SINDICATO DO COMERCIO VAREJISTA DE LAJEADO, CNPJ n / , neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). MARCOS ANDRE MALLMANN;

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SINDICATO DO COMERCIO VAREJISTA DE LAJEADO, CNPJ n. 91.570.648/0001-59, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). MARCOS ANDRE MALLMANN;"

Transcrição

1 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032453/2011 SINDICATO DOS TRABALHADORES NO COMERCIO E SERVICOS DE ENCANTADO E ROCA SALES, CNPJ n / , neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). VANDERSON GISCH DIAS; E SINDICATO DO COMERCIO VAREJISTA DE LAJEADO, CNPJ n / , neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). MARCOS ANDRE MALLMANN; celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º de março de 2011 a 29 de fevereiro de 2012 e a data-base da categoria em 1º de março. CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) empregados no comércio varejista, com exceção das categorias econômicas: comércio varejista de gêneros alimentícios ; comércio varejista de veículos ; comércio varejista de peças e acessórios para veículos ; comércio de vendedores ambulantes ; comércio varejista dos feirantes ; estabelecimentos de serviços funerários ; comércio varejista de material ótico, fotográfico e cinematográfico ; comércio varejista de produtos farmacêuticos ; empresas de garagens, estacionamento e de limpeza e conservação de veículos ; comércio varejista de derivados de petróleo ; empresas distribuidoras de gás liquefeito de petróleo ; e transportador-revendedor-retalhista de óleo diesel, óleo combustível e querosene,, com abrangência territorial em Encantado/RS e Roca Sales/RS. Salários, Reajustes e Pagamento Piso Salarial CLÁUSULA TERCEIRA - SALÁRIOS MÍNIMOS PROFISSIONAIS I.) Ficam instituídos, a partir de 1º de março de 2011 os seguintes salários mínimos profissionais: A.) Empregados em geral: R$ 605,35 (seiscentos e cinco reais, e trinta e cinco centavos) B.) Empregados comissionados: R$ 636,00(seiscentos e trinta e seis reais)

2 C.) Empregados em contrato de experiência : R$ 550,00 (quinhentos e cinquenta reais). um reais). D.) Encarregados de serviço de limpeza: R$ 571,00 (quinhentos e setenta e CLÁUSULA QUARTA - EMPREGADOS COMISSIONISTAS - COMPOSIÇÃO SALARIAL O Salário Mínimo Profissional devido aos empregados comissionados equivale à soma do salário fixo mais as comissões. Reajustes/Correções Salariais CLÁUSULA QUINTA - REAJUSTE SALARIAL Os integrantes da categoria profissional suscitante terão seus salários reajustados, em 01 de março de 2011, pela aplicação do índice de 6,36% (seis inteiros e trinta e seis centésimos por cento). O reajuste terá por base o valor resultante da aplicação da Convenção Coletiva anterior. CLÁUSULA SEXTA - REAJUSTE SALARIAL PROPORCIONAL A taxa de reajustamento do salário do empregado que haja ingressado na empresa após a data-base será proporcional ao tempo de serviço e terá como limite o salário reajustado do empregado exercente da mesma função, admitido até 12 (doze) meses antes da data-base. Na hipótese de o empregado não ter paradigma ou em se tratando de empresa constituída e em funcionamento depois da data-base da categoria, será adotado o critério proporcional ao tempo de serviço, com adição ao salário de admissão, conforme tabela abaixo: PARÁGRAFO ÚNICO Admissão Reajuste Março/10 6,36% Abril/10 5,60% Maio/10 4,84% Junho/10 4,39% Julho/10 4,51% Agosto/10 4,58% Setembro/10 4,65% Outubro/10 4,09% Novembro/10 3,14% Dezembro/10 2,09% Janeiro/11 1,48% Fevereiro/11 0,54% Não poderá o empregado mais novo na empresa, por força da presente convenção, perceber salário superior ao mais antigo na mesma função.

3 Pagamento de Salário Formas e Prazos CLÁUSULA SÉTIMA - DIFERENÇAS SALARIAIS As diferenças salariais provenientes da aplicação da presente convenção coletiva deverão ser satisfeitas juntamente com os salários de junho de 2011, até o 5º dia útil do mês subseqüente. CLÁUSULA OITAVA - REPOUSO REMUNERADO SEMANAL Os empregadores efetuarão o pagamento dos salários em moeda corrente, sempre que o mesmo se realizar em sextas-feiras ou véspera de feriado, salvo se a empresa adotar sistema de depósito em conta bancária. Remuneração DSR CLÁUSULA NONA - REPOUSO REMUNERADO SEMANAL O pagamento dos repousos remunerados, semanais e de feriados, devidos aos empregados comissionados, tomará por base o total das comissões auferidas no mês, dividido pelos dias efetivamente trabalhados, multiplicados pelos domingos e feriados a que fizer jus. Isonomia Salarial CLÁUSULA DÉCIMA - SALÁRIO DO SUBSTITUTO Quando um empregado for dispensado sem justa causa, ao empregado contratado para o seu lugar será garantido um salário igual ao do empregado de menor salário da função. CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - SALARIO SUBSTITUIÇÃO EVENTUAL Ao empregado que substituir eventualmente outro que perceba salário superior ao seu, por um período igual ou superior a 15 dias, deverá perceber o mesmo salário pago àquele que estiver substituindo, durante o período que perdurar a substituição. Descontos Salariais CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - CAIXA - DESCONTO DE CHEQUES As empresas não poderão descontar do salário dos empregados que exerçam a função de caixa ou equivalente, valores relativos a cheques sem cobertura ou fraudulentamente emitidos, se por eles foram cumpridas as formalidades exigidas pelo empregador para sua aceitação.

