TribunaldeJustiçadeMatoGrossodoSul

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TribunaldeJustiçadeMatoGrossodoSul"

Transcrição

1 TribunaldeJustiçadeMatoGrossodoSul TJ-MS FL.:119 - N. -. Relator - Exmo. Sr.. Agravante - Luiza Iramita Rodrigues da Costa. Advogada - Magali Aparecida da Silva Brandão. Agravadas - Sílvia Maria Luge e outro. Advogadas - Luciana Abou Gatthas e outro. E M E N T A AGRAVO REGIMENTAL EM AGRAVO AÇÃO DE INDENIZAÇÃO LITISCONSORTES COM DIFERENTES PROCURADORES DA MESMA BANCA E QUE ASSINARAM PEÇA ÚNICA DE DEFESA PRAZO EM DOBRO ART. 191 DO CPC RECURSO DESPROVIDO. Quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão contados em dobro os prazos para contestar, para recorrer e, de modo geral, para falar nos autos. O fato de os advogados trabalharem no mesmo escritório ou formularem petição em conjunto não afasta o beneplácito, sob pena de se criar exigências que o próprio legislador não estabeleceu. A C Ó R D Ã O Vistos, relatados e discutidos estes autos, acordam os juízes da do Tribunal de Justiça, na conformidade da ata de julgamentos e das notas taquigráficas, por unanimidade, negar provimento ao recurso, nos termos do voto do Relator. Relator

2 FL.:120 R E L A T Ó R I O O Sr. Des. Josué de Oliveira LUÍZA IRAMITA RODRIGUES DA COSTA, qualificada nos autos da Ação de Indenização por Danos Materiais e Morais que move em face de SILVIA MARIA LUGE e DÉBORAH CRISTINA VASCONCELOS VALENTIM, Proc. n ( ), em trâmite pela 3ª Vara Cível da Comarca de Campo Grande, interpõe agravo regimental contra a decisão pela qual neguei seguimento, monocraticamente, ao agravo de instrumento interposto contra a decisão de primeiro grau que indeferiu preliminar levantada pela agravante, de intempestividade da contestação apresentada pelas recorridas. Aduz, em resumo, que a decisão que negou seguimento ao recurso é equivocada, uma vez que não se conta em dobro o prazo, nos termos do art. 191 do CPC, pelo fato de as agravadas estarem representadas por advogados distintos, mas pertencentes à mesma banca de advocacia e que apresentaram defesa conjunta na mesma peça. Reproduz os mesmos argumentos já externados nas razões do agravo de instrumento, mencionando doutrina e repositório jurisprudencial do STF (AI SP), do STJ (AgRg no AI /DF), do TJ-RS (AI /2011), do TJ-SP (APL ) e do TJ-MS (AG ). Prequestiona ofensa ao art. 191 do CPC, culminando com o pedido de reconsideração ou o provimento do presente regimental, com vistas à reforma da decisão de primeiro grau. V O T O (EM ) O Sr. Des. Josué de Oliveira (Relator) As razões apresentadas pela recorrente não me convenceram da necessidade de modificar a decisão pela qual mantive a decisão de primeiro grau. Reproduzo, para efeitos didáticos, a decisão proferida a f : LUÍZA IRAMITA RODRIGUES DA COSTA, qualificada nos autos da Ação de Indenização por Danos Materiais e Morais que move em face de SILVIA MARIA LUGE e DÉBORAH CRISTINA VASCONCELOS VALENTIM, Proc. n ( ), em trâmite pela 3ª Vara Cível da Comarca de Campo Grande, interpõe agravo de instrumento, com pedido de efeito suspensivo, contra a decisão que indeferiu preliminar levantada pela agravante, de intempestividade da contestação apresentada pelas agravadas, por discordar da tese de que é possível a contagem do prazo em dobro, a teor do art. 191 do CPC, pelo fato de as agravadas estarem representadas por advogados distintos, mas pertencentes à mesma banca de advocacia e que apresentaram defesa conjunta na mesma peça. Alega, em síntese, que a decisão recorrida precisa ser reformada, porque: 1) a lei processual brasileira estabelece os prazos tendo em vista razões de necessidade e o princípio da utilidade, isto é, a lei processual estabelece os prazos conforme a natureza do ato a ser realizado, de forma a garantir às partes

3 FL.:121 tempo suficiente para a sua prática; 2) a faculdade do prazo em dobro prevista no artigo 191 do CPC está consubstanciada na necessidade de maior prazo, quando presente a pluralidade de réus, em face da restrição existente no tocante ao acesso dos advogados aos autos do processo, eis que ficam retidos no Cartório Judicial aguardando o prazo para resposta, que é comum, conforme dispõem os artigos 40, 2º, e 298, ambos do CPC; 3) no caso, o acesso aos autos não foi prejudicado/dificultado, não havendo sentido em conferir prazo privilegiado às agravadas; 4) não há razão lógica para se conferir prazo em dobro para contestar, quando as agravadas contrataram o mesmo escritório de advocacia, que, inclusive, fez a defesa das agravadas em peça única; 5) a interpretação primária do artigo 191, CPC, ocorria no sentido de que bastavam haver procuradores distintos nos autos para invocar-se a regra do artigo sob comento, porém, como tudo no direito evolui, referida interpretação tem sido em sentido diverso do conferido pelo magistrado a quo; 6) o cartório de origem certificou o decurso do prazo para as requeridas, ora agravadas (f. 61 TJ/MS). Após mencionar, em abono de sua tese, vários repositórios jurisprudenciais, requer o provimento do recurso, com vistas à revogação da decisão recorrida, para que seja declarada a intempestividade da contestação ofertada a f. 151/169 (f TJ/MS) e sejam desentranhados os documentos que a acompanham, decretando-se a revelia e a confissão das requeridas, ora agravadas, com o normal prosseguimento do feito. É o relatório. Antevejo óbices intransponíveis ao sucesso deste recurso, que está a merecer julgamento singular. Trata-se, com efeito, de agravo interposto contra decisão interlocutória proferida em audiência de conciliação, nos autos da ação ordinária de indenização por danos materiais e morais, pela qual o magistrado rejeitou preliminar de intempestividade arguida pela autora, ora agravante, na impugnação da contestação, sob o [fundamento] de se aplicar, na espécie, o art. 191 do CPC, segundo o qual, quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão contados em dobro os prazos para contestar, para recorrer e, de modo geral, para falar nos autos. De fato, pelo critério adotado pelo juiz da causa, da contagem em dobro, a contestação apresentada a f TJ/MS é tempestiva, pois a peça de defesa foi protocolizada em , dentro do prazo legal, uma vez que a juntada do último mandado de citação ocorreu em , em cumprimento ao art. 241, III, do CPC: Começa a correr o prazo: (...) quando houver vários réus, da data da juntada aos autos do último aviso de recebimento ou mandado citatório cumprido. Por serem dois os réus e possuírem diferentes procuradores, a regra do art. 191 é que o prazo conta-se em dobro para falar nos autos, não importa se os patronos são da mesma banca de advocacia ou se assinaram a mesma peça em conjunto. A jurisprudência que alberga a tese ora defendida é torrencial. Mencionam-se, aleatoriamente, os seguintes julgados mais recentes que adotam essa premissa: A existência de procuradores diversos confere aos litisconsortes o direito a prazo dobrado para suas manifestações nos autos, prerrogativa que não

