vendas e recursos disponíveis na empresa para execução dos projetos.

25 25 Evolução Anual de Vendas em R$/Milhares Vendas por Produto / Serviço De acordo com a divisão prevista de participação no portifólio, a previsão de vendas por segmento de tecnologia segue no quadro abaixo: Ano B.I. Cloud Solutions CRM RFID Total geral 1º 93,75 46,88 46,88 187,50 375,00 2º 150,00 75,00 75,00 300,00 600,00 3º 195,00 97,50 97,50 390,00 780,00 4º 253,50 126,75 126,75 507, ,00 5º 329,55 164,78 164,78 659, ,20 Total geral 1021,80 510,90 510, , ,20 Valores em R$ / Milhares Vendas anuais por tipo de serviço - Valores em R$ / Milhares

26 26 Vendas por Cliente As vendas por faixa de clientes (A, B e C) são representadas de acordo com o perfil de compra do consumidor, sendo o cliente A o mais preocupado com qualidade e personalização de serviços e o C aquele que mesmo procurando por diferenciação decide pela execução de projetos com base no preço oferecido. Ano Cliente Quantidade Vendas (R$ / mil) Participação 1º ,00 100,00% A 0 0,00 0% B 8 112,50 30% C ,50 70% 2º ,00 100,00% A 1 60,00 10% B 6 144,00 24% C ,00 66% 3º ,00 100,00% A 2 335,40 43% B 8 195,00 25% C ,60 32% 4º ,00 100,00% A 4 507,00 50% B ,20 30% C ,80 20% 5º ,20 100,00% A 6 922,74 70% B ,64 20% C 8 131,82 10% Vendas Anuais por faixa de clientes e quantidade de projetos - Valores R$ / Milhares

27 27 Vendas Anuais por faixa de clientes - Valores R$ / Milhares Com isto, espera-se que no primeiro ano as vendas sejam mais pulverizadas e os projetos fechados com enfoque mais em preço (apesar da estratégia de diferenciação). Esta estratégia visa a penetração de mercado, para que a empresa ganhe popularidade e seja conhecida em seu mercado de atuação. A partir do segundo ano, o foco de crescimento será em expandir os clientes do tipo A, mais rentáveis, e reduzir a carteira de clientes C. Com isto, espera-se que esta manobra garanta o esperado crescimento de 37% ao ano, ao mesmo tempo em que é mantido um número de clientes que estrutura da empresa consiga atender, mas objetivando ganhos maiores e melhores margens de lucro Canais de propaganda e venda de produtos Para inicio do projeto foram escolhidos como principais canais de propaganda: a indicação direta, Google AdWords, indicações e anúncios em sites e revistas de conteúdo focado em assuntos referentes ao varejo brasileiro Conforme descrito nas ações táticas, a empresa deverá investir R$ ,00 ao ano em propaganda e divulgação, distribuidas conforme abaixo.

28 28 Canal Custo Manutenção (Anual) Web Site Institucional 3.000,00 Google AdWords ,00 Indicação 5.000,00 Midias especializadas 5.000,00 Estratégias de marketing Pelo fato da empresa ser nova no mercado, a promoção nos canais indicados deve ressaltar que apesar de ingressante, a I9TI possui soluções inovadoras e produtos diferenciados por um preço mais atraente que o da concorrência, pois os projetos elaborados pela empresa serão inovadoras e possuirão mais atributos de valor entregues ao cliente do que os demais concorrentes do mesmo segmento. Esta ação inicial de marketing nas regiões de atuação objetivadas da empresa (Regiões Metropolitanas de Campinas e São Paulo) deve servir para fortalacer a marca da empresa, para que dentro de até dois anos conforme a previsão de vendas seja possível alcançar resultados melhores através da execução projetos em clientes de maior porte. Adicionalmente, as ações de marketing serão constantemente monitoradas, para verificar se estão atingindo os perfis de clientes objetivados na análise estratégica. Contudo, toda os planos de marketing poderão ser revistos, principalmente pelo fato da dinâmica do mercado de TI, além também que a variação da estratégia de marketing pode depender dos produtos e projetos elaborados pela empresa, pois estão podem resultar em novos direcionamentos estratégicos, que portanto, podem afetar a estratégia da empresa e forçar a empresa a rever os objetivos estratégicos. Acompanhamento e medição de resultados É importante a empresa calcular o retorno do investimento em marketing. Desta maneira, o gerenciamento dos dados de cada canal será de responsabilidade do Gerente de Marketing (conforme plano de RH).

29 29 Esta medição será possível porque todos os contatos da empresa, inclusive em anúncios em mídias especializadas, direcionarão os visitantes ao Web Site Institucional. Desta maneira, o site da empresa será o principal catalisador de visitas e portanto deverá implementar mecanismo de log de acessos baseado na tecnologia Google Analytics (http://www.google.com/analytics/). Esta tecnologia permite indicar quantativamente as visitas do web site, permitindo ao administrador visualizar os produtos e serviços mais procurados e quais foram os termos chaves pesquisados, permitindo captar inclusive tendências de buscas e combinação de produtos e serviços Web Site Institucional O web site da empresa será um importante divulgador dos serviços da consultoria e também principal meio de contato para novos visitantes ou pessoas que já conhecem a empresa. O desenvolvimento deste web site deverá ser realizado por empresa especializada, através de uma implementação simples e essencial, que apresentará em formato de propaganda cada um dos produtos. O web site deverá estar conectado ao Google Analytics para que o acesso e procura pelos produtos e serviços possa ser mensurado e os resultados utilizados para melhorar Google AdWords O sistema de anúncios Google AdWords (http://adwords.google.com.br/) é um mecanismo muito democrático para divulgação de produtos, pois o anúncio da consultoria I9TI estará sendo exibido ao lado de anúncio. Isto é possível graças as diversas ferramentas de controle do leilão de palavras-chaves, que permitem um controle total dos custos das propagandas. Além disto, o Google AdWords permitirá que sejam identificadas qual a origem do acesso do visitante e todos esses resultados serão integrados ao Google Analytics.

30 Indicação O canal de indicação receberá investimento constante, pois manter as relações estreitas com clientes para que o nome da I9TI seja o primeiro a ser indicado por eles quando questionados sobre indicação de fornecedores por seus amigos, parceiros e outros Mídias Especializadas Para investimento em mídias especializadas serão escolhidas as revistas que tenham como foco as novidades no setor varejista. Estas revistas poderão ter edições normais ou somente divulgação pela Internet e não se calcula que esta diferença da mídia possa diminuir o alcance das propagandas.

