UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PMBOK INDICADORES DE PLANEJAMENTO PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PMBOK INDICADORES DE PLANEJAMENTO PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PMBOK INDICADORES DE PLANEJAMENTO PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GILMAR CONDE CONCEIÇÃO SÃO PAULO 2004

2 UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI CURSO DE ENGENHARIA CIVIL PMBOK INDICADORES DE PLANEJAMENTO PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GILMAR CONDE CONCEIÇÃO Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Anhembi Morumbi no âmbito do Curso de Engenharia Civil com ênfase Ambiental Orientador: Prof. Dr. Antonio Carlos da Fonseca Bragança Pinheiro SÃO PAULO 2004

3 BANCA EXAMINADORA

4 DEDICATÓRIA Dedico este trabalho aos meus pais, a Regina e a Julia.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço ao total empenho do Prof. Dr. Bragança e da Profª. Jane por todas as informações e orientações para conclusão deste trabalho.

6 RESUMO A proposta de metodologia de gestão de projeto torna possível atender variáveis consideradas críticas para o desenvolvimento de gerenciamento de obras públicas como custos, riscos da produção, atrasos na entrega do produto e outros. Assim, a metodologia indica a viabilidade do emprego de conceitos consolidados no PMBOK, representados na forma de diversos relatórios, a ser empregado tanto na fase de planejamento quanto na fase de monitoramento. Essa metodologia é caracterizada pelas técnicas e ferramentas de melhorias de desempenho priorizando a entrega do produto conforme suas especificações. Também é baseada nas etapas relacionadas com as fases de iniciação, planejamento, execução, controle e encerramento, nas quais são controlados os riscos durante a construção do produto objetivando monitorar e manter o aperfeiçoamento contínuo de sua qualidade. Esse embasamento científico, cujo conteúdo trata de aspectos continuados dentro do desenvolvimento do projeto, pontos problemáticos com relação à elaboração de um planejamento claro: o cumprimento do cronograma que está ligado à quantidade técnica dos recursos e à produção. Tudo isso tem uma relação direta com os conflitos entre as partes envolvidas. Partindo desse raciocínio, o trabalho desenvolvido pelo gerente de projeto requer conhecimento do negócio para ter condições de lidar com as pressões, obstáculos e possibilidades de fracasso relacionados aos objetivos do projeto. Este trabalho apresenta uma proposta de protótipo de um sistema de controle de obras. O estudo de caso é um programa da Prefeitura do Município de São Paulo, intitulado Programa Ação Centro, que tem como objetivo recuperar a área central da cidade. O trabalho possibilita concluir que para um controle de vários projetos, é necessário metodologias de planejamento, técnicas de informatização, como softwares de acompanhamento das atividades, banco de dados, para armazenamento das informações possibilitando um gerenciamento racional e eficiente. Palavras-chave: metodologia de gestão, processo de desenvolvimento, ERP, PMBOK.

7 ABSTRACT The proposal of methodology of project administration turns possible to assist variables considered critics for the development of administration of public works as costs, risks of the production, arrears in the delivery of the product and other. Like this, the methodology indicates the viability of the employment of concepts consolidated in PMBOK, represented in the form of several reports, they be her used so much in the planning phase as in the monitoramento phase. That methodology is characterized by the techniques and tools of acting improvements prioritizing the delivery of the in accordance product your specifications. It is also based on the stages related with the initiation phases, planning, execution, control and closing, in which the risks are controlled during the construction of the product aiming at to monitor and to maintain the continuous improvement of your quality. That scientific base, whose content treats of aspects continued inside of the development of the project, reference problematic points with relationship to the elaboration of a clear planning, the execution of the planning that is linked to the technical amount of the resources and the production. All this has a direct relationship with the conflicts among the involved parts. Leaving of that reasoning, the work developed by the project manager it requests knowledge of the business to have conditions of working with the pressures, obstacles and failure possibilities related to the objectives of the project. This work presents a proposal of prototype of a system of control of works. The case study is a program of the city hall of the district of São Paulo, it Programs Ação Centro, that has as objective recovers the central area of the city. The work makes possible to end that for a control of several projects, it is necessary planning methodologies, information techniques, as softwares of accompaniment of the activities, database, for storage of the information making possible a rational and efficient administration. Word-key: administration methodology, development process, ERP, PMBOK.