4 FL.:122 é afastada pelo fato de as peças processuais serem subscritas em conjunto. (STJ: RESp n /SP, DJe ). Incide o prazo do art. 191 do CPC (prazo em dobro) mesmo quando o litígio diz respeito a imóvel comum e, em ação de reintegração de posse, marido e mulher constituem advogados distintos, embora pertençam a escritório advocatício comum. Assim, a Turma deu provimento ao recurso. (STJ: REsp /SP, j ). Caso os litisconsortes tenham diferentes procuradores, deve-lhes ser deferido o benefício do prazo em dobro, na forma do art. 191 do CPC. O fato de os advogados trabalharem no mesmo escritório ou formularem petição em conjunto não afasta o beneplácito, sob pena de se criar exigências que o próprio legislador não estabeleceu. Precedentes. Jurisprudenciais. Agravo interno desprovido. (TJRS: AG , DJERS ; e AI , DJERS ). Sublinhei. Prazo em dobro, apesar de os patronos do réu pertencerem ao mesmo escritório de advocacia. Aplicação do art. 191 do CPC. Recurso desprovido. (TJSP: AI , DJESP ). Concessão de prazo em dobro aos litisconsortes (réus). Cabimento. Demandados que são patrocinados por advogados distintos (embora com endereço no mesmo escritório). Aplicação do art. 191 à hipótese. Decisão reformada apenas para este fim. Recurso parcialmente provido. (TJSP: AG , j ). A mera qualidade de cônjuges dos embargantes não é suficiente para afastar a subsunção ao art. 191 do CPC. (TJMS: AC , Rel. Des. designado Júlio Roberto Siqueira Cardoso, 5ª Turma Cível, j ). Quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão contados em dobro os prazos para contestar, para recorrer e, de modo geral, para falar nos autos (art. 191 do Código de Processo Civil. (TJMS: AC , Rel. Des. Vladimir Abreu da Silva, 5ª Turma Cível, j. em ). A teor do disposto no art. 191 do CPC, quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão contados em dobro os prazos para recorrer. (TJMS: AC , Rel. Des. Sergio Fernandes Martins, 1ª Turma Cível, j ). Na 43ª edição atualizada e reformulada em 2011, Theotonio Negrão, no Código de Processo Civil e legislação processual em vigor, assinala: Se há diferentes advogados, o prazo é em dobro, mesmo se todos os advogados se pronunciam conjuntamente. (RTJ 117/875 e STF-RT 609/246). No mesmo sentido, RSTJ 32/336, STJ-RT 683/190, RT 634/135. Ainda que os advogados sejam companheiros de escritório, desde que seja, cada qual, procurador de litisconsorte diferente, aplica-se o art. 191 (STJ- RP 176/239; 3ª T., REsp ; STJ-4ª T., REsp , Min. Dias Trindade, j , DJU ; RT 549/85, 565/86, RJTJESP 106/340, maioria, JTA 112/403, Lex-JTA 152/85; RJTJERGS 259/119: AR Neste caso, o benefício incide ainda que os advogados tenham apresentado a petição em conjunto, suscitando as mesmas razões (STJ-4ª T., REsp , Min. Cesar Rocha, j , DJU ). Contam-se em dobro os prazos para contestação quando diferentes os procuradores dos litisconsortes (art. 191 do CPC). A circunstância de terem os

5 FL.:123 mesmos procuradores em outro processo é irrelevante. (STJ-4ª T. REsp 3.930, Min. Fontes de Alencar, j , DJU ). 1 Ora, se o art. 191 diz que será contado o prazo em dobro para os litisconsortes com diferentes advogados, não há por que negar cumprimento à lei, sob pretexto de que não foram atendidos determinados requisitos não contemplados na legislação. Neste caso, aplica-se um brocardo jurídico, soluto anos a reio em hermenêutica jurídica, de que ao intérprete não é dado distinguir onde a lei não distingue, isto é, o intérprete não está autorizado a extravasar os limites legais, com o propósito de suprir a suposta intenção do legislador: Um texto interpreta-se à luz de si mesmo. Nada existe, necessário à sua interpretação, que não esteja contido nele mesmo; inteligência e universo simbólico são uma e a mesma coisa. O primeiro princípio da interpretação, portanto, é o princípio da adstrição ao texto. Era o que tinham em vista os romanos ao dizer ubi lex non distinguit, nec nos distinguere debemus. 2 (Destaque meu). A agravante traz à baila corrente interpretativa que aos poucos vem cedendo ante a tendência dos novos tempos de se valorizar cada vez mais os princípios da instrumentalidade e da ampla defesa, segundo os quais o processo foi feito para o jurisdicionado e não o contrário. O apego da autora/agravante à tese da intempestividade da contestação das requeridas/agravadas, em tal hipótese, pode vir a ser contraprodutiva e prejudicial aos seus próprios interesses. Por quê? Porque, mesmo sendo acolhida a sua tese, num primeiro momento, na hipótese de a decisão que lhe for favorável ser revista nas instâncias recursais, tal evento refletirá em prejuízo de seu próprio direito, pois a tramitação do feito terá sofrido retardamento desnecessário, em antinomia com o princípio da celeridade processual, mormente se se considerar que a revelia ou a presunção de veracidade decorrente da ausência de contestação não é absoluta (AC , Rel. Des. Vladimir Abreu da Silva, 5ª Turma Cível, j. em ). Saliento, por derradeiro, que a certidão exarada pelo Cartório, quanto ao decurso do prazo, não se sobrepõe à decisão emanada do Juízo. Ante o exposto, com fulcro no artigo 557, 2ª e 5ª figuras, nego seguimento ao presente recurso. Como visto, a agravante não trouxe nenhum argumento novo que justificasse a revisão da tese adotada por mim na decisão singular que negou seguimento ao agravo de instrumento. Embora respeitáveis as decisões mencionadas pela recorrente, elas não expressam a corrente majoritária doutrinário-jurisprudencial aplicável ao caso. À luz de tais ponderações, conheço do agravo regimental, mas nego-lhe provimento. 1 Ob. cit., nota 11 ao art. 191, p CUNHA, Sérgio Sérvulo. Princípios constitucionais. São Paulo: Saraiva, 2006, p. 264.

