21 ANEXO IV MAPA GLOBAL DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "21 ANEXO IV MAPA GLOBAL DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS"

Transcrição

1 ANEXO IV MAPA GLOBAL DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS 1330

2 .1 SECTOR FERROVIÁRIO PROJETO - PRIV. PUB. RTE-T CORREDOR DA FACHADA ATLÂNTICA Conclusão do Plano de Modernização -Linha do Norte Principal Linha do Minho (Nine - Valença, Ermesinde - Contumil, Ramal Secil na Trofa, Ramal Particular SN Longos da Maia) Linha do Oeste + Ramal de Alfarelos (Meleças / Louriçal, Ramal de Alfarelos, Ramal Secil, Ramal do Ramalhal - Valouro) Global Linha do Sul (Porto de Setúbal + Praias do Sado) 0 5 Global Linha de Leixões (Terminal de Leixões / Porto de Leixões) 0 5 Principal Linha do Sul (Terminal de Termitrena) Global CORREDOR INTERNACIONAL NORTE Corredor Aveiro / Leixões Vilar Formoso Linha Beira Alta (Ramal Porto Aveiro + Ramal Portucel Cacia + Plataforma de Cacia + Pampilhosa/V Formoso + Ramal de Viseu) Principal Linha Beira Baixa (Covilhã-Guarda) Global CORREDOR INTERNACIONAL SUL Corredor Sines / Setúbal / Lisboa Caia (Sine / Setúbal / Lisboa - Caia + Poceirão - V. Novas + Bombel - Casa Branca + Ramal Petrogal Sines) 800 a Principal CORREDOR DO ALGARVE Linha do Algarve (Lagos - Tunes + Faro - Vila Real de Santo António + Ligação ao Aeroporto de Faro) Global DESENVOLVIMENTO DO INTERIOR Linha do Douro (Caíde - Marco de Canavezes)

3 PROJETO - PRIV. PUB. RTE-T Linha do Douro (Marco - Régua) 0 4 Linha do Douro (Régua - Pocinho) 0 2 Linha do Vouga (Aveiro - Sernada do Vouga e Espinho - Oliveira de Azeméis) Linha do Sul (Ramal de Neves Corvo) Corredor Aveiro / Leixões Vilar Formoso Linha Beira Alta (Ramal Porto Aveiro + Ramal Portucel Cacia + Plataforma de Cacia + Pampilhosa/V Formoso + Ramal de Viseu) Principal Linha Beira Baixa (Covilhã-Guarda) Corredor Sines / Setúbal / Lisboa Caia (Sine / Setúbal / Lisboa - Caia + Poceirão - V. Novas + Bombel - Casa Branca + Ramal Petrogal Sines) Principal TOTAL Legenda: Decisão preliminar Estudos Contratação/adjudicação Construção Abertura 1332

4 .2 SECTOR MARÍTIMO-PORTUÁRIO PROJETO - PRIV. PUB. RTE-T CORREDOR DA FACHADA ATLÂNTICA Porto de Leixões - Ampliação do Terminal de Contentores Sul Principal Porto de Leixões Criação de um novo terminal de contentores a fundos - m (ZH) Principal Porto de Leixões - Novo Terminal de Cruzeiros Principal Porto de Leixões - Plataforma Logística Principal Via navegável do Douro Principal V.N.Douro - Intervenções nas eclusas, procurando ultrapassar a obsolescência técnica, logística e funcional Porto de Aveiro - Criação de condições (acesso marítimo) que permitam entrada e saída de navios de maior dimensão, incluindo durante o período noturno Porto de Aveiro Logística: Infraestruturação, melhoria das infraestruturas marítimas, construção terminal intermodal da ZALI e expansão da plataforma logística de Cacia Porto de Aveiro - Melhoria das condições operacionais dos terminais roro / contentores, de granéis líquidos e sólidos e reforço dos interfaces ferroviários Porto da Figueira da Foz - Aprofundamento da barra e canal de acesso e alargamento da bacia de manobras para receção de navios de maior dimensão Porto de Lisboa - Aumento da eficiência do atual terminal - TC de Alcântara Principal Global Global Global Principal Porto de Lisboa - Novo Terminal de Contentores Principal 1333

5 PROJETO - PRIV. PUB. RTE-T Porto de Lisboa - Reativação do Cais da Siderurgia Nacional (Terminal do Seixal) Porto de Lisboa - Melhoria da navegabilidade e descontaminação do estuário do Tejo Seixal (SN) + Alhandra (Cimpor) Principal Principal Porto de Lisboa Nova Gare de Passageiros de Cruzeiros Principal Porto de Setúbal - Expansão do Terminal Roll-On Roll-Off para jusante Global Porto de Setúbal - Melhoria das acessibilidades marítimas - barra e canais Norte e Sul - e otimização de fundos/calado junto aos cais Porto de Sines - Expansão do Terminal de Contentores (Terminal XXI) e ampliação das infraestruturas de proteção marítima Global Principal CORREDOR DO ALGARVE Portos do Algarve - Melhoria das condições de acesso marítimo e das instalações de passageiros e carga (Portimão e Faro) Global TOTAL Legenda: Decisão preliminar Estudos Contratação/adjudicação Construção Abertura 1334

6 .3 SECTOR RODOVIÁRIO PROJETO - PRIV. PUB. RTE-T CORREDOR DA FACHADA ATLÂNTICA IC. Radial da Pontinha CORREDOR INTERNACIONAL NORTE IP4. Túnel do Marão Global IP3. Coimbra Viseu Global IP5. Vilar Formoso Fronteira Principal CORREDOR INTERNACIONAL SUL IC33. Reabilitação Relvas Verdes (IP8) - Grândola (IP1) Principal DESENVOLVIMENTO DO INTERIOR Nó do IP1/A1 com o IC Acessibilidades na EN entre V. N. Famalicão e Maia 0 4 Corredor do IC35: Penafiel - Entre-os-Rios e Arouca Stª Mª Feira IP8. St. Margarida do Sado Beja Global Abertura da ponte de Constância / Praia do Ribatejo a pesados IP4. Túnel do Marão Global IP3. Coimbra Viseu Global IP5. Vilar Formoso Fronteira ,6 0 2,4 Principal IC33. Reabilitação Relvas Verdes (IP8) - Grândola (IP1) Principal TOTAL