4 PARÁGRAFO ÚNICO - As formalidades a que se refere o caput deverão constar de documento escrito e rubricado pelo empregado. CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - ATRASOS AO SERVIÇO Fica proibido o desconto do repouso remunerado semanal e do feriado correspondente, quando o empregado, apresentando-se atrasado, for admitido ao serviço. CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - DESCONTOS SALARIAIS - BENEFÍCIOS Serão considerados válidos os descontos salariais, desde que prévia e expressamente autorizados pelo empregado, efetuados pelo empregador a título de mensalidade de associação de empregados; fundações; clubes; previdência privada; transporte; despesas realizadas em lanchonete da empresa ou local com idêntica função se houver; seguro de vida em grupo; farmácia; compras no próprio estabelecimento, inclusive de ferramentas e utensílios de trabalho não devolvidos; convênios com médicos, dentistas, clínicas, óticas, funerárias, hospitais, casas de saúde e laboratórios; convênios com lojas; convênios para fornecimento de alimentação seja através de supermercado ou por intermediação de SESC ou SESI; contribuição confederativa regularmente instituída; e outros referentes a benefícios que forem comprovadamente, utilizados pelo empregado em seu proveito. PARÁGRAFO ÚNICO - Fica ressalvado o direito do empregado de cancelar, a qualquer tempo e por escrito, a autorização para que se proceda aos descontos salariais acima especificados, respeitadas as obrigações já anteriormente assumidas pelo empregado. CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - CAIXA- CONFERÊNCIA A conferência do caixa será efetuada à vista do empregado por ele responsável, sob pena de resultar inimputável a este qualquer irregularidade ou diferença. CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - COMISSIONADOS - DESCONTO OU ESTORNO DE COMISSÕES O empregador poderá estornar a comissão paga ao empregado em caso de: a) Ocorrer devolução da mercadoria vendida em até trinta (30) dias contados da data da venda; b) O vendedor efetuar a venda de produto inexistente no estoque do estabelecimento. CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - MENSALIDADE SOCIAL As empresas ficam obrigadas a descontar, em folha de pagamento, e repassar ao Sindicato convenente, até o 5º (quinto) dia de cada mês, as mensalidades devidas pelos seus associados, desde que autorizadas pelos mesmos, de acordo com o que determina o artigo 545 da CLT. PARÁGRAFO PRIMEIRO - Compromete-se o Sindicato profissional a fornecer às empresas uma relação dos empregados a ele associados, bem como a comprovar a autorização do empregado para o desconto caso ele a negue perante a empresa. PARÁGRAFO SEGUNDO - As empresas que não repassarem os valores descontados no

5 prazo estabelecido pelo caput desta cláusula, estarão obrigadas a fazê-lo com os valores corrigidos pelos índices do INPC/IBGE, acrescidos de uma multa de 5% (cinco por cento) após os primeiros 30 (trinta) dias e de 10% (dez por cento) após 60 (sessenta) dias, e estes acrescidos de juros de 1% (um por cento) ao mês, a partir de 90 (noventa) dias. CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL EMPREGADOS Em razão do direito indisponível assegurado pela Organização Internacional do Trabalho e da Constituição Federal de ser livre o sindicato dos trabalhadores, delibera a assembléia geral da categoria, que instaurou a negociação coletiva de 2010/2011, em aprovar a contribuição assistencial de todos os seus membros e em favor do SINDEC/ENCANTADO. PARÁGRAFO PRIMEIRO - A contribuição corresponderá ao valor de dois dias de salário do empregado, parcelados na seguinte forma: I. 1 (um) dia do salário total (salário base, horas extraordinárias, abonos, adicionais, comissões, etc.) percebido no mês de junho de 2011, limitado em R$ 314,00; II. II. 1 (um) dia do salário total (salário base, horas extraordinárias, abonos, adicionais, comissões, etc.) percebido no mês de outubro de 2011, limitado em R$ 314,00; PARÁGRAFO SEGUNDO - Compete ao empregador proceder nos descontos da contribuição prevista nesta cláusula, nas folhas de pagamentos de junho de 2011, outubro de 2011 recolhendo-as, respectivamente, através de guias fornecidas pelo SINDEC até o quinto dia do mês seguinte ao desconto. PARÁGRAFO TERCEIRO - O pagamento poderá ser efetuado no horário comercial diretamente na sede do SINDEC; ou por via bancária, em estabelecimento a ser indicado, em nome do SINDICATO DOS TRABALHADORES NO COMÉRCIO E SERVIÇOS DE ENCANTADO E ROCA SALES. PARÁGRAFO QUARTO - No caso do contrato de trabalho ser extinto antes dos prazos estabelecidos nesta cláusula, a contribuição será integralmente descontada e recolhida ao SINDEC precedentemente ao ato de pagamento das verbas rescisórias. PARÁGRAFO QUINTO - Os recolhimentos efetuados fora do prazo (valor principal) serão acrescidos de multa de 10% (dez por cento) e atualização monetária. PARÁGRAFO SEXTO - Fica estabelecido que o sindicato profissional deverá informar ao empregador e os empregados o valor da contribuição fixada no caput desta cláusula. PARÁGRAFO SÉTIMO - O desconto a que se refere a presente cláusula fica condicionado a não oposição pelo empregado, manifestada por carta escrita ao sindicato profissional, em até 10 (dez) dias da informação do sindicato ou em até 10 (dez) dias antes do pagamento do primeiro salário reajustado nos termos da presente convenção. PARÁGRAFO OITAVO - Havendo recusa do sindicato em receber a carta de oposição, o empregado poderá remeter pelo correio, com aviso de recebimento. O trabalhador deverá apresentar cópia da carta de oposição com o recebimento do sindicato profissional ou com o aviso de recebimento do correio para o empregador, para que este se abstenha de efetuar ao desconto.

6 PARÁGRAFO NONO - Caso a empresa seja condenada a ressarcir o empregado de valores descontados e repassados ao Sindicato suscitante, nos termos previstos no caput desta cláusula, fica o mesmo obrigado a devolver os valores à empresa, se solicitado. Outras normas referentes a salários, reajustes, pagamentos e critérios para cálculo CLÁUSULA DÉCIMA NONA - COMPENSAÇÕES Poderão ser compensados nos reajustes previstos na presente convenção aos aumentos salariais, espontâneos ou coercitivos, concedidos durante o período revisando exceto os provenientes de término de aprendizagem, de implemento de idade, de promoção por antigüidade ou merecimento, de transferência de cargo, função, estabelecimento ou localidade, e de equiparação salarial determinada por sentença transitada em julgado. CLÁUSULA VIGÉSIMA - FORNECIMENTO - RECIBO DE SALÁRIO As empresas fornecerão aos seus empregados no ato do pagamento dos salários, discriminativos dos pagamentos e descontos efetuados através de cópia de recibos ou envelopes de pagamentos onde conste: a) o número de horas normais e extras trabalhadas; e b) o montante das vendas e/ou cobranças sobre as quais incidam as comissões e os percentuais destas. Gratificações, Adicionais, Auxílios e Outros 13º Salário CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA - COMISSIONADOS - FÉRIAS, RESCISÓRIAS E 13º SALÁRIO O empregado comissionado terá o valor de suas férias, parcelas rescisórias e 13º salário calculados com base na média da remuneração variável percebida nos últimos 12 (doze) meses, garantida a atualização monetária das parcelas que servirão de base de cálculo, de acordo com a variação acumulada do INPC/IBGE no período compreendido entre o mês a que se referem às comissões e o mês anterior, respectivamente, ao da concessão das férias, da satisfação das parcelas rescisórias ou do 13º salário. CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - FÉRIAS / ANTECIPAÇÃO DO 13º SALÁRIO As empresas pagarão até 50% (cinqüenta por cento) do décimo terceiro salário, devido à época da solicitação, aos empregados que o solicitarem até 05 (cinco) dias após o recebimento do aviso de férias, salvo em caso de férias coletivas. PARÁGRAFO ÚNICO Uma vez cumprida a determinação constante no caput da presente clausula, quando da satisfação da segunda parcela, no mês de dezembro de cada ano, esta corresponderá a 50% (cinqüenta por cento) do valor do salário vigente à época do

7 pagamento da mesma, independentemente de qualquer fator de atualização monetária. Adicional de Hora-Extra CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - HORA EXTRA NOS BALANÇOS E INVENTÁRIOS Quando a empresa realizar balanços e inventários, deverá fazê-lo preferencialmente dentro do horário normal de trabalho; ou, quando forem realizadas fora de horário normal, as horas correspondentes deverão ser pagas com o adicional de horas extras em geral previsto nesta convenção. PARÁGRAFO ÚNICO Não poderão ser realizados balanços e ou inventários, salvo acordo específico com o sindicato profissional, nos domingos, feriados e dias destinados ao repouso semanal, assim como, após às 18h do dia 24 de dezembro e após às 22h do dia 31 de dezembro. CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - HORAS EXTRAS NOS CURSOS E REUNIÕES Os cursos e reuniões promovidos pela empresa, quando de comparecimento obrigatório, serão realizados durante a jornada normal de trabalho ou as horas correspondentes serão pagas como extras. CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - HORAS EXTRAS EM GERAL As horas prestadas além do horário normal de trabalho (extras), quando não compensadas, serão remuneradas com acréscimo de 60% (sessenta por cento) para as duas primeiras horas e 100% (cem por cento) para as subseqüentes. PARÁGRAFO ÚNICO: As empresas fornecerão gratuitamente um lanche a seus empregados, que tiverem a jornada normal de trabalho prorrogada por tempo superior a uma 1:30 (uma hora e meia). CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA - HORA EXTRA COMISSIONISTA O cálculo da hora extra do empregado comissionista tomará por base o valor das comissões auferidas no mês, dividido pelo número de horas trabalhadas, acrescentando-se ao valorhora o adicional para horas extras em geral previsto nesta convenção. CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA - HORÁRIO DE TRABALHO NO PERÍODO NATALINO Durante o período natalino fica assegurado a cada empresa estabelecer o horário especial

8 de atendimento, desde que firmado acordo com seus empregados e que os empregados não comissionados tenham nas horas extras um acréscimo de 80% (oitenta por cento). A empresa deverá enviar cópia do acordo para o sindicato. Adicional de Tempo de Serviço CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA - ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO - QUINQUENIO Aos integrantes da categoria profissional será concedido um adicional de 2% (dois por cento) por cada período de 5 (cinco) anos de serviço na mesma empresa, que incidirá mês a mês sobre o salário percebido pelo empregado. PARÁGRAFO PRIMEIRO O adicional previsto nesta cláusula é devido independentemente da forma de remuneração, devendo ser aplicado, igualmente, mês a mês sobre a parcela variável do comissionista. PARÁGRAFO SEGUNDO - Adicionais por tempo de serviço já pagos pelas empresas aos seus empregados, tendo como parâmetro prazos e percentuais diversos dos ora estabelecidos poderão ser objeto de compensação, não se aplicando a presente cláusula na hipótese de percepção de condições mais vantajosas. Outros Adicionais CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA - CAIXA - ADICIONAL QUEBRA DE CAIXA Aos empregados que exerçam a função de caixa, exclusivamente, as empresas pagarão um adicional no valor de 10% (dez por cento) do salário percebido, a título de quebra de caixa, ficando ajustado que ditos valores não farão parte integrante do salário do empregado para qualquer efeito legal. Comissões CLÁUSULA TRIGÉSIMA - COMISSIONADOS - ANOTAÇÃO DA FORMA DE PAGAMENTO As empresas anotarão na CTPS de seus empregados ou no correspondente instrumento contratual, o percentual ajustado para o pagamento das comissões, sendo vedada à alteração dos respectivos percentuais por períodos sazonais. Auxílio Doença/Invalidez CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - ACIDENTE DE TRABALHO - AUXÍLIO

9 Aos empregados que sofrerem acidente de trabalho será concedido uma complementação de auxílio doença acidentário mensal, em valor equivalente a 50% (cinqüenta por cento) do Salário Mínimo Profissional, a partir da comprovação da concessão de benefício por parte da previdência social, enquanto durar, e proporcionalmente aos dias de afastamento, em conformidade com o Decreto Lei nº 3048/99, art. 214, 9º, inciso XIII (conforme a lei mencionada o benefício, não possui incidências). Auxílio Creche CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA - CRECHES Independentemente do número de empregadas mulheres, as empresas deverão possuir creches ou manter convênios com creches distritais mantidas, diretamente ou mediante convênio, com outras entidades públicas ou privadas, pelas próprias empresas, em regime comunitário, ou a cargo de entidades sindicais ou do SESC. PARÁGRAFO PRIMEIRO A creche com a qual é firmado o convênio, bem como o valor a ser pago, fica a critério do empregador, sendo que a utilização deste convênio restringe-se às crianças de 0 (zero) a 6 (seis) anos de idade, ficando o empregador dispensado de qualquer outro ônus, uma vez comprovado o convênio firmado e a garantia de vaga por parte da creche. PARÁGRAFO SEGUNDO As empresas que não cumprirem o estabelecido no caput desta Cláusula ficam obrigadas a pagar mensalmente à empregada-mãe o equivalente a 8% (oito por cento) do Salário Normativo na faixa em que a mãe se enquadre. PARÁGRAFO TERCEIRO O auxílio-creche não será devido nos períodos de férias e durante o período de licença maternidade. PARÁGRAFO QUARTO As empresas que cumprem o estabelecido no caput desta cláusula não podem alterar o convênio existente em prejuízo à empregada-mãe. Contrato de Trabalho Admissão, Demissão, Modalidades Normas para Admissão/Contratação CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA - FORNECIMENTO - CÓPIA DO CONTRATO DE TRABALHO As empresas fornecerão aos seus empregados a cópia do contrato de trabalho quando o mesmo não se possa conter por inteiro nas anotações da CTPS. CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - FORNECIMENTO - RECIBO DE DOCUMENTOS Os empregadores fornecerão, aos seus empregados, comprovante de recebimento de quaisquer documentos que por estes lhes sejam entregues, inclusive atestado de doença.

10 CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - FORNECIMENTO - UNIFORMES As empresas que exigirem o uso de uniformes ficam obrigadas a fornecê-los a seus empregados sem qualquer ônus, se o número de uniformes for igual ou inferior a 02 (dois) por ano. CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - MAQUILAGEM As empresas que exigirem que as empregadas trabalhem maquiladas fornecerão, gratuitamente, o material necessário, adequado a sua tez. CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA - CTPS/PRAZO DE DEVOLUÇÃO E ANOTAÇÃO DA FUNÇÃO As empresas deverão anotar na CTPS de seus empregados a função efetivamente exercida por eles no estabelecimento; quando isto ocorrer deverão devolvê-la ao empregado no prazo de 48 (quarenta e oito) horas. CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA - CONTRATO DE EXPERIÊNCIA - PRAZO E VALIDADE Os contratos de experiência não poderão ser celebrados por prazo inferior a 15 (quinze) dias nem superior a 90 (noventa) dias, devendo as empresas fornecer cópias dos mesmos no ato da admissão. PARÁGRAFO ÚNICO - É proibida a contratação em caráter experimental de pessoa que já tenha sido empregada pela empresa, inclusive na condição de estagiária. Desligamento/Demissão CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA - RESCISÃO / NECESSIDADE DE HOMOLOGAÇÃO É obrigatória a homologação das rescisões contratuais dos empregados que contarem com mais de 180 (cento e oitenta) dias de serviço, aplicando-se, no que couber, as demais regras do artigo 477 da CLT. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - RESCISÃO / NOTIFICAÇÃO DA JUSTA CAUSA As empresas notificarão por escrito ao empregado a justa causa invocada para rescisão contratual. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA PRIMEIRA - RESCISÃO / DATA, HORÁRIO E LOCAL As empresas deverão anotar, no verso do aviso prévio a data, o horário e o local de recebimento dos valores relativos à rescisão contratual.

11 PARÁGRAFO PRIMEIRO - A inobservância do prazo acima sujeitará a empresa infratora ao pagamento de multa prevista na CLT, limitada ao valor do salário do empregado. PARÁGRAFO SEGUNDO - Se o empregado não comparecer no local, dia e hora designados para o pagamento, ou, comparecendo, negar-se a receber as importâncias que lhe forem oferecidas, não caberá a multa mencionada no parágrafo anterior e fica o sindicato suscitante obrigado a dar uma declaração ao empregador dos fatos ocorridos. Aviso Prévio CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEGUNDA - AVISO PRÉVIO / DISPENSA DE CUMPRIMENTO O empregado que, em cumprimento do aviso prévio dado pelo empregador, provar a obtenção de novo emprego, terá direito de se desligar da empresa de imediato, percebendo os dias trabalhados no curso do aviso, sem prejuízo das parcelas rescisórias. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA TERCEIRA - AVISO PRÉVIO / ALTERAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO Ficam proibidas as alterações nas condições de trabalho, inclusive no local de trabalho, durante o aviso prévio, dado por qualquer das partes, salvo nos casos em que o empregado exercer cargo de confiança e retornar ao cargo efetivo, sob pena de rescisão imediata no contrato de trabalho, respondendo o empregador pelo pagamento do restante do aviso prévio. CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUARTA - AVISO PRÉVIO - DURAÇÃO O aviso prévio para o empregado com mais de 50 (cinqüenta) anos de idade e que conte com 8 (oito) anos ou mais de atividade na mesma empresa, será de 60 (sessenta) dias. Suspensão do Contrato de Trabalho CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUINTA - CONTRATO DE EXPERIÊNCIA - SUSPENSÃO O contrato de experiência será suspenso se o empregado entrar em gozo de benefício previdenciário, completando-se o tempo nele previsto, após a alta. Relações de Trabalho Condições de Trabalho, Normas de Pessoal e Estabilidades Estabilidade Aposentadoria CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEXTA - ESTABILIDADE DO EMPREGADO

12 APOSENTANDO Fica assegurada ao empregado que trabalhe a mais de 8 (oito) anos na mesma empresa, estabilidade provisória de um 1 (um) ano que anteceda a aposentadoria por idade. O implemento da condição poderá ser comunicado ao empregador em qualquer tempo, até após a concessão do aviso. Outras normas referentes a condições para o exercício do trabalho CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA - INTERVALO PARA AMAMENTAÇÃO Os intervalos para amamentação, previstos no artigo 396 da CLT, poderão ser acumulados em um único turno da jornada de trabalho a critério da empregada-mãe, inclusive a escolha do turno. Outras estabilidades CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA OITAVA - GESTANTE / ESTABILIDADE À empregada gestante será assegurada a estabilidade no emprego durante a gravidez e até 90 (noventa) dias após o retorno do benefício previdenciário. PARÁGRAFO ÚNICO - Na hipótese de dispensa sem justa causa, a empregada deverá apresentar à empresa, atestado médico comprobatório de gravidez anterior ao aviso prévio, dentro de 60 (sessenta) dias após a data do término do aviso prévio. Jornada de Trabalho Duração, Distribuição, Controle, Faltas Duração e Horário CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA NONA - HORÁRIO / ESTUDANTES As empresas, durante o ano letivo, comprometem-se a não modificarem o horário de trabalho de seus empregados estudantes de modo a prejudicar a freqüência às aulas. Prorrogação/Redução de Jornada CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA - ABONO DE PONTO / ATESTADO MÉDICO Fica garantido o abono das faltas justificadas com atestados fornecidos por médicos, odontólogos, psicólogos ou psiquiatras.

13 CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA PRIMEIRA - ABONO DE PONTO - ESTUDANTE Os empregados estudantes, matriculados em escolas oficiais ou reconhecidas, em dia de realização de provas finais ou de cada semestre, serão dispensados de seus pontos durante meio dia de trabalho, desde que comuniquem a empresa 48 (quarenta e oito) horas antes e comprovem a realização da prova 48 (quarenta e oito) horas depois. PARÁGRAFO ÚNICO O empregado poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo salarial nos dias em que estiver realizando provas de exame vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior, desde que comunique a empresa quarenta e oito horas antes da primeira prova e comprove a realização dos exames até quarenta e oito horas após a última prova. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEGUNDA - ABONO DE PONTO - SAQUE DO PIS As empresas dispensarão seus empregados durante 02 (duas) horas do expediente da jornada de trabalho, sem prejuízo salarial, para o saque das parcelas do PIS e, durante 01 (um) dia, quando seu domicílio bancário for fora da cidade. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA TERCEIRA - ABONO DE PONTO - FILHOS DOENTES Ficam garantidos os abonos de ponto no caso de consulta médica ou internação de filhos menores de 12 (doze) anos de idade, ou inválidos de qualquer idade, desde que comprovado por declaração médica, mediante comprovação (atestado médico), para PAI ou MÃE comerciários, limitado ao máximo de 08 (oito) dias por ano. PARÁGRAFO PRIMEIRO: Em caso de internação hospitalar, fica garantido o abono de ponto em até no máximo 30 dias ao ano (janeiro a dezembro). PARÁGRAFO SEGUNDO: Em caso de cuidados domiciliares, desde que prescrito por ordem médica, fica garantido o abono de ponto em até no máximo 30 dias ao ano (janeiro a dezembro). Compensação de Jornada CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUARTA - COMPENSAÇÃO DA JORNADA (BANCO DE HORAS) A duração normal da jornada de trabalho poderá, para fins de adoção do regime de compensação horária de que trata o art. 59 da CLT, ser acrescida de horas suplementares em número não excedente de 02 (duas) horas, respeitada a seguinte sistemática: a) O regime de compensação horária poderá ser estabelecido em um período máximo de 42 (quarenta e dois) dias; b) O número máximo de horas extras a serem compensadas dentro do respectivo mês será de 30 (trinta) horas por trabalhador; c) As horas excedentes ao limite previsto na letra b da presente cláusula, serão pagas como extras e acrescidas do adicional previsto nesta convenção; d) As empresas que utilizarem a compensação deverão adotar o controle de ponto da carga horária do empregado, fornecendo ao mesmo cópia deste cartão junto com o recibo mensal de salário; e) A compensação prevista nesta cláusula compreende o período de segunda-feira a

14 sábado, respeitado o caput da presente cláusula. PARÁGRAFO PRIMEIRO As horas de trabalho reduzidas na jornada para posterior compensação não poderão ser objeto de descontos salariais, caso não venham a ser compensadas com o respectivo aumento da jornada dentro do mês e nem poderão ser objeto de compensação nos meses subseqüentes. PARÁGRAFO SEGUNDO Havendo rescisão de contrato e se houver crédito a favor do empregado, as respectivas horas serão computadas e remuneradas com o adicional de horas extras previsto nesta convenção. PARÁGRAFO TERCEIRO Se houver débitos de horas do empregado para com o empregador, na hipótese de rompimento de contrato por iniciativa do empregador, as horas não trabalhadas serão abonadas, sem qualquer desconto nas verbas a que o trabalhador tiver direito na rescisão de contrato de trabalho. PARÁGRAFO QUARTO - A faculdade estabelecida no caput desta cláusula se aplica a todas as atividades, inclusive aquelas consideradas insalubres, independentemente da autorização a que se refere o artigo 60 da CLT. Controle da Jornada CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUINTA - LIVRO OU CARTÃO-PONTO As empresas que possuírem mais de 03 (três) empregados serão obrigadas a utilizar livro ou cartão-ponto, com obrigatoriedade de o empregado registrar seu horário de trabalho. Jornadas Especiais (mulheres, menores, estudantes) CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEXTA - HORAS EXTRAS - ESTUDANTE / PRORROGAÇÃO DA JORNADA O empregado estudante poderá não aceitar a prorrogação de seu horário de trabalho, se tal vier a prejudicar-lhe a freqüência às aulas e/ou exames escolares. Férias e Licenças Duração e Concessão de Férias CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SÉTIMA - FÉRIAS PROPORCIONAIS - RESCISÃO Aos empregados que solicitarem a rescisão do contrato de trabalho, espontaneamente, serão pagas férias proporcionais, acrescidas do 1/3 previsto na Constituição Federal, desde

15 que o empregado conte com mais de 180 (cento e oitenta) dias de trabalho. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA OITAVA - FÉRIAS - INÍCIO O primeiro dia, das férias concedidas, não poderá coincidir com domingo ou feriado. CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA NONA - FÉRIAS - FRACIONAMENTO Os empregados poderão requerer o fracionamento de férias em período não inferior a 15 (quinze) dias corridos, salvo em caso citado no parágrafo 2º, sendo facultado aos empregadores conceder ou não o fracionamento. PARÁGRAFO PRIMEIRO Deferido o fracionamento das férias, o empregador deverá proceder ao pagamento do valor correspondente antes do início do período de cada uma das frações. PARÁGRAFO SEGUNDO - Caso o empregado venda 10 dias de férias este poderá requerer o fracionamento do restante das férias em período não inferior a 10 dias, sendo facultado ao empregador conceder ou não. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA - FÉRIAS CONCESSÃO ANTECIPADA As empresas poderão conceder as férias de forma antecipada e antes de completado o período aquisitivo, desde que respeitado o período mínimo de 10 dias e pago o valor relativo antes do início do gozo. PARÁGRAFO ÚNICO Se houver uma rescisão contratual os valores antecipados poderão ser compensados. Saúde e Segurança do Trabalhador Condições de Ambiente de Trabalho CLÁUSULA SEXAGÉSIMA PRIMEIRA - VESTIÁRIO E BEBEDOUROS NO LOCAL DE TRABALHO As empresas com mais de 20 (vinte) funcionários, deverão manter vestiários e bebedouros, em condições que permitam seus empregados a trocarem a roupa e/ou guardarem seus pertences de forma individualizada e com segurança, sob pena de indenizarem as perdas em caso de furto ou roubo. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA SEGUNDA - LOCAL DE TRABALHO - ASSENTOS / BANCOS As empresas colocarão assentos nos locais de trabalho, para uso dos empregados que