31 31 Capítulo 5. Plano de Recursos Humanos 5.1. Estrutura Organizacional A I9TI terá como base o modelo de gestão orgânica, onde as decisões são tomadas em conjunto com a equipe utilizando meios interativos que facilitem as relações e coerência na melhoria contínua de processos, estabelecendo uma sinergia com as relações humanas e variáveis organizacionais dos negócios, conseqüentemente provendo um diferencial competitivo aos nossos clientes. O departamento de recursos humanos desenvolve uma base de consultores associados com alto nível de qualificação e certificações, provendo maior eficiência e flexibilidade, entendendo que as pessoas são os ativos mais importantes para atingir um alto nível de excelência e sucesso dos negócios. Um dos principais objetivos é transformar a estratégia em tarefas de todos, alinhada a um processo contínuo Organograma O organograma deve refletir e fornecer o entendimento de forma transparente. As alterações são discutidas e aprovadas pelos consultores permanentes. Diretoria Planejamento e Negócios Financeira Marketing Recursos Humanos Tecnologia Projetos Consultores Associados

32 projeto. 32 O consultor responsável pela Tecnologia também exercerá a função de gerente de Gerente Projeto Consultor Associado Consultor Associado Consultor Associado Consultor Associado Equipe de Projeto 5.3. Estrutura A empresa terá inicio com uma estrutura pequena e flexível e, adequando conforme as necessidades dos novos projetos com envolvimento de todos os consultores permanentes nas decisões e com forte atuação nas atividades demandas. Consultores Permanentes Mauricio Nielsen Ana Paula Defavari Leonardo Freitas Douglas Guedes Fábio Baldim Nome Função Diretoria de Planejamento e Negócios Diretoria Financeira Diretoria de Marketing Diretoria de Recursos Humanos Diretoria de Tecnologia e Projetos Os consultores permanentes têm autoridade para decisão sob sua área de atuação, e suas responsabilidades correspondem: Função Diretoria de Planejamento e Negócios Responsabilidades Gestão de processos e mudanças; Identificação de oportunidades de negócio; Elaboração de propostas comerciais;

33 33 Diretoria de Tecnologia e Projetos Diretoria Financeira Gestão de indicadores macro-econômicos e índices de mercado; Interação com a área de marketing para programas de relacionamento; Gestão das estratégias de crescimento dos negócios Gerenciar as atividades da área de tecnologia da informação; Gerir o desenvolvimento de novas soluções e análise de soluções tecnológicas, envolvendo implantação de sistemas, suporte a infra-estrutura, comunicação e segurança da informação; Coordenação do suporte aos projetos e adequação das soluções as necessidade do cliente, assegurar a integridade do escopo dos serviços contratados; Gestão de projetos, definição de escopo, estruturação, gerir os recursos e apoios necessários para a realização do projeto, alinhamento da equipe técnica com as metodologias e resultados esperados, registrar os novos processos e lições aprendidas para futuras pesquisas. Gestão do fluxo de caixa, custos, despesas e faturamento; Planejamento orçamentário, apurações e análises de resultados; Administração de normas e procedimentos fiscais, legislação visando extrair a melhor aplicação ao negócio; Análise de viabilidade econômicofinanceira;

34 34 Análise de risco para projetos. Diretoria de Marketing Gestão de portfólio e avaliação de desempenho de produtos, canais e mercados; Criação de programas para expansão das vendas e prospectar novas oportunidades; Gestão das campanhas de comunicação e incentivo; Conduzir adaptações às necessidades de publicidade de mídia. Acompanhar o processo de gestão de demandas das áreas de negócio com clientes. Diretoria de Recursos Humanos Gerenciar o desenvolvimento, treinamento, recrutamento e seleção; Gestão de remuneração, benefícios, desempenho com aplicação de programas de avaliações; Gerenciar as rotinas de administração de pessoal; Avaliação do clima organizacional e ações de melhoria; Gestão de competências, motivação, cultura e comunicação; Administrar a base de conhecimento Políticas e Investimentos em Gestão de Pessoas A empresa tem o objetivo de motivar, reter e atrair os melhores profissionais. O departamento de recursos humanos realiza pesquisas anualmente mantendo-se equalizada em relação ao mercado Recrutamento e Seleção

35 35 A empresa inicialmente terá uma consultoria especializada para buscar os profissionais no mercado, visando contribuir na formação da base de dados com consultores altamente qualificados e que identificam com a cultura organizacional da empresa. O banco de dados irá prover informações estratégicas referentes aos conhecimentos dos consultores associados, o departamento de recursos humanos inicia uma pesquisa interna visando profissionais qualificados de acordo com as diretivas dos projetos e exigências pelos clientes. Necessidades não encontradas na base interna, utilizar-se de outros mecanismos, como consultorias e buscas em sites na internet. O processo de recrutamento inicia-se após solicitação do gerente de projeto e aprovação pelos associados permanentes. Descrição das ações Necessidade de contratação, deve- se preencher a requisição através do sistema. Seleção dos candidatos, busca do perfil do candidato na base interna de conhecimento ou consultoria externa e internet. Entrevistas e testes, análise dos perfis de acordo com as necessidades e encaminhamento do parecer ao Gestor da Vaga. Aprovação, informar o candidato e solicitar documentação necessária. Responsável Gestor de Projetos Recursos Humanos Recursos Humanos e Gestor de projeto Recursos Humanos e Gestor de projetos 5.6. Desenvolvimento e Treinamento A I9TI visa proporcionar recursos necessários no desenvolvimento profissional e pessoal de cada consultor associado. O planejamento dos treinamentos é realizado pelo gestor do projeto e o departamento de recursos humanos com bases em evidências, garantindo subsídios necessários para o desenvolvimento das atividades propostas, alcançando um diferencial competitivo para o mercado. Descrição das ações Responsável Necessidade do treinamento, solicitação do treinamento Gestor de Projetos e consultor através do sistema. Programação, prover recursos necessários e Recursos Humanos e Consultor

36 36 agendamento das datas. Aplicação, realização do treinamento internamente ou entidades externas. Avaliação, preenchimento através do sistema. Base de conhecimento, atualização do banco de dados. Consultor Recursos Humanos, Consultor e Gestor de Projetos Recursos Humanos 5.7. Benefícios e Remuneração A remuneração dos consultores permanentes será na forma de distribuição de lucros. Os consultores associados prestarão serviços sob a legislação de Pessoa Jurídica, com a sistemática de remuneração conforme cada projeto. Assim, a demanda e o recurso estão em coerência e serão disponibilizados para as atividades, tendo o custo programado com o pagamento dos serviços. A criação de novos cargos e alterações na remuneração da empresa será avaliada pelos consultores permanentes A I9TI tem um programa de benefícios com uma remuneração variável, denominada bônus. O sistema de bônus está alinhado a metas estabelecidas pelo gerente de projeto e com avaliação dos resultados pelos consultores permanentes após seis meses do término do projeto Segurança e Meio Ambiente Todos nossos funcionários recebem treinamento interno sobre utilização dos itens de equipamentos de proteção individual (EPI) vigente nas empresas que estiverem durante os projetos. Visa prevenir e manter um alto nível de segurança e respeito ao meio ambiente.