7 .4 SECTOR AÉREO E AEROPORTUÁRIO PROJETO - PRIV. PUB. RTE-T CORREDOR DA FACHADA ATLÂNTICA Plano Estratégico da ANA - Desenvolvimento do Aeroporto Sá Carneiro Principal Plano Estratégico da ANA - Desenvolvimento do Aeroporto de Lisboa Principal Novo terminal de carga no Aeroporto Lisboa Principal Integrators proposta Rangel (FedEx) Principal CORREDOR DO ALGARVE Plano Estratégico da ANA - Desenvolvimento do Aeroporto de Faro Global CORREDOR DO INTERIOR Plano Estratégico da ANA - Desenvolvimento do Aeroporto de Beja TOTAL Legenda: Decisão preliminar Estudos Contratação/adjudicação Construção Abertura 1336

8 .5 TRANSPORTES PÚBLICO DE PASSAGEIROS PROJETO - PRIV. PUB. RTE- T Metro de Lisboa / Extensão à Reboleira Linha de Cascais Outros serviços públicos de transporte de passageiros a nível nacional TOTAL Legenda: Decisão preliminar Estudos Contratação/adjudicação Construção Abertura 1337

9 .6 DISTRIBUIÇÃO DO INVESTIMENTO POR SECTOR SECTOR - PRIV. PUB. Sector ferroviário Sector marítimo-portuário Sector rodoviário Sector aéreo e aeroportuário Transportes públicos de passageiros TOTAL Ilustração 49 - Distribuição de investimento por sector 1338

10 .7 DISTRIBUIÇÃO DO INVESTIMENTO POR CORREDOR PRIORITÁRIO EIXO PRIORITÁRIO - PRIV. PUB. Corredor da fachada atlântica Corredor internacional norte Corredor internacional sul Corredor do interior Corredor do Algarve Transportes públicos de passageiros TOTAL Ilustração 50 - Distribuição de investimento por corredor prioritário 6 NOTA: Os projetos integrantes do corredor internacional norte e corredor internacional sul beneficiam duplamente o desenvolvimento daqueles corredores e do corredor do interior. 1339

11 .8 DISTRIBUIÇÃO DO INVESTIMENTO POR TIPO DE REDE INTEGRAÇÃO NA RTE-T - PRIV. PUB. RTE-T Principal RTE-T Global Não RTE-T TOTAL Ilustração 51 - Distribuição por tipo de rede 1340

19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA

19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA 19 ANEXO II PROCESSO DE CONSULTA PÚBLICA DO GTIEVA 534 Conclusões da Discussão Pública A Discussão Pública B Análise Preliminar à Alocação de Fundos Comunitários A Discussão Pública Discussão Pública Metodologia

Leia mais

UM MUNDO DE OPORTUNIDADES

UM MUNDO DE OPORTUNIDADES MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL INFRAESTRUTURAS E AMBIENTE UM MUNDO DE OPORTUNIDADES António Neves Torres ALGUNS EXEMPLOS DE INFRAESTRUTURAS Infraestruturas Rodoviárias Infraestruturas Ferroviárias Infraestruturas

Leia mais

Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas. Horizonte 2014-2020

Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas. Horizonte 2014-2020 Plano Estratégico dos Transportes e Infraestruturas Horizonte 2014-2020 Consensualização de Prioridades O Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado apresentou o seu relatório

Leia mais

Levantamento dos constrangimentos. Recomendações de natureza não infraestrutural. Reflexão sobre o modelo de financiamento utilizador/pagador

Levantamento dos constrangimentos. Recomendações de natureza não infraestrutural. Reflexão sobre o modelo de financiamento utilizador/pagador 17 ABRIL 2014 Objetivos do grupo de trabalho Diagnóstico do Setor que contribuam para a potenciar a competitividade da economia e do tecido empresarial, sem negligenciar a coesão territorial. Levantamento

Leia mais

INVESTIMENTOS PRIORITÁRIOS EM INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTES DE ELEVADO VALOR ACRESCENTADO PARA PORTUGAL

INVESTIMENTOS PRIORITÁRIOS EM INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTES DE ELEVADO VALOR ACRESCENTADO PARA PORTUGAL INVESTIMENTOS PRIORITÁRIOS EM INFRAESTRUTURAS DE TRANSPORTES DE ELEVADO VALOR ACRESCENTADO PARA PORTUGAL APRESENTAÇÃO SUMÁRIA DA ATIVIDADE DESENVOLVIDA PELO GRUPO DE TRABALHO IEVA Atividade desenvolvida

Leia mais

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO INTERMODAL 9 DE NOVEMBRO DE 2015

NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ESTRATÉGIAS E ARTICULAÇÃO INTERMODAL 9 DE NOVEMBRO DE 2015 NOVOS INVESTIMENTOS NA FERROVIA ENQUADRAMENTO DA IMPLEMENTAÇÃO DA REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES E DO MECANISMO INTERLIGAR A EUROPA JOSÉ VALLE / CEETVC ORIENTAÇÕES BASE DO PROGRAMA DA CEETVC PARA O

Leia mais

Discurso do Encontro Ministerial sobre Infraestruturas entre China e PLP

Discurso do Encontro Ministerial sobre Infraestruturas entre China e PLP Discurso do Encontro Ministerial sobre Infraestruturas entre China e PLP Senhores Ministros, É com grande satisfação que venho ouvir as políticas de investimento internacional, a nível das infraestruturas,

Leia mais

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes

Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes Jornadas do Socialismo 2010 Braga, 28 e 29 de Agosto Heitor de Sousa, Economista de Transportes 1 Pressupostos e condicionantes Estratégia de Mobilidade nacional para o transporte de passageiros e de mercadorias:

