VIII JORNADA DE SEGURANÇA EMPRESARIAL DO SISTEMA PETROBRAS 2009 PETROBRAS/GAPRE/SE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIII JORNADA DE SEGURANÇA EMPRESARIAL DO SISTEMA PETROBRAS 2009 PETROBRAS/GAPRE/SE"

Transcrição

1 VIII JORNADA DE SEGURANÇA EMPRESARIAL DO SISTEMA PETROBRAS 2009 PETROBRAS/GAPRE/SE VISÃO ESTRATÉGICA PARA PROTEÇÃO EMPRESARIAL DOS ATIVOS CRÍTICOS DO PRÉ-SAL Mauro Yuji Hayashi PETROBRAS/E&P-PRESAL/PLAN 09 de setembro de 2009

2 Introdução Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos SE: Ativos Tangíveis (Instalações) Cadeia de Valor do E&P SI: Ativos Intangíveis (Informações) Riscos e Ameaças (SE e SI) Conclusão

3 Introdução Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos SE: Ativos Tangíveis (Instalações) Cadeia de Valor do E&P SI: Ativos Intangíveis (Informações) Riscos e Ameaças (SE e SI) Conclusão

4 COSTA SUDESTE DO BRASIL

5 PROVÍNCIA DO PRÉ-SAL

6 POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS Blocos BMS-8 BMS-9 BMS-10 BMS-11 BMS-21 BMS-22 BMS-24 Consórcios BR (66%), SH (20%) e PTG (14%) BR (45%), BG (30%) e RPS (25%) BR (65%), BG (25%) e PAX (10%) BR (65%), BG (25%) e PTG (10%) BR (80%), PTG (20%) EXX (40%), HES (40%) e BR (20%) BR (80%), PTG (20%) Distância da Costa = 300 km Área Total = km 2

7 POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS vs BACIA DE CAMPOS

8 HISTÓRICO DO PRÉ-SAL BIDs 2 E 3: AQUISIÇÃO DOS BLOCOS DO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS

9 HISTÓRICO DO PRÉ-SAL RESULTADOS EXPLORATÓRIOS: CARIOCA, TUPI (5 A 8 BI BOE) E IARA (3 A 4 BI BOE) 1-RJS-628 (Tupi) 1-SPS-050 (Carioca) 3-RJS-646 (Tupi Sul)

10 HISTÓRICO DO PRÉ-SAL PRIMEIRO ÓLEO NO POLO PRÉ-SAL: TLD DE TUPI EM 1º DE MAIO

11 DECLARAÇÃO DE COMERCIALIDADE Bem-Te Te-Vi (09/08/2010) Tupi (31/12/2010) Carioca (11/11/2011) Parati (30/05/2011) Guará (31/12/2012) Caramba (31/12/2012) Júpiter (28/02/2016) Iara (31/12/2013)

12 Introdução Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos SE: Ativos Tangíveis (Instalações) Cadeia de Valor do E&P SI: Ativos Intangíveis (Informações) Riscos e Ameaças (SE e SI) Conclusão

13 ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO CENÁRIO DO PRÉ-SAL Vários blocos adquiridos no mesmo período Parcerias Operacionais Características Geológicas Similares Áreas de alto risco e alto potencial Desafios: Lâmina d água, distância da costa, camada de sal Massivos esforços exploratórios conduziram a grandes descobertas Grandes desafios Tecnológicos Necessidade de Alto Investimento Impacto em várias áreas da Petrobras PLANSAL Oportunidade PLANO DIRETOR de Desenvolvimento DE DESENVOLVIMENTO Integrado DO POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS

14 COMPOSIÇÃO DO COMITÊ DE INTEGRAÇÃO DO POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS PRESIDÊNCIA ABASTECIMENTO E&P GÁS S & ENERGIA Comitê de Integração do Pré-Sal SERVIÇOS FINANÇAS AS

15 ESTRUTURA DO PLANO DIRETOR: SUBPROGRAMAS E PLANOS Planejamento, Acompanhamento e Gestão Subprograma Avaliação Exploratória Subprograma Desenvolv. da Produção Plano de Licenciamento Ambiental Plano de Gestão das Parcerias Operacionais Plano de Unitização Subprograma de Infra- Estrutura de Produção Logística Plano de Disponibilização de Recursos Críticos Subprograma de Transferência, Transporte e Utilização de Petróleo Transporte e Utilização de Petróleo Subprograma de Transferência, Transformação, Transporte e Comercialização de Gás Transporte e Comercialização de Gás Escoamento Escoamento de Óleo E&P Escoamento de Gás E&P B&S Sondagem, Logística, Poço e Submarino B&S Dutos de escoamento, UEPs e Inst. Terrestres Plano de Desenvolvimento Tecnológico CO 2 Conceitos de UEP e Dutos Aproveitamento/ armazenamento de gás Drenagem de Reservatórios Plano de Disponibilização das Competências Necessárias ao Plansal

16 FASE 0 Aquisição de Informações Sísmica de alta resolução, Testemunhagem de reservatório, Teste de Poços, Poços de Avaliação Produção em Pequena Escala (TLDs) TLD de Tupi TRADIÇÃO PETROBRAS: DESENVOLVIMENTO EM FASES Piloto de Tupi