37 Comunicação A empresa entende que a comunicação é fator primordial, e utiliza de ferramentas eletrônicas para garantir o desdobramento das informações. A comunicação ocorre na intranet, redes sociais e via de forma clara, ágil e consistente, contribuindo para o desenvolvimento e a manutenção de um clima positivo. Também estimula a uma efetiva participação para mudanças e inovações, onde disponibiliza via sistema para sugestões e idéias, pois entende que a comunicação é um mecanismo de melhoria contínua Alocação Financeira O orçamento inicial está dimensionado visando proporcionar uma estrutura flexível para a administração das necessidades conforme demanda dos projetos. A I9TI irá administrar o custo referente os consultores associados durante a formulação das propostas dos projetos. Investimento inicial Descrição Valor Treinamentos e Certificações R$ ,00 Consultoria para busca e seleção de profissionais R$ ,00 Os consultores permanentes determinam que 5% do lucro líquido anual sejam destinados a planos de treinamentos, conforme descrito no Plano Financeiro. A locação financeira para pesquisas salariais e busca de profissionais na internet para os próximos períodos está descrito no plano financeiro. Investimento anual em treinamentos Treinamentos e Certificações 5% do lucro líquido Investimento anual em consultoria Pesquisa salarial e busca de profissionais online R$ 6.000,00 Fonte: Catho, planos de pagamento

38 Mapa de competências Todos os consultores associados serão avaliados através do mapa de competências para gestão de Negócios do SEBRAE, as três vertentes avaliadas são técnicas, estratégicas e comportamentais. Todas as informações são incluídas da base de conhecimento e visa contribuir na alocação dos consultores de maneira mais assertiva com relação as necessidades dos clientes. Os mapas dos consultores envolvidos nos projetos poderão ser incluídos nas propostas finais, como um diferencial e análise pelo cliente. Fonte: SEBRAE, mapa de competências Avaliação de resultados. A avaliação é feita via sistema para medir os resultados e desempenho com relação aos padrões e metas estabelecidas, com o objetivo de trazer benefícios para a empresa e para o funcionário. Nos projetos, a avaliação tem a abrangência com todos os envolvidos, consultor associado, equipe de trabalho, gerente do projeto e cliente.

39 39 Na avaliação pessoal, o próprio consultor ou colaborador faz uma auto-avaliação e também devem definir duas metas de acordo com suas preferências, sendo uma estratégica e outra tática. Recebem constantemente informações do gestor sobre seu desempenho com bases nos requisitos requeridos. Os consultores associados permanentes fazem a avaliação da empresa com base em indicadores financeiros, de desempenho, qualidade e mercado mensalmente, criando indicadores secundários para correção de rumo e evidenciando as melhores práticas Ação Social A I9TI está comprometida com projetos que visem o bem estar social de seus consultores, fornecedores, clientes e a comunidade. A I9TI é uma empresa socialmente responsável e, incentiva seus consultores na participação em ações que possam beneficiar a comunidade local, sendo feita através do trabalho voluntário, como forma de praticar a cidadania, que visam beneficiar o desenvolvimento onde está instalada, principalmente ações de respeito e proteção ao meio ambiente.

40 40 Capítulo 6. Plano Financeiro 6.1. Estrutura de Capital A estrutura do capital para o início das atividades da empresa será composta de recursos dos próprios sócios, de acordo com a seguinte distribuição: Sócio Valor do Investimento Percentagem Ana Paula Defavari R$ ,00 20% Douglas Guedes R$ ,00 20% Fábio A. Baldin R$ ,00 20% Leonardo Freitas R$ ,00 20% Maurício Nielsen R$ ,00 20% Total R$ ,00 100% 6.2. Investimentos Investimento R$ Período Investimento em infraestrutura de TI e sistemas para apoio ao desenvolvimento de projetos e controle de custos ,00 6 meses Desenvolvimento e Oferta de solução piloto ,00 1 ano Estabelecimento de parceria com bons fornecedores (Contatos e Visitas) ,00 1 ano Investimento em treinamentos e obtenção de certificações técnicas e qualidade (a partir do segundo mês, 5% do faturamento será revertido em treinamento) ,00 4 meses Consultoria em RH ( busca de profissionais + pesquisa salarial ) - 3 X 2.000,00 por ano 6.000,00 1 ano Investimento em marketing para divulgação da empresa e do portifólio de serviços oferecidos ,00 1 ano Desenvolvimento de oferta de um serviço organizacional para mapear situação atual do cliente e propor os investimentos necessários em TI ,00 1 ano Criação de novas soluções baseadas em tecnologias de RFID e/ou Cloud Computing com alto pontencial de mercado (Pesquisa, desenvolvimento e projetos) ,00 1 ano Total ,00

41 Distribuição de Receitas A distribuição das receitas (remuneração) aos associados permanentes somente iniciará após o pagamento dos investimentos, e será em forma de distribuição de lucros. Estima-se que o retorno dos investimentos acontecerá a partir do quarto mês do segundo ano após início das atividades da empresa Rentabilidade e Projeções Financeiras (Fluxo de Caixa) Conforme a projeção das vendas, as soluções proporcionarão à cobertura de todos os custos e investimentos realizados e permitirá payback no período de 2 anos. DEMOSTRATIVO DOS RESULTADOS ANO 0 ANO 1 ANO 2 ANO 3 ANO 4 ANO 5 TOTAL Receitas 375,00 600,00 780, , , ,21 BI 93,75 150,00 195,00 253,50 329, ,80 Cloud Solutions 46,87 75,00 97,50 126,75 164,78 510,90 CRM 46,88 75,00 97,50 126,75 164,78 510,91 RFID 187,50 300,00 390,00 507,00 659, ,60 Custos Fixos e Variáveis -237,00-137,00-137,00-137,00-137,00-785,00 Imobilizado (infraestrutura de TI e ativos) -50,00 0,00 0,00 0,00 0,00-50,00 Desenv. e Oferta de solução piloto -20,00 0,00 0,00 0,00 0,00-20,00 Investimento em treinamentos -30,00 0,00 0,00 0,00 0,00-30,00 Consultoria em RH -6,00-6,00-6,00-6,00-6,00-30,00 Investimento em marketing -23,00-23,00-23,00-23,00-23,00-115,00 Criação de novas soluções (RFID e/ou Cloud Computing) -30,00-30,00-30,00-30,00-30,00-150,00 Gerais e Administrativas -42,00-42,00-42,00-42,00-42,00-210,00 Aluguél da Sala Comercial -36,00-36,00-36,00-36,00-36,00-180,00 Custo dos Projeto (considerando margem de 40%) -225,00-360,00-468,00-608,40-790, ,33 BI -56,25-90,00-117,00-152,10-197,73-613,08 Cloud Solutions -28,12-45,00-58,50-76,05-98,87-306,54 CRM -28,13-45,00-58,50-76,05-98,87-306,55 RFID -112,50-180,00-234,00-304,20-395, ,16 LAJIR (Lucro antes dos juros e do IR) -87,00 103,00 175,00 268,60 390,28 849,88 Impostos 0-28,325-48,125-73, ,33-257,64 Investimentos no Capital de Giro -230,00 Fluxo de Caixa da Empresa (FCE) -230,00-87,00 74,68 126,88 194,74 282,96 362,24 Investimentos em Treinamentos (5% do lucro líquido) 0,00-4,35-3,73-6,34-9,74-14,15-38,31 Fluxo de Caixa livre do Acionista (FCLA) -230,00-91,35 70,94 120,53 185,00 268,81 323,93 Valores em R$ / Milhares