8 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos METODOLOGIA DE PESQUISA JUSTIFICATIVA GESTÃO DE PROJETOS Histórico da Gestão de Projetos Estudo de Viabilidade de Projetos Conceituação de Projeto Normas para gestão de projetos de obras Processos para Projetos Ciclo de Vida do Gerenciamento do Projeto Dimensões do gerenciamento de projeto Influência da Cultura Organizacional SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO - ERP Metodologia de Desenvolvimento e Implantação do ERP A equipe do projeto Softwares Gerenciadores de Projetos ESTUDO DE CASO...47

9 7.1 EMURB Empresa Municipal de Urbanização Análise Crítica CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...58

10 LISTA DE FIGURAS Figura Interação das Informações (Valeriano, 2001)...22 Figura Ciclo de vida do Gerenciamento do Projeto (PMBOK, 2000, p.31)...24 Figura Processos Gerenciais - Áreas de Conhecimento (PMBOK, 2000)...27 Figura Exemplo de organograma de um escritório de projetos (VALERIANO, 2001)...28 Figura Telas do software MS Project (MICROSOFT, 2004)...42 Figuras Ambiente de trabalho do software Primavera (PRIMAVERA, 2004)..43 Figuras 76.3 e 6.4 Representam o ambiente de trabalho do software Ártemis Project View (ARTEMIS PROJECT, 2004)...44 Figura 86.5 Representa o ambiente de trabalho do software Open Plan Professional (OPEN PLAN PROFESSIONAL, 2004)...45

11 LISTA DE ANEXOS Anexo 1 Caderno Programa Ação Centro Anexo 2 EMURB Notícias Informativo nº 4

12 12 1 INTRODUÇÃO Segundo Cattini (apud KEELLING, 2002), nas comemorações dos 500 anos do descobrimento do Brasil, o projeto da replica da caravela que iria atracar em Porto Seguro, em 22 de abril de 2000, atrasou somente um dia em quatro anos de trabalho. No entanto, isso já foi o suficiente para, praticamente, determinar o total insucesso do empreendimento e, principalmente, de sua gestão. Porém, a inovação tecnológica da informação tem proporcionado grandes avanços às empresas em relação à gestão de projetos, com avanços extraordinários em termos de realização humana, novas expectativas, desenvolvimento de estilos de liderança e meios de alcançar objetivos anteriormente inatingíveis. A partir de 1990, houve um grande número de novos softwares e em conjunto aos aprimoramentos de métodos e conceitos para a área de administração de projetos (KEELLING, 2002). A administração pública enfrenta vários problemas relacionados a uma imensa dificuldade no trato das demandas, quando as mesmas têm que ser priorizadas na medida exata dos recursos disponíveis. O orçamento de obras públicas, desde a sua concepção até a sua execução, deveria ser a diretriz básica e uma prioridade do administrador. Entretanto, ele prioriza geralmente o atendimento às pressões da comunidade e a solução dos problemas técnicos e operacionais com os quais se depara, não se preocupando com os aspectos formais que regulamentam as execuções de despesas, nem com os limites que o planejamento orçamentário define. É claro que num país como o Brasil, a demanda será, ainda por muito tempo, muito superior aos recursos disponíveis. Mas, se a aprovação de gastos não for precedida da avaliação do reflexo dos mesmos sobre o todo do orçamento, o resultado será um desequilibro entre as receitas dos municípios e os gastos (AFONSO & GIOMI, 1992). A profissionalização do serviço público, através de capacitação do seu corpo gerencial, é uma condição necessária e fundamental para a melhoria da qualidade dos serviços prestados. O corpo de servidores tem papel importante nos processos,

13 13 haja vista que os projetos funcionam fundamentalmente com pessoas (PMBOK, 2000). Para que sejam atendidas essas expectativas, são desenvolvidos métodos e técnicas abordadas na metodologia de gerência de projeto no qual seguem os padrões do Instituto de Gerenciamento de Projetos (PMI), que proporcionam uma evolução eficiente durante todo o ciclo do projeto, que passa desde sua concepção, planejamento, controle até seu encerramento e avaliação final dos resultados. Portanto, percebe-se a importância de estudos que abordem a sistematização do trabalho nas empresas de gerenciamento de serviços públicos, com a introdução do planejamento estratégico, propiciando a otimização e a racionalização dos gastos, garantindo a correta e racional aplicação dos recursos públicos, concebendo e introduzindo um modelo de gestão, através do gerenciamento eficaz das informações nele contidas.

14 14 2 OBJETIVOS 2.1 Objetivo Geral O objetivo geral deste Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é apresentar conceitos de planejamento baseados no PMBOK, definindo as etapas do gerenciamento de projetos. 2.2 Objetivos Específicos Apresentar alguns sistemas informatizados que podem ser utilizados no gerenciamento das atividades de obras públicas, buscando apresentar ferramentas que possibilitem o acompanhamento físico e financeiro das varias fases que envolvem os projetos.