Leia mais

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013

Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Investimento na Rede Ferroviária Nacional 2009-2013 Porto, 1 de Outubro de 2009 António Viana 2 Plano da Apresentação Missão OESF 2006 Investimentos 2009-2013 3 Missão da REFER Proporcionar ao mercado

Leia mais

Transporte Marítimo e Portos

Transporte Marítimo e Portos Transporte Marítimo e Portos Disposição de Terminais num Porto - 1 Disposição geral do porto de Leixões. 1 Disposição de Terminais num Porto - 2 Porto de Rotterdam (Holanda), o maior porto europeu. Disposição

Leia mais

INSTRUÇÃO DE EXPLORAÇÃO TÉCNICA Nº 51. Tabelas de Carga das Locomotivas

INSTRUÇÃO DE EXPLORAÇÃO TÉCNICA Nº 51. Tabelas de Carga das Locomotivas I E T 51 INSTRUÇÃO DE EXPLORAÇÃO TÉCNICA Nº 51 Tabelas de das Locomotivas Em vigor desde 02 de Agosto de 2011 I M T T Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I. P. -2- Distribuição CP, CP

Leia mais

INVESTIMENTOS 2015-2020

INVESTIMENTOS 2015-2020 PLANEAMENTO DE INVESTIMENTOS 2015-2020 Planeamento de s 2015-2020 Pressupostos e Identificação Pressupostos e identificação Valorização dos princípios orientadores transmitidos pelos instrumentos estratégicos

Leia mais

1 2 M a r ç o d e 2 0 1 4

1 2 M a r ç o d e 2 0 1 4 Grupo de Trabalho CENTRO-NORTE 1 2 M a r ç o d e 2 0 1 4 1 Preâmbulo 3 1. 1. Pressupostos do estudo 11 2. Análise dos projetos enquadrados no hinterland abrangido pelo Corredor 1 15 2.1 Infra-estruturas

Leia mais

LOGÍSTICA EM PORTUGAL

LOGÍSTICA EM PORTUGAL LOGÍSTICA EM PORTUGAL 1 LOGÍSTICA EM PORTUGAL SUMÁRIO EXECUTIVO LOGÍSTICA EM PORTUGAL 2 LOGÍSTICA EM PORTUGAL INTRODUÇÃO CONTEXTO ATUAL 4 OBJETIVO 5 PRESSUPOSTOS ORIENTADORES 6 LOGÍSTICA EM PORTUGAL CONTEXTO

Leia mais

A Plataforma Logística de Leixões. uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado

A Plataforma Logística de Leixões. uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado A Plataforma Logística de Leixões uma oferta para os clientes que exigem um serviço integrado Junho de 2008 O TERRITÓRIO - A fachada Atlântica O TERRITÓRIO - O Norte e o Centro de Portugal Valença Chaves

Leia mais

Principais Investimentos em Infraestruturas Portuárias em Portugal um Balanço da última década. 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa

Principais Investimentos em Infraestruturas Portuárias em Portugal um Balanço da última década. 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa + 1 Principais Investimentos em Infraestruturas Portuárias em Portugal um Balanço da última década 1.º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa José Luís Cacho Presidente da Associação de Portos de

Leia mais

RELATÓRIO FINAL Glossário

RELATÓRIO FINAL Glossário 0 Glossário AE Auto-estradas APLOG Associação Portuguesa de Logística AICEP Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal APOL Associação Portuguesa de Operadores Logísticos AML Área Metropolitana

Leia mais

Fernando Nunes da Silva Professor de Urbanismo e Transportes no IST. Câmara Municipal de Sines Maio 2008. 2008 - Prof. Fernando Nunes da Silva

Fernando Nunes da Silva Professor de Urbanismo e Transportes no IST. Câmara Municipal de Sines Maio 2008. 2008 - Prof. Fernando Nunes da Silva Fernando Nunes da Silva Professor de Urbanismo e Transportes no IST Câmara Municipal de Sines Maio 2008 PDM de Sines Sistema de Transportes e Acessibilidades DESENVOLVIMENTO REGIONAL / NACIONAL População

Leia mais

PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira)

PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira) PP nº 16 da RTE-T: Ligação ferroviária entre o porto de Sines e Elvas (fronteira) Comissão Arco Atlântico Eduardo Borges Pires, Director de Estudos e Estratégia Sines, 11 de Março de 2011 Procura Transporte

Leia mais

O Futuro do Transporte de Mercadorias

O Futuro do Transporte de Mercadorias O Futuro do Transporte de Mercadorias A diminuição dos custos de transacção na economia portuguesa é fundamental para o aumento de nossa competitividade. Tal diminuição joga-se fundamentalmente no transporte

Leia mais

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE

MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE MULTIMODALIDADE ÁREA METROPOLITANA DO PORTO UMA OFERTA INTEGRADA DE QUALIDADE Enquadramento Comunitário e Nacional Livro Branco Roteiro do espaço único europeu dos transportes, rumo a um sistema de transportes

Leia mais

A opção por um modo de transporte é fortemente condicionada pelo seu custo.

A opção por um modo de transporte é fortemente condicionada pelo seu custo. CONCEITOS BÁSICOS: MODO DE TRANSPORTE Tipo de veículo utilizado para a deslocação de pessoas e mercadorias. DISTÂNCIAS RELATIVA Distância entre dois lugares, em função de factores sujeitos a variação,

Leia mais

Transportes Marítimos, Portos e Logística

Transportes Marítimos, Portos e Logística Transportes Marítimos, Portos e Logística Lídia Sequeira Presidente do Conselho de Administração do Porto de Sines 1 Características geofísicas Porta de Entrada da Europa Localização privilegiada de Sines

Leia mais

O Projecto de Alta Velocidade em Portugal. Lisboa, 17 de Novembro de 2008

O Projecto de Alta Velocidade em Portugal. Lisboa, 17 de Novembro de 2008 O Projecto de Alta Velocidade em Portugal Lisboa, 17 de Novembro de 2008 Sinopse Histórica Sinopse Histórica Dez/2000 Criação da RAVE Jan/2001 Criação do AVEP Jun/2002 Início dos Estudos de Viabilidade