42 PayBack O prazo de recuperação do investimento (o payback) deste projeto é estimado em 2 anos. O fluxo demonstrado nas projeções financeiras demonstra isto Valor Presente Líquido VPL VALOR PRESENTE LÍQUIDO Taxa mínima de atratividade 12 % aa Ano 0 Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 VPL = , , , , ,81 1,12 1,2544 1, , , VPL = , , , , ,5289 VPL = 80,882 Valores em R$ / Milhares Considerando a taxa mínima de atratividade de 12% aa, resultamos no VPL maior que zero. Concluímos então que o projeto trará ganhos financeiros Taxa Interna de Retorno TIR De acordo com o fluxo de caixa previsto, a TIR deste projeto é de 21.10%. Em comparação com a taxa mínima de atratividade de 12%, nos reforça a prevista de ganhos financeiros.

43 Balanço Patrimonial BALANÇO PATRIMONIAL RESUMIDO Projeção de 5 anos Ano 1 Ano 2 Ano 3 Ano 4 Ano 5 Ativo Circulante Contas a Receber 375,00 600,00 780, , ,21 Total Ativo Circulante 375,00 600,00 780, , ,21 Passivo Circulante Custo de Projetos 225,00 360,00 468,00 608,40 790,93 Salários/retiradas sócios 0 63,85 108,48 166,50 241,93 Total Passivo Circulante 225,00 423,85 576,48 774, ,85 Valores em R$ / Milhares

44 44 Capítulo 7. Cronograma atualizado do projeto

45 Capítulo 8. Estrutura WBS do Projeto 45

46 46 Capítulo 9. Relatório de Encerramento Pensando no cenário atual, e tentando imaginar o cenário futuro de TI, nosso grupo chegou ao consenso do projeto em criar uma empresa de consultoria especializada no setor varejista. O ramo de varejo foi escolhido devido ao crescimento continuo acima do PIB. Nas primeiras reuniões do grupo, os pontos discutidos foram em torno do tema e a distribuição dos conteúdos a serem desenvolvidos. O tema foi discutido com base em novas tecnologias e diferenciais competitivos, já a distribuição do conteúdo e definição das responsabilidades ficou definida nas áreas onde tem cada um tem interesse no desenvolvimento pessoal. Nos próximos encontros, iniciamos o cronograma, orçamento previsto inicialmente, e estrutura organizacional com base em criar uma empresa com estrutura flexível. Aconteceram diversas reuniões, para alinhar o Portifólio de produtos com planejamento financeiro e os recursos humanos necessários para atingir os objetivos no planejamento estratégico. Nas principais entregas e também nas respostas de feedback do orientador do TCC, acontecia uma conferência para manter sempre o alinhamento do projeto. As principais lições aprendidas foram: Proporcionar a interação entre dos os integrantes, facilitou o entendimento e a negociação entre os interesses. Acompanhamento do cronograma e custo, disponibilizou uma visão clara e proporcionou mais agilidade no desenvolvimento dos conteúdos. Distribuição dos temas e os conteúdos com a interesse pessoal, proporcionou maior motivação e também o conhecimento na área.

47 47 Capítulo 10. Índices Pós-Textuais FERREIRA, Victor Cláudio Paradela / CARDOSO, Antonio Semeraro Rito / CORRÊA, José Carlos. FRANÇA / Célio Francisco. Modelos de gestão. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas 4. ed.- Rio de Janeiro: Editora Elsevier, CORREA, Carlos José. Apostila de Administração de Competências Gerencias / Carlos José Correa Rio de Janeiro Editora FGV, 2010 MAGALHÃES, M. A. Apostila de Estratégia de Empresas / Marcelo Almeida Magalhães Rio de Janeiro Editora FGV, 2010 MALAMUT, Gilberto. Apostila de Consultoria em TI / Gilberto Malamut Rio de Janeiro Editora FGV, 2010 Mapa de Competências. Disponível em: < Acesso em: maio Planos de pagamento. Disponível em: < Acesso em: maio. 2011

48 48 Capítulo 11. Anexos Anexo 1 - Análise do Ambiente Externo - Modelo de Cenários A análise do ambiente externo é uma tarefa importante dentro do planejamento estratégico, pois partimos do pressuposto de que a empresa precisará estar atenta e preparada para atuar no mercado, conforme suas condições, para sobreviver. Como primeira ferramenta de suporte nesta análise, foi utilizado a Análise de Cenários. Esta técnica, da escola formal de Planejamento Estratégico, consiste em projetarmos um provável futuro, ainda não confirmado no ambiente externo, baseado nos fatos atuais, considerando aspectos estratégicos nesta avaliação, como: economia, mercados, entre outros. Para o Planejamento Estratégico foi escolhido os aspectos estratégicos Economia, Mercado e Fornecedores Escopo Otimista Provável Pessimista Economia No mundo, gradativamente, até 2013 deve haver uma melhora na economia, com o fim da recessão em vários países como Estados Unidos, França, Alemanha e Holanda. A economia brasileira deve crescer acima de 7% do PIB, com manutenção do crédito para as empresas. Tudo nos próximos 5 anos. No Estado de São Paulo, deve permanecer com a maior participação no PIB e com crescimento total desta participação na ordem de 4% no final de A recessão Americana e de países da Europa deve acabar até 2014, e volta a crescer no máximo 2% do PIB até O governo brasileiro fará alguns cortes de gastos e investimentos num primeiro momento (2011), mas deve voltar ampliar seus investimentos e disponibilização de crédito durante os próximos 4 anos a partir de Seguindo a tendência do governo brasileiro, o governo estadual de São Paulo deve reduzir Os países em recessão no mundo continuarão a ter problemas para reverter o quadro de crise, reforçados por conflitos internacionais, sem previsão de crescimento até Devido a pouca mão de obra especializada, e crise na área de Educação, o Brasil enfrentará consideráveis problemas de crescimento até 2015, registrando crescimento de no máximo 5% do PIB ano a ano. O Estado de São Paulo deve perder sua força produtiva em até 2% devido a