15 15 3 METODOLOGIA DE PESQUISA O plano de pesquisa adotado para elaboração deste Trabalho de Conclusão de Curso é composto de diferentes recursos, visando obter maior êxito no estudo e no material adquirido, a pesquisa foi baseada em: Softwares utilizados por construtoras e empreiteiras, em manuais e livros visando conhecer as tecnologias utilizadas na atualidade; Na legislação e normas técnicas brasileiras, que servem como apoio para o gerenciamento de projetos;

16 16 4 JUSTIFICATIVA É de grande importância a abordagem do tema gestão de projetos na administração pública, uma vez que: Sua aplicação pode levar a resultados que atendem os cumprimentos dos prazos dentro de padrões de qualidade, custo e prazos conforme o escopo estabelecido no contrato, vindo ao encontro com as expectativas com as partes envolvidas, contratante e contratado; Os administradores públicos, em muitos casos enfrentam grande dificuldade no trato das demandas, ou seja, possuem um orçamento limitado que necessitam priorizar para as áreas mais importantes, por exemplo, saneamento básico, saúde, educação, infra-estruturas e outras, haja vista que um país como o Brasil, ainda por muito tempo a demanda será superior aos recursos disponíveis; A organização e a sistematização dos processos, com a introdução de métodos de planejamento informatizados propiciam a otimização e a racionalização dos gastos, garantindo a correta e racional aplicação dos recursos públicos.

17 17 5 GESTÃO DE PROJETOS A abordagem da gerência de projetos, conforme descrita no PMBOK (2000), baseiase na aplicação de conhecimento, habilidades, técnicas e ferramentas para atingir as necessidades do cliente com relação ao produto. Esse embasamento científico, cujo conteúdo forma a metodologia de gestão de projetos, trata de aspectos continuados dentro do desenvolvimento do projeto. 5.1 Histórico da Gestão de Projetos Segundo Valeriano (2001), desde a antigüidade há relatos de grandes construções que podem ser classificados como projetos. Como grandes construções da antigüidade, cita-se as pirâmides do Egito e as dos povos maias, bem como a grande muralha da China. Já, no século XX, têm-se o Canal de Suez e o do Panamá, o túnel sob o canal da mancha e o oleoduto Trans-Alasca. Os mais antigos projetos estavam voltados para as necessidades mais básicas, como o preparo de uma campana de caçada, a instalação de uma agricultura e criação de dispositivos e sistemas de segurança ou de defesa. Esses empreendimentos, ainda que primitivos, eram concebidos com prazos para alcançar objetivos preestabelecidos e tinham algum tipo de organização e de administração. O gerenciamento de projetos evoluiu impelido pelas pressões cada vez mais fortes de eficiência nos negócios, para um estágio de larga aplicação em quase todas as formas de atuação humanas. Pode-se dizer que a evolução do gerenciamento de projeto é composta por três períodos (VALERIANO, 2001): 1) Gerenciamento Empírico - baseado muito mais como arte, como sentimento do que como técnica das grandes obras da antigüidade;

18 18 2) Gerenciamento Clássico ou Tradicional - teve início a partir da década de 1940 com os empreendimentos predominantes de engenharia, nas áreas de defesa, na aeronáutica e, mais recentemente, na espacial. Em geral, aqui os projetos são inicialmente técnicos, de grande complexidade e caracterizados pelos altos custos, pelo vulto dos problemas e pelos prazos relativamente longos; 3) Moderno Gerenciamento de Projetos (MGP) - do início da década de 1990, voltado para uma ampla gama de aplicações, esse tipo de abordagem gerencial perdeu o caráter tipicamente técnico e vem sendo usado em toda sorte de problemas empresariais. Diferente de todos os outros tipos de gerenciamento, principalmente nas ferramentas de meios eletrônicos de coleta e tratamento de dados e difusão de informações, com o crescente uso de PCs, de redes apropriadas e de softwares possantes, o gerente de projetos passa a dispor de mais tempo para estender seus cuidados em outras direções (cronogramas, os orçamentos e os recursos a fim de que sua equipe possa alcançar o objetivo do projeto). 5.2 Estudo de Viabilidade de Projetos Segundo Keelling (2002) este tipo de estudo é de fundamental importância para todo o projeto, porém em muitos casos é desconsiderado, levando a enormes prejuízos muitos indivíduos, organizações e governos. O estudo de viabilidade deverá permitir investigar a exeqüibilidade, modos de alcançar objetivos, opções de estratégia, metodologia e os prováveis resultados, riscos e conseqüências de cada curso de ação. Um estudo bem conduzido indicará uma estimativa de custos, prazos, recursos humanos, termos de referências e logística. Com os resultados desses estudos será possível analisar se o projeto será um bom investimento, servindo como uma base segura para decisões, esclarecimento de objetivos, planejamento lógico, risco mínimo e um projeto de sucesso, economicamente eficaz.