17 FASE 0 - PROJETOS Poços de Avaliação Vários poços para avaliar os blocos Teste de Longa Duração Tupi ( ) Outros TLDs: Para entender melhor a área dos reservatórios Piloto de Tupi bopd e 5 M m³/d gas Separação e Reinjeção de CO 2 Poços: 3 Injetores e 5 Produtores

18 O DESENVOLVIMENTO DO POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS ATÉ 2027 Desenvolvimento da Produção: TLDs Fase 1A: 3 pilotos + 8 unidades Fase 1B: demais módulos Escoamento de Óleo: Modal dutoviário Modal Navio Escoamento de Gás: Modal dutoviário Modal GNLE Exploração: Poços de delimitação Infra-Estrutura: Portos Aeroportos Centrais de fluidos Aneis de fibra ótica Hub Logístico (em análise)

19 SOLUÇÕES EM ESTUDO PARA ESCOAMENTO DE GÁS JAPERI / ITAGUAÍ JACONÉ km GAS Modal dutoviário: Solução Caraguatatuba: Piloto de Tupi e atualmente em estudo o atendimento a outros projetos Outras rotas dutoviárias: em estudo; Solução GNLE: em análise. Piloto de Tupi GNLE GNL

20 O DESENVOLVIMENTO DO POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS ATÉ 2027 Desenvolvimento da Produção: TLDs Fase 1A: 3 pilotos + 8 unidades Fase 1B: demais módulos Escoamento de Óleo: Modal dutoviário (oleodutos + PMO) Modal Navio Escoamento de Gás: Malha dutoviária GNLE Exploração: Poços de delimitação Infra-Estrutura: Portos Aeroportos Centrais de fluidos Aneis de fibra ótica Hub Logístico (em análise)

21 SOLUÇÕES EM ESTUDO PARA ESCOAMENTO DE ÓLEO ORBIG Exportação ou cabotagem Escoamento de Óleo para TO PMO I Escoamento da parcela dos parceiros do Piloto de Tupi para PRA-1 até 2012; Estratégia de escoamento balanceia modais dutoviários (PMO + Oleodutos) e modal navio com utilização de Tos. Posicionamento ainda não definido

22 O DESENVOLVIMENTO DO POLO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS ATÉ 2027 Desenvolvimento da Produção: TLDs Fase 1A: 3 pilotos + 8 unidades Fase 1B: demais módulos Escoamento de Óleo: Modal dutoviário (oleodutos + PMO) Modal Navio Escoamento de Gás: Malha dutoviária GNLE Exploração: Poços de delimitação Infra-Estrutura: Portos Aeroportos Centrais de fluidos Aneis de fibra ótica Hub Logístico (em análise)

23 SOLUÇÕES EM ESTUDO PARA INFRAESTRUTURA LOGÍSTICA E TIC JACONÉ BERTIOGA SÃO SEBASTIÃO HUB Diesel HUB Fluido e Salmoura HUB Fluido e Salmoura HUB Diesel HUB Fluido e Salmoura Utilização de Hubs de Diesel e Hubs de Fluido e Salmoura; Utilização de Portos e Aeroportos existentes para atendimento ao Pré-Sal; Novos portos e aeroportos em estudo; Instalação da Infraestrutura de Telecomunicações necessária (fibra ótica e comunicação via satélite). Infraestrutura de TIC em estudo Infraestrutura já instalada Posicionamento ainda não definido

24 10 NOVOS FPSOs FASE 1a - PROJETOS 2 Primeiros FPSOs: A serem afretados ( ) Produção de Óleo: 120,000 bpd Compressão de Gás: 5 M m³/d 8 FPSOs Adicionais: ( ) Construção dos cascos no Estaleiro Rio Grande Planta de Processamento em estudo: Produção de Óleo: 150,000 bpd Compressão de Gás: 5.5 M m³/d Capacidade de Injeção WAG (Water-Alternating-Gas)

25 Introdução Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos SE: Ativos Tangíveis (Instalações) Cadeia de Valor do E&P SI: Ativos Intangíveis (Informações) Riscos e Ameaças (SE e SI) Conclusão

26 Exploração Desenvolvimento Produção GEOFÍSICA/SÍSMICA: - Levantamentos Sísmicos - Registros/Dados Sísmicos - Processamentos Sísmicos - Seções Sísmicas - Mapas Sísmicos - Interpretações, etc. GEOLOGIA/POÇOS: - Informações/Relatórios/Registros Geológicos da Área em Exploração - Informações Geoquímicas e dos Sistemas Petrolíferos da Área - Mapas/Seções Geológicas - Informações/Perfilagens/Testes de Formação de Poços - Amostras de Rochas e Fluídos - Mídias/Registros Eletrônicas com Informações Estratégicas para o Negócio da Companhia - Informações sobre Reservas, etc. GEOLOGIA E ENGENHARIA DE RESERVATÓRIOS: - Interpretações Sísmicas e de Perfis dos Sistemas Petrolíferos dos Campos - Estudos de Correlação Rocha- Perfil - Mapas/Informações sobre Reservas - Informações sobre Produção de Poços - Estratégias de Desenvolvimento dos Campos - Estudos de Engenharia de Reservatórios - Informações de Simulações de Reservatórios - Mídias/Registros de Estudos Científicos de Pesquisas sobre os Campos, etc. ENGENHARIA DE PRODUÇÃO: - Informações sobre Sistemas/Operação de Instalações de Superfície e Subsuperfície - Dados/Registros de Produção de Poços, UEPs, Campos, Reservatórios, etc. - Informações sobre Integridade Estrutural dos Equipamentos de Produção nas UEPs - Informações sobre os Sistemas de Medição de Petróleo das UEPs - Informações/Registros sobre Vazão, RGO, Queimas nas UEPs - Informações sobre SMS nas UEPs - Controle de acesso a instalações estratégicas por visitantes e prestadores de serviços nas UEPs, etc.