49 49 investimentos em no máximo 5%, mas retomar o aumento do investimento sustentado em migração de empresas para outros Estados da União, por motivos de maiores incentivos fiscais. Escopo Otimista Provável Pessimista Mercado No mundo o setor varejista deve crescer em torno de 12% em 5 anos, devido a retomada dos investimentos em TI. No Brasil, as empresas do setor varejista passarão a investir em torno de 70% dos seus investimentos em TI, regularmente, ano a ano, até No Estado de São Paulo, a concorrência no setor varejista será um pouco menor devido a diversificação obtida pelo uso de recursos de TI (2016). Ainda sob o reflexo da crise de 2008 e os problemas econômicos em alguns países da Europa, os investimentos de TI devem crescer no máximo 7% nos próximos 3 anos. O investimento em TI, pelas empresas de varejo brasileiras, será por volta 50% dos investimentos até A partir de 2015, deve cair para 40%. Em São Paulo haverá aumento da velocidade com que as empresas de varejo apresentarão mudança, e isso deve aumentar um pouco mais a concorrência, em especial para as empresas que ficarem atrás nos investimentos em tecnologia e em recursos humanos (2015). No mundo as crises econômicas e conflitos em alguns países, atrapalharão os investimentos em TI, que não deve passar de 3% até No Brasil, com um pouco mais de cautela, as empresas ainda terão receio de grandes investimentos no geral, afetando diretamente TI (2015). Com o aumento da disputa de profissionais qualificados, e má aplicação de investimentos em TI, algumas empresas do Estado de São Paulo terão dificuldades em suas gestões, o que ocasionará um maior desequilíbrio entre os grandes concorrentes, com uns lucrando mais e outros tendo até prejuízo (2015). Escopo Otimista Provável Pessimista Fornecedor No mundo, teremos um salto expressivo em termos de inovações com foco na conexão de novos dispositivos a internet, provendo maior integração e Com espaço para a combinação de tecnologias e integração de novos dispositivos pela internet, teremos um aumento de No mundo haverá um aumento da captação de mão-de-obra qualificada entre países, o que acarretará em desequilíbrio para na

50 interação entre recursos. Em torno de 30% mais de novos tipos de dispositivos sendo integrados até No Brasil, inovações e apresentações de novas tecnologias continuarão num ritmo crescente forte, algo em torno de 15% ao ano, aliado ao aumento de pessoal especializado (2015). No Estado de São Paulo haverá uma ampliação e maior organização dos canais de comunicações e treinamentos para o acesso ao conhecimento de novas tecnologias, com custos baixos (2015). Os custos de investimentos em novas tecnologias deve cair em média 10% ao ano até 2016, devido o grande aumento da demanda, e na capacidade produtiva. 50 soluções tecnológicas no mundo, na ordem de 15% em 4 anos. O lançamento de novos recursos tecnológicos continuará no Brasil, mas num ritmo moderado (5% ao ano), devido algumas limitações tecnológicas, materiais e de pessoal capacitado. O acesso ao conhecimento de novas tecnologias em São Paulo será melhorado gradativamente até 2015, com preços justos e haverá aumento de demanda e produção de novas tecnologias o que deve levar a queda dos preços em 5% ao ano (2016). demanda e oferta por pessoal capacitado, o qual deve causar uma diminuição na produtividade em 3% em 4 anos. No Brasil, devido a falta de pessoal capacitado e algumas limitações tecnológicas, o crescimento será de no máximo 1% ao ano, em novas tecnologias disponibilizadas para o mercado. No Estado de São Paulo, as empresas de tecnologia cobrarão caro por cursos de formação para o aprendizado em suas novas tecnologias. Os preços praticados para venda de novas tecnologias deve cair muito lentamente, o que dificultará o acesso a elas pela maioria das empresas (2016).

51 11.2. Anexo 2 - Análise do Ambiente Externo Modelo Porter 51 Como segunda ferramenta de suporte nesta análise, foi utilizado o Modelo Porter de Análise Competitiva de Indústrias. O modelo referencial, proposto pelo renomado professor de estratégia Michael Porter em 1985, resume o pressuposto de que os aspectos de: grau de rivalidade da concorrência; poder de barganha dos clientes e fornecedores; potencial de interferência de novos entrantes (concorrência e tecnologia) na concorrência; o poder de redução de receita devido produtos alternativos e grau de interferência do governo, afetam a rentabilidade de um negócio. Estabeleceu-se o seguinte quadro referencial de forças competitivas: Clientes Concorrência Fornecedores O setor varejista está atento as mudanças de mercado e a concorrência, por isso seleciona muito criteriosamente seus parceiros e onde fará seus investimentos. Percebe-se que a confiança nos fornecedores e nos serviços prestados como agregadores de valor aos negócios, são aspectos importantes que vêm antes dos custos de investimentos. Assim, seu poder de barganha é médio. Existem consultorias focadas em varejo já consolidadas no mercado. A rivalidade neste caso é alta. Existem alguns grandes fornecedores que lideram o mercado de TI e que de certa forma produzem as tendências. Entretanto há uma grande quantidade de outros fornecedores menores que criam novas soluções a partir das novidades tecnológicas. Neste cenário podese tirar proveito de ambos, devido a diversificação da oferta, e pela concorrência, conseguir preços justos para soluções tecnológicas e treinamentos. O poder de barganha dos fornecedores é alto. Novos Entrantes Produtos substitutos Governo O mercado de consultaria em novas tecnologias é amplo, portanto há espaço para novos rivais, não representando um risco a curto e médio prazo aos negócios. Esta força é baixa. Consultorias de TI que apresentam soluções baseadas em tecnologias com mais de 2 anos disponíveis no mercado. Esta força tem uma representatividade média. O governo brasileiro pode influenciar, de acordo com volume de crédito para investimento liberado ao mercado e na definição das taxas de juros, que se altas, podem inibir o investimento das empresas. Isto representa uma força média.