6 O Sr. Des. Paschoal Carmello Leandro (1º Vogal) De acordo com o relator. TJ-MS FL.:124 CONCLUSÃO DE JULGAMENTO ADIADA EM FACE DO PEDIDO DE VISTA DO 2º VOGAL (DES. DORIVAL RENATO PAVAN), APÓS O RELATOR E O 1º VOGAL NEGAREM PROVIMENTO AO RECURSO. VOTO (EM ) O Sr. Des. Dorival Renato Pavan (2º Vogal) I. Trata-se de agravo regimental (fls.104/114) interposto por LUIZA IRAMITA RODRIGUES DA COSTA em face de SILVIA MARIA LUGE e DÉBORAH VALENTIM, insurgindo-se contra a decisão do Relator JOSUÉ DE OLIVEIRA que negou provimento, de forma monocrática, ao agravo de instrumento interposto por ela contra a decisão do douto juízo da 3ª vara cível da comarca de Campo Grande, à sua vez indeferitória de preliminar de intempestividade da contestação apresentada pelas demandadas, aqui agravadas. Extrai-se dos autos que a agravante ajuizou ação de indenização por danos materiais e morais em face das agravadas, sendo que estas, utilizando-se do prazo em dobro do CPC, apresentaram contestação. Em sede de impugnação à contestação a aqui recorrente alegou a intempestividade da peça de defesa, eis que as demandadas estão representadas por advogados de um mesmo escritório e apresentaram contestação em peça única. Na audiência de Conciliação o magistrado afastou essa alegação preliminar, pois entendeu que a disposição constante no artigo 191 do Código de Processo Civil aplica-se mesmo quando os advogados das partes integrarem o mesmo escritório. Contra essa decisão insurgiu-se a autora por meio de agravo de instrumento. Afirma que no caso não se aplica o prazo em dobro, vez que a finalidade da norma é evitar a restrição do exercício do direito de defesa das partes representadas por advogados distintos, sendo que tal situação não ocorre quando os causídicos fazem parte de um mesmo escritório. O douto Relator Desembargador JOSUÉ DE OLIVEIRA proferiu decisão monocrática negando provimento ao recurso, pois entendeu que Por serem dois os réus e possuírem diferentes procuradores, a regra do art. 191 é que o prazo conta-se em dobro para falar nos autos, não importa se os patronos são da mesma banca da advocacia ou se assinaram a mesma peça em conjunto. Essa decisão foi mantida no voto do presente Agravo Regimental. Pedi vista dos autos para melhor examinar a matéria discutida neste recurso e a conclusão que externo é a mesma do eminente relator. II. 1. A questão posta em julgamento mostra-se controvertida na doutrina e na jurisprudência, mas é possível aferir que toda celeuma gira quando a defesa é apresentada por advogados diferentes pertencentes ao mesmo escritório de advocacia, em peça única, mas com procurações outorgadas a cada um dos advogados, isoladamente. No caso, a ação foi movida em face de duas rés e ambas optaram por apresentar defesa única, ou seja, em uma só peça, subscrita pelos dois advogados, como

7 FL.:125 se houvessem apresentado simultaneamente as defesas em separado em nome de seus clientes. As procurações juntadas também foram subscritas distintamente aos advogados que subscreveram a contestação, cada um deles representando uma das rés, e não em conjunto. 2. O artigo 191 do Código de Processo Civil estabelece, com efeito, que quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhe-ão contados em dobro os prazos para contestar, para recorrer e, de modo geral, para falar nos autos. Ao comentar o dispositivo os professores Luiz Guilherme Marinoni e Daniel Mitidiero sustentam a representação por advogados de um mesmo escritório acarreta a não incidência da regra inscrita no dispositivo: Se há litisconsortes com procuradores diferentes, há prazo em dobro para responder à demanda, recorrer e, de modo geral, para falar nos autos. Não interessa a natureza do litisconsórcio para aplicação do art. 191, CPC. Se as partes consorciadas têm vários advogados constituídos nos autos, algum deles é comum a todos os litisconsortes, não há prazo em dobro. Se os litisconsortes têm advogados diferentes que compõem o mesmo escritório de advocacia, não há prazo em dobro, porque aí não há dificuldade de comunicação ou vista dos autos. Tal entendimento está fundamentado no fato de que não haveria qualquer dificuldade de acesso aos autos para os profissionais que atuam em um mesmo vez que o acesso aos autos poderia se dar de forma conjunta. Por outro lado, a jurisprudência do Superior Tribunal, ao tratar da mesma questão, firmou a intelecção de que ainda que os advogados distintos estejam vinculados ao mesmo escritório de advocacia não constitui impedimento à concessão do prazo em dobro, conforme se infere dos arestos abaixo transcritos. PROCESSO CIVIL. LITISCONSÓRCIO PASSIVO. PROCURADORES DISTINTOS. PRAZO EM DOBRO. ADVOGADOS DO MESMO ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA. PARTES CASADAS. A orientação firmada pelo Tribunal é a de que tendo os litisconsortes procuradores distintos, aplica-se de forma objetiva e irrestrita a regra benévola do artigo 191 do Código de Processo Civil, de modo que também incidente no caso de os advogados serem do mesmo escritório, de as partes serem casadas e de o imóvel em litígio servir-lhes de residência. Recurso Especial provido. (REsp /SP RECURSO ESPECIAL 2006/ Relator(a) Ministro SIDNEI BENETI (1137) Órgão Julgador T3 - TERCEIRA TURMA Data do Julgamento 09/06/2009 Data da Publicação/Fonte DJe 18/06/2009) PROCESSUAL CIVIL. EMBARGOS INFRINGENTES. LITISCONSÓRCIO PASSIVO. PROCURADORES DISTINTOS. CISÃO DE PATROCÍNIO NO DECORRER DO PROCESSO. SUBSTABELECIMENTO SEM RESERVAS. ART. 191 DO CPC. PRAZO EM DOBRO. INCIDÊNCIA. I - Tendo os litisconsortes procuradores distintos, aplica-se a regra benévola do art. 191, CPC, independentemente dos advogados serem do mesmo escritório e apresentarem a petição em conjunto, suscitando as mesmas razões.

