UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática INTEGRAÇÃO DE UBUNTU LINUX EM AMBIENTES MICROSOFT Susana Bela Vinhas Pereira DISSERTAÇÃO MESTRADO EM INFORMÁTICA 2013

2

3 UNIVERSIDADE DE LISBOA Faculdade de Ciências Departamento de Informática INTEGRAÇÃO DE UBUNTU LINUX EM AMBIENTES MICROSOFT Susana Bela Vinhas Pereira DISSERTAÇÃO MESTRADO EM INFORMÁTICA Trabalho orientado pelo Prof. Doutor Hugo Alexandre Tavares Miranda e co-orientado por Engenheiro Gustavo Alberto Vouga de Carvalho Homem 2013

4

5 Agradecimentos Esta tese representa a conclusão de mais um ciclo de vida cujos resultados não seriam possíveis de alcançar sem a ajuda e o apoio de várias pessoas. É desta forma que expresso a minha gratidão. Em primeiro lugar quero agradecer à minha família por todo o apoio incondicional que me deram durante a realização deste ciclo de estudos. Pai, Mãe, Paula e Lara obrigada pelo apoio, pela partilha das alegrias e dos momentos menos bons que me ajudaram a ultrapassar. Em segundo lugar quero agradecer a um grande amigo, Diogo Cruchinho, pelo apoio e ajuda na pesquisa de soluções para o desenvolvimento do estágio. Em terceiro lugar quero agradecer a todos os meus amigos pela partilha de bons e momentos menos bons. Obrigada pelo voto de confiança no meu projeto. Em terceiro lugar, mas não menos importante, quero agradecer ao meu orientador, Professor Hugo Miranda, pelo apoio e sobretudo paciência durante a realização da minha tese. As suas sugestões contribuiram em larga escala para aumentar os meus conhecimentos na realização de estágio e para trabalho futuro. Em quarto lugar, quero agradecer à empresa Ângulo Sólido, especialmente ao meu coorientador Gustavo Homem, pelo conhecimento técnico transmitido e pelas discussões construtivas que me permitiram evoluir profissionalmente. Finalmente, e não menos importante, quero agradecer aos elementos da Unidade de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa pelo apoio dado durante a realização desta tese.

6

7 When we build, let us think that we build forever. John Ruskin

8

9 Resumo A constante procura por parte das empresas de soluções aplicacionais e de sistemas com menor custo faz com que, cada vez mais, as empresas acabem por optar por aplicações e sistemas de código aberto em detrimento de soluções proprietárias. Para que estas soluções tenham algum sucesso no mercado empresarial é necessário que muitas das aplicações sejam parametrizadas e adequadas a essa mesma realidade (tal como já é feito em ambientes proprietários). A missão da Ângulo Sólido é proporcionar às organizações portuguesas soluções chave na mão que garantam a segurança, fiabilidade e interoperabilidade de qualquer parque informático a um custo inferior ao dos seus concorrentes. Para concretizar os objectivos acima descritos, a Ângulo Sólido optou por sistemas abertos baseados em Linux. Este relatório descreve o esforço de melhoria e a automatização de integração do posto de trabalho Ubuntu em ambientes Microsoft realizado no âmbito do Projeto em Informática. Devido à empresa ter optado por um sistema aberto, foi necessário proceder a algumas alterações de modo a que fosse compatível com serviços exclusivos em ambientes proprietários, de que é exemplo o tipo de autenticação usado para iniciar sessões. Com este objetivo em mente foi inicialmente explorada a forma de gerar um ambiente de desenvolvimento (ao nível do servidor e das formas de empacotamento), de criação e alteração de pacotes, parametrizando-os consoante as necessidades das organizações clientes e que foram posteriormente certificados pela Ângulo Sólido e pelos seus parceiros de negócio, de forma a garantir um comportamento fiável. Palavras-chave: Ubuntu, código aberto, pacotes, parametrização, certificação i

10

11 Abstract The constant search for more economical and flexible application solutions has increased the number of companies that opt for open source systems as an alternative to proprietary solutions. In order to open source solutions to succeed in the business market, it is necessary for many applications to be parameterized and adapted to a new reality, something that is common in proprietary environments. The mission of Ângulo Sólido is to provide "turnkey" solution to organizations, ensuring security, reliability and interoperability of any computer facilities at low cost compared to its competitors. Ângulo Sólido opted for the Ubuntu Linux distribution. This document the efforts made to improve and automate the integration process using Ubuntu in Microsoft environments. Since the company has choosed to use a open source system, it was necessary to make some changes to make the system compatible with exclusive services in proprietary environments, such as the authentication type used to logon. For this purpose, it was first explored how to generate a development environment (at the server level and forms of packaging) to create, modify and parameterize packages according to the needs of clientes organizations. This tasks were certified by the Ângulo Sólido and its business parterns to ensure a reliable system. Keywords: Ubuntu, open source, packaging, parametrization, certification iii

12

13 Índice 1 Introdução Motivação Objectivos Trabalho realizado Instituição de acolhimento Planeamento Tarefas realizadas Sub-Tarefas de Implementação de Soluções Estrutura do documento Sistema de pacotes Debian Sistemas de Pacotes Sistema de Pacotes e o Projeto Debian Ambiente de geração de pacotes Debian packaging Ferramentas de empacotamento Processo de empacotamento Resumo Personalização de Pacotes Ambiente para geração de pacote.deb do X11RDP Definição de X11RDP Geração do pacote Problemas e resolução Compilação e construção do pacote X11RDP Teste de integração do pacote X11RDP Ambiente para geração de pacote.deb do XRDP Definição de XRDP Geração do pacote Problemas e resolução Compilação e construção do pacote XRDP Testes de integração do pacote XRDP Ambiente para geração de pacote.deb Firefox e Samba Definição de Firefox Definição de Samba Geração dos pacotes Firefox e Samba Problemas e resolução do pacote do Firefox Problemas e resolução do pacote Samba Compilação e construção do pacote Samba Teste de integração do Firefox Teste de integração do Samba Activar blacklist de pacotes Definição de blacklist Problemas e resolução Teste da aplicação da blacklist Pré- requisitos para administração remota automatizada Definição de administração remota automatizada Problemas e resolução Teste da implementação da administração remota automatizada Testar integração com AD via winbind Definição de Winbind Teste de integração com a AD via Winbind Personalização de Postos de Trabalho e Servidores v

14 4.1 Descrição Instalação e operação de sistemas Instalação do Sistema Operação do sistema: configuração de perfis baseada em políticas Administração remota automatizada Portar os scripts do Ubuntu para o Necessidade de portar o script Problemas encontrados inicialmente Funcionalidades Testes da integração do script na versão LTS Avaliação e Resultados Conclusão e trabalho futuro Trabalho Futuro Bibliografia vi