19 19 Aspectos de interesses do estudo de viabilidade (KEELLING, 2002): a) Dados já existentes de estudos similares - base de dados de projetos já executados; b) Escopo, objetivos, e premissas - servem para confirmar (ou não) a necessidade, intenção e objetivos do projeto e deve testar a proposta inicial; c) Esboço de estratégia - pode resultar em uma estratégia esboçada para o projeto, devendo responder as seguintes indagações, o quê, quando iniciar / terminar, onde, como e por quem; d) Análise financeira (fatores externos) - deve ser analisada a economia do país ou região, as tendências econômicas, os riscos detalhados; e) Análise financeira (base de projeto) - com base nos estudos preliminares devem constar ou sugerir as fontes de capital; f) Avaliação do retorno sobre o investimento e o esforço - avalia o retorno esperado do investimento e do esforço, no caso de treinamento, mudança organizacional, ajuda internacional, projeto de desenvolvimento e assistência; g) Avaliação de riscos - identificação e classificação de possíveis ameaças ou riscos para o sucesso final do projeto; h) Fontes de apoio do projeto - relação dos interessados e agências ou instalações especiais que poderiam dar suporte financeiro de aceitação ou implementação; i) Avaliação tecnológica - avaliar as tecnologias propostas para serem empregadas no projeto, que grau de utilização se encontra, em desenvolvimento, consolidada no mercado ou exploratória. Oportunidades para aquisição de know-how por meio de contrato, fusão, joint venture etc.; j) Análise política Avaliação política e quaisquer implicações sobre aspectos do projeto (incluindo escolha de pessoal, segurança pessoal / organizacional e assim por diante);

20 20 Áreas de possível apoio, conflito ou oposição; Nível de estabilidade política, economia, inflação etc.; Envolvimento do governo - participação do governo federal, estadual ou municipal no projeto, divisão dos custos (patrocínio), participação nos lucros (benefícios, incentivos etc). k) Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) - análise dos impactos ambientais do projeto e ações mitigadoras para atender requisitos desejados, acordados ou obrigatórios (séries ISO , por exemplo); l) Avaliação de impacto sociológico (quando apropriada) e identificação de interessados (stakeholders) - avaliação do impacto na estrutura social e identificação inicial de indivíduos ou grupos interessados; m) Estrutura gerencial e administração do projeto; n) Esboço da estrutura de administração proposta; o) Pessoal-chave - qualificações especiais, esboço de especificações de cargo etc.; p) Administração, apoio para pessoal vindo de outros lugares, proteção, alojamento, bem-estar e segurança; q) Recursos do projeto Reunião das necessidades importantes de recursos; Identificação das fontes de abastecimento; Tipo de contrato ideal; Detalhes de estimativas preliminares.

21 Conceituação de Projeto Segundo PMBOK (2000), o conceito de projeto é: Um projeto é empreendimento temporário com o objetivo de criar um produto ou serviço único. Temporário significa que cada projeto tem um começo e um fim bem definidos, único significa que o produto ou serviço produzido é de alguma forma diferente de todos os outros produtos ou serviços semelhantes. Para muitas organizações, projetos são o meio de responder a requisitos que não podem ser atendidos através dos limites normais de operação da organização (PMBOK, 2000, p.4). O projeto, por estar inserido dentro da empresa, sofre influência sócio-econômica e ambiental em relação à cultura da organização, refletida em seus valores, normas e opiniões, que impactam na eficácia da equipe de desenvolvimento e nas interações entre as partes interessadas. O Project Charter, segundo o PMBOK (2000), é um documento que permite obter uma visão geral do projeto, metas e objetivos, resultados práticos, estimativas de recursos e custos. Nele são apresentadas de forma detalhada, as responsabilidades preliminares do gerente de projeto, patrocinador e diretoria executiva com relação ao projeto. É importante ressaltar que esse documento sofre alterações no decorrer do projeto, conforme novos detalhes sejam revelados. A gestão do desenvolvimento do produto é designada ao gerente de projeto, que tem como pré-requisito conhecer o negócio e desenvolver o planejamento, organização, motivação, direção, controle, e lidar com obstáculos e possibilidades de fracasso. E para que tudo isso seja cumprido, as principais habilidades necessárias para o gerente de projetos segundo Vargas (2003) são: a) Habilidades internas - flexibilidade, criatividade, paciência e persistência; b) Comunicações - habilidade de escutar e habilidade de persuadir; c) Organizacional - planejamento, análise e estabelecimento de objetivos; d) Gerenciar pessoas - empatia e espírito de motivação;