8 FL.:126 II - Conforme preceitua antigo brocardo jurídico, onde a lei não distingue, não o pode o intérprete distinguir (REsp n /SP, relatado pelo eminente Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira, DJ de 15/03/1999). Recurso especial parcialmente conhecido e, nessa extensão, provido (REsp /PR RECURSO ESPECIAL 2006/ Relator(a) Ministro CESAR ASFOR ROCHA (1098) Órgão Julgador T4 - QUARTA TURMA Data do Julgamento 05/06/2007 Data da Publicação/Fonte DJ 20/08/2007 p. 290) PROCESSUAL CIVIL. LITISCONSORTES COM PROCURADORES DISTINTOS. PRAZO EM DOBRO. ADVOGADOS DO MESMO ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA. PETIÇÃO APRESENTADA CONJUNTAMENTE. IRRELEVÂNCIA. INTELIGÊNCIA DO ART. 191, CPC. PRECEDENTES. RECURSO PROVIDO. I - Tendo os litisconsortes procuradores distintos, aplica-se a regra benévola do art. 191, CPC, independentemente dos advogados serem do mesmo escritório e apresentarem a petição em conjunto, suscitando as mesmas razões. II - Conforme preceitua antigo brocardo jurídico, onde a lei não distingue, não o pode o intérprete distinguir. (REsp /SP RECURSO ESPECIAL 1998/ Relator(a) MIN. SALVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA (1088) Órgão Julgador T4 - QUARTA TURMA Data do Julgamento 19/11/1998 Data da Publicação/Fonte DJ 15/03/1999 p. 241 RT vol. 767 p. 207) Em que pese o brilho dos autores citados, deve-se ceder à orientação jurisprudencial e também doutrinária em sentido contrário, como se vê abaixo - que já está consolidada no Superior Tribunal de Justiça e que exara a última palavra sobre a interpretação que se deve dar à norma infraconstitucional, no caso o artigo 191 do CPC, que sistematicamente tem entendido ser tempestiva a contestação ou, dependendo do caso, o apelo quando apresentado por advogados distintos, embora pertencentes a uma mesma banca ou escritório de advocacia. São, para todos os efeitos e para os fins do artigo 191 do CPC, advogados diferentes. Assim, o entendimento daquela Colenda Corte é o de que a regra insculpida no dispositivo tem cunho objetivo e não faz diferenciação a respeito de qualquer situação específica, não cabendo ao julgador restringir um benefício legal. Esse foi o fundamento utilizado pelo Ministro Salvio de Figueiredo Teixeira no julgamento do REsp , cuja a ementa está acima transcrita: A lei, como se vê, não faz distinção ou exceção. Da sua interpretação, em consequência, tenho que mais razoável concluir-se, na espécie, também pela duplicação dos prazos, sobretudo quando se sabe da angústia dos advogados em relação aos prazos. Assim, independentemente dos procuradores serem ou não de um mesmo escritório de advocacia, a regra benévola do prazo em dobro deve ser aplicada. Sendo a finalidade da previsão garantir a eficácia da atuação de advogados constituídos pelas partes, de maneira que à norma processual deve ser conferido o entendimento que irá privilegiar o resguardo dos princípios do contraditório e da ampla defesa, devo sucumbir a essa orientação jurisprudencial, malgrado tenho grandes reservas pela adoção desse entendimento.

9 FL.:127 Mas como tenho sempre apregoado em outros julgados dos quais sou relator e dos quais também participo neste Tribunal, até mesmo por força, agora, do artigo 543-C do CPC, feita a ressalva pessoal, devo sucumbir à orientação jurisprudencial maciça e sem divergências do Superior Tribunal de Justiça. Tanto assim que, recentemente, os Ministros daquela E. Corte Superior de Justiça, por força dos precedentes acima transcritos, já vêm decidindo as questões idênticas monocraticamente, como se infere, dentre outros, dos seguintes recursos especiais:processo AgRg no Ag Relator(a) Ministra MARIA ISABEL GALLOTTI Data da Publicação 30/03/ ; REsp Relator(a) Ministro HAMILTON CARVALHIDO Data da Publicação 17/03/2011; REsp Relator(a) Ministra NANCY ANDRIGHI Data da Publicação 27/08/2010; Ag Relator(a) Ministro SIDNEI BENETI Data da Publicação 29/06/ : REsp Relator(a) Ministra NANCY ANDRIGHI Data da Publicação 30/11/2009 5, entre inúmeros outros. 3 Que assim decidiu: "Assim, sendo as litisconsortes passivas pessoas jurídicas distintas, o mero fato de participarem do mesmo grupo econômico não impede a concessão do prazo em dobro, concedido, nos termos do art. 191, do CPC, a partes do mesmo polo com procuradores diversos, como no caso dos autos. Além disso, a simples presença de procuração e/ou peça processual extraída de outros autos, em que figuram como partes passivas as mesmas deste processo, naquele caso representadas pelo mesmo procurador, não tem o condão de afastar o benefício do art. 191, do CPC. Em face do exposto, reconsidero a decisão agravada, conheço do agravo como recurso especial e a ele dou provimento, para, reconhecendo à recorrente os benefícios do prazo em dobro (CPC, art. 191), determinar ao tribunal de origem a análise do agravo de instrumento por ela interposto tempestivamente. Intimem-se. Brasília (DF), 28 de março de MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI Relatora". 4 Que assim decidiu: "O tema já está pacificado pela jurisprudência firmada nesta Corte, de modo que não há necessidade de processamento do Recurso Especial e posterior envio às sobrecarregada pautas de julgamento deste Tribunal, nos termos do art. 544, 3º, do CPC. 5.- Tem razão a Agravante, haja vista que, em relação à incidência da regra prevista no artigo 191 do Código de Processo Civil, a jurisprudência desta Corte já se posicionou no sentido de que o fato dos advogados distintos estarem vinculados ao mesmo escritório de advocacia não constitui impedimento à concessão do prazo em dobro. Anote-se: PROCESSO CIVIL. LITISCONSÓRCIO PASSIVO. PROCURADORES DISTINTOS. PRAZO EM DOBRO. ADVOGADOS DO MESMO ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA. PARTES CASADAS. A orientação firmada pelo Tribunal é a de que tendo os litisconsortes procuradores distintos, aplica-se de forma objetiva e irrestrita a regra benévola do artigo 191 do Código de Processo Civil, de modo que também incidente no caso de os advogados serem do mesmo escritório, de as partes serem casadas e de o imóvel em litígio servir-lhes de residência. Recurso Especial provido. (REsp /SP, Rel. Ministro SIDNEI BENETI, TERCEIRA TURMA, julgado em 09/06/2009, DJe 18/06/2009)". 5 Que assim decidiu: "Acórdão: não conheceu da apelação interposta pelos recorrentes por intempestiva, em razão da não incidência do art. 191 do CPC. Fundamentou que, por serem os advogados dos recorrentes associados, atuarem no mesmo escritório e terem apresentado petições em conjunto, não seria cabível a concessão de prazo em dobro. Recurso especial: alega violação ao art. 191 do CPC, bem como dissídio jurisprudencial. Sustenta que há entendimento do STJ no sentido de que, ainda que as petições sejam apresentadas conjuntamente, deve ser aplicada a regra benévola da contagem em dobro dos prazos, desde que os litisconsortes sejam representados por advogados distintos. Relatado o processo, decide-se. - Da concessão de prazo em dobro para advogados associados O TJ/SP, ao decidir que não se contam os prazos em dobro, quando os advogados atuam no mesmo escritório e apresentam petição conjuntamente, contrariou o entendimento do STJ no sentido de que deve ser aplicada a regra do art. 191 do CPC, ainda que os advogados dos litisconsortes assinem petições conjuntamente. REsp /RS, 3ª Turma, Rel. Min. Carlos Alberto Meneses Direito, DJ de 19/04/2004 e REsp /PR, 4ª Turma, Rel. Min. Cesar Asfor Rocha, DJ de 20/08/2007. Logo, merece reforma o acórdão recorrido. Forte em tais razões, CONHEÇO E DOU PROVIMENTO ao recurso especial, com fundamento no art. 557, 1º-A, do CPC, para determinar que o TJ/SP prossiga no julgamento da apelação dos recorrentes, na esteira do devido processo legal. Publique-se. Intimem-se. Brasília (DF), 18 de novembro de MINISTRA NANCY ANDRIGHI Relatora".

