Grupo 1: O fato de a atividade atender ao interesse coletivo é suficiente para manter a autorização dada pelo Poder Público?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Grupo 1: O fato de a atividade atender ao interesse coletivo é suficiente para manter a autorização dada pelo Poder Público?"

Transcrição

1 Grupo 1: O fato de a atividade atender ao interesse coletivo é suficiente para manter a autorização dada pelo Poder Público? Quais argumentos poderiam ser usados por uma empresa prestadora de serviço de telefonia caso o Estado decida revogar a autorização, dado o caráter precário e discricionário desse instituto? Apesar do SMP tratar de atividade interesse coletivo, isso não garante a manutenção eterna da autorização concedida pela administração pública. Muitas vezes a administração pública é coagida a manter o instrumento jurídico concedido à um particular para o desenvolvimento de um dado serviço público mesmo que esta prestação não esteja ocorrendo de maneira adequada, pois a extinção do instrumento concedido pode gerar prejuízos a população e ao erário público. É o caso das prestadoras de saneamento básico, a extinção do instrumento geraria um caos nesse caso e o governo não teria como prestar ele mesmo o serviço e nem acharia tão rápido outro particular para quem conceder o instrumento. Não é o caso do SMP que é prestado sob regime concorrencial e neste caso não seria tão prejudicial a revogação da autorização e seria mais fácil conceder a autorização a outro prestador. Os requisitos para a concessão da autorização devem ser mantidos durante toda prestação do serviço e o art. 138 da LGT que o instrumento não terá termo final, mas prevê sua extinção 5 situações de extinção e em todos eles, é garantido ao particular o contraditório e a ampla defesa. Então para se proteger de uma revogação discricionária o interessado deveria argui que nunca deixou de ter as condições necessárias para a concessão e que não houvedescumprimento de condições ou de compromissos assumidos. Grupo 2: Ao migrar para o SMP, sai-se do regime de concessão para o de autorização. Qual a vantagem de se entrar em um regime mais precário? Embora o regime de autorização pareça ser mais desvantajoso em relação à concessão do SMP, dada a precariedade do instituto, foram concedidas diversas prerrogativas aos interessados que optassem pela migração. Primeiro o SMP expandiu as áreas de exploração de serviço e em cada área poderiam ter 3 autorizações vigentes, o que incentiva a concorrência, e ainda cada interessado poderia obter até três áreas para atuar. Além disso, foi concedida uma faixa de frequência adicional de aproximadamente 1,9 GHZ, para as empresas que migrassem. Houve também algumas vantagens contratuais concedidas, como por exemplo, a possibilidade de incorporações e fusões desde que seguida algumas regras estabelecidas. E ainda a possibilidade de transferência do controle após 3 anos do inicio da operação e não mais 5 anos como previsto anteriormente. E a principal vantagem da migração foi a saída de um modelo com controle tarifário para uma regime onde vigora a liberdade de preços e a concorrência entre os agentes. Grupo 3: Tendo em vista a migração do Serviço Móvel Celular (SMC) para Serviço Móvel Pessoal (SMP) e considerando as diversas mudanças que o SMC trouxe para a exploração dos serviços de telecomunicações, quais foram as principais alterações do ponto de vista dos usuários do serviço? E levando em consideração as muitas reclamações e

2 sugestões dos usuários do SMP, quais são as exigências básicas e os procedimentos operacionais de atendimento a estes usuários insatisfeitos? O valor de comunicação para as chamadas recebidas em roaming será por minuto, valor devido pelo usuário, por unidade de tempo, pelo recebimento de chamda fora da sua área de registro. Não há mais carência em plano pós-pago, o usuário poderá mudar para outro plano de serviço disponibilizado pela prestadora também sem carência e caso haja desistência, o usuário não precisará reembolsar a prestadora, nem deverá ser cobrado dele valor proporcional ao meses faltantes para o término da carência. O valor estabelecido para móvel-móvel em roaming será de 1,50 líquido de impostos e contribuições sociais. O usuário poderá receber chamadas locais, nacionais e internacionais, e estará sujeito ä cobrança do adicional por chamada quando estiver fora da área de mobilidade. Será devido pelo usuário o valor do móvel-móvel em roaming, decorrente de chamada recebida fora de sua área de serviço. O órgão da prestadora de SMP é responsável por recebimento de reclamações, solicitações de informações e de serviços ou atendimento a Usuários. Registros das reclamações, solicitações de serviços, pedidos de rescisão e pedidos de informação devem ser mantidos pela prestadora à disposição da Anatel e do Usuário por um período mínimo de 1 (um) ano após solução desses e, sempre que houver solicitação da Anatel ou do Usuário, tornar disponível o acesso de seu registro, sem ônus para o interessado. Todas as reclamações, solicitações de serviços, pedidos de informação e pedidos de rescisão de contrato apresentados pelo Usuário devem ser processados pela prestadora e receber um número de protocolo numérico sequencial a ser obrigatoriamente informado ao interessado para possibilitar o acompanhamento de sua solução, inclusive por intermédio do Centro de Atendimento, do Setor de Relacionamento ou Setor de Atendimento da Prestadora. A Anatel terá acesso, em tempo real, a todos os registros relacionados às reclamações, solicitações de serviços, pedidos de rescisão e pedidos de informação. Grupo 4: Quando ocorreu a transição do serviço móvel celular (SMC) para o serviço móvel pessoal (SMP) houve mudança do regime jurídico (público para privado). Qual motivo levou a Anatel a mudar referido regime e quais são as principais consequências dessa mudança? O regime passou de concessão para autorização por diversos fatores. Em primeiro lugar a ANATEL não precisava mais manter a reversibilidade de bens das estruturas de prestação de serviço móvel, pra garantir a continuidade do serviço. A Anatel enxergou na mudança de regime a abertura para uma prestação de serviço concorrencial, que poderia trazer mais benefícios para o usuário.

3 Dentre as consequências advindas dessas mudanças, além da inexistência de reversibilidade de bens, houve a quebra do controle tarifário, fator essencial para concorrência no setor. Com o regime concorrencial vigorando a ANATEL entende que há uma melhor prestação no serviço, principalmente depois que o usuário passou a escolher a operadora para DDD, o que força as mesmas a prestarem um serviço com maior qualidade para conquistar mercado. Além disso a agência estipulou obrigações aos autorizados como cobertura de uma certa porcentagem das áreas rurais e remotas. Grupo 5. Por que se aplica o regime privado ao serviço móvel pessoal? Um dos elementos fundamentais para determinação do regime a ser aplicado a uma relação jurídica qualquer é a natureza da atividade. Se a atividade for considerada exclusiva do Estado, ou mesmo privativa do Estado, o regime jurídico aplicável será o público. Se a atividade for considerada um serviço social, o regime variará conforme a pessoa prestadora. Finalmente, se a atividade estiver caracterizada como atividade econômica, o regime a ela aplicável será, em regra, o privado, à exceção de atividade monopolista.dentre as atividades privativas, encontra-se a parcela de serviços regulados essenciais à sociedade em seu conjunto e que abrangem, a depender do autor, todos ou parcela dos serviços de telecomunicações, energia elétrica, mineração, transportes, dentre outros.com a modificação implementada pelas emendas setoriais de 1995, o tratamento dos serviços exprimiu uma cisão dos setores em atividades submetidas a regime público e atividades submetidas a regime privado, mediante a expurgação do termo serviço público do texto correspondente a cada setor e a introdução de competência da União para autorização de serviços regulados. Grupo 6: Quais as consequências práticas da mudança da outorga por meio de concessão para se tornar de autorização no âmbito da sucessão do Serviço Móvel Celular pelo Serviço Móvel Pessoal? O que se objetivou com tal mudança? Dentre as consequências práticas a principal é um cenário propicio para concorrência. Com o sistema de livres preços e concorrência a Anatel conseguiu instituir uma significativa expansão na prestação do serviço de telefonia móvel por diversas áreas do país. Além disso foi possível proporcionar ao usuário o direito de escolher a operadora para ligações com DDD, que antes eram obrigatoriamente vinculadas as empresas do STFC. Uma outra consequência que advém da mudança de instrumento jurídico é a ausência da reversibilidade de bens nos contratos da Anatel com as empresas. Como já dito a Anatel visava acabar com o controle tarifário para propiciar a concorrência no setor e em consequência disso uma melhor prestação do serviço para o

4 usuário. Além disso buscou uma maior cobertura do serviço de telefonia móvel, uma vez que na época as áreas rurais quase que toda não dispunha de tal serviço. Grupo 8. Como é possível relacionar a discussão que versou sobre a reversibilidade dos bens utilizados pelas concessionárias, mediante transição entre o Serviço Móvel Celular - SMC e o Serviço Móvel Pessoal - SMP, com a tendência de configurar uma estratégia conjuntural desregulamentadora? O regime privado da autorização responde melhor à dinâmica concorrencial da prestação desse tipo de serviço? O Serviço Móvel Pessoal (SMP) é o sucedâneo do SMC. Com o SMP as outorgas deixaram de ser de concessões, como eram no SMC, para serem autorizações. As áreas locais do SMP foram definidas como sendo aquelas correspondentes aos códigos nacionais (DDD) e as chamadas entre áreas locais diferentes são consideradas de longa distância e devem ser feitas utilizando-se o código de seleção de prestadora. Ou seja, o cliente escolhe, chamada a chamada, a operadora de LDN/ LDI de sua preferência. Portanto, essas chamadas são faturadas pela prestadora de LDN/ LDI diretamente ao cliente. As operadoras de SMC que migraram para o SMP tiveram direito a autorizações de longa distância nacional e internacional. No SMP, há uma obrigação de cumprimento dos indicadores de qualidade determinados pelo Plano Geral de Metas de Qualidade (PGMQ-SMP), da Anatel, aplicável a todas as prestadoras do SMP, que inclui sanções pelo seu descumprimento. Regulação é a reconfiguração conjuntural do ambiente regulado voltada à consecução de um modelo ideal de funcionamento do sistema e dirigida por regras e princípios inscritos e espelhados nos direitos fundamentais. A desregulação eventualmente proposta em um determinado setor de atividades relevantes significa, portanto, não a extinção da regulação, mas a diminuição de apenas uma dimensão da regulação estatal, que é a que procura dirigir o mercado ou impor compensações pelos benefícios garantidos pelo Estado para quem nele opera negócios. O primeiro pressuposto, portanto, quando se trata de discutir a regulação é o de que ao se propor a desregulação de um setor, o argumento por detrás da desregulação nunca poderá ser o de que o setor funcionaria melhor sem intervenção estatal. O fundamento para a chamada desregulação resulta, pelo contrário, de uma ponderação sobre os ganhos sociais oriundos da atitude de diminuição da regulação estatal voltada à compensação social ou à orientação do mercado. O afastamento do Estado dessas espécies de regulação somente se justifica se comprovada que a abstenção estatal no direcionamento do setor regulado rumo à compensação social e à eficiência do mercado resultaria em maior eficácia dos direitos fundamentais envolvidos. Não faz parte, portanto, do discurso jurídico, a cogitação da desregulação como um fenômeno apoiado no argumento de que um setor de atividades relevantes tem seu valor e eficiência diminuídos pela simples existência da regulação: um setor de atividades relevantes é um produto da regulação jurídica. A regulação não é um método de alcance da competição onde ela não exista, mas uma demanda inafastável derivada da constatação de que o próprio Direito criou seres imortais

5 que desequilibram as relações humanas de acumulação de capital, técnica e vantagens competitivas, exigindo, portanto, a regulação por princípio; não por consequência de deficiência do meio concorrencial.

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP SERVIÇO MÓVEL PESSOAL - SMP PLANO BÁSICO DE SERVIÇO Nome da Prestadora: BRASIL TELECOM CELULAR S/A ÁREA 5 Número: Página 1 de 8 1. Aplicação Este Plano Básico de Serviço é aplicável pela autorizatária

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 009 - Plano Conta Light Requerimento de Homologação Nº 3556 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária 14 BRASIL

Leia mais

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO

SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP PLANO DE REFERÊNCIA DE SERVIÇO Nome da Prestadora: 14 BRASIL TELECOM CELULAR S.A. Área 7 (AC, GO, MT, MS, RO, TO e DF) Número: 001/REF/SMP Brasil Telecom GSM. Página 1 de 9 1

Leia mais

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano.

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano. 01) O que é AICE? Significa Acesso Individual Classe Especial. É um Plano básico e com regulamentação própria (Regulamentado pela Resolução Nº 586, da ANATEL, de 05 de abril de 2012). Modalidade de telefonia

Leia mais

Banda Larga rural e urbana

Banda Larga rural e urbana Banda Larga rural e urbana Edital de Licitação 004/2012/PVCP/SPV-Anatel (450 MHz e 2,5 GHz) Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados Anatel Brasília/DF Abril/2012 Premissas e objetivos

Leia mais

Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço Plano Pré-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 001 - Plano de Referência de Serviço Requerimento de Homologação Nº 4657 1 - Aplicação Este Plano de Referência de Serviço é aplicável pela Oi, no Estado

Leia mais

REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015)

REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015) REGULAMENTO DA OFERTA TIM CASA FIXO BRASIL + MÓVEL TIM BRASIL (1/9/2015 a 20/12/2015) Empresa Participante: INTELIG TELECOMUNICAÇÕES LTDA., com sede na Rua Fonseca Teles, nº 18, A30, bloco B, Térreo, São

Leia mais

Consulta Pública nº 26/2014 Revisão dos Contratos de Concessão do STFC

Consulta Pública nº 26/2014 Revisão dos Contratos de Concessão do STFC Consulta Pública nº 26/2014 Revisão dos Contratos de Concessão do STFC 26 de setembro de 2014 Audiência Pública Superintendência de Planejamento e Regulamentação (SPR) Sumário Temas e Análise das Alternativas

Leia mais

Revisão dos Contratos de Concessão do STFC -- Plano Geral de Metas para a Universalização

Revisão dos Contratos de Concessão do STFC -- Plano Geral de Metas para a Universalização Agência Nacional de Telecomunicações Revisão dos Contratos de Concessão do STFC -- Plano Geral de Metas para a Universalização José Alexandre Bicalho Superintendente de Planejamento e Regulamentação 02/09/2014

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Básico de Serviço Local. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL Plano Básico de Serviço Local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para

Leia mais

AS MUDANÇAS NA REGULAMENTAÇÃO DA TELEFONIA FIXA E MÓVEL E OS DIREITOS DO CONSUMIDOR

AS MUDANÇAS NA REGULAMENTAÇÃO DA TELEFONIA FIXA E MÓVEL E OS DIREITOS DO CONSUMIDOR AS MUDANÇAS NA REGULAMENTAÇÃO DA TELEFONIA FIXA E MÓVEL E OS DIREITOS DO CONSUMIDOR DUCIRAN VAN MARSEN FARENA PROCURADOR DA REPÚBLICA/PB COORDENADOR DO GT TELEFONIA/MPF MODELO DE REGULAÇÃO DA TELEFONIA

Leia mais

Capítulo I Das Disposições Gerais

Capítulo I Das Disposições Gerais PLANO GERAL DE METAS DA QUALIDADE PARA O SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1º Este Plano estabelece as metas de qualidade a serem cumpridas pelas prestadoras do Serviço

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DE LANÇAMENTO DO NOVO PRODUTO CONEXÃO À INTERNET EM BANDA LARGA 3G COM IP PROFISSIONAL

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DE LANÇAMENTO DO NOVO PRODUTO CONEXÃO À INTERNET EM BANDA LARGA 3G COM IP PROFISSIONAL REGULAMENTO DA PROMOÇÃO DE LANÇAMENTO DO NOVO PRODUTO CONEXÃO À INTERNET EM BANDA LARGA 3G COM IP PROFISSIONAL 1. Das Partes, das Definições da Promoção: 1.1. 14 BRASIL TELECOM CELULAR S.A., autorizatária

Leia mais

As Alterações na Regulamentação do Serviço Móvel Pessoal SMP

As Alterações na Regulamentação do Serviço Móvel Pessoal SMP As Alterações na Regulamentação do Serviço Móvel Pessoal SMP Em decorrência da Consulta Pública nº 642, de 15 de Setembro de 2005 - Propostas de Alterações na Regulamentação do Serviço Móvel Pessoal SMP,

Leia mais

REGULAMENTO. Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G 2.500.

REGULAMENTO. Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G 2.500. REGULAMENTO Planos de Voz Pós Pago promocionais: Nextel 3G 150, Nextel 3G 300, Nextel 3G 500, Nextel 3G 800 e Nextel 3G 2.500. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. Código de Seleção de Prestadora (CSP) Este tutorial apresenta o Código de Seleção de Prestadora (CSP) utilizado no Brasil para chamadas de longa distância. Eduardo Tude Engenheiro de Teleco (IME 78) e

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR. Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e Do reajuste tarifário das chamadas telefônicas do STFC envolvendo acessos do SMP e SME à luz do Regulamento anexo à Resolução nº 576/2011 da Anatel Luciana Chaves Freire Félix Procuradora Federal em Brasília-DF

Leia mais

IMPUGNAÇÃO AO EDITAL

IMPUGNAÇÃO AO EDITAL IMPUGNAÇÃO AO EDITAL Pregão Eletrônico n. 327/2012 Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Estado do Tocantins SR- TO/DNIT. Impugnante: Vivo S/A A (o) Sr.(a)

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Controle 45R

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Controle 45R REGULAMENTO Promoção Nextel 3G Controle 45R Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL, situada

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 124a

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 124a DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 124a A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço n.º 124A Oi Fixo Controle C. Identificação para a Anatel: Plano

Leia mais

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES 1 - DO OBJETIVO 1.1. Esta Norma tem por objetivo estabelecer condições para prestação

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO DE LONGA DISTÂNCIA NACIONAL PLANO ALTERNATIVO N 236 - LD 1. EMPRESA Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. 2. NOME DO PLANO Plano PAS 236 LDN 3. MODALIDADE DO

Leia mais

REGULAMENTO. "Promoção Fale Fixo Ilimitado Preferidos Claro" EMBRATEL S.A. e NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A.

REGULAMENTO. Promoção Fale Fixo Ilimitado Preferidos Claro EMBRATEL S.A. e NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. REGULAMENTO "Promoção Fale Fixo Ilimitado Preferidos Claro" EMBRATEL S.A. e NET SERVIÇOS DE COMUNICAÇÃO S.A. 1. Este regulamento é exclusivo para a "Promoção Fale Fixo Ilimitado e Preferidos Claro realizada

Leia mais

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA

A. NOME DA EMPRESA. Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO. Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL D. MODALIDADE DE STFC COBERTA A. NOME DA EMPRESA Transit do Brasil S.A. B. NOME DO PLANO Plano Alternativo Transitel. C. IDENTIFICAÇÃO PARA A ANATEL PA-27 local. D. MODALIDADE DE STFC COBERTA Plano específico para a modalidade LOCAL.

Leia mais

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações

29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE. Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações 29º Encontro JARBAS JOSÉ VALENTE Conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17de abril de 2012 Agenda Serviços de Telecomunicações: Convergência de Plataformas, Redes e Outorgas Premissas

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA ANATEL NÚMERO 241 INTRODUÇÃO

CONSULTA PÚBLICA ANATEL NÚMERO 241 INTRODUÇÃO CONSULTA PÚBLICA ANATEL NÚMERO 241 INTRODUÇÃO A Associação GSM, por meio desta, apresenta por escrito as suas contribuições à Consulta Pública da ANATEL número 241 e respeitosamente solicita que as mesmas

Leia mais

Compartilhamento de Postes Resolução Conjunta com ANEEL

Compartilhamento de Postes Resolução Conjunta com ANEEL Compartilhamento de Postes Resolução Conjunta com ANEEL PÓS CONSULTA PÚBLICA Relator Cons. Marcelo Bechara Dezembro 2014 contextualização Cenário Ocupação desordenada dos postes Barreira à entrada para

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO CTBC MIX

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO CTBC MIX REGULAMENTO DA PROMOÇÃO CTBC MIX 1) OBJETIVO: O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as relações entre as EMPRESA(S) CTBC Telecom, CTBC Celular S/A e CTBC Multimídia Data Net S/A, adiante

Leia mais

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Controle Total PJ e Plano Meu Nextel Controle 30 PJ.

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Controle Total PJ e Plano Meu Nextel Controle 30 PJ. REGULAMENTO Controle Total PJ e Controle 30 PJ. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Especializado SME, doravante denominada simplesmente NEXTEL,

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Fale Light PLANO ALTERNATIVO N 068 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano Fale Light PAS 068 Modalidade do STFC Local. Descrição

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERANTIVO N 036 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 036 Modalidade

Leia mais

São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante

São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante O que são serviços de comunicações eletrónicas? São serviços de comunicações eletrónicas os serviços oferecidos mediante remuneração e que consistem no envio de sinais através de redes de comunicações

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado (CCT)

AUDIÊNCIA PÚBLICA. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado (CCT) AUDIÊNCIA PÚBLICA Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado (CCT) Assunto INFORMAÇÕES ACERCA DA APROVAÇÃO PELA AGÊNCIA REGULADORA DE LICENÇA PARA A TELEFÔNICA PRESTAR

Leia mais

ESTÁ EM VIGOR O NOVO REGULAMENTO DE ÁREAS LOCAIS DA TELEFONIA FIXA

ESTÁ EM VIGOR O NOVO REGULAMENTO DE ÁREAS LOCAIS DA TELEFONIA FIXA Brasília, 8 de junho de 2004 Agência Nacional de Telecomunicações - APC ESTÁ EM VIGOR O NOVO REGULAMENTO DE ÁREAS LOCAIS DA TELEFONIA FIXA O novo Regulamento de Áreas Locais do Serviço Telefônico Fixo

Leia mais

CAPÍTULO I OBJETO E ÁREA DE PRESTAÇÃO

CAPÍTULO I OBJETO E ÁREA DE PRESTAÇÃO TERMO DE AUTORIZAÇÃO Nº 33/2015/ORLE/SOR ANATEL TERMO DE AUTORIZAÇÃO PARA EXPLORAÇÃO DO SERVIÇO DE ACESSO CONDICIONADO, QUE ENTRE SI CELEBRAM A AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL E OXMAN TECNOLOGIA

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO PARA CONCESSÃO DE USO DE LINHA DE TELEFONIA MÓVEL

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO PARA CONCESSÃO DE USO DE LINHA DE TELEFONIA MÓVEL Nº Do contrato: Fone: ( ) IMEI: * *A ser preenchido pela associação. INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO PARA CONCESSÃO DE USO DE LINHA DE TELEFONIA MÓVEL Pelo presente instrumento particular, de um lado

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE FALE FIXO LOCAL PLANO ALTERANTIVO N 107 - LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE FALE FIXO LOCAL PAS 107 - LC

Leia mais

Necessidade de Separação dos Subtipos de Ligações VC2 e VC3 TELEFÔNICA BRASIL S/A

Necessidade de Separação dos Subtipos de Ligações VC2 e VC3 TELEFÔNICA BRASIL S/A Necessidade de Separação dos Subtipos de Ligações VC2 e VC3 TELEFÔNICA BRASIL S/A 1) Planilha de formação de preços. Falta de Minutagem dos sub-tipos de ligações vc1, vc2 e vc3. O Anexo V do Termo de Referência

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 095-LC Modalidade

Leia mais

Comentários à Consulta Pública do Ministério das Comunicações sobre o atual modelo de prestação de serviços de telecomunicações

Comentários à Consulta Pública do Ministério das Comunicações sobre o atual modelo de prestação de serviços de telecomunicações Comentários à Consulta Pública do Ministério das Comunicações sobre o atual modelo de prestação de serviços de telecomunicações São Paulo, 29 de dezembro de 2015. 1 INTRODUÇÃO A Associação Brasileira de

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO CLARO FONE FALE ON NET PLANO ALTERNATIVO N 110 - LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO CLARO FONE FALE ON NET PLANO ALTERNATIVO N 110 - LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO CLARO FONE FALE ON NET PLANO ALTERNATIVO N 110 - LC Empresa Empresa Claro S/A, incorporadora da Embratel S.A., autorizada do STFC na modalidade Local. Nome do Plano Plano CLARO

Leia mais

REGULAMENTO Promoção Planos Locais Empresas III

REGULAMENTO Promoção Planos Locais Empresas III REGULAMENTO Promoção Planos Locais Empresas III A presente promoção será realizada pela empresa TELEFÔNICA BRASIL S.A., doravante denominada VIVO, nos seguintes termos e condições: 1. Definições Para esta

Leia mais

Grupo 5 Regulação do espectro e órbita

Grupo 5 Regulação do espectro e órbita Grupo 5 Regulação do espectro e órbita Bernardo Budó Simas de Andrade, Fabiano Mendes Lins, Klebert Renee Machado Gonçalves, Marina Alves Acioli da Silveira e Pedro Henrique Luz de Araujo Grupo 1: Por

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP - PRÉ- PAGO.

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP - PRÉ- PAGO. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP - PRÉ- PAGO. Confira as condições do contrato para prestação de serviços firmado entre você e a Oi Móvel S/A. (Oi), com sede em Setor Comercial Norte,

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA CLARO UP

REGULAMENTO PROGRAMA CLARO UP REGULAMENTO PROGRAMA CLARO UP A CLARO S/A, inscrita no CNPJ sob o nº 40.432.544/0001-47, com sede na Rua Flórida, 1970 Brooklin São Paulo - SP - CEP: 04665-001, denominada neste instrumento simplesmente

Leia mais

Período 2016 a 2020. Revisão dos Contratos de Concessão. Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro

Período 2016 a 2020. Revisão dos Contratos de Concessão. Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro Revisão dos Contratos de Concessão Período 2016 a 2020 Conselheiro Rodrigo Zerbone Loureiro Agência Nacional de Telecomunicações 746ª Reunião do Conselho Diretor Brasília, 18/06/2014 Índice Revisão dos

Leia mais

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel 150 PJ, Plano Meu Nextel 300 PJ e Plano Meu Nextel 500 PJ.

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel 150 PJ, Plano Meu Nextel 300 PJ e Plano Meu Nextel 500 PJ. REGULAMENTO Plano Meu Nextel 150, Plano Meu Nextel 300 e Plano Meu Nextel 500. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Especializado SME, doravante

Leia mais

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú.

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú. Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú. O Plano de Vantagens Itaú oferece benefícios de acordo com o seu relacionamento e a sua utilização dos

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.236, DE 2013 (Do Sr. Jovair Arantes)

PROJETO DE LEI N.º 5.236, DE 2013 (Do Sr. Jovair Arantes) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.236, DE 2013 (Do Sr. Jovair Arantes) Acrescenta artigos à Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, para a implantação de medidas que assegurem ampla informação aos

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 093-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano 093 Local Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano de serviço

Leia mais

Alteração Item I.II Oferta prorrogada até 31/05/2013

Alteração Item I.II Oferta prorrogada até 31/05/2013 Alteração Item I.II Oferta prorrogada até 31/05/2013 I. DIOSIÇÕES GERAIS DA PROMOÇÃO PROMOÇÃO VIVO VOCÊ ILIMITADO REGULAMENTO VIVO I.I. Descrição Geral: A Promoção Vivo Você Ilimitado (doravante Promoção

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Smart Blackberry 300

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Smart Blackberry 300 REGULAMENTO Promoção Nextel 3G Smart Blackberry 300 Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL,

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO DO DIA DAS MÃES

REGULAMENTO PROMOÇÃO DO DIA DAS MÃES REGULAMENTO PROMOÇÃO DO DIA DAS MÃES Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante simplesmente NEXTEL, situada na Avenida das Nações

Leia mais

SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMIDIA (SCM)

SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMIDIA (SCM) Seminário O Projeto da Anatel para o Novo Cenário SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMIDIA (SCM) Luiz Tito Cerasoli Conselheiro Jarbas José Valente Superintendente de Serviços de Comunicação de Massa São Paulo,

Leia mais

COMUTADO - FALESEMPRE

COMUTADO - FALESEMPRE CONTRATO DE ADESÃO PARA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO - FALESEMPRE Por este instrumento, em que fazem parte de um lado, Telecomunicações de São Paulo S.A. TELESP, concessionária e autorizada

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO 088-LC Empresa Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Via Fone Fale Simples Modalidade do STFC Local. Descrição Resumida A adesão a este plano

Leia mais

Dados Pessoais ASSINATURA DO CLIENTE. Oi ATENDE: *144 do seu Oi ou 1057 de qualquer telefone fixo ou acesse www.oi.com.br

Dados Pessoais ASSINATURA DO CLIENTE. Oi ATENDE: *144 do seu Oi ou 1057 de qualquer telefone fixo ou acesse www.oi.com.br PROMOÇÃO VÁLIDA DE 14/09/2009 a 17/01/2010. Certificamos a sua adesão às ofertas NOVO CRÉDITO OI NOS CARTÕES VISA OU MASTERCARD E 15 MIL MINUTOS+TORPEDOS. A Oferta NOVO CRÉDITO OI NOS CARTÕES VISA OU MASTERCARD

Leia mais

Modelos de Licenciamento de Freqüências

Modelos de Licenciamento de Freqüências Modelos de Licenciamento de Freqüências Este tutorial apresenta um panorama dos modelos utilizados em vários países do mundo no licenciamento de frequências. Carlos Pingarilho Doutor em Eletrônica e Comunicações

Leia mais

Rodrigo Zerbone Conselheiro Relator. Brasília/DF Fevereiro/2014

Rodrigo Zerbone Conselheiro Relator. Brasília/DF Fevereiro/2014 Rodrigo Zerbone Conselheiro Relator Brasília/DF Fevereiro/2014 Estrutura do Regulamento Disposições Gerais Direitos e Deveres dos Consumidores Atendimento Oferta Cobrança Disposições Finais e Transitórias

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA - CCTCI

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA - CCTCI COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA - CCTCI PROJETO DE LEI Nº 6835, DE 2010 Dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de pontos de acesso sem fio à Internet nas ERB Estações

Leia mais

CARTILHA REGULAMENTO GERAL CONSUMIDOR RGC. Outubro / 2015

CARTILHA REGULAMENTO GERAL CONSUMIDOR RGC. Outubro / 2015 CARTILHA REGULAMENTO GERAL CONSUMIDOR RGC Outubro / 2015 CONHEÇA SEUS DIREITOS Principais normas aplicáveis aos consumidores: * Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90); * Regulamento Geral de

Leia mais

PLANO BÁSICO LOCAL- PB01

PLANO BÁSICO LOCAL- PB01 PLANO BÁSICO LOCAL- PB01 1. EMPRESA ALPHA NOBILIS CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. - BRASTEL 2. NOME DO PLANO Plano Básico Local 3. MODALIDADE DO STFC COBERTA Local. 4. DESCRIÇÃO RESUMIDA Habilitação: é o

Leia mais

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Ilimitado e Plano Meu Nextel Ilimitado BIS.

REGULAMENTO. Plano Meu Nextel Ilimitado e Plano Meu Nextel Ilimitado BIS. REGULAMENTO Plano Meu Nextel Ilimitado e Plano Meu Nextel Ilimitado BIS. Estes planos são comercializados pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Especializado SME, doravante denominada

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito privado com sede na Rua Sampaio Viana, 44 - Paraíso,

Leia mais

Reajuste de mensalidade

Reajuste de mensalidade Reajuste de mensalidade Conceitos básicos Reajuste por variação de custos Reajuste por mudança de faixa etária SÉRIE PLANOS DE SAÚDE CONHEÇA SEUS DIREITOS Reajuste de mensalidade SÉRIE PLANOS DE SAÚDE

Leia mais

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS

EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS EXTRATO DO CONTRATO DE REPRESENTANTE DE SEGUROS CUMULADO COM CORRESPONDENTE DE MICROSSEGUROS SEGUROS TOKIO MARINE SEGURADORA S.A., inscrita no CNPJ sob o número 33.164.021/0001-00 pessoa jurídica de direito

Leia mais

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009.

Seja bem-vindo. Um abraço, Bruno Raposo Diretor de Relacionamento com Clientes. *Serviços gratuitos até junho de 2009. Seja bem-vindo. AGORA VOCÊ FARÁ SUAS LIGAÇÕES COM MUITO MAIS ECONOMIA. A partir de agora, você tem acesso a todos os benefícios do telefone via cabo, que reuniu as tecnologias da Embratel e da NET o NET

Leia mais

PLANO GERAL DE METAS DE QUALIDADE PARA O SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO. Capítulo I Das Disposições Gerais

PLANO GERAL DE METAS DE QUALIDADE PARA O SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO. Capítulo I Das Disposições Gerais PLANO GERAL DE METAS DE QUALIDADE PARA O SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO. Capítulo I Das Disposições Gerais Art. 1º Este Plano estabelece as metas de qualidade, a serem cumpridas pelas prestadoras de

Leia mais

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS Dispõe sobre empréstimo de valores mobiliários por entidades de compensação e liquidação de operações com valores mobiliários, altera as Instruções CVM nºs 40, de 7 de novembro de 1984 e 310, de 9 de julho

Leia mais

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 150

DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 150 DESCRITIVO DO PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO Nº 50 A. Empresa: Oi (Telemar Norte Leste S.A.) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço n.º 50 Franquia 500 minutos Internet sem Limites + Franquia VC

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano PLANO ALTERNATIVO LOCAL PLANO Nº 032 A. Empresa: OI (TELEMAR NORTE LESTE S.A.), autorizatária do Serviço Telefônico Fixo Comutado na Modalidade Local, na Região III e no Setor 3 da Região 1 do Plano Geral

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009.

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009. CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009. NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL DISTRIBUIÇÃO S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 : Contribuições de 12/03/2009

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009

CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009 CONSULTA PÚBLICA N 31, DE 31 DE JULHO DE 2009 Proposta de Alteração do Regulamento sobre Condições de Uso de 2.690 MHz. O CONSELHO DIRETOR DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES, no uso das atribuições

Leia mais

COMUNICADO. Anuidade Bônus

COMUNICADO. Anuidade Bônus COMUNICADO Anuidade Bônus Dados da Promotora: DMCARD ADMINISTRADORA DE CARTOES DE CREDITO LTDA. Av. Eng. Juarez de Siqueira Brito Wanderley, 240 Eldorado São José dos Campos SP. CNPJ: [05.355.090/0001-57.]

Leia mais

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel

Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal. JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal JOÃO REZENDE Presidente da Anatel Anatel Brasília/DF Maio/2013 15 anos de LGT Em 1997, na corrida pelo usuário, a

Leia mais

Regra do SERVIÇO VIVO GESTÃO

Regra do SERVIÇO VIVO GESTÃO Regras do serviço VIVO GESTÃO Serviço que permite controlar o uso e o gasto do tráfego voz dos celulares da sua Empresa em todo o Brasil. Através do serviço Vivo Gestão, a empresa configura via internet,

Leia mais

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA

MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA Brasília, 15 de julho de 2002 MUDANÇAS NO REGULAMENTO DO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL VÃO A CONSULTA PÚBLICA O conselheiro José Leite Pereira Filho, da Agência Nacional de Telecomunicações Anatel, anunciou na

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 7.415, de 2.002 (Apensos os PL nºs 1.897, de 2003, nº 2.352, de 2003, nº 3.388, de 2004, 4.182, de 2004, e 4.

PROJETO DE LEI Nº 7.415, de 2.002 (Apensos os PL nºs 1.897, de 2003, nº 2.352, de 2003, nº 3.388, de 2004, 4.182, de 2004, e 4. COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI Nº 7.415, de 2.002 (Apensos os PL nºs 1.897, de 2003, nº 2.352, de 2003, nº 3.388, de 2004, 4.182, de 2004, e 4.441, de 2004) Veda às empresas operadoras

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Direto. Direito Administrativo 3 Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC)

Universidade de Brasília Faculdade de Direto. Direito Administrativo 3 Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) Universidade de Brasília Faculdade de Direto Direito Administrativo 3 Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) Débora Bosco 13/0061509 Igor Martins Silva 13/0028258 Luiz Claudio Gomes da Silva Junior 12/0127164

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 102 - PLANO OI MAIS CELULAR Requerimento de Homologação Nº 11514 (R1), 11488(R2) e 11490 (R3) 1. Aplicação Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 62.817, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2006

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 62.817, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2006 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ATO Nº 62.817, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2006 O SUPERINTENDENTE DE SERVIÇOS PÚBLICOS DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL, no uso da atribuição que lhe foi conferida