15 Índice de Tabelas e Figuras Tabela 1: Plano inicial de tarefas... 4 Tabela 2: Sub-tarefas da Implementação de Soluções... 6 Figura 1: Fluxograma do processo de empacotamento vii

16

17 1 Introdução Atualmente, cada vez mais empresas optam por usar sistemas abertos não só ao nível dos servidores mas também ao nível dos postos de trabalho. Apesar de optarem por este tipo de sistemas, por vezes é necessário utilizar serviços disponíveis apenas em sistemas proprietários. Uma das dificuldades frequentes é a integração de serviços entre sistemas abertos e os diversos ambientes proprietários. Um dos objetivos deste relatório é apresentar os desafios que foram surgindo durante a inclusão de serviços proprietários em plataformas abertas e a forma como as mesmas foram solucionadas. 1.1 Motivação Conhecendo a realidade do mercado, os seus receios relativos a grandes alterações de metodologias ou ferramentas de trabalho, e pretendendo, simultaneamente, reduzir custos com licenciamento, considera-se o projeto de integração de serviços proprietários em sistemas abertos aliciante, ao nível da motivação pessoal, pois permite demonstrar que é possível integrar num sistema operativo aberto os mesmos serviços e funcionalidades existentes em sistemas operativos proprietários. 1.2 Objectivos O estágio enquadra-se no objetivo da Ângulo Sólido de desenvolver uma solução de integração de postos de trabalho Linux, mais concretamente Ubuntu[1] na versão LTS[2], num ambiente empresarial baseado em tecnologias Microsoft. Embora não sendo o foco principal do estágio, pretende-se também analisar qual o comportamento na aplicação da solução criada para o ambiente Ubuntu versão na versão

18 1.3 Trabalho realizado Com o trabalho realizado foi criado uma solução configurável para os postos de trabalho em ambiente GNU/Linux de acordo com os requisitos de cada cliente da entidade de acolhimento. Com esta solução, e através de um script parametrizado podem ser instalados e configurados postos de trabalho minimizando o esforço e tempo de instalação e integração com sistemas proprietários. A aplicação da solução personalizada desta plataforma foi realizada em vários postos de trabalho sendo o conjunto constituído por postos físicos e virtuais (postos de trabalho de um ambiente virtual simulado num ambiente físico). Esta solução não só consistia em personalizar os postos de trabalho mas também o perfil do utilizador através da gestão de perfis por políticas, tal como é explicado mais detalhadamente na secção 4. Um exemplo da aplicação de políticas no perfil de utilizador é a alteração da imagem de fundo do ambiente de trabalho associado ao utilizador em questão. Um exemplo da personalização dos postos de trabalho é a aplicação de um conjunto de pacotes de software modificados de modo a que fosse possível usar diversos serviços baseados em tecnologias Microsoft. A título exemplificativo podem destacar-se os seguintes serviços: usar um posto de trabalho Linux de forma a ser possível fazer uma ligação remota a outros postos de trabalho Windows ou Linux através do protocolo Remote Desktop Protocol (RDP)[3][4]; aceder a Groupware[5] Exchange[6] (versão 2010); autenticar sessões de utilizadores utilizando Kerberos[7][8]; aceder a diretorias partilhadas em ambientes Microsoft (automatizado e personalizado em função de utilizador e grupo); autenticar automaticamente em páginas Web via Kerberos e NTLM[9]. Outras metas desta solução foram as seguintes: atualização remota automatizada de aplicações instaladas nos postos de trabalho; adaptação e desenvolvimento de pacotes modificados consoante as necessidades dos clientes da instituição de acolhimento. 2

19 Durante a implementação da solução surgiu a necessidade de atualizar a versão do sistema operativo instalado nos clientes da instituição de acolhimento e verificar se as soluções anteriormente criadas também eram compatíveis com a nova versão, modificando-as se necessário. Algumas das metas a atingir neste novo enquadramento passam por: testar as ligações entre o Microsoft Exchange 2010 e o Ubuntu versão 12.04; modificar o ficheiro que permitia, de forma automatizada, a customização dos postos de trabalho com o sistema operativo Ubuntu para que fosse também suportado pelo Ubuntu Instituição de acolhimento A empresa Ângulo Sólido, criada em 2005, com 100% de capitais nacionais, é especializada em Tecnologias de Informação e apresenta-se no mercado português como fornecedora de serviços à medida em open source. A missão desta empresa é proporcionar às organizações portuguesas soluções chave na mão que permitam garantir a segurança, fiabilidade e interoperabilidade de qualquer parque informático a baixo custo comparado com os seus concorrentes. A Ângulo Sólido tem várias equipas, uma das quais é a de Administração de Sistemas. Esta equipa tem de garantir que a integração de diversos sistemas, serviços e aplicações funcionam de forma correta, independentemente do sistema operativo em que se está a trabalhar. Por exemplo, um dos objetivos desta equipa é parametrizar postos de trabalho que funcionem em Ubuntu, mas com integração num ambiente onde coexistam serviços Windows. Para a equipa conseguir garantir a interação entre diversos sistemas, a mesma usa a seguinte infraestrutura: servidores de Domain Host Configuration Protocol (DHCP)[10]/ Domain Name Server (DNS)[11]/ Proxy[12]/Servidor Web em Linux; um servidor de Domain Control (DC)[13]/DNS em Windows 2003; um servidor Web/Exchange em Windows 2008; um encaminhador (router)[14]; 3

20 um servidor onde são desenvolvidos os vários pacotes modificados; um computador de testes em Ubuntu; um servidor Vmware[15]. O estágio surge no âmbito da realização do Projeto de Informática do Mestrado em Informática em parceria com o Departamento de Informática da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Dado o currículo e percurso profissional na área de Administração de Sistemas optouse por um tema que permitisse adicionar valor aos conhecimentos já adquiridos, podendo aprofundá-los e evoluir nesta área. 1.5 Planeamento De acordo com a proposta submetida ao Departamento de Informática da Faculdade de Ciências, as tarefas a realizar e o tempo de duração do período de estágio na empresa Ângulo Sólido estavam estipuladas da seguinte forma: Tarefas Análise global do projeto de integração e seleção de tópicos de trabalho Análise dos vários tópicos e respectiva estimativa de esforço Tempo previsto (em meses) Implementação de soluções 6 Testes 1 Dissertação 1 Total 9 Tabela 1: Plano inicial de tarefas 4