27 Introdução Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos SE: Ativos Tangíveis (Instalações) Cadeia de Valor do E&P SI: Ativos Intangíveis (Informações) Riscos e Ameaças (SE e SI) Conclusão

28 ATIVOS EM RISCO Pessoas Informações Instalações Materiais

29 PESSOAS Perda de conhecimento para a concorrência (Informações) Áreas remotas (grande distância da costa), isoladas e perto do limite do mar territorial (UEPs e Sondas)

30 INFORMAÇÕES Risco comercial e concorrencial Perda de vantagem competitiva Aumento de competição por áreas promissoras análogas às da Petrobras Informações sobre fragilidades dos processos/ativos da Petrobras Riscos para a imagem/valor da Companhia

31 INSTALAÇÕES E MATERIAIS Áreas remotas (grande distância da costa), isoladas e perto do limite do mar territorial (UEPs e Sondas) Rede integrada: Interdependência entre as instalações (Risco para a produção)

32 Introdução Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos SE: Ativos Tangíveis (Instalações) Cadeia de Valor do E&P SI: Ativos Intangíveis (Informações) Riscos e Ameaças (SE e SI) Conclusão

33 TLD DE TUPI m WD 3-RJS-646 ESTAMOS APENAS NO INÍCIO! OBRIGADO!

Mauro Yuji Hayashi E&P-PRESAL/PLAN PRESAL/PLAN

Mauro Yuji Hayashi E&P-PRESAL/PLAN PRESAL/PLAN Mauro Yuji Hayashi E&P-PRESAL/PLAN PRESAL/PLAN 24 de Setembro de 2008 Agenda O Pré-Sal no Brasil Plano Diretor de Desenvolvimento do Pólo Pré-sal 2 Agenda O Pré-Sal no Brasil Plano Diretor de Desenvolvimento

Leia mais

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS 1 Pré-sal História geológica 164 130 122 108 152 Milhões Milhões Milhões Forma atual de de anos

Leia mais

Presente, Futuro e Desenvolvimento dos Projetos da Bacia de Santos

Presente, Futuro e Desenvolvimento dos Projetos da Bacia de Santos Santos, novembro de 2015. Presente, Futuro e Desenvolvimento dos Projetos da Bacia de Santos José Marcelo Luvizotto UO-BS/ENGP BACIAS SEDIMENTARES BRASILEIRAS Unidades Operacionais de E&P Tacutu Foz do

Leia mais

OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS

OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS Confidencial 1 OS DESAFIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO PRÉ-SAL DA BACIA DE SANTOS Santos, 22 de agosto de 2011 AVISO Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem

Leia mais

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 PLATEC - CONCEITUAL Plataformas Tecnológicas É uma base de conhecimentos

Leia mais

O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades

O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades O Marco Regulatório do Pré-Sal e a Cadeia Produtiva da Industria: Desafios e Oportunidades Construção de uma Política Industrial Setorial Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral ONIP Brasilia, 3 de outubro

Leia mais

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Coordenadoria de Conteúdo Local Marintec South America / 12ª Navalshore, 12/08/15 A Política de Conteúdo Local Definição: Política

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010 PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS José Luiz Marcusso E&P / UN-BS São Paulo, 11 de maio de 2010 1 1 AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais

Leia mais

Os desafios da ANP: Pré-Sal e Biocombustíveis

Os desafios da ANP: Pré-Sal e Biocombustíveis Os desafios da ANP: Pré-Sal e Biocombustíveis Comissão de Serviços de Infra-Estrutura Desafios para um país emergente Luis Eduardo Duque Dutra Chefe de Gabinete da Diretoria Geral Professor Adjunto EQ/UFRJ

Leia mais

Programa Temático 2053 Petróleo e Gás

Programa Temático 2053 Petróleo e Gás Programa Temático 2053 Petróleo e Gás Objetivo 0057 Implantar sistemas coordenados de exploração, produção e processamento de petróleo e gás natural, em terra e mar, com conteúdo local, bem como de transporte

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil

Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil Comissão de Minas e Energia Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Câmara dos Deputados João Carlos de Luca Presidente

Leia mais

RIMA - Projetos Integrados de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural no Polo Pré-Sal, Bacia de Santos

RIMA - Projetos Integrados de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural no Polo Pré-Sal, Bacia de Santos RIMA - Projetos Integrados de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural no Polo Pré-Sal, Bacia de Santos Revisão 02 Março/2011 E&P Projetos Integrados de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás

Leia mais

Exigências de Conteúdo Local no Setor de Petróleo e Gás

Exigências de Conteúdo Local no Setor de Petróleo e Gás Exigências de Conteúdo Local no Setor de Petróleo e Gás São Paulo, 12/04/2013 Estrutura da Política de CL MME/CNPE Estratégias e Política de Conteúdo Local ANP Regulamentação Monitoramento Fiscalização

Leia mais

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas.