22 22 e) Liderança - energia, visão, delegação, atuação otimista. 5.4 Normas para gestão de projetos de obras No Brasil não existe uma norma especifica para gestão de projetos de obras, porém existem varias normas que servem como apoio para a gestão de projetos, como por exemplo, a série de normas ABNT 9000, ABNT 14000, que normalizam respectivamente os procedimentos quanto à qualidade e ao meio ambiente. 5.5 Processos para Projetos Segundo o PMBOK (2000), os processos são baseados na metodologia de gestão de projeto, estabelece uma lógica do fluxo das interações entre informações durante o desenvolvimento do projeto, considerando as seguintes definições: a) Entrada (input) - plano do projeto ligado à alta gerência; b) Processamento - análise do problema; c) Saída (output) - onde são geradas as medidas do produto, avaliação de riscos, lista de recursos e plano do projeto; d) Realimentação - informações durante o desenvolvimento do processo A figura 5.1 apresenta graficamente esse fluxo. ENTRADA PROCESSAMENTO SAÍDA REALIMENTAÇÃO Figura Interação das Informações (Valeriano, 2001)

23 Ciclo de Vida do Gerenciamento do Projeto O conhecimento necessário para tornar o processo de gerenciamento de projeto eficiente e eficaz consiste em áreas que estão organizadas por cinco grupos conforme apresenta o PMBOK (2000): a) Iniciação - identifica e declara o ponto alvo, mantendo um esquema de trabalho viável para atingir-se as metas. O principal objetivo dessa fase é levantar a descrição do produto e adicionar informações, estabelecendo relação com as possibilidades de soluções gerenciais, formalizando a data de entrega e as fases intermediárias, citando o patrocinador e o principal responsável pelo projeto; b) Planejamento - depois de definido o limite do projeto, é desenvolvido um plano de ação para cumprir a missão de construção do produto, definindo as fases e as interdependências que cada tarefa terá durante a execução. Delimitando os riscos e estabelecendo processos relacionados ao cronograma, objetivando minimizar os problemas e a constante necessidade de revisão durante o desenvolvimento das atividades; c) Execução - baseia-se na realização das atividades definidas no plano do projeto e está relacionada à organização e estrutura do trabalho desenvolvido pela equipe. Nesse processo, o cronograma e a qualidade têm características importantes no sentido de que a realização do projeto esteja sendo desenvolvida dentro do prazo e de acordo com as especificações contratuais; d) Controle - monitora e avalia todo o processo da produção, efetuando ações corretivas conforme as necessidades do desenvolvimento do projeto. Refere-se aos aspectos relacionados a orçamento, qualidade e tempo, visando o ajuste das tarefas aos objetivos, de acordo com as variantes definidas no planejamento. Acompanha as mudanças do projeto e controla eventuais desvios de escopo, visando sempre atender às especificações do plano do projeto, estabelecendo revisões periódicas e estruturadas, ligadas aos objetivos de controle do projeto;

24 24 e) Encerramento - processo que avalia o esforço da implementação, validando os resultados conforme o contrato proposto, devendo ser formalizado com a assinatura do cliente correspondente à aceitação do projeto. O ciclo de vida do gerenciamento do projeto está alinhado aos parâmetros da fase de conceituação e definição, fase de produção e análise, fase operacional, fase de detalhamento e a fase de implantação dentro do projeto que são subdivididas em atividades. Após o término de cada atividade é feita uma revisão de desempenho, dando inicio à fase seguinte. As evoluções entre as fases são percebidas através de resultados gerados, e assim é evidenciado o critério de aplicação das técnicas e ferramentas de gestão do projeto. Durante as fases que constituem o ciclo de vida do projeto, ocorre à integração entre esses processos, conforme a Figura 5.2. Figura Ciclo de vida do Gerenciamento do Projeto (PMBOK, 2000, p.31). 5.7 Dimensões do gerenciamento de projeto Os processos de inicialização, planejamento, execução, controle e encerramento, já mencionados anteriormente interligam-se por nove áreas, que constituem o