52 Anexo 3 - Análise do Ambiente Externo (SWOT) - Ameaças e Oportunidades Como terceira e última ferramenta de suporte nesta análise, foi utilizado o Modelo SWOT Ameaças e Oportunidades. O modelo SWOT, oriundo da hoje chamada Escola de Design, considera aspectos internos e externos visíveis de um negócio, buscando compatibilizá-los. O Modelo consiste no levantamento dos Pontos Fortes (Strengths) e Pontos Fracos (Weaknesses) aspectos internos, Oportunidades (Opportunities) e Ameaças(Threats) aspectos externos. O que diferencia esta análise da de cenários acima, é que neste caso tratamos de aspectos atuantes no momento, enquanto os cenários ainda não se configuraram. Ficou estabelecido o seguinte quadro referencial de ameaças e oportunidades: Ameaças Oportunidades 1 Com a possibilidade de redução de crédito no 1- Clientela potencial necessitada de diferenciais mercado, algumas empresas podem diminuir o competitivos, tem consciência da importância dos orçamento para investimento em TI. recursos de TI para atingir seus objetivos e estão dispostos a investir em soluções tecnológicas. 2- Fornecedores podem cobrar valores muito altos para o acesso as novas tecnologias e treinamento das mesmas, o 2- Os fornecedores precisam ampliar seus canais de que pode pesar no investimento e na composição do divulgação e distribuição de suas novidades preço do serviço de consultoria. tecnológicas. Empresas de TI multinacionais, como a IBM, estão investindo em laboratórios de pesquisa no Brasil. 3- A geração Z (jovens nascidos em meados dos anos 90) está começando a entrar no mercado de trabalho, e tem um perfil de estarem antenados com as inovações e grande afinidade com as novas tecnologias. Ao final desta análise utilizando as ferramentas apresentadas foi escrito um resumo conclusivo contemplando a avaliação do conteúdo apurado da análise do ambiente externo pelos três modelos.

53 11.4. Anexo 4 - Análise do Ambiente Interno (SWOT) - Pontos Fortes e Fracos 53 Para a avaliação da Análise do Ambiente Interno, começou-se utilizando a ferramenta Modelo SWOT Pontos Fortes e Fracos. Uma breve explicação sobre este modelo pode ser vista no início do Anexo 4 (Análise do Ambiente Externo Modelo SWOT Ameaças e Oportunidades). Ao final do quadro apresentado abaixo como o Modelo SWOT Pontos Fortes e Fracos, foi-se descrito o resultado da avaliação de todos os pontos obtidos da análise SWOT completa, considerando os aspectos internos e externos, com o estabelecimento de um cruzamento dos pontos observados que indicam ações para aproveitamento de oportunidades ou de necessidades de melhorias. Ficou estabelecido o seguinte quadro referencial de pontos fortes e fracos: Forças Fraquezas 1 Colaboradores tecnicamente atualizados sobre 1- Não se tem clientes no momento. novas tecnologias. 2- Necessidade de investimento inicial para 2 Colaboradores com profundo conhecimento do estabelecimento do local sede e montagem do escritório setor varejista. com móveis e equipamentos. A seguir os insights obtidos a partir da análise SWOT: A1-F1f1- Oferecimento de desenvolvimento e implementação de solução piloto, para teste, por um mês, atrelado a fechamento de contrato caso alcance o resultado inicial esperado. A2-F1f1 Estabelecimento de parceria com os fornecedores, para entrada no mercado, indicações de potenciais clientes e trabalho em conjunto em projetos no cliente. O2-F2f2 Obtenção de patrocínio para montagem do escritório.

54 11.5. Anexo 5 - Análise do Ambiente Interno Modelo BCG 54 Foi proposta pelo Boston Consulting Group (BCG) na década de 80. Também é conhecida como modelo de análise de portifólio. Ele segue uma lógica rígida onde cada produto ou serviço da empresa tem seu próprio ciclo de vida (nascimento, crescimento, maturidade e declínio); a principal fonte de recursos vem da participação do mercado, a ser conquistada ou comprada; a fim de alavancar os produtos que garantirão a sobrevivência da empresa no futuro, a empresa deve usar recursos provenientes de produtos maduros; produtos que não alavanquem outros precisam ser descartados. A proposta do quadro abaixo é listar os produtos/serviços da empresa de acordo com os seguintes grupos: 1) produtos/serviços com alta participação de mercado, mas com baixa perspectiva de crescimento no mesmo (também conhecido como vaca caixeira); 2) produtos/serviços com baixa participação de mercado, mas com alto potencial de crescimento futuro (também conhecido como criança problema); 3) produtos com alta participação de mercado, mas com ainda alto potencial de crescimento (também conhecido como estrela); 4) produtos/serviços com baixa participação de mercado, mas com baixa perspectiva de crescimento futuro (também conhecido como abacaxi). A partir deste conceito sobre BCG explicado, foi realizada a análise de portifólio de serviços da consultoria e chegou-se ao seguinte quadro referencial: - Soluções Cloud Computing - Soluções CRM - Soluções RFID - Soluções de Business Intelligence

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA SUMÁRIO DE PROJETOS WORKFLOW... 03 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO... 04 IDENTIDADE CORPORATIVA... 04 GESTÃO DE COMPETÊNCIAS... 05 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO... 05 REMUNERAÇÃO...

Leia mais

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional

MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional MBA em Gestão Empresarial com Ênfase na Transformação Organizacional Coordenação Acadêmica: Wankes da Silva Ribeiro Coordenação da Ênfase: Wankes Leandro Ribeiro JUSTIFICATIVA O MBA em Gestão Empresarial

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais

MBA em GESTÃO EMPRESARIAL Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização. Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr.

MBA em GESTÃO EMPRESARIAL Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização. Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. MBA em GESTÃO EMPRESARIAL Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização 2016 Coordenação Acadêmica: Prof. José Carlos Abreu, Dr. 1 JUSTIFICATIVA: Este MBA visa ser o novo MBA em GE que substitui o MBA

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão Empresarial Coordenação Acadêmica FGV : Professora Denize Dutra CÓDIGO NO SIGA : VIANNA0/TMBAGE*1225-14 1. ECONOMIA EMPRESARIAL Fundamentos

Leia mais

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS.

MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. MAIS RENTABILIDADE, SEGURANÇA E AGILIDADE NA GESTÃO DE SEUS CONTRATOS, PROJETOS E SERVIÇOS. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA Flash Lan House: FOCO NO ALINHAMENTO ENTRE CAPITAL HUMANO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto 1 Sumário Executivo (O que é o plano de negócios) 2 Agradecimentos 3 Dedicatória 4 Sumário ( tópicos e suas respectivas páginas) 5 Administrativo - Introdução (O que foi feito no módulo administrativo)

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios Modelo de Plano de Negócios COLEÇÃO DEBATES EM ADMINISTRAÇÃO Empreendedorismo Modelo de Plano de Negócios Elaboração Marcelo Marinho Aidar Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) F U N

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente

Leia mais

MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS

MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS MBA EM GESTÃO DO MARKETING ESTRATÉGICO - EMENTAS Branding Corporativo O que é Branding. O que é uma marca. História da Marcas. Naming. Arquitetura de Marcas. Tipos de Marcas. Brand Equity. Gestão de Marcas/Branding.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Fundamentos