Leia mais

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão

A Cidade Logística. Plataforma Logística do Poceirão A Cidade Logística Plataforma Logística do Poceirão Póvoa de Santa Iria, 03 de Dezembro 2009 1 1. Apresentação Integrado na rede de plataformas nacionais definida pelo Portugal Logístico será desenvolvido

Leia mais

PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu

PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu PIRENE IV Melhoria das Redes de Transporte do Sudoeste Europeu Ligação Ferroviária ria Sines/Elvas Luísa Soares Direcção de Estudos e Estratégia llsoares@refer.pt Zaragoza, 20.10.2009 Índice 1. Enquadramento

Leia mais

Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª. Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais. Exposição de motivos

Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª. Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais. Exposição de motivos Projeto de Resolução N.º 204/XII/1.ª Recomenda ao Governo a manutenção da autonomia de gestão dos portos comerciais nacionais Exposição de motivos Os portos comerciais do sistema portuário nacional têm

Leia mais

Estação central de coimbra

Estação central de coimbra central de coimbra N o v a i n t e r f a c e i n t e r m o d a l e P l a n o d e u r b a n i z a ç ã o ( e n t r a d a p o e n t e ) Na sua história recente tem sido muito influenciada pela localização

Leia mais

TRANSPORTE INTERMODAL. Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente

TRANSPORTE INTERMODAL. Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente TRANSPORTE INTERMODAL Os diferentes modos de transporte deverão funcionar como peças de um puzzle, que se encaixam harmoniosamente Rui Rodrigues Site: www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt

Leia mais

Hinterland Acessibilidades ao Terminal do Barreiro

Hinterland Acessibilidades ao Terminal do Barreiro Hinterland Acessibilidades ao Terminal do Barreiro O futuro faz-se hoje Gare Marítima de Alcântara, 21 de outubro de 2016 Mário Fernandes Diretor de Planeamento da IP Acessibilidades ao Terminal do Barreiro

Leia mais

(RE)VIVER O TEJO (Fórum Empresarial do Mar)

(RE)VIVER O TEJO (Fórum Empresarial do Mar) (RE)VIVER O TEJO (Fórum Empresarial do Mar) Projectos Previstos para o Estuário do Tejo Porto Multifuncional TURISMO CARGA CRUZEIROS NÁUTICA RECREIO DESPORTO MARÍTIMO- TURÍSTICA OUTRAS TUTELLE CONTENTORES

Leia mais

Gestão Financeira do Espaço Portuário: Visão Institucional AMADEU ROCHA

Gestão Financeira do Espaço Portuário: Visão Institucional AMADEU ROCHA Gestão Financeira do Espaço Portuário: Visão Institucional AMADEU ROCHA 1. Introdução 2. Modelo de Gestão dos Portos Portugueses 3. O Regime de Gestão Financeira dos Portos 4. Conclusão 2 1. Introdução

Leia mais

AS INFRAESTRUTURAS DOS TRANSPORTES EM ANGOLA

AS INFRAESTRUTURAS DOS TRANSPORTES EM ANGOLA AS INFRAESTRUTURAS DOS TRANSPORTES EM ANGOLA LUANDA, 26 DE MAIO DE 2014 INDÍCE: Estratégia do Sector 2013-2017; Potenciais áreas para o investimento público e privado. 1. PRINCIPAL ORIENTAÇÃO DO SECTOR

Leia mais

MUNICÍPIO DE PALMELA A PLATAFORMA LOGÍSTICA DO POCEIRÃO

MUNICÍPIO DE PALMELA A PLATAFORMA LOGÍSTICA DO POCEIRÃO A EUROACE E A LIGAÇÃO FERROVIÁRIA DE MERCADORIAS SINES CAIA MADRID PARIS MUNICÍPIO DE PALMELA A ATAFORMA LOGÍSTICA DO POCEIRÃO INTERMODALIDADE E A LOGÍSTICA NO CORREDOR SINES/SETÚBAL/LISBOA; CAIA; MADRID

Leia mais

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS

AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS AS REDES DE TRANSPORTE NO TERRITÓRIO PORTUGUÊS A DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DAS REDES DE TRANSPORTE Rodoviária Ferroviária De Aeroportos De Portos De Energia Uma distribuição desigual Uma rede melhorada Segura

Leia mais

REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES CORREDOR ATLÂNTICO

REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES CORREDOR ATLÂNTICO REDE TRANSEUROPEIA DE TRANSPORTES E CORREDOR ATLÂNTICO 2015-06-18 José Cruz Técnico Superior Enquadramento Regulamento (UE) Nº 1315/2013, do Parlamento Europeu e do Conselho de 11 de dezembro de 2013,

Leia mais

Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008

Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008 Integrar o Aeroporto Sá Carneiro na Linha de Velocidade Elevada Porto Galiza através da Linha de Leixões António Alves 10 01 2008 As grandes vantagens desta proposta são não pôr em causa o objectivo de

Leia mais

DESENVOLVIMENTO PORTUÁRIO DA ILHA BOA VISTA

DESENVOLVIMENTO PORTUÁRIO DA ILHA BOA VISTA PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO PORTUÁRIO DA ILHA BOA VISTA A Economia Caboverdiana tem resistido relativamente bem a crise mundial graças uma boa politica macroeconómica: a divida externa reduziu consideravelmente,

Leia mais

Itinerário Principal Nº 1

Itinerário Principal Nº 1 Itinerário Principal Nº 1 Bragança Viana do Castelo Braga Vila Real Aveiro Viseu Guarda Coimbra Leiria Castelo Branco Portalegre Lisboa Setúbal Évora Beja Legenda IP1 Faro IPs ICs Itinerário Principal

Leia mais

A engenharia civil portuguesa: que futuro? José Luís Machado do Vale

A engenharia civil portuguesa: que futuro? José Luís Machado do Vale A engenharia civil portuguesa: que futuro? José Luís Machado do Vale Um pouco de História, os últimos 65 anos. Barragem de Castelo do Bode Barragens e hidráulica fluvial Ribatejo, Rio Zêzere - 1947 / 1951