25 25 somatório de conhecimento da gerência de projetos, conforme apresenta o PMBOK (2000), são elas: a) Gestão de Integração - assegura a união das oito áreas de gestão do escopo, custo, tempo, qualidade, recursos humanos, comunicação, risco e aquisição. Baseado no plano do projeto envolve todos os elementos de maneira que os objetivos atinjam as expectativas das partes envolvidas. Por meio dos softwares de gerência de projeto, ferramentas e técnicas, são feitos os controles dos índices de desempenho e as análises das alterações do plano do projeto. b) Gestão de Escopo - assegura o trabalho necessário para completar o projeto com sucesso. Monitorando o desenvolvimento do planejamento, detalhamento e de eventuais alterações de escopo, identificando e analisando aspectos relacionados aos riscos, custos, prazos, acompanhando o controle da qualidade das atividades, para que as mesmas sejam executadas conforme definido no plano do projeto, obedecendo ainda à seqüência lógica entre as atividades e as tarefas. Por meio dos softwares de gerência de projeto, ferramentas e técnicas, torna-se possível ao gestor de escopo analisar e tomar decisão sobre o desenvolvimento do projeto. c) Gestão de Tempo - assegura a conclusão dos trabalhos dentro de um cronograma planejado, ou seja, define processos necessários para que o projeto termine dentro do prazo previsto. A execução das atividades e as fases estão ligadas diretamente à gestão do tempo, que consiste na estimativa, acompanhamento e controle da duração e do cumprimento das atividades, utilizando-se softwares de gerência de projeto, ferramentas e técnicas de nivelamento dos recursos como, por exemplo, o Program Evaluation Review Technique (PERT), o Critical Path Method (CPM). d) Gestão de Custo - assegura o término do projeto dentro do orçamento aprovado, com as metas de custo e orçamento planejados. A gestão de custo desenvolve estimativas e controle de orçamentos, custos de recursos necessários à implementação das atividades, analisando sempre os efeitos das decisões que impactam no custo final do projeto, sendo que, por meio de softwares de gerência de

26 26 projeto, ferramentas, técnicas e planilhas computadorizadas, são observados parâmetros de estimativa dos custos. e) Gestão da Qualidade - assegura que as necessidades que originaram o desenvolvimento do projeto definidas no escopo sejam atendidas. A gestão da qualidade envolve as áreas de planejamento e controle, que garantem a qualidade por meio de ferramentas e técnicas como o benchmarking, análise e auditorias dos processos das fases do projeto. f) Gestão de Recursos Humanos - assegura uma melhor utilização das pessoas envolvidas, proporcionando o uso mais efetivo dos recursos que fazem parte da equipe do projeto. A gestão de recursos humanos desenvolve uma política de reconhecimento e recompensa da equipe. E ainda permite otimizar a utilização dos recursos envolvidos, a equipe, o cliente e todas as partes interessadas no projeto. Baseado no planejamento organizacional e através das técnicas de gerência de projeto a equipe é montada e preparada para o projeto. g) Gestão de Comunicação - assegura disseminar e armazenar as informações conforme o planejamento do projeto, ou seja, garante que todas as informações desejadas cheguem às pessoas corretas no tempo certo e de uma maneira economicamente viável. i) Gestão de Riscos - processos que identificam, analisam, mensuram e qualificam os riscos que envolvem o projeto, proporcionando respostas eficientes a esses riscos, de forma que diminuam as possibilidades de agravação e aumentem os resultados positivos dos riscos. As respostas aos riscos são controladas através dos softwares de gerência de projeto, ferramentas e técnicas que auxiliam no plano de contingência e nas tomada de decisão. h) Gestão de Subcontratações - assegura a aquisição de recursos e de serviços de terceiros necessários para o projeto. Compreende o planejamento de compras, obtenção de propostas, a seleção de fornecedores, a administração de contratos. Por meio de ferramentas e técnicas são analisados e ponderados critérios de seleção dos fornecedores.

27 27 A interação entre os processos gerenciais e as áreas de conhecimento, é demonstrada através da Figura Influência da Cultura Organizacional Segundo Dinsmore (2003), o Project Management Office (PMO) ou Escritório de Projetos (núcleo de planejamento) é responsável pela preparação das propostas que definem, sob demandas específicas, padrões corporativos para cada projeto, dando suporte simultâneo por meio de ferramentas e serviços de planejamento, controle e custo. Contudo, o conceito de escritório de projeto não é novo. Na década de sessenta, eram utilizados por grandes empresas para construção de projetos complexos, e no final da década de setenta e início da década de oitenta, o escritório de projeto mudou, assumindo a função de suporte aos projetos. Na década de noventa, com o crescimento rápido da tecnologia o escritório de projeto passou a atuar em multi-projetos, trabalhando com ferramentas de gestão melhoradas que facilitam o acompanhamento de controle e suporte, para o gerenciamento global ligado às estratégias organizacionais. 8 - Recursos Humanos 1 - Escopo 2 - Tempo Iniciação Planejamento 5- Riscos Integração 6 - Informações Controle Execução Fechamento 4 - Qualidade 7 - Subcontratações 3 - Custos Figura Processos Gerenciais - Áreas de Conhecimento (PMBOK, 2000) Para implantar o escritório de projeto é necessária a participação do alto escalão da empresa, a Figura 5.4 exemplifica um modelo de organograma de um escritório de