10 FL.:128 Esse entendimento também é o do eminente Desembargador Federal NELTON DOS SANTOS 6, ao comentar o artigo 191 do CPC, quando o eminente professor assim se expressou: A expressão diferentes procuradores deve ser entendida no sentido de que não haja sequer um advogado comum a todos os litisconsortes. Além disso, nada importa se são diferentes os advogados que efetivamente estejam manifestando-se no processo; a verificação é feita com base nas procurações, de modo que a mera constituição de um advogado comum a todos é suficiente para afastar a aplicação do art De outra parte, é irrelevante saber se os advogados trabalham ou não no mesmo escritório. Se cada um dos litisconsortes outorgou mandato a um advogado, incidirá a regra do prazo duplicado, ainda que os causídicos sejam sócios. O fato de os procuradores subscreverem em conjunto as peças processuais apresentadas em nome de seus constituintes também não é motivo para afastar a contagem especial dos prazos. Verifica-se, no caso dos autos, que SILVIA MARIA LUGE outorgou procuração à Dra. LUCIANA ABOU GHATTAS (fls. 171 dos autos principais), ao passo que DEBORAH CISTINA VASCONCELOS VALENTUIM outorgou procuração ao Dr. LUCAS LEMOS NAVARROS (fls. 175 dos autos principais). Ambos são diferentes em relação ao outro litigante e nenhum deles é advogado comum de uma das partes. Logo, em que pese participarem do mesmo escritório de advocacia e nos termos da doutrina e jurisprudência citadas, a defesa não foi ofertada fora do prazo, devendo ser mantida, então, a douta decisão do eminente magistrado de primeiro grau. III. Ante o exposto, acompanho o entendimento esposado pelo Relator Josué de Oliveira, e nego provimento ao agravo regimental interposto por Luiza Iramita Rodrigues da Costa. D E C I S Ã O Como consta na ata, a decisão foi a seguinte: POR UNANIMIDADE, NEGARAM PROVIMENTO AO RECURSO, NOS TERMOS DO VOTO DO RELATOR. Presidência do Exmo. Sr. Des. Dorival Renato Pavan. Relator, o Exmo. Sr. Des. Josué de Oliveira. Tomaram parte no julgamento os Exmos. Srs. Desembargadores Josué de Oliveira, Paschoal Carmello Leandro e Dorival Renato Pavan. Campo Grande, 27 de março de NELTON DOS SANTOS, apud obra coordenada pelo prof. Antonio Carlos Marcato, Código de Processo Civil Interpretado, Editora Jurídico Atlas, 3a. ed., p. 520.

11 FL.:129 emr

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça S EMENTA CIVIL E PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. PLANO DE SAÚDE. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. CIRURGIA BARIÁTRICA. PEDIDO MÉDICO. NEGATIVA DE AUTORIZAÇÃO. DANO MORAL. DECISÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.171.486 - SP (2009/0239644-0) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO MARCO BUZZI EMENTA AGRAVO REGIMENTAL - AÇÃO DE COBRANÇA - ASSOCIAÇÃO DE MORADORES - PAGAMENTO DE TAXA DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.080.614 - SP (2008/0176494-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA Direito de família e das sucessões. Ação de reconhecimento de sociedade de fato, proposta por ex-companheiro

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.228.778 - MT (2010/0217471-4) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO RECORRIDO : MINISTRO SIDNEI BENETI : WANDER CARLOS DE SOUZA : SÉRGIO DONIZETE NUNES : GILBERTO LUIZ DE REZENDE : DANIELA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : S B : JASON SOARES DE ALBERGARIA FILHO E OUTRO : T C DA C : EBER CARVALHO DE MELO E OUTRO EMENTA Direito civil e processual civil.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 695.205 - PB (2004/0145940-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO : BANCO DO BRASIL S/A : MAGDA MONTENEGRO PAULO LOPES DA SILVA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.311.383 - RS (2012/0041009-1) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : ANTONIO CHAGAS DE ANDRADE ADVOGADOS : MARCELO LIPERT E OUTRO(S) ROBERTO DE FIGUEIREDO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa Agravo de Instrumento n 2 073.2012.001287-4 /001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Marina Jacaré Clube Advogado:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.280.171 - SP (2011/0144286-3) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRO MASSAMI UYEDA : A C DE A : ANNA CRISTINA BORTOLOTTO SOARES E OUTRO(S) : B L C DE A E OUTRO : CLEBER SPERI EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 112.956 - MS (2010/0125033-8) AGRAVANTE : APARECIDA CALVIS AGRAVADO : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : CLEONICE JOSÉ DA SILVA HERCULANO E OUTRO(S) SUSCITANTE

Leia mais

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 5ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020148016AGI Agravante(s) SINDICATO DOS ODONTOLOGISTAS DO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 476.551 - RJ (2014/0033135-0) RELATOR : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : ELISA GONÇALVES RIBEIRO LUCAS BRAGA EICHENBERG EMENTA AGRAVO REGIMENTAL EM AGRAVO EM RECURSO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.153.218 - SP (2009/0135019-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA PROCESSO CIVIL. REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL. CÓPIA DE PROCURAÇÃO. INSTRUMENTO PÚBLICO. PRESUNÇÃO DE VALIDADE.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg nos EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA EM RESP Nº 1.201.791 - SP (2013/0340189-0) RELATOR AGRAVANTE ADVOGADOS AGRAVADO ADVOGADO : MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA : M O M DE B A : ADRIANA CHIECO E OUTRO(S)

Leia mais

Nº 70020131579 COMARCA DE PORTO ALEGRE BANCO DO BRASIL S/A MARINA HELENA ALENCASTRO

Nº 70020131579 COMARCA DE PORTO ALEGRE BANCO DO BRASIL S/A MARINA HELENA ALENCASTRO AÇÃO DE INDENIZAÇÃO. LITISCONSÓRCIO PASSIVO. SENTENÇA DE PARCIAL PROCEDENCIA, CONDENANDO APENAS UMA DAS PARTES DEMANDADAS. NÃO INCIDÊNCIA DO ART. 191, DO CDC. SÚMULA 641, DO STF. PRAZO SIMPLES PARA RECORRER.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA S : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. RECURSO DE APELAÇÃO INTERPOSTO APÓS O TÉRMINO DO EXPEDIENTE FORENSE. INTEMPESTIVIDADE. ARTS. 172, 3º,

Leia mais

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

Os agravados ingressaram com AÇÃO DE

Os agravados ingressaram com AÇÃO DE ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 073.2010.001.316-5/001 RELATOR : DES. MANOEL SOARES MONTEIRO AGRAVANTE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.087.601 - GO (2008/0199580-8) RELATOR : MINISTRO MASSAMI UYEDA RECORRENTE : RANDON ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS LTDA ADVOGADO : ROBERTA BASSO CANALE E OUTRO(S) RECORRIDO : ARNO BRUNO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR S : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LEONARDO LOREA MATTAR - DEFENSOR PÚBLICO SOLANGE DINIZ JUNQUEIRA CUNHA - DEFENSORA PÚBLICA E OUTROS EMENTA AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.125.337 - SP (2009/0130514-9) RELATOR AGRAVANTE ADVOGADA AGRAVADO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : CONSTRUTORA OAS LTDA : CRISTIANE ROMANO FARHAT FERRAZ