Leia mais

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários Título da Apresentação Publicação Periódica Dados Editoriais sobre o Número de Utentes Inscritos nos Dados Editoriais Dados Cuidados Editoriais de Saúde Primários 16 de fevereiro de 2015 Nota introdutória

Leia mais

Linha do Oeste. Comboios em Portugal (fotografia e história) (A Linha do Litoral Centro)

Linha do Oeste. Comboios em Portugal (fotografia e história) (A Linha do Litoral Centro) Comboios em Portugal (fotografia e história) Linha do Oeste (A Linha do Litoral Centro) Novembro de 2007 http://combport.pt.to Texto: João Pedro Joaquim Fotos: João Pedro Joaquim Embora actualmente seja

Leia mais

O novo paradigma de rede ferroviária nacional Plano de Investimentos 2014-2020

O novo paradigma de rede ferroviária nacional Plano de Investimentos 2014-2020 O novo paradigma de rede ferroviária nacional Plano de Investimentos 2014-2020 Seminário T&N Transporte Ferroviário Hotel Crowne Plaza Porto 01 de outubro de 2015 Carlos Correia Diretor do Departamento

Leia mais

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Profissional de Vila Real VILA REAL TORRE DE MONCORVO A2000 ARDAD Centro de Emprego do Baixo Ave VILA NOVA DE FAMALICÃO ACIP SANTO TIRSO Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS

Leia mais

Transportes: projectos prioritários até 2020

Transportes: projectos prioritários até 2020 Alameda dos Oceanos, Lote 1.02.1.1. Z17 1990-302 Lisboa Telef: 210140312 E-Mail: geral@adfersit.pt Site: www.adfersit.pt Transportes: projectos prioritários até 2020 A ADFERSIT (Associação Portuguesa para

Leia mais

A Secretária de Estado dos Transportes. Eng.ª Ana Paula Vitorino

A Secretária de Estado dos Transportes. Eng.ª Ana Paula Vitorino Intervenção de Sua Excelência, A Secretária de Estado dos Transportes Eng.ª Ana Paula Vitorino por ocasião da Conferência Ibérica Qualidade Global dos Portos Aveiro, 3 de Abril de 2007 (vale a versão lida)

Leia mais

PLANO DE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURAS FERROVIA 2020 MODERNIZAÇÃO DA LINHA DO NORTE

PLANO DE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURAS FERROVIA 2020 MODERNIZAÇÃO DA LINHA DO NORTE PLANO DE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURAS FERROVIA 2020 MODERNIZAÇÃO DA LINHA DO NORTE Carlos Fernandes Vice-Presidente do Conselho de Administração da IP, SA General Torres, 12 de abril de 2017 ÍNDICE

Leia mais

Oferta de Infraestruturas Rodoviárias. Conferência sobre Multimodalidade na Área Metropolitana do Porto

Oferta de Infraestruturas Rodoviárias. Conferência sobre Multimodalidade na Área Metropolitana do Porto Oferta de Infraestruturas Rodoviárias Conferência sobre Multimodalidade na Área Metropolitana do Porto José Serrano Gordo Vice Presidente da EP-Estradas de Portugal, SA Hotel Tiara Porto ISEL, 14 de Novembro

Leia mais

O que é o porto de Leixões. O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal.

O que é o porto de Leixões. O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal. Porto de leixões O que é o porto de Leixões O porto de Leixões é o maior porto artificial de Portugal. História do porto de Leixões O porto de Leixões foi construído na foz do rio leça, aproveitando três

Leia mais

IAS-INVESTIGAÇÃO ARQUEOLÓGICA SUBAQUÁTICA, Lda. Curriculum

IAS-INVESTIGAÇÃO ARQUEOLÓGICA SUBAQUÁTICA, Lda. Curriculum IAS-INVESTIGAÇÃO ARQUEOLÓGICA SUBAQUÁTICA, Lda. Curriculum DENOMINAÇÃO SOCIAL: Investigação Arqueológica Subaquática-I.A.S.,Lda. SEDE: Rua Óscar Acúrsio, 15 2785-747 S. Domingos de Rana MATRÍCULA: Registo

Leia mais

Que políticas de transportes

Que políticas de transportes Que políticas de transportes 8º ciclo de seminários - Transportes e negócios J. Paulino Pereira (Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa) Professor Universitário e Consultor Aeroportos

Leia mais

a empresa Desde 2003 que a Promorail detém as certificações:

a empresa Desde 2003 que a Promorail detém as certificações: a empresa A Promorail é uma empresa portuguesa de elevada especialização no domínio das ferrovias e com um papel determinante para os futuros desafios de renovação e novos investimentos nas redes ferroviárias

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais

MOBILIDADE DE MERCADORIAS - RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA)

MOBILIDADE DE MERCADORIAS - RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA) MOBILIDADE DE MERCADORIAS - RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA) Vigo, 1 de março de 2012 José António de Barros Presidente de AEP 0 Alguns dados sobre o sector europeu dos transportes Representa

Leia mais

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO

AGENDA VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO Novas Oportunidades para o Financiamento de Investimento Público e Empresarial no âmbito do QREN --- Sines 11 de Março de 2008 A Agenda Operacional para a Valorização do Território é uma estratégia de

Leia mais

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO E O SEU IMPACTO NA INFRA-ESTRUTURA PORTUÁRIA EXECUÇÃO 2013

EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO E O SEU IMPACTO NA INFRA-ESTRUTURA PORTUÁRIA EXECUÇÃO 2013 1 2 3 EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO E O SEU IMPACTO NA INFRA-ESTRUTURA PORTUÁRIA EXECUÇÃO 2013 4 5 EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE MARÍTIMO O COMÉRCIO INDUZ A OPERAÇÃO DE TRANSPORTE Cabe ao Transporte Marítimo

Leia mais

Vetor UF Nome Localização / Descrição Tipo de Intervenção PAC? Status Extensão

Vetor UF Nome Localização / Descrição Tipo de Intervenção PAC? Status Extensão Angra dos Reis/ Angra dos Reis/ Ampliação/Melhorias Não Planejado 30.000 N.A. Pós 2015 Angra dos Reis: ampliação do Pátio de Aeronaves, Terminal de Passageiros e Ampliação de Pista. Área do Terminal: 450m2.

Leia mais

Portugal Mapas e Números

Portugal Mapas e Números Plano Anual de Atividades 2011-12 Portugal Mapas e Números Código da atividade ogf3 Destinatários Toda a comunidade educativa da ESSM Intervenientes Responsáveis Prof. Augusto Cebola e Prof. Jorge Damásio

Leia mais

PORQUÊ UMA PLATAFORMA LOGÍSTICA ASSOCIADA AO PORTO DE LEIXÕES? João Pedro Matos Fernandes Março de 2007

PORQUÊ UMA PLATAFORMA LOGÍSTICA ASSOCIADA AO PORTO DE LEIXÕES? João Pedro Matos Fernandes Março de 2007 PORQUÊ UMA PLATAFORMA LOGÍSTICA ASSOCIADA AO PORTO DE LEIXÕES? João Pedro Matos Fernandes Março de 2007 Crescimento sustentado da carga movimentada 16.000 14.000 12.000 1000 TONELADAS 10.000 8.000 6.000

Leia mais

Itinerários Complementares

Itinerários Complementares Itinerários Complementares Viana do Castelo IC28 Bragança IC14 Braga Trofa Vila do Conde Santo Tirso Paços de Ferreira IC25 Matosinhos IC1 IC23 IC2 Espinho Paredes Valongo Porto IC24 Gondomar IC29 Porto

Leia mais

Março / 2008 ESTUDO TEMÁTICO SOBRE INFRA-ESTRUTURAS DE ACESSIBILIDADE, TRANSPORTES E LOGÍSTICA 1

Março / 2008 ESTUDO TEMÁTICO SOBRE INFRA-ESTRUTURAS DE ACESSIBILIDADE, TRANSPORTES E LOGÍSTICA 1 ESTUDO TEMÁTICO SOBRE INFRA-ESTRUTURAS DE ACESSIBILIDADE, TRANSPORTES E LOGÍSTICA Março - 2008 Estudo elaborado pelo Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo da Faculdade de Arquitectura da Universidade

Leia mais

< 5 4,28 5,57 5,86 6,41 20,48 5 a 10 4,65 6,05 6,14 6,98 28,79

< 5 4,28 5,57 5,86 6,41 20,48 5 a 10 4,65 6,05 6,14 6,98 28,79 Serviço Standard Serviço Especial Peso (Kg) 1 2 3 4 5 Entrega até às 18:00H GRUPOL10H GRUPOL13H GRUPOLSAB GRUPOLMA Entrega até às 10:00H do dia seguinte Entrega até às 13:00H do dia seguinte Entrega ao

Leia mais

A Zils, Zona Industrial e Logística de Sines, sob gestão da aicep Global Parques oferece uma localização com clara vocação atlântica.

A Zils, Zona Industrial e Logística de Sines, sob gestão da aicep Global Parques oferece uma localização com clara vocação atlântica. A Zils, Zona Industrial e Logística de Sines, sob gestão da aicep Global Parques oferece uma localização com clara vocação atlântica. Com fácil e rápido acesso a vias de comunicação nacionais e internacionais

Leia mais

Itinerários Principais

Itinerários Principais Itinerários Principais Bragança Viana do Castelo Braga IP9 Vila Real IP4 Porto Aveiro IP3 Viseu IP5 Guarda Coimbra Leiria Castelo Branco IP6 Santarém IP2 Portalegre IP1 Lisboa Setúbal IP7 Évora IP8 Beja

Leia mais

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE Mapa de IM - 2011 A - FE Anatomia Patológica Centro Hospitalar de São João, EPE 2 Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro, EPE Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE 1 1 Centro Hospitalar

Leia mais

O Projecto de Alta Velocidade e o Desenvolvimento Regional

O Projecto de Alta Velocidade e o Desenvolvimento Regional O Projecto de Alta Velocidade e o Desenvolvimento Regional Ordem dos Engenheiros, FEUP, 30 de Junho de 2008 Mário Rui Silva Faculdade de Economia do Porto 1. Os Pressupostos da Análise Caracterização do

Leia mais

QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO 2000-2006

QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO 2000-2006 Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações QUADRO COMUNITÁRIO DE APOIO 2000-2006 PROGRAMA OPERACIONAL DE ACESSIBILIDADES E TRANSPORTES COMPLEMENTO DE PROGRAMAÇÃO Versão Aprovada na Comissão

Leia mais

O seu âmbito são os projectos nos domínios do Ambiente e redes transeuropeias de Transportes e a taxa de co-financiamento máxima é de 85%.

O seu âmbito são os projectos nos domínios do Ambiente e redes transeuropeias de Transportes e a taxa de co-financiamento máxima é de 85%. 3. FUNDO DE COESÃO 2000-2001 O Fundo de Coesão tem por objectivo reforçar a coesão económica e social dos Estados Membros da União Europeia cujo PNB per capita seja inferior a 90% da média. O seu âmbito

Leia mais

MOBILIDADE DE MERCADORIAS RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA) Vigo, 1 de março de 2012

MOBILIDADE DE MERCADORIAS RODOVIAS, FERROVIAS E PORTOS (MAR E TERRA) Vigo, 1 de março de 2012 INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO FERREIRA DE BARROS, NA SESSÃO DE DEBATE SOBRE COMUNICAÇÃO TRANSFRONTEIRIÇA NORTE DE PORTUGAL GALIZA, SOB O TEMA «MOBILIDADE

Leia mais

Plano Ferroviário Nacional

Plano Ferroviário Nacional Plano Ferroviário Nacional Eng. Arménio Matias O último Plano de expansão dos Caminhos de Ferro Portugueses data de 1927. A sua execução foi quase nula já que ele nasceu numa altura em que se aproximava