28 28 projetos dentro da empresa, ressaltando que existem outras formas de implementação. Os projetos inseridos dentro de organizações, corporações, instituições governamentais ou não, estarão sendo influenciados pelas organizações que os estabeleceram. Os sistemas organizacionais que constituem as estruturas da organização exercem influência sobre o projeto com relação a cultura própria, refletida em seus valores, normas, opiniões e expectativas compartilhadas, além de estar materializada em suas políticas organizacionais e procedimentos (DINSMORE, 2003). PMO DIRETORIA Gerente Suprimentos Gerente RH Gerente Rede Gerente Desenvolvimento Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Equipe Figura Exemplo de organograma de um escritório de projetos (VALERIANO, 2001) Os agentes envolvidos no projeto são geralmente indivíduos ou organizações, que estabelecem as necessidades de influência e as expectativas de controle, de forma que seu sucesso seja assegurado. O processo de gestão do projeto inclui agentes chaves como: a) Gerente de projeto - indivíduo responsável pelo controle do projeto; b) Cliente - pessoa ou organização que fará uso do produto; c) Organização - empresa onde os empregados e colaboradores em geral são envolvidos na execução do projeto; d) Patrocinador - pessoa ou organização envolvidas no projeto cujos interesses afetam o desenvolvimento do projeto.

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1.

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1.1 2 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 3 1 Leitura

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12)

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) As siglas MRP, MRP II e ERP são bastante difundidas e significam: MRP Materials Requirements Planning Planejamento das Necessidades de Materiais; MRP II Resource

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam tratar da identificação bem como do estabelecimento de uma estrutura organizacional apropriada ao

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes Gerência de Projetos e Fabiana Costa Guedes 1 Agenda O que é um Projeto O que é Gerenciamento de Projetos O Contexto da Gerência de Projetos PMI Project Management Institute Ciclo de Vida do Projeto Áreas

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 Semana de Tecnologia Gerenciamento de Projetos Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 ferreiradasilva.celio@gmail.com O que é um Projeto? Projeto é um "esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico

Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico SEGeT Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 1 Estratégia de Manutenção em Oficinas utilizando Caminho Critico RESUMO Entre as estratégias gerenciais em empresas de médio e grande porte existe o

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis Vamos nos conhecer e definir as diretrizes de nosso curso??? www.eadistancia.com.br

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades

Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Aula 2 Governança do projeto Papéis e Responsabilidades Objetivos da Aula: Nesta aula, iremos conhecer os diversos papéis e responsabilidades das pessoas ou grupos de pessoas envolvidas na realização de

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com PMBoK Organização do Projeto Os projetos e o gerenciamento

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Alinhamento das expectativas; O por que diagnosticar; Fases do diagnóstico; Critérios de seleção para um ERP; O papel da

Leia mais

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos

Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Implementação utilizando as melhores práticas em Gestão de Projetos Objetivo dessa aula é mostrar a importância em utilizar uma metodologia de implantação de sistemas baseada nas melhores práticas de mercado

Leia mais

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI

Nome da Empresa Sistema digitalizado no almoxarifado do EMI Nome da Empresa Documento Visão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 23/02/2015 1.0 Início do projeto Anderson, Eduardo, Jessica, Sabrina, Samuel 25/02/2015 1.1 Correções Anderson e Eduardo

Leia mais

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI Prof. Fernando Rodrigues Quando se trabalha com projetos, é necessária a utilização de técnicas e ferramentas que nos auxiliem a estudálos, entendê-los e controlá-los.