21 1.5.1 Tarefas realizadas A metodologia de desenvolvimento que foi utilizada para a realização das tarefas durante o período de estágio na empresa Ângulo Sólido foi a seguinte: inicialmente, pela instituição de acolhimento, foram recolhidos os requisitos junto de um cliente com necessidade específicas de integração. A primeira tarefa atribuída no estágio foi a de analisar quais as incompatibilidades na utilização de serviços entre os ambientes de sistema aberto e proprietários, procurando uma forma de as resolver; após a primeira análise, foram efectuadas alterações ao código-fonte dos pacotes de forma a corrigir alguns erros que os mesmos apresentavam e adicionadas as funcionalidades necessárias. Posteriormente, foram criados os novos pacotes debian com as alterações; para a validação da solução foi utilizada uma ou mais máquinas virtuais instaladas de raiz apenas com o Ubuntu e foi também testado um script, indicado na secção 4. Este script foi inicialmente disponibilizado pela Ângulo Sólido e continha algumas alterações ao nível de configurações e pacotes. Posteriormente, foram adicionadas outras alterações, sobretudo ao nível de correções do código-fonte dos pacotes, de forma a verificar se o pacote alterado resolveria o problema Sub-Tarefas de Implementação de Soluções Como a maior parte do tempo de estágio foi consumido pela tarefa Implementação de Soluções, optou-se por detalhar melhor quais as sub-tarefas associadas diretamente a esta tarefa. As sub-tarefas realizadas na implementação de soluções associadas à integração da plataforma Linux (Ubuntu) foram as seguintes: 5

22 Tarefas 1 Preparação do ambiente para a geração do pacote debian relativo ao XRDP; 2 - Preparação do ambiente para a geração do pacote debian relativo ao X11RDP; 3 - Preparação do ambiente para a geração dos pacotes debian relativos ao Firefox e ao Samba; 4 - Integração com NTLM; 5 Ativação da blacklist para um determinado conjunto de pacotes pré-definidos no script (evitar que o sistema faça a atualização desses pacotes); 6 Implementação de uma lista de pré-requisitos para administração remota automatizada; 7 Conexão do Ubuntu com o Microsoft Exchange 2010; 8 Modificação do script da versão de forma a ser compatível com a versão 12.04, garantindo que o mesmo funcione para as duas versões. Tabela 2: Sub-tarefas da Implementação de Soluções 1.6 Estrutura do documento Este documento está organizado em cinco capítulos. No primeiro capítulo é feita a introdução e enquadramento do estágio. No segundo capítulo, Sistema de Pacotes Debian, são introduzidos o conceito de pacote de software e os passos necessários desde a obtenção do código-fonte até à criação de um pacote. O terceiro capítulo, Personalização de Pacotes, apresenta o conjunto de pacotes gerados no âmbito deste trabalho, descrevendo para cada um a motivação para as alterações realizadas e os testes que permitiram validar as alterações. No quarto capítulo são descritas as contribuições para o sistema de administração remota de postos de trabalhos e os testes de migração dos pacotes da versão LTS para a versão LTS. Por último, o quinto capítulo, designado de Conclusão e Trabalho Futuro, encerra este 6

23 relatório. Nesse capítulo são indicadas as conclusões possíveis durante a realização do projeto e apresentadas as sugestões para o trabalho futuro. 7

24 2 Sistema de pacotes Debian O projeto GNU s Not Unix! (GNU)[16] foi publicamente anunciado em 1983 por Richard Stallman como um sistema operativo livre, de forma a que todos os utilizadores pudessem controlar e configurar o computador à sua maneira. O Linux[17] foi criado por um estudante finlandês chamado Linus Torvals em Inicialmente, este foi criado para satisfazer as necessidades de acesso a servidores Unix da universidade onde Linus estudava. O objetivo do desenvolvimento do Linux era apenas ser um emulador de terminal, mas rapidamente Linus apercebeu-se de que este poderia ser utilizado como o núcleo de um sistema operativo. Posteriormente, este núcleo passou a ser usado com as aplicações do GNU. Ao longo do tempo foram surgindo diversas distribuições que utilizam como base as aplicações GNU e o núcleo do sistema operativo Linux. Designa-se por distribuição (também conhecida como distro) um conjunto de programas, serviços e controladores que facilitam o utilizador a interagir e realizar tarefas com o computador. São exemplos de distribuição o projeto Debian e o projeto Ubuntu. 2.1 Sistemas de Pacotes Um pacote de software é um programa/serviço que está acondicionado num formato de arquivo e que está disponível para ser instalado através de um sistema de gestão de pacotes ou através de um instalador autónomo. A utilização de sistemas de pacotes, como qualquer outro sistema, como por exemplo o esquema que é utilizado em sistemas Microsoft, apresenta as suas vantagens e desvantagens. As principais vantagens associadas à utilização de pacotes de sistemas são a simplicidade e rapidez na instalação do software, a estabilidade das versões, a facilidade de atualização e ainda a possibilidade dos pacotes funcionarem em diferentes distribuições que suportem o mesmo sistema de pacotes. Contudo, a manutenção de um sistema de pacotes obriga a algum esforço, por parte da equipa de Administração de Sistemas, de forma a evitar obsolescências por 8

25 incompatibilidade com novas versões de outros pacotes e a garantir que os pacotes são preparados com os conjuntos de documentação adequada. A maioria das distribuições GNU/Linux assenta sobre um de dois sistemas de pacotes. Um deles é o sistema de pacotes desenvolvido no âmbito da distribuição Debian, conhecidos como pacotes.deb e o outro sistema designa-se RPM Package Manager (RPM), desenvolvido pela Red Hat, que utiliza o formato de ficheiros.rpm. O sistema de pacotes da distribuição Debian utiliza formatos bem definidos de ficheiros compactados, como o tar (tape archive) e o gzip (GNU Zip), o que permite que sejam facilmente verificados e adicionadas pequenas alterações. A oferta de pacotes disponíveis nos repositórios Debian é maior e mais diversificada do que a existente nos repositórios Red Hat[18] essencialmente devido ao número de versões disponibilizadas por cada uma das empresas no mercado[19]. A atualização dos pacotes disponibilizados pela Red Hat tem um custo associado ao contrário da atualização dos pacotes disponibilizados nos repositórios Debian. 2.2 Sistema de Pacotes e o Projeto Debian O projeto Debian[20] foi iniciado em 1993 por Ian Murdock, com o objetivo de criar e desenvolver uma distribuição gratuita seguindo a filosofia do Linux e do GNU. A combinação da filosofia Debian e da metodologia das ferramentas GNU e adicionando o núcleo de Linux[21] (kernel) e outras aplicações gratuitas, tais como o Firefox [22](browser) ou o Libreoffice[23], formam a distribuição designada de Debian GNU/Linux. Ian pretendia que a distribuição Debian mantivesse um desenvolvimento e suporte estáveis. Esta distribuição tem origem num grande número de pacotes de software. Cada pacote disponibilizado na distribuição contém ficheiros executáveis, scripts, documentação e informação de configuração. Estes pacotes têm um gestor associado que é o principal responsável por: manter este atualizado, verificar os relatórios de anomalias e comunicar as mesmas ao(s) autor(es) do software original do pacote. Ainda a referir que a distribuição Debian possui um conjunto de programas básicos e utilitários estáveis que permitem o bom funcionamento de um computador ou servidor. Uma grande parte das ferramentas básicas que formam o sistema operativo são originais do projeto GNU. 9