Leia mais

A intermodalidade e o transporte marítimo

A intermodalidade e o transporte marítimo Ana Paula Vitorino Secretária de Estado dos Transportes A intermodalidade e o transporte marítimo 27 A dinâmica da política de transportes, global e europeia, e a posição geoestratégica de Portugal justificam

Leia mais

Carris de ferro em Portugal

Carris de ferro em Portugal www.ocomboio.net Carris de ferro em Portugal Texto de António Alves (Abril 2009) Fotografias de Dario Silva Ponte São João (Porto~Gaia), Linha do Norte, 2006 Há 152 anos, em 28 de Outubro de 1856, foi

Leia mais

I FÓRUM IBÉRICO DE LOGÍSTICA

I FÓRUM IBÉRICO DE LOGÍSTICA I FÓRUM IBÉRICO DE LOGÍSTICA Cada vez mais, o transporte de mercadorias com a deslocalização dos centros de produção para longe dos centros de consumo, assume um carácter transnacional, da mesma forma,

Leia mais

Concurso Público de Concepção para a Elaboração do Projecto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa

Concurso Público de Concepção para a Elaboração do Projecto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa Concurso Público de Concepção para a Elaboração do Projecto do Terminal de Cruzeiros de Lisboa Breve descrição do projecto Constituem-se como objectivos estratégicos do projecto do Terminal de Cruzeiros

Leia mais

Portos da I República Roteiro

Portos da I República Roteiro Portos da I República Roteiro Ponto de interesse : Junta Autónoma da ria e barra de Aveiro 07-12-1921 Aveiro >> Aveiro >> Latitude: 40.63240900 Longitude: -8.73023800 Ponto de interesse : Junta Autónoma

Leia mais

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO SECTOR DOS TRANSPORTES E LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO

OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO SECTOR DOS TRANSPORTES E LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO OPORTUNIDADES DE INVESTIMENTO NO SECTOR DOS TRANSPORTES E LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO FÓRUM ECONÓMICO E DE NEGÓCIOS ANGOLA-ITÁLIA Fevereiro 2014 INDÍCE: Estratégia do Sector 2013-2017; Áreas/Projectos com

Leia mais

Um dos objectivos é a elaboração de estudos para a construção do Caminho de Ferro.

Um dos objectivos é a elaboração de estudos para a construção do Caminho de Ferro. Década de 1840 19 de Dezembro de 1844 - Fundação da Companhia das Obras Públicas de Portugal. Um dos objectivos é a elaboração de estudos para a construção do Caminho de Ferro. 19 de Abril de 1845 - Foi

Leia mais

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa;

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; 1 2 A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; As ilhas encontram-se dispersas por uma extensão de 600km, desde Santa Maria

Leia mais

Information on the videoconferencing equipment in the courts of Portugal

Information on the videoconferencing equipment in the courts of Portugal Information on the videoconferencing equipment in the courts Portugal No Court name & city Equipment type and make 1 Abrantes Tribunal Judicial 3 2 Abrantes Tribunal do Trabalho 1 3 Águeda Juízo de Instrução

Leia mais

PORTUGAL AS PRINCIPAIS LIGAÇÕES RODOVIÁRIAS NO CONTEXTO EUROPEU

PORTUGAL AS PRINCIPAIS LIGAÇÕES RODOVIÁRIAS NO CONTEXTO EUROPEU PORTUGAL AS PRINCIPAIS LIGAÇÕES RODOVIÁRIAS NO CONTEXTO EUROPEU João Carvalho joao.carvalho@imt-ip.pt Santiago de Chile, 28 a 31 de outubro de 2014 Reunião DIRCAIBEA Portugal na Europa Localização periférica

Leia mais

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS SEF - North Address Available from: CNAI do Porto Rua do Pinheiro, n.º 9 4050-484 Porto

Leia mais

O SISTEMA DE. Álvaro Seco SISTEMA DE MOBILIDADE DO MONDEGO

O SISTEMA DE. Álvaro Seco SISTEMA DE MOBILIDADE DO MONDEGO O Álvaro Seco ÍNDICE 1. Resenha Histórica 2. O Presente Mudança de Paradigma Breve Descrição da Rede 3. O Faseamento do Projecto 4. Os Desafios Futuros 1. RESENHA HISTÓRICA 1 RESENHA HISTÓRIA O PROBLEMA

Leia mais

Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite - Plano de Ação Pós-Eliminação

Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite - Plano de Ação Pós-Eliminação MODELO 4 - Norte : Região Unidades Hospitalares (15) MÊS NORTE J F M A M J J A S O N D CH Nordeste, EPE CH Trás-os-Montes e Alto Douro, EPE CH Alto Ave, EPE CH Médio Ave, EPE CH Tâmega e Sousa, EPE CH

Leia mais

As perspetivas de desenvolvimento da região Norte

As perspetivas de desenvolvimento da região Norte INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO FERREIRA DE BARROS, NA SESSÃO DE DEBATE, SOB O TEMA «REGIÃO NORTE QUE PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO?» NA DELEGAÇÃO

Leia mais

REGIÃO NORTE E A ALTA VELOCIDADE

REGIÃO NORTE E A ALTA VELOCIDADE REGIÃO NORTE E A ALTA VELOCIDADE Rui Rodrigues Site: www.maquinistas.org (Ver Opinião) Email rrodrigues.5@netcabo.pt Data: Público, 0 de Outubro de 003 A REGIÃO NORTE E A ALTA VELOCIDADE Independentemente

Leia mais

COMPETIÇÕES DESPORTIVAS 1984 / 1985 / 1986

COMPETIÇÕES DESPORTIVAS 1984 / 1985 / 1986 1984 / 1985 / 1986 2 a 6 de Julh de 1986 LOCAL LISBOA Andeb l Atletis m Futeb l de 5 (Mar) (Ri) Ténis de ALMADA 4º 3º 5º Vleib l ALMEIRIM AMIAL 6º 1º 4º BARREIRO 4º 5º 6º 1º 6º BEJA 8º 4º CABRIL 6º 5º