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas. 48380.001019/2015-00 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural NOTA TÉCNICA

Leia mais

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 A Petrobras comunica que seu Conselho de Administração aprovou o Plano Estratégico Petrobras 2030 (PE 2030) e o Plano de Negócios

Leia mais

Situação dos Projetos em Implantação na Bacia de Santos

Situação dos Projetos em Implantação na Bacia de Santos UN-BS Situação dos Projetos em Implantação na Bacia de Santos Rio de Janeiro, 07 de dezembro de 2009 José Luiz Marcusso Início das Atividades em 05/01/2006 Av. Conselheiro Nébias,, 159-4 o andar Santos/SP

Leia mais

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Pós-Graduação Stricto Sensu Pós-Graduação Lato Sensu Extensão Graduação Diagnósticos Tecnológicos Soluções de Problemas Empresariais

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2º Trimestre

Apresentação dos Resultados do 2º Trimestre Apresentação dos Resultados do 2º Trimestre 11 de Agosto de 2011 1 Agenda Tópicos Palestrante Visão Geral Destaques do 2T11 Jose Augusto Fernandes (CEO) Atualização da perfuração Resultados Financeiros

Leia mais

Pré-Sal e Oportunidades para o Litoral Paulista

Pré-Sal e Oportunidades para o Litoral Paulista Pré-Sal e Oportunidades para o Litoral Paulista José Luiz Marcusso Gerente Geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos São Paulo, 25 de outubro de 2011 Descobertas de óleo

Leia mais

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO Objetivo Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior. 1 Desafios Históricos:

Leia mais

RESOLUÇÃO ANP Nº 39, DE 13.11.2007

RESOLUÇÃO ANP Nº 39, DE 13.11.2007 AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS RESOLUÇÃO ANP Nº 39, DE 13.11.2007 O DIRETOR-GERAL da AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GAS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS ANP, no uso de suas atribuições

Leia mais

Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras

Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras Sumário A Petrobras Os Desafios O Alinhamento Estratégico - Gestão por Competências - A Concepção da Universidade

Leia mais

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação André Tosi Furtado Departamento de Política Científica e Tecnológica Instituto de Geociências UNICAMP VIII Congresso Brasileiro de Planejamento Energético

Leia mais

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Seminário BNDES: Desenvolvimento da cadeia de fornecedores de petróleo e gás Guilherme Estrella Diretor de E&P Rio Rio de de Janeiro, 1º 1º de de setembro

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 Rio de Janeiro, 15 de março de 2013 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho

Leia mais

Atividade de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos - Etapa 2

Atividade de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos - Etapa 2 Atividade de Produção e Escoamento de Petróleo e Gás Natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos - N 190/2014 VOLUME 01 Junho/2014 Atividade de Produção e Escoamento de Petróleo e Controle de Revisões

Leia mais

8ª Feira da Metalmecânica, Energia e Automação MEC SHOW 2015. Operações da Petrobras no ES: Oportunidades para o Mercado Local

8ª Feira da Metalmecânica, Energia e Automação MEC SHOW 2015. Operações da Petrobras no ES: Oportunidades para o Mercado Local 8ª Feira da Metalmecânica, Energia e Automação MEC SHOW 2015 Operações da Petrobras no ES: Oportunidades para o Mercado Local José Luiz Marcusso Vitória, 28 de Julho de 2015 PRINCIPAIS PROJETOS DE PRODUÇÃO

Leia mais

Desafios na. Operação em Águas. Profundas no Brasil. Click to edit Master text styles. Second level Third level

Desafios na. Operação em Águas. Profundas no Brasil. Click to edit Master text styles. Second level Third level 29 de agosto de 2012 Desafios na Click to edit Master text styles Operação em Águas Second level Third level Profundas no Brasil Fourth level» Fifth level Jacques Braile Saliés, Ph.D. Agenda Motivação

Leia mais

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público nº 345 novembro 2014 Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público Odebrecht 70 anos: histórico e perspectivas em Óleo e Gás Foz Saneatins passa a se chamar Odebrecht Ambiental Saneatins

Leia mais

Inovação Aberta na Petrobras

Inovação Aberta na Petrobras Inovação Aberta na Petrobras Open Innovation Seminar São Paulo, 12 de Novembro de 2012 Maria Cristina Espinheira Saba Gerente de Estratégia Tecnológica Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (CENPES) Motivadores

Leia mais

Gás Natural em Terra Rodada de Licitações 2013

Gás Natural em Terra Rodada de Licitações 2013 Gás Natural em Terra Rodada de Licitações 2013 XI Seminário Internacional Britcham de Energia Não Convencionais Olavo Colela Júnior Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) 10

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO A QGEP Participações iniciou o ano de 2011 com uma sólida posição financeira. Concluímos com sucesso a nossa oferta pública inicial de ações em fevereiro, com uma captação líquida

Leia mais

Novo Marco Regulatório. Pré-sal e áreas estratégicas

Novo Marco Regulatório. Pré-sal e áreas estratégicas Novo Marco Regulatório Pré-sal e áreas estratégicas 1 IMPORTÂNCIA DO PRÉ-SAL PARA O BRASIL E BRASILEIROS 2 O QUE É O PRÉ-SAL Grandes reservatórios de petróleo e gás natural Situados entre 5.000 e 7.000