26 O Ubuntu[24] foi lançado oficialmente em Outubro de 2004 pela empresa Canonical[25]. O objetivo do seu fundador, Mark Shuttleworth, era transformar o Linux, conhecido até então como uma plataforma de servidores empresarias, numa distribuição estável para postos de trabalho. Para isso escolheu como base o projeto Debian, por ser um dos projetos alicerçados em GNU/Linux mais desenvolvidos na época, tendo reunido uma equipa de desenvolvimento para concretizar essa tarefa. O que Mark Shuttleworth pretendia para o Ubuntu era atingir duas partes importantes na introdução de uma nova distribuição, sendo uma delas a parte social (de forma a que a sociedade aceitasse, interagisse e utilizasse esta distribuição) e a outra a parte económica (disponibilizar gratuitamente a distribuição, fornecer software livre de custos e que fosse financiado através de um portefólio de serviços prestados pela Canonical). 2.3 Ambiente de geração de pacotes Debian packaging A preparação de pacotes de software (também conhecida como packaging)[26] consiste em criar um pacote a partir do código-fonte da aplicação. Este processo é facilitado por um ambiente de empacotamento. Por norma, o ambiente de empacotamento de software é instalado num computador configurando um ambiente controlado em que apenas se instala a versão base da distribuição e as ferramentas necessárias para que se possa proceder ao empacotamento, como por exemplo as ferramentas gcc, make, debuild e autoconf que se encontram definidas na secção Ferramentas de empacotamento Para a preparação do empacotamento de software é necessário proceder à transferência do código-fonte do pacote e verificar quais os pré-requisitos que são necessários instalar e configurar de forma a ser possível criar um novo pacote. O ambiente de empacotamento é composto pelas ferramentas necessárias à compilação 10

27 do código-fonte e por um conjunto de utilitários que fazem parte da instalação base da distribuição, nomeadamente: make: lê ficheiros do tipo Makefile para saber o que é necessário compilar; apt/dpkg: para além da sua utilização básica de instalar pacotes, estes comandos têm muitas funcionalidades úteis para o empacotamento, como por exemplo, ver o conteúdo dos pacotes, procurar um pacote no repositório e fazer a atualização da lista de pacotes existentes nos repositórios; grep-dctrl - procura uma determinada palavra no pacote; diff - compara dois ficheiros, apresentando as diferenças entre eles e é utilizado frequentemente para a criação de correções (patches) no códigofonte; patch é criado para aplicar atualizações, criadas pelo diff ou por um programa semelhante, a múltiplos ficheiros ou diretórios; debhelper são scripts que executam tarefas comuns do empacotamento; dh_make este comando permite iniciar o processo de empacotamento criando as diretorias e os ficheiros necessários; gnupg é um substituto completo e livre para o PGP usado para assinar digitalmente ficheiros (incluindo pacotes); fakeroot simula a execução de um comando com privilégios de root; lintian verifica as inconsistências e erros existentes num determinado pacote Debian. A lista básica de pacotes necessária para obtermos o ambiente Packaging do Ubuntu é a seguinte: build-essential é um conjunto de ferramentas necessárias para o empacotamento que inclui as aplicações básicas de compilação (gcc, g++ e make) e as bibliotecas de desenvolvimento (libc6-dev e dpkg-dev) no empacotamento; devscripts contém muitos dos scripts utilizados, dos quais são exemplo debdiff (mostra a diferença entre dois pacotes debian), dch (permite editar o ficheiro debian/changelog) e debuild (cria pacotes debian); ubuntu-dev-tools é uma coleção de scripts, tal como o devscripts, sendo 11

28 específico para Ubuntu; contém algumas ferramentas, como o pbuilder-dist que permite construir pacotes indicando as suas dependências, ou seja, os pacotes que são necessários para a sua instalação Processo de empacotamento Apesar de existirem diferentes pacotes debian disponíveis para as distribuições e versões onde são utilizados, é possível utilizar um desses pacotes e personalizar de acordo com as necessidades do ambiente de utilização. A personalização do pacote terá sempre associada a particularidade do ambiente de utilização e o facto de poderem existir diferentes formas de desenvolver o processo de empacotamento. Esta situação poderá causar dificuldades na modificação do pacote por pessoas externas a este novo pacote, pois estas podem não conhecer a forma como o pacote foi construído e dado que esta tarefa é muito especializada. No geral, o processo de empacotamento consiste na execução das seguintes etapas: Figura 1: Fluxograma do processo de empacotamento De seguida vão ser analisadas as etapas indicadas no fluxograma. 12

29 Obtenção do código-fonte A forma mais simples de fazer o empacotamento é fazer a criação do pacote a partir do código-fonte. Esse código-fonte por norma está disponível nos repositórios do Ubuntu. As versões do código-fonte nos repositórios do Ubuntu vêm optimizadas para a distribuição, o que permite realizar de uma forma mais rápida e eficaz o empacotamento. Por vezes é necessário proceder à alteração do pacote para adicionar funcionalidades não previstas ou para corrigir problemas/erros da aplicação. Se os pacotes não existirem pode ser usado o código-fonte disponibilizado no sítio oficial do software, sendo necessário, posteriormente, realizar algumas alterações de modo a que o software seja compatível com a distribuição usada. Outro mecanismo que se pode utilizar para descarregar o código-fonte diretamente do sítio da aplicação, é utilizar a ferramenta wget. Esta ferramenta permite descarregar um ou vários ficheiros da internet. No entanto, o utilizador necessita de saber o endereço exato da localização dos ficheiros do código-fonte para conseguir descarregar com sucesso. Para transferir o código-fonte diretamente do repositório do Ubuntu, também é possível utilizar a ferramenta apt que permite obter o código-fonte utilizado na geração dos pacotes oficiais. Quando se obtém o código-fonte através da ferramenta apt ou através do repositório oficial do Ubuntu são descarregados três ficheiros: um com a extensão.orig.tar.gz, outro com a extensão.dsc e, por fim, o terceiro ficheiro com a extensão.diff.gz. Estes ficheiros têm sempre a seguinte designação: packagename_version.extension (exemplo: samba_3.4.7.orig.taz.gz). O ficheiro.orig.tar.gz contém o código-fonte do(s) autor(es), o ficheiro.dsc descreve o pacote e fornece a soma de controlo (md5sums) da fonte do pacote e o ficheiro.diff.gz contém os ficheiros (no diretório debian/) e as correções determinadas pelo maintainer para serem aplicadas ao código-fonte original. Posteriormente, deve descompactar-se o ficheiro.orig.taz.gz no diretório onde estão as alterações do pacote. O código-fonte do ficheiro.orig.tar.gz será descompactado para um diretório com a seguinte designação packagename-version (exemplo: samba-3.4.7). 13