Leia mais

Importância dos Transportes na Actualidade

Importância dos Transportes na Actualidade Modos de Transporte Importância dos Transportes na Actualidade Aumento da acessibilidade Facilitam os movimentos pendulares Estimulam o aumento da produção Estimulam as trocas comerciais Facilitam a localização

Leia mais

SOBRE OS PRESSUPOSTOS SUBJACENTES AO PLANO

SOBRE OS PRESSUPOSTOS SUBJACENTES AO PLANO No âmbito do procedimento de consulta pública do Plano Estratégico de Transportes 2008-2020 (PET), vem a Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza apresentar o seu parecer. SOBRE OS PRESSUPOSTOS

Leia mais

Objetivo 3.2. Melhorar a infra-estrutura de transporte e logística do Estado. As prioridades estaduais, segundo a visão da indústria, estão na

Objetivo 3.2. Melhorar a infra-estrutura de transporte e logística do Estado. As prioridades estaduais, segundo a visão da indústria, estão na Objetivo 3.2. Melhorar a infra-estrutura de transporte e logística do Estado. As prioridades estaduais, segundo a visão da indústria, estão na ampliação do número de terminais portuários, rodovias, ferrovias

Leia mais

Atividade dos Transportes 4º Trimestre de 2014

Atividade dos Transportes 4º Trimestre de 2014 Atividade dos Transportes 4º Trimestre de 214 14 de abril de 215 Movimento de mercadorias em crescimento nos portos e aeroportos mas com redução por estrada Transporte de passageiros com aumento significativo

Leia mais

A REDE FERROVIÁRIA DE ALTA VELOCIDADE E A SUA ARTICULAÇÃO COM O. Lisboa, 2 de Abril 2009

A REDE FERROVIÁRIA DE ALTA VELOCIDADE E A SUA ARTICULAÇÃO COM O. Lisboa, 2 de Abril 2009 A REDE FERROVIÁRIA DE ALTA VELOCIDADE E A SUA ARTICULAÇÃO COM O SISTEMA AEROPORTUÁRIO Lisboa, 2 de Abril 2009 Enquadramento Histórico e Ponto de Situação do Projecto Principais Decisões 2003-2005: 2005:

Leia mais

A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas.

A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas. I. O Promotor A Conceito Original é uma empresa integralmente detida pela WAY2B, SGPS, especificamente dedicada à promoção e gestão de plataformas logísticas. A Conceito Original pretende pois afirmar-se

Leia mais

Ranking de eficiência energética e hídrica Hospitais do SNS

Ranking de eficiência energética e hídrica Hospitais do SNS Ranking de eficiência energética e hídrica Hospitais do SNS 2012 PEBC Plano Estratégico do Baixo Carbono ECO.AP Programa de Eficiência Energética na Administração Pública 28 de agosto de 2013 www.acss.min-saude.pt

Leia mais

Porto de Lisboa. Desenvolvimento portuário e Competitividade. Dr. Manuel Frasquilho. Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa

Porto de Lisboa. Desenvolvimento portuário e Competitividade. Dr. Manuel Frasquilho. Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa Porto de Lisboa Desenvolvimento portuário rio, Logística e Competitividade Dr. Manuel Frasquilho Presidente do Conselho de Administração do Porto de Lisboa 18 de Abril de 2007 Porto de Lisboa Porto de

Leia mais

Plano de Investimentos em Infraestruturas Ferrovia 2020

Plano de Investimentos em Infraestruturas Ferrovia 2020 Plano de Investimentos em Infraestruturas Ferrovia 2020 Modernização da Linha do Minho Consignação do troço Nine Viana do Castelo Carlos Fernandes Vice Presidente do C.A. 30 de janeiro de 2017 FERROVIA

Leia mais

Os desafios de competitividade dos portos portugueses J. Augusto Felício. Florianópolis Brasil

Os desafios de competitividade dos portos portugueses J. Augusto Felício. Florianópolis Brasil Os desafios de competitividade dos portos portugueses J. Augusto Felício Florianópolis Brasil Florianópolis Brasil 2 a 4 de Dezembro de 2015 Os desafios de competitividade dos portos portugueses Os desafios

Leia mais

O SEMINÁRIO CONTA COM 800 PARTICIPANTES INSCRITOS, PROVENIENTES DAS SEGUINTES ENTIDADES:

O SEMINÁRIO CONTA COM 800 PARTICIPANTES INSCRITOS, PROVENIENTES DAS SEGUINTES ENTIDADES: O SEMINÁRIO CONTA COM 800 PARTICIPANTES INSCRITOS, PROVENIENTES DAS SEGUINTES ENTIDADES: ACES DA LEZÍRIA ACES DE ARCO RIBEIRINHO ACES DE CACÉM - QUELUZ ACES DE LISBOA NORTE ACES DE ODIVELAS ACES DE SEIXAL

Leia mais

A Evolução das Acessibilidades em Portugal e as suas Repercussões na Organização do Território

A Evolução das Acessibilidades em Portugal e as suas Repercussões na Organização do Território A Evolução das Acessibilidades em Portugal e as suas Repercussões na Organização do Território João FIGUEIRA DE SOUSA e-geo Centro de Estudos de Geografia e Planeamento Regional j.fsousa@fcsh.unl.pt André

Leia mais

Promover a competitividade da economia portuguesa e reforçar a coesão territorial

Promover a competitividade da economia portuguesa e reforçar a coesão territorial Promover a competitividade da portuguesa e reforçar a coesão territorial Planeamento e Infraestruturas 18 out 16 OE17 e Plano Nacional de Reformas Investir em Mais Crescimento, Melhor Emprego, Maior Igualdade

Leia mais

O transporte de passageiros aumentou por via ferroviária (+3,7%) e por metropolitano (+6,3%).

O transporte de passageiros aumentou por via ferroviária (+3,7%) e por metropolitano (+6,3%). Atividade dos Transportes 3º Trimestre de 214 14 de janeiro de 215 Transporte de passageiros evidenciou crescimento nos aeroportos e ferrovia, mas movimento de mercadorias reduziu-se nos portos e no transporte

Leia mais