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.259.703 - MS (2011/0133977-8) RELATORA AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI : H A S B E OUTROS : LAÉRCIO ARRUDA GUILHEM E OUTRO(S) : S V S : JOSÉ PIRES DE ANDRADE

Leia mais

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O

Gabinete do Desembargador Carlos Alberto França R E L A T Ó R I O E V O T O Agravo Regimental em Agravo Regimental em Apelação Cível 437320-59.2008.8.09.0051 (200894373200) Comarca de Goiânia Agravante : Pienge Construtora Ltda Agravada : Agência Municipal do Meio Ambiente Amma

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 719.474 - SP (2015/0125771-3) RELATOR AGRAVANTE PROCURADOR AGRAVADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : MUNICIPIO DE GUARULHOS : ANA PAULA HYROMI YOSHITOMI : CECÍLIA CRISTINA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 111.785 - SP (2010/0074549-0) RELATOR SUSCITANTE SUSCITADO INTERES. ADVOGADO INTERES. ADVOGADO : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : JUÍZO FEDERAL DA 1A VARA DE BAURU - SJ/SP : TRIBUNAL

Leia mais

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença.

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA QUARTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0168239-18.2007.8.19.0001 APELANTE: BRADESCO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A APELADO: CATIA MARIA DA SILVA COUTO RELATOR:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.218.980 - RS (2009/0152036-0) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA EMENTA PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. AGRAVO REGIMENTAL. VIOLAÇÃO DO ART. 535, INCISO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.353.891 - RJ (2012/0109074-7) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : FUNDAÇÃO REDE FERROVIÁRIA DE SEGURIDADE SOCIAL - REFER ADVOGADO : ANDRÉA PICCOLO BRANDÃO E OUTRO(S) RECORRIDO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.246.396 - RS (2011/0066530-4) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LIBERTY PAULISTA SEGUROS S/A : ANGELINO LUIZ RAMALHO TAGLIARI E OUTRO(S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl no RECURSO ESPECIAL Nº 1.010.932 - MT (2007/0283420-6) RELATOR EMBARGANTE ADVOGADOS EMBARGADO ADVOGADO : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : BANCO DO BRASIL S/A : ENEIDA DE VARGAS E BERNARDES E OUTRO(S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATÓRIO O EXMO. SR. MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA (Relator): Trata-se de recurso especial interposto contra acórdão proferido pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo assim ementado: "Exceção

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 972.075 - SC (2007/0178356-6) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI ADVOGADO : DANTE AGUIAR AREND E OUTRO(S) EMENTA PROCESSUAL CIVIL E TRIBUTÁRIO. RECURSO ESPECIAL. VIOLAÇÃO AO ART.

Leia mais

Dados Básicos. Ementa. Íntegra

Dados Básicos. Ementa. Íntegra Dados Básicos Fonte: 1.105.951 Tipo: Acórdão STJ Data de Julgamento: 04/10/2011 Data de Aprovação Data não disponível Data de Publicação:14/10/2011 Estado: Rio de Janeiro Cidade: Relator: Sidnei Beneti

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EMENTA FALÊNCIA. HABILITAÇÃO DE CRÉDITO. CONTRIBUIÇÃO PARAFISCAL DEVIDA AO SENAI. POSSIBILIDADE. 1. De acordo com a jurisprudência desta Corte, a possibilidade de cobrança do crédito por meio de execução

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.042.313 - SP (2008/0063407-7) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : CLAUDETE APARECIDA DA SILVA ADVOGADO : ROBERTO DIAS VIANNA DE LIMA E OUTRO(S) RECORRIDO : COMPANHIA PAULISTA

Leia mais

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA

4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA 4ª Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 55413-2/180 (200701476731) COMARCA DE URUANA AGRAVANTE MAFRE VERA CRUZ SEGURADORA S/A AGRAVADA MARIA FRANCISCA DE OLIVEIRA RELATOR Juiz GILMAR LUIZ COELHO RELATÓRIO

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 110200-7/188 (200701442380) COMARCA GOIÂNIA APELANTE BANCO ITAÚ S/A APELADA BLANCHE DANIELLA BARBOSA BAILÃO RELATOR DES.

APELAÇÃO CÍVEL Nº 110200-7/188 (200701442380) COMARCA GOIÂNIA APELANTE BANCO ITAÚ S/A APELADA BLANCHE DANIELLA BARBOSA BAILÃO RELATOR DES. APELAÇÃO CÍVEL Nº 110200-7/188 (200701442380) COMARCA GOIÂNIA APELANTE BANCO ITAÚ S/A APELADA BLANCHE DANIELLA BARBOSA BAILÃO RELATOR DES. LUIZ EDUARDO DE SOUSA EMENTA: APELAÇÃO CÍVEL. BUSCA E APREENSÃO.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg nos EDcl no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 694.688 - SP (2005/0121691-5) RELATOR : MINISTRO FELIX FISCHER AGRAVANTE : ANELINO ANTONIO RODRIGUES ADVOGADO : HERTZ JACINTO COSTA AGRAVADO : INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.374.048 - RS (2013/0073161-8) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : FAZENDA NACIONAL : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL : EMERSON DA SILVA

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 437880-18.2012.8.09.0000 (201294378805) DE GOIÂNIA

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 437880-18.2012.8.09.0000 (201294378805) DE GOIÂNIA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 437880-18.2012.8.09.0000 (201294378805) DE GOIÂNIA AGRAVANTE AGRAVADO RELATOR CÂMARA ELETROENGE ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA BANCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S/A DESEMBARGADOR CARLOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.371.922 - SP (2013/0060257-8) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : FAZENDA DO ESTADO DE SÃO PAULO PROCURADOR : DENISE FERREIRA DE OLIVEIRA CHEID E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI EMENTA CIVIL. RECURSO ESPECIAL. AGRAVO NO RECURSO ESPECIAL. AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO OBRIGATÓRIO DPVAT. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. OMISSÃO, CONTRADIÇÃO OU OBSCURIDADE.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 712.998 - RJ (2004/0180932-3) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN RECORRENTE : MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PROCURADOR : MARIANA RODRIGUES KELLY E SOUSA E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 184.727 - DF (2012/0112646-2) RELATOR : MINISTRO HERMAN BENJAMIN : MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS EMENTA PROCESSUAL CIVIL. COMPETÊNCIA. PERIÓDICO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 713.012 - DF (2004/0181026-3) RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON RECORRENTE : SILVESTRE JOSÉ DA ROCHA E OUTROS ADVOGADO : ANTÔNIO DE SOUSA SANTOS E OUTRO RECORRIDO : DISTRITO FEDERAL

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N. 048.2009.000261-8/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva APELANTE : Sérgio Pia

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - WILLIAM COUTO GONÇALVES 9 de outubro de 2012 APELAÇÃO CIVEL Nº 0020860-15.2004.8.08.0024 (024040208605) - VITÓRIA - VARA ESPECIALIZADA

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0071.07.034954-4/001 Númeração 0349544- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Bitencourt Marcondes Des.(a) Bitencourt Marcondes 25/03/2009 30/04/2009

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 831.543 - RJ (2005/0090943-0) RELATOR S ADVOGADA ADVOGADA : MINISTRO ANTONIO CARLOS FERREIRA : ADRIANA BARBOSA DE CASTRO E OUTRO(S) : CRISTINA MARIA GAMA NEVES DA SILVA E OUTRO(S) EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg nos EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA EM AGRAVO Nº 1.095.369 - SP (2010/0052887-7) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : BANCO ITABANCO S/A ADVOGADO : LUIZ EDUARDO DE CASTILHO GIROTTO E OUTRO(S) AGRAVADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 550.302 - DF (2003/0167033-6) RELATOR : MINISTRO ALDIR PASSARINHO JUNIOR AGRAVANTE : JOÃO DA SILVA CARNEIRO ADVOGADO : ADILSON RAMOS E OUTRO AGRAVADO : GISELE EVELEEN HRDINA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 437.853 - DF (2002/0068509-3) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : FAZENDA NACIONAL PROCURADOR : DANIEL AZEREDO ALVARENGA E OUTROS RECORRIDO : ADVOCACIA BETTIOL S/C

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 89.695 - RS (2011/0212549-1) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES EMENTA PROCESSUAL CIVIL. TRIBUTÁRIO. ISS. BASE DE CÁLCULO. SERVIÇO DE TRANSPORTE COLETIVO MUNICIPAL.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 575.590 - RS (2003/0130567-7) RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI RECORRENTE : ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADOR : LUCIANA MABILIA MARTINS E OUTROS RECORRIDO : BANCO DO BRASIL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO JORGE SCARTEZZINI EMENTA PROCESSO CIVIL - AGRAVO DE INSTRUMENTO - NEGATIVA DE PROVIMENTO - AGRAVO REGIMENTAL - SEGURO - ALEGAÇÃO DE DOENÇA PRÉ-EXISTENTE - MÁ-FÉ - REEXAME DE PROVA SÚMULA

Leia mais

RECURSO ESPECIAL Nº 1.418.435 - SP (2013/0335715-5)

RECURSO ESPECIAL Nº 1.418.435 - SP (2013/0335715-5) RECURSO ESPECIAL Nº 1.418.435 - SP (2013/0335715-5) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : RVM PARTICIPAÇÕES LTDA E OUTRO : MARISA MITICO VIVAN MIZUNO DE OLIVEIRA E

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 809.962 - RS (2006/0007992-0) RELATOR : MINISTRO LUIZ FUX RECORRENTE : COMPANHIA RIOGRANDENSE DE SANEAMENTO - CORSAN ADVOGADO : OSVALDO ANSELMO REGINATO E OUTROS RECORRIDO : JARBAS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.267.905 - PR (2011/0172938-4) RELATOR : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA RECORRENTE : ORLANDO FERREIRA PAZ NETO E OUTROS ADVOGADO : PÉRICLES LANDGRAF ARAÚJO DE OLIVEIRA E OUTRO(S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA EM AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 342.463 - SC (2014/0101370-3) RELATOR EMBARGANTE EMBARGADO : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : IPB CORRETORA DE SEGUROS LTDA : RAPHAEL DOS SANTOS BIGATON

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA EMENTA TRIBUTÁRIO. TAXA DE LOCALIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO. LICENÇA. RENOVAÇÃO. LEGITIMIDADE. 1. É legítima a cobrança da taxa de localização e funcionamento para a renovação

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.237.894 - MT (2011/0026945-1) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : NAGIB KRUGER E OUTRO(S) RECORRIDO : SUSSUMO SATO E OUTRO ADVOGADO : GILMAR

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL LUIZ ALBERTO GURGEL DE FARIA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL LUIZ ALBERTO GURGEL DE FARIA AGTR Nº 74178 - PB (2007.05.00.005494-7) AGRAVANTE(S) : CEF CAIXA ECONÔMICA FEDERAL ADVOGADO(S) : ISAAC MARQUES CATÃO e outros AGRAVADO(S) : ANA PATRÍCIA SAMPAIO DE ALMEIDA e cônjuge ADVOGADO(S) : JAIRO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 839.877 - RJ (2006/0083341-7) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA RECORRENTE : MARCUS DA SILVA DIAS E OUTRO ADVOGADO : GUILHERME DE JESUS E OUTROS RECORRIDO : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.061.500 - RS (2008/0119719-3) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO CITIBANK S/A ADVOGADO : EDUARDO GRAEFF E OUTRO(S) RECORRIDO : ADELINA FARINA RUGA ADVOGADO : MARCOS

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5021054-60.2015.4.04.0000/SC CÂNDIDO ALFREDO SILVA LEAL JUNIOR AGRAVANTE : FILIPI BUENO DA SILVA ADVOGADO : ELIANE EMÍLIA

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5021054-60.2015.4.04.0000/SC CÂNDIDO ALFREDO SILVA LEAL JUNIOR AGRAVANTE : FILIPI BUENO DA SILVA ADVOGADO : ELIANE EMÍLIA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 5021054-60.2015.4.04.0000/SC RELATOR : CÂNDIDO ALFREDO SILVA LEAL JUNIOR AGRAVANTE : FILIPI BUENO DA SILVA ADVOGADO : ELIANE EMÍLIA MACHADO PACHECO AGRAVADO : UNIÃO - ADVOCACIA

Leia mais

2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online. EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC)

2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online. EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC) 2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC) Cabe de acórdão não unânime por 2x1 3 modalidades: a) Julgamento da apelação b) Julgamento

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 777.566 - RS (2005/0143321-1) RELATOR : MINISTRO VASCO DELLA GIUSTINA (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/RS) RECORRENTE : BUNGE FERTILIZANTES S/A ADVOGADO : JORGE LUIZ ZANON RECORRIDO :

Leia mais

Precedente da Câmara. APELAÇÃO DESPROVIDA. EDUARDO SANTOS DA SILVA

Precedente da Câmara. APELAÇÃO DESPROVIDA. EDUARDO SANTOS DA SILVA APELAÇÃO CÍVEL. REINTEGRAÇÃO DE POSSE. HOMOLOGAÇÃO DE ACORDO APRESENTADO EM JUÍZO. RECURSO DO RÉU. A transação em juízo não exige a intervenção de advogados, restando válido o acordo pactuado no presente

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho \,, *.. _ ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL n g- 001.2005.017735-9/001 Comarca de Campina Grande RELATOR : Des. Genésio

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA AGRAVANTE : ONDREPSB LIMPEZA E SERVIÇOS ESPECIAIS LTDA ADVOGADO : IVAR LUIZ NUNES PIAZZETA E OUTRO(S) AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL PROCURADORES : ANGELA T GOBBI ESTRELLA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.322.914 - PR (2012/0097003-6) RELATORA RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADA S : MINISTRA NANCY ANDRIGHI : ROBERTO GETULIO MAGGI : CARLOS FREDERICO REINA COUTINHO E OUTRO(S) : SUL AMÉRICA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA EM RESP Nº 134.778 - MG (2000/0136693-9) RELATOR : MINISTRO CESAR ASFOR ROCHA EMBARGANTE : SÃO BENEDITO AGROPECUÁRIA S/A ADVOGADO : FERNANDO NEVES DA SILVA E OUTROS EMBARGADO :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 340.091 - RS (2013/0142183-2) RELATOR AGRAVANTE AGRAVADO : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : METILDE CASAGRANDE SOUZA E OUTROS : CLARISSA ASSUNÇÃO VIEIRA E OUTRO(S) FLÁVIO

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso.

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. Por que se diz instrumento: a razão pela qual o recurso se chama agravo de

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA TRIBUTÁRIO IMPOSTO DE RENDA SOBRE VERBAS INDENIZATÓRIAS TRÂNSITO EM JULGADO FAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE LEVANTAMENTO DE DEPÓSITO POSSIBILIDADE. 1. Reconhecida, por

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 300.953 - SP (2013/0046349-0) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI : PAULO ALVES ESTEVES SALO KIBRIT EMENTA AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. ALIMENTOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.522.679 - PR (2015/0065254-6) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : ESTADO DO PARANÁ PROCURADOR : FLÁVIO LUIZ FONSECA NUNES RIBEIRO E OUTRO(S) AGRAVADO : ROSANGELA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO EM HABEAS CORPUS Nº 25.738 - MG (2009/0052319-3) RELATOR : MINISTRO VASCO DELLA GIUSTINA (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/RS) AGRAVANTE ADVOGADOS JOÃO PEDRO DA COSTA BARROS AGRAVADO EMENTA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EDcl nos EDcl no AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.165.174 - SP (2009/0048102-0) RELATOR EMBARGANTE EMBARGADO : MINISTRO JOÃO OTÁVIO DE NORONHA : TRANSBRASIL S/A LINHAS AÉREAS : CRISTIANO ZANIN MARTINS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 255.537 - AL (2000/0037359-1) RELATORA : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA AGRAVANTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS PROCURADOR : FRANCISCO HÉLIO CAMELO FERREIRA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.015.473 - RS (2007/0299452-2) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : SIMONE DAI PRA ZAMIN ADVOGADO : FELIPE NÉRI DRESCH DA SILVEIRA E OUTRO(S) AGRAVADO :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 476.713 - DF (2002/0152167-8) RELATOR : MINISTRO SÁLVIO DE FIGUEIREDO TEIXEIRA RECORRENTE : LA CARNE COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS LTDA ADVOGADO : DARCY MARIA GONÇALVES

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 37ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO Registro: 2014.0000726618 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1007380-59.2014.8.26.0554, da Comarca de Santo André, em que é apelante JOSÉ RIBEIRO, é apelado KOPLENO PRODUTOS

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 475.003 - RJ (2014/0024859-8) RELATOR : MINISTRO BENEDITO GONÇALVES : BEATRIZ CRISTINA DE ARAÚJO GÔES MARTINEZ E OUTRO(S) HÉLIO MARTINEZ MONTEIRO EMENTA ADMINISTRATIVO.

Leia mais

devolutivo. Ao apelado. Transcorrido o prazo, com ou sem contrarrazões, subam ao Eg. Tribunal de Justiça..

devolutivo. Ao apelado. Transcorrido o prazo, com ou sem contrarrazões, subam ao Eg. Tribunal de Justiça.. AGRAVO DE INSTRUMENTO 0064220-51.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: MERIDIANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS MULTISEGMENTOS AGRAVADO: CELMO HITLER DOS SANTOS OLIVEIRA RELATORA: DES. MARIA LUIZA DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.069.312- MG(2008/0140809-4) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI AGRAVANTE : ESTADO DE MINAS GERAIS PROCURADOR : VANESSA SARAIVA DE ABREU E OUTRO(S) AGRAVADO : ALÍPIO RODRIGUES

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.420.880 - PE (2011/0125824-8) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : FAZENDA NACIONAL : PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL AGRAVADO : ACUMULADORES

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 659.830 - DF (2004/0087560-5) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRO CARLOS ALBERTO MENEZES DIREITO : EDUARDO AUGUSTO QUADROS E ALMEIDA : MANOEL FAUSTO FILHO E OUTRO : SOCIEDADE DE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 467.878 - RJ (2002/0127403-7) RELATOR : MINISTRO RUY ROSADO DE AGUIAR EMENTA RESPONSABILIDADE CIVIL. Hospital. Santa Casa. Consentimento informado. A Santa Casa, apesar de ser instituição

Leia mais

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso 2ª Fase OAB - Civil Juquinha Junior, representado por sua genitora Ana, propôs ação de investigação de paternidade

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA EM RESP Nº 644.984 - RJ (2005/0162830-7) RELATOR EMBARGANTE EMBARGADO : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : CARVALHO HOSKEN S/A ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES : JOSÉ GAGLIARDI E OUTRO(S) :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.279.961 - MT (2011/0171600-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : RODOBENS ADMINISTRADORA DE CONSÓRCIOS LTDA : FLÁVIO LOPES FERRAZ E OUTRO(S)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.423.457 - PR (2013/0400739-4) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS AGRAVANTE : ZR IMPORTAÇÕES LTDA ADVOGADOS : CRISTIANO LISBOA YAZBEK E OUTRO(S) FERNANDO SOLÁ SOARES TAILANE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 963.454 - SC (2007/0143805-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADOS RECORRIDO PROCURADOR INTERES. : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO : LIBERTY PAULISTA SEGUROS S/A : SÉRGIO ALEXANDRE SODRÉ

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 960.280 - RS (2007/0134692-2) RELATOR : MINISTRO PAULO DE TARSO SANSEVERINO RECORRENTE : POLIEDRO CONSTRUÇÕES LTDA E OUTROS ADVOGADO : AYRTON LIMA FREITAS E OUTRO(S) RECORRIDO : GERALDO

Leia mais

Florianópolis, 29 de fevereiro de 2012.

Florianópolis, 29 de fevereiro de 2012. Apelação Cível n. 2011.025929-8, de Imbituba Relator: Des. Jaime Luiz Vicari AÇÃO DE COBRANÇA SECURITÁRIA CUMULADA COM INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. ALEGAÇÃO DE DOENÇA PRÉ-EXISTENTE À CONTRATAÇÃO. SEGURADO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATOR : MINISTRO TEORI ALBINO ZAVASCKI PROCURADORES : CLAUDIO XAVIER SEEFELDER FILHO DEYSI CRISTINA DA 'ROLT E OUTRO(S) EMENTA TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. DECLARAÇÃO DO DÉBITO PELO CONTRIBUINTE (DCTF).

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.092.134 - SC (2008/0190848-8) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI AGRAVANTE : ASSEC - ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL E CARITATIVA HOSPITAL SÃO PAULO ADVOGADO : ARCIDES DE DAVID

Leia mais