16 tenham por atividade o atendimento ao público, nos termos da Portaria nº 3214/78 do Ministério do Trabalho. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA TERCEIRA - LOCAL PARA LANCHES / REFEIÇÕES As empresas que não dispensarem seus empregados pelo período necessário para fazer lanche ou refeição, deverão manter um local apropriado em condições de higiene para tal. Exames Médicos CLÁUSULA SEXAGÉSIMA QUARTA - EXAMES ADMISSIONAIS / DEMISSIONAIS - PAGAMENTO Os exames médicos sejam eles admissionais, periódicos ou demissionais, assim como, os radiológicos, laboratoriais ou outros requisitados pelo médico, serão pagos pelo empregador. PARÁGRAFO PRIMEIRO - A empregadora deverá fornecer cópia do atestado fornecido pelo médico ao empregado. PARÁGRAFO SEGUNDO - Fica vedada a solicitação de exames do tipo planoteste ou HCG. CLÁUSULA SEXAGÉSIMA QUINTA - ACIDENTE DO TRABALHO - ENCAMINHAMENTO DO BENEFÍCIO As despesas do empregado, com médicos e remédios, decorrentes da negativa da empresa de encaminhá-lo ao seguro por acidente do trabalho, serão por ela suportados. Relações Sindicais Acesso a Informações da Empresa CLÁUSULA SEXAGÉSIMA SEXTA - RAIS - ENCAMINHAMENTO Os empregadores deverão encaminhar ao sindicato profissional, até trinta dias após o prazo final da entrega, cópia da relação anual de informações sociais (Rais). Contribuições Sindicais CLÁUSULA SEXAGÉSIMA SÉTIMA - RELAÇÃO DE EMPREGADOS - ENCAMINHAMENTO As empresas encaminharão ao sindicato profissional, no prazo máximo de 30 (trinta) dias após o respectivo desconto, cópias das guias de recolhimento das Contribuições Sindical e

17 Assistencial, devidamente acompanhadas da relação nominal dos empregados e da GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social). CLÁUSULA SEXAGÉSIMA OITAVA - DESCONTO ASSISTENCIAL PATRONAL Todas as empresas representadas pelo SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE LAJEADO, independente de associação, que se utilizarem da presente convenção coletiva de trabalho, ficam obrigadas a recolher aos cofres da referida entidade, mediante guias próprias e em estabelecimentos bancários indicados, importância equivalente a 3 (tres) dias de salário de todos os empregados, já reajustado, e vigente à época do pagamento, até o dia 15/07/2011, sob pena das cominações previstas no Artigo nº 600 da CLT. PARÁGRAFO PRIMEIRO - Nenhuma empresa, possuindo ou não empregados, poderá contribuir a este título com importância inferior a R$ 60,00 (sessenta reais). PARÁGRAFO SEGUNDO - As empresas cuja contribuição assistencial ultrapassar o valor de R$ 350,00 poderão solicitar ao sindicato patronal o pagamento da contribuição em duas parcelas iguais a serem recolhidas em 15/07/2011 e 15/08/2011. PARÁGRAFO TERCEIRO - O recolhimento da obrigação ora instituída é ônus do empregador, constituindo-se em contribuição assistencial que será aplicada em benefícios assistenciais à categoria. Outras disposições sobre representação e organização CLÁUSULA SEXAGÉSIMA NONA - SINDICATOS - PARTICIPAÇÃO EM NEGOCIAÇÕES É obrigatória a participação dos sindicatos patronais e profissionais nas negociações coletivas de trabalho, conforme dispõem o Artigo 8º, inciso IV da Constituição Federal. Disposições Gerais Descumprimento do Instrumento Coletivo CLÁUSULA SEPTUAGÉSIMA - MULTA POR DESCUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER Na hipótese de descumprimento de disposição prevista na presente convenção coletiva de trabalho que contenha obrigação de fazer, a entidade profissional notificará, por qualquer meio, a entidade patronal acordante, que diligenciará junto à empresa para que a obrigação seja satisfeita no prazo improrrogável de 72 (setenta e duas) horas, contados do recebimento da notificação. PARÁGRAFO ÚNICO - Persistindo o descumprimento, desde que a cláusula não contenha multa específica ou não haja previsão legal a respeito, o empregador pagará multa, em favor do empregado prejudicado, no valor equivalente a 25% (vinte cinco por cento) do piso salarial da categoria, e, no caso de reincidência, aplicar-se-á a multa no percentual de 50% (cinqüenta

18 por cento) do piso salarial. VANDERSON GISCH DIAS Presidente SINDICATO DOS TRABALHADORES NO COMERCIO E SERVICOS DE ENCANTADO E ROCA SALES MARCOS ANDRE MALLMANN Presidente SINDICATO DO COMERCIO VAREJISTA DE LAJEADO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000571/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015784/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.005633/2015-54 DATA

Leia mais

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000336/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR010090/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.002960/2015-54 DATA

Leia mais

Entidade (s) Profissional (is): Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio do Estado do Rio Grande do Sul

Entidade (s) Profissional (is): Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio do Estado do Rio Grande do Sul Nº 46218.011718/2009-23 Entidade (s) Profissional (is): Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos no Comércio do Estado do Rio Grande do Sul Entidade (s) Patronal (is): Sindicato das Sociedades de

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 (EM REGISTRO)

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 (EM REGISTRO) CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 (EM REGISTRO) NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR037777/2014 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 01/07/2014 ÀS 10h33min SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE CANOAS, CNPJ n.

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008 SINDICATO PROFISSIONAL CONVENENTE: SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE SÃO GABRIEL, registro no MTE/DNT sob nº 02392, no ano de 1945, neste ato representado por

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG005003/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR079528/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.007490/2014-02 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DOS TECNICOS EM SEGURANCA TRABALHO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ n. 25.578.642/0001-01, neste ato representado por seu Presidente, Sr. CLÁUDIO FERREIRA SANTOS;

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR084215/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 11/01/2016 ÀS 10:09 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE RIO PARDO, CNPJ n. 91.340.455/0001-01,

Leia mais

Ficam instituídos os seguintes pisos salariais a partir de Junho de 2014: a) R$ 910,00 (Novecentos e dez reais) para os empregados em geral;

Ficam instituídos os seguintes pisos salariais a partir de Junho de 2014: a) R$ 910,00 (Novecentos e dez reais) para os empregados em geral; NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000545/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/04/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016165/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.005081/2015-84 DATA DO PROTOCOLO: 30/03/2015 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

Celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: SINDICATO TRABALHADORES MOV MERC EM GERAL DE PASSOS, CNPJ n. 64.480.692/0001-03, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). Manoel Messias dos Reis Silva; E FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001428/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021439/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.003413/2010-41 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034158/2014 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE CANOAS, CNPJ n. 90.811.605/0001-55, neste ato representado(a) por seu Tesoureiro, Sr(a).

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000276/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/02/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005346/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.024928/2011-26

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001593/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 03/02/2015 ÀS 14:03 SINDICATO DAS EMPRESAS DE LOCACAO DE BENS MOVEIS DO RGS, CNPJ n. 93.712.909/0001-53,

Leia mais

b) Encarregado de serviço de limpeza e office-boy R$ 900,00 (novecentos reais);

b) Encarregado de serviço de limpeza e office-boy R$ 900,00 (novecentos reais); CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001652/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR047277/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.012572/2014-09 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022108/2014 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 15/05/2014 ÀS 15:35 SINDICATO DO COM VAREJ DE PROD FARMACEUTICOS NO EST RGS, CNPJ n. 92.963.875/0001-07,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE AUTOMÓVEIS E ACESSÓRIOS DE BELO HORIZONTE, CNPJ n. 17.265.893/0001-08, neste ato representado por seu Presidente, Sr. HELTON ANDRADE;

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2014

CONVENÇÃO COLETIVA 2014 CONVENÇÃO COLETIVA 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 17.437.757/0001-40, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000302/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR007389/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.002760/2015 00 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DATA-BASE MAIO/2014 MTE MR069210/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DATA-BASE MAIO/2014 MTE MR069210/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DATA-BASE MAIO/2014 MTE MR069210/2014 Que fazem entre si o Sindicato dos Empregados no Comércio de Santa Cruz do Sul, registrado no MTb sob o nº 46000.007655 de 1995, inscrito

Leia mais

Convenção Coletiva 2014

Convenção Coletiva 2014 Convenção Coletiva 2014 SINDICATO DOS MENSAGEIROS MOTOCICLISTAS E CICLISTAS, MOTO- FRETE, MOTOBOYS E MOTO-TAXISTAS DE CURVELO E REGIÃO, CNPJ n 12.512.993/0001-60, NESTE ATO REPRESENTADO POR SEU PRESIDENTE,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002782/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR075860/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.019839/2014-81 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

Os empregados admitidos a partir de 01/06/2013, terão seus salários reajustados conforme tabela abaixo:

Os empregados admitidos a partir de 01/06/2013, terão seus salários reajustados conforme tabela abaixo: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000321/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001754/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.002635/2015-91 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000598/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/04/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR019815/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.005006/2012-71 DATA

Leia mais

A partir de 01 de abril de 2015 os pisos e salários, obedecido o limite de três pisos salariais, serão reajustados na forma deste instrumento.

A partir de 01 de abril de 2015 os pisos e salários, obedecido o limite de três pisos salariais, serão reajustados na forma deste instrumento. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017550/2016 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 29/03/2016 ÀS 17:16 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE PASSO FUNDO, CNPJ n. 92.046.820/0001-32,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001621/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR020706/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.008089/2011-29 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002785/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR075836/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.019833/2014-11 DATA

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000812/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 19/06/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017988/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.002440/2009-54 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 FEDERACAO DO COMERCIO DE BENS, SERVICOS E TURISMO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - FECOMERCIO-MG, CNPJ n. 17.271.982/0001-59, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000776/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015125/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46305.000402/2014-94 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR001254/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/04/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR017099/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.006142/2011-57 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. A imagem vinculada não pode ser exibida. Talvez o arquivo tenha sido movido, renomeado ou excluído. Verifique se o vínculo aponta para o arquivo e o local corretos. NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001360/2013

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002664/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/12/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR070625/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.015916/2012-61 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 16 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000712/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021153/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.007196/2013-41

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016087/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 26/03/2015 ÀS 13:26 SIND COM VAREJ VEICULOS E PECAS E ACES VEIC NO ERGSUL, CNPJ n. 92.961.523/0001-12,

Leia mais

Pagamento de Salário Formas e Prazos

Pagamento de Salário Formas e Prazos CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061770/2014 SINDICATO DO COMERCIO VAREJISTA DE CAMAQUA, CNPJ n. 90.153.453/0001-40, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a).

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000637/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR004928/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.001229/2011-48 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS de 12 11/12/2014 16:32 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002934/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 11/12/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080066/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46274.003547/2014-51

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO Ilma. Sra. Dra. NEUSA DE AZEVEDO D. D. Delegada Regional do Trabalho/RS SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ, registro sindical nº005.179.02342-0 e ref. processo 24400.000754/91,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 8 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000792/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016119/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 47193.000049/2012-58

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR027995/2013 SINDICATO EMPREG.NO COMERCIO HOTELEIRO,BARES,RESTAUR.E SIMILARES DE MONTENEGRO, CNPJ n. 02.869.528/0001-27, neste ato representado(a)

Leia mais

ACORDO COLETIVO 2008/2009

ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE VITÓRIA DA CONQUISTA ACORDO COLETIVO 2008/2009 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO EM VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA 01 DE MARÇO DE 2008 CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS Página 1 de 13 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001260/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR041399/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.011547/2015-81

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005-2006

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005-2006 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005-2006 Cláusula Primeira - Entidades signatárias: SINDICATO DAS EMPRESAS DE COMPRA, VENDA, LOCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE IMÓVEIS E DOS EDIFÍCIOS EM CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000145/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 31/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR080680/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.001357/2014-74 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029594/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 21/05/2015 ÀS 15:50 SINDICATO DOS EMP NO COM DE CONSELHEIRO LAFAIETE, CNPJ n. 19.721.463/0001-70,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 11 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001368/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038297/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009223/2012-30 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000954/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029028/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009096/2013-50 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001069/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034655/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009004/2011-70 DATA DO

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS 1 de 7 25/07/2014 09:03 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001369/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038747/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.014791/2014-44

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Imprimir Salvar CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000309/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR007995/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.002706/2015

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

Categoria abrangida: Empregados em Empresas de Turismo de Porto Alegre

Categoria abrangida: Empregados em Empresas de Turismo de Porto Alegre Convenção Coletiva de Trabalho 46218.009286/2008-18 O SINDICATO DAS EMPRESAS DE TURISMO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SINDETUR, conjuntamente com o SINDICATO DOS EMPREGADOS EM EMPRESAS DE TURISMO DE PORTO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2011

CONVENÇÃO COLETIVA 2011 SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA E ATACADISTA DE VITÓRIA DA CONQUISTA CONVENÇÃO COLETIVA 2011 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO EM VITÓRIA DA CONQUISTA - BAHIA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PELO PRESENTE

Leia mais

Admissão Reajuste Maio/2012 8,00 Junho/2012 7,34 Julho/2012 6,99

Admissão Reajuste Maio/2012 8,00 Junho/2012 7,34 Julho/2012 6,99 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044531/2013 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 14/08/2013 ÀS 13:18 SINDICATO EMPREGADOS AGENTES AUTONOMOS COMERC ESTADO RS, CNPJ n. 93.074.383/0001-23,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL 1 de 5 05/11/2014 10:02 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002761/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/11/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR066410/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.007110/2014-12

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000787/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/05/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024630/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.008066/2015-98 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2016 SIND DOS EMP VEN E VIAJ DO C P P V E VEN DE P FAR DO DF, CNPJ n. 00.449.181/0001-38, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). MARIA APARECIDA ALVES

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000487/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 09/04/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011697/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46271.000437/2012-04 DATA

Leia mais

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao...

http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/resumo/resumovisualizar?nrsolicitacao... Página 1 de 5 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000542/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR024046/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46290.001101/2013-11 DATA DO PROTOCOLO: 23/05/2013 CONVENÇÃO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000212/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/05/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021394/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.003027/2013-64 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001648/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/09/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR052835/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.014468/2015-21 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR026037/2013 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMERCIO DE SAO JOSE E REGIAO, CNPJ n. 03.392.229/0001-07, neste ato representado(a) por seu Membro

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 15 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002055/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061308/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46274.001426/2011-22 DATA

Leia mais

Fica estabelecido o seguinte salário normativo:

Fica estabelecido o seguinte salário normativo: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR036656/2014 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 18/07/2014 ÀS 17:46 SINDICATO INTERMUNICIPAL DA HOTELARIA NO ESTADO DO RS, CNPJ n. 94.067.345/0001-06,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001604/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR039885/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46305.001487/2011-85 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: AM000415/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 17/09/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044279/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46202.014239/2014-03 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000021/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/01/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR070999/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46272.005609/2013-07 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO REAJUSTES/CORREÇÕES SALARIAIS CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000011/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 06/01/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR083032/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.023038/2014 10 DATA

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 9 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000306/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 25/02/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR008294/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46303.000125/2010-14

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 EMPREGADOS EM SOCIEDADES DE FOMENTO MERCANTIL - FACTORING

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 EMPREGADOS EM SOCIEDADES DE FOMENTO MERCANTIL - FACTORING CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 EMPREGADOS EM SOCIEDADES DE FOMENTO MERCANTIL - FACTORING 1 - BENEFICIÁRIOS São beneficiários do presente instrumento todos os empregados em Sociedades de Fomento

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001328/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032173/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.014915/2013-19 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000170/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR000920/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.000168/2015-16

Leia mais

I ) Ficam instituídos, a partir de 1º de junho de 2013, os seguintes salários mínimos profissionais:

I ) Ficam instituídos, a partir de 1º de junho de 2013, os seguintes salários mínimos profissionais: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR076404/2013 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 05/12/2013 ÀS 14:45 SINDICATO DOS EMPREG COMERCIO DE STO ANTONIO PATRULHA, CNPJ n. 91.310.425/0001-52,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP008079/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/09/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044195/2009 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.004278/2009-22 DATA

Leia mais

1. VIGÊNCIA A presente convenção terá vigência de 12 (doze) meses a contar de 1º de julho de 2.012.

1. VIGÊNCIA A presente convenção terá vigência de 12 (doze) meses a contar de 1º de julho de 2.012. EMPREGADOS EM SOCIEDADES DE FOMENTO MERCANTIL FACTORING Entre as partes, de um lado, representando a Categoria Profissional, o SINDICATO DOS EMPREGADOS DE AGENTES AUTONOMOS DO COMÉRCIO E EM EMPRESAS DE

Leia mais

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem.

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDIMVET SINDICATO DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO e SINPAVET SINDICATO PATRONAL DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÀO PAULO PERÍODO

Leia mais

Página 1 de 9 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000565/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR019555/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.006097/2014-23 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002547/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 29/11/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR069674/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.031201/2012-86 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS002219/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 02/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR013662/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.004902/2014-84 DATA

Leia mais

SIND EMP EMPRESAS COMPRA VENDA LOC ADMN DE IMOVEIS RGS, CNPJ n. 93.074.185/0001-60, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a).

SIND EMP EMPRESAS COMPRA VENDA LOC ADMN DE IMOVEIS RGS, CNPJ n. 93.074.185/0001-60, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR036129/2011 SIND EMP EMPRESAS COMPRA VENDA LOC ADMN DE IMOVEIS RGS, CNPJ n. 93.074.185/0001-60, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA E O SINDICATO DO COMERCIO VAREJISTA DE MAQUINISMOS, FERRAGENS, TINTAS E MATERIAL

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001949/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/09/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044190/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.015023/2013-05 DATA

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015. Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002515/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR038779/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004745/2014-77 DATA

Leia mais