Gerenciamento de Projetos Fundamentos Gerenciamento de Fundamentos MBA EM GESTÃO DE PROJETOS - EMENTAS Definição de Projeto. Contexto e Evolução do Gerenciamento de. Areas de conhecimento e os processos de gerenciamento do PMI - PMBoK. Ciclo

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração

Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. Graduação em Administração Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Graduação em Administração Educação Presencial 2011 1 Trabalho de Conclusão de Curso - TCC O curso de Administração visa formar profissionais capacitados tanto para

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence

Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager. Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Solutions Apresentação do SA-Performance Manager Por: Anderson Pereira Diretor de Negócios Unidade Excellence Interact Group Fundação: agosto / 1999 80 Colaboradores diretos 85 Colaboradores nas

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

BENEFÍCIOS COM A SMALL

BENEFÍCIOS COM A SMALL BENEFÍCIOS COM A SMALL 2012. Small Consultoria Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 530 Casa Verde, São Paulo S.P. Tel. 11 2869.9699 / 11 2638.5372 Todos os direitos reservados. A IDEIA Dentre os exemplos

Leia mais

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

Conquistamos ao longo de nossa trajetória mais de 30.000 licenças em operação em 6.500 clientes ativos.

Conquistamos ao longo de nossa trajetória mais de 30.000 licenças em operação em 6.500 clientes ativos. Institucional Perfil A ARTSOFT SISTEMAS é uma empresa brasileira, fundada em 1986, especializada no desenvolvimento de soluções em sistemas integrados de gestão empresarial ERP, customizáveis de acordo

Leia mais

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013

www.pwc.com AMCHAM Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Abril de 2013 www.pwc.com Visão integrada das áreas de Marketing e Finanças Agenda Introdução Como abordar o problema Discussões Conclusão PwC 2 Introdução PwC 3 Introdução Visões do Marketing Marketing tem que fazer

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio

40% dos consumidores da Copa das Confederações da FIFA 2013 consideraram a agilidade no atendimento como fator mais importante no comércio 440mil pequenos negócios no Brasil, atualmente, não utilizam nenhuma ferramenta de gestão, segundo o Sebrae Varejo 2012 27% 67% de comerciantes que não possuíam computadores dos que possuíam utilizavam

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa Apresentação da Empresa Somos uma empresa especializada em desenvolver e implementar soluções de alto impacto na gestão e competitividade empresarial. Nossa missão é agregar valor aos negócios de nossos

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Tecnologia da Informação tem por fornecer conhecimento

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente MÍDIA KIT 2014 Índice 03 A Empresa 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente A empresa Fundada em 2007, a empresa possui uma grade anual com diversos

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO RESUMO DO EMPREENDIMENTO 01 EMPREENDIMENTO 02 NEGÓCIO E MERCADO: DESCRIÇÃO 2.1 ANÁLISE MERCADOLÓGICA 2.2 MISSÃO DA EMPRESA 03 CONCORRÊNCIA 04 FORNECEDORES 05 PLANO

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas, ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor 2 Atendemos às necessidades

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

Introdução. Este roteiro tem a pretensão de servir como facilitador na construção de um plano de negócios compreensível e realista

Introdução. Este roteiro tem a pretensão de servir como facilitador na construção de um plano de negócios compreensível e realista 1 Introdução Empreender significa determinar um caminho para perseguir, ou qualquer caminho servirá. Uma vez no caminho, o sucesso dáse pela combinação entre visão, paixão e disciplina na execução. Já

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA

ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo para

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROFª DANIELLE VALENTE DUARTE

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROFª DANIELLE VALENTE DUARTE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROFª DANIELLE VALENTE DUARTE MODELO PARA FORMULAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Análise do ambiente externo Macroambiente Ambiente setorial feedback Ambiente Interno (forças e

Leia mais

Planejamento Econômico-Financeiro

Planejamento Econômico-Financeiro Planejamento Econômico-Financeiro São Paulo, Junho de 2011 Esse documento é de autoria da E Cunha Consultoria. A reprodução deste documento é permitida desde que citadas as fontes e a autoria do estudo.

Leia mais

1º SEMINÁRIO: Gestão Estratégica para Departamentos Jurídicos e Escritórios de Advocacia de Curitiba-PR. LOCAL: Curitiba-PR 24/04/2014

1º SEMINÁRIO: Gestão Estratégica para Departamentos Jurídicos e Escritórios de Advocacia de Curitiba-PR. LOCAL: Curitiba-PR 24/04/2014 1º SEMINÁRIO: Gestão Estratégica para Departamentos Jurídicos e Escritórios de Advocacia de Curitiba-PR LOCAL: Curitiba-PR 24/04/2014 TEMA DA PALESTRA: Ferramentas de Gestão Estratégica PALESTRANTE: Edison

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

MBA EM GERÊNCIA DE PROJETOS

MBA EM GERÊNCIA DE PROJETOS Ribeirão Preto, Franca, Araraquara e São Carlos MBA EM GERÊNCIA DE PROJETOS COORDENAÇÃO: Profº Edmarson Bacelar Mota, M.Sc APOIO: SOBRE O CURSO Com a abertura dos mercados e o enorme aumento da competitividade,

Leia mais

Sistema Gestão de Gente

Sistema Gestão de Gente Sistema Gestão de Gente Uma organização moderna requer ferramentas de gestão modernas, que incorpore as melhores práticas de mercado em gestão de recursos humanos, que seja fácil de usar e que permita

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO

FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 1. CAPA 2. SUMÁRIO 3. INTRODUÇÃO FAZER ESTES ITENS NO FINAL, QUANDO O TRABALHO ESTIVER PRONTO 4. DESCRIÇÃO DA EMPRESA E DO SERVIÇO 4.1 Descrever sua Visão, VISÃO DA EMPRESA COMO VOCÊS IMAGINAM A EMPRESA

Leia mais

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração

Faculdade Pitágoras de Uberlândia. Administração Faculdade Pitágoras de Uberlândia Apostila de Administração Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 SUMÁRIO 1 O PLANO DE NEGÓCIOS...2 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO...5

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI Prof. Fernando Rodrigues Quando se trabalha com projetos, é necessária a utilização de técnicas e ferramentas que nos auxiliem a estudálos, entendê-los e controlá-los.

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade I FINANÇAS EM PROJETOS DE TI Prof. Fernando Rodrigues Nas empresas atuais, a Tecnologia de Informação (TI) existe como uma ferramenta utilizada pelas organizações para atingirem seus objetivos.