30 Configuração de pacote A configuração de pacotes pode ser feita de duas formas. A configuração de pacotes usando um método tradicional ou a forma considerada mais comum que é a configuração via CDBS. A forma de configurar cada uma delas é descrita nos pontos seguintes Configuração de pacote usando método tradicional Após a obtenção do código-fonte e a extração do mesmo, é necessário proceder às alterações dos ficheiros do código-fonte. Caso ainda não exista a diretoria debian, deve executar-se o comando dh_make para criar a diretoria debian, a qual irá conter pelo menos quatro ficheiros fulcrais que, posteriormente, devem ser editados de forma a personalizar o comportamento do pacote. São eles: control, changelog, copyright e rules. O ficheiro control contém informações de controlo de pacote, tais como: a fonte do código, a descrição, o sítio oficial e o seu gestor do pacote (representado pelo nome e do mesmo), bem como os pacotes dos quais depende e os conflitos com outros pacotes. O ficheiro copyright contém informações sobre os direitos de autor. O ficheiro changelog indica todas as alterações que foram efectuadas ao longo das várias versões. Este tem uma formatação especial, a qual está descrita no manual de políticas Debian. Esta formatação é utilizada por diversos programas, entre eles o dpkg, para obter o nome do pacote, o número da versão, o tipo de distribuição, a urgência e as mudanças feitas na revisão do pacote. O ficheiro rules é interpretado pelo comando dpkg-buildpackage e contém o conjunto de instruções a seguir para a geração do pacote. Este ficheiro é, na realidade, outro tipo de makefile e, ao contrário dos outros ficheiros indicados anteriormente, é criado um ficheiro com permissões de execução. Com este tipo de ficheiro pretende-se, essencialmente, automatizar uma ordem de compilação entre etapas ou pacotes. Algumas etapas do ficheiro de regras são indicadas pelos seguintes comandos: clean remove tudo o que foi compilado anteriormente (etapa obrigatória); 14

Aula 4: Montagem e Disponibilização Frameworks Genéricos

Aula 4: Montagem e Disponibilização Frameworks Genéricos Aula 4: Montagem e Disponibilização Frameworks Genéricos Diego Passos Universidade Federal Fluminense Técnicas de Projeto e Implementação de Sistemas II Diego Passos (UFF) Montagem e Disponibilização Frameworks

Leia mais

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional

Curso de Linux Básico com o Linux Educacional Curso de Linux Básico com o Felipe Buarque de Queiroz felipe.buarque@gmail.com Unidade Gestora de Tecnologia da Informação - UGTI Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Alagoas - FAPEAL Maio de 2009

Leia mais

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel?

O que é o GNU/LINUX? O que e o Kernel? O que é o GNU/LINUX? Muita gente confunde Linux com sistema operacional. Digamos que parcialmente não esteja errado. O Linux(núcleo, coração do sistema), ele e responsável pelo funcionamento do computador,

Leia mais

Lazarus pelo SVN Linux/Windows

Lazarus pelo SVN Linux/Windows Lazarus pelo SVN Linux/Windows Sei que não faltam artigos sobre como obter e compilar o Lazarus e o FPC pelo SVN, mas sei também que nunca é de mais divulgar um pouco mais e talvez escrever algo diferente.

Leia mais

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG

Universidade Federal de Goiás. Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Universidade Federal de Goiás Ubuntu Desktop Alexandre Ferreira de Melo CERCOMP / UFG Conpeex / 2010 Agenda Introdução Conceitos Categorias de Software História do Linux Arquitetura do Linux Ubuntu Projeto

Leia mais

Sistema Operativo Linux

Sistema Operativo Linux Sistema Operativo Linux Linux É um sistema operativo da família UNIX, desenvolvido colaborativamente através da internet. É um software livre ou open source, com o código fonte disponível em www.kernel.org

Leia mais

Instalar o Projeto Colibri RCP 7.0.2 no Ubuntu 12.04

Instalar o Projeto Colibri RCP 7.0.2 no Ubuntu 12.04 Instalar o Projeto Colibri RCP 7.0.2 no Ubuntu 12.04 O Sistema Operativo Linux, embora com uma baixíssima quota de mercado, quando comparado com Windows e OS X, no que refere a computadores pessoais, e

Leia mais

O Manual do Desktop Sharing. Brad Hards Tradução: Pedro Morais

O Manual do Desktop Sharing. Brad Hards Tradução: Pedro Morais Brad Hards Tradução: Pedro Morais 2 Conteúdo 1 Introdução 5 2 O protocolo do Remote Frame Buffer 6 3 Utilizar o Desktop Sharing 7 3.1 Gerir convites do Desktop Sharing............................ 9 3.2

Leia mais

manual instalação e configuração v13 1

manual instalação e configuração v13 1 manual instalação e configuração v13 1 Conteúdo Introdução... 3 Conteúdo do DVD:... 3 Instalação e configuração do ERP... 4 Instalação do ERP... 4 Configuração do ERP... 6 Como actualização de versão...

Leia mais

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre 16:21:50 Introdução à Informática com Software Livre 1 16:21:50 Hardware & Software 2 16:21:50 Hardware Hardware é a parte física de um computador, é formado pelos componentes eletrônicos, como por exemplo,

Leia mais

Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal

Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal Soluções de Gestão de Clientes e Impressão Universal Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. As informações

Leia mais

Curso de Linux Básico

Curso de Linux Básico Curso de Linux Básico Oficina TecnoJovem Outubro/2013 Instalação de Programas Introdução Pacotes Gerenciamento de Pacotes Exemplos Material baseado na Documentação Ubuntu, disponível na Internet (WIKI)

Leia mais

ATENÇÃO: Este manual foi feito para usuários que tenham conhecimentos de administrador Linux.

ATENÇÃO: Este manual foi feito para usuários que tenham conhecimentos de administrador Linux. INSTALL 2014-08-12 ================================================== Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux ATENÇÃO: Este manual foi feito para usuários que tenham conhecimentos de administrador

Leia mais

Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux Versão SIPREV 2.1.13

Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux Versão SIPREV 2.1.13 Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux Versão SIPREV 2.1.13 INSTALL 2010-05-20 ================================================== Instalando e Executando o Siprev em Ambiente Linux ATENÇÃO:

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

Licenciatura em Eng.ª Informática Complementos de Redes - 3º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 4 - VoIP

Licenciatura em Eng.ª Informática Complementos de Redes - 3º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 4 - VoIP Trabalho Nº 4 - VoIP 1. Introdução A utilização de tecnologia VoIP como alternativa às redes telefónicas tradicionais está a ganhar cada vez mais a aceitação junto dos utilizadores, e está sobretudo em

Leia mais

Como Instalar Programas no GNU/Linux. Elexsandro Rangel dos Santos elexsandro.rangel@yahoo.com.br

Como Instalar Programas no GNU/Linux. Elexsandro Rangel dos Santos elexsandro.rangel@yahoo.com.br Como Instalar Programas no GNU/Linux Elexsandro Rangel dos Santos elexsandro.rangel@yahoo.com.br Sumário O que é um pacote? Principais formatos de pacotes no GNU/Linux Sistema de Gerenciamento de Pacotes

Leia mais

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux

Projeto Amadeus. Guia de Instalação 00.95.00 Linux Projeto Amadeus Guia de Instalação 00.95.00 Linux Agosto 2010 Sumário 1. Introdução...3 2. Pré-Requisitos...4 2.1 Máquina Virtual Java...4 2.1.1 Instalando JDK via apt-get...4 2.1.2 Instalando JDK a partir

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

O Manual do Remote Desktop Connection. Brad Hards Urs Wolfer Tradução: José Pires

O Manual do Remote Desktop Connection. Brad Hards Urs Wolfer Tradução: José Pires O Manual do Remote Desktop Connection Brad Hards Urs Wolfer Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Introdução 5 2 O protocolo do Remote Frame Buffer 6 3 Usar o Remote Desktop Connection 7 3.1 Ligar o Remote

Leia mais

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012

Guia de Instalação e Inicialização. Para WebReporter 2012 Para WebReporter 2012 Última revisão: 09/13/2012 Índice Instalando componentes de pré-requisito... 1 Visão geral... 1 Etapa 1: Ative os Serviços de Informações da Internet... 1 Etapa 2: Execute o Setup.exe

Leia mais

IBM SPSS Modeler - Princípios Básicos do R: Instruções de Instalação

IBM SPSS Modeler - Princípios Básicos do R: Instruções de Instalação IBM SPSS Modeler - Princípios Básicos do R: Instruções de Instalação Índice IBM SPSS Modeler - Essentials for R: Instruções de Instalação....... 1 Visão Geral............... 1 Instalar o Aplicativo IBM

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes?

Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores. Módulo LPI Aula 5. Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? Universidade Tuiuti do Paraná Especialização em Redes de Computadores Módulo LPI Aula 5 Meu Deus do Shell! Porque eu não optei pelo Linux antes? 1 [1] NEVES, Júlio César Gerenciamento de Pacotes Por que

Leia mais

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos

Projecto SDAC 2010. Sistema Operativo Open Source. Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Projecto SDAC 2010 Sistema Operativo Open Source Curso: Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Disciplina: Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores Professores: Catarina Santos/Paulo Guimarães

Leia mais

Serviços de solução de replicação de dados HP Continuous Access EVA/P6000

Serviços de solução de replicação de dados HP Continuous Access EVA/P6000 Serviços de solução de replicação de dados HP Continuous Access EVA/P6000 Serviços HP Dados técnicos O HP Continuous Access (CA) fornece disponibilidade otimizada e proteção de disaster recovery. Para

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento do WebSphere websphere série 1.6 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente

Leia mais

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02 Manual de Instalação Instalação via apt-get SIGA-ADM versão 12.02 Índice de capítulos 1 - Pré-requisitos para instalação..................................................... 05 2 - Instalando o SIGA-ADM..............................................................

Leia mais

Instalação do software cygwin

Instalação do software cygwin Instalação do software cygwin O software cygwin permite instalar no sistema operativo Windows um conjunto de programas e ferramentas que reproduzem de forma muito aproximada o ambiente usualmente encontrado

Leia mais

Utilizar o Cisco UC 320W com o Windows Small Business Server

Utilizar o Cisco UC 320W com o Windows Small Business Server Utilizar o Cisco UC 320W com o Windows Small Business Server Esta nota de aplicação explica como implementar o Cisco UC 320W num ambiente do Windows Small Business Server. Índice Este documento inclui

Leia mais

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador Acronis Servidor de Licença Manual do Utilizador ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Descrição geral... 3 1.2 Política de licenças... 3 2. SISTEMAS OPERATIVOS SUPORTADOS... 4 3. INSTALAR O SERVIDOR DE LICENÇA

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios

Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Roteiro 3: Sistemas Linux arquivos e diretórios Objetivos Detalhar conceitos sobre o sistema operacional Linux; Operar comandos básicos de sistemas Linux em modo Texto; Realizar a manutenção de arquivos

Leia mais

Manual do utilizador. Aplicação de agente

Manual do utilizador. Aplicação de agente Manual do utilizador Aplicação de agente Versão 8.0 - Otubro 2010 Aviso legal: A Alcatel, a Lucent, a Alcatel-Lucent e o logótipo Alcatel-Lucent são marcas comerciais da Alcatel-Lucent. Todas as outras

Leia mais

Acronis Backup & Recovery 10 Server para Linux. Update 5. Guia da Instalação

Acronis Backup & Recovery 10 Server para Linux. Update 5. Guia da Instalação Acronis Backup & Recovery 10 Server para Linux Update 5 Guia da Instalação Índice 1 Antes da instalação...3 1.1 Componentes do Acronis Backup & Recovery 10... 3 1.1.1 Agente para Linux... 3 1.1.2 Consola

Leia mais

Receita de bolo para instalar MinGW-GCC e Netbeans em Windows

Receita de bolo para instalar MinGW-GCC e Netbeans em Windows Receita de bolo para instalar MinGW-GCC e Netbeans em Windows Hae Yong Kim 13/08/2014 Este documento explica como fiz para instalar compilador MinGW-GCC e ambiente de desenvolvimento Netbeans em Windows.

Leia mais

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Software Livre Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) - A liberdade de executar

Leia mais

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C 2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C Este capítulo trata de colocar a linguagem C para funcionar em um ambiente de programação, concentrando-se no compilador GNU Compiler Collection (gcc). Mas qualquer outro

Leia mais

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0 PLATAFORMA Versão 1.0 31 de Março de 2008 TABELA DE REVISÕES Versão Autores Descrição da Versão Aprovadores Data António Rocha Cristina Rodrigues André Ligeiro V0.1r Dinis Monteiro Versão inicial António

Leia mais

POSTOUCH. Manual Software

POSTOUCH. Manual Software POSTOUCH Manual Software Introdução Introdução POS TOUCH é uma solução direcionada a pequenos postos de venda, que tem necessidade de criação de muitos talões de uma forma linear e rápida. A solução implementa

Leia mais

Introdução à aplicação Web

Introdução à aplicação Web Introdução à aplicação Web A aplicação Web SanDisk +Cloud é uma interface com base na Web para aceder ao seu conteúdo e gerir a sua conta. Com a aplicação Web poderá reproduzir música, ver filmes, ver

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

Introdução. Capítulo 1. 1.1. Breve sinopse

Introdução. Capítulo 1. 1.1. Breve sinopse Capítulo 1 Introdução 1.1. Breve sinopse O C é uma linguagem de programação criada por Dennis Ritchie no início da década de 70 do século XX. É uma linguagem de complexidade baixa, estruturada, imperativa

Leia mais

Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência. Versão 12.1.4

Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência. Versão 12.1.4 Instalador/Atualizador PIMS Multicultura Manual de Referência Versão 12.1.4 Sumário 1. Descrição... 3 2. Pré-requisitos... 4 3. Etapas da instalação/atualização... 8 1. Iniciando a aplicação de instalação/atualização...

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 9-1. O KERNEL DO LINUX Nos sistemas GNU/Linux, todas as distribuições baseadas nos sistemas GNU/Linux existentes são compatíveis, graças ao uso de um kernel único desenvolvido por uma equipe de

Leia mais

Manual de Instalação PIMSConnector em Windows

Manual de Instalação PIMSConnector em Windows Manual de Instalação PIMSConnector em Windows Julho/2015 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Pré-requisitos instalação/implantação/utilização... 4 3. JBOSS... 6 3.1. Instalação... 6 3.2.

Leia mais

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS

I N F O R M Á T I C A. Sistemas Operacionais Prof. Dr. Rogério Vargas Campus Itaqui-RS I N F O R M Á T I C A Sistemas Operacionais Campus Itaqui-RS Sistemas Operacionais É o software que gerencia o computador! Entre suas funções temos: inicializa o hardware do computador fornece rotinas

Leia mais

IBM SPSS Modeler - Princípios Básicos do R: Instruções de Instalação

IBM SPSS Modeler - Princípios Básicos do R: Instruções de Instalação IBM SPSS Modeler - Princípios Básicos do R: Instruções de Instalação Índice IBM SPSS Modeler - Essentials for R: Instruções de Instalação....... 1 IBM SPSS Modeler - Essentials for R: Instruções de Instalação...............

Leia mais

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1

Prof. Rossano Pablo Pinto Dezembro/2012 Versão 0.2 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br 1 Visão geral sobre o processo de instalação e manutenção de instalações de software. Notas de aula. (aka lecture notes on Package Management Systems and software installation :)) Prof. Rossano Pablo Pinto

Leia mais

O que um Servidor Samba faz?

O que um Servidor Samba faz? O que é o Samba? O Samba é um "software servidor" para Linux (e outros sistemas baseados em Unix) que permite o gerenciamento e compartilhamento de recursos em redes formadas por computadores com o Windows

Leia mais

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Tecgraf/PUC Rio infogrid@tecgraf.puc rio.br 1.Introdução O objetivo deste documento é podermos registrar em um único local todas as informações necessárias

Leia mais

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR

MCITP: ENTERPRISE ADMINISTRATOR 6292: INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO WINDOWS 7, CLIENT Objetivo: Este curso proporciona aos alunos o conhecimento e as habilidades necessárias para instalar e configurar estações de trabalho utilizando a

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

ACRONIS BACKUP AND RECOVERY 10 SERVER FOR LINUX

ACRONIS BACKUP AND RECOVERY 10 SERVER FOR LINUX Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para ACRONIS BACKUP AND RECOVERY 10 SERVER FOR LINUX. Você vai encontrar as respostas a todas suas

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO do aremoto

MANUAL DE OPERAÇÃO do aremoto MANUAL DE OPERAÇÃO do aremoto V1.00 UTILIZAÇÃO DO PROGRAMA Outubro 30, 2004 www.imsi.pt Código #MOaR01 EMPRESA Código Documento MOAR01 Sobre a utilização do programa de assistência remota Versão Elaborado

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br

Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br Disciplina: Introdução aos Sistemas Operacionais Professor: Fernando Santorsula E-mail: fernando.santorsula@esamc.br Aula 15 (Revisão prova B2): Conteúdo programático Teórica Conteúdo da Aula 12 até a

Leia mais

História. Sistema Operacional

História. Sistema Operacional História Linux é o termo geralmente usado para designar qualquer sistema operacional que utilize o núcleo Linux. Foi desenvolvido pelo Finlandês Linus Torvalds, inspirado no sistema Minix. O seu código

Leia mais

WatchKey. WatchKey USB PKI Token. Versão Windows. Manual de Instalação e Operação

WatchKey. WatchKey USB PKI Token. Versão Windows. Manual de Instalação e Operação WatchKey WatchKey USB PKI Token Manual de Instalação e Operação Versão Windows Copyright 2011 Watchdata Technologies. Todos os direitos reservados. É expressamente proibido copiar e distribuir o conteúdo

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais

Professor: Roberto Franciscatto. Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Professor: Roberto Franciscatto Curso: Engenharia de Alimentos 01/2010 Aula 3 Sistemas Operacionais Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware: Gerencia os recursos

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado)

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado) Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença de Usuário Autorizado) Índice Instruções de Instalação....... 1 Requisitos do sistema........... 1 Código de autorização.......... 1 Instalando...............

Leia mais

Suporte Técnico de Software HP

Suporte Técnico de Software HP Suporte Técnico de Software HP Serviços Tecnológicos HP - Serviços Contratuais Dados técnicos O Suporte Técnico de Software HP fornece serviços completos de suporte de software remoto para produtos de

Leia mais

Informação Útil Já disponível o SP1 do Exchange Server 2003

Informação Útil Já disponível o SP1 do Exchange Server 2003 Novidades 4 Conheça as principais novidades do Internet Security & Acceleration Server 2004 Membro do Microsoft Windows Server System, o ISA Server 2004 é uma solução segura, fácil de utilizar e eficiente

Leia mais

O que é a assinatura digital?... 3

O que é a assinatura digital?... 3 Conteúdo O que é a assinatura digital?... 3 A que entidades posso recorrer para obter o certificado digital e a chave privada que me permitem apor assinaturas eletrónicas avançadas?... 3 Quais são os sistemas

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Algumas informações sobre a rede informática do ISA

Algumas informações sobre a rede informática do ISA Algumas informações sobre a rede informática do ISA Fernanda Valente Graça Abrantes A grande maioria dos computadores do Instituto Superior de Agronomia estão ligados entre si constituindo uma Intranet,

Leia mais

SOI. Sistema OpenSource Integrado

SOI. Sistema OpenSource Integrado SOI Sistema OpenSource Integrado A substituição de programas informáticos proprietários por outros de código aberto nos computadores existentes, além de proporcionar poupanças elevadas, permite tirar partido

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

Manual de Instalação PIMSConnector em Linux

Manual de Instalação PIMSConnector em Linux Manual de Instalação PIMSConnector em Linux Julho/2015 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Pré-requisitos instalação/implantação/utilização... 4 3. JBOSS... 6 3.1. Instalação... 6 3.2.

Leia mais

Instruções para Instalação dos Utilitários Intel

Instruções para Instalação dos Utilitários Intel Instruções para Instalação dos Utilitários Intel Estas instruções ensinam como instalar os Utilitários Intel a partir do CD nº 1 do Intel System Management Software (liberação somente para os dois CDs

Leia mais

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux

Kernel Linux. Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903. Representação artística do núcleo Linux Kernel Linux Representação artística do núcleo Linux Trabalho Realizador Por: Tiago Conceição Nº 11903 Índice Introdução...2 O que é o Kernel...3 Como surgiu...4 Para que serve...5 Versões...6 Versões

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos

Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Sistemas Operacionais de Rede Linux - Gerenciamento de Arquivos Conteúdo Programático Login e Logout Iniciando e Desligando o Sistema Tipos de arquivo Texto Binário Arquivos e Diretório Manipulação de

Leia mais

Empacotar o software TI-Nspire com o Microsoft SMS 2003

Empacotar o software TI-Nspire com o Microsoft SMS 2003 Empacotar o software TI-Nspire com o Microsoft SMS 2003 Este documento fornece informações detalhadas para criar e implementar um pacote de rede do TI-Nspire com a plataforma do Microsoft SMS 2003. Este

Leia mais

Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Tecnologia e Gestão. Licenciatura em Engenharia Informática. Relatório de Portfólio.

Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Tecnologia e Gestão. Licenciatura em Engenharia Informática. Relatório de Portfólio. Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão Licenciatura em Engenharia Informática Relatório de Portfólio GNU / Linux Nº 3113 Beja 2007 1 Índice Índice... 2 Resumo... 3 A Actividade...

Leia mais

Aula 01 Visão Geral do Linux

Aula 01 Visão Geral do Linux Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Administração de Redes de Computadores Aula 01 Visão Geral do Linux Prof. Gustavo Medeiros de Araujo Profa.

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do GeoServer em Servidores LINUX

Manual de Instalação e Configuração do GeoServer em Servidores LINUX Manual de Instalação e Configuração do GeoServer em Servidores LINUX Título Autores Manual de Instalação e Configuração do GeoServer em Servidores LINUX Agostinho Freitas, IGeoE Data 2011-11-07 Assunto

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença Simultânea)

Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença Simultânea) Instruções de Instalação do IBM SPSS Modeler (Licença Simultânea) Índice Instruções de Instalação....... 1 Requisitos de Sistema........... 1 Instalando............... 1 Instalando a Partir de um Arquivo

Leia mais

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006

EIC. Projecto I. Manual do Utilizador. Vídeo Vigilância Abordagem Open Source. Curso: Engenharia de Informática e Comunicações Ano Lectivo: 2005/2006 EIC Engenharia de Informática e Comunicações Morro do Lena, Alto Vieiro Apart. 4163 2401 951 Leiria Tel.: +351 244 820 300 Fax.: +351 244 820 310 E-mail: estg@estg.iplei.pt http://www.estg.iplei.pt Engenharia

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian.

Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Tutorial configurando o dhcp no ubuntu ou debian. Pré requisitos para pratica desse tutorial. Saber utilizar maquina virtual no virtual Box ou vmware. Saber instalar ubuntu ou debian na maquina virtual.

Leia mais

cio Roteamento Linux

cio Roteamento Linux Exercício cio Roteamento Linux Edgard Jamhour Exercícios práticos para configuração de roteamento usando Linux Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br

Leia mais

Gestão de Configurações II

Gestão de Configurações II Gestão de Configurações II Bibliografia Livro: Software Configuration Management Patterns: Effective Teamwork, Practical Integration Gestão de Projecto 14 Padrões de Gestão Os padrões de gestão de configurações

Leia mais

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema.

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema. Caso de Sucesso Microsoft Canal de Compras Online da PHC sustenta Aumento de 40% de Utilizadores Registados na Área de Retalho Sumário País: Portugal Industria: Software Perfil do Cliente A PHC Software

Leia mais

GIAE VERSÃO 2.1.1 28 JUNHO DE 2011 MUITO IMPORTANTE

GIAE VERSÃO 2.1.1 28 JUNHO DE 2011 MUITO IMPORTANTE GIAE VERSÃO 2.1.1 28 JUNHO DE 2011 MUITO IMPORTANTE Devido a um bug detectado no motor da base de dados, situação agora corrigida pelo fabricante, esta nova actualização do GIAE é disponibilizada numa

Leia mais

User Manual Version 3.6 Manual do Usuário Versão 2.0.0.0

User Manual Version 3.6 Manual do Usuário Versão 2.0.0.0 User Manual Version 3.6 Manual do Usuário Versão 2.0.0.0 User Manual Manual do Usuário I EasyLock Manual do Usuário Sumário 1. Introdução... 1 2. Requisitos do Sistema... 2 3. Instalação... 3 3.1. Configurar

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO LINUX ESSENTIALS Presencial (40h) - À distância (48h) Conhecendo um Novo Mundo Introdução ao GNU/Linux Distribuições GNU/Linux Linux Inside: Instalação Desktop Debian e CentOS Primeiros

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

Estruturando um aplicativo

Estruturando um aplicativo Com o Visual FoxPro, é possível criar facilmente aplicativos controlados por eventos e orientados a objetos em etapas. Esta abordagem modular permite que se verifique a funcionalidade de cada componente

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº8

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº8 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº8 Configuração e utilização do FTP 2004/2005 1 Objectivo Configuração de um servidor

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Desenvolvimento de Software para UNIX

Desenvolvimento de Software para UNIX Desenvolvimento de Software para UNIX Rui Carlos A. Gonçalves 29 de Agosto de 2008 Resumo Neste texto pretende-se descrever formas de desenvolver programas para UNIX usando as ferramentas da GNU. Não é,

Leia mais

Guia Passo a Passo Para Pré-instalar Windows Vista SP1

Guia Passo a Passo Para Pré-instalar Windows Vista SP1 Guia Passo a Passo Para Pré-instalar Windows Vista SP1 Visão Geral O Windows Vista Service Pack 1 (SP1) é um conjunto de atualizações e correções para o sistema operacional Windows Vista que endereça os

Leia mais

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional

TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional TECNÓLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I Aula 01: Conceitos Iniciais / Sistema Operacional O conteúdo deste documento tem por objetivo apresentar uma visão geral

Leia mais