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde

Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde Perguntas e Respostas sobre Portabilidade de Carência em Planos de Saúde Atos Normativos ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar Resolução Normativa 186, de 14 de janeiro de 2009 - ANS Instrução Normativa

Leia mais

REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO FIXO ILIMITADO LOCAL

REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO FIXO ILIMITADO LOCAL REGULAMENTO PROMOÇÃO VIVO FIXO ILIMITADO LOCAL Válido para os Estados de RS, ES, MG, GO, PR, SC, BA, PE, CE, RN, PI, AP, MA, PA, DF, MS, RR e AM, AC, MT, RJ, RO e TO. Antes de participar da Promoção, o

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROJETO DE LEI Nº 5.729, DE 2005 ( Apenso o PL 6.986, de 2006)

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. PROJETO DE LEI Nº 5.729, DE 2005 ( Apenso o PL 6.986, de 2006) COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI Nº 5.729, DE 2005 ( Apenso o PL 6.986, de 2006) Dispõe sobre critérios para venda de chips para celulares GSM. Autor: Deputado REGINALDO GERMANO Relator:

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001, DE 24 DE NOVEMBRO DE 1999 (*) Vide alterações e inclusões no final do texto

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO CLARO SIM. O presente Regulamento tem por objeto regular as relações entre a CLARO e os participantes da PROMOÇÃO CLARO SIM

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO CLARO SIM. O presente Regulamento tem por objeto regular as relações entre a CLARO e os participantes da PROMOÇÃO CLARO SIM REGULAMENTO DA PROMOÇÃO CLARO SIM O presente Regulamento tem por objeto regular as relações entre a CLARO e os participantes da PROMOÇÃO CLARO SIM 1. Condições gerais 1.1. REALIZADORA: CLARO S/A, empresa

Leia mais

Amercian Express, Diners, Hipercard, Aura e Elo.

Amercian Express, Diners, Hipercard, Aura e Elo. TERMO DE CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE PRODUTOS PELA INTERNET Magazine Luiza S/A, pessoa jurídica de direito privado, com sede na cidade de Franca/SP, Rua Voluntários da Franca, nº 1465, inscrita no CNPJ

Leia mais

Contribuição da TIA/TEC-LA para a ANATEL sobre o gerenciamento do espectro de rádio-frequência

Contribuição da TIA/TEC-LA para a ANATEL sobre o gerenciamento do espectro de rádio-frequência Contribuição da TIA/TEC-LA para a ANATEL sobre o gerenciamento do espectro de rádio-frequência Sendo uma organização que representa os interesses de fabricantes e fornecdores de produtos e sistemas para

Leia mais

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos,

O Acordo de Madrid relativo ao Registro. Internacional de Marcas e o Protocolo. referente a este Acordo: Objetivos, O Acordo de Madrid relativo ao Registro Internacional de Marcas e o Protocolo referente a este Acordo: Objetivos, Principais Características, Vantagens Publicação OMPI N 418 (P) ISBN 92-805-1313-7 2 Índice

Leia mais

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú.

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú. Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú. O Plano de Vantagens Itaú oferece benefícios de acordo com o seu relacionamento e a sua utilização dos

Leia mais

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA

NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA NOVA REGULAMENTAÇÃO DO SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA Luiz Fernando Fauth Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL ibusiness 2011 Curitiba, 24/11/2011 SUMÁRIO Cenário atual do SCM Consulta Pública

Leia mais

CAPÍTULO I OBJETIVO E FINALIDADE

CAPÍTULO I OBJETIVO E FINALIDADE CAPÍTULO I OBJETIVO E FINALIDADE O Conselho de Usuários da Embratel, constituído pela assembléia dos usuários do serviço telefônico fixo comutado (STFC) da Região III do Plano Geral de Outorgas, realizada

Leia mais

T4F ENTRETENIMENTO S.A. CNPJ/MF N.º 02.860.694/0001-62

T4F ENTRETENIMENTO S.A. CNPJ/MF N.º 02.860.694/0001-62 T4F ENTRETENIMENTO S.A. CNPJ/MF N.º 02.860.694/0001-62 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES O presente Plano de Opção de Compra de Ações da T4F ENTRETENIMENTO S.A. ( Companhia ), aprovado pela Assembléia

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 190, DE 2011.

PROJETO DE LEI Nº 190, DE 2011. COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI Nº 190, DE 2011. Obriga a prestadora do serviço de banda larga a justificar por escrito ao solicitante o motivo da impossibilidade de instalação do serviço

Leia mais

Diferenças entre adaptação e migração nos planos privados de assistência à saúde

Diferenças entre adaptação e migração nos planos privados de assistência à saúde Diferenças entre adaptação e migração nos planos privados de assistência à saúde ADAPTAÇÃO MIGRAÇÃO Conceito É a alteração (aditamento) do contrato antigo, assinado antes de janeiro de 1999, para adequá-lo

Leia mais

Igor Vilas Boas de Freitas

Igor Vilas Boas de Freitas 18ª Reunião Extraordinária da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática. 26 de maio de 2010 Igor Vilas Boas de Freitas Consultor Legislativo do Senado Federal 1. Quais são os

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil. Telefonia Celular no Brasil Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil. (Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 09/12/2002).

Leia mais

Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC)

Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC) Superintendência de Serviços Públicos (SPB) Gerência-Geral de Outorga, Acompanhamento e Controle das Obrigações Contratuais (PBOA) Gerência de Outorga de Serviços

Leia mais