Leia mais

Folheto Acelere sua jornada rumo à nuvem. Serviços HP Cloud Professional

Folheto Acelere sua jornada rumo à nuvem. Serviços HP Cloud Professional Folheto Acelere sua jornada rumo à nuvem Professional Folheto Professional A HP oferece um portfólio abrangente de serviços profissionais em nuvem para aconselhar, transformar e gerenciar sua jornada rumo

Leia mais

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center

Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center Nós nos responsabilizamos pelo processo de procura, estudo de viabilidade e planejamento do ponto em shopping center O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente do Sebrae Luiz Barretto

Presidente do Conselho Deliberativo Nacional Roberto Simões. Diretor-Presidente do Sebrae Luiz Barretto 2012 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae TODOS OS DIREITOS RESERVADOS A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei n.º

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações O RH nesses 20 anos Tático, político e de políticas Desdobrador da estratégia Influenciador da estratégia e da operação Consultor e assessor para

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados

MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados MBA em Gestão Estratégica de Marketing e Mercados 1-OBJETIVOS OBJETIVO GERAL: Especializar profissionais com diploma do curso superior, que atuem nos setores empresariais, estratégicos, gerenciais e técnicos

Leia mais

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL

MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL MBA EM GESTÃO EMPRESARIAL DURAÇÃO: 432 h/a 20 meses aproximadamente. AULAS: Sábados, aulas quinzenais. HORÁRIO: 08:00 às 17:40 DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA MATRÍCULA: Cópia do Diploma de Graduação (autenticada);

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO Bruna Carolina da Cruz Graduando em administração Unisalesiano Lins bruna-estella@hotmail.com Rafael Victor Ostetti da Silva Graduando

Leia mais

M B A P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E S P E C I A L I Z A Ç Ã O E M G E R E N C I A M E N T O D E P R O J E T O S * Programa sujeito a alterações

M B A P Ó S - G R A D U A Ç Ã O E S P E C I A L I Z A Ç Ã O E M G E R E N C I A M E N T O D E P R O J E T O S * Programa sujeito a alterações depto. mkt. IBE FGV * Programa sujeito a alterações RESOLUÇÃO DO MEC Os cursos MBA Pós-Graduação Especialização da Fundação Getulio Vargas atendem aos requisitos da Resolução CNE / CES nº 01, de 08/06/07.

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi Gestão de Recursos Humanos e Contratualização Nelson Marconi Estágios das Políticas de Recursos Humanos 1º estágio: controles e ajuste das despesas 2º estágio: definição de políticas consistentes porém

Leia mais

Balanced Scorecard. Resumo Metodológico

Balanced Scorecard. Resumo Metodológico Balanced Scorecard Resumo Metodológico Estratégia nunca foi foi tão tão importante Business Week Week Entretanto... Menos de de 10% 10% das das estratégias efetivamente formuladas são são eficientemente

Leia mais

Fornecendo Inteligência, para todo o mundo, a mais de 20 anos.

Fornecendo Inteligência, para todo o mundo, a mais de 20 anos. Fornecendo Inteligência, para todo o mundo, a mais de 20 anos. Fundada em 1989, a MicroStrategy é fornecedora líder Mundial de plataformas de software empresarial. A missão é fornecer as plataformas mais

Leia mais

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA

GR SOLUÇÕES EMPRESARIAIS IMPULSIONANDO A COMPETITIVIDADE DE SUA EMPRESA Quem Somos: A GR Soluções Empresarias é uma empresa provedora de soluções corporativas e serviços personalizados em Advocacia, Contabilidade e Tecnologia da Informação, orientada pelos interesses das empresas

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO DO PARCEIRO Soluções de garantia do serviço da CA Technologies você está ajudando seus clientes a desenvolver soluções de gerenciamento da TI para garantir a qualidade do serviço e a

Leia mais

APRESENTAÇÃO AO CANDIDATO

APRESENTAÇÃO AO CANDIDATO APRESENTAÇÃO AO CANDIDATO COMO FAZEMOS? QUEM SOMOS? ByeByePaper é uma empresa que atua no segmento de Gestão Eletrônica de Documentos e Certificado Digital, oferecendo ferramentas para gestão de conteúdo

Leia mais

PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO

PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO TOBIAS ALBUQUERQUE E LEONARDO AVELAR OUTUBRO DE 2015 I. INTRODUÇÃO O conceito de escritórios de projetos Project Management Office (PMO) vem evoluindo desde meados da década

Leia mais

VALORES COORPORATIVOS MISSÃO VISÃO. Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral.

VALORES COORPORATIVOS MISSÃO VISÃO. Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral. EMPRESA MISSÃO Oferecer soluções em seguros, atendendo as necessidades das cooperativas e do mercado em geral. VISÃO Ser reconhecida como uma empresa do sistema cooperativo com excelência em seguros. VALORES

Leia mais

CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em. liderar o setor de big data e da nuvem

CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em. liderar o setor de big data e da nuvem 8 A pesquisa indica ênfase na criação de valor, mais do que na economia de custos; o investimento em big data, na nuvem e na segurança é predominante CIOs da região Ásia-Pacífico interessados em liderar

Leia mais

Soluções completas em tecnologia Convergência natural entre negócios e TI

Soluções completas em tecnologia Convergência natural entre negócios e TI Soluções completas em tecnologia Convergência natural entre negócios e TI Abordagem multidisciplinar e equipe especializada em integração tecnológica A dinâmica e as mudanças dos negócios têm tornado a

Leia mais

5ª EDIÇÃO. Agenda. 08 de Outubro 2015. Hotel Green Place Flat São Paulo, SP. Realização: www.corpbusiness.com.br

5ª EDIÇÃO. Agenda. 08 de Outubro 2015. Hotel Green Place Flat São Paulo, SP. Realização: www.corpbusiness.com.br Agenda 5ª EDIÇÃO 08 de Outubro 2015 Hotel Green Place Flat São Paulo, SP Realização: www.corpbusiness.com.br Patrocínio Gold Patrocínio Bronze Apoio Realização: APRESENTAÇÃO COMO ESTABELECER UM PROGRAMA

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Para fazer uma descrição adequada dos preços e serviços em seu plano de negócio, diga quais são os serviços da sua empresa, porque ela é capaz de fornecê-los,

Leia mais

Programa de Remuneração Variável 2015

Programa de Remuneração Variável 2015 Programa de Remuneração Variável 2015 APRESENTAÇÃO A Remuneração Variável é parte representativa nas práticas de gestão de pessoas. O modelo tradicional de pagamento através de salário fixo, tornou-se

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04 ESTUDO DE CASO A construção do BSC na ESPM do Rio de Janeiro Alexandre Mathias Diretor da ESPM do Rio de Janeiro INDICE Introdução 02 A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03 A Definição do Negócio 03 Imagem

Leia mais

Elaboração dos documentos

Elaboração dos documentos Estudo de Caso Área de conhecimento Gerência de Escopo Projeto Correspondência Eletrônica nos Correios S.A. A Presidência dos Correios vislumbrou a possibilidade da Empresa apresentar aos seus clientes

Leia mais

Pós-graduação lato sensu.

Pós-graduação lato sensu. MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Pós-graduação lato sensu 1 MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais