Raciocínio Lógico - Parte IV

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Raciocínio Lógico - Parte IV"

Transcrição

1 Apostila escrita pelo professor José Gonçalo dos Santos Contato: Raciocínio Lógico - Parte IV

2 Sumário 1. Argumentação Regras de Inferência Regras de inferência Referências Bibliográficas

3 1. Argumentação Para entendermos o que é argumentação, é necessário definirmos, primeiro, o que é um argumento. Segundo Cury (1997), argumento é uma seqüência finita de proposições P 1, P 2, P 3,..., P n (n 1) que tem como conseqüência uma proposição C. As proposições P 1, P 2, P 3,..., P n chamam-se premissas do argumento e a proposição C chama-se conclusão. Denota-se da seguinte forma: P 1, P 2, P 3,..., P n - C Abaixo são apresentadas algumas formas de leitura dessa representação: 1. P 1, P 2, P 3,..., P n acarretam C. 2. P 1, P 2, P 3,..., P n, logo C. 3. P 1, P 2, P 3,..., P n, então C. Um argumento é válido se, e somente se a conclusão for verdadeira sempre que as premissas forrem verdadeiras também. Quando um argumento não é válido, dizemos que ele é um sofisma ou uma falácia. Quando temos um argumento formado por duas premissas e uma conclusão, dizemos que ele é um silogismo. Bom, já que sabemos o que é argumento, podemos deduzir que argumentação é o estabelecimento de uma relação entre premissas e uma conclusão. Em termo prático, argumentação é a defesa de uma tese, ou ponto de vista, onde apresentamos vários fatos (premissas), a partir dos quais chegamos a uma conclusão, que é o que queremos demonstrar. Exemplos de argumentação 1) Todos os homens são mortais. Sócrates é homem. Logo, Sócrates é mortal. 2) Hoje é sábado ou domingo. Se hoje é sábado, então é fim de semana. Se hoje é domingo, então é fim de semana. Logo, hoje é fim de semana. 3) Se eu ficar em casa, então esvaziarei a geladeira. Se o meu irmão ficar em casa, esvaziará a geladeira. Eu ou o meu irmão ficará em casa. Logo, a geladeira ficará vazia. 4) A rainha ou a princesa comparecerá à cerimônia. A princesa não comparecerá. Logo, a rainha comparecerá. 5) O joelho de João está inchado. Se João continuar correndo, então o seu joelho não irá sarar. Se o joelho de João não sarar, então ele não poderá participar da competição. Logo, se João continuar correndo, então ele não participará da competição. 6) Hoje é fim de semana se e somente se hoje é sábado ou domingo.

4 Hoje é domingo. Logo, hoje é fim de semana. 7) Todos os portugueses são europeus. Camões é português. Logo, Camões é europeu. 8) Piu-piu sabe voar. Nenhum cachorro sabe voar. Logo, Piu-piu não é cachorro. 9) Nenhum desonesto é rico. Nenhum político é desonesto. Logo, nenhum político é rico. 10) Nenhum dentista é sádico. Todos os torturadores são sádicos. Logo, nenhum torturador é dentista. 2. Regras de Inferência Antes de falarmos sobre regras de inferência, vamos definir inferência que, segundo WIKIPEDIA (2009), é o processo pelo qual se chega a uma proposição, baseada em outras mais proposições aceitas como ponto de partida do processo. Para inferir uma proposição (conclusão) baseada em outras, é necessária a aplicação de algumas regras (conhecida como regras de inferência) que, de acordo com WIKIPEDIA (2009), tem as seguintes características: 1. Se a Hipótese for verdadeira, então a Conclusão é verdadeira 2. Verificação de tipos é baseada em inferência. Se E1 e E2 tem certos tipos, então E3 tem certo tipo. 3. Regras de inferência são uma notação compacta para comandos de implementação. 4. Inicia-se com um sistema simplificado de regras ao qual se adiciona novas características gradualmente 5. As premissas são regras sem hipóteses Usamos inferências para provar a validade de argumentação. Para tanto, usamos uma ou mais regras para, a partir das premissas, chegarmos à conclusão, ou podemos usar o condicional em conjunto com a tabela-verdade. Começaremos nosso trabalho de validação de argumentação usando essa técnica. Teorema (Cury, 1997): O argumento P 1, P 2, P 3,..., P n - C é válido se, e somente se o condicional (P 1 ^P 2 ^ P 3 ^... ^ P n ) -> C é uma tautologia. De acordo com o teorema apresentado acima, para provarmos a validade de um argumento, basta verificarmos se o condicional associado a ele é uma tautologia. Exemplos: 1) O argumento (p -> q), (r -> s), (p v r) - (q v s) corresponde ao condicional (p -> q) ^ (r -> s) ^ (p v r) -> (q v s) 2) O condicional ((p -> q) ^ p) -> q corresponde ao argumento p -> q, p - q 2

5 3) Determinar a validade do argumento: A rainha ou a princesa comparecerá à cerimônia. (P 1 ) A princesa não comparecerá. (P 2 ) Logo, a rainha comparecerá. (C) Se considerarmos: p: A rainha comparecerá à cerimônia, q: A princesa comparecerá à cerimônia, ~q: A princesa não comparecerá, temos (p v q) ^ ~q -> p p q p v q ~q (p v q) ^ ~q (p v q) ^ ~q -> p Como o condicional P 1 ^ P 2 -> C é uma tautologia, o argumento P 1, P 2 - C é válido. Um pouco de prática Teste a validade dos seguintes argumentos usando tabelas-verdade. 1) Se trabalho, não posso estudar. Trabalho ou sou aprovado em física. Trabalhei. Logo, fui aprovado em física. 2) Se eu ganhar na mega-sena, pago os credores. Se eu pagar os credores, eles ficam satisfeitos. Logo, ganho na mega-sena ou os credores não ficam satisfeitos. 3) Se não existe inflação no Brasil, então os peritos estão certos ou o governo mente. Existe inflação no Brasil ou os peritos não estão certos. Portanto, o governo não mente. 4) Se o deputado for desonesto, então ele será investigado. O deputado foi investigado e não foi punido. Logo, o deputado é honesto. Resolução 1) Fazendo p: Eu trabalho, q: Posso estudar, r: Sou aprovado em física, temos: p -> ~q, p v r, p - r Transformando o argumento em condicional, temos: (p -> ~q) ^ (p v r) ^ p -> r e para provar a sua validade, ou não, usamos a tabela-verdade a seguir. A p q r ~q p -> ~q p v r (p -> ~q) ^ (p v r) ^ p A -> p

6 O argumento acima é um sofisma, ou seja, ele apresentou um argumento dedutivamente válido (a tabela-verdade é uma tautologia), porém não é. Pode-se concluir que alguém que seja bom em lógica pode levar as pessoas na conversa, usando a técnica da falácia (sofisma), dessa fazendo-as acreditar em um argumento que não seja válido realmente, porém válido dedutivamente. 2) Fazendo p: Ganhar na mega-sena, q: Pagar os credores, r: Ficar satisfeito, temos: p -> q, q -> r - p v ~q Transformando o argumento em condicional, temos: (p -> q) ^ (q -> r) -> p v ~q e para provar a sua validade, ou não, usamos a tabela-verdade a seguir. A B p q r ~q p -> q q -> r (p -> q) ^ (q -> r) p v ~q A -> B Argumento inválido, a tabela-verdade não é uma tautologia. 3) Fazendo p: Existe inflação no Brasil, q: Os peritos estão certos, r: O governo mente, temos: ~p -> (q v r), p v ~q - ~r Transformando o argumento em condicional, temos: (~p -> (q v r)) ^ (p v ~q) -> ~r e para provar a sua validade, ou não, usamos a tabela-verdade a seguir. A B C p q r ~p ~q q v r ~p -> (q v r) p v ~q ~r A ^ B -> C Argumento inválido, a tabela-verdade não é uma tautologia. 4

7 4) Fazendo p: O deputado é desonesto, q: O deputado é investigado, r: O deputado é punido, temos: p -> q, q v ~r - ~p Transformando o argumento em condicional, temos: (p -> q) ^ (q v ~r) -> ~p e para provar a sua validade, ou não, usamos a tabela-verdade a seguir. A B C p q r p -> q ~r q v ~r A ^ B ~p A ^ B -> C Argumento inválido, a tabela-verdade não é uma tautologia. 3. Regras de inferência Provar validade de argumento com uso de tabelas-verdade pode se tornar impraticável se tivermos um grande número de variáveis, por isso devemos usar outras técnicas de verificação de validade de argumentos, como método direto, indireto e árvore de refutação, que serão apresentadas na próxima aula. Para que possamos usar tais técnicas, é necessário conhecermos algumas regras de inferência, que serão apresentadas a seguir. Adição (AD): α α v β (se temos uma proposição verdadeira, podemos adicionar, disjunção, qualquer outra proposição que a nova proposição continua sendo verdadeira). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. α β α v β α -> α v β Simplificação (S): α^β α ou α^β β (Se uma conjunção é verdadeira, as suas componentes também são verdadeiras). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. α β α ^β α ^β -> β α ^β -> α Conjunção (CON): α e β α^β (Se tivermos duas proposições verdadeiras, a sua conjunção também é verdadeira). Podemos verificar isso por meio da tabelaverdade. 5

8 α β α ^β Modus Ponens (MP): α -> β e α β (Se tivermos um condicional e o seu antecedente for verdadeiro, logo o seu conseqüente também é verdadeiro). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. α β α -> β (α -> β) ^ α ((α -> β) ^ α) -> β Seja o exemplo: Se é domingo, então é fim de semana., É domingo., logo, É fim de semana. Modus Tolens (MT): α -> β e ~β ~α (Se tivermos um condicional e a negação do seu conseqüente, logo teremos a negação do seu antecedente). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. α β ~β ~ α α -> β (α -> β) ^ ~β ((α -> β) ^ ~β) -> ~α Seja o exemplo: Se é domingo, então é fim de semana., Não é fim de semana., logo, Não é domingo. Silogismo Disjuntivo (SD): (α v β)^~α β ou (α v β)^~ β α (Se tivermos uma disjunção e a negação de um dos seus componentes, logo, o outro componente é verdadeiro). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. α β ~ α α v β (α v β) ^ ~ α ((α v β) ^ ~ α) -> β Seja o exemplo: Vou estudar ou vou trabalhar., Não vou estudar., logo, Vou trabalhar. Silogismo Hipotético (SH): α -> β, β -> σ α -> σ (Se tivermos dois condicionais onde o conseqüente do primeiro é antecedente do segundo, logo, temos um terceiro condicional formado pelo antecedente do primeiro com o conseqüente do segundo). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. A B C α β σ α -> β β -> σ α -> σ A ^ B A ^ B -> C

9 Seja o exemplo: Se Ana fizer regime, ela emagrece., Se Ana emagrecer ela ganhará o concurso., logo, Se Ana fizer regime, ela ganhará o concurso. Dilema Construtivo (DC): α -> β, σ -> ρ, α v σ β v ρ (Se temos dois condicionais e uma disjunção dos seus antecedentes, logo, temos a disjunção dos seus conseqüentes). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. A B C D α β σ ρ α -> β σ -> ρ α v σ β v ρ A^B^C A^B^C -> D Seja o exemplo: Se João jogar futebol, ele ganha dinheiro., Se João virar político, ele fica famoso., João joga futebol ou vira político, logo, João ganha dinheiro ou fica famoso. Dilema Destrutivo (DD): α -> β, σ -> ρ, ~β v ~ρ ~α v ~σ (Se temos dois condicionais e uma disjunção da negação dos seus conseqüentes, logo, temos a disjunção da negação dos seus antecedentes). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. A B C D α β σ ρ α -> β σ -> ρ ~β v ~ρ ~α v ~σ A^B^C A^B^C -> D

10 Seja o exemplo: Se João jogar futebol, ele ganha dinheiro., Se João virar político, ele fica famoso., João não ganha dinheiro ou não fica famoso., logo, João não joga futebol ou não vira político. Absorção (ABS): α -> β α -> α^β (Se temos um condicional, podemos formar um novo condicional com o antecedente, no antecedente, e o conseqüente como a conjunção de ambos). Podemos verificar isso por meio da tabela-verdade. α β α -> β α ^ β α -> α ^ β (α -> β) -> (α -> α ^ β) Seja o exemplo: Se Maria estuda, ela consegue boas notas., logo, Se Maria estuda, ela estuda e consegue boas notas. Aqui terminamos a apresentação das regras de inferência que usaremos na próxima aula. Com o uso delas, não será mais necessário usarmos tabelas-verdade para provarmos a validade dos argumentos. 4. Referências Bibliográficas CURY, Márcia Xavier. Introdução à Lógica. São Paulo: Érica, RUSSEL, Stuart & NORVING, Peter. Inteligência Artificial. São Paulo: Campus, NOLT, John & RHOATYN, Dennis. Lógica. São Paulo: Makron Books, NDC. Lógica na Wikipedia. Documento on-line disponível em [ Acesso em: 23/06/2009. BABYLON. Definição de Tabela Verdade. Documento on-line disponível em [ Acesso em: 26/06/2009. WIKIPÉDIA. Regra de Inferência. Documento on-line disponível em [ Acesso em: 06/08/

Raciocínio Lógico - Parte II

Raciocínio Lógico - Parte II Apostila escrita pelo professor José Gonçalo dos Santos Contato: jose.goncalo.santos@gmail.com Raciocínio Lógico - Parte II Sumário 1. Operações Lógicas sobre Proposições... 1 2. Tautologia, contradição

Leia mais

Ló gica. Para Concursos Públicos. Professor Luiz Guilherme

Ló gica. Para Concursos Públicos. Professor Luiz Guilherme Ló gica Para Concursos Públicos Professor Luiz Guilherme 2014 1 Lógica Para Concursos Públicos Proposição... 2 Valor Lógico das Proposições... 2 Axiomas da Lógica... 2 Tabela Verdade:... 3 Conectivos:...

Leia mais

Representação de Conhecimento. Lógica Proposicional

Representação de Conhecimento. Lógica Proposicional Representação de Conhecimento Lógica Proposicional Representação de conhecimento O que éconhecimento? O que érepresentar? Representação mental de bola Representação mental de solidariedade Símbolo como

Leia mais

Lista de Exercícios 1: Soluções Fundamentos da Lógica Lógica Proposicional

Lista de Exercícios 1: Soluções Fundamentos da Lógica Lógica Proposicional UFMG/ICEx/DCC DCC111 Matemática Discreta Lista de Exercícios 1: Soluções Fundamentos da Lógica Lógica Proposicional Ciências Exatas & Engenharias 2 o Semestre de 2015 1. Construa a tabela da verdade para

Leia mais

Aula 05 Raciocínio Lógico p/ INSS - Técnico do Seguro Social - Com Videoaulas

Aula 05 Raciocínio Lógico p/ INSS - Técnico do Seguro Social - Com Videoaulas Aula 05 Raciocínio Lógico p/ INSS - Técnico do Seguro Social - Com Videoaulas Professor: Arthur Lima AULA 05: RESUMO Caro aluno, Para finalizar nosso curso, preparei um resumo de toda a teoria vista nas

Leia mais

Construção de tabelas verdades

Construção de tabelas verdades Construção de tabelas verdades Compreender a Lógica como instrumento da ciência e como estrutura formal do pensamento, conhecendo e compreendendo as operações com os principais conceitos proposicionais

Leia mais

Lógica Proposicional

Lógica Proposicional Lógica Proposicional Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira slago@ime.usp.br 1 Introdução A lógica proposicional é um formalismo matemático através do qual podemos abstrair a estrutura de um argumento, eliminado

Leia mais

Lógica Matemática UNIDADE II. Professora: M. Sc. Juciara do Nascimento César

Lógica Matemática UNIDADE II. Professora: M. Sc. Juciara do Nascimento César Lógica Matemática UNIDADE II Professora: M. Sc. Juciara do Nascimento César 1 1 - Álgebra das Proposições 1.1 Propriedade da Conjunção Sejam p, q e r proposições simples quaisquer e sejam t e c proposições

Leia mais

Unidade Curricular Matemática para Computação Prof. Angelo Gonçalves da Luz Lógica Formal

Unidade Curricular Matemática para Computação Prof. Angelo Gonçalves da Luz Lógica Formal Unidade Curricular Matemática para Computação Prof. Angelo Gonçalves da Luz Lógica Formal Leitura obrigatória: GERSTING, J. A. Fundamentos Matemáticos para Ciência da Computação, 4. ed. Rio de Janeiro.

Leia mais

Matemática Discreta - 02

Matemática Discreta - 02 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Matemática Discreta - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

INTRODUÇÃO LÓGICA MATEMÁTICA

INTRODUÇÃO LÓGICA MATEMÁTICA INTRODUÇÃO À LÓGICA MATEMÁTICA Prof. Antonio A. Pinho Rio de Janeiro Julho de 1999 INTRODUÇÃO À LÓGICA MATEMÁTICA 2 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 1. Lógica Formal. 2 2. Dedução e Indução. 3 3. Lógica Clássica e

Leia mais

MODÚLO 1. INTRODUÇÃO A LÓGICA MATEMÁTICA 1.1 SENTENÇA X PROPOSIÇÃO 1.2 NEGAÇÃO SIMPLES

MODÚLO 1. INTRODUÇÃO A LÓGICA MATEMÁTICA 1.1 SENTENÇA X PROPOSIÇÃO 1.2 NEGAÇÃO SIMPLES MODÚLO 1. INTRODUÇÃO A LÓGICA MATEMÁTICA 1.1 SENTENÇA X PROPOSIÇÃO Proposição: Permite ser julgado verdadeiro ou falso. Possui um valor lógico. Exemplos: Morro do Alemão só tem bandido A presidenta anulou

Leia mais

A LÓGICA NA MATEMÁTICA

A LÓGICA NA MATEMÁTICA A LÓGICA NA MATEMÁTICA 1. BREVE HISTÓRICO O pensamento lógico teve forte presença no cerne da Civilização Grega. Aristóteles (384-322 A.C) é tido como o primeiro sistematizador do conhecimento lógico da

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO. 1. Compreensão de estruturas lógicas

RACIOCÍNIO LÓGICO. 1. Compreensão de estruturas lógicas Mas, uma proposição pode ser qualquer outro tipo de expressão, tais como as matemáticas, conjunto de símbolos que possuam um significado, e que pode ser valorada em verdadeiro ou falso. Exemplo: 4 > 7

Leia mais

MD Fundamentos da Lógica Lógica Proposicional 1

MD Fundamentos da Lógica Lógica Proposicional 1 Fundamentos da Lógica Lógica Proposicional Renato Martins Assunção assuncao@dcc.ufmg.br Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br MD Fundamentos da Lógica Lógica Proposicional 1 Fundamentos

Leia mais

Lógica Indutiva. Aula 4. Prof. André Martins

Lógica Indutiva. Aula 4. Prof. André Martins Lógica Indutiva Aula 4 Prof. André Martins É uma bruxa? Lógica Clássica (Dedutiva) Na Lógica Clássica, determinamos a veracidade de proposições a partir de outras proposições que julgamos verdadeiras.

Leia mais

Uma proposição condicional sempre pode ser escrita da forma se p, então q, e é denotada por p q. Se amanhã é domingo, então hoje é sábado.

Uma proposição condicional sempre pode ser escrita da forma se p, então q, e é denotada por p q. Se amanhã é domingo, então hoje é sábado. Proposições condicionais e bicondicionais Proposições condicionais Num debate sobre algum tema importante, é comum utilizarmos ideias que procuram sustentar nossos argumentos. Essa sustentação, muitas

Leia mais

Exercícios de Lógica

Exercícios de Lógica Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Exatas Departamento de Matemática Exercícios de Lógica = ƒ abril de 007 Maringá PR Organizador: João Roberto Gerônimo Introdução O objetivo deste material

Leia mais

A LÓGICA DO RACIOCÍNIO MATEMÁTICO. GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior

A LÓGICA DO RACIOCÍNIO MATEMÁTICO. GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior A LÓGICA DO RACIOCÍNIO MATEMÁTICO GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior Aline Brum Ottes, UFSM, alinebrumottes@hotmail.com Ricardo Fajardo, UFSM, rfaj@ufsm.br Samuel Sonego Zimmermann,

Leia mais

Uma proposição composta é uma contradição, se for sempre falsa, independentemente do valor lógico das proposições simples que a compõem.

Uma proposição composta é uma contradição, se for sempre falsa, independentemente do valor lógico das proposições simples que a compõem. Tautologia Uma proposição composta é uma tautologia, se for sempre verdadeira, independentemente do valor lógico das proposições simples que a compõem. Exemplos: Contradição Uma proposição composta é uma

Leia mais

Noções de Lógica - Teoria e Exercícios

Noções de Lógica - Teoria e Exercícios ALUNO(A) C O L É G I O PROFESSOR (A) Alan Jefferson Série 1º ano Noções de Lógica - Teoria e Exercícios PROPOSIÇÃO Chama-se proposição ou sentença toda oração declarativa que pode ser classificada em verdadeira

Leia mais

n. 11 Argumentos e Regras de Inferência

n. 11 Argumentos e Regras de Inferência n. 11 Argumentos e Regras de Inferência A lógica formal lida com um tipo particular de argumento, denominado de argumento dedutivo, que nos permite deduzir uma conclusão Q, com base num conjunto de proposições

Leia mais

Raciocínio Lógico Quantitativo

Raciocínio Lógico Quantitativo Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba Gerência de Ensino e Pesquisa Departamento Acadêmico de Matemática Raciocínio Lógico Quantitativo Notas de Aula Prof. a

Leia mais

APOSTILA DE LÓGICA. # Conceitos iniciais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

APOSTILA DE LÓGICA. # Conceitos iniciais INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INSTITUTO EDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CÂMPUS APODI Sítio Lagoa do Clementino, nº 999, RN 233, Km 2, Apodi/RN, 59700-971. one (084) 4005.0765 E-mail: gabin.ap@ifrn.edu.br

Leia mais

Questões de raciocínio lógico Aula 2

Questões de raciocínio lógico Aula 2 Questões de raciocínio lógico Aula 2 Tópicos abordados: Lógica da argumentação Diagramas lógicos Emerson Marcos Furtado* 1. (ESAF-adap.) Pedro toca piano se e somente se Vítor toca violino. Ora, Vítor

Leia mais

Olá, amigo concurseiro. Após uma certa ausência, vamos a mais um tópico importante de Raciocínio Lógico.

Olá, amigo concurseiro. Após uma certa ausência, vamos a mais um tópico importante de Raciocínio Lógico. Olá, amigo concurseiro. Após uma certa ausência, vamos a mais um tópico importante de Raciocínio Lógico. Haverá momentos em que a Lógica Proposicional sofrerá algumas limitações. Quando certos tipos de

Leia mais

APOSTILA DE LÓGICA. # Proposições Logicamente Equivalentes. # Equivalências Básicas

APOSTILA DE LÓGICA. # Proposições Logicamente Equivalentes. # Equivalências Básicas INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CÂMPUS APODI Sítio Lagoa do Clementino, nº 999, RN 233, Km 2, Apodi/RN, 59700-971. Fone (084) 4005.0765 E-mail: gabin.ap@ifrn.edu.br

Leia mais

Lógica Computacional. Argumentos válidos e sólidos. Métodos de Demonstração. Demonstrações formais. Regras de Inferência Igualdade

Lógica Computacional. Argumentos válidos e sólidos. Métodos de Demonstração. Demonstrações formais. Regras de Inferência Igualdade Lógica Computacional Argumentos válidos e sólidos Métodos de Demonstração Demonstrações formais Regras de Inferência Igualdade Não-consequências lógicas 6 Março 2013 Lógica Computacional 1 Argumentos Exemplo:

Leia mais

Quantificadores. Quantificador Universal. Quantificador Existencial. Seja um conjunto não vazio e ) uma propriedade associada aos elementos.

Quantificadores. Quantificador Universal. Quantificador Existencial. Seja um conjunto não vazio e ) uma propriedade associada aos elementos. Quantificadores Seja um conjunto não vazio e ) uma propriedade associada aos elementos. Quantificador Universal Se é verdade que todos os elementos de possuem tal propriedade, podemos afirmar que: Todo

Leia mais

Lógica para Computação Prof. Celso Antônio Alves Kaestner, D.E.E. celsokaestner (at) utfpr (dot) edu (dot) br Introdução Lógica para Computação (IF61B) Três citações extraídas de Logique: Méthodes pour

Leia mais

SIMULADO MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO PARA EBSERH 2015

SIMULADO MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO PARA EBSERH 2015 SIMULADO MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO PARA EBSERH 2015 Simulado Comentado Matemática e Raciocínio Lógico EBSERH 2015 Página 1 SIMULADO 01 MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO PARA EBSERH 2015 Cargo: Todos

Leia mais

ANPAD CURSO LÓGICA 2

ANPAD CURSO LÓGICA 2 01. Considerando verdadeiras as proposições Se João cometeu um grave delito, então ele sonegou impostos. e João não sonegou impostos., pode-se concluir que: a) João sonegou impostos b) João cometeu um

Leia mais

Aula 05 Operações Lógicas sobre Proposições. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes

Aula 05 Operações Lógicas sobre Proposições. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Aula 05 Operações Lógicas sobre Proposições Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Agenda da Aula Outras Traduções; Valor Lógico de Operações sobre proposições. Tabela da Verdade

Leia mais

ACADEMIA DO CONCURSO

ACADEMIA DO CONCURSO ACADEMIA DO CONCURSO Aulão de Lógica - 2015 Prof. Quilelli ( TCU Auditor Federal - CESPE ) As cidades Alfa e Beta estão com suas contas de obras sob análise. Sabe-se que algumas dessas obras são de responsabilidade

Leia mais

Universidade Federal do ABC. BC 0004 Bases Epistemológicas da Ciência Moderna. Prof. Valter A. Bezerra. Prelúdio aos sistemas conceituais da ciência

Universidade Federal do ABC. BC 0004 Bases Epistemológicas da Ciência Moderna. Prof. Valter A. Bezerra. Prelúdio aos sistemas conceituais da ciência Universidade Federal do ABC BC 0004 Bases Epistemológicas da Ciência Moderna Prof. Valter A. Bezerra Prelúdio aos sistemas conceituais da ciência Proposições 54.42 e 54.43 do Vol. I do Principia Mathematica

Leia mais

Fundamentos da Argumentação

Fundamentos da Argumentação Fundamentos da Argumentação Roteiro 1. O que é um argumento? 2. Conceitos úteis para entender argumentos 3. Esquemas de argumentação 4. Tipos de diálogos 5. Sobre a falação de bobagens (On Bullshit) Renato

Leia mais

Algoritmos e Programação I

Algoritmos e Programação I Algoritmos e Programação I Apresentação e Introdução ao Raciocínio Lógico Prof. Fernando Maia da Mota mota.fernandomaia@gmail.com CPCX/UFMS Fernando Maia da Mota 1 Apresentação Fernando Maia da Mota Formado

Leia mais

n. 16 DEMONSTRAÇÃO CONDICIONAL E DEMONSTRAÇÃO INDIRETA ou DEMONSTRAÇÃO POR ABSURDO DEMONSTRAÇÃO CONDICIONAL

n. 16 DEMONSTRAÇÃO CONDICIONAL E DEMONSTRAÇÃO INDIRETA ou DEMONSTRAÇÃO POR ABSURDO DEMONSTRAÇÃO CONDICIONAL n. 16 DEMONSTRAÇÃO CONDICIONAL E DEMONSTRAÇÃO INDIRETA ou DEMONSTRAÇÃO POR ABSURDO DEMONSTRAÇÃO CONDICIONAL Para demonstrar a validade de um argumento podemos utilizar outro método, conhecido como Demonstração

Leia mais

Fundamentos de Lógica Matemática

Fundamentos de Lógica Matemática Webconferência 3-01/03/2012 Inferência Lógica Prof. L. M. Levada http://www.dc.ufscar.br/ alexandre Departamento de Computação (DC) Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) 2012/1 Objetivos Análise

Leia mais

Álgebra Booleana. Introdução ao Computador 2010/01 Renan Manola

Álgebra Booleana. Introdução ao Computador 2010/01 Renan Manola Álgebra Booleana Introdução ao Computador 2010/01 Renan Manola Histórico George Boole (1815-1864) Considerado um dos fundadores da Ciência da Computação, apesar de computadores não existirem em seus dias.

Leia mais

Raciocínio Lógico Matemático Modulo Geral

Raciocínio Lógico Matemático Modulo Geral Raciocínio Lógico Matemático Modulo Geral CONCURSO: Ministério do Trabalho e Emprego CARGO: Auditor-Fiscal do Trabalho PROFESSOR: Alex Lira Este curso é protegido por direitos autorais (copyright), nos

Leia mais

Exercícios de Lógica para Programação

Exercícios de Lógica para Programação Exercícios de Lógica para Programação Ana Cardoso-Cachopo Maio de 2014 CONTEÚDO 1 Conteúdo 1 Argumentos e Validade 5 2 Lógica Proposicional Sistema de Dedução Natural 17 3 Lógica Proposicional Tabelas

Leia mais

Prova de Raciocínio Lógico - Edição setembro de 2007

Prova de Raciocínio Lógico - Edição setembro de 2007 Prova de Raciocínio Lógico - Edição setembro de 2007 1. Em uma determinada maternidade estavam num mesmo quarto cinco mães: Marta, Juliana, Vanessa, Giovana e Rosa, e suas filhas: Betina, Clara, Renata,

Leia mais

Lógica Formal. Lógica Proposicional. Lógica Proposicional. Enigma motivador. Visão geral do estudo da Lógica

Lógica Formal. Lógica Proposicional. Lógica Proposicional. Enigma motivador. Visão geral do estudo da Lógica Enigma motivador Lógica Formal Lógica Proposicional UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Lógica, Informática e Comunicação Prof. Rômulo Nunes de Oliveira O Sr. Justino, apesar de trabalhador, não estava indo

Leia mais

S U M Á R I O. Raciocínio Lógico para o INSS Resolução de questões Prof. Adeilson de melo Revisão 4 Bateria de questões CONTEÚDO DA AULA 01

S U M Á R I O. Raciocínio Lógico para o INSS Resolução de questões Prof. Adeilson de melo Revisão 4 Bateria de questões CONTEÚDO DA AULA 01 Olá pessoal! Este é o nosso quarto encontro. Nele faremos uma abordagem das mais variadas questões de Raciocínio Lógico. Assunto muito querido pela banca FCC. Aqui fiz uma seleção de muitas questões de

Leia mais

José Luiz de Morais. RACiOCÍNIO LÓGICO

José Luiz de Morais. RACiOCÍNIO LÓGICO RACIOCÍNIO LÓGICO José Luiz de Morais RACiOCÍNIO LÓGICO RACIOCÍNIO LÓGICO Prof José Luiz de Morais PROPOSIÇÕES Proposições Simples Proposições Simples Proposição simples átomo ou partícula atômica É a

Leia mais

LÓGICA PROPOSICIONAL

LÓGICA PROPOSICIONAL FACULDADE PITÁGORAS Curso Superior em Tecnologia Redes de Computadores e Banco de dados Matemática Computacional Prof. Ulisses Cotta Cavalca LÓGICA PROPOSICIONAL Belo Horizonte/MG

Leia mais

Parece claro que há uma, e uma só, conclusão a tirar destas proposições. Esa conclusão é:

Parece claro que há uma, e uma só, conclusão a tirar destas proposições. Esa conclusão é: Argumentos Dedutivos e Indutivos Paulo Andrade Ruas Introdução Em geral, quando se quer explicar que géneros de argumentos existem, começa-se por distinguir os argumentos dedutivos dos não dedutivos. A

Leia mais

( ) ( ) RACIOCÍNIO LÓGICO. A p n = C p n C 2 20 = = = = 190 ANÁLISE COMBINATÓRIA. PERMUTAÇÃO SIMPLES (anagramas)

( ) ( ) RACIOCÍNIO LÓGICO. A p n = C p n C 2 20 = = = = 190 ANÁLISE COMBINATÓRIA. PERMUTAÇÃO SIMPLES (anagramas) ANÁLISE COMBINATÓRIA PRINCÍPIO FUNDAMENTAL DA CONTAGEM (PFC) n 1.n 2.n 3...= total de possibilidades Ex: Supondo que 5 colegas vão sair de carro, sentados nos 5 lugares disponíveis. De quantos modos podemos

Leia mais

C U R S O D E R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E M A T E M Á T I C O P A R A O I N S S

C U R S O D E R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E M A T E M Á T I C O P A R A O I N S S C U R S O D E R A C I O C Í N I O L Ó G I C O E M A T E M Á T I C O P A R A O I N S S www.profranciscojunior.com.br p. 1 de 80 S U M Á R I O 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. INTRODUÇÃO... 5 3. PROPOSIÇÕES... 7

Leia mais

Bases Matemáticas. Aula 2 Métodos de Demonstração. Rodrigo Hausen. v. 2013-7-31 1/15

Bases Matemáticas. Aula 2 Métodos de Demonstração. Rodrigo Hausen. v. 2013-7-31 1/15 Bases Matemáticas Aula 2 Métodos de Demonstração Rodrigo Hausen v. 2013-7-31 1/15 Como o Conhecimento Matemático é Organizado Definições Definição: um enunciado que descreve o significado de um termo.

Leia mais

Faculdades Pitágoras de Uberlândia. Lógica Matemática e Computacional

Faculdades Pitágoras de Uberlândia. Lógica Matemática e Computacional Faculdades Pitágoras de Uberlândia Sistemas de Informação Apostila de Lógica Matemática e Computacional Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2014 Sumário

Leia mais

EXERCÍCIOS DE LÓGICA MATEMÁTICA

EXERCÍCIOS DE LÓGICA MATEMÁTICA EXERCÍCIOS DE LÓGICA MATEMÁTICA 1. Determine se as formulas a seguir são bem formuladas. (a) a (b) (a b) c (c) b (c d)) (d) b c d 2. Traduza para a linguagem simbólica as seguintes proposições: 1 (e) ~(a

Leia mais

INTRODUÇÃO À LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

INTRODUÇÃO À LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com INTRODUÇÃO À LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Objetivos Entender a necessidade de se utilizar uma linguagem formal para construir algoritmos a serem interpretados

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

161 FILOSOFIA Prova escrita

161 FILOSOFIA Prova escrita 161 FILOSOFIA Prova escrita PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Duração: 120 min Ano: 2014 1ª fase - Junho 10º/11º anos Grupo I Selecione a alternativa correta: 1. Uma não ação é algo que A. Nos acontece.

Leia mais

Lógica Formal. Unidade I:

Lógica Formal. Unidade I: Lógica ormal Unidade I: 0 Lógica ormal Lógica ormal 1) Lógica Simbólica No século XII Leibniz (1646-1716) demonstrará a relação entre Lógica e Linguagem utilizando a Álgebra para ilustrar a possibilidade

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO INSS. Condições de existência:

RACIOCÍNIO LÓGICO INSS. Condições de existência: RACIOCÍNIO LÓGICO Sentenças: Na linguagem natural utilizamos vários tipos de sentenças em nossa comunicação: - Afirmativas Curitiba é a capital do Paraná. O dia está ensolarado. - Interrogativas Qual time

Leia mais

Lógica. Everson Santos Araujo everson@por.com.br

Lógica. Everson Santos Araujo everson@por.com.br Lógica Everson Santos Araujo everson@por.com.br Conceitos Coerência de raciocínio, de idéias, ou ainda a sequência coerente, regular e necessária de acontecimentos, de coisas Dicionário Aurélio 2 Conceitos

Leia mais

LÓGICA - 2. ~ q. Argumentos Regras de inferência. Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva. 1) Proposição recíproca de p q :

LÓGICA - 2. ~ q. Argumentos Regras de inferência. Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva. 1) Proposição recíproca de p q : LÓGICA - 2 Proposições: 1) Recíproca 2) Contrária 3) Contra positiva 1) Proposição recíproca de p q : q p 2) Proposição contrária de p q : ~ p 3) Proposição contra positiva de p q : ~ p ex. Determinar:

Leia mais

A Lógica Formal princípios elementares * RESUMO

A Lógica Formal princípios elementares * RESUMO A Lógica Formal princípios elementares * A LÓGICA FORMAL PRINCÍPIOS ELEMENTARES Roberto Patrus Mundim ** RESUMO Neste artigo, a lógica formal é definida como a ciência das leis do pensamento e a arte de

Leia mais

Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6)

Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6) Dedução Natural e Sistema Axiomático Pa(Capítulo 6) LÓGICA APLICADA A COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Dedução Natural 3. Sistemas axiomático Pa 4. Lista

Leia mais

LÓGICA 1_C Prof. Aurimenes

LÓGICA 1_C Prof. Aurimenes LÓGICA 1_C Prof. Aurimenes 01. Uma criança brincando em seu computador, digitou o número 861861861861...86, ela esqueceu de digitar o último dígito para completar a seqüência lógica. Sabe-se que o número

Leia mais

Como Criar seu produto digital

Como Criar seu produto digital Como Criar seu produto digital Aprenda em alguns passos Indice 5 1- Público Alvo 2- Conhecer á necessidade 5 do 5 Primeiro capítulo Público Alvo Você que está montando seu negócio online e ainda não tem

Leia mais

CURSO ONLINE RACIOCÍNIO LÓGICO AULA QUATRO: Estruturas Lógicas

CURSO ONLINE RACIOCÍNIO LÓGICO AULA QUATRO: Estruturas Lógicas Olá, amigos! CURSO ONLINE RACIOCÍNIO LÓGICO AULA QUATRO: Estruturas Lógicas Sem mais demora, daremos início hoje fazendo uma revisão sucinta da essência de nossa aula passada. oram várias as dúvidas trazidas

Leia mais

Resoluções de questões- Tropa de Elite Raciocínio Lógico Questões Pedro Evaristo

Resoluções de questões- Tropa de Elite Raciocínio Lógico Questões Pedro Evaristo Resoluções de questões- Tropa de Elite Raciocínio Lógico Questões Pedro Evaristo 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ESTRUTURA LÓGICA (CESPE) Na última corrida

Leia mais

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 1. Introdução a Sistemas de Computação Noções de Lógica Introdução à Lógica de Programação

CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 1. Introdução a Sistemas de Computação Noções de Lógica Introdução à Lógica de Programação CURSO BÁSICO DE PROGRAMAÇÃO AULA 1 Introdução a Sistemas de Computação Noções de Lógica Introdução à Lógica de Programação Componentes de um Sistema de Computação - Hardware Parte física de um sistema

Leia mais

Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com. Agora Eu Passo - AEP www.cursoagoraeupasso.com.br

Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com. Agora Eu Passo - AEP www.cursoagoraeupasso.com.br Apostila de Raciocínio Lógico POLÍCIA FEDERAL - CESPE Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com Agora Eu Passo - AEP www.cursoagoraeupasso.com.br ÍNDICE 1. LÓGICA PROPOSICIONAL 3 Proposição 3 Conectivos

Leia mais

Prova Escrita de Filosofia

Prova Escrita de Filosofia Exame Final Nacional do Ensino Secundário Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 714/Época Especial 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Assim, de acordo com as regras do campeonato temos a seguinte tabela dos dois times:

Assim, de acordo com as regras do campeonato temos a seguinte tabela dos dois times: Raciocínio Lógico- Vinicius Werneck 1. Em um campeonato de futebol, a pontuação acumulada de um time é a soma dos pontos obtidos em cada jogo disputado. Por jogo, cada time ganha três pontos por vitória,

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online. Por Tiago Bastos, Criador da Máquina de Vendas Online

3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online. Por Tiago Bastos, Criador da Máquina de Vendas Online Por Tiago Bastos 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online! Por Tiago Bastos Declaração De Ganhos Com O Uso De Nossos Produtos A empresa

Leia mais

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Por Tiago Bastos 1 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar

Leia mais

A linguagem matemática

A linguagem matemática A linguagem matemática Ricardo Bianconi 1 o Semestre de 2002 1 Introdução O objetivo deste texto é tentar explicar a linguagem matemática e o raciocínio lógico por trás dos textos matemáticos. Isto não

Leia mais

Imagens Mentais Por Alexandre Afonso

Imagens Mentais Por Alexandre Afonso 2 Imagens Mentais Por Alexandre Afonso 1ª Edição, 08/04/2016 As novas edições serão sempre disponibilizadas no link: http://alexandreafonso.com.br/e book imagens mentais 2016 alexandreafonso.com.br. Todos

Leia mais

RECEITA FEDERAL ANALISTA

RECEITA FEDERAL ANALISTA SENTENÇAS OU PROPOSIÇÕES São os elementos que expressam uma idéia, mesmo que absurda. Estudaremos apenas as proposições declarativas, que podem ser classificadas ou só como verdadeiras (V), ou só como

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES Caríssimos amigos concurseiros. Seguem breves comentários à prova de RLQ do ATA- MF. Não encontramos nenhuma questão passível de recurso. Mas, se vocês tiverem visualizado alguma coisa e quiserem debater

Leia mais

Beleza. Tá certo. Aleluia. Gloria a Deus e amem. Você está certo e vou fazer tudo o que você está falando. Domingo está chegando e lá na igreja vou

Beleza. Tá certo. Aleluia. Gloria a Deus e amem. Você está certo e vou fazer tudo o que você está falando. Domingo está chegando e lá na igreja vou Consultoria LOG Eu não sei porque cada um de vocês trabalha e está aqui hoje. Se por dinheiro? Se porque está fazendo o que gosta? Se os seus pais não te querem em casa? Até mesmo se você não tem nada

Leia mais

Treinamento Adsense O curso que ensina você a construir um negócio do zero. E faturar e Ganhar ate R$4,5MIL por Mês na Internet

Treinamento Adsense O curso que ensina você a construir um negócio do zero. E faturar e Ganhar ate R$4,5MIL por Mês na Internet Treinamento Adsense O curso que ensina você a construir um negócio do zero E faturar e Ganhar ate R$4,5MIL por Mês na Internet Olá você não me conhece, então deixa eu me apresentar: Meu nome é Rodrigo

Leia mais

Resumo CEF 2014 Técnico Bancário Disciplina: Matemática & Raciocínio Lógico Professor: Valdenilson Garcia e-mail: profvaldenilson@hotmail.

Resumo CEF 2014 Técnico Bancário Disciplina: Matemática & Raciocínio Lógico Professor: Valdenilson Garcia e-mail: profvaldenilson@hotmail. Resumo CEF 2014 Técnico Bancário Disciplina: Matemática & Raciocínio Lógico Professor: Valdenilson Garcia e-mail: profvaldenilson@hotmail.com 2013 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados

Leia mais

Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com. Agora Eu Passo - AEP www.cursoagoraeupasso.com.br

Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com. Agora Eu Passo - AEP www.cursoagoraeupasso.com.br Apostila de Raciocínio Lógico CURSO RETA FINAL DE EXERCÍCIOS PARA O INSS Prof. Weber Campos webercampos@gmail.com Agora Eu Passo - AEP www.cursoagoraeupasso.com.br ÍNDICE 1. LÓGICA PROPOSICIONAL 3 Proposição

Leia mais

Computabilidade 2012/2013. Sabine Broda Departamento de Ciência de Computadores Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

Computabilidade 2012/2013. Sabine Broda Departamento de Ciência de Computadores Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Computabilidade 2012/2013 Sabine Broda Departamento de Ciência de Computadores Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Capítulo 1 Computabilidade 1.1 A noção de computabilidade Um processo de computação

Leia mais

Um jogo de preencher casas

Um jogo de preencher casas Um jogo de preencher casas 12 de Janeiro de 2015 Resumo Objetivos principais da aula de hoje: resolver um jogo com a ajuda de problemas de divisibilidade. Descrevemos nestas notas um jogo que estudamos

Leia mais

Tópico para o exame de admissão 2016

Tópico para o exame de admissão 2016 . INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO-ISCED/Luanda DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE FILOSOFIA Tópico para o exame de admissão 2016 1. EMERGÊNCIA DE FILOSOFIA As diversas maneiras de definir

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO SEMANA 04

RACIOCÍNIO LÓGICO SEMANA 04 1) (FCC/TRT-PR) Considere a seguinte proposição: Na eleição para a prefeitura, o candidato A será eleito ou não será eleito. Do ponto de vista lógico, a afirmação da proposição caracteriza: (A) um silogismo;

Leia mais

Unidade II LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti

Unidade II LÓGICA. Profa. Adriane Paulieli Colossetti Unidade II LÓGICA Profa. Adriane Paulieli Colossetti Relações de implicação e equivalência Implicação lógica Dadas as proposições compostas p e q, diz-se que ocorre uma implicação lógica entre p e q quando

Leia mais

01. Considere as seguintes proposições:

01. Considere as seguintes proposições: 01. Considere as seguintes proposições: p: O restaurante está fechado. q: O computador está ligado. A sentença O restaurante não está fechado e o computador não está ligado assume valor lógico verdadeiro

Leia mais

John Locke (1632-1704) Colégio Anglo de Sete Lagoas - Professor: Ronaldo - (31) 2106-1750

John Locke (1632-1704) Colégio Anglo de Sete Lagoas - Professor: Ronaldo - (31) 2106-1750 John Locke (1632-1704) Biografia Estudou na Westminster School; Na Universidade de Oxford obteve o diploma de médico; Entre 1675 e 1679 esteve na França onde estudou Descartes (1596-1650); Na Holanda escreveu

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE ESCRIVÃO POLÍCIA CIVIL RACIOCÍNIO LÓGICO Prof. André Lessa. Prova aplicada em 16/03/2014 pela Vunesp. Versão 3.

COMENTÁRIO DA PROVA DE ESCRIVÃO POLÍCIA CIVIL RACIOCÍNIO LÓGICO Prof. André Lessa. Prova aplicada em 16/03/2014 pela Vunesp. Versão 3. COMENTÁRIO DA PROVA DE ESCRIVÃO POLÍCIA CIVIL RACIOCÍNIO LÓGICO Prof. André Lessa. Prova aplicada em 16/03/2014 pela Vunesp. Versão 3. Questão 71 Alternativa D Proposições são frases declarativas que só

Leia mais

ANPAD CURSO LÓGICA 1

ANPAD CURSO LÓGICA 1 01. Três amigas, Tânia, Janete e Angélica, estão sentadas lado a lado em um teatro. Tânia sempre fala a verdade, Janete às vezes fala a verdade e Angélica nunca fala a verdade. A que está sentada à esquerda

Leia mais

QUESTÕES REVISÃO DE VÉSPERA FUNAI

QUESTÕES REVISÃO DE VÉSPERA FUNAI QUESTÕES REVISÃO DE VÉSPERA FUNAI RACIOCÍNIO LÓGICO Prof. Josimar Padilha EDITAL: RACIOCÍNIO LÓGICO E QUANTITATIVO: 1. Lógica e raciocínio lógico: problemas envolvendo lógica e raciocínio lógico. 2. Proposições:

Leia mais

Faculdades Pitágoras de Uberlândia. Matemática Básica 1

Faculdades Pitágoras de Uberlândia. Matemática Básica 1 Faculdades Pitágoras de Uberlândia Sistemas de Informação Disciplina: Matemática Básica 1 Prof. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2010 Professor Walteno

Leia mais

QUESTÕES COMENTADAS DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO FCC LISTA 7

QUESTÕES COMENTADAS DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO FCC LISTA 7 QUESTÕES COMENTADAS DE RACIOCÍNIO LÓGICO-MATEMÁTICO FCC LISTA 7 1. (TRF 4ª região 2014 Analista Judiciário) Da duração total de um julgamento, 7 3 do tempo foi utilizado pelos advogados de defesa e acusação,

Leia mais

Capítulo 3 Lógica silogística

Capítulo 3 Lógica silogística 57-84 2008.02.11 22:45 Página 57 Capítulo 3 Lógica silogística Neste capítulo estudamos alguns aspectos da lógica criada por Aristóteles (384-322 a.c.), tal como foi mais tarde sistematizada. Estudamos

Leia mais

Sergio da Silva Aguiar Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - I Seemat

Sergio da Silva Aguiar Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - I Seemat Introdução à Lógica Matemática Sergio da Silva Aguiar Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - I Seemat 1 Introdução O que é a Lógica? O que signi ca estudar Lógica? Qual a sua de nição? Ao iniciar

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO ÍNDICE

RACIOCÍNIO LÓGICO ÍNDICE RACIOCÍNIO LÓGICO ÍNDICE CAPÍTULO 01 2 Proposições 2 Definições 2 Tabela-Verdade e Conectivos Lógicos 3 Equivalências Lógicas 5 Tautologias, Contradições e Contingências 6 Relação entre Todo, Algum e Nenhum

Leia mais

Lógica Proposicional (Consequência lógica / Dedução formal)

Lógica Proposicional (Consequência lógica / Dedução formal) Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Matemática Aplicada Prof. Edécio Fernando Iepsen Lógica Proposicional (Consequência lógica /

Leia mais

Gabarito da Avaliação 3 de Lógica Computacional 1

Gabarito da Avaliação 3 de Lógica Computacional 1 Questões iguais em todas as provas: Gabarito da Avaliação 3 de Lógica Computacional 1 1. (5 pts) Utilize a Regra DC para mostrar que é válido o seguinte argumento: p q r, s ~r ~t, s u p u De acordo com

Leia mais