Leia mais

Índice. Pablo L. Gay Ger. Julho de 2010

Índice. Pablo L. Gay Ger. Julho de 2010 Regime de Partilha de Produção Algumas questões práticas Pablo L. Gay Ger Julho de 2010 1 1. Arcabouço Legal Lei 9.478, Lei 12.351, Lei 12.304 e Lei 12.276 2. Regime de Partilha de Produção Estrutura Contratual

Leia mais

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 Nota à Imprensa 11 de maio de 2009 Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 O preço médio do barril do petróleo tipo Brent caiu 55%, passando de US$ 97 no 1º trimestre de 2008

Leia mais

Confidencial. 23/Ago/2011 1

Confidencial. 23/Ago/2011 1 Confidencial 23/Ago/2011 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia sobre condições futuras

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Aprimoramento da sistemática de Conteúdo Local.

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Aprimoramento da sistemática de Conteúdo Local. 483.000879/2015-00 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural NOTA TÉCNICA N

Leia mais

ÍNDICE HISTÓRICO BAHIA EM NÚMEROS INCENTIVOS MERCADO INFRA-ESTRUTURA NOVOS PROJETOS. Seminário Jurídico-Fiscal Brasil Round 6

ÍNDICE HISTÓRICO BAHIA EM NÚMEROS INCENTIVOS MERCADO INFRA-ESTRUTURA NOVOS PROJETOS. Seminário Jurídico-Fiscal Brasil Round 6 Seminário Jurídico-Fiscal Brasil Round 6 INFRA- ESTRUTURA PARA E&P NO ESTADO DA BAHIA Rio de Janeiro, 18 de março de 2004 ÍNDICE 1 HISTÓRICO 2 BAHIA EM NÚMEROS 3 INCENTIVOS 4 MERCADO 5 INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

Perspectivas da Oferta de Gás Natural no Brasil. Hugo Repsold Junior Gerente Executivo Corporativo Petrobras - Gás & Energia outubro/2012

Perspectivas da Oferta de Gás Natural no Brasil. Hugo Repsold Junior Gerente Executivo Corporativo Petrobras - Gás & Energia outubro/2012 Perspectivas da Oferta de Gás Natural no Brasil Hugo Repsold Junior Gerente Executivo Corporativo Petrobras - Gás & Energia outubro/2012 Essa apresentação pode conter previsões acerca de eventos futuros.

Leia mais

El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años. Ulysses Nunes, Mangels - Brasil

El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años. Ulysses Nunes, Mangels - Brasil El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años Ulysses Nunes, Mangels - Brasil Mercado Galvanização Mercado Galvanização Mercado Galvanização Mercado Galvanização Desenvolvimento

Leia mais

DESENVOLVIMENTO. São Luís, 25 de Novembro de 2011 TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PARA O SETOR DE P&G

DESENVOLVIMENTO. São Luís, 25 de Novembro de 2011 TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PARA O SETOR DE P&G DESENVOLVIMENTO São Luís, 25 de Novembro de 2011 TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PARA O SETOR DE P&G CONVÊNIO PETROBRAS - SEBRAE OBJETIVO GERAL Promover a inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas

Leia mais

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo;

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo; Fleury Pissaia * Entre 2011 e 2015, investimento previsto no setor industrial é de R$ 600 bilhões. Desse montante, indústria do petróleo representa 62%. No mesmo período, R$ 750 bilhões serão alocados

Leia mais

OSX Apresentação Institucional. Agosto, 2011

OSX Apresentação Institucional. Agosto, 2011 OSX Apresentação Institucional Agosto, 20 Estrutura da OSX Estrutura Organizacional 78,9%* Free Float 2,% Holding Provedor de equipamentos e serviços integrados para exploração e produção de petróleo e

Leia mais

26 de Novembro de 2013. Reunião APIMEC QGEP

26 de Novembro de 2013. Reunião APIMEC QGEP 26 de Novembro de 2013 Reunião APIMEC QGEP Agenda Visão Geral da QGEP Portfólio Balanceado Principal Ativo em Produção Posição Financeira Privilegiada Estratégia de Crescimento VISÃO GERAL DO GRUPO QUEIROZ

Leia mais

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina Apresentação da Rede Temática GeDIg, Março de 2008 Sumário

Leia mais

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO QUADRO 1 Atividades a não serem realizadas por restrição

Leia mais

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Sumário A Empresa - Petrobras A Exploração e Produção de Óleo e Gás Gestão Ambiental

Leia mais

O Pré-Sal Brasileiro: Relevância para o Brasil e para o Mundo

O Pré-Sal Brasileiro: Relevância para o Brasil e para o Mundo O Pré-Sal Brasileiro: Relevância para o Brasil e para o Mundo Sylvie D Apote, Sócia-Diretora, 7mo. CONGRESO INTERNACIONAL BOLIVIA GAS & ENERGÍA 2014 Santa Cruz de la Sierra, 20-21 Agosto 2014 AGENDA O

Leia mais

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 13 de agosto de 2015 Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 Agenda Visão Geral Destaques Financeiros Atualização de Ativos DESTAQUES DO PERÍODO Manati produziu média de 5,7 MM m³ por dia no 2T15 e 6M15