Leia mais

Jonas de Souza H2W SYSTEMS

Jonas de Souza H2W SYSTEMS Jonas de Souza H2W SYSTEMS 1 Tecnólogo em Informática Fatec Jundiaí MBA em Gerenciamento de Projetos FGV Project Management Professional PMI Mestrando em Tecnologia UNICAMP Metodologia de apoio à aquisição

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP Versão 2.0.0 Janeiro 2014 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 3ª Edição (a publicar)

Leia mais

Apresentação do Professor. Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini 20/11/2013

Apresentação do Professor. Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini 20/11/2013 Apresentação do Professor Ferramentas de Software para Gestão de Projetos Prof. Esp. André Luís Belini Formação Acadêmica: Bacharel em Sistemas de Informação Pós graduado em Didática e Metodologia para

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle

A FUNÇÃO CONTROLE. Orientação do controle A FUNÇÃO CONTROLE O controle é a ultima função da administração a ser analisadas e diz respeito aos esforços exercidos para gerar e usar informações relativas a execução das atividades nas organizações

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10

CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 CobiT 4.1 Plan and Organize Manage Projects PO10 Planejar e Organizar Gerenciar Projetos Pedro Rocha http://rochapedro.wordpress.com RESUMO Este documento trás a tradução do objetivo de controle PO10 (Gerenciamento

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS O que é um Projeto? Regra Início e fim definidos Destinado a atingir um produto ou serviço único Escopo definido Características Sequência clara e lógica de eventos Elaboração

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas ECONOMISTA - RIVAS ARGOLO 2426/D 62 9905-6112 RIVAS_ARGOLO@YAHOO.COM.BR Objetivo deste mini curso : Mostrar os benefícios do gerenciamento de projetos

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Para as corporações, as mudanças são absorvidas pelas equipes internas, envolvendo tecnologia, contabilidade, logística

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Gerenciamento do escopo

Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Escopo pode ser definido como a soma dos produtos de um projeto, bem como a descrição de seus requisitos. O momento de definir o escopo é a hora em que o

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Gerenciamento dos Custos

Gerenciamento dos Custos Gerenciamento dos Custos Baseado no PMBOK Guide 2000 Hermano Perrelli hermano@cin.ufpe.br Objetivos desta aula Apresentar os processos, ferramentas e técnicas utilizadas para gerenciar os custos de um

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11

GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 GESTÃO DAS INFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 11 Índice 1. Importância do ERP para as organizações...3 2. ERP como fonte de vantagem competitiva...4 3. Desenvolvimento e implantação de sistema de informação...5

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. II - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. II - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS DECLARAÇÃO DE ESCOPO SCOPE STATEMENT Preparado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto Versão 3 Aprovado por Ricardo Viana Vargas Patrocinador 01/11/2010 I - Patrocinador Ricardo

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

GUIA DE CURSO. Tecnologia em Sistemas de Informação. Tecnologia em Desenvolvimento Web. Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PIM PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO COM O MERCADO GUIA DE CURSO Tecnologia em Sistemas de Informação Tecnologia em Desenvolvimento Web Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Tecnologia em Sistemas

Leia mais

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM União Metropolitana de Educação e Cultura Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM Lauro de Freitas - BAHIA 2013 2 JUSTIFICATIVA A principal justificativa para o desenvolvimento e implementação

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Gerência de Projetos

Gerência de Projetos Gerência de Projetos Escopo Custo Qualidade Tempo CONCEITO PROJETOS: são empreendimentos com objetivo específico e ciclo de vida definido Precedem produtos, serviços e processos. São utilizados as funções

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS

Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gerenciamento de Projeto /Turma 140 Data: Agosto/2014 GERENCIAMENTO DE PROJETOS AMBIENTAIS Eduardo Christófaro de Andrade Eng. Agrônomo Juliana Maria Mota

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com Conceito Com base nas definições podemos concluir que: Governança de de TI TI busca o compartilhamento de de decisões de de TI TI com os os demais dirigentes

Leia mais

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Revisões ISO ISO Revisions Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Processos vs procedimentos: o que isto significa? O conceito da gestão de processo

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Evolução dos SI s CRM OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO OPERACIONAL TÁTICO ESTRATÉGICO SIT SIG SAE SAD ES EIS

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO

Pesquisa realizada com os participantes do 16º Seminário Nacional de Gestão de Projetos APRESENTAÇÃO Pesquisa realizada com os participantes do de APRESENTAÇÃO O perfil do profissional de projetos Pesquisa realizada durante o 16 Seminário Nacional de, ocorrido em Belo Horizonte em Junho de, apresenta

Leia mais

Gestão da Qualidade em Projetos

Gestão da Qualidade em Projetos Gestão da Qualidade em Projetos Você vai aprender: Introdução ao Gerenciamento de Projetos; Gerenciamento da Integração; Gerenciamento de Escopo- Declaração de Escopo e EAP; Gerenciamento de Tempo; Gerenciamento

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais