Capítulo 2. Fundamentos de Java

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 2. Fundamentos de Java"

Transcrição

1 Capítulo 2. Fundamentos de Java 1/52

2 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicialização Casting Literais Operadores Aritméticos Relacionais Bit a Bit De atribuição Expressões, statements e blocos Funções matemáticas A classe math Indice Controlo de Fluxo If Else Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi-dimensionais 2/52

3 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicialização Casting Literais Operadores Aritm Aritmééticos ticos Relacionais Bit a Bit De atribuiçção Expressões, statements e blocos Funções matemáticas ticas A A classe math 2.1 Variáveis Controlo de Fluxo If If Else Switch Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi- -dimensionais 3/52

4 2.1 Variáveis Tipos de variáveis em JAVA. Em Java, campos ou variáveis designam a mesma coisa. int cadence = 0; int CurrentSpeed = 0; int gear = 1; Como visto, o objecto guarda o seu estado em variáveis Tipo primitivo ou pré-definido. -Usado em valores simples que não permitem decomposição (tais como números e caracteres) -Exemplos: 1, 1.0 e a são valores do tipo primitivo int, double e char respectivamente -Quatro tipos inteiro (byte, short, int e long) em que int é o mais comum. -Dois tipos em virgula flutuante (float e double) onde double é o mais comum -Tipo caractar (char) e Tipo boleana (boolean) Tipo classe (ou referência) -Usado em objectos que contêm dados e sobre os quais se podem executar acções (métodos) -Exemplo: A disciplina de programação avançada é um valor do tipo classe String 4/52

5 2.1 Variáveis Tipos de variáveis em JAVA Variáveis tipo primitivo em Java bit sinal + 7 bit = 8bit Valor por defeito L Precisão simples Precisão dupla 0.0f 0.0d \u0000 false Representação inteiros octais e hexadecimais int decval = 26; // 26 em decimal int octval = 032; // 26 em octal int hexval = 0x1a; // 26 em hexadecimal Virgula flutuante double d1 = 123.4; // com. É d por defeito double d2 = 1.234e2; // Notação científica(e) Float f1 = 123.4f; 5/52

6 2.1 Variáveis Ciclo de vida e escopo das variáveis em Java (scope) É o bloco de instruções no qual a variável está acessível (viva) O Sítio onde se declara a variável determina o seu ciclo de vida Variáveis de instância (campos não estáticos). -São todas as variáveis que armazenam valores independentes para cada instância. São declaradas sem a palavra static. -Exemplo: Variável CurrentSpeed de uma bicicleta é independente da CurrentSpeed de outra bicicleta { int CurrentSpeed = 0;... } 6/52

7 2.1 Variáveis Ciclo de vida e escopo das variáveis em Java (scope) Variáveis de classe (campos estáticos). -Só existe uma cópia desta variável em todo o programa independentemente do número de vezes que a classe é instanciada. São declaradas com a palavra static. -Exemplo: static int numgears = 6 static final int numgears = 6 Variáveis locais (dentro de métodos). -As variáveis declaradas dentro dos métodos têm escopo local ao método. Só podem ser acedidas pelo método e não são visíveis pelo resto da classe. Não têm qualquer palavra específica para declaração. Parâmetros (Entrada ou argumentos dos métodos). Conceptualmente todas as bicicletas têm 6 velocidades Ao ser alterado, afecta todas as instâncias da classe. Neste caso a variável não pode nunca ser alterada. O número de velocidades nunca se altera. -Os parâmetros são as variáveis de entrada dos métodos. São sempre classificados como variáveis e não como campos. -Exemplo: public static void main(string[] args). Método main espera argumerntos do tipo String 7/52

8 2.1 Variáveis Inicialização de variáveis As variáveis do tipo primitivo ou de classe podem receber um valor inicial -Apesar de não ser obrigatório é boa prática inicializar todas as variáveis. int numero = 0; int a,b,c,d,e; a=b=c=d=e=0; Método 1 Método 2 Conversão de variáveis Conversão automática Exemplo: Uma variável do tipo int pode ser automáticamente convertida noutra do tipo float, long ou double (maior precisão) 8/52

9 2.1 Variáveis Conversão de variáveis Conversão manual ou casting -A conversão de um dado de um tipo abrangente noutro menos abrangente (mais específico) não se faz de forma automática, pois pode implicar perda de informação Exemplo errado: float y = 4.56f; int x = y; Dá erro alertando para a perda de precisão na conversão Exemplo correcto: float y = 4.56f; int x = (int) y; CASTING -> Neste caso só estamos interessados na parte inteira do valor de y. 9/52

10 2.1 Variáveis Tipos de variáveis em JAVA Literais ou constantes em Java. A declaração é igual às variáveis, mas com a keyword final. -Constanstes ou literais inteiros (int): 0, -10, +65, final int K = 2; -Constantes do tipo char levam pelicas na atribuição final char B = x ; O valor das constantes não pode ser alterado Erro de compilação 10/52

11 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicializaçção Casting Literais Operadores Aritméticos Relacionais Bit a Bit De atribuição Expressões, statements e blocos Funções matemáticas ticas A A classe math 2.2 Operadores Controlo de Fluxo If If Else Switch Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi- -dimensionais 11/52

12 2.2 Operadores O Valor retornado de uma operação depende do tipo de operandos envolvidos Em Java os operadores estão divididos pelos seguintes grupos. -Aritméticos -Relacionais e lógicos -Bit a bit -De atribuição 12/52

13 2.2 Operadores Operadores aritméticos Binários. Unários Notação: pré fixada ++x pós fixada x++ 13/52

14 2.2 Operadores Operadores relacionais Comparação!! Exemplo : a!= b Devolve true se a for diferente de b. a == b Devolve true se a for igual a b. 14/52

15 2.2 Operadores Operadores lógicos Exemplo : (a && b) == 0; Devolve true se a for zero e se b for zero. 15/52

16 2.2 Operadores Operadores bit a bit Para operações digitais binárias É dividor por 2 op2 É multiplicar por 2 op2 Em Java o bit de sinal é o bit mais à esquerda: 0: Representa um número positovo 1: Representa um número negativo Mais info em: 406/ScjpTipLine-BitShifting.html Os operadores shift (<<,>>,>>>) servem para deslocar um determinado nº de bits para a esquerda ou direira. Serve por exemplo para converter Bytes -> Kbytes -> Mbytes acrescentando ou retiranto 10 zeros int byte = 1; long mbytes = byte << 20; System.out.println(mbytes); 1 Kbyte = 2 10 byte e 1 Mbyte = 2 20 bytes 1*2 20 -> Acrescentar 20 zeros é multiplicar por Imprime = /52

17 2.2 Operadores Operadores bit a bit Notas sobre deslocação de bits Deslocar b à direita é dividir por 2 b. Acrescentam-se b zeros à esquerda e desaparecem b zeros à direita 13 (dec) 6 (dec) byte b = 13; b = (byte) (b >> 1); = (dec) 3 (dec) byte b = 13; b = (byte) (b >> 2); = Deslocar b à esquerda é multiplicar por 2 b. Acrescentam-se b zeros à direita e desaparecem b zeros á esquerda 13 (dec) 26 (dec) byte b = 13; b = (byte) (b << 1); byte b = 13; b = (byte) (b << 2); = (dec) 52 (dec) = Note-se no casting. Em Java os operadores de deslocação apenas trabalham com variáveis INT. Na deslocação, o operando da esquerda é convertido automáticamente num tipo INTEIRO 17/52

18 2.2 Operadores Operadores de atribuição Em Java, o operador de atribuição normal é: = -Tal como no C, existem uma série de operadores de atribuição compactos 18/52

19 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicializaçção Casting Literais Operadores Aritm Aritmééticos ticos Relacionais Bit a Bit De atribuiçção 2.3 Expressões statements e blocos Expressões, statements e blocos Funções matemáticas ticas A A classe math Controlo de Fluxo If If Else Switch Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi- -dimensionais 19/52

20 2.3 Expressões Uma expressão é: Um conjunto de variáveis, operadores e invocações de métodos As expressões: -Devolvem valores. Os operadores nelas utilizados são avaliados de acordo com prioridades int cadence = 0; anarray[0] = 100; System.out.println("Element 1 at index 0: " + anarray[0]); int result = 1 + 2; if(value1 == value2) System.out.println("value1 == value2"); Variavel result é agora 3. a+ b / c; (a + b) / c; Os parêntesis alteram a ordem natural das prioridades 20/52

21 2.3 Expressões Prioridades das expressões: Escala de prioridades. O valor 15 representa a maior prioridade 21/52

22 2.3 Expressões Prioridades das expressões: Exemplo: a * b >= c + d x * y == z && s<= t ((a * b) >= (c + d)) ((x * y) == z) && (s <= t) /52

23 2.3 Statements Statements O Statement em programação é o equivalente à frase na linguagem comum O statement forma uma unidade completa de execução de código -Os tipos de expressões seguintes transformam-se em statements terminando-as com ; -Expressóes de atribuição (=) -Expressões unárias (++ e - -) -Invocações de métodos -Expressões para criação de objectos Exemplos de statments de expressões avalue = ; // Atribuição avalue++; // Incremento System.out.println("Hello World!"); // Invocação de métodos Bicycle mybike = new Bicycle(); // criação de objectos Existem ainda statements de declaração e de controlo de fluxo. Estes últimos são vistos adiante. double avalue = ; //Statement de declaração 23/52

24 2.3 Blocos Blocos Blocos Bloco é um grupo de zero ou mais statements. -Os blocos são separados por chavetas. class BlockDemo { public static void main(string[] args) { boolean condition = true; if (condition) { // Início do Bloco 1 System.out.println("Condition is true."); } // Fim do bloco 1 else { // Inicio Bloco 2 System.out.println("Condition is false."); } // Fim do bloco 2 } } Bloco 1 Bloco 2 24/52

25 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicializaçção Casting Literais Operadores Aritm Aritmééticos ticos Relacionais Bit a Bit De atribuiçção Expressões, statements e blocos Funções matemáticas A classe math 2.4 Funções Matemáticas Controlo de Fluxo If If Else Switch Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi- -dimensionais 25/52

26 2.4 Funções matemáticas A classe Math Contêm um conjunto de funções matemáticas das quais algumas se listam abaixo -Esta classe define também as constantes: Math.PI e Math.E 26/52

27 2.4 Funções matemáticas A classe Math Exemplo: package capitulo2; public class FuncoesMatematicas01 { public static void(string args[]) { double d1=4, d2; d2 = Math.sqrt(d1); System.out.println(d2); System.out.println(Math.sin(Math.PI/2.0)); } } Output do programa: /52

28 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicializaçção Casting Literais Operadores Aritm Aritmééticos ticos Relacionais Bit a Bit De atribuiçção Expressões, statements e blocos Funções matemáticas ticas A A classe math 2.5 Controlo de fluxo Controlo de Fluxo If Else Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi- -dimensionais 28/52

29 2.5 Controlo de fluxo Controlo de fluxo Permite criar fluxos de execução alternativos ou repetitivos (iterativos) -Agrupamento das instruções de controlo de fluxo 29/52

30 2.5 Controlo de fluxo If...Else Instruções de decisão IF -Os blocos que são executados caso a condição seja verdadeira estão limitados por { } e aparecem imediatamente a seguir à condição que está limitada por parêntesis curvos ( ). Condição Blocos de execução 30/52

31 2.5 Controlo de fluxo Instruções de decisão IF encadeados -Exemplo para uma sequência de ifs encadeados Ex: se nota fôr 16: s = Muito Bom e sai do bloco de if 31/52

32 2.5 Controlo de fluxo Switch...Case Instruções de decisão Switch... Case -Comporta-se como if encadeados, mas facilita a leitura do código. Só permite comparações com igualdade e com variáveis tipo int ou char Break: Se verdade sai do bloco switch case Default: Se nenhum case for verdade Qual o Output deste programa? E se int mes = 13? 32/52

33 2.5 Controlo de fluxo Instruções de decisão Switch... Case -Várias entradas para o mesmo tipo de acções Várias entradas Mesma acção 33/52

34 2.5 Controlo de fluxo While Instruções de ciclo O ciclo while -A execução de um bloco de instruções repete-se enquanto a condição for verdadeira Atribuir valor inicial à variável de controlo Ciclo Tester critério de saída do ciclo verificando o valor da variável de controlo Neste exemplo: a vai incrementando de 1. Quando chegar a 5 sai do ciclo e continua o programa Incrementar a variável de controlo 34/52

35 2.5 Controlo de fluxo Instruções de ciclo O Ciclo While Atribuir valor inicial à variável de controlo Testar critério de saída do ciclo verificando o valor da variável de controlo Incrementar a variável de controlo Output do programa: O while pode também ser aplicado a 1 ciclo infinito: while (true){ // Instruções de código } 35/52

36 2.5 Controlo de fluxo Instruções de ciclo Os statementes While versus Do.. While O statement while avalia a expressão no inicio do ciclo. while (expressão) { statement(s) ; } O statement do while avalia a expressão no final do ciclo. do { statement(s) } while (expressão); Dão o mesmo resultado: 36/52

37 2.5 Controlo de fluxo For Instruções de ciclo O ciclo for (Caso particular do ciclo while) -Recebe 3 parâmetros que trabalham com a variável de controlo. (Controlam a execução do ciclo) -Expressão que atribui valor inicial à variável de controlo -Expressão lógica que determina o fim do ciclo -Expressão que provoca o incremento da variável de controlo Exemplo: Incrementar a variável de controlo For (int k=1; k<=5; k++){ System.out.println(k + ; ) ; } Atribuir valor inicial à variável de controlo Tester critério de saída do ciclo verificando o valor da variável de controlo Nota: O primeiro passo (atribuição de valor á variável de controlo) é sempre executado mesmo que a condição que determina o fim do ciclo seja falsa 37/52

38 2.5 Controlo de fluxo Salto Continue Instruções de Salto A Instrução continue sem label -Força o fluxo de execução a saltar para o fim do bloco corrente Exemplo: Salta para aqui e continua no ciclo for (fim do bloco) 38/52

39 2.5 Controlo de fluxo Salto Break Instruções de Salto A Instrução break sem label Exemplo: -Força o programa a sair de um ciclo continuando na primeira instrução imediatamente a seguir ao bloco que constitui o ciclo Salta para aqui e sai do ciclo 39/52

40 2.5 Controlo de fluxo Salto Continue e Break com Label Instruções de Salto A Instrução break com label Exemplo: -Força o programa a sair do ciclo que está depois da label. Usa-se quando existem vários ciclos encadeados (interior e exterior) e se pretende saír não só do ciclo interior como do exterior. search: for (i = 0; i < arrayofints.length; i++) { for (j = 0; j < arrayofints[i].length; j++) { if (arrayofints[i][j] == searchfor) { foundit = true; break search; } } } label Break dos ciclos dentro da label search: Sem label iria para o ciclo for exterior Continua aqui após o for exterior Mesmo raciocínio para a instrução continue com label. Evita a iteração corrente de um loop exterior marcado pela label. Ver exemplo: 40/52

41 2.5 Controlo de fluxo Salto Return Instruções de Salto A Instrução return -Para forçar o programa a sair da execução da função actual, regressando á função chamadora. Exemplo: Salta para aqui. A função chamadora é o método teste() 41/52

42 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicializaçção Casting Literais Operadores Aritm Aritmééticos ticos Relacionais Bit a Bit De atribuiçção Expressões, statements e blocos Funções matemáticas ticas A A classe math 2.6 Strings Controlo de Fluxo If If Else Switch Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi- -dimensionais 42/52

43 2.6 Strings String Em Java, uma cadeia de caracteres não é um tipo pré-definido, mas sim uma classe. -A String pode estar nos estados declarada, nula, vazia, com conteúdo. - O Java permite criar objectos da classe String indicando directamente o seu conteúdo entre aspas - Isto representa uma excepção relativamente a todas as outras classes. - A criação de Arrays de strings é semelhante à criação de valores primitivos Exemplo: Declarada: Valor indeterminado Nula String Vazia String com conteúdo 43/52

44 2.6 Strings String Métodos da classe string. 44/52

45 2.6 Strings String Comparação de strings. -Objectos tipo String são imutáveis. Não podem ser alterados. Cada vez que uma String é alterada, é criada uma nova String e atribuída ao apontador s -Duas Strings detectadas com o mesmo conteúdo são partilhadas pelos respectivos apontadores (ver figura) Substring de s2 da pos. 0 exclusivé à pos. 3 inclusivé True: São apontadores iguais False: São apontadores diferentes s1 P e d r o \ True: Compara conteúdos s2 s3 P e d r o \ Atenção: O Operador == usado para comparar strings pode conduzir a resultados inesperados 45/52

46 Índice Variáveis Tipos Escopo Inicializaçção Casting Literais Operadores Aritm Aritmééticos ticos Relacionais Bit a Bit De atribuiçção Expressões, statements e blocos Funções matemáticas ticas A A classe math 2.7 Arrays Controlo de Fluxo If If Else Switch Switch Case While For Strings Arrays Arrays unidimensionais Arrays bi-dimensionais 46/52

47 2.7 Arrays Array Estrutura de dados que permite armazenar um conjunto de variáveis do mesmo tipo -As variáveis são tratadas como um bloco e possuem um nome comum -Cada variável é identificada por um índice Exemplo: Criar um array de uma dimensão, com 10 números inteiros. -Os índices de cada elemento vão de 0 a 9 -No Java os elementos do array são automáticamente inicializados a 0. (Ao contrário do C) 1 Array de 10 elementos 47/52

48 2.7 Arrays Array Atribuição de valores ao Array Método1: Array de comprimento prédefinido (Opcional) Método2: determinação automática do comprimento pelo compilador Arrays de caracteres: A atribuição dos valores tem que estar entre pelicas 48/52

49 2.7 Arrays Array Array com duas dimensões (matriz) 1 Array de 6 linhas e 2 colunas Atribuição individual Atribuição por linhas e colunas Tamanho automático 49/52

50 2.7 Arrays Percorrer Arrays O Ciclo for é muito útil para percorrer Arrays -Permite inicializar o índice, definir a condição de paragem e incrementar o índice numa só linha -Para percorrer o Array necessitamos da sua dimensão (nº de índices) -Para Arrays bidimencionais necessitamos de um índice para indicar a linha e outro a coluna Exemplo; Percorrer array unidimensional O Array chama-se numero Percorrer Array bi-dimensional Nº de colunas (comprimento da linha 0) 50/52

51 2.7 Arrays Array de Strings A linguagem Java permite criar um objecto da classe String indicando directamente o seu conteúdo entre aspas -Isto representa uma excepção relativamente a todas as outras classes -A criação de Arrays de strings é semelhante à criação de valores primitivos Exemplo: Array bi-dimensional: Atribuição Output 51/52

52 FIM 52/52

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática

Universidade da Beira Interior Cursos: Matemática /Informática e Ensino da Informática Folha 1-1 Introdução à Linguagem de Programação JAVA 1 Usando o editor do ambiente de desenvolvimento JBUILDER pretende-se construir e executar o programa abaixo. class Primeiro { public static void main(string[]

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31

Algoritmia e Programação APROG. Linguagem JAVA. Básico. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 APROG Algoritmia e Programação Linguagem JAVA Básico Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2012/13) 1/31 Linguagem Java Estrutura de um Programa Geral Básica Estruturas de Dados Variáveis Constantes Tipos de Dados

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery

Linguagem de Programação JAVA. Técnico em Informática Professora Michelle Nery Linguagem de Programação JAVA Técnico em Informática Professora Michelle Nery Agenda Regras paravariáveis Identificadores Válidos Convenção de Nomenclatura Palavras-chaves em Java Tipos de Variáveis em

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

Introdução à linguagem

Introdução à linguagem A Tecnologia Java 1 Introdução à linguagem Origens do JAVA Projecto Green, programação para a electrónica de Consumo (Dezembro 1990): Pouca memória disponível Processadores fracos Arquitecturas muito diferentes

Leia mais

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar

Criar a classe Aula.java com o seguinte código: Compilar e Executar Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Criar a classe Aula.java com o seguinte código: public class Aula { public static void

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 3: Métodos LEEC@IST Java 1/45 Métodos (1) Sintaxe Qualif Tipo Ident ( [ TipoP IdentP [, TipoP IdentP]* ] ) { [ Variável_local Instrução ]* Qualif: qualificador (visibilidade,

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões Programação de Computadores I Aula 05 Programação: Tipos, Variáveis e Expressões José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/56 Valores Valor é uma entidade

Leia mais

Javascript 101. Parte 2

Javascript 101. Parte 2 Javascript 101 Parte 2 Recapitulando O Javascript é uma linguagem de programação funcional Os nossos scripts são executados linha a linha à medida que são carregados. O código que está dentro de uma função

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Algoritmos e Programação Parte 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

3 Classes e instanciação de objectos (em Java)

3 Classes e instanciação de objectos (em Java) 3 Classes e instanciação de objectos (em Java) Suponhamos que queremos criar uma classe que especifique a estrutura e o comportamento de objectos do tipo Contador. As instâncias da classe Contador devem

Leia mais

Programação Orientada a Objetos! Java - Fundamentos. Prof. Sérgio Almagro! e-mail: sergio.ricardo.almagro@gmail.com

Programação Orientada a Objetos! Java - Fundamentos. Prof. Sérgio Almagro! e-mail: sergio.ricardo.almagro@gmail.com Programação Orientada a Objetos! Java - Fundamentos Prof. Sérgio Almagro! e-mail: sergio.ricardo.almagro@gmail.com Estrutura de Programação Bibliografia HORSTMANN, Cay S., CORNELL, Gray. Core Java 2 Volume

Leia mais

Utilizem a classe Aula.java da aula passada:

Utilizem a classe Aula.java da aula passada: Introdução à Java Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br Programação Orientada a Objetos Código Exemplo da Aula Utilizem a classe Aula.java da aula passada: public class Aula { public static void main(string[]

Leia mais

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS

A Linguagem Java. Alberto Costa Neto DComp - UFS A Linguagem Java Alberto Costa Neto DComp - UFS 1 Roteiro Comentários Variáveis Tipos Primitivos de Dados Casting Comandos de Entrada e Saída Operadores Constantes 2 Comentários /** Classe para impressão

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica

Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Desenvolvimento OO com Java 3 Estruturas de Controle e Programação Básica Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade

Leia mais

APOSTILA PHP PARTE 1

APOSTILA PHP PARTE 1 APOSTILA PHP PARTE 1 1. Introdução O que é PHP? PHP significa: PHP Hypertext Preprocessor. Realmente, o produto foi originalmente chamado de Personal Home Page Tools ; mas como se expandiu em escopo, um

Leia mais

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel

Programação de Computadores - I. Profª Beatriz Profº Israel Programação de Computadores - I Profª Beatriz Profº Israel As 52 Palavras Reservadas O que são palavras reservadas São palavras que já existem na linguagem Java, e tem sua função já definida. NÃO podem

Leia mais

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

Sintaxe Geral Tipos de Dados. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. Sintaxe Geral Tipos de Dados Comentários Comentários: De linha: // comentário 1 // comentário 2 De bloco: /* linha 1 linha 2 linha n */ De documentação: /** linha1 * linha2 */ Programa Exemplo: ExemploComentario.java

Leia mais

Programas simples em C

Programas simples em C Programas simples em C Problema 1. Escreve um programa em C que dados dois inteiros indique se são iguais ou qual o maior. Utilizar a construção em 5 etapas... quais? 1. Perceber o problema 2. Ideia da

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu. Programação Estruturada Linguagem C Fundamentos da Linguagem Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Estrutura Básica Bibliotecas Básicas Tipos de Dados Básicos Variáveis/Declaração

Leia mais

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência

Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência 1. Introdução Universidade Federal do ABC Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Dados, variáveis, operadores e precedência Roteiro 1: Dados, variáveis, operadores e precedência Nesta

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA

Curso Adonai QUESTÕES Disciplina Linguagem JAVA 1) Qual será o valor da string c, caso o programa rode com a seguinte linha de comando? > java Teste um dois tres public class Teste { public static void main(string[] args) { String a = args[0]; String

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Conceitos de Linguagens de Programação

Conceitos de Linguagens de Programação Conceitos de Linguagens de Programação Aula 07 Nomes, Vinculações, Escopos e Tipos de Dados Edirlei Soares de Lima Introdução Linguagens de programação imperativas são abstrações

Leia mais

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1

Curso Java Starter. www.t2ti.com 1 1 Apresentação O Curso Java Starter foi projetado com o objetivo de ajudar àquelas pessoas que têm uma base de lógica de programação e desejam entrar no mercado de trabalho sabendo Java, A estrutura do

Leia mais

Programação em C++: Introdução

Programação em C++: Introdução Programação em C++: Introdução J. Barbosa J. Tavares Visualização Científica Conceitos básicos de programação Algoritmo Conjunto finito de regras sobre as quais se pode dar execução a um dado processo

Leia mais

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões

Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Algoritmos I Aula 13 Java: Tipos básicos, variáveis, atribuições e expressões Professor: Max Pereira http://paginas.unisul.br/max.pereira Ciência da Computação Primeiro Programa em Java public class OlaPessoal

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ 1 - VARIÁVEIS Variáveis espaço de memória reservado para armazenar tipos de dados, com um nome para referenciar seu conteúdo. Observações importantes Todas as variáveis devem

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 5 Instruções de controle: Parte 2 Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 5.1 Introdução Instrução de repetição for Instrução de repetição do while Instrução de seleção

Leia mais

Tipos de Dados Simples

Tipos de Dados Simples Programação 11543: Engenharia Informática 6638: Tecnologias e Sistemas de Informação Cap. 3 Tipos de Dados Simples Tipos de Dados Simples Objectivos: Hierarquia de tipos de dados Tipos de dados simples

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento NetBeans Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Iniciar o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

2 Orientação a objetos na prática

2 Orientação a objetos na prática 2 Orientação a objetos na prática Aula 04 Sumário Capítulo 1 Introdução e conceitos básicos 1.4 Orientação a Objetos 1.4.1 Classe 1.4.2 Objetos 1.4.3 Métodos e atributos 1.4.4 Encapsulamento 1.4.5 Métodos

Leia mais

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação Java Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação 1 Tabelas para quê? As tabelas são utilizadas quando se pretende armazenar e manipular um grande número de

Leia mais

Slides_Java_1 !"$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code.

Slides_Java_1 !$ % & $ ' ' Output: Run java. Compile javac. Name of program. Must be the same as name of file. Java source code. Slides_Java_1!"#$!" $ % & $ Sistemas Informáticos I, 2005/2006 ( Java source code Compile javac Java bytecode Run java Output:!"#) %& Name of program. Must be the same as name of file.!"#$!"$ % & $ Where

Leia mais

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com

BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com BSI UFRPE Prof. Gustavo Callou gcallou@gmail.com HelloWorld.java: public class HelloWorld { public static void main (String[] args) { System.out.println( Hello, World ); } } Identificadores são usados

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays

Unidade IV: Ponteiros, Referências e Arrays Programação com OO Acesso em Java a BD Curso: Técnico em Informática Campus: Ipanguaçu José Maria Monteiro Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro PUC-Rio Departamento Clayton Maciel de Informática

Leia mais

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C Linguagem de uso geral (qualquer tipo de aplicação) Uma das linguagens mais utilizadas Foi utilizada

Leia mais

Noções sobre Objetos e Classes

Noções sobre Objetos e Classes Noções sobre Objetos e Classes Prof. Marcelo Cohen 1. Elementos de programação Revisão de programação variáveis, tipos de dados expressões e operadores cadeias de caracteres escopo de variáveis Revisão

Leia mais

Programação em Linguagem C

Programação em Linguagem C Engenharia de Sistemas e Informática 1º Ano 2º Semestre Programação em Linguagem C Escola Superior de Tecnologia de Viseu Instituto Politécnico de Viseu Carlos Simões ÍNDICE 1 Introdução à Linguagem de

Leia mais

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo

Programando em C# Orientado a Objetos. By: Maromo Programando em C# Orientado a Objetos By: Maromo Agenda Módulo 1 Plataforma.Net. Linguagem de Programação C#. Tipos primitivos, comandos de controle. Exercícios de Fixação. Introdução O modelo de programação

Leia mais

Sistemas Microcontrolados

Sistemas Microcontrolados Sistemas Microcontrolados Aula 4: Programação em C para PIC Marco Jose da Silva mdasilva@utfpr.edu.br Compiladores C para PICs C18 HI-TECH CCS IAR MikroC http://www.microchip.com/ http://www.htsoft.com/

Leia mais

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA

ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA P. Fazendeiro & P. Prata POO FP1/1 ESQUEMA AULA PRÁTICA 1 Familiarização com o Ambiente de Desenvolvimento Eclipse Introdução à Linguagem de Programação JAVA 0 Inicie o ambiente de desenvolvimento integrado

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br

Java - Introdução. Professor: Vilson Heck Junior. vilson.junior@ifsc.edu.br Java - Introdução Professor: Vilson Heck Junior vilson.junior@ifsc.edu.br Agenda O que é Java? Sun / Oracle. IDE - NetBeans. Linguagem Java; Maquina Virtual; Atividade Prática. Identificando Elementos

Leia mais

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE

OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE OPERADORES E ESTRUTURAS DE CONTROLE 3.1 Operadores Os operadores indicam o tipo de operação matemática que será executada gerando novos valores a partir de um ou mais operadores. São muito utilizados em

Leia mais

Módulo 06 Desenho de Classes

Módulo 06 Desenho de Classes Módulo 06 Desenho de Classes Última Atualização: 13/06/2010 1 Objetivos Definir os conceitos de herança, polimorfismo, sobrecarga (overloading), sobreescrita(overriding) e invocação virtual de métodos.

Leia mais

Aula 4 Pseudocódigo Tipos de Dados, Expressões e Variáveis

Aula 4 Pseudocódigo Tipos de Dados, Expressões e Variáveis 1. TIPOS DE DADOS Todo o trabalho realizado por um computador é baseado na manipulação das informações contidas em sua memória. Estas informações podem ser classificadas em dois tipos: As instruções, que

Leia mais

Flash MX ActionScript

Flash MX ActionScript Flash Programação MX ActionScript Multimédia Flash MX ActionScript Pedro Costa / 2004 Introdução Neste momento, o ActionScript é provavelmente a ferramenta mais poderosa integrada no Flash. Esta linguagem

Leia mais

Capítulo 3. Programação por objectos em Java

Capítulo 3. Programação por objectos em Java Capítulo 3. Programação por objectos em Java 1/46 Índice Indice 3.1 - Qualificadores de visualização 3.2 - Classe 3.3 - Objecto 3.4 - Métodos 3.5 - Herança 3.6 - Reescrita de métodos 3.7 - Classes abstractas

Leia mais

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null

insfcanceof new public switch transient while byte continue extends for int null Palavras -chave de JAV A abstract catch do final implements long private static throw void boolean char double finally import native protected super throws volatile break class float insfcanceof new public

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

JAVA. Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

JAVA. Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br JAVA Fabrício de Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Agenda 2 Características Ambientes de Desenvolvimento Sintaxe Comentários Tipos de dados primitivos Caracteres especiais Variáveis Operadores Aritméticos

Leia mais

Conversão de Tipos e Arrays

Conversão de Tipos e Arrays Conversão de Tipos e Arrays Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marciobueno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Conversão de Tipos Permite converter

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Prof. Yandre Maldonado - 1 Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa Prof. Yandre Maldonado - 2 Linguagem C: Desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios da AT&T Bell (EUA) no início dos anos 70; Algol

Leia mais

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Cap. 02 Fundamentos de Linguagens Sumário : Linguagem, alfabeto e gramática

Leia mais

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo:

Para testar seu primeiro código utilizando PHP, abra um editor de texto (bloco de notas no Windows) e digite o código abaixo: Disciplina: Tópicos Especiais em TI PHP Este material foi produzido com base nos livros e documentos citados abaixo, que possuem direitos autorais sobre o conteúdo. Favor adquiri-los para dar continuidade

Leia mais

2. Constantes e Variáveis

2. Constantes e Variáveis 2. Constantes e Variáveis Neste capitulo veremos como os dados constantes e variáveis são manipulados pela linguagem C. O que são constantes inteiras, reais, caracteres e strings. Quais são as regras de

Leia mais

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Linguagem C Tipos de Dados void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Funções void void pode ser usado em lugar de um tipo, para indicar a ausência de valor

Leia mais

Visual Basic e Java. À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos.

Visual Basic e Java. À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos. Visual Basic e Java À primeira vista o Java é completamente diferente do Visual Basic. Realmente as duas linguagens pertencem a mundos distintos. No entanto, elas compartilham uma série de funcionalidades.

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05

IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05 IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05 Prof. Manoel Campos da Silva Filho Tecnólogo em Processamento de Dados / Unitins Mestre em Engenharia Elétrica / UnB http://lab.ifto.edu.br/~mcampos http://manoelcampos.com

Leia mais

Keeper of Knowledge. Capítulo 1 Conceitos Básicos do Java

Keeper of Knowledge. Capítulo 1 Conceitos Básicos do Java Capítulo 1 Conceitos Básicos do Java INTRODUÇÃO O objectivo deste tutorial é ensinar as regras básicas de programação em Java e facilitar a aprendizagem dos capítulos que se seguem. Qualquer dúvida sobre

Leia mais

Lição 9 Trabalhando com bibliotecas de classes

Lição 9 Trabalhando com bibliotecas de classes Lição 9 Trabalhando com bibliotecas de classes Introdução à Programação I 1 Objetivos Ao final da lição, o estudante deverá estar apto a: Explicar o que é programação orientada a objetos e alguns de seus

Leia mais

BC0501 Linguagens de Programação

BC0501 Linguagens de Programação BC0501 Linguagens de Programação Aula Prática: 03 Assunto: Comandos de Seleção 1. Introdução Um comando de seleção define uma condição em um programa, que permite que grupos de comandos sejam executados

Leia mais

Estrutura de Dados Básica

Estrutura de Dados Básica Estrutura de Dados Básica Professor: Osvaldo Kotaro Takai. Aula 4: Tipos de Dados O objetivo desta aula é apresentar os tipos de dados manipulados pela linguagem C, tais como vetores e matrizes, bem como

Leia mais

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia

Instituto Federal do Sertão-PE. Curso de PHP. Professor: Felipe Correia Instituto Federal do Sertão-PE Curso de PHP Professor: Felipe Correia Conteúdo Parte I Parte II Introdução Funções de strings Instalação Constantes Sintaxe Operadores Variáveis if else elseif Echo/Print

Leia mais

Programação por Objectos. Java

Programação por Objectos. Java Programação por Objectos Java Parte 2: Classes e objectos LEEC@IST Java 1/24 Classes (1) Sintaxe Qualif* class Ident [ extends IdentC] [ implements IdentI [,IdentI]* ] { [ Atributos Métodos ]* Qualif:

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CURSO: Ciência da Computação DATA: / / 2013 PERÍODO: 4 o. PROFESSOR: Andrey DISCIPLINA: Técnicas Alternativas de Programação AULA: 03 APRESENTAÇÃO: Hoje vamos conhecer o comando switch, o bloco try catch;

Leia mais

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição

Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Edson Luiz França Senne Primeiro Curso de Programação em C 3 a Edição Visual Books Sumário Prefácio da Terceira Edição 9 Prefácio da Primeira Edição 11 Aula 1 13 Regras de sintaxe de uma linguagem de programação...

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Aula Teórica 1b: variáveis e tipo de dados em C Departamento de Informática, UBI Variáveis: conceito e pratica Variáveis e linguagens de programação A memoria A majoria dos linguagens de programação são

Leia mais

Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores

Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores Introdução a C Tipos de Dados Variáveis Operadores INF1005 Programação I Prof. Hélio Lopes lopes@inf.puc-rio.br sala 408 RDC 1 introdução a C tópicos ciclo de desenvolvimento sistemas numéricos tipos de

Leia mais

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções)

Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução. (procedimentos e funções) Aulas anteriores... Formulação adequada do problema Identificação das variáveis de entrada; resultados/variáveis de saída e método ou solução Definição do algoritmo Método de decomposição hierárquica utilizando

Leia mais

Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura

Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura UFPI CCN DIE Curso: Ciência da Computação Disciplina: Construção de Compiladores Período: 2010-1 Prof. Dr. Raimundo Moura O projeto Desenvolver um compilador de um subconjunto básico da linguagem PORTUGOL.

Leia mais

Tipo de Dados em Linguagem C

Tipo de Dados em Linguagem C Tipo de Dados em Linguagem C Principais tipos de dados em C int : tipo de dados inteiros (exemplo: 1, -3, 100, -9, 18, etc.) float : tipo de dados reais (exemplo: 1.33, 3.14, 2.00, -9.0, 1.8, etc.) Ocupa

Leia mais

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include <iostream> Aula 1 C é uma linguagem de programação estruturada desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios Bell entre 1969 e 1972; Algumas características: É case-sensitive, ou seja, o compilador difere letras

Leia mais

Variáveis e Comandos de Atribuição

Variáveis e Comandos de Atribuição BCC 201 - Introdução à Programação Variáveis e Comandos de Atribuição Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/47 Estrutura Básica de um programa C I < d i r e t i v a s do pré p r o c e s s a d o r > < d e c l

Leia mais

Introdução à Programação em Linguagem C

Introdução à Programação em Linguagem C Material Complementar EA869 (Prof. Von Zuben DCA/FEEC/Unicamp) 1 1. Enfoque Introdução à Programação em Linguagem C Será tratada aqui a linguagem C tradicional, sendo que existem outras variantes tais

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO JAVA Curso de Especialização em Tecnologia Java UTFPR Capítulo 1 Parte 1 Introdução à tecnologia Java Ambiente de desenvolvimento Java Introdução à Tecnologia Java O que é Java?

Leia mais

Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado.

Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado. Switch (Case) Equivale a um conjunto de if 's encadeados, porém mais estruturado. switch(expressao_ordinal) ordinal_1: bloco1; ordinal_2: bloco2; default: diretiva_default; Exemplo - switch public class

Leia mais

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA Prof. André R. Backes 1 COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL Os programas escritos até o momento são programas sequeciais: um comando é executado após o outro, do começo ao fim do

Leia mais

Linguagem de Programação C

Linguagem de Programação C Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Computação Linguagem de Programação C Prof. Ricardo Pezzuol Jacobi rjacobi@cic.unb.br Variáveis vari veis em um programa C est o associadas a posi es

Leia mais

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br

Orientação a Objetos em Java. Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Orientação a Objetos em Java Leonardo Gresta Paulino Murta leomurta@ic.uff.br Agenda Introdução; Orientação a Objetos; Orientação a Objetos em Java; Leonardo Murta Orientação a Objetos em Java 2 Agosto/2007

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA Aula 06: Ponteiros Declarando e utilizando ponteiros Ponteiros e vetores Inicializando ponteiros Ponteiros para Ponteiros Cuidados a serem

Leia mais

Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1

Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1 Apostila Básica de Lógica e Programação para Game Maker por Giosepe Luiz 1 Sumário 1. Introdução a Lógica... 03 2. Verdadeiro e Falso... 03 3. Conectivo E e OU... 03 4. Negação... 04 5. Introdução a Programação...

Leia mais

13 Números Reais - Tipo float

13 Números Reais - Tipo float 13 Números Reais - Tipo float Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até omomentonoslimitamosaouso do tipo inteiro para variáveis e expressões aritméticas. Vamos introduzir agora o tipo real. Ao final

Leia mais

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões.

Estruturas da linguagem C. 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. 1 Estruturas da linguagem C 1. Identificadores, tipos primitivos, variáveis e constantes, operadores e expressões. Identificadores Os identificadores seguem a duas regras: 1. Devem ser começados por letras

Leia mais

número 32.767: 0 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Por exemplo, tendo o seguinte binário com sinal (em vermelho indica positivo): 0 0 0 0 0 0 1 1 = 3

número 32.767: 0 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Por exemplo, tendo o seguinte binário com sinal (em vermelho indica positivo): 0 0 0 0 0 0 1 1 = 3 Os cinco tipos básicos de dados e seus modificadores Em C temos os tipos de dados básicos char (caractere), int (inteiro), float (ponto flutuante), double (ponto flutuante de dupla precisão) e void (sem

Leia mais

Danilo Borges da Silva daniloborges_@hotmail.com

Danilo Borges da Silva daniloborges_@hotmail.com Danilo Borges da Silva daniloborges_@hotmail.com Simples o suficiente para um curso introdutório Muitos recursos Orientação a Objetos Escalável (módulos, classes, controle de exceções) Biblioteca embutida

Leia mais

Faculdade de Ciências Universidade Agostinho Neto Departamento de Matemática e Engenharia Geográfica Ciências da Computação

Faculdade de Ciências Universidade Agostinho Neto Departamento de Matemática e Engenharia Geográfica Ciências da Computação FaculdadedeCiências UniversidadeAgostinhoNeto DepartamentodeMatemáticaeEngenhariaGeográfica CiênciasdaComputação ProgramaçãoII SegundaParte Adaptado de um original dos docentes de ISCTE Objectivos Os alunos

Leia mais