Leia mais

Polo Produtivo 2 de Julho

Polo Produtivo 2 de Julho Polo Produtivo 2 de Julho Cadeia de Óleo & Gás offshore, onshore e Indústria Naval Recôncavo - Bahia Apoio: OBJETIVO Implantação de um complexo Industrial para atender a crescente demanda da Indústria

Leia mais

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES

O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social O desenvolvimento da indústria fornecedora de bens e serviços para petróleo e gás no Brasil e o BNDES 20.10.2009 Luciano Coutinho Mensagem Inicial Pré-sal:

Leia mais

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL COMISSÃO MISTA PERMANENTE SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS SENADO FEDERAL MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL Beatriz Nassur Espinosa

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 MISSÃO Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE 1 A demanda por plataformas de produção de petróleo Abril 2010 A demanda por plataformas de produção de diversos tipos é estimada em cerca de 150 unidades até 2020. A demanda estimada da Petrobras é de

Leia mais

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 Em

Leia mais

Entenda o que é a camada pré-sal

Entenda o que é a camada pré-sal Adaptado por RH para o Site do GDPAPE Grupo em Defesa dos Participantes da Petros Tupi Bem-Te-Vi Carioca Júpiter - Iara 02/09/2008-11h48 da Folha Online Entenda o que é a camada pré-sal A chamada camada

Leia mais

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011

GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 GERALDO ALCKMIN 18/10/2011 AÇÕES E PROJETOS HABITAÇÃO - 150 mil novas moradias nos próximos quatro anos, para atender a famílias que ganham até 5 salários mínimos, triplicando a produção de moradias no

Leia mais

Painel Inovação Aberta Colaborativa. Inovação na Petrobras

Painel Inovação Aberta Colaborativa. Inovação na Petrobras Painel Inovação Aberta Colaborativa Inovação na Petrobras São Paulo, 23 de agosto de 2012 Maria Cristina Espinheira Saba Gerente de Estratégia Tecnológica do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (PETROBRAS/CENPES)

Leia mais

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Santos Offshore Alfredo Renault Santos, 10 de abril de 2014. Sumário I PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS DO SETOR II A CADEIA DE FORNECEDORES III

Leia mais

DADOS GERAIS. Área: 53.306,80 km 2. PIB: R$ 9.834,00 milhões. População : 2.776.782 habitantes

DADOS GERAIS. Área: 53.306,80 km 2. PIB: R$ 9.834,00 milhões. População : 2.776.782 habitantes 6 a Rodada de Licitações de Blocos Exploratóriosrios - ANP Apresentação do Estado do Rio Grande do Norte 18-MAR-200 GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Estado do Rio Grande do Norte DADOS GERAIS Área:

Leia mais

O Pré-sal: oportunidades para o Brasil

O Pré-sal: oportunidades para o Brasil Simpósio de Geologia do Sudeste O Pré-sal: oportunidades para o Brasil Ricardo Latgé Milward de Azevedo Petrobras DE&P Estância de São Pedro, 17 de outubro de 2009 Informações A apresentação pode conter

Leia mais

A indústria de construção naval brasileira

A indústria de construção naval brasileira A indústria de construção naval brasileira Apresentação ao BNDES Cenário Nacional O mercado: o segmento offshore Plataformas fixas Plataformas semi-submersíveis - FPU FPSO FSO José Roberto Simas e Alberto

Leia mais

MATO GROSSO DO SUL. Dourados 1 PROJETO R$ 35,2 MILHÕES DOURADOS DOURADOS

MATO GROSSO DO SUL. Dourados 1 PROJETO R$ 35,2 MILHÕES DOURADOS DOURADOS MATO GROSSO DO SUL Dourados 1 PROJETO R$ 35,2 MILHÕES DOURADOS DOURADOS PARÁ Belém, Marabá e Marituba 3 PROJETOS R$ 250,3 MILHÕES MARABÁ BELÉM RORAIMA Boa Vista 1 PROJETO R$ 23,5 MILHÕES BOA VISTA SANEAMENTO

Leia mais

Workshop sobre Marco Regulatório do Pré-Sal. A Cadeia Produtiva da Indústria Desafios e Oportunidades

Workshop sobre Marco Regulatório do Pré-Sal. A Cadeia Produtiva da Indústria Desafios e Oportunidades Workshop sobre Marco Regulatório do Pré-Sal A Cadeia Produtiva da Indústria Desafios e Oportunidades CNI Brasília, 01/10/2009 Marco Regulatório do Pré-Sal A Cadeia Produtiva da Indústria A Visão da Indústria

Leia mais

Paulínia Petróleo & Gás

Paulínia Petróleo & Gás CADEIA PRODUTIVA DO SETOR PETRÓLEO E GÁS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES Paulínia Petróleo & Gás Alfredo Renault Paulínia, São Paulo, 21 de agosto de 2013 Sumário I ESTIMATIVAS DE INVESTIMENTO NO SETOR PETRÓLEO

Leia mais

5.1.15. Função Energia

5.1.15. Função Energia 5.1.15. Função Energia A função Energia, bem como todas as ações nela executadas são essenciais para a economia brasileira. Todas as funções governamentais, econômicas ou não, dependem de um bom funcionamento

Leia mais

Os desafios, os impactos e a gestão da exploração do Pré-sal. Paulo César Ribeiro Lima

Os desafios, os impactos e a gestão da exploração do Pré-sal. Paulo César Ribeiro Lima Paulo César Ribeiro Lima PhD em Engenharia, consultor legislativo da área de Minas e Energia da Câmara dos Deputados Os desafios, os impactos e a gestão da exploração do Pré-sal Resumo Palavras-Chave Abstract

Leia mais

AGOSTO GOSTO,, 2011, 2011 Aviso Legal Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua

Leia mais

Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco

Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco Haroldo Lima Diretor-Geral da ANP Comissão de Serviços de Infra-Estrutura Senado Federal 27 de março de 2008 Situação atual do O&G no Brasil (2007) Reservas

Leia mais

PLANO DECENAL - ANP. Mauro Barbosa de Araújo Superintendência de Definição de Blocos

PLANO DECENAL - ANP. Mauro Barbosa de Araújo Superintendência de Definição de Blocos PLANO DECENAL - ANP Planejamento das Atividades de Estudos Geológicos & Geofísicos nas Bacias Sedimentares Brasileiras Visando a Exploração de Petróleo e Gás Natural Mauro Barbosa de Araújo Superintendência

Leia mais

CONTEÚ DO LOCAL NAS RODADAS DE LICITAÇÕ ES DE BLOCOS PARA O&G

CONTEÚ DO LOCAL NAS RODADAS DE LICITAÇÕ ES DE BLOCOS PARA O&G CONTEÚ DO LOCAL NAS RODADAS DE LICITAÇÕ ES DE BLOCOS PARA O&G Lauro Doniseti Bogniotti Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural depg@mme.gov.br Tegucigalpa Honduras,

Leia mais

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ Formação e Capacitação de Recursos Humanos p/exploração de Recursos Energéticos e Geração de Energia Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional

Leia mais

A Petrobras e o Desenvolvimento do Mercado de Gás Natural no Brasil

A Petrobras e o Desenvolvimento do Mercado de Gás Natural no Brasil XII Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica (CREEM-2005) A Petrobras e o Desenvolvimento do Mercado de Gás Natural no Brasil Antonio Carlos Pereira Maia Gerente Desenvolvimento de Mercado

Leia mais

Fórum Regional da Bacia de Santos 1º WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS. 30 de Outubro de 2006. Santos 30 de Outubro de 2006.

Fórum Regional da Bacia de Santos 1º WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS. 30 de Outubro de 2006. Santos 30 de Outubro de 2006. Fórum Regional da Bacia de Santos 1º WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS Santos 30 de Outubro de 2006 30 de Outubro de 2006 Balanço das PPPs Balanço das PPPs Tipo de PPP Quantidade Para avaliação neste WS

Leia mais

1. Informações Institucionais

1. Informações Institucionais 1. Informações Institucionais Nossa Empresa Líder mundial em eventos de negócios e consumo, a Reed Exhibitions atua na criação de contatos, conteúdo e comunidades com o poder de transformar negócios Números

Leia mais

BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO. Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos

BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO. Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos BANCO DE DADOS DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO Sérgio Possato Superintendente de Gestão de Informações e Dados Técnicos Dados coletados pela Petrobras durante o monopólio: 988.366 km Sísmica 2D 19.176 Poços 28.482

Leia mais

Desenvolvimento da Indústria de Óleo & Gás: os próximos 10 anos. O Programa Exploratório

Desenvolvimento da Indústria de Óleo & Gás: os próximos 10 anos. O Programa Exploratório Desenvolvimento da Indústria de Óleo & Gás: os próximos 10 anos O Programa Exploratório Magda Chambriard Diretora Geral XII Seminário Internacional de Britcham de Energia Rio de Janeiro, 7 de agosto de

Leia mais

A PPSA e o Modelo de Governança do Consórcio do Campo de Libra no Pré-Sal

A PPSA e o Modelo de Governança do Consórcio do Campo de Libra no Pré-Sal 1º Fórum Latino Americano sobre Governança, Riscos & Compliance no Setor de Petróleo e Gás A PPSA e o Modelo de Governança do Consórcio do Campo de Libra no Pré-Sal Renato M. Darros de Matos Pré Sal Petróleo

Leia mais

Hidrocarbonetos nos mares da lusofonia

Hidrocarbonetos nos mares da lusofonia Hidrocarbonetos nos mares da lusofonia José Eduardo Sequeira Nunes Chefe do Gabinete da Presidência Lisboa, 29 de outubro de 2013 Operador integrado de energia focado na exploração e produção Subida do

Leia mais

A Regulação no Sector dos Petróleos

A Regulação no Sector dos Petróleos 1 A Qualidade da Regulação da Energia e dos Serviços nos Países de Língua Oficial Portuguesa A Regulação no Sector dos Petróleos Programa de Desenvolvimento do Gás em Angola Maio 2013 Agenda 2 1. Introdução

Leia mais

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014 Os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País As Políticas Industrial e de Inovação no setor de Petróleo e Gás Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ CAMPUS 2014 Brésil Internacional Agenda PetróleoeGásNaturalnoBrasileRiodeJaneiro Situação da Indústria Naval Sistema FIRJAN: Soluções para Indústria de P&G

Leia mais

3. O Sistema Petrobras

3. O Sistema Petrobras 3. O Sistema Petrobras O Sistema Petrobras possui 56 bases de distribuição por todo o país, que são responsáveis por fornecer produtos para as distribuidoras, para que estas possam entregá-los no mercado.

Leia mais

A Petrobras e o Desenvolvimento Nacional de Fornecedores de Bens e Serviços

A Petrobras e o Desenvolvimento Nacional de Fornecedores de Bens e Serviços A Petrobras e o Desenvolvimento Nacional de Fornecedores de Bens e Serviços Pré-sal e áreas estratégicas José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente 1 Brasília, 20/10/09 - CDES AVISO As apresentações podem

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE PERFURAÇÃO BREVE RESUMO A perfuração de um poço de petróleo é realizada através de uma sonda, uma grande estrutura que contém diversos

Leia mais

Experiências da Petrobras no Caminho do Pré-Sal. Francisco Nepomuceno Filho Gerente Executivo - E&P Corporativo

Experiências da Petrobras no Caminho do Pré-Sal. Francisco Nepomuceno Filho Gerente Executivo - E&P Corporativo Experiências da Petrobras no Caminho do Pré-Sal Francisco Nepomuceno Filho Gerente Executivo - E&P Corporativo Rio Oil & Gas RJ, setembro de 2008 Avanços em águas profundas. 1992 2000 Vazão: 21.000 bopd

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão 2013 2017

Plano de Negócios e Gestão 2013 2017 Plano de Negócios e Gestão 2013 2017 1 Plano de Negócios e Gestão 2013 2017 Webcast 19 de março de 2013 2 Aviso Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem

Leia mais

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br Inovação Tecnológica Frente aos Desafios da Indústria Naval Brasileira Isaias Quaresma Masetti Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br ... O maior obstáculo à indústria

Leia mais

PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA

PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA POTÁSSIO DO BRASIL INTERSECTA MINÉRIO DE POTÁSSIO COM TEOR DE 39.94% KCl A UMA PROFUNDIDADE DE 843.08 m CONFIRMANDO POTENCIAL DE JAZIDA NA BACIA AMAZÔNICA PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA Furo PB-AT-11-09 intercepta

Leia mais

Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009

Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009 Teleconferência / Webcast DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 2 o trimestre de 2009 (Legislação Societária) Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009 Reservatório

Leia mais

A LOGÍSTICA ATUAL DE TRANSPORTE DAS DISTRIBUIDORAS E A INFRA-ESTRUTURA PARA A EXPORTAÇÃO DE ÁLCOOL

A LOGÍSTICA ATUAL DE TRANSPORTE DAS DISTRIBUIDORAS E A INFRA-ESTRUTURA PARA A EXPORTAÇÃO DE ÁLCOOL A LOGÍSTICA ATUAL DE TRANSPORTE DAS DISTRIBUIDORAS E A INFRA-ESTRUTURA PARA A EXPORTAÇÃO DE ÁLCOOL Fernando Cunha Diretor de Operações e Logística Petrobras Distribuidora Agosto de 2003 INTRODUÇÃO A BR

Leia mais

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS PROCESSOS INDUSTRIAIS ORGÂNICOS EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS PERFURAÇÃO - INTRODUÇÃO A perfuração de um poço de petróleo é realizada através de uma sonda, conforme ilustrado nas figuras

Leia mais

Nota técnica produzida para o projeto Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento

Nota técnica produzida para o projeto Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento Nota técnica produzida para o projeto Cresce Brasil + Engenharia + Desenvolvimento Agosto/2009 SDS Edifício Eldorado salas 106/109 CEP 70392-901 Brasília DF Telefax: (61) 3225-2288 E-mail: fneng@fne.org.br

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O&G NÃO- CONVENCIONAL NO BRASIL

PERSPECTIVAS PARA O&G NÃO- CONVENCIONAL NO BRASIL PERSPECTIVAS PARA O&G NÃO- CONVENCIONAL NO BRASIL Lauro Doniseti Bogniotti Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural depg@mme.gov.br OLADE Montevidéu, 25/07/2012 SUMÁRIO

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CENÁRIOS PARA A LOGÍSTICA DO PETRÓLEO E DO GÁS NATURAL DO PRÉ-SAL NO BRASIL

AVALIAÇÃO DE CENÁRIOS PARA A LOGÍSTICA DO PETRÓLEO E DO GÁS NATURAL DO PRÉ-SAL NO BRASIL AVALIAÇÃO DE CENÁRIOS PARA A LOGÍSTICA DO PETRÓLEO E DO GÁS NATURAL DO PRÉ-SAL NO BRASIL Claudia Bernardo Marques Turma: K155 Pós-Graduação Logística Empresarial Orientador: Jorge Tadeu Vieira Lourenço

Leia mais

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás O que é? Conteúdo Local é a relação entre o valor dos bens produzidos e serviços prestados no país para executar o contrato e o valor total dos

Leia mais

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2.1. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE DE PERFURAÇÃO E DAS EMBARCAÇÕES DE APOIO A) EMBARCAÇÕES DE APOIO Para o apoio logístico (transporte de materiais, transporte de resíduos,

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade Etanol A produção de álcool combustível como fonte de energia deve-